Domando Edward Cullen-Capitulo 5

POV Bella


Passarem-se alguns dias desde a minha chegada na empresa,não posso reclamar de nada,eu só era uma simples publicitária que por acaso era irmã de um dos donos da empresa.Não posso dizer que meu convívio com Edward estava as mil maravilhas,pelo contrário não poderia estar pior,ele sempre ficava me observando,sim isso mesmo,ele saia da confortável sala dele e vinha até onde eu estava que era junto com os demais funcionários.Eram várias mesas, cada uma do lado da outra ocupado por alguém.Edward se posicionava bem atrás de mim e ficava observando o que eu fazia,o que me deixava profundamente irritada,realmente era uma atitude totalmente desnecessária.


–Você não está estranhando Bella?-Kate me perguntou com um pouco de curiosidade.Eu tinha apenas a Kate de amiga por aqui, pois as outras meninas pareciam não gostar de mim,e eu desconhecia o motivo.

–Do que você está falando?-perguntei confusa.




–Edward não veio hoje se postar atrás de você- sorriu provavelmente lembrando da cara de durão que ele fazia toda vez que olhava para mim,isso o deixava tão sexy.

–Sim,acho que ele viu que eu faço um bom trabalho e resolveu me dar um trégua.

–Oh,espero que não,pois estava me acostumando com aquela presença máscula por aqui,ele observava você,não ri,mas eu fingia que era eu.-suspirou.

–Você é maluca!-revirei os olhos.

–Por ele- Kate completou.

(x)(x)


–Bella- escutei a voz que eu mais temia.Se alguém pensou que fosse Edward Cullen errou feio,eu não tinha medo dele.

–Mike- esse carinha ficava dando em cima de mim descaradamente.

–Tem algum compromisso para hoje a noite?-perguntou direto.

–Tenho Mike- passei as mãos pelos cabelos.

–Certeza?-perguntou meio desapontado.


Mike era um bom amigo,só amigo mesmo,ele trabalhava no almoxarifado da empresa,não era um grande cargo,mas não deixava de ser um emprego digno.


–Minha cama me espera-sorri amarelo.

–Fico muito aliviado com isso,pensei que fosse ter um encontro com algum rapaz,o que me deixaria extremamente chateado.

–Não se preocupe Mike,não irei ter um encontro com ninguém- lhe assegurei.


Ele se aproximou de mim e beijou o canto da minha boca,e devo ressaltar que se demorou bastante no ato.Saiu sem olhar para trás.Ou esse cara era estranho, ou seguro demais de si mesmo.


Estava perdida em pensamentos tentando me concentrar no trabalho,mas era em vão,volta e meia eu me pegava pensando em Edward,se ele fosse mais acessível,se abrisse o coração para o amor, ele não seria tão amargurado.


Tanya, a secretária de Edward desse que ele mandou me chamar, o que eu achei muito estranho.Depois do meu primeiro dia na empresa eu nunca mais tinha entrado na sala dele,que devo ressaltar era uma sala muito masculina.Quando ele me puxou pelos cabelos,não doeu,foi até delicado,mais naquele momento nossos olhos se conectaram,quando ele disse que eu seria seu próximo alvo,não era nada sexual e sim no trabalho.Edward era o tipo de homem que só tinha em sua lista mulheres bonitas,eu tinha uma beleza comum,duvidava e muito que ele se interessasse por mim.O que eu menos gostava em mim eram meus olhos sem graça,tão comuns,deveria ter nascido com os olhos azuis de Emmett,mamãe tinha os olhos azuis e papai olhos castanhos.


Me encaminhei para sua sala e entrei sem bater .Edward estava distraído afrouxando sua gravata,estava lindo com seu terno de risca de giz cinza.


–Não sabe bater na porta?-falou ríspido.

–Quieto- disse sem paciência.

–Estamos de mau humor hoje?-arqueou sua sobrancelha.

–Eu não estava,mas basta estar no mesmo ambiente que você,que meu pior lado aflora-sentei a sua frente mesmo sem ele ter mandado.

–E qual é o seu pior lado?-perguntou curioso me olhando intensamente.

