O Pianista - Capitulo 39


Olhei para o meu reflexo no espelho e sorri. O estilista que minha mãe tinha escolhido era ótimo e os vestidos que ele já fizera um mais lindo que o outro.
Depois de olhar bem seus vestidos já prontos. Eu acabei escolhendo um perfeito. O Sr. Jimmi, estava ajeitando minhas medidas e sorri enquanto imaginava a cara do Edward quando me visse.
– Está tão linda querida. – minha mãe falou chorosa e eu ri.
– Obrigada mãe. Será que Edward vai gostar?
– Ele vai amar. – sorri mais. Assim que terminamos me troquei e fui com minha, mãe pra casa.

Estranhei ao ver o carro de Edward em frente a minha casa, e eu e minha mãe saímos confusas, entramos em casa e ouvimos risadas.
Assim que chegamos a sala estranhei ver meu pai, tio Carlisle, Emmett e meu Edward todos bebendo e conversando.
– O que esta acontecendo? – minha mãe perguntou e os olhei esperando.
– Olá querida. Estamos numa pequena reuniãozinha aqui. – arquei uma sobrancelha olhando pra Edward que sorriu e veio até minha.
– Oi amor.
– Oi. O que estão fazendo? – ele deu de ombros.
– Pedi a ajuda de Carlisle e viemos amansar seu pai. Ele praticamente me adora agora. – eu ri e joguei meus braços em seu pescoço.
– Mesmo? – ele sorriu presunçoso.
– Amor isso era só questão de tempo. – eu ri e beijei sua boca linda.
– Isso é bom. Meus dois homens favoritos no mundo se dando bem. – ele riu, olhei pra os homens e minha mãe estava sentada no colo do meu e eles conversando animadamente.
– Quer ir no meu quarto? – perguntei maliciosa e sentindo minha pele um pouco quente. Ele sorriu.
– E seus pais? – voltei a olhar pra eles.
– Eles parecem bem ocupados. – ele deu um grande sorriso.
– Vou adorar amor. – ele escovou seus lábios nos meus e sorri.
Segurei sua mão e o puxei pra cima. Subimos para meu quarto assim que ficamos lá dentro eu tranquei a porta e o agarrei em um beijo urgente.
Ele gemeu em minha boca e agarrou minha cintura me colando contra ele, já sentia sua dura ereção me cutucando e suspirei.
– Oh Edward...
– Minha menina esta selvagem hoje. – eu ri sem fôlego e comecei a beijar seu pescoço, e o empurrei pra a cama e comecei a desabotoar minha camisa.
Ele sorriu safado e me chamou com o dedo e engatinhei em cima dele, ficando com uma perna em cada lado do seu quadril.
As mãos correndo pelo seu peito e empurrando a camisa dele pra cima até deixar seu peito a mostra, e abaixei a boca e lambi seu mamilo sentindo ele se contorcer embaixo de mim.
– Ah Bella, vem aqui vem. – me chamou e subi a boca até a dele, mais as mãos ainda se moviam pela sua barriga, e chegaram a calça que comecei a tirá-las.
– O que você quer ai? –eu ri.
– Não sabe?
– Oh eu imagino. –me afastei dele e terminei de retirar suas calças e fiquei de costas pra ele e me curvei sobre seu cumprimento, o levando todo na boca.
Ele gemeu e mordeu o lábio pra conter um grito quando o suguei com força. As mãos dele passeavam por minha bunda e desciam tocando minhas dobras e meu corpo todo tremia.
– Oh... Edward... – eu gemi ainda o sugando, e ele rosnou, e soltei um gritinho quando ele agarrou meus quadris e me puxou pra ele.
–Edward. – murmurei, quando ele encaixou minha entrada em seu rosto e a sugou com força. – Merda! – gemi e ele riu.
– Continua amor, sua boca esta me deixando louco. – eu suspirei e voltei a sugá-lo e lambê-lo, enquanto ele fazia o mesmo em minha entrada encharcada.
Ele me sugava com força, cada vez que eu o chupava arranhando os dentes e senti meu corpo inteiro tremer quando ele deslizou dois dedos dentro de mim, e sua boca assaltando meu clitóris.
Chupei forte seu membro, já sentindo minha liberação, meu corpo tremeu todo, e minhas dobras pulsaram com força levando Edward a gemer contra minha intimidade e seu membro tremeu em minha boca e ele gozou.
O suguei sentindo seu gosto, salgado e muito gostoso, pois era dele. Meu corpo estava tremulo e senti ele me puxar de encontro ao seu peito.
– UAU. – ele disse sorrindo e eu sorri corada.
– Com certeza. – murmurei e ele lambeu minhas bochechas e depois me deu um beijo urgente. Agarrei seus cabelos, e suguei sua língua, sentindo nossos gostos se misturarem.
– Descobri um novo fetiche por você minha menina. – eu ri e deitei a cabeça em seu ombro.
– Edward você tem fetiche por sexo, não importa a posição ou o lugar. – ele negou e puxou minha boca em um beijo calmo.
– Não, eu tenho fetiche por você. Não importa o lugar ou a posição eu só quero que seja com você. – eu ri baixinho e deitei minha cabeça em seu peito de novo.
– Hummm, então eu também tenho um por você.
– Isso é muito bom. – ele sussurrou e voltou a me beijar com urgência, já sentia ele ficando animado de novo e sorri contra sua boca mais paramos quando alguém bateu na porta.
– Bella esta ai?
– É meu pai. – falei baixinho e Edward fez uma careta.
