Domando Edward Cullen-Capitulo 7

POV Edward


Me revirei na cama sem conseguir dormir,a madrugada parecia se arrastar,nunca desejei tanto o sol em toda minha vida.As palavras de Bella ecoavam em minha mente como uma mantra.





O amor baterá em sua porta.

O amor baterá em sua porta.

O amor baterá em sua porta.

Duvidava e muito que tal coisa aconteceria comigo.


Bufei e levantei-me indo até a sacada do meu quarto,fiquei observando a noite,então voltei os olhos para minha cama e novamente uma sensação de vazio me inundou.Ali deveria ter alguém deitado,ressonando tranquilamente,especificamente uma mulher Isabella.


Eu estava com raiva de mim mesmo por sentir essas coisas,sempre fui um homem duro comigo mesmo e principalmente com os outros,e agora me vejo dependente de uma presença feminina,que não seja apenas para o meu prazer carnal.



Voltei para cama e deitei,eu definitivamente precisava dormir,depois de um tempo, cai na inconsciência sonhando com um par de olhos chocolates.


***********************


Na manhã seguinte levantei-me contrariado pelo sonho que tive com Bella,eu não poderia deixar, que ela mesmo que inconscientemente mandasse em minha vida.Ela não poderia ter tal poder sobre mim.Eu não queria virar mais um desses bobos apaixonados que ficam suspirando como uns maricas por aí.


Fiz minha higiene matinal,enquanto tomava banho,encostei minha cabeça na parede fria do banheiro e obriguei-me a pensar em outras coisas que não fossem em certo par de olhos chocolates derretidos,eu iria ficar maluco se a linha de meus pensamentos estivessem em Bella.


Dirigi sem pressa até chegar a casa de Emmett onde Bella morava.Estacionei o carro e desci,entrei sem bater,a sala estava vazia o que significava que deviam estar na cozinha.


Observei de longe sem ser notado lógico,eles pareciam uma família feliz,bufei com esses pensamentos,não existe nenhuma família 100% feliz.


Limpei a garganta para que notassem minha presença.


–Edward,o que faz aqui?-perguntou Emmett surpreso.

–Vim buscar Isabella.-respondi sem muita emoção.

–Sim,eu só vou pegar minha bolsa.-Isabella passou por mim.

–Não quer se juntar a nós Edward?-Rosalie olhou para mim.

–Não,eu já comi.-dei-lhe um sorriso torto.


Não sei se foi impressão minha mais vi Rosalie suspirar.


Depois que Isabella desceu as escadas,fomos em silêncio para o meu carro.


–Você cumpriu mesmo o que falou,vejo que é um homem de palavras.-isabella quebrou o silêncio.

–Claro minha cereja,eu sou um homem que honra o que tenho no meio das pernas.


Isabella ruborizou no mesmo instante.


–Por quê me chama de minha cereja?-perguntou depois de um tempo.

–Por que tenho vontade,sem contar que quando você cora,fica vermelhinha com uma cereja.-respondi.

–Você também chamou de cereja aquela mulher que foi a sua sala.

–Ciúmes?-arqueei um sobrancelha .

–Não,você não é nada meu,não tenho motivos para ter ciúmes de você.-falou energética.

–Eu vou fingir que acredito, cherrie.-passei a mão em sua coxa.


Isabella sutilmente retirou minha mão do local e virou-se para a janela.


–Medo de não resistir aos meus encantos?-perguntei.

–Não é isso,eu apenas não sou qualquer uma.-disse sem olhar para mim.

–Não disse que você era qualquer uma.-falei sério.

–Foi isso que pareceu.

–Não tire conclusões precipitadas.-avisei sem desviar minha atenção do trânsito.

–Por quê?

–Por que eu não acho que você seja qualquer uma.-passei as mãos pelo meu cabelo naturalmente desalinhado.

–Isso é bom,por quê seria muito frustrante para mim se você achar que eu sou qualquer uma.

