Kiss Me II - Capitulo 3


Capítulo 3.


[...]
Sentia meus olhos inchados quando acordei e olhei para a claridade que entrava no quarto. Virei o rosto para ver que Rob não estava mais na cama e levei minhas mãos ao rosto, tampando-os e suspirando. As lembranças da noite anterior correram pela minha cabeça e me fizeram sentir um bolo no estômago. Não, não era de nervoso e sim... OMG!

- Kiki, o que foi?

Tinha ido preparar um café da manha para minha noiva linda e quando voltei para o quarto pude vê-la levantar da cama correndo e entrar no banheiro. Ela não me respondeu e eu só tive tempo de colocar a bandeja com a comida em cima do móvel e ir atrás dela.

- Amor, você está bem?

Ow. Não, ela não estava nada bem. Encontrei Kristen ajoelhada de cara para o vaso sanitário, vomitando toda a comida da noite anterior. O medo percorreu todo o meu corpo quando eu liguei os fatos. Quem vomita é mulher grávida. Ela quando viu que eu estava presenciando a cena, me empurrou com uma mão, mas nem força ela tinha para isso. Tratei de socorrê-la, segurando para o alto seus cabelos e me ajoelhei por trás dela, envolvendo sua cintura com outro braço.

- Eu estou aqui, ok? Não vou sair.

Ela me olhou e revirou os olhos, resmungando alguma coisa logo em seguida e então, abaixou a cabeça para vomitar mais. Era horrível ver seu corpo reagindo daquela forma e não poder passar para mim, eu me sentia de mãos atadas. Quando Kiki parou com o vômito, ajudei-a a levantar e ela fez questão de lavar a boca na pia.

- Acha mesmo que vou te deixar... ficar perto de mim... com a boca fedendo?
- Eu amo o fato de você não perder o humor nem nesses momentos.

Beijei sua testa, me escangalhando de rir e finalmente a peguei no colo para voltar à cama.
Rob era sempre perfeito, até mesmo quando eu vomitava na frente dele. Passei a mão em seu rosto e vi uma bandeja linda com frutas e suco em cima do móvel.

- Você preparou meu café?
- Hum. É. Mas não olhe para lá, senão pode enjoar de novo.

Ele piscou para mim e beijou minha boca, fazendo-me empurrá-lo com a força que eu não tinha.

- Ew, Rob! Eu acabei de vomitar!
- Mas lavou a boca logo depois, esqueceu?
- Mesmo assim...

O que ele estava fazendo? Rob estreitou os olhos e passou a língua pelos lábios, balançando negativamente a cabeça.

- Não. Não sinto gosto de vômito. Podemos nos beijar agora?

Um dos travesseiros eu joguei em cima dele e outro eu peguei para tampar meu rosto, pois não queria dar o braço a torcer e mostrar que estava rindo. Muito. Rob puxou o travesseiro de mim e sorriu lindamente, passando uma mão pelos cabelos.

- Está melhor?
- Não.

Eu respondi e ri da piada que era minha vida. Estava mesmo me sentindo super enjoada e fui convencida por ele a tomar um banho e me arrumar para ir ao médico. Quando estava escolhendo uma roupa, sentada no chão do closet, senti Robert chegando por trás.
- Então, onde é o médico?
- Não sei, me diga você.
- Como assim, Kiki?

Virei de costas para olhá-lo e dei de ombros. Não estava entendendo aonde ele queria chegar com aquela conversa. Rob me olhava confuso também.

- Bem, se é você que vai me levar ao médico, não seria então você a saber o endereço?
- Ficou louca, Kiki? O médico é seu, não meu!
- Meu? Quem?

Rob arregalou os olhos e agachou na minha frente, segurando meu rosto com as duas mãos. Ele agora parecia visivelmente transtornado.

- Amor, diz para mim que você tem um médico.
- Hum... de qual especialidade?
- Ginecologia, Kiki!
- Certo, não precisa aumentar o tom de voz. E... não, eu não tenho.

Respondi super sem graça e vi Rob revirar os olhos e se jogar de costas no chão, com as mãos na cabeça. Nossa, quanto exagero! Depois dizem que grávidas é que são estranhas.
- Eu não acredito que você não tem ginecologista!
- Acredite.
- Kiki, esse tempo todo... Você...
- Está bem, não precisa ficar me fazendo essas perguntas. Eu não tenho e pronto. Fim de papo.

