O Pianista - Capitulo 42


Capitulo Quarenta e Dois
Enfim sós
– Edward me coloca no chão. – reclamei enquanto era carregado estilo noiva para dentro do quarto.
– É a tradição Bella.
– Mais eu já entrei nesse quarto um milhão de vezes.
– Mais antes você não era casada. Agora é diferente. – rolei os olhos e o deixei fazer a tradição idiota.
Assim que entramos, ele me colocou no chão, e me puxou contra seu peito me dando um beijo urgente, agarrei seus cabelos, e suguei sua língua, e o ouvi soltar um gemido.
E moldei meu corpo ao dele, e suas mãos apertaram minha cintura, senti que ele andava, e me deixei ser levada sem parar de beijá-lo. Entramos no quarto e ele me soltou ofegante e sorri corada.
– Enfim sós Sra. Masen. – eu sorri e mordi o lábio ficando de costas.
– Me ajuda com o zíper Sr. Masen. – o ouvi rindo, e senti seus lábios em um ombro nu, enquanto ele deslizava o zíper para baixo, e meu vestido deslizou pelo meu corpo.
Ele beijou minha nuca, e moveu suas mãos para minha cintura e puxou meu corpo contra seu peito, senti sua dura ereção contra minha bunda, e a rocei contra ele.
– Ah Bella. – ele gemeu enquanto sua língua brincava em minha pele, e suas mãos subiram até meus seios os apertando, e gemi.
– Edward. – suspirei, e ele desceu meu sutiã deixando meus seios nus, e beliscou os mamilos, joguei a cabeça para trás e senti sua boca em meu ombro dando pequenos beijos.
As mãos dele desceram dos meus seios, para minha barriga e continuaram descendo até minha calçinha, ele passou a ponta do dedo por cima do tecido e pressionou o meu clitóris me fazendo gemer baixinho.
– Edward... – ofeguei e ele chupou meu pescoço, e moveu seus dedos para dentro de mim, brincando com meu clitóris, e deslizando dentro de minha intimidade, que já estava úmida.
– Já molhadinha amor.
– Humrum. – murmurei e ele riu me virando de frente para ele e me beijando com calma e amor. Agarrei seus cabelos colando sua boca na minha, e ele começou a andar de costas e sentou na cama e cai em cima dele rindo.
Ele se deitou e fiquei em cima dele o olhando com seu lindo sorriso torto, e abaixei o rosto beijando sua boa linda, e as mãos dele foram para minha bunda.
Eu me ergui um pouco e comecei a desabotoar sua camisa, e distribuir beijos por seu peito nu, e descendo até sua barriga, radiei a língua em seu umbigo e beijei sua ereção ainda com a calça e ele gemeu.
– Bella? – ele me olhou safado e eu ri abrindo seu zíper e puxando seu membro excitado para fora e beijei a cabeçinha, ouvindo seu gemido alto.
Sorri mais e o abocanhei, o engolindo todo, o sentindo pulsar em minha boca, enquanto eu o sugava. Ele me puxou para cima me colocando na cama e ficando sobre mim.
– Ah sua provocadora. – eu ri e me tremi quando ele começou a distribuir beijos por meu corpo, desde os seios até minha intimidade.
Que assim que sua língua me tocou eu não demorei muito para gozar em sua boca. Ele bebeu meu liquido e subiu em cima de mim já nu, e agarrou minha coxa e puxou minha perna a colando em suas costas e deslizou para dentro de mim.
– Oh Edward. – gemi ao senti-lo todo dentro de mim, e abracei seu corpo o colando mais a mim.
Ele me beijou com urgência enquanto começava a entrar e sair de dentro de mim, seus impulsos eram fortes e rápidos, e senti meu corpo todo tremer.
– Edward... Edward... – eu gemia a cada investida, meu centro apertando o membro dele, sua boca devorando a minha.