–Não queira saber.

–Você é muito delicada criança, para ter um lado ruim- falou despreocupadamente.

–Duvida?-estava irritada com o rumo dessa conversa.

–Talvez,se você me provar-disse e piscou safado.

–Como?.

–Todos me temem aqui na empresa e fora dela também,eu estou trabalhando em uma campanha de um perfume e você irá trabalhar junto comigo- explicou casual,

–Junto com você?- perguntei sem acreditar.

–Claro cherrie- disse.

–Não sei se será possível.

–Será possível sim,vê aquela porta roliça?- perguntou apontando para uma porta enorme.

–Sim- respondi sem entender onde ele queria chegar.

–Ali minha cereja, é uma sala que é dentro desta sala como você pode ver,trabalharemos ali,então você irá buscar suas coisas, porque a partir de amanhã será o seu local de trabalho- passou as mãos no cabelo.

–E você?-perguntei temendo sua resposta.

–Também irei para lá, iremos trabalhar juntos,esqueceu?-perguntou irônico.

–Não.Quantos dias isso irá durar?.

–Não sei,depende de nossas ideias,vi que você é capacitada para trabalhar nesse projeto,se não eu o faria sozinho.-falou entediado.

–Você nunca trabalhou em algum projeto com ninguém?-eu estava incrédula.

–Não,sinta-se honrada ,você será a primeira.


Fiquei um tempo calada assimilando.Eu estaria sozinha em uma sala com Edward Cullen,me bateu um nervosismo enorme,minhas mãos começaram a suar frio.


–O que foi?- perguntou.

–Não é nada,apenas fiquei surpresa por você ter me escolhido,apenas isso.-justifiquei-me.

–Vou fingir que eu acredito nessa história ridícula minha cereja.

–Acredite no que quiser e pare de me chamar de minha cereja- diisse irritada.

–Sinta-se honrada novamente,não são todas as mulheres que eu chamo assim.

–Eu não quero saber como você chama suas amantes- fiquei nervosa ao imaginar ele chamando outras mulheres por esse nome.

–Ciúmes minha cereja?- enfatizou o nome

–Eu não tenho motivos para ter ciúmes de você-afirmei tentando convencer a mim mesma.


Antes que Edward pudesse responder, a porta foi aberta e uma mulher linda,ruiva e alta entrou trajando um vestido curtíssimo.


–Ed querido, você não me acordou,fiquei triste,mas vim lhe fazer uma surpresa .-falou a ruiva piscando um olho para Edward.


Sem nenhuma cerimônia a mulher se sentou no colo dele e o beijou, um beijo cheio de luxúria.


Não entendi,mas me doeu ver aquela cena,e doeu ainda mais ver que Edward retribuía ao beijo que a ruiva lhe dava.


Levantei-me depressa para sair daquela sala,eu não era obrigada a ver aquilo.


Antes de sair, ainda ouvi a ruiva dizer que estava com saudades.


–Eu também minha cereja–Edward a chamou como havia me chamado a minutos atrás.


Passei direto da minha mesa e fui para o banheiro ,joguei água em meu rosto e na nuca tentando em vão acalmar meu coração que estava acelerado e ao mesmo tempo doía.


–Pare Isabella com isso,não seja patética,ele não é nada seu.-repreendi a mim mesma.


Ele não é nada seu.

Ele não é nada seu.

Ele não é nada seu.


Constatei o óbvio,tentei mostrar para mim mesma que estava tudo bem e que a cena que eu vi não era motivo para desespero.


Respirei fundo e sai do banheiro,quando dobrei o corredor vi a mulher ruiva e Edward andando abraçados,indo em direção ao elevador.


A dor voltou com força total.


Ele a chamou de minha cereja.Esse nome era meu,ele só devia chamar a mim assim, e não outras mulheres.


Me desesperei ao constatar que eu estava me apaixonando pelo indomável Edward Cullen.


Isso não poderia acontecer,eu não precisava de uma desilusão amorosa,eu não precisa de um motivo para sofrer,eu não precisava que Edward Cullen fosse minha perdição.


Eu não precisava...

0 comentários :

Postar um comentário