O Pianista - Capitulo 34


Assim que o carro estacionou em frente ao teatro meu estomago revirou, meu pai sorria e minha mãe estava feliz. E eu tava ferrada.
Mais tinha que ser hoje, eu não podia mais mentir para meus pais, e sabia que Edward odiava que eu o escondia. Era o certo a fazer, mesmo que eu estivesse aterrorizada.
Meu pai entregou o carro ao manobrista, e fomos para o hall to teatro, que já estava lotado, varias pessoas se serviam de bebidas em um bar, e outras olhavam algum folheto, devia ser a programação das musicas que Edward iria tocar.
Afastei-me de meus pais, que foram em direção ao bar pegar um drinque, e peguei um dos folhetos, havia todas as musicas que ele iria tocar, e a ultima estava em branco.
–Parece que Masen, vai estrear uma nova composição hoje. – ouvi um casal falando e sorri mordendo o lábio.
–Ai esta você. – ouvi a voz familiar, quando a mão enorme tocou meu ombro e sorri.
–Ola Emmett. – ele sorriu e me beijou na bochecha.
–Esta um arraso. Deixa só Edward te ver. – eu ri.
–E onde ele esta?
–No camarim. Quer ir lá? Ainda falta meia hora para o concerto. – mordi o lábio e olhei em direção ao bar, meu
s pais estavam lá conversando com um outro casal, e dei de ombros nem iam notar que sumi.
–Claro. – ele sorriu e me abraçou pelos ombros, me levando para baixo da escadaria que levava ao palco, onde havia uma porta. Passamos por um longo corredor, e paramos em frente a uma porta com o nome de Edward.
Emmett bateu, e sorriu para mim.
–Masen, tenho uma surpresa para você.
–Entre. – sorri ao ouvir a voz de Edward, e Emmett abriu a porta e me empurrou para dentro, a fechando logo em seguida, não sem antes gritar.
–Divirta-se. – quando ele me olhou eu estava corada, mais não pude deixar de olhar para ele.
O camarim, era enorme, uma sala, com alguns sofás e poltronas, havia uma mesa, com bebidas e algumas comidas, assim como um tipo de penteadeira com um espelho enorme, mais minha visão estava totalmente bloqueada para Edward.
Edward estava lindo em um smoking preto, com camisa branca e gravata borboleta, e um cravo branco na lapela.
–Nossa. – ele riu e se aproximou de mim. Vi que ele olhava meu corpo e corei mais.
–Nossa mesmo. – mordi o lábio, e ele beijou minha garganta.
–Edward. – sussurrei e ele sorriu contra minha pele.
–A que devo sua surpresa? – ele se afastou, mais sem me soltar, só para olhar em meus olhos.
–Só vim desejar sorte. – ele avaliou meu corpo de novo.
–Se você prometer se vestir assim para mim mais tarde, já me considero com sorte.
–Edward! – falei rindo, e ele sorriu malicioso.
–Ah minha menina, se soubesse como esta apetitosa. Pena termos só alguns minutos, ou eu a pegaria de jeito agora mesmo. – mordi o lábio.
–Ainda temos tempo. – ele negou e roçou o nariz por todo o meu pescoço me fazendo estremecer.
–Ah não, o que eu quero fazer com você levaria algumas horas. – eu ri e o abracei pelo pescoço.
–Para um beijo de boa sorte da tempo? – ele assentiu e roçou seus lábios nos meus, fechei os olhos, sentindo meu corpo inteiro vibrar, e gemi baixinho quando ele mordiscou meu lábio, e em seguida introduziu sua língua em minha boca.
Agarrei seus cabelos, e suguei sua língua, o ouvindo gemer na minha boca, as mãos dele desceram pelo meu corpo, apertando minhas curvas e ele tocou minha bunda.
–Masen 5 minutos. – ouvimos a voz de Emmett e ele rosnou, e eu ri. Dei um selinho nele e nos afastamos.
–Boa sorte amor. – falei beijando sua bochecha, e ele sorriu.
–Vai estar na primeira fila não é?
–Sim. Por quê? – perguntei estranhando sua pergunta e ele sorriu travesso.
–Nada, só quero que esteja perto quando tocar sua musica. – eu sorri e deu um beijo rápido nele já saindo pela porta, quando voltei a olhar para ele.
–Edward.
–Hummm?
–Você vai ter que se vestir assim pra mim, mais tarde também. – falei rindo e ele bufou.
–Ah sua provocadora. – assim que abri a porta vi Emmett na porta e ele enfiou a cabeça dentro da sala, e olhou para Edward rindo.
–Da um jeito nesse cabelo, ou todo mundo vai saber que você recebeu visita no camarim.
