Show de Vizinha - Capitulo 4

Capitulo Quatro


Entrei na escola me sentindo o cara.

Claro que eu era o cara só na minha cabeça. Por que eu não ia sair por ai gritando que eu “Edward Anthony Cullen”, fudi minha vizinha gostosa no carro dela. Sem contar na sauna e no banheiro masculino.

Eu sou o cara!

Andei me sentindo, caminhando em direção ao portão do colégio, peito estufado, queixo erguido, quando dei um encontrão em alguém, e cai pra trás. Olhei para cima ainda no chão e vi meu melhor amigo, Emmett MacCarty, em toda a sua grandeza, nada haver comigo que era mirrado. Já ele alem de alto, era forte, estilo lutador de luta livre, ele sorriu e passou a mão nos cabelos curtos pretos, e me esticou uma mão, suspirei e com sua ajuda fiquei de pé, enquanto esfregava o peito e olhei para o estraga prazeres e vi Emmett rindo.

– Não sabia que era sonâmbulo Edward.

– Eu não sou sonâmbulo.

– Então por que estava andando de olhos fechados?

– Tava pensando em umas coisas. – dei um sorrisinho lembrando da boquinha da Bella em mim e Emmett me olhou desconfiado, e sorri mais. Ele continuou me encarando e de repente sorria enormemente.

– Eu já sei.

– O que?

– O por que desse sorrisinho de idiota.

– Eu não to com sorrisinho...

– Hei caras. – gritou meu outro melhor amigo Jasper, ele não era fortão como Emmett, mais era um pouco mais alto que eu, os cabelos cor de mel amarrados em um rabo de cavalo ele se aproximou de nos, e demos um toquinho de punho fechado.

– Oi Jazz. – falamos eu e Emmett ao mesmo tempo.

– Então quais as novas?

– Edward perdeu a virgindade, virou homem.

– O que?

– Perdeu a virgindade cara? – o ruim de ter amigos desde de criança é que não tem como esconder deles que você ainda é virgem.

E como eu sou a pessoa mais sortuda do mundo, é lógico que meus dois amigos sabiam da minha desgraça, como também riam de mim.

– E por acaso eu não era homem antes?

– Eu tinha minhas duvidas.

– PQP! – resmunguei me afastando deles, mais eles me alcançaram.

– Então perdeu mesmo? – perguntou Jasper e bufei.

– Sim, agora vamos para a aula. – falei me afastando deles, mais Emmett me segurou pela camisa.

– Não. Pode começar a falar.

– Emmett um cavalheiro não fala essas coisas.

– Sorte nossa que você não é um. – ele falou e Jasper riu.

– Eu sou sim. Não vou ficar como uma menininha te contando sobre isso. – ele rolou os olhos e colocou o braço enorme sobre meu ombro, e começou a caminhar para dentro da escola.

– Edward, Edward, meninas fofocam, homens se gabam de ter pegado a garota mais gostosa. Há não ser que sua garota seja uma baranga. – rolei os olhos e Jasper riu.

– Emmett, primeiro ela é muito gostosa, e segundo eu não vou ficar me gabando. Apesar do que você pensa, eu sou sim um cavalheiro. – ele arqueou uma sobrancelha e me desvencilhei dele já caminhando para minha aula.

Infelizmente era a mesma de Emmett que se sentou ao meu lado.

– Não vai me contar?

– Já disse que não. – ele bufou e relaxou na cadeira, e não teve mais chances de me encher, pois o professor entrou dando inicio a aula.

Assim que a aula acabou corri de Emmett para a próxima a aula. Eu não sabia se Bella gostaria que eu ficasse espalhando que nos estamos juntos. Então era melhor ficar na minha.

Melhor um amigo curioso do que perder a vizinha gostosa. O resto das aulas foram relativamente boas, bem considerando que a escola é um porre, e eu não parava de pensar em Bella.

Na hora do intervalo, caminhei distraidamente para o refeitório, pensando no que iria comer, estava com uma fome do caralho. Hmmm Será que tinha pizza.... meus pensamentos foram interrompidos quando um braço grande envolveu meu ombro e olhei desconfiado para Emmett que sorria.

– O que foi? – perguntei enquanto caminhávamos para a fila, mais preocupado com o sorriso diabólico de Emmett, do que com a minha já esquecida pizza.

– Sabe, eu estava pensando. Se você não quiser falar eu respeito isso.

– Mesmo?

– Claro. Mais como seu melhor amigo, sinto que é meu dever te levar para comemorar.

– Comemorar?

