Kiss Me II - Capitulo 7


Capítulo 7.


Me senti num velório, pois ficamos quase 1 minuto em silêncio, um olhando para a cara do outro. Estava com medo do que eles estavam pensando, mas finalmente o primeiro abriu a boca e falou.

- Eu acho que vai ser melhor contar logo mesmo. Se vocês tentassem esconder, quando descobrissem já seria o caos!

Ao ouvir aquelas palavras, pude respirar aliviada e olhei para Rob que continuava com a mesma postura. O resto da reunião foi breve, apenas para combinar algumas coisas que eu deveria falar ou omitir e aproveitamos também para falar sobre a gravação do filme. Eles achavam que poderiam aproveitar a gravidez para as filmagens, pelo menos no início. Quando saímos de lá e estávamos sozinhos no elevador, Robert alisou minha barriga e sorriu para mim.

- Não seria legal se ela crescesse como em Breaking Dawn?
- Legal? Para quem?
- Ah vai, Kiki... É chato, tedioso esperar 9 meses...

Deveria ser chato para o homem que ficava só coçando o saco durante esse tempo. Para a mulher, de tédio aquilo não tinha nada! Eu por enquanto estava apenas tendo enjôos, mas só em pensar que acabaria sentindo as temidas contrações um dia, eu já suava frio.

- Você quer trocar, Rob? Eu posso te dar a barriga e ficar só bebendo cerveja no sofá enquanto você tenta parir a criança.
E pensando por esse lado, era uma coisa até interessante. Devia ser bom estar na pele de Robert, exceto quando estava sendo atacado pelas fãs, claro. Isso era um ponto positivo para mim, pois os homens são mais quietos, não chegam tão fervorosos quanto as mulheres, que já saem pulando em cima e rasgando a roupa.

- Você gostaria que eu perdesse a minha masculinidade, Kiki?

Eu estava tão concentrada em meus pensamentos que nem tinha me dado conta de onde Robert estava. Ele tinha vindo por trás de mim para sussurrar em meu ouvido e me encoxar. Em pleno elevador.

- Adoro sua masculinidade, mas deixe para me pegar quando chegarmos em casa, pode ser?
- Seu pedido é uma ordem, madame.

Deixei minha cabeça cair para trás e encostei-a em seu peito, recebendo em seguida um beijo na testa. Nós voltamos para casa planejando algumas comprar para o quarto do bebê.

- Podíamos decorar o quarto em tons de lilás...
- Lilás? Nem sabemos se vai ser mulher, Kiki...
- Qual o problema? Lilás é uma cor neutra.
- Em que mundo? O do Alfie?

Ele era bem insuportável, isso sim! Eu sempre quis montar um quarto lilás e agora que teria a oportunidade, Robert iria implicar com a cor?
[...]
Tínhamos desembarcado em Londres há algumas horas e o quarto do hotel era relaxante. Os últimos dias, apesar de terem sido divertidos com a novidade do bebê, também foram cansativos. Eu tinha passado alguns dias fazendo compras com Ashley que estava decidida a montar um guarda-roupas para a criança que nem havia nascido ainda. Ela me presenteou com várias roupinhas em tons neutros e eu precisava admitir que era tudo muito lindo. Fazia mesmo eu me sentir uma futura mãe.

- Amor, quer que eu prepare a banheira?

Rob me perguntou da porta do banheiro enquanto eu continuava deitada de costas na cama, relaxando no colchão macio. Era a primeira vez que eu viajava de avião desde que descobri sobre a gravidez e não foi muito agradável. Digamos que eu tenha visitado mais o banheiro da aeronave do que talvez o meu próprio.

- Daqui a pouco... Estou com preguiça até de levantar, Rob.
- Quer que eu te busque?

Sorri quando ele veio na minha direção, caminhando devagar como se fosse meu príncipe encantando particular. Rob ajoelhou ao meu lado e abaixou-se para me beijar. Sua boca moveu-se lentamente e super carinhosamente em meus lábios, enquanto sua mão alisava minha barriga.
- Eu te amo demais, sabia? Você é tão perfeito comigo...

Sussurrei, pois estava desanimada até para aumentar o tom de voz. Era puro cansaço mesmo. Ele subiu em cima de mim, colocando uma perna de cada lado do meu corpo e enfiou os dedos pelos meus cabelos, segurando entre as mãos.

- Talvez eu seja assim, porque você é perfeita para mim. Já se deu conta disso?

Mordi meus lábios com vontade de chorar, mas engoli o choro e beijei-o com paixão. Ele sempre tinha as melhores respostas para tudo!
Depois de ter tomado um ótimo e relaxante banho e recebido uma massagem extremamente gostosa de Robert, acabei melhorando meu humor e disposição. Claro que eu não estava prestes a sair pulando pelo quarto, mas pelo menos já conseguia fazer as coisas sem gemer, chorar ou vomitar. Legal ficar grávida, viu?

- Estou nervoso para amanhã...
- Está? Você sempre parece tão confiante no que faz...

