Show de Vizinha-Capitulo 13


Capitulo Treze


Pov. Bella




Não acreditava na petulância daqueles homens, só por que era uma mulher solteira, morando sozinha isso fazia de mim uma vadia? Pensei irritada enquanto xingava aqueles homens nojentos.


Onde estava o cavalheirismo, homens hoje em dia não podiam ver um bunda que já pensavam em fodê-la. Como seu eu fosse dar para eles. Com certeza andam vendo muito filme pornô, pois só lá é que a mulher da pra mundo todo.


Idiotas.


Sentei em uma das minhas muitas caixas de livros e suspirei. O que eu faria agora. Teria que passar o sábado todo carregando caixas. Mais eu sempre fui sozinha e não era agora que as coisas iam mudar.


Vamos lá Isabella, você já devia estar acostumada. Já me preparava para começar o árduo trabalho, toda a minha alegria de ter a minha primeira casa própria em um bairro bom fora esquecida.




– Hey. – ouvi alguém me chamar e suspirei, com certeza era outro tarado. Mais qual a minha surpresa ao ver o cara mais lindo que já vi me olhando, era alto com ombros largos, magro mais ainda sim tinha um corpo interessante e o rosto. Deus que beleza, os olhos verdes o queixo másculo e a boca linda, e os cabelos, eram de uma cor diferente bronze talvez, e estavam totalmente bagunçados como se tivesse acabado de fazer sexo selvagem. Só que ele estava com uma expressão estranha.


– Você está bem? – perguntei dando um pequeno sorriso e ele corou? OMG, sim ele corou. As bochechas rosadas e as orelhas vermelhas, o que lhe davam um ar de inocência perfeita. Ele abaixou o rosto e passou a mão no canto da boca.


– Sim... Sim, me chamo Edward, sou seu vizinho. – ele falou rapidamente e ri.


– Isabella. – falei e ele ficou me encarando sorri mais. – Bem o que você quer Edward?


Ele pareceu pensativo por um momento. O que ele estaria pensando?


– Bem, pensei em oferecer ajuda. – ele falou olhando para as caixas e bufei, tinha até esquecido do acontecido.


– Não sei se posso te pedir para me ajudar. Não quero estragar seu sábado. – falei sinceramente, mais ele negou freneticamente.


– Não, eu estava de bobeira em casa mesmo.


– Ok então mãos a obra. – falei animada por ter ajuda desse homem lindo, e indiquei as caixas ele parecia com dificuldade mais se fez de forte e as carregou mesmo assim.


Ele me ajudou a tarde toda, carregando tudo para dentro. Em certo momento eu ele tirou a camisa e estava babando em seu peito perfeito.


Eu estava deslumbrada por ele que se esforçava pra carregar as caixas, desejando jogá-lo em minha cama e deixá-lo fazer o que quisesse comigo. Mais ele, não era um tipo galinha, o que era estranho, pois era muito lindo mesmo. Ele era gentil e doce. E não deu em cima de mim nenhuma vez, até verifiquei se era casado, mais nenhum sinal de aliança.


Então ele só devia ser um cavalheiro mesmo, o que me deixou mais encantada por ele do que nunca.


Quando ele depositou a ultima caixa no chão do meu quarto e secava o suor da testa com a camisa eu só pensava em lambê-lo. E a me ver o encarando ele corou novamente.


Deus ele era uma tentação.


Em certo momento ele me perguntou por que eu expulsei os caras da mudança, fui completamente honesta com ele. E vi seu rosto ficar vermelho brilhante ao contar as intenções dos caras.


O que o deixou simplesmente tentador. Eu ri do seu constrangimento, sem perceber eu estava quase o atacando. Estava preste a beijar a sua boca linda quando a campainha nos interrompeu.


Amaldiçoei o maldito, e sai pisando duro, só esperava que fosse rápido. estava ansiosa para provar cada pedaçinho de Edward.


Mais ao abrir a porta dei de cara com a mulher simpática que era minha vizinha.


