Striper Capítulo Sete


Com certeza eu estava conseguindo conquistá-la.

Sai da casa dela me sentindo mil vezes melhor. Ok eu não transei com ela, e isso não aconteceria tão cedo. Mas saber que Matt era seu filho, e não tinha nenhum marido no meio ajudou muito. Mesmo o menino não gostando muito de mim.

Mas a partir de amanhã, ela seria minha assistente pessoal. Chances para conquistá-la não faltariam. Só esperava que ela não ficasse muito chateada ao descobrir que eu seria seu chefe. Mas com certeza ela iria adorar a ideia.

[...]

Entrei na empresa na manhã seguinte com um grande sorriso, cumprimentei todos que vi e muitos me deram olhares estranhos, com certeza achando que eu era bipolar, mas nada iria estragar meu humor, não hoje. Peguei o elevador e fui até o ultimo andar e acenei para minha secretaria, antes de ir pra minha sala. Acho que a mulher me olhou com olhos arregalados, mas isso não importava agora.

Sentei em minha mesa e olhei o relógio, ainda era sete e meia. Em breve ela estaria aqui. Peguei o telefone chamando a secretaria e ela entrou na sala toda sorrisos.

– Bom dia Sr. Masen.

– Bom dia Srta. Stanley. Quando a Srta. Isabella Swan chegar, traga a minha sala imediatamente. – seu sorriso sumiu um pouco.

– Oh sim, senhor. – ela saiu da sala e tentei me organizar, mas estava um pouco ansioso, ouvi uma batida e Emmett colocou a cabeça para dentro.

– É seguro entrar?

– Bom dia Emmett. – cumprimentei e ele arqueou uma sobrancelha, mas acabou sorrindo e entrou.

– Bom dia chefinho, está de bom humor em. finalmente colocou o Ed jr. Pra trabalhar. – gargalhei.

– Um homem precisa ter sexo pra ficar feliz? – ele pensou por um momento e sentou na cadeira em frente a minha mesa.

– Com certeza. – rolei os olhos.

– Bem, eu não acho.

– Isso quer dizer que nada de sexo ainda?!

– Da pra parar de falar de sexo? – ele sorriu.

– Claro, amigo. Então posso saber a que se deve esse ótimo bom humor.

– Vou ter uma assistente pessoal.

– Não sabia que precisava de uma. Jessica não da conta do trabalho?

– Quem é Jessica? – ele rolou os olhos.

– Sua secretaria.

– Oh, o nome dela é Jessica? – acabei rindo. E ele sorriu.

– Sim, agora me diga, é gostosa sua nova assistente social?

– Muito.

– Como?

– Ela é muito gostosa.

– Espera. Você já a conhece?

– Sim, eu estou ajudando ela. Ela precisa do trabalho.

– Entendi. E vai contratá-la para ser sua assistente pessoal?

– Sim, é perfeito não é?

– Bem, depende.

– Do que?

– Você tem pretensões com essa moça?

– Pretensões?

– Sim, você quer transar com ela.

– Com certeza.

– Edward!

– O que? Eu gosto de Bella.

– Oh você gosta. Então não é só sexo.

– Acho que não, eu quero ajudá-la. Mas eu também quero transar com ela. – ele riu.

– Aonde você a conheceu?

– Hmmm, prefiro não dizer. – ele arqueou uma sobrancelha e evitei seu olhar.

– Ok, se você gosta dela e quer mais que só sexo. Eu acho que ela não vai gostar de saber que vai ser sua assistente pessoal.

– Por quê?

– Bem, imagino que pra arranjar esse trabalho só pra ela, a moça é de respeito? – pensei por um momento, eu conheci Bella em um clube, mas eu sabia que ela era uma moça de respeito e uma mãe, merda!

– É acho que sim. – resmunguei e ele riu.

– Então, ela vai ver esse trabalho como você querendo coisas dela. Na verdade eu num entendo, como ela aceitou trabalhar pra você... – ele se calou ao ver minha cara de culpado e sorri amarelo.

– Eu posso ter mentido um pouquinho.

– Um pouquinho?

– É eu disse que era um amigo. – murmurei e ele riu.

– Você está fudido Masen.

– Merda! – praguejei e meu telefone tocou.

– Sr. Masen, Srta Swan está aqui.

– Oh Merda! – olhei em pânico para Emmett que riu.

– Sr. Masen... – Srta. Stanley chamou novamente e grunhi.

– Mande ela entrar.

– Sim senhor. – desliguei e me larguei na cadeira. Emmett ria da minha desgraça e fuzilei ele com os olhos.

