Striper Capítulo Oito


Com certeza Matt já estava encantando Emmett.
– Não vai me convidar pra entrar? – ela piscou confusa e olhou para a porta da casa e de volta pra mim.
– Matt está lá.
– Eu sei.
– Oh, você quer entrar? – sorri e peguei seu queixo dando um beijo rápido nela.
– Eu adoraria. – ela assentiu e saiu do carro e sai a seguindo.

Caminhamos para a sua casa e ela parecia um pouco nervosa, quando chegamos a porta e ela ia abrir segurei sua mão, ela me olhou e sorri.

– Se você não quiser que eu entre, eu entendo.

– Não, eu fico feliz que você queira. É só... bem eu nunca trouxe ninguém em casa. E Matthew...

– Ele não gosta muito de mim não é? – sorri e ela negou apressadamente movendo a cabeça, e arquei uma sobrancelha.

– Ok, mas ele é só... hmmm ciumento, sabe somos só nós dois desde sempre. E...

– Hey, você não tem que me explicar. Na verdade é melhor eu ir.

– Eu... – ela mal terminou de falar a porta se abriu e ali estava o tampinha me encarando.

– O que ele faz aqui?

– Matthew! – ela o olhou feio e ele bufou e estendeu a mão para mim.

– Olá senhor. – ele me olhava com uma carranca, mas mesmo assim obedecia ela, tive que segurar o riso e apertei sua pequena mão, um pouco mais firme dessa vez.

– Olá Matthew. – ele franziu o nariz me encarando e arqueei uma sobrancelha o encarando de volta.

Deus, era como se estivesse conversando com o pai dela!

– Matt, Edward vai jantar conosco hoje. – ele parou de me encarar e largou minha mão olhando pra ela.

– Por quê?

– Eu convidei.

– Mas... – ela o olhou e ele amuou e entrou pra dentro.

– Desculpe.

– Quer mesmo que eu entre? – ela assentiu e abriu a porta.

– Bella... – uma mulher baixinha e morena parou de falar ao me ver e sorriu.

– Ângela, quero que conheça Edward Masen. – a moça piscou e deu um olhar de entendimento para Bella.

– Oh sim, prazer Sr. Masen. – apertei sua mão e sorri.

– Prazer Ângela, me chame Edward. – ela sorriu e olhou para Bella.

– Oh, eu vou me trocar, Edward fique a vontade. – ela sumiu pelo corredor e olhei a mão de Ângela que ainda apertava a minha, ela seguiu meu olhar e riu nervosamente tirando a mão.

– Desculpe, é.... sente-se.

– Obrigada. – sentei no pequeno sofá e ela ficou me encarando, eu já estava começando a ficar envergonhado. – Hmmm, não precisa ficar fazendo sala. Eu estou bem aqui. – ela corou e se ajeitou rapidamente.

– Claro, certo, eu... vou ver o jantar. – ela sumiu correndo para a cozinha e fiquei sozinho olhando em volta. A casa era muito pequena e simples, mas limpinha e bem arrumadinha.

– Aquele carro lá fora é seu? – me virei vendo Matt me olhando e sorri.

– Sim, você gosta de carros? – ele deu de ombros e sentou ao meu lado.

– Eles são legais.

– Sei. Eu acho eles muito mais que legais. Tenho vários.

– Da pra ter vários? – ri e assenti.

– Claro. Se você trabalhar muito, pode ter quantos quiser.

– Quantos você tem? – ele me olhava com curiosidade agora e sorri pensando.

– 5 eu acho.

– Nossa. E são todos legais como aquele lá fora.

– Claro. Sua mãe tem um carro? – ele torceu o nariz.

– Temos uma caminhonete, mas ela é velha e barulhenta.

– Caminhonetes são legais, dependendo do tipo podem amassar fácil carros como o meu.

– Sério?

– Sério. – ele ficou me olhando e deu uma rápida olhada para o corredor e de volta pra mim.

– Você é namorado da minha mãe?

– Oh, nossa você é direto.

– É?

– Não, mas eu gostaria disso.

– Sei... e quais as suas intenções com ela? – tossi pra esconder a risada, mas ele me olhava com curiosidade.

– Bem, nunca me perguntaram isso antes. – ele rolou os olhos.

– Você nunca namorou? – esfreguei a nuca, inferno eu nem lembrava quando foi a ultima vez que namorei.