Ele pulsava dentro de mim, e com mais uma investida nos dois explodimos, sentindo nossos líquidos escorrerem. Ele deitou a cabeça em meu peito e afaguei seus cabelos. Ficamos assim até nossas respirações se acalmarem.
– No que esta pensando? – perguntei depois de alguns minutos. E senti ele descendo um pouco a cabeça e beijando minha barriga.
– Em nosso bebê. – eu ri.
– Sabe da primeira vez em que pensei que estava grávida, eu tive medo. – ele levantou o rosto.
– Do que? – dei de ombros, lembrando de como fiquei desesperada.
– De você não me querer mais.
– Isso nunca aconteceria.
– Como eu poderia saber. – ele levantou e deitou ao meu lado passando os dedos por minha bochecha.
– Eu sei que eu fui um idiota quando começamos. Mais eu havia dito que te amava. – eu sorri.
– Sim, mas um bebê muda tudo.
– Para melhor.
– Nem todo homem pensa assim. – ele deu um lindo sorriso.
– Eu não sou como todo homem. Eu sou seu homem. – eu corei e sorri animada.
– Ok. Mais estou feliz com esse bebê.
– Eu também amor. Nossa menininha. – eu neguei.
– Não, um menino. Bonito como você. – ele riu.
– Seja o que for, vamos amar. – assenti sorrindo e bocejei. – Durma amor. – ele me puxou contra seu peito, minhas costas contra seu peito e beijou meu ombro nu. Sorri de olhos fechados e adormeci.
Abri os olhos ouvindo a minha musica ecoar pelo quarto e sorri, olhei em volta e ele não estava na cama. Enrolei-me no lençol e fui até o piano onde ele deslizava os dedos pelas teclas.
Ele mantinha os olhos fechados enquanto a musica fluía lindamente. Caminhei em silencio, e me ajoelhei ao seu lado tocando seu joelho. Ele abriu os olhos e sorri.
Ele me olhou com aquele olhar de amor que ele sempre me dava e sorri. Querendo ser boa pra ele, embora eu nunca achasse que o merecesse.
Ainda de joelhos fiquei entre suas pernas e espalmei as mãos em suas coxas, enquanto ele tocava e me olhava com uma sobrancelha arqueada. Sorri e mordi meu lábio, enquanto afastava sua calça de moletom e libertava seu membro.
– Bella? – eu sorri maliciosa e movi minhas mãos por seu cumprimento e ele fechou os olhos falhando uma nota.
Assim que ele estava rijo, o levei na boca, sugando seu pré-gozo. O lambi arranhando os dentes e ele deixou de tocar.
– PORRA Bella. – ele rosnou e o senti pulsando contra minha boca, até se liberar e o suguei.
Já me sentia úmida por ele, e me levantei afastando o lençol, e subi em seu colo, com uma perna de cada lado de seu quadril, ele agarrou minha cintura e rocei minha intimidade nele sentindo ele se animando de novo.
– Me deixa louco minha menina. – eu sorri e beijei sua boca.
– Toque pra mim. – ele abriu os olhos me olhando serio, e começou tocar.
Agarrei seu membro e o levei em minha entrada e o deixei mergulhar em meu calor. Ele rosnou tocando com mais força, e o abracei pelo pescoço.
– Bella? – ele falou com dificuldade. E gemi quando comecei a me mover sobre ele.
– Não pare. – pedi ainda subindo e descendo por seu membro que pulsava dentro de mim, me fazendo quase gritar.
– Que se dane. – ele resmungou parando de tocar e agarrando minha bunda e me movendo cada vez mais rápido sobre ele.
Sua boca desceu para meu seio, os sugando ora um ora outro. Rebolei sobre seu membro e ele vinha cada vez mais rápido.
Com um grito o senti explodindo dentro de mim, e eu o acompanhei imediatamente caindo mole sobre seu corpo. Ele me abraçou apertado, e afundou o rosto no meu pescoço.
– Toca pra mim. – pedi ainda abraçada a ele, e senti seus lábios em meu pescoço e suas mãos voltaram para o piano tocando minha musica.