–Acredite,eu conheço de longe uma mulher fútil,essas sim são qualquer uma,por que são capazes de tudo para conseguir um marido rico.-olhei para ela.

–Você foge delas eu suponho.-afirmou.

–Eu fujo daquele sentimento chamado amor.

–Você ainda não mudou sua opinião?-perguntou incrédula.

Por quê você está tão interessada sobre isso?-ignorei sua pergunta fazendo outra.

–Eu apenas acho meio absurdo você não acreditar no amor.-disse como se fosse óbvio.

–Não acho que seja absurdo,essa é a minha opinião.-estacionei o carro no subsolo da empresa.

–Por quê estacionou aqui?-Isabella estava curiosa .

–Não seja curiosa,eu quis.-falei impaciente.


Isabella resmungou alguma coisa mais não me dei ao trabalho de prestar atenção.


–Por aqui tem um elevador privativo que nos leva diretamente para minha sala.-a guiei pois ela estava totalmente perdida.


Quando chegamos, Isabella foi para sua mesa e eu liguei para Tanya e mandei que ela me trouxesse um café forte.


–Sr Cullen o seu café,Jacob Black está ai fora,posso mandá-lo entrar?-Tanya me entregou o café.Apenas assenti com a cabeça e ela se retirou.


Jacob com certeza queria testar a minha paciência,apesar de sermos amigos ele parecia não entender os limites dessa amizade.


–Cullen,sentiu minha falta?-ele já chegou falando.

–Não,não senti sua falta.

–Certo senhor mal humorado,quem é a beldade que eu vi saindo de sua sala?-perguntou.

–Tanya,quem mais seria ?-revirei os olhos.

Ele sentou-se a minha frente totalmente relaxado,Jacob era muito folgado.

–Nao,a outra,uma morena de corpo gostoso.-explicou.

–Isabella?

–É esse o nome dela?-perguntou.

–Sim,mais o que você quer com ela?

–Eu quero tudo com ela.-piscou para mim.


Entendi o que Jacob queria,ele estava interessado em Isabella,mais eu não permitiria isso de forma alguma.O que me leva a pensar’’O que ela tem que desperta o interesse de todos os homens,inclusive o meu?''


–Me passa o número dela?- pediu na cara de pau.

–Não,você não se aproxime dela.-falei sério.

–Por acaso você está interessado nela Cullen?-arqueou uma sobrancelha.

–Não é da sua conta,e ela não vai querer nada com você.-não respondi sua pergunta.

–Sei,ela é lésbica?-perguntou

–Sim,ela é lésbica,ou seja você não tem chance.-menti.

Jacob ficou uns minutos em silêncio quando de repente ele gritou:

–PQP,como assim aquele avião gosta de mulher?-ele estava desesperado.

–Sim,ela não gosta de homens.-

–Eu vou tirar essa história a limpo- levantou-se - vou perguntar se ela comeu o próprio cérebro no café da manhã.-saiu da minha sala apressadamente.


Merda,pela primeira vez na minha vida eu estava com medo do que viria a seguir,Isabella não parecia o tipo de mulher que aceitaria uma mentira como essa.O que eu podia fazer?foi a única forma que eu encontrei para afastar Jacob dela.


Fiquei incontáveis minutos fitando o nada,então decidi analisar alguns projetos.Estava absorto em meu trabalho,o ocorrido de antes estava esquecido,então a porta da minha sala se abriu com força.


–EDWARD que história é essa de inventar que eu sou lésbica?-uma Isabella furiosa avançava em minha direção a passos largos.

3 comentários :

adorei a fanfic show de vizinha posta os outros capitulos por favor . vcs sao demais

Anônimo
9 de maio de 2012 15:34 comment-delete

adoro fanfics principalmente as robsten

Anônimo
9 de maio de 2012 15:35 comment-delete

Kkkkkkkkkkkk ai rachei lesbica? Kkkkkkkkkkkkaiai só um edward gostoso e ciumento daqueles pra inventar uma merda dessa

Anônimo
26 de agosto de 2013 20:51 comment-delete

Postar um comentário