– Olá. – cumprimentei e ela sorriu.


– Seja bem vinda. – sorri mais.


– Obrigada. Sou Bella.


– Esme, moro na casa ao lado com meu marido Carlisle e meu filho Edward.


– Filho?


– Sim, meu bebê. – eu ri. Deus eu tinha um garotinho em meu quarto. Mais isso não mudava nada eu queria agarrá-lo e lambê-lo.


Deus desde quando eu sou tão tarada.


– Deve ser uma família linda.


– Oh sim. Não sei o que faria sem os meus garotos. Mais você deve conhecê-los. Amanhã, almoce conosco.


– Eu... – antes que eu continuasse, ela voltou a falar enquanto olhava em direção a escada.


– Edward o que faz aqui? – sorri para ela.


– Ele me ajudou com a mudança. Seu filho é um doce. – ela olhou desconfiada para ele e em seguida sorriu para mim.


– Mais um motivo para você aceitar o almoço querida. – falou ainda olhando Edward.


– Eu vou adorar. – acabei dizendo e me despedi dela. Infelizmente não pude mais ficar com Edward. Ele saiu se despedindo de mim rapidamente, mais segurei sua mão e sussurrei em seu ouvido para me chamar de Bella. Lógico que o provoquei o que o deixou levemente ofegante.


Assim que ele se foi corri para meu quarto, ou melhor, meu banheiro precisava de um banho gelado. Esse garoto ia tirar todo o meu juízo, e olha que eu nunca tive muito.


[...]


Acordei na manhã seguinte um pouco molhada e suada. Deus minha mente me voltou louca com imagens de Edward sobre mim, eu sobre ele. Eu nunca tinha ficado tão interessada em um cara tão rápido


Ainda mais um adolescente. Algumas garotas do trabalho já haviam comentado que eles são fogosos. O que só me deixava mais doida para prová-lo todo.


Ainda um pouco quente pelos meus sonhos eu levantei e fui até a janela a abrindo. Precisava tomar um ar puro.


Mais qual a minha surpresa ao ver que meu quarto ficava de frente para o de Edward, e o melhor ele estava se tocando. Sua mão rodeando seu membro que parecia grande e groso.


Sua mão subindo e descendo por seu cumprimento, lambi os lábios imaginando como seria tê-lo em minha boca, sentir seu gosto. Minhas pernas estavam tremulas e eu estava úmida e ansiando por estar lá com ele.


–PQP Bella que boquinha. – ele exclamou com um gemido.


– MERDA. – xinguei, ele estava pensando em mim?


Nessa hora ele parou de se tocar e olhou em volta e se levantou. Deus ele era grande, meu centro pulsou de desejo. Ele parou de andar e olhou diretamente para mim, levou alguns segundo para notar que eu o encarava e babava por seu lindo pau.


Totalmente vermelho ele cobriu seu membro e correu fora da minha vista. Suspirei e sorri como boba. Precisava desse homem imediatamente.


[...]


Já era quase uma quando bati na porta da casa dele. Estava ansiosa para vê-lo, me sentia uma adolescente de novo. Ou melhor, uma criança que ia ver o papai Noel. No caso eu queria algo muito melhor. E fiquei animada ao ver meu presente abrir a porta totalmente, corado.


– Boa tarde Isabella.


– Ola Edward. – beijei sua bochecha e em seguida sua orelha, enquanto sussurrava baixinho - Me chame de Bella. – e mordiscava seu lóbulo, ele tremeu e prendeu a respiração. Sorri e me afastei ao ouvir Esme se aproximando.


Fui apresentada ao pai de Edward, que era tão bonito quanto ele. Um homem alto com cabelos loiro, o mesmo queixo e lábios de Edward. Os cabelos e os olhos ele puxou de Esme.


Fiquei sabendo um pouco sobre eles, enquanto falava de mim. Carlisle era medico e Esme era dona de casa e mãe em tempo integral. Já Edward estava no ensino médio ainda.