Eu tinha casos. Eu tinha transas. E não namoradas, ainda mais namoradas com um filho. Filhos como esse que me encarava com intensidade. Um garotinho que amava a mãe dele, e que a queria proteger de um canalha. Inferno eu sou um canalha.

Forcei um sorriso e respondi a verdade.

– Hmmm, eu não namoro tem um tempo. – resmunguei e ele torceu o nariz.

– Então não vai ser um bom namorado pra ela.

– Por quê?

– Mamãe precisa de alguém que cuide dela.

– E de você? – perguntei e ele deu de ombros, e brincou com a barra da sua camisa. Suspirei e toquei em seu ombro, ele me olhou e sorri. – Hey, não estou pedindo ela em casamento, no momento eu e ela somos amigos.

– Ah ta bom. – ele sorriu um pouquinho.

– E sabe, eu sempre preciso de amigos novos. Que tal ser seu amigo também? – ele me olhou desconfiado.

– Mas eu só tenho 6.

– E o que tem?

– Não sou muito novo. – torceu o nariz e ri.

– Que nada. Não importa a idade, meu amigo Emmett tem uns 30 e parece que tem 10. – ele riu.

– Ele parece ser legal.

– É às vezes ele é. Mas na maior parte do tempo é meio idiota. – ele sorriu mais.

– Posso conhecê-lo?

– Claro, meus amigos são seus amigos... Bem isso se nós formos amigos. – dei meu melhor sorriso e ele sorriu de volta e estendeu a mão pra mim.

– Podemos ser amigos. – apertei sua mão e relaxei no sofá. Ele me imitou e ficamos em silêncio alguns minutos até ele se virar pra mim.

– Você quer brincar? – ele me olhou ansiosamente e ri.

– Claro. Mas de que?

– Hmmm, bem eu nunca brinquei com um homem da sua idade... oh podemos brincar de cavalinho? – arquei a sobrancelha e ele abriu seus grandes olhos e me encarou esperançosamente.

Mas que inferno!

– Ok, mas não vamos exagerar que tio Edward ta velho pra essas coisas. – ele gargalhou e ficou em pé no sofá.

– Ta bom, fica de quatro ai. – o olhei feio, mas ele sorria e suspirei.

O que eu num faço por mulher.

Mas depois de cinco minutos com Matt em cima de mim rindo e bagunçando meu cabelo, eu sabia que estava sendo um mentiroso. Eu gostava dela, mas gostei muito de brincar com ele também.

– Matthew! – ouvimos Isabella, e ele ficou quieto e olhei pra ela sorrindo.

– Hey, você demorou. – como eu estava de quatro no chão, eu vi primeiro suas pernas nuas e fui subindo até sua saia mais soltinha, a blusinha preta um pouco decotada e o cabelo úmido.

– Desculpe, eu precisava de um banho. Matthew, saia de cima de Edward.

– Mas estávamos brincando... – tirei ele de cima de mim e o joguei no chão fazendo cócegas nas suas costelas, sua risada alegre e muito alta me fez rir. – Pare... pare... – pediu entre risadas e o soltei ficando de pé.

– Vejo que ficaram muito amigos. – ela olhou desconfiada para o menino e dei um tapinha em seu ombro.

– Já estamos quase parceiros. – ele riu.

– Bem, parceiros, vão lavar as mãos para jantar.

– Ok, vem Edward. – ele agarrou minha mão e me puxou para o banheiro. Isabella arqueou uma sobrancelha e sorri enquanto era puxado por ele.

Lavamos as mãos e Matt me levou a cozinha, e me obrigou a sentar do seu lado. A amiga de Bella já tinha ido, e ela nos serviu a comida. Olhei desconfiado para a comida e me aproximei de Matt.

– Quem fez a comida? – sussurrei e ele olhou pro prato.

– Ângela.

– E ela é boa cozinheira?

– A melhor.

– Vou confiar na sua palavra em. – ele sorriu e começou a comer, o imitei e estava muito boa mesmo.

– Gostoso.

– Ângela me ajuda muito e cozinha muito bem. – Bella sentou ao meu lado e me entregou um copo com água.

– Obrigada. E está tudo bem para ela, que Matt vai ficar na creche? – ela deu uma rápida olhada para ele, e ele fez um bico.

– Com ela está, meu problema é outro. – olhei pra ele que estava de braços cruzados.