– Claro. Você perdeu a temida virgindade, agora é um homem. E como homem tem que ir a forra.

– Não to entendendo nada Emmett. – ele rolou os olhos.

– Um clube de strip tease.

– O que?

– Isso mesmo. Eu acho que seu pai devia te levar. Mais já que ele não se habilitou vai eu mesmo.

Serio? Onde eu arrumava esses amigos?

Jasper que estava ao nosso lado rindo colocou uma mão em meu ombro.

– É verdade Edward. Quando eu perdi a minha Emmett me levou.

– E por que não fui convidado?

– Por que ainda era virgem.

– Ok, entendi. E quando vamos para esse ritual de macho. – eles sorriram.

– Na sexta-feira.

– Está bem. – contanto que não fosse no fim de semana, eu não era louco de contar pra Bella que fui a uma boate de strip tease com meus amigos idiotas.

Pegamos o nosso lanche, e ainda tinha pizza. O que me animou bastante, comprei uma coca e os rapazes o mesmo. Depois fomos para a nossa mesa de sempre. O pessoal que sempre sentava com a gente, entre eles, e não sei como fui esquecer disso “Tânia Denali”, suspirei e sentei o mais longe possível dela.

As namoradas dos rapazes também estavam na mesa e sentei entre Rose e Alice. Ajudava muito pra minha moral sentar ao lado das garotas mais gostosas da escola. Rosálie, uma loirasa, com um corpão se não tivesse medo de apanhar do Emmett pegava.

Mais alem de gostosa ela era legal, muito divertida, e trocava um pneu muito melhor do que eu. E batia melhor do que eu também, então eu não me metia com ela.

Já Alice era baixinha de cabelos negros curtos, com o rosto delicado, tipo princesinha, mais não deixava de ser gostosa. Mais ela eu via mais como uma irmãzinha. Nos dávamos super bem, exceto quando ela me arrumava barangas pra encontros as cegas.

Fiquei conversando com elas a maior parte do tempo, e sempre evitando olhar para Tânia, mais para minha desgraça sempre que eu olhava ela me olhava e corava absurdamente. Desviei o olhar pela milésima vez, e acabei encontrando o olhar de Jasper que olhou de mim para ela desconfiado. Mais não falou nada.

Quando o sinal bateu e saímos da mesa e Jasper continuava a me encarar.

– Que foi?

– Foi com Tânia?

– O que?

– Que você perdeu a virgindade?

– Você pegou a Tânia Denali? – falou todo animado e rolei os olhos.

– Não Emmett.

– Mais eu vi vocês trocando olhares. – afirmou Jasper e Emmett estava todo animado.

– Serio, vocês estão parecendo duas menininhas fofoqueiras. – eles amuaram e aproveitei pra fugir deles.

O resto do dia foi tedioso.

O resto da semana foi tedioso.

Emmett continuava me enchendo, e não conseguir ver Bella. Ela trabalhava a noite, e quando chegava da escola ela nunca estava em casa. Isso quando eu conseguia fugir da minha mãe psicótica.

Eu queria perguntar se podia ficar falando por ai que nos estávamos juntos. Lembrete pegar o numero do telefone dela no sábado.

Ao pensar em sábado uma duvida me ocorreu. Será que ela ia querer um encontro? Nos não tivemos um encontro de verdade desde que nos conhecemos. Só tranzavamos, não que eu não gostasse, eu adorava. Só que as vezes eu me sentia um pedaço de carne.

PQP! Eu pareço uma menininha.

[...]

Sexta a noite, e aqui estava eu na frente do espelho tentando arrumar meu cabelo. O que estava difícil, já tinha passado metade do pote de gel, mais não ficava parado essa porra, os fios continuavam caindo em meu olhos e rosnei bagunçando tudo.

Voltei para o banheiro e lavei a cabeça tirando o monte de gel e só passei as mãos o ajeitando um pouco. Devia era raspar tudo de uma vez. Mais com certeza minha mãe ia dizer que eu raspei para vender meu cabelo e assim sustentar meu vicio.

Vesti uma calça jeans preta e camisa social azul, minha barba estava um pouco áspera, não fiz essa manhã, me dava um ar mais velho. Me avaliei no espelho e sorri para mim mesmo.

– Você está ótimo Edward.

– Sabia que falar sozinho é coisa de quem se droga.

– PQP! De onde a senhora veio. – falei com a mão no peito e ela suspirou.

– Falta de atenção também.

– PAI! – gritei e ele apareceu rindo.