–Emmett. – Edward bufou e eu estava corada, ele riu e enlaçou meu braço de novo, e me levou pelo mesmo caminho para o hall.
–Obrigada Emmett.
–Tudo para ver nosso astro feliz. – eu ri.
–E onde esta Rose? – ele olhou em volta.
–Ah ali, falando com a tia de Edward e aquele casal eu não conheço. – olhei para onde ele olhava, e vi tia Esme e Carlisle, Alice, Jasper e Jake um pouco mais afastado, e conversando com Rose e os tios de Edward meus pais.
–Oh Merda!
–Que foi?
–Será que a Rose diria algo sobre mim.
–Acho que não. Por quê?
–São meus pais ali.
–Oh Merda! – Emmett e eu corremos para lá, e vi Rose me olhar e sorrir.
–Olha a garota do...
–Rose amor, quem são seus amigos. – olhei em pânico para tia Esme, que estava tão nervosa quanto eu. Meus pais não notaram nada de errado graças a Deus.
–Bella aonde estava?
–Banheiro.
–Quero que conheça a Sra. Rosalie MacCart, ela é esposa do agente do Sr. Masen.
–Sou eu mesmo. – falou Emmett sorrindo e cumprimentou a todos e abraçou Rose pela cintura que me olhava confusa.
–Ola Sra. MacCart. – falei seria, e ela me olhou estranho, implorei com os olhos que ela não dissesse nada, e vi Emmett beijar seu ouvido sussurrando algo.
–Prazer Bella. – ela falou rapidamente entendendo tudo e suspirei aliviada.
–Oi Tia, tio. – eles sorriram para mim.
–Ola querida parabéns.
–Obrigada.
–Sinto sua falta Bells, não tem quebrado nada. – eu ri alto.
–Estou em uma maré de sorte.
–Parabéns miga. Seu presente eu dou amanha.
–Obrigada Alice.
–Parabéns Bella. – falaram Jasper e Jake ao mesmo tempo.
–Obrigada rapazes. – falei sorrindo e Rosalie sorriu para mim.
–Seus pais, estavam me dizendo que é seu aniversario?
–Pois é 18 anos, sou adulta agora.
–Já pode até casar. – falou Jake se metendo na conversa e olhei feio para ele que riu.
–Não, Bella é muito nova pra isso, minha menininha tem que crescer ainda.
–Ah Charlie deixa de ser careta, a Bella já é mulher.
–Em que sentido você quer dizer mulher? – meu pai olhou feio pra mim, e corei. OMG ele sabe que eu não sou mais virgem?
–Ora Charlie, mulher sabe 18 anos, já é mulher.
–Pra mim ainda é criança.
–Não sou não. – falei seria e ele me olhou estranho.
–É sim Bella, espero que faça faculdade antes de sequer pensar em casar. – vi Emmett engasgando com a bebida, e Rose bateu nas costas dele.
–Calma amor.
–Desculpe, eu lembrei de uma piada.
–Mesmo qual? – falou minha mãe animada. Emmett franziu o cenho como se pensasse.
–Hã, é sobre um homem que descobriu que sua filha ia se casar com um cara mais velho, e o pai matou o cara. – olhei de olhos arregalados para Emmett, alias todos olhavam para ele assim, exceto meu pai.
–Concordo com esse pai. Minha menininha é muito nova pra pensar nessas coisas.
–Edward ta tão ferrado. – Emmett cantarolou e o olhei feio que sorriu mais.
–Amor não vi graça na piada. – falou Rose, encarando Emmett que deu de ombros.
–Mais tarde fazer vai fazer.
–O concerto começara em alguns minutos todos já podem entrar. – falou um homem de terno em frente à escadaria, e fomos todos para lá. Jake pegou meu braço, e seguimos mais atrás.
–Tem certeza que vai fazer isso hoje Bella?
–Eu não sei Jake, se viu o que meu pai disse.
–Ah qual é Bella, até parece que você vai anunciar o casamento com o Masen, você só vai apresentá-lo como seu namorado.
–Verdade. Talvez eles até gostem. Afinal Edward é um musicista famoso.
–Isso ai, pensa positivo.
–Valeu Jake, você é um ótimo amigo.
–É eu sei. Mais se seu pai matar o Masen, eu substituo numa boa.
–Jacob! – ele riu e formos para nossos lugares, eram todos na primeira fila.
Sentei-me ao lado dos meus pais, e ao meu lado Jake e depois Alice e Jaspe, ao lado deles Rose e Emmett e ao lado dos meus pais Tia Esme e tio Carlisle. Peguei meu folheto com as musicas, e Jake apontava dizendo quais eram mais bonitas.