– Eu não quero ir pra creche.

– Por quê?

– Eu não conheço ninguém. E não tenho meus brinquedos. – rolei os olhos e me virei para Bella e pisquei, e voltei a olhar para ele.

– Pena que não queira ir Matt, pois não sei se sabe, mas a creche é na minha empresa. – seus olhos se arregalaram.

– Na sua?

– É, e eu ia te mostrar ela amanhã, mas já que você não vai...

– Eu vou sim. – ele começou a pular animado e me virei para ela que sorria.

– Então agende um tour pra nós amanhã Srta. Swan. – ela riu.

– Claro Sr. Masen. Agora comam tudo.

– Sim senhora. – falei serio e Matt riu.

O resto do jantar foi muito... interessante. Era quase como fazer parte de uma família, minha família. Eu, meu pai e minha mãe jantando juntos e conversando. E desde sua morte era fácil dizer que não sentia falta disso. Mas eu morria de saudades de ter aquilo de novo.

E por um momento era bom estar ali, fingir que essa era minha família.

Assim que acabamos já estava tarde e Bella precisava por Matt na cama, então achei melhor sair. Me despedi dele prometendo vê-lo amanhã e apertei a mão dela, mesmo querendo prensá-la na parede e beijá-la até perdermos os sentidos.

Mas hoje tinha sido muito bom, e eu não ia estragar tudo.

– Então tchau. – falei quando ela me acompanhou até a porta e ela sorriu.

– Eu gostei muito de hoje. – peguei sua mão e de um beijo rápido.

– Eu também, Matt é ótimo.

– É, ele é. E gostou de você.

– Você parece muito surpresa doçura. – ela riu e entrelaçou nossos dedos.

– EU estou. Mas estou feliz também.

– Isso é bom. Mas é melhor eu ir. – ela não soltou minha mão e sorri. – O que? – seu rosto estava um pouco vermelho, ergui a mão acariciando sua pele quente.

– Eu seria muito... bem você não me deu um beijo de boa noite. – olhei para sua casa e Matt não devia estar por perto.

Meu sorriso se tornou maior e deslizei a mão para sua nuca esfregando meu polegar em sua pele e a puxei pra mim, soltei sua mão e agarrei sua cintura tocando um pouco de pele nua do seu quadril. Ela suspirou e segurou meus ombros.

Me aproximei mais e rocei meus lábios nos seus, Bella gemeu entreabrindo os lábios e chupei seu lábio inferior entre os meus, ela gemeu baixinho e me abraçou puxando mais pra ela. Esmaguei meus lábios nos seus e infiltrei a língua em sua boca.

Gememos juntos e nos beijamos com intensidade. Suas mãos subiram para meu cabelo e seus dedos se enrolaram nos fios os torcendo, enquanto ela chupava minha língua e se esfregava em mim. Me afastei dela arfando e ela me encarava ofegante.

– Não que eu esteja reclamando, mas é melhor pararmos, antes que eu a agarre em frente a sua casa. – ela riu e assentiu.

– Ok... nós... bem até amanhã. – falou e entrou fechando aporta.

Ok parecia que estava no caminho certo.

[...]

Entrei em minha sala me sentindo muito mais animado do que normalmente fazia. Estava muito animado e ansioso na verdade. Isabella ainda era minha assistente e Matt viria. E eu teria que fazer um tour com ele, talvez Emmett pudesse me acompanhar. Ele era bom com crianças, já que parecia uma na maioria das vezes.

Peguei o telefone e disquei a secretaria e pedi que mandasse chamar Emmett. Poucos minutos depois ele entrou na sala e sorri abertamente.

– Emmett como está? – ele me olhou desconfiado.

– Estou bem e você chefinho?

– Ótimo, na verdade eu queria te pedir um favor. – ele sorriu maliciosamente e grunhi. – Dois na verdade.

– Ok.

– Primeiro controle sua boca durante o dia. Nada de comentários maliciosos ou ofensivos. Principalmente a minha pessoa. – ele arqueou uma sobrancelha.

– Vira alguém importante na empresa hoje? Ultima vez que me mandou me controlar, foi quando um japonês importante veio aqui. Na verdade você me deu o dia de folga.

– E fizemos ótimos negócios com os japoneses. Mas eu na verdade preciso que você esteja aqui hoje.

– Por quê?

