O Pianista - Capitulo 35


{Pov. Edward}
–Isabella Swan, quer ser minha esposa? – me ouvi dizendo em frente todos os meus expectadores, toda a minha família, a família de Bella.
Ela praticamente congelou e sorri estendendo as mãos para ela, e vi o moleque a cutucar e ela me olhava, depois começou a olhar para todos. A situação não era das melhores.
–Bella? – tentei chamar sua atenção, e ela voltou-se para mim, meu coração parecia explodir quando ela veio até o palco e segurou minha mão.
Sorri enquanto tirava a pequena caixinha, onde havia o anel que escolhi pensando nela, e me ajoelhei diante de minha menina.
–Isabella Swan, case comigo, e me faça o homem mais feliz do mundo. – Bella deixou uma lagrima escorrer por sua bochecha.
–Sim. – ela sussurrou e fiquei de pé e coloquei o anel em seu dedo, a vi admirando a aliança, e sorri a abraçando, beijei seu pescoço, sentindo seu cheiro.
–Sabe que vou te matar não é? – eu ri, já imaginava sim, rocei meus lábios nos dela e a apertei com força.
–Claro que eu sei. – murmurei contra sua boca e a beijei com ardor. Todos aplaudiram, mais o a voz de Tia Esme nos fez se soltar.
–O Meu Deus. – olhamos a cena, a mãe de Bella estava desmaiada e o pai dela debruçado sobre ela.
Bella me olhou desesperada e segurei sua mão a levando para onde seus pais estavam.
–Vamos leva-la a meu camarim. – falei e vi o pai de Bella me fulminar com o olhar.
Ok acho que Emmett tinha razão, eu não estarei vivo para casar com Bella.
O pai de Bella pegou a mãe dela no colo, e eu ainda segurando a mão de Bella indiquei o caminho. Todos nos seguiam, o que foi bom.
Com tantas testemunhas eu estava a salvo. Por enquanto pelo menos. Bella apertou minha mão com força, e sorri para ela.
–Tudo vai ficar bem. – murmurei e ela me olhou preocupada.
–Como?
–Eu nunca vou te deixar. – falei sabendo que era o medo dela, e ela me deu um pequeno sorrido.
–Sim, tudo ficara bem.
Assim que chegamos ao camarim, abri a porta e Charlie colocou Renne em um enorme sofá que tinha no canto. Carlisle foi até ela vendo seu pulso, mais minha visão foi obstruída quando Charlie Swan me encarava.
–Pai. – Bella o chamou mais ele ainda me olhava, e dei um passo para trás.
–Sr. Swan, sei que o certo deveria ser pedir ao senhor primeiro, mais eu e Bella gostaríamos muito de sua benção. – falei sorrindo, e Bella apertou com força minha mão.
–Pai...
–Isabella como pode?
–Pai deixa eu explicar.
–O que, que se deixou se levar por esse homem.
–Não foi assim Sr. Swan. Eu amo Bella.
–Acha que eu não sei que ela não passa de distração para homens como você. Assim que tiver outro concerto, a deixara e arrumara uma nova noiva em outra cidade ou pais. – senti Bella enrijecer e apertei sua mão.
–Isso nunca vai acontecer. Se tiver outro concerto eu a levo comigo.
–O que? Nunca irei permitir.
–Ela será minha esposa.
–Uma ova. Minha menininha não ira se casar.
–Pai...
–Charlie? – a voz da mãe de Bella, nos fez ficar em silencio e Bella e seu pai correram para ela.
–Mamãe esta bem?
–Renne queria como se sente?
–Oh eu tive um sonho muito estranho. Nossa Bella tinha sido pedida em casamento.
–Ah mãe...
–E por um musico famosíssimo.
–Renne...
–E ele era lindo. – acabei rindo, mais me calei quando pai de Bella me olhou feio.
–Mãe não foi sonho. – para surpresa de todos Renne se sentou de repente.
–Oh minha menininha vai casar? Que emoção.
–Mãe?
–Renne?
–Esme não é maravilhoso. – tia Esme sorriu.
–Esplendido.
–Renne...
–Oh temos que ligar para o melhor estilista de Nova York, seu vestido querida será o melhor de todos.
–Mais Renne...
–E a festa será grandiosa. Quero que esse casamento seja inesquecível.
–Mais Renne, não pode...
–Oh Edward venha aqui, dar um beijo na sua sogra.
–Renne? – Charlie Swan estava indignado, mais sua mulher parecia nem ligar.
Eu dei de ombros e fui, ela sorriu e me abraçou. Eu retribui e vi Bella de boca aberta.
–Ah já decidiram aonde será a lua de mel?
–Ainda não. Terá que me ajudar nisso. – falei sorrindo, e ela se animou toda.
–Oh eu vou adorar.
–Tia Renne, posso ajudar? – perguntou Alice empolgada e eu ri.
–Mais é claro. Oh Esme seremos família de verdade agora.
–Verdade Renne. Eu sempre amei Bella, mais tê-la na família será maravilhoso.
–É meu amigo, estão todas contra você. – falou Carlisle colocando a mão no ombro de Charlie que virou para mim com os olhos crispando de ódio.
–Ah eu vou matar esse moleque.