Levantei e saí do closet só com a toalha enrolada no corpo. Pelo visto eu nem precisaria me vestir, já que não tinha médico algum para visitar. Rob veio logo atrás, bufando e sentou na beira da cama, apoiando os cotovelos nos joelhos e segurando a cabeça.

- Eu achava que ao iniciar sua vida sexual, você fosse procurar um médico, né? Geralmente é o que as garotas fazem...
- Eu não sou "as garotas". Eu sou a Kristen.
- Complicada e perfeitinha, né?

Ele sorriu torto e esticou a mão, me puxando pela toalha e me colocando entre suas pernas. Sua cabeça encostou na minha barriga e eu o senti suspirando, enquanto alisava meu quadril.

- Que tal você ligar para Ash e pedir uma ajuda a ela?
- Acalmou?
- Mais ou menos. Mas não me conformei com isso. Liga para a Ashley...
- Ash? Nem morta! Ela vai contar ao Tom. Eu sei para quem ligar, já volto.

Dei um beijo na cabeça dele e saí de perto, indo em busca do meu celular. Para situações como essa ou como qualquer outra, eu pensava imediatamente nas meninas. Sim, elas. A LCF.
Mandei Rob sair do quarto e ir procurar algo para fazer enquanto eu falava no telefone. Fechei a porta quando ele saiu, me obedecendo e quando achei que fosse poder ficar sozinha, sinto um negócio estranho no meu ombro.

- Ahhh!
- Ahhh digo eu! Ahhh!- Bené, quer me matar?
- Eu? Quem foi que gritou no meu ouvido? Fui eu? Não! Foi você! Kiki, sabia que o coração de um aracnídeo é extremamente menor do que o de um humano? Isso significa que um grito desse pode perfeitamente me fazer enfartar!
Me perdi logo no início do discurso dela. Onde Bené aprendia essas coisas? Ela saiu de cima de mim, enroscando-se na sua teia pendurada no teto e suspirou.

- Sou incompreendida mesmo.- O que quer, Bené? Preciso fazer uma ligação.
- Faz ué, estou te prendendo?- Não, está é me irritando.
- Pisa mesmo, Kiki, pisa. Fica me tratando assim, seu filho vai acabar nascendo com cara de aranha. 
Um pânico tomou conta de mim. Estar grávida já era um puta pesadelo, mas ter um bebê com apenas um fio de cabelo na cabeça e dois olhos esbugalhados, isso era a treva[N/A: créditos para a novela rsrsrs]

Fiz um sinal para que ela calasse a boca e disquei para uma das meninas.

- Kristen?- Eu! Tudo bem?
- Tudo ótimo! O que conta de novidade? Já sei! Vai me convidar para ser madrinha do casamento?
Bem, isso era algo que eu ainda não tinha falado para ninguém, mas a minha intenção era sim que todas as LCF's fossem madrinhas. Afinal, elas tiveram o dedo nessa minha história com Rob desde o comecinho. Mas não, esse não era o momento para dar a notícia.
- Eu preciso de ajuda. Tem algum ginecologista para me indicar? Tipo, para hoje?
- Tenho o meu, né? Serve?- Se você se consulta com ele e indica, serve, claro! Mas... é homem?
- É, tem problema com isso? 
Merda. Lógico que tinha problema. Robert teria crise de ciúmes no consultório. Chutei o balde e resolvi que seria esse mesmo. Eu não estava exatamente em condições de escolher médico. Peguei telefone e endereço com ela e em seguida liguei para o consultório. Bené descia e subia pela sua teia, prestando atenção em tudo que eu falava. Quando eu desliguei o celular, ela abriu um sorriso louco.

- Tomara que seja uma menina!
- Bené, eu não quero estar grávida...

Falei sinceramente para ela, me sentando na cama e pensando na minha vida. Isso era uma tragédia.

- Já ligou, Kiki?

Rob abriu a porta, colocando a cabeça para dentro, provavelmente com medo que a grávida com hormônios em ebulição surtasse.

- Já. Consegui marcar uma consulta para daqui a pouco. E ele cobra o olho da cara.
- ELE?
- É, Rob. Ele. Acostume-se.

Fui me vestir e deixei ele conversando com Bené. Essa cena era sempre hilária, pois eu sempre lembrava em como Robert me chamava de louca quando eu dizia que conversava com uma aranha.

- Quer que eu vá com vocês, amigão? Porque tipo, ele vai ver como eu sou linda e nem vai ter olhos para a "aranha" da Kiki.- Porra, Bené! Terei pesadelos!