Adormeci assim, abraçada a ele, com ele dentro de mim. E nunca dormi tão bem.
Acordei no dia seguinte e senti que estava em cima de algo, ou melhor, alguém. Sorri ao ver seu lindo rosto me encarando.
– Bom dia amor.
– Bom dia. – ele afagou meus cabelos.
– Já ia te acordar. – bocejei e deitei a cabeça em seu peito.
– Pra que?
– Nossa viagem. É daqui duas horas. – assenti ainda sonolenta e o abracei apertado.
– Eu queria ficar aqui pra sempre. – ele riu e beijou minha testa.
– Eu também amor. Mais é nossa lua de mel. Não quer passear. – levantei o rosto sorrindo, e me inclinei para beijá-lo, quando senti uma reviravolta em meu estomago, e tampei a boca correndo para o banheiro e vomitando como uma condenada.
Senti meus cabelos serem afastados do rosto, e sem olhar para ele fui até a pia e lavei a boca, e escovei os dentes.
– Você esta bem? – ele parecia muito preocupado, e sorri.
– Sim. Vem acontecendo a alguns dias. – ele sorriu.
– Então parece que esta grávida mesmo. – sorri.
– É parece. – para minha surpresa ele me pegou no colo e me rodou no ar. – EDWARD! – gritei mais ele sorriu.
– Ah minha menina. – eu ri e ele me colocou no chão me dando um longo beijo. – Um bebê. – eu sorri.
– Agora temos que ir a um médico. – ele assentiu animado.
– Sim, Emmett pode ver isso... – eu neguei.
– Eu vou no Dr. Demetri.
– Quem é esse?
– É o que me atendeu da outra vez.
– Ah sim podemos ir nesse. – eu ri corada ao lembrar de que Alice me apresentou como esposa de Edward. E agora eu seria mesmo. – Que foi?
– Quando eu fui da primeira vez, Alice disse que eu era a Sra. Masen. Agora eu sou mesmo. – ele sorriu.
– Então ele já sabe que você é minha. Isso é muito bom. – eu ri e o abracei apertado.
– Nossa é tão estranho.
– O que?
– Mal nos casamos, e já vamos começar nossa família. – ele sorriu lindamente. Mais me encarou serio.
– Você não quer? – eu sorri.
– Claro que quero. É só que foi rápido. – ele deu um lindo sorriso.
– Não se preocupe amor. Eu vou estar com você.
– Eu sei.
– Agora vamos tomar café e ir para o aeroporto.
Depois de tomar café, nos arrumamos e fomos para o aeroporto. Meus pais ligaram me desejando boa viagem, e os tios de Edward também.
Entramos no táxi com as malas na porta malas, e olhei para Edward com um biquinho.
– Entãoooo pra onde vamos? – perguntei me debruçando sobre ele no carro e ele riu.
– Surpresa.
– Ah Edward diz. – me aconcheguei mais nele e comecei a beijar seu pescoço e distribuir beijos por sua garganta.
– Bella? – ele suspirou e eu ri. Subi os beijos até sua orelha e mordisquei o lóbulo.
– Se você me dizer, eu faço o que quiser. – o ouvi suspirar e me puxar para seu colo.
– Qual quer coisa? – ele arqueou uma sobrancelha, e sorriu malicioso ficando totalmente sexy.
– O que quiser. – ele gemeu de olhos fechados.
– Sexo no avião.
– O que? – ele começou a beijar minha garganta subindo seus lábios para meu ouvido e sugou meu lóbulo, e sussurrou.
– Da ultima vez que eu viajei eu imaginei nos dois no banheiro... – eu olhei pra ele e mordi o lábio.
– Esta bem. Agora diga aonde vamos? – ele deu um grande sorriso e beijou minha nuca.
– Paris. – me afastei dele, olhando encantada para seu rosto.
OMG, Paris.
Agarrei seu rosto e distribui beijos por todo canto.
– Você merece sexo no avião.
Continua.

0 comentários :

Postar um comentário