Deus, eu estava louca para dar pra um adolescente. Mais quem se importava, era só olhar para Edward que entendia. Ele era uma delicia.


Assim que acabamos de comer ele correu para o quarto. Continuei conversando com os Cullen, Esme era ótima muito divertida e Carlisle um doce. Mais eu queria mesmo era ver Edward.


Inventei uma desculpa para ir ao banheiro e fui atrás dele, achar seu quarto foi fácil, ele nem percebeu quando entrei, se cobria com o travesseiro e sorri traçando a porta e fui para sua cama.


Fiquei olhando pra ele, e meus olhos caíram em sua calça, a curiosidade me tomou e toque seu membro, enquanto deslizava o zíper para baixo. Ele tirou o travesseiro do rosto e me olhou em choque.


– PQP! – ele falou alto e ri ficando sobre ele e terminando de tirar sua calça.


– Que boquinha suja Ed. – ele engoliu em seco e continuei afastando suas calças.


– Bella... Er... É... – ele gaguejava sem tirar os olhos do que eu fazia.


– Sabe você estava mais falante de manhã. – ele corou violentamente e tampou o rosto com o travesseiro novamente. Sorri enquanto deixava sua cueca a mostra e tocava seu pau ainda sob o tecido.


– Sabe, da minha janela não deu pra ver o tamanho. E eu fiquei tãooo curiosa. – falei manhosa e ele gemeu.


– Er Bella... – ele começou mais eu estava mais curiosa em ver seu tamanho, tirei seu membro pra fora e suspirei, era grande e groso. Minha boca salivou.


– Hum Edward, você é maior do que eu pensava. – ele corou novamente.


– E - e isso é bom? – perguntou timidamente e sorri maliciosa já acariciando seu membro.


– Com certeza. – e já não agüentando mais abaixei e o chupei. Que delicia.


Lambi e chupei aquele membro maravilhoso por alguns minutos, mais ele veio rápido, e engoli seu gozo, sentindo seu prazer em minha boca, enquanto ele mordia o travesseiro. Quando terminei guardei seu lindo membro de volta na calça e sorri para ele. E dei um beijo sobre a calça.


Subindo em seguida em cima dele e o beijei. Naquele momento sabia que ele era meu. E eu estava louca por ele.


Depois disso as coisas aconteceram rápidas demais. Eu tirei a virgindade dele, do meu gatinho e a cada minuto que passávamos juntos eu ficava mais e mais apaixonada por ele.


Mais tinha medo de ele não sentir o mesmo. Afinal Edward era lindo e jovem, e eu não passava de uma dançarina de boate.


Mais as coisas finalmente estavam se encaixando. Ele queria me apresentar para seus pais. Eu sempre disse a ele que tudo não passava de brincadeira, que só estávamos nos divertindo.


Mais eu queria mais. Queria que ele me amasse.


E agora tudo estava indo pro espaço.


Merda!


Era a única palavra que rodeava a minha mente agora.


Por que eu não tranquei a porta mesmo?


A claro por que ainda lembro do meu gatinho, despencando do segundo andar. Cá entre nos ele é lindo, mais não é muito inteligente.


Tirei rapidamente minhas mãos dele e continuei olhando Esme. Ela não se movia, será que ela tinha entrado em choque. Olhei para Edward e ele passava nervosamente as mãos pelos cabelos, os deixando mais e mais bagunçado.


As palavras que ele proferiu a pouco não faziam o mínimo sentido pra mim. Por que ele queria ir pro México?


Na verdade era uma boa idéia. Iria me mudar pra lá, quando Edward fosse maior de idade, eu voltaria para buscá-lo.


Ainda me lembrava da primeira vez que vi Edward, lindo, alto e tímido. O que me deixou cada vez mais encantada por ele.


E aos poucos fui me apaixonando por meu gatinho. Sabia que esse dia chegaria mais não esperava essa reação de Esme. Ok talvez esperasse.