Eu comecei a rir quando olhei para trás e vi Rob sair correndo do quarto. Bené deu de ombros e enrolou-se novamente na teia, indo na direção da varanda.

- Povinho super mal agradecido...
Demorei um pouco para acalmar a fera e fazê-lo entender que nós não tínhamos opção. Era esse e pronto. Quando estávamos já no carro, indo para o consultório, meu celular vibrou e vi que era mensagem da menina da LCF.

"Eu só esqueci de te avisar que ele é meu médico justamente por ser um tesão! Boa sorte ;)"
OMG.

- Quem é?
- Ninguém. Só uma mensagem...
- Sobre?
- Meteorologia.

Rob me olhou com cara de "mas que porra é essa?" e eu apenas dei de ombros, me fazendo de desentendida. Isso não seria legal, o médico precisava mesmo ser gato? Se Rob já estava contrariado com a masculinidade do cara, ele ficaria agora puto com a descoberta. Deletei a mensagem e gemi, levando a mão até a testa.

- Oh amor... Estou me sentindo mal de novo, acho melhor cancelarmos a consulta...

O meu tiro saiu literalmente pela culatra, pois vendo a minha cara de sofrimento, Robert pisou no acelerador.

- Nada disso! Vamos é chegar mais rápido para tratar logo de você!
Puta. Que. Pariu. Fechei os olhos e deixei a coisa toda fluir, me preparando para o estresse que estava todo por vir. Chegamos ao endereço indicado e subimos pelo elevador. O consultório era classudo e espaçoso e tinham poucas pessoas ali esperando pelo atendimento. Acho que eu deveria ser a 3ª da fila.

- Você por acaso reparou na cara das garotas? Tudo piriguete.
- Rob.

Ele falou ao meu ouvido quando nos sentamos e eu morri de medo que alguma delas tivesse escutado. Bem, se isso incomodava-o, ele deveria saber que também me incomodava demais o fato dele estar sendo comido com os olhos. De todas. Fechei a cara e cruzei meus braços, evitando prestar atenção nisso. Ignorei também a recepcionista ter pedido autógrafo para ele.

- Srta. Stweart?

OMG. O ginecologista aparece chamando meu nome e eu fiquei sem palavras. Ele era gostoso.

Ginecologista da Kiki
Eu entrei de pernas bambas no consultório do gosto... digo, ginecologista sarado e... digo, da porra do maldito médico, cacete!

- Boa escolha, Kiki.

Rob sussurrou em meu ouvido enquanto apertava a mão do gost... digo, do médico sorridente.

- Eu conheço vocês dois de algum lugar...
- Provavelmente.

Meu noivo falou com aquela cara que ele sempre fazia quando estava prestes a ser reconhecido. Até hoje eu não entendia o que tinha levado Rob a ser ator, pois ele era bem introspectivo e ficava envergonhado com tanta atenção. O mé-di-co nos olhou ainda confuso e balançou a cabeça negativamente.

- Não, não consigo lembrar. Eu sei que os conheço, mas não sei de onde exatamente.

Uau! Existia uma pessoa nesse mundo que não conhecia a febre Twilight. Meu queixo caiu e me senti muito mais confortável por isso. Ele me veria apenas como uma paciente qualquer. Tirando o fato de eu ser gata, claro.

- Então... Kristen. O que a traz aqui? Exames de rotina?
- Nós achamos que Kiki esteja grávida.

Eu nem consegui responder. Meu homem quis mostrar quem era o dono do território e saiu falando na minha frente. Fiquei vendo a hora que Rob levantaria a perna e faria xixi em mim.
Precisei responder umas perguntas básicas, rotineiras mesmo de qualquer médico e depois ele me mandou trocar de roupa e ir para a maca. Quando eu olhei a bichinha, não fiquei muito feliz com umas drogas de uns troços meio que para o alto. O que era aquilo?

- Amor, não gostei dessa maca...
- Nessas horas é que eu agradeço por não ter nascido mulher.
- Obrigada pelo apoio, querido.

Poderia até dar um tapa em Rob, mas meu estado não estava muito agradável. Eu voltei a sentir uma leve vontade de vomitar e parei, apoiando-me na maca.

- Está tudo bem, Kristen?
- Não.

Respondi ao médico, que fez uma leve pressão em meu pulso. Ele parecia estar medindo minha pressão ou algo do tipo e felizmente eu logo me recuperei, sem precisar vomitar. Respirei fundo e levantei a cabeça, me sentindo pálida. Pela cara de preocupação de Rob, eu não devia estar muito bonita agora.