Passou alguns minutos até todos estarem acomodados, e as luzes se apagaram, e no palco que havia uma gigante cortina roxa, se levantou, revelando o lindo piano de calda negro.
Uma luz de holofote parou na extremidade do palco, e ela se moveu acompanhando Edward que caminhava até o piano. Ele fez uma reverencia para a platéia e vi seus olhos nos meus.
Ele foi até o piano e sentou-se no banco, torceu os dedos, e sorriu torto antes de começar a correr seus dedos pelo teclado.
A musica melodiosa e complexa começou a ecoar pelo teatro gigante e vi-o sorrir de lado, enquanto tocava de olhos fechados. Como sempre Edward no piano era lindo.
Lógico que eu fiquei excitada ao ver seus dedos correndo velozes pelas teclas. Acho que nunca mais conseguiria ver um piano, sem ficar excitada, era automático já.
Passou-se uma hora e meia, desde que o concerto começara, e a cada musica eu ficava mais encantada. Ele tocava com alma, com o coração, as melodias ora eram dóceis, e te faziam suspirar, ora complexas e te faziam ofegar, e ora excessivamente tocantes, vi Esme secar uma lagrima.
Meus olhos não deixavam seu rosto, ou suas mãos um minuto sequer, ele estava glorioso, e quando ele tocou a ultima nota de uma musica das que te fariam chorar, ele ficou parado por alguns minutos.
Todos se concentravam nele, pois sabiam que era a nova musica que ele iria tocar. Mordi o lábio em expectativa, eu já amava a minha musica, mais ouvi-lo tocar na frente de todos estava me deixando nervosa.
Ele virou o rosto para platéia, mais eu notava que seus olhos estavam em mim, e ele não deixou de me olhar quando a primeira nota ecoou pelo teatro. E ficamos trocando olhares durante toda a musica, e quando ele acabou todo o teatro explodiu em aplausos.
Edward sorriu e se levantou, pegando nas mãos o microfone que ficava próximo ao piano, e ficou na minha frente.
–Obrigada a todos. – todos pararam de aplaudir para olhá-lo e ele sorriu mais e olhou diretamente para mim.
–Obrigada a todos por terem vindo e terem apreciado as musicas que compus para as pessoas que mais amo em minha vida. Meus pais que já se foram, minha tia que me deu amor, e essa nova foi para o amor da minha vida. – sorri e ele continuou me encarando, eu nem me importava se alguém percebesse, eu só conseguia sorrir para ele.
–A nova musica se chama “Doce inocência”, e a fiz, para a mulher que eu amo uma menina doce e inocente, gentil e meiga, que me ensinou que o amor, é maior que tudo, maior que os preconceitos, que a sociedade nos impõe. Essa musica é para a Isabella Swan. – OMG ele ta louco só pode, mais o pior veio depois.
–Isabella Swan, quer ser minha esposa?
OMG, OMG, OMG, OMG. Como se respira, eu acho que esqueci!
–Respira Bells. – senti Jake me chacoalhando, e voltei a olhar para o palco, Edward sorria torto e esticava a mão para mim.
Olhei em volta e todos me encaravam com os olhos arregalados. Meu pai tava branco, e minha mãe eu não tinha certeza. Esme e Alice sorriam, Emmett se segurava para não gargalhar, e Rose me olhava nervosa e Carlisle estava tão branco quanto meu pai.
–Bella? – a voz de Edward me acordou e olhei para ele que sorria e ainda estendia a mão para mim. Sem deixar de olhá-lo me levantei e caminhei até a escada na lateral, que dava acesso ao palco.
Ele me esperava lá e segurava a minha mão, fomos para o centro do palco, e ele sorriu mais, e tirou uma caixinha do bolso e se ajoelhou na minha frente. OMG ta ficando cada vez pior. Eu nem tinha coragem de olhar para meus pais.
–Isabella Swan, case comigo, e me faça o homem mais feliz do mundo. – ao ouvir suas palavras eu me esqueci do que estava acontecendo e senti uma lagrima escorrer pela minha bochecha.
–Sim. – falei simplesmente e ele sorriu ficando de pé e colocando o anel em meu dedo, sorri apreciando a aliança com um diamante enorme, e voltei a olhar para ele que sorriu e me abraçou beijando meu pescoço.
–Sabe que vou te matar não é? – ele riu baixinho e rosou seus lábios nos meus.
–Claro que eu sei. – e sem esperar mais nada me beijou com ardor, o teatro todo explodiu em aplausos...
–O Meu Deus. – ouvi alguém gritando e vi minha mãe desmaiada e meu pai tentando acorda-la.
Serio, eu tava muito, mais muito ferrada!

0 comentários :

Postar um comentário