Ele beijou meus ombros e sentou-se com as costas encostadas na cabeceira da cama. Robert me puxou pela cintura e fez com que eu deitasse entre suas pernas, ganhando seu corpo como um perfeito encosto.

- Não sou confiante como você pensa, Kiki.
- Para mim você é. Perfeito em tudo que faz, fala, pensa...

Ele riu e quase me esmagou num abraço, mordendo de brincadeira um de meus ombros e enterrando os dedos pelos meus cabelos. Eu me contorci o quanto pude para beijá-lo e mergulhei naquela boca perfeita que encaixava na minha de forma tão anatômica. Sua língua percorreu meu pescoço e desceu para meu colo, chegando aos meus seios e me proporcionando alguns suspiros mais fortes.
[...]
- Não saia do meu lado quando começarmos a falar sobre a gravidez!
- Como você pode achar que eu te deixaria sozinha?
- Não sei... Vai que te puxam para outro lugar.

Minhas mãos suavam enquanto nos dirigíamos para a Premiere. O carro parou logo na entrada para o tapete vermelho e nós dois nos olhamos e beijamos em seguida. Quando os seguranças abriram a nossa porta, os flashes começaram a disparar em cima de nós durante todo o caminho que fizemos, de mãos dadas.

- Robert! Kristen! É verdade que vocês dois darão uma notícia ao vivo hoje?

Paramos na frente do jornalista que nos perguntava aquilo e nos olhamos. Se era para contar, então aquela provavelmente seria a melhor ocasião. Robert passou um braço em volta da minha cintura e beijou meu rosto.

- Sim, temos uma novidade. Nós estamos esperando um filho.

Ele nem falou muito alto, na verdade, foi até baixo considerando o burburinho que tinha ali no local, mas ainda assim foi o suficiente para todo mundo que estava perto de nós, calar a boca e nos encarar. Meu rosto com certeza ficou um pimentão.

- Kristen está grávida? Isso é verdade?

O microfone foi apontado para mim e eu me peguei gaguejando. Rob tomou as rédeas novamente e confirmou a notícia.
Suei frio ao passar por aquela saia justa na frente de todos os paparazzis. Os flashes dividiram-se em meu rosto e na barriga, o que me deixou com bastante medo de que a criança nascesse cega ou com algum problema de visão.

- Sem mais perguntas, pessoal!

Rob finalmente encerrou a conversa por ali e me rebocou para dentro do prédio. Meu enjôo tinha aumentado e eu estava dando qualquer coisa para poder ir a um banheiro.

- Você não está com uma cara muito boa...
- Não estou mesmo! Vou vomitar em cima de você!
- Tudo menos isso, Kiki.

Ele olhou em volta e me pegou no colo, correndo na direção do banheiro mais próximo. Bem, se nós não queríamos chamar muita atenção... Não funcionou, né? Imagino que no dia seguinte seria lindo ver Robert estampando as capas dos jornais comigo no colo, correndo que nem louco.

- Fecha a boca que estamos chegando!

Claro, como se fosse fácil controlar a vontade de vomitar! Bastava eu dizer ao meu estômago para esperar mais alguns segundos...

- Pronto, vai!

Ele me largou dentro do banheiro e ficou olhando. O que Robert estava achando que aquilo era? Uma franquia de The Amazing Race*?


----------------------------
The Amazing Race é um reality show, no qual os times, que são compostos de duas pessoas com um relacionamento já existente, devem percorrer em competição contra outras equipes ao redor do mundo.
----------------------------
Empurrei-o para fora do banheiro, bastante puta com o escarcéu todo armado e fui vomitar. Sabia que ao sair de lá teria um bando de gente querendo saber se eu estava passando mal e toda aquela história de povinho curioso mesmo. Quem não adora uma desgraça?

- Kiki? Melhorou?

Rob veio me segurar imediatamente assim que abri a porta. Melhor era uma palavra complexa. Alguém fica melhor quando sente gosto de vômito na boca? Não, né? Muito menos em plena premiere do filme do seu noivo. Respirei fundo, esfreguei minha testa, tentando enxugar o suor e sorri para ele.

- Vou ficar bem. Me leva para algum lugar mais calmo.

Rob passou a mão pelas minhas costas e nós fomos para um lugar mais afastado, onde só tinha o pessoal do elenco do filme. Alguns pareciam curiosos, mas sem muita coragem para chegar e perguntar alguma coisa. Outros, no entanto, eram chatos mesmo.

- Amor, veja pelo lado bom da situação...
- Tem lado bom?
- Tem. Não vão focar tanto no assunto gravidez.

Olhei para ele tentando sinceramente entender aonde queria chegar, mas não consegui. Robert às vezes parecia falar japonês ou alguma outra língua que eu não compreendia.

- É que vão focar mais no fato de você ter passado mal.
- Você é super agradável, Rob.

Se ele tinha mesmo tentado me fazer sentir melhor, não funcionou. Robert era péssimo nisso e se achava o salvador da pátria.

- Oi Robert.

Escutei uma voz chatinha e gasguita para ver Emilie de Ravin aparecer por trás dele. Sim, ela era uma das pessoas que tinham coragem de se aproximar.