A porta se abriu e Srta. Stanley introduziu Bella, ela estava linda com uma saia lápis preta e camisa social branca um pouco justa. Eu queria jogá-la em cima da minha mesa, lógico antes ela tinha que dançar pra mim. Sorri com o pensamento, mas ele sumiu rapidinho ao ver sua cara nada amigável.

– Doçura. – sua cara ficou pior e pigarreei. – Srta. Swan. – Emmett riu mais, e ela olhou pra ele e forçou um sorriso.

– Olá Sr. Masen.

– Emmett! – grunhi e ele respirou fundo e se virou pra ela sorrindo.

– Como vai Srta. Swan? Sou Emmett McCarty.

– Prazer Sr. McCarty. – eles sorriram educadamente e foi como um estalo, sorri amplamente.

– Eu já vou chefinho...

– Não nem pensar. – falei o interrompendo. – Você mal conheceu sua nova assistente.

– O que? – Emmett e Bella falaram ao mesmo tempo e sorri.

– Sim Emmett, lembra que te falei da senhorita. – ele estreitou os olhos e o olhei incisivamente. Emmett rolou os olhos e voltou-se para Bella.

– Vai ser ótimo trabalhar com você Swan. – ela riu e se voltou pra mim.

– Eu... hmmm, tudo bem se eu conversar com o Sr. Masen? – ambos me olharam e forcei um sorriso.

– Claro, claro.

– Então eu já vou. – Emmett praticamente correu da sala e suspirei voltando a olhar Bella.

– Eu não acredito nisso Edward.

– O que?

– Você disse que era um amigo.

– E é, Emmett é praticamente meu melhor amigo. – ela arqueou uma sobrancelha e sorri.

– Sei... então era mesmo pra mim trabalhar para ele.

– Claro que sim. O que você pensou, que era pra mim?! – rolei os olhos e ela estreitou os seus.

– Mas essa empresa é sua.

– Bem... sim.

– Edward eu não quero favores.

– Não é favor. Emmett precisa mesmo de uma assistente.

– Edward.

– Ok, eu preciso de uma. Mas já que parece que você acha horrível a ideia e trabalhar para mim... – suspirei pesadamente e ela riu.

– Não é horrível. Só...

– O que?

– Parece que está fazendo isso, para que eu durma com você.

– Doçura, eu te conheço melhor que isso. Você nunca iria para a cama comigo, só pelo emprego. E sim pelo meu charme. – movi as sobrancelhas e ela riu.

– E agora, eu serei assistente de quem?

– Bem, eu vou deixar em suas mãos. Ou é Emmett ou eu. – dei meu melhor sorriso e ela riu novamente.

– Você. – será que ela pensaria mal de mim se eu começasse a fazer uma dança da vitória? – Mas... – Porra sempre tem um mas.

– Mas?

– Nada de ficar me agarrando nem me beijando. Eu vou ser só sua assistente. – que merda.

– Ok, vou estar no meu melhor comportamento. – ela sorriu e sorri de volta, na verdade sorri enormemente com a minha ideia. – Mas... – ela rolou os olhos.

– Mas?

– Vamos jantar juntos.

– O que? Não, não devemos.

– Mas como você vai cair no meu charme, se você está me proibindo de usá-lo no trabalho. – ela sorriu.

– Você quer mesmo isso?

– Claro.

– E Matt?

– O que, você quer ele vá no nosso encontro? – ela riu.

– Não, quero saber o que acha dele.

– Ele parece ser ótimo, só precisa gostar mais de mim. – ela sorriu.

– Não se importa que eu tenha um filho?

– Por que importaria?

– Bem se você não se importa, tudo bem um jantar. – sorri mais ainda e me levantei indo em sua direção, mas ela colocou a mão no meu peito me parando. – Estamos na empresa, se comporte.

– Você é jogo duro em doçura. – ela piscou e se afastou se sentando na cadeira em frente a minha mesa.

– Então Sr. Masen, o que uma assistente pessoal faz? – ela virou pra mim e sorri maliciosamente.

– Hmmm as possibilidades.

– Edward! – ri e fui me sentar atrás da minha mesa e sorri.

– Ok irei me comportar.

Bem pelo menos tentar.

[...]

Depois de uma rápida ligação para Emmett, avisando que Isabella ia ser minha assistente mesmo. Nós começamos a trabalhar. Eu nunca precisei de uma assistente antes. Então eu dei muito dos afazeres que a Srta. Stanley fazia.

Bella digitou as cartas que eu precisei, buscou roupas na lavanderia, pegou o nosso almoço. O que com muita dificuldade a fiz almoçar comigo. Depois a deixei livre pra conhecer a empresa.