Sem saber o que fazer voltei a sentar enquanto Edward foi tentar acalmar sua mãe que continuava parada como uma estatua.


– Mãe? – Edward balançava os ombros dela nervosamente e fui até ele.


– Dá um tapa na cara dela. – falei de perto.


– O que?


– Ela ta em choque.


– Eu não posso dar um tapa na minha mãe.


– Quer que eu de?


– Lógico, ai é que ela não vai te aprovar como nora. – sorri como boba e vi ele corando.


Ele sempre fazia isso quando falava demais. Beijei sua bochecha e ele sorriu para mim.


– OMG!! – Esme gritou nos assustando. – Você ta grávida?


– O que?


– Você está? – Edward me olhou apavorado e rolei os olhos.


– Edward, já conversamos sobre isso.


– OMG!! Meu bebê, vai ser pai, e que exemplo vai dar para seu filho. Um pai drogado.


– Eu não sou drogado. – Edward resmungou mais ela o ignorou.


– E eu sou jovem pra ser avó. Ainda nem aprendi a tricotar. A fazer biscoitos com gotas de chocolates.


– Mais o que isso tem haver?


– Pra tricotar sapatinhos. E crianças adoram biscoitos com gotas de chocolate.


– Ah. Faz sentido. Hey por que nunca fez essas coisas pra mim? – falou Edward e abri a boca em choque.


OMG! Eles eram loucos.


Voltei para o sofá e fiquei observando eles discutirem sobre o futuro do filho que não existia.


– O que está acontecendo? – falou Carlisle, mais os dois ainda estavam discutindo, chamei ele pra entrar e ele sentou ao meu lado.


– Oi.


– O que é isso?


– Eles tão discutindo a minha gravidez.


– Você ta grávida?


– Não.


– Eles sabem?


– Eu acho que sim. – ele rolou os olhos e depois de mais alguns minutos se cansou e foi até eles.


– Esme?


– Carl. Edward esta usando dragas e engravidou Bella. – falou chorosa e rolei os olhos.


– Eu não sou drogado caralho. – reclamou Edward e ela o ignorou e veio até mim e segurou minhas mãos.


– Bella, saiba que a apoiaremos em tudo. Encontrara em nos uma família.


– Esme, eu não to grávida.


– Tem certeza?


– Tenho.


– Mais se não tiver, eu tenho um potinho extra que o Edward não quis.


– O que? – olhei para Edward que negou com a cabeça.


– Ah é pra teste de drogas. – olhei de novo para Edward que cobria o rosto com as mãos.


– Ok. – Esme arregalou os olhos e levantou de repente.


– OMG!! Edward, você traiu sua namorada. Tadinha da moça.


– Mãe, Bella é minha namorada. – ela me olhou e sorriu.


– Bem vinda a família.


– Obrigada.


– Vou buscar o potinho pra você.


– Pai.


– Esme.


– Ta bom. – ela assentiu e piscou pra mim.


Deus eu estava entrando em uma família de loucos.

5 comentários :

Amei, nao vejo a hora do ultimo capitulo chegar!!

rascunhosdecaneta.blogspot.com

20 de janeiro de 2013 18:25 comment-delete

Que interessante seu blog!
Parabéns
Vou seguir!
Beijo

7 de fevereiro de 2013 14:57 comment-delete

Olá, adorei seu blog!
Já virei seguidora...
Te convido para conhecer o meu também: http://www.starfashionmakeup.com.br/
Beijinhos :)
Te espero lá!!!

7 de fevereiro de 2013 19:01 comment-delete

Gostei bastante de seu blog, interessante e diferente...
Parabéns! E aproveitando já estou seguindo, vou passar por aqui mais vezes *-*


Um super beijo Natália,
Sol.
http://solangevale.blogspot.com.br/

8 de fevereiro de 2013 16:35 comment-delete

Ótimo capitulo. Até mais, www.garota-fashion.com

13 de fevereiro de 2013 11:23 comment-delete

Postar um comentário