Show de Vizinha - Capítulo 6

Capítulo 6


– Você veio à pessoa certa.

Só esperava não me arrepender. Mais eu tinha certeza que iria.

Esperei pacientemente enquanto Emmett sorria malicioso e pensava como começar nossa conversa. Dei uma breve olhada para Jasper e ele me olhava com pena.

PQP! Eu tava fudido.

– Uma palavra. Sedução.

– Sedução?

– Sedução. – ele repetiu com um sorriso malicioso.

– Sedução? – falou Jasper parecendo obviamente confuso. Por que com certeza eu estava.

– Da pra gente parar de falar sedução. – resmunguei. – Fala logo Emmett.

– Edward me rapaz. Isso não é um assunto fácil. Um homem não pode só chegar e deixar a mulher fazer todo o trabalho. – ele começou serio e prestei atenção realmente interessado.

– Continue.

– Ok. Mulheres gostam de criar todo um clima. 

– Clima?

– Sabe velas perfumadas, flores, vinho e toda aquela merda.

– Seu romantismo me comove. – falei rolando os olhos, ele riu e continuou.

– É serio. Para as mulheres isso é importante. – suspirei e mordi o lábio inferior, não era exatamente isso que eu queria saber. Na verdade isso foi interessante, mais outro assunto me afligia. Tomei coragem e encarei Emmett.

– Mais e no... – engoli em seco e sussurrei. – No sexo?

– Há.

– É.

– Você não da no coro.

– PQP! Emmett!

– O que?

– Não é isso. Quer dizer... sexo é ótimo, Bella é incrível. Mais... eu.... bem... sabe, eu queria agradar Bella.

– Por que? Ela já ta reclamando? – serio meu rosto devia estar atingindo altos níveis de vermelho. Dei uma breve olhada em Jasper e ele ria. Bufei e olhei para meu “amigo”.

– Claro que não.

– Então qual o problema?

– Ela bem, tipo sempre me agrada, sabe com a boca...

– Safadinha em.

– Emmett!

– O que?

– Não fale assim dela.

– Por quê? Rose não faz.

– Não?

– Não. Diz que ainda não está pronta. – olhei para Jasper e ele corou e olhou para o céu e ri. Minha Bella era a melhor.

– Tire esse sorrisinho idiota da cara. Se me lembro bem, sua garota tem reclamações.

– Ela não tem. Eu só quero saber como agradar ela. Sabe excitar ela.

– Há. Por que não disse logo. – rolei os olhos. Não era isso que estava fazendo?

– Então?

– Uma palavra. – lá vem. – Língua.

– Língua?

– É. Sabe nos seios, lá embaixo. – corei imaginando. Claro que eu gostaria de fazer em Bella. Ela fazia em mim. Mais o pensamento me fazia corar como o inferno.

– Acho que entendi. 

– Não quer mais dicas?

– NÃO!

– Não precisa gritar. – ele bufou e sorri.

– Eu entendi tudo. Sedução, língua. Saquei. – ele sorriu e sai do carro me despedindo deles.

Assim que o carro sumiu de vista, me preparei par ir para a casa de Bella. Só havia um problema. Minha casa ficava no caminho.

Eu teria que usar minha vasta experiência em filmes de ação e videogames. Olhei para os lados e a rua estava deserta. Me joguei no chão rolando... Ai! Ralei o cotovelo. Levantei esfregando o maldito cotovelo e corri para o fundo da casa dos Black, me encostando na parede. Vinha luz de uma das janelas do primeiro andar. Dei uma conferida no chão e era gramado. Ótimo.

Me joguei no chão rastejando, quando cheguei embaixo da janela ouvi vozes. Estranhei por que pelo que minha mãe disse a sra. Black estava viajando para visitar a mãe doente. Me aproximei um pouco mais para ouvir. Eu sei eu sou curioso, mais não posso evitar.

– Oh.... Hmmm.... há.... – ouvi o Sr. Black gemendo e ri. Tava traindo a mulher. Que safado. Estava rindo e já me afastando quando ouvi uma voz de homem gemendo.

– Robola essa bundinha Jake...

PQP!

Nota mental. Nunca mais jogar basquete com o Sr. Black. Bem que Emmett disse que ele ficava encostando muito na gente.

Suspirei e continuei me arrastando em direção a casa de Bella. Agora vinha a pior parte. Passar pela minha casa. Felizmente estava tudo escuro. Mesmo assim, me joguei no chão rolando, igual eu vi no filme do Vin Diesel. Parei entre duas janelas e me levantei, bem quando uma luz acendeu.

Me recostei nela. Mais o que eles faziam acordados a essa hora. Ouvi passos e a geladeira sendo aberta. Um barulho de latinha. Mais que porra tava acontecendo.