E fui o mais profissional possível, ela só me pegou olhando suas pernas uma vez, infelizmente seus seios duas. Mas quem está contando. Assim que ela saiu da minha sala, Emmett entrou todo sorridente.

– Dia cheio chefinho?

– O que quer McCarty?

– Vixe ta irritado. Nem sei por que, tem uma linda e sexy assistente.

– É que me mandou manter as mãos longe dela. – bufei e ele riu.

– Gostei dela.

– É claro. Pelo menos ela aceitou jantar comigo. – resmunguei. E ele riu.

– Tá caidinho em chefe.

– Acho que sim.

– E ai, Rose o convidou para jantar em casa.

– Não obrigada.

– Vai jantar com ela hoje?

– Acho que sim.

– Traga ela pra jantar conosco.

– Claro, o que eu preciso, no meu primeiro encontro com Bella, sua esposa me difamando.

– Rose nunca faria isso.

– Sei, e talvez Tânia esteja lá, pra piorar a situação. Parece incrível, mas vou declinar do convite. – ele riu.

– Ok, mas Rose ainda vai vir atrás de você. Você tem fugido muito dos jantares dela.

– Problema dela Emmett. Diga pra ela, que quando Tânia parar de ir, eu vou.

– Vou dizer. – piscou e se levantou. – Agora deixa eu ir trabalhar que meu chefe está meio irritado hoje. – rolei os olhos e ele acenou já saindo.

Voltei a prestar atenção no trabalho, esperando ansiosamente por Bella.
Saímos da empresa as seis, todos acenaram para Bella enquanto caminhávamos para o elevador e olhei confuso. Os homens pareciam mais alegrinhos nas despedidas e devo ter olhado feio para alguns dele.

– Você está bem popular em. – ela riu.

– Seus funcionários são muito gentis. Eles me mostraram a empresa.

– Hunf. – resmunguei e ela riu.

– O que?

– Esses bandos de urubus estão caidinhos por você.

– Não seja exagerado Edward. – entramos no elevador e assim que as portas se fecharam cheguei mais perto dela.

– Então, jantar hoje?

– Hoje eu não posso.

– Por quê?

– Bem, Matt ficou com a babá o dia todo. Vamos jantar juntos.

– Oh... ok. Você já viu a creche pra ele?

– Sim. Da pra ele ficar lá, é grande e tem muitas crianças da idade dele.

– Quantos anos ele tem?

– Vai fazer 7.

– Posso lhe dar uma carona? – ela sorriu.

– Claro.

Apertei o botão do estacionamento e descemos para a garagem, fomos até meu carro e abri a porta para ela. Ela entrou e corri pro meu lado.

Dirigimos conversando sobre o seu dia, apesar de não ter feito muita coisa, ela gostou da empresa, e isso era ótimo. Chegamos a sua casa e ela olhou para a porta e em seguida para mim.

– Então eu já vou. – soltou o cinto e assenti.

– Ok. – ela mordeu o lábio, e ficou me encarando, sorri e me aproximei dela, sua respiração ficou pesada e ela fechou os olhos vindo em minha direção também.

Levei a mão a sua nuca e colei nossos lábios, ela gemeu contra minha boca e grunhi sentindo seu gosto doce, suas mãos vieram pra meu pescoço e a puxei para meu colo.

Bella gemeu novamente e aprofundei o beijo invadindo sua boca com minha língua. Eu não conseguia lembrar se a tinha beijado antes, mas se não tinha eu era um idiota.

Beijar sua boca era como estar no céu.

Sua língua enroscou com a minha e rosnei a apertando contra mim, nosso beijo parecia nunca acabar, mas antes que eu esperasse se afastou ofegante e deu um tchau e já saia do carro.

– Espere.

– O que? – ela estava vermelha e ofegante e absolutamente linda.

– Não vai me convidar pra entrar? – ela piscou confusa e olhou para a porta da casa e de volta pra mim.

– Matt está lá.

– Eu sei.

– Oh, você quer entrar? – sorri e peguei seu queixo dando um beijo rápido nela.

– Eu adoraria. – ela assentiu e saiu do carro e sai a seguindo.

Eu acho que estava conseguindo conquistá-la.

1 comentários :

Olá está rolamdo um super concurso lá no meu blog que vc pode ganhar 4 layouts completos, 2 anos de divulgação, entrevista e muito mais! Bjs, http://luan-crazyinhtml.blogspot.com.br/

16 de junho de 2012 09:04 comment-delete

Postar um comentário