– Esme deixe Edward em paz. – falou entrando em meu quarto e abraçou minha mãe pelos ombros, e depois ficou me olhando. – Ta bonito filho. Aonde vai?

– Sair com Jazz e Emmett. – dei uma breve olhada para minha mãe que mordia o lábio ansiosa, suspirei e esperei, 1, 2, 3...

– Vão encontrar com o fornecedor de drogas? – falou se afastando de meu pai e se aproximando de mim, abaixei a cabeça em desolação. Fui até ela e segurei em seus ombros.

– Mãe eu não uso drogas, nunca usei, e nunca usarei.

– Mais se mudar de idéia a mamãe ta aqui pra você. – rolei os olhos e beijei sua testa.

– Eu sei mãe. Obrigado por me apoiar. – os olhinhos dela chegaram a brilhar e olhei para meu pai que riu.

– Vamos Esme. Deixe Edward terminar de se arrumar. – eles saíram do quarto e passei um perfume. Peguei meu celular e minha carteira, e desci as escadas, tinha acabado de chegar ao primeiro degrau, quando ouvi a buzina do carro de Emmett. Olhei pela janela e acenei.

– Tchau mãe, pai. – gritei e sai para fora. Dei uma rápida olhada para a casa de Bella e estava tudo escuro, suspirei e corri até o jipe mostro de Emmett.

– Vamos pra farra. – Emmett gritou batendo no volante e ri entrando atrás.

– Isso ai. – gritou Jazz animado.

Emmett meteu o pé no acelerador e me apressei a colocar o cinto. Um dia ele ainda matava a gente. Dirigia feito um maníaco.

Chegamos em frente a uma boate com uma fila enorme na frente. Uma placa em neon brilhava com o nome “Sensuale”, em vermelho e rosa, Emmett levou o carro até um estacionamento que tinha ao lado. Saímos do carro e começamos a ir em direção aos fundos da boate. Emmett me entregou um cartão e olhei sem acreditar.

– Identidades? – ele sorriu enormemente.

– Eu conheço um cara, que conhece um cara. – eu e Jasper rimos. E olhei atentamente para a minha, mais arregalei os olhos.

– Aqui diz que tenho 25 anos?

– Você passa por 25. Todos nos passamos fácil.

– Qual o nome da sua? – perguntei rindo.

– Kellan Lutz.

– A minha diz Robert Pattinson.

– Melhor que a minha, Jackson Rathbone. Onde arrumou esse nome Emmett?

– Já disse que foi o cara que conhece o cara. Eu não disse os nomes, só mandei as fotos e a grana. Agora parem de reclamar, pois poderão beber sem problemas. – assentimos e fomos até uma porta nos fundos e Emmett deu três batidas e ela abriu.

Um cara grandão, nos deixou entrar e olhamos para Emmett, e antes que ele abrisse a boca falamos juntos.

– Você conhece um cara que conhece um cara.

– Exatamente. – nos rimos e fomos até uma mesa perto do palco.

O lugar até que era legal. Era grande e tinha varias plataformas, com aqueles postes, ou jaulas, e as luzes coloridas piscavam ao som de uma musica sensual. Tinha algumas mulheres já dançando com langerries sexys.

– Olha que maravilha. – falou Emmett esfregando as mãos e ri, uma garçonete usando uma blusa apertada e saia super curta veio até nos e pedimos cerveja. Ela piscou para mim e corei sem graça.

– Já arrasando corações. – falou Emmett e sorri. A garçonete era bonita, mais nada comparada a minha Bella.

De repente as luzes se apagaram e uma musica sexy e envolvente começou a tocar e no palco perto de nos, acendeu uma luz bem no poste e uma mulher apareceu encostada no poste.

Ela estava de costas, usando um mini biquíni vermelho, a pele branca, os cabelos de um castanho escuro em um coque, ela rebolou e soltou os cabelos e Emmett assoviou.

– Olha que maravilha.

– Essa eu pegava. – falou Jasper e assenti, era linda, e muito gostosa.

Ela passou as mãos pelo poste enquanto dançava e rebolava e segurou no poste e desceu girando, ficando de frente para a platéia de homens que assoviavam e gritavam.

Olhei atentamente o corpo perfeito, as pernas longas, os quadris largos a cintura fina, subi mais vendo os seios firmes e quando olhei no rosto congelei.

PQP!

Com tanta boate, Emmett me trás justamente para a dela. Engoli em seco e quando nossos olhares se encontraram eu sabia que estava ferrado.

– Edward, por que a dançarina gostosa, está te olhando como se quisesse te matar?

Continua

0 comentários :

Postar um comentário