– Carl? – ouvi a voz da minha mãe e entrei em pânico. 

– Já vou Esme.

– Estou com saudades, tigrão. – PQP! Eu vou vomitar. Ele suspirou e fechou a geladeira.

– Estou indo, tigresa. – ele apagou a luz e ouvi o barulho de passos subindo as escadas.

PQP! A bile subiu e quase vomitei.

Serio hoje era à noite. 

Depois de muitas cambalhotas. Um arranhão no joelho, e um pouco de mato no cabelo. Eu finalmente estava na casa de Bella. Olhei em volta e sorrateiramente abri a porta e entrei a fechando rapidamente.

Dei uma breve olhada e fiz uma dançinha. 

Que foi? Deu trabalho chegar aqui. Precisava comemorar.

Bem agora que estava aqui olhei em volta e fiz o que qualquer cara faria na minha situação. Fui bisbilhotar. 

Acabei que achei coisas interessantes. Como vinho e velas perfumadas. Talvez os conselhos de Emmett não fossem tão inúteis. Coloquei algumas velas pelo quarto de Bella e peguei um balde coloquei gelo e um vinho dentro, que achei em sua geladeira, sobre a cômoda do quarto.

O quarto estava perfumado por causa das velas, e um escuro excitante. Sorri e me deitei na cama dela, mais meu cotovelo roçou na colcha e gemi. Fui até o banheiro e lavei. Molhei minha camisa no processo e resolvi tirá-la.

Quando olhei no espelho vi que tinha um monte de mato no meu cabelo. Bufei e comecei a tirar, estava quase acabando quando ouvi o barulho de carro. Era Bella.

Sai correndo do banheiro, e quase escorreguei, mais segurei na pia. Assim que me equilibrei, ouvi o barulho da porta se abrindo. Sai correndo e me joguei em sua cama.

Serio meu corpo voou, acho que usei muito impulso e quando pulei, por que cai na beirada da cama, meu corpo quicou e fui ao chão. Me levantei rapidamente e deitei na cama, no mesmo momento em que ela abria a porta.

Dei meu melhor sorriso, mais estava um pouco ofegante. Respirei fundo e a vi me avaliando. Olhei meu peito nu, e lembrei que na presa a camisa ficou no banheiro. Mais pelo jeito que ela me olhava não se incomodava.

– Oi gatinho. 

– Olá. – falei sorrindo e ela riu, e deu uma breve olhada em volta.

– Hummm, você esteve ocupado. – eu sorri e me levantei, caminhei até ela e manquei um pouco. – O que houve? – apontou para meu joelho.

– Nada demais. – fui atrás dela e afastei seu cabelo e beijei seu pescoço, ele suspirou.

– O que está fazendo? – chupei sua pele e mordisquei em seguida.

– Não sabe? – ela riu baixinho.

– Faço uma idéia. – gemeu quando meus lábios desceram para seu ombro e ela suspirou.

– Está muito cansada?

– Não pra você gatinho. – sorri e a virei para mim, ela se inclinou para me beijar e neguei indo com minha boca para seu queixo e descendo, minha língua lambendo sua pele quente.

Ela gemeu e agarrou meus cabelos. Comecei a andar com ela até a cama, e a deitei, fiquei por cima dela, e distribui beijos por seu pescoço e descendo mais. Minhas mãos seguraram a barra de sua camisa e a tirei. Ela levantou os braços me ajudando.

Gemi quando vi que ela estava sem sutiã e seus seios nus apontavam para mim. Olhei para ela e vi que estava com um sorriso safado.

– Safadinha em. – ela mordeu o lábio e voltei a dar beijos nela, descendo a boca por seu corpo, lambi o vale entre os seios, em seguida rodeia minha língua por um mamilo, e o chupei.

– Edward... – ela ofegou e sorri. Não é que a língua é importante. Feliz com minha descoberta, fiz o mesmo com o outro. – OMG! – ela gemeu quando mordisquei e empurrou meu rosto mais para seu peito.

Me afastei sorrindo e desci meus lábios pela sua barriga, dando pequenos beijos. Minhas mãos afastaram sua calça, ela levantou o quadril para me ajudar e sorri a puxando para baixo, junto com sua calçinha vermelha.

Joguei a calça no chão e passei as mãos por suas pernas, subindo e descendo. Ela suspirou quando levei minha mão para o interior de suas coxas e passei meus dedos por suas dobras, sem realmente tocar.

– Edward... – ela gemeu e sorri mais.

Me ajoelhei entre suas pernas, e beijei cada lado do interior de suas coxas. Vi ela me olhando com expectativa e sorri. Dei um pequeno beijo em sobre sua fenda e a senti tremer, e gemeu meu nome mais uma vez. O cheiro da sua excitação estava me deixando doido.