– Bem, Bella vai trazer Matt e quero me ajude a distraí-lo. Eu lhe prometi um tour. – Emmett me olhou em choque.

– Edward eu sei que você quer entrar nas calcinhas da mulher, mas vai dividir ela com um cara.

– O que?

– E ainda quer ajuda pra convencer ele a deixar comer a mulher dele. Estou chocado com você.

– Seu idiota não é nada disso. – me apressei em explicar e ele já sorria.

– Quem diria que você curtia isso chefinho. Rose já quis convidá-lo para brincar com a gente, mas eu disse, Edward não é dessas coisas. – abri e fechei a boca algumas vezes em choque.

– Primeiro, Ew. Que nojo. Sei que Rose é gostosa, mas credo Emmett. E segundo seu pervertido, Matthew é o filho dela, tem 6 anos.

– Atá. Saquei, precisa enganar o pestinha.

– Hey não fale assim dele. Ele é um garoto muito legal, e... – parei de falar ao ver seu sorriso. – O que?

– Entendi tudo.

– Pois o senhor está proibido de falar essas coisas hoje. – ele rolou os olhos, mas ficou quieto. Ouve uma batida na porta e me levantei ajeitando a gravata.

– Pode entrar.

– Sr. Masen? – Bella colocou a cabeça para dentro e sorri.

– Entre, entre.

– Com licença. – ela entrou e segurava a mão de Matt que acenou animadamente pra mim.

– Oi Edward.

– Hey parceiro, achei que iam na creche primeiro. – ela suspirou.

– Ele queria vir conhecer sua sala. Desculpe...

– Não, que bom que veio. Emmett e eu vamos levá-lo para dar um tour, e depois vemos a creche. Hmmm ele não tinha aula hoje?

– Não, reunião na escola.

– Melhor, assim aproveitamos melhor o dia. – sorri para Matt que soltou a mão dela e veio ver minha mesa.

– Que mesa legal... – ele começou a falar e Emmett levantou e Matt olhou pra cima e arregalou os olhos. – Nossa como você é alto. – Emmett gargalhou.

– Mamãe me obrigava a comer muitos legumes. – ele bateu em sua barriga e piscou para Matt, mas esse torceu o nariz.

– Minha mãe me obriga também. – Emmett riu e estendeu a mão e Matt olhou a mão enorme e em seguida para mim.

– Hey Matt, esse é meu amigo Emmett, lembra dele?

– O que parece criança? – ele murmurou e ri.

– Esse mesmo.

– Hey chefinho, anda me caluniando por ai.

– Caluiando? – Matt repetiu e torceu o nariz.

– Caluniando querido. – Bella repetiu.

– E o que quer dizer?

– Quando alguém fala mal pelas suas costas.

– Oh, não se preocupe Sr. Emmett, Edward não estava caluiando o senhor, ele disse que era legal. – Emmett riu e deu de ombros bagunçando os cabelos de Matt.

Com certeza Matt já estava encantando Emmett.

7 comentários :

Amamos o seu post,tudo maravilhoso.
Desejamos a vc uma ótima sexta feira.
Super beijos da Glorinha
Estamos com a campanha Google +1 e contamos com a sua participação.
http://sbrincos.blogspots.com.br

13 de julho de 2012 08:41 comment-delete

Eu por acaso gosto do cabelo "candy" mas gostos sao gostos. Acho que eu nunca faria isso no meu.
Obrigada pela visita Natalia.

#http://beleza-moda-maria.blogspot.com

Beijinhos e continuaçao de bom blog

14 de julho de 2012 07:17 comment-delete

siga-me Madame!! rs http://lauramadame.blogspot.com.br/

16 de julho de 2012 15:58 comment-delete

Olá, parabéns pelo seu blog!
Se você puder visite esse blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

18 de julho de 2012 13:30 comment-delete

amei o capítulo ;D

Acabei de atualizar o blog, borá da uma conferida?
Bjim Pink
WWW.bypalomasoares.blogspot.com.br

30 de julho de 2012 22:05 comment-delete

oi querida o meu blog saladamixtta.blogspot.com.br está com uma promoção super bacana de uma passada por lá.

12 de agosto de 2012 21:28 comment-delete

Amo o Emmett ele é magnífico. Gostei.

Anônimo
19 de abril de 2014 09:33 comment-delete

Postar um comentário