PQP, o velho tava vindo pra cima de mim. Foi uma algazarra. Carlisle e Emmett tentaram afastar Charlie, e Bella estava desolada.
Sua mãe brigava com Charlie dizendo que não queria que sua filha fosse viúva tão cedo. Aproveitei a confusão e peguei Bella pela mão, saindo do camarim e ficamos do lado de fora.
–Desculpe. – ela suspirou e me abraçou.
–Que confusão. – eu afaguei seus cabelos e beijei sua testa.
–Eu só queria mostrar a todos que eu não estava brincando com você. Que eu realmente quero me casar com você Bella. – ela sorriu e ficou nas pontas dos pés e escovou seus lábios nos meus.
Agarrei sua cintura a levantando para que eu não precisasse me curvar, e ela sorriu agarrando meus cabelos enquanto eu aprofundava o beijo.
Ela gemeu contra minha boca, e suspirei sentindo seu corpo pequeno e quente colado ao meu.
–Ah minha menina, queria te despir e te fazer minha agora. – ela sorriu contra minha boca e se afastou distribuindo beijos por todo meu rosto.
–A culpa é sua. Eu ia lhe apresentar como meu namorado, e depois escapulir para nossa casa. – rosnei e ela riu beijando minha boca, e mordiscando meu lábio.
–Por que não me disse?
–Queria que fosse surpresa. – eu fechei os olhos apreciando seus beijos.
–Mais agora a terei para sempre. Será que seus pais ficariam chateados se eu a levasse para casa agora mesmo? – ela riu.
–Com certeza amor. – eu sorri e olhei seu lindo rosto corado, seus lábios inchados por conta dos beijos.
–Vai mesmo se casar comigo? – ela seu um lindo sorriso.
–Claro que sim.
–Vai enfrentar tudo por mim?
–Sim. Eu sei que duvidei que você não lutaria por mim. Mais eu percebi hoje que eu fui muito idiota em duvidar de você. – eu sorri.
–Eu te amo Bella, eu nunca amei ninguém, nunca ninguém foi tão importante para mim. Você é todo meu mundo. – ela sorriu e beijou meus lábios com calma e carinho.
–Você também Edward. Eu já não sei viver sem você. Nunca vamos nos separar.
–Hummm, eu gosto desse plano. – ela riu e me abraçou apertado.
Ouvimos a porta se abrir e o primo de Bella colocou a cabeça para fora. Bella sorriu para ele, e eu fiz uma careta.
–Jake o que houve?
–Seu pai já vai.
–Oh. – ela começou a se afastar, mais eu a abracei mais apertado.
–Sua tia Esme esta tentando convence-lo a deixar você dormir na casa dela.
Sorri para Bella, que riu baixinho. Ficamos abraçados e vimos os pais de Bella saindo, Charlie estava carrancudo e Renne esbanjando alegria.
Ela ia parar para falar conosco mais foi arrancada por seu marido. Tia Esme sorriu para nos, assim como Carlisle.
–Bella eu já vou. Estou de carona com seus pais. – falou o moleque e Bella sorriu.
–Thau Jake.
–Até Sr. Masen.
–Até. – falei de mal gosto e Bella me deu uma cotovelada.
–Eu disse que ele ia te matar. – falou Emmett rindo e Bella e eu fizemos cara feia para ele.
–Emmett comporte-se. – exigiu Rosalie e sorriu para nos.
–Parabéns Bella e Edward. – Bella sorriu e segurou as mãos de Rose.
–Será uma das minhas madrinha não é? – Rosalie ficou sorrindo como boba.
–De verdade?
–Claro, a considero uma amiga. – elas sorriram e se abraçaram.
–E eu serei a outra. – falou Alice saltitante e Bella riu.
–Opa festa, serei o padrinho né Edward? – falou Emmett animado e ri.
–Claro amigo. – ele sorriu satisfeito.
–E jasper será o meu. – falou Bella e o namorado de Alice sorriu.
–Irei adorar Bella.
Continuamos fazendo planos, até tia Esme decidir que seria melhor dormimos na sua casa. Eu concordei, contanto que Bella ficasse no meu quarto.
Esme concordou e fomos Bella e eu no meu carro. Me despedi de Emmett e amanha conversaríamos sobre meus próximos concertos, e se eu poderia tirar umas férias, para meu casamento.
Ele prometera ver isso na primeira hora amanha. Entrei no meu carro, e Bella estava sentada comigo, sua mão na minha.
–Esta preocupada amor? – ela suspirou.
–Um pouco. Meu pai ainda não aceitou a idéia.
–Ele vai ver que eu realmente vou me casar com você e vai aceitar.
–Espero que sim.
Eu sorri para ela. Espera que o pai dela, não fosse muito difícil. Não queria me casar com ela, sendo que seu pai ficaria contra nos.
A ouvi suspirar e fitei a estrada. Eu ia fazer esse velho turrão me aceitar como genro nem que fosse a ultima coisa que eu faça.
E ao lembrar da careta assassina do pai de Bella, talvez seja mesmo.

1 comentários :

ahahahhahahahaha ameiiiiiii ri muitooooo QUEROOO HOT HOT HOT

28 de novembro de 2011 15:02 comment-delete

Postar um comentário