- Oi Emilie. Já conhece Kristen?
- Mais ou menos.

Ela me olhou e sorriu, vindo me cumprimentar. Tudo que eu realmente não precisava agora era aturar atriz que contracenou – e tirou casquinha – com meu noivo. Par romântico o cacete! Ele vai ser pai!

- Acho que vou vomitar de novo...
- Calma, já estou te levando lá!

Pedi para ele não sair correndo que nem um lunático, pois já bastava a entrada triunfal que tínhamos feito. Dessa vez ele caminhou em passos largos e me colocou na porta do banheiro.

- Te espero aqui.
- Entra comigo?

Ele estranhou, já que da última vez tinha sido expulso, mas é que eu tinha outras intenções. Os hormônios oscilavam demais! Rob fechou a porta e cruzou os braços, esperando que eu vomitasse, mas ao invés disso, beijei sua boca. Ele recuou, assustado e depois sorriu.

- O que é isso? Cadê a vontade de vomitar?
- Era mentira... Só para ficar livre de Emilie e te dar uns amassos aqui.

[...]
Não foi apenas os fãs que nós tivemos que encarar, depois que divulgamos a notícia da gravidez. Quando o período de estréias do filme de Rob acabou e nós pudemos voltar de vez para casa, eu tive que engolir em seco e receber meus pais, já que minha mãe fez questão de pegar o primeiro vôo para Los Angeles, assim que soube do fato...

- Você tem certeza que ele não vai me matar enquanto estivermos dormindo?
- Tenho, Rob. Meu pai não é psicopata que nem Michael.
- Olha só, essa é a questão. Você imaginava que Michael groupie seria capaz de matar alguém?

Pensando daquela forma, eu realmente não podia sequer imaginar que o idiota do groupie fosse capaz de algo tão sádico. E no momento em que pensei nele, me arrependi amargamente, pois sempre sentia calafrios e nó no estômago quando fazia isso.

- Desculpa, você está bem?
- Só não fale nesse nome de novo, Rob.
- Feito.

Chegamos na sala, onde meus pais estavam, sentados no sofá com pompa como se fossem visitas ilustres ali. Quando minha mãe me viu, a primeira coisa que fez foi fitar diretamente minha barriga.

- Quantos meses?

Mais direta impossível! Olhei para Tom, que felizmente tinha concordado em estar presente nesse momento para me salvar do interrogatório. Ele revirou os olhos com a pergunta da minha mãe e começou uma cena.
- Certo, depois vocês não poderão reclamar quando eu tiver uma crise depressiva braba. Anos sem nem ao menos me fazerem uma visita e quando finalmente estamos juntos, vocês só querem saber da Kristen!

Rob me olhou e aproximou-se de meu ouvido para cochichar exatamente a mesa coisa que eu estava pensando.

- Isso é mesmo fingimento do Tom ou tem um fundo de verdade aí?

Segurei a risada que quis sair e mantive a postura, vendo a cena dramática de Tom aterrorizar meus pais.

- Querido, não sabia que se sentia dessa forma.
- Eu me sinto. Incompreendido e esquecido.
- Nós só nos preocupamos mais com sua irmã, porque ela é uma menina ainda...

E eu detestava quando eles se referiam a mim como uma criança. Aquilo fazia eu me sentir... sei lá.. . incapaz. Achei que o assunto de Tom fosse durar e eu seria livrada do interrogatório, mas meu pai não deu corda para meu irmão.

- Kristen, você foi ao médico?

Pronto, os olhos voltaram-se na minha direção e eu era novamente o centro do universo. Respirei fundo e confirmei com um gesto tímido de cabeça.
- E o que ele disse? É uma gravidez sadia?
- Acho que sim.
- Acha? Você não tem certeza, minha filha?
- Mãe, não precisa fazer tempestade em copo d’água. Está tudo bem.

Ela fez uma cara azeda, daquelas que dizia que não estava satisfeita com minhas palavras. Eu merecia um crédito, né? Afinal, era uma mãe de primeira viagem e até então estava me saindo super bem.

- Você não me respondeu quando perguntei quanto tempo de gestação.
- Ah. São... 5 ou 6 semanas.
- São 6 semanas já.

Rob me surpreendeu me corrigindo com tanta convicção. Olhei para ele, que parecia irradiar um brilho dos olhos toda vez que me olhava e sorri, segurando em sua mão que agora estava sobre minha barriga.

- Tudo bem, seu pai e eu ficaremos aqui até a próxima consulta. Eu quero estar presente para poder fazer algumas perguntas ao obstetra.
- Mãe, não precisa...
- Você está querendo me privar do meu primeiro neto?

Oh. Aquele era um caminho definitivamente cheio de minas. Era bom não avançar muito, então apenas mudei de assunto.

- Os fãs estão sendo bem receptivos.
- Você não tem que pensar nos fãs num momento desse, Kristen. Pense no seu bebê.
- E eu achava que Hitler estava morto.

Tom alfinetou enquanto tomava um gole de cerveja.

0 comentários :

Postar um comentário