- Vamos aos exames, ok? Mas eu te dou quase certeza que você está grávida sim.

Suei frio quando ele praticamente confirmou minha gravidez e foi preciso que me colocassem em cima da maca, já que meus pés não quiseram sair do lugar. Quando o médico gost... digo, profissional estava prestes a me ajudar a subir, Rob veio que nem bala e me pegou no colo. Tão amoroso, né?

- Pronto, sentadinha aí.

Ele falou com sua cara cínica e eu não consegui evitar de rir. Acabei gargalhando por saber que Rob estava se roendo internamente por ciúmes do bonit... digo, médico. Meu ginecologista sorriu para Rob e deu um tapinha em seu ombro.

- Na verdade, a Kristen precisa deitar e colocar as pernas aqui em cima.

Eu vou socar a cara desse homem até tirar todo o sangue que ele possui! Precisei fincar meus dedos no colchão duro da maca e respirei fundo. Kiki precisava ser consultada, eu não poderia fazer com que fôssemos expulsos do consultório. É por uma boa causa, Rob. É sim.

- Você não tem como examiná-la assim, desse jeito?
OMG, que mico era esse que Rob estava me fazendo pagar? O ginecologista o olhou com uma sobrancelha arqueada e sorriu.

- De pernas fechadas?
Fato. Eu nunca mais traria Rob comigo em consulta nenhuma! Nem se fosse para ir ao otorrino! Suspirei e o olhei de canto de olho, mostrando que não estava satisfeita com aquela atitude dele.

- Fiquem tranquilos os dois. É apenas um exame de rotina.

O médico falou, provavelmente se perguntando de onde tinham saído os dois lunáticos em questão. Eu e Rob. Eu movi meus pés, tentando pensar em outras coisas que não fossem "estou abrindo as pernas para um desconhecido... gostoso, mas desconhecido".

- Amor, você está bem?

Perguntei ao meu noivo quando vi que ele evitava de olhar para a cara do meu ginecologista. Mas o que me chamou a atenção era o fato dele estar ficando azul. Suas mãos estavam grudadas no colchão e eu conhecia-o muito bem para saber que ele estava se segurando para não meter a porrada no meu médico. OMG, anda logo com isso, moço!

- E então?

Eu perguntei depois de alguns segundos de exame. Segundos esses que eu queria abolir da minha mente, pois não era nada legal ser invadida desse jeito.

- No final eu falarei.
- Ok.

Assobiei e tentei fazer Robert relaxar, mas nada.

- E então?
- Kiki, você fez a mesma pergunta não tem 1 minuto.
Eu ia responder ao Rob, por ele estar me fazendo sofrer tanto e pagar tanto mico, mas meu médico riu de nós dois e terminou o exame, levantando-se em seguida e tocando de leve em meu joelho.

- Pode levantar e trocar de roupa, Kristen.

Nem pensei duas vezes. Fiz o que ele mandou e imediatamente já saí com minha roupa de dentro do banheiro e fui me sentar ao lado de Rob, que agora batia as pernas uma na outra. Nervoso?

- E então?

Céus, eu só tinha essas palavras no meu vocabulário? Mordi minha boca para não me deixar perguntar isso de novo e olhei ansiosa para meu médico.

- Kristen, estou passando um exame de sangue para você fazer amanhã. O nome é Beta HCG e imagino que você já tenha ouvido falar dele.
- Aham.
- Ela está ou não está grávida, doutor?
- Pode me chamar apenas de Eric.

Eu estava impaciente. Muito.

- Será que os dois podem parar de galanteios e me deixar descobrir se estou ou não?

Meu gost... médico gargalhou e olhou para Rob. Ele em seguida apontou a mão para mim.

- Há dúvidas que ela esteja?

OMG. Eu estava tão chata assim? Apertei a mão de Rob e notei que ele estava mais gelado do que o próprio conde Drácula.

- Bem, pelo exame de toque, eu já sei que você está grávida sim. Mas como o certo é sempre mandar as pacientes fazerem o exame de sangue, então eu estou te receitando. Também é pelo exame que iremos saber o tempo que já tem de gestação e tudo mais...

Eu ia mesmo ser mãe? Me deu vontade de chorar, de medo e emoção, mas fiquei quieta e me controlei.

Olhei para Kiki e vi que ela estava soluçando.

- O que foi, amor?

0 comentários :

Postar um comentário