– Hoje que eu morro.
– Diga pai. – falei tampando a boca de Edward.
– Você viu seu noivo?
– Acho que ele já foi. – falou alto, e viu Edward saindo de perto dela e tateando as calças a procura do seu celular, e correu para o banheiro.
– Vou ver com Carlisle filhinha.
– Ok pai.
Assim que ouviu os passos de seu pai se distanciando, correu para o banheiro e viu Edward desligando o celular.
– Com quem estava falando?
– Tio Carlisle. Pedi pra ele dizer ao seu pai que eu tive uma emergência e me fui.
– E seu carro?
– Emmett esta com as chaves, ele leva pra mim. – assenti e mordi o lábio.
– E agora? – perguntei olhando pra ele e percebi que ele ainda estava nu. Ele sorriu malicioso a me ver olhando seu corpo e puxou o lençol que cobria meu corpo me deixando completamente nua.
– Eu preciso de um banho. – eu sorri.
– Então tome. – ele negou e me puxou de encontro ao seu corpo e correu seus lábios pelo meu pescoço até chegar à minha orelha e ele mordiscou meu lóbulo.
– Eu quero que você me de um banho. – eu sorri e me afastei dele já entrando no Box.
– Então venha Sr. Masen, você precisa de um banho urgente. – ele riu e correu até mim, me beijando.
– Sim, estou muito, muito sujo. – falou serio e nos beijamos com urgência, e me empurrando para baixo do chuveiro me abraçando por trás e virei o rosto e o beijei com urgência.
Gemi quando suas mãos acariciando meus seios, e movi minha bunda contra sua ereção que já estava bem evidente.
Ele gemeu e desceu uma mão pra minhas dobras e pressionou meu clitóris, joguei a cabeça pra trás com um gemido e ele lambeu me pescoço e subiu sua boca para minha orelha.
– Empina essa bundinha pra mim.
– Oh... – gemi mais obedeci e senti seu membro deslizar para minha entrada molhada e quente.
Ele rosnou e mordeu meu ombro, enquanto iniciando os movimentos, entrando e saindo devagar, mais tão profundamente.
– Tão apertada minha menina.
– Edward. – levei minhas mãos para seus cabelos e puxei seu rosto para um beijo cheio de desejo e paixão.
Ele gemeu contra minha boca, e moveu suas mãos para meus seios beliscando os mamilos e me fazendo ofegar.
– Empina esse bundinha. – ele pediu ofegante, e me abaixei mais espalmando minhas mãos na parede.
Ele gemeu e deslizou as mãos pelo meu corpo até chegar na minha cintura e segurar com firmeza, e começou a entrar rápido e forte.
– Oh Deus. – gemi alto já sentindo os espasmos correndo por todo o meu corpo a cada investida profunda dele.
– Isso minha menina rebola pra mim. – Oh deus esse homem ainda me mata.
Obedeci rebolando e por conseqüência empinando mais e ele urrou e veio mais forte e fundo.
Nos levando ao ápice, nossos corpos estremecendo, e nos abraçamos ofegantes.
– Amor. – ele sussurrou contra meu pescoço.
– Hummm.
– Preciso de outro banho. – ele falou safado e eu ri e virei para ele o abraçando.
– Então tome. – repeti as minhas palavras e ele negou e lambeu meus pescoço.
– Eu preciso que você me de.
– Eu?
– Sim, só essas mãozinhas lindas podem tocar meu corpo. Sou todo seu meu amor. – sorri e o beijei com carinho. Lógico que não durou muito, pois a boca grande de Edward sempre vem estragar o romance.
– Somente suas mãozinhas podem tocar meu corpo, ou melhor todo o meu corpo. – ele sorriu malicioso e corei.
Meus deus esse homem não cansa não!
Finalmente o grande dia havia chegado. Eu estava muito nervosa, e nem o dia no Spa que minha mãe, tia Esme e Alice passaram comigo resolveu.
No final do dia, enquanto fazia a maquiagem em mim, eu ainda me sentia a beira de nervos. Eu era muito nova pra casar.
Eu não sei que faculdade quero ir.
E acho que minha menstruação ta atrasada de novo.
Mordi meus lábios nervosamente, enquanto andava de um lado para o outro meu vestido de noiva se arrastando no chão, e finalmente Alice estava aqui.
– Caramba Alice que demora. – ela usava o vestido azul que batia em seus joelhos, o mesmo que Rose, era um lindo vestido pra uma dama de honra, pensei enquanto mastigava meus lábios.
– Bella eu não sai tem nem dez minutos.
– Serio achei que tinha passado uma hora já. – ela rolou os olhos. – Mais esquece você trouxe? – ela mostrou a sacola em que trazia o que eu pedi pra ela ir comprar na farmácia.
– Sim, sorte ter uma farmácia perto da igreja.
– Alice! – resmunguei e ela sorriu sem graça.
– Desculpe tome, e não vá sujar o vestido. – olhei feio pra ela, que sorriu sem graça e me entregou a sacola.
Entrei no banheiro e me apressei a fazer o xixi no termômetro como ensinava a embalagem do teste de gravidez.
Olhei para o resultado durante uns dez minutos, até ouvir Alice batendo na porta, e a deixei entrar.
– E então? – estiquei o teste para ela que o pegou e me olhou depois olhou na caixa com o resultado.
– OMG Bella você esta grávida.
OMG!

0 comentários :

Postar um comentário