Abaixei a cabeça e passei a língua, sentindo seu gosto. Era em uma única palavra. PQP!
Continuei dando lambidas, e senti suas mãos em meu cabelo, querendo sentir mais dela, deslizei um dedo em suas dobras e ela gritou. PQP ela é quente.

– Gostou? – perguntei sorrindo, ainda com o dedo lá e ela assentiu rapidamente, eu ri e deslizei mais um, seu corpo se arqueou da cama.

– Ok. – falei sorrindo e voltei para baixo, dessa vez brincando com seu clitóris que estava durinho de tesão. Ela gritou e agarrou meu cabelo com força.

Movi meus dedos dentro dela, enquanto chupava seu clitóris. Ela gemia alto e sorri, senti meus dedos serem sugados por suas paredes e os retirei e voltei a chupá-la.

Minha língua deslizando para dentro de suas dobras que pulsavam. Ela gemeu e senti seu prazer derramar em minha boca. Terminei de lambê-la, sentindo seu núcleo pulsante e levantei o rosto sorrindo.

– UAU. – ela sorria e me chamou com o dedo.

– Você gostou? – perguntei um pouco corado e ela riu.

– E como. – sorri subindo por seu corpo e fiquei sobre ela, Bella me abraçou pelo pescoço e puxou sua boca para a minha. Gemi contra seus lábios, suas mãos correndo por minhas costas, subindo por meus braços. Separei nossos lábios ofegantes, e desci meus lábios por seu pescoço e garganta.

Minha língua correndo por sua pele quente. Ela gemeu e agarrou meus cabelos. Voltei a beijá-la e senti suas mãos em minhas calças. Me apressei a tirá-las e ela riu e me virou ficando sobre mim e as jogou no chão, minha cueca teve o mesmo destino.

Ela sentou em minhas pernas, e suas mãos tocaram meu pau. Gemi jogando a cabeça para trás, sentindo suas mãos massageando meu cumprimento.

– Bella... – gemi de olhos fechados, ela riu baixinho e senti seu sexo se encaixando no meu. Abri os olhos vendo meu pau ser envolvido por suas dobras.

PQP! Era muito erótico ver meu pau entrando nela. Ela gemeu quando nos encaixamos. Suas mãos espalmadas em meu peito.

– Oh... Edward... – ela gemeu alto e agarrei sua cintura. A fazendo se mover sobre mim. Ela sorriu e rebolou me fazendo ver estrelas.

Gemi e aumentei a velocidade das estocadas, vendo seu corpo subir e descer sobre meu pau, seus seios lindos balançando. Meu pau pulsava, doido para se liberar, sentindo que não agüentaria muito mais, levei uma mão ao seio de Bella e belisquei seu mamilo. Ela gritou e seu sexo pulsou em volta do meu pau.

Explodi na mesma hora. Meu gozo se derramando dentro dela, enquanto seu corpo tremia caindo sobre o meu, seu núcleo apertando meu pau. Abracei seu corpo suado e beijei seus cabelos.

– O que houve com você? – ela perguntou depois de alguns minutos. Dei de ombros.

– Nada. Eu só queria te agradar. – ela sorriu e se aconchegou melhor em mim.

– Eu adorei gatinho. – a abracei sentindo seu corpo colado ao meu e ficamos em silencio apreciando o momento.

– O que houve com seu joelho e cotovelo? – ela perguntou de repente e suspirei.

– Não imagina como foi difícil chegar aqui. – ela riu e voltou a deitar em mim.

Relatei minha breve historia. Cheia de ação, comedia e terror. Terror pela parte dos meus pais. Tremi só de lembrar. Bella riu o tempo todo.

Depois disso fomos tomar um banho. Só banho mesmo, ela estava cansada. Voltamos para a cama, e ela deitou em cima de mim.

– Então gatinho. O que achou do meu trabalho? – dei de ombros.

– Legal.

– Não gostou né?

– Sei lá. É estranho ver sua futura namorada dançando nua. – ela me olhou com a boca aberta e suspirei. – Ok, semi nua. – ela rolou os olhos e me deu um tapa.

– Que foi?

– O que você disse?

– Sobre?

– Edward? – revirei minha mente, o que tinha falado demais?

– Ajuda Bella? O que houve? – ela mordeu o lábio e me olhou com um sorriso quase tímido.

– Você disse sua futura namorada.

– Oh. Sim. Futura porque ainda não te pedi. – ela sorriu e encostou a cabeça em meu ombro.

– E você vai?

– Claro. – senti seus lábios em meu peito e a abracei.

– Então você quer? – ela levantou o rosto e me encarou.

– O que? – rolei os olhos. Não tinha acabado de falar. Segurei em seu rosto tocando com o polegar em seus lábios.

– Isabella Swan quer ser minha namorada?

Continua

0 comentários :

Postar um comentário