O Pianista - Capitulo 11


OMG eu tava ferrada, olhei no relógio e já eram cinco e meia, terminei de me vestir o vestido que minha mãe comprou e as sandálias de salto preto, que eu usava só em ocasiões especiais. Ainda faltavam alguns minutos até à hora de ir até Edward e aproveitei para ir a cozinha estava com fome.
Fiz um lanche rápido, e fui até meu quarto pegar a mochila que tinha preparado com minha escova e uma troca de roupa, peguei a chave do volvo e desci as escadas.
Era lógico que minha mãe e meu pai me esperavam com uma câmera, sorri e tirei as fotos e agradeci os elogios dos dois. Meu pai me deu um beijo na testa.
–Juízo em.
–Pai!! – ele rolou os olhos.
–Ok, fique bêbada e agarre o primeiro atleta que você vir.
–Pai! – falei rindo e ele sorriu.
–Se eu aconselho reclama, se eu sou legal também reclama. – minha mãe e eu rimos e ele e deu outro beijo na testa.
–Divirta-se e cuidado, você esta linda.
–Obrigada pai.
Sai de casa, e entrei no carro com um frio na barriga o que me reservava hoje a noite. Faltavam alguns minutos para as sete quando cheguei ao hotel, fui até a garagem e vi Edward encostado em um carro muito bonito.
Sai do carro e ele sorriu me olhando, eu corei e abaixei o rosto, ele se aproximou e levantou meu rosto com o indicador e o polegar.
Seus lábios roçaram nós meus levemente, traçando um caminho pelo canto da minha boca, descendo para meu queixo, e depois minha garganta. Suspirei e senti sua risada em meu pescoço.
Sua boca subiu ate meu ouvido, onde ele lambeu e mordiscou o lóbulo sussurrando, e me deixando arrepiada.
–Se você não estivesse tão bonita, seu castigo seria agora. – senti meu rosto em chamas e sua risada baixa, me arrepiou.
–Mais tarde você não me escapa. – engoli em seco, e ele se afastou de mim, me olhando novamente.
–Você esta realmente muito bonita. – ele falou por fim e eu sorri corando de novo.
–Você também. – ele usava um smoking preto o cabelo bagunçado, muito sexy.
–Pelo jeito não precisa do meu vestido?
–Minha mãe me comprou esse, sabe para o baile.
–É onde ela acha que você esta?
–Sim. – ele colou seu corpo no meu, e sua mão desceu para minha cintura, sua outra mão infiltrada entre meus cabelos, acariciando minha nuca.
–Eu sinto, eu te levaria, mais eu já tinha prometido tocar. – eu sorri
–Eu não me importo... – ele bufou.
–Claro que se importa. Mais prometo recompensa-la. – eu sorri.
–Como? – ele deu um sorriso malicioso e roçou seus lábios nós meus, senti sua língua acariciando meu lábio inferior e deslizando para dentro de minha boca.
Gemi, enroscando minha língua na dele, movi minhas mãos para seu pescoço e logo infiltrando em seu cabelo, o prensando mais contra mim. Ele se separou de mim, e eu olhei brava pra ele que sorriu.
–Vamos ou vou acabar com sua maquiagem. – eu ri, e ele abriu a porta do carro pra mim, entrei e ele correu para o lado do motorista logo colocando o carro em movimento.
Estávamos na estrada já, e ele segurou minha mão entrelaçando nossos dedos, fiquei olhando com cara de boba pra ele que sorriu para mim.
–Você vai tocar?
–Sim. – sorri animada adorava ouvi-lo tocar, era tão perfeito, não falei mais, estava um pouco nervosa, não sabia o que esperar dessa festa, ou do que viria mais tarde.
E Edward parecia tão alheio quanto eu, ele parou o carro e estávamos em frente uma casa muito bonita, grande e luxuosa, ele saiu do carro e abriu a porta pra mim.
Apareceu um homem e ele entregou a chave do carro e segurou minha mão me levando para dentro da casa.
Caminhamos em silencio, ele parecia pensativo, e alguma coisa parecia diferente nele, eu não conseguia perceber o que? Mais ele parecia mais carinhoso?
Chegamos ate a porta e um homem alto e forte nos atendeu sorrindo.
–Masen, achei que tinha me dado um bolo? – Edward riu e apertou a mão do homem, ele era lindo, cabelos curtos pretos , rosto infantil mais ao mesmo tempo muito bonito.
–Desculpe Emmett, mais sabe como são as mulheres. – ele falou levando minha mão aos lábios, e o outro riu alto.
–Nem me diga, Rose ficou o dia inteiro se arrumando. – os dois riram.
–Deixe-me apresentar, essa é Isabella.
–Ola. – eu cumprimentei corada e ele sorriu malicioso olhando de mim para Edward, lógico que corei mais o fazendo rir alto.
–Ola querida, seja bem vinda. – ele colocou o braço sobre meus ombros me levando para dentro da casa.
A casa era imensa e luxuosa, já havia varias pessoas lá dentro, algumas bebendo ou conversando, havia uma pista mais no canto onde os casais dançavam.
E um pouco mais afastado estava um lindo piano de calda branco, olhei encantada, só de imaginada Edward tocando. Emmett começou me arrastar me apresentando as pessoas.
–Irina querida, já conhece a garota do Masen? – uma mulher loira e alta me olhou sorrindo.
–Ola querida.
–Prazer. – eu a cumprimentei, e sem que pudéssemos falar mais nada Emmett me arrastou para conhecer mais pessoas, e a todos me apresentava como a garota do Masen, e eu gostei disso.
Não era o mesmo que ser namorada dele, mais eu era a garota dele, ri de meus pensamentos. E Emmett me olhou com curiosidade, corei de leve e olhei a procura de Edward.
Meu coração se apertou ao vê-lo conversando e rindo com uma loira de pernas longas e corpo perfeito, ela tocava no braço dele, ouvi um pigarro e olhei para Emmett.
–Não ligue pra isso. Tania é uma chata. – pisquei algumas vezes e ele sorriu.
–Oh, se você diz. – ele riu alto e me levou até uma loira escultural em um lindo vestido vermelho.
–Rosalie, olha a garota do Edward.
–Ola querida me chame de Rose, você tem um nome ou devo te chamar de garota do Edward. – eu e ela rimos.
–Me chamo Isabella, mais Emmett me arrasta antes que eu diga meu nome.
–Ah agora eu entendi, já estão cochichando, sobre a garota do Edward, mais ninguém sabe o nome dela. – Emmett riu sem graça.
–Ops! – eu e ela rimos de novo.
–Venha querida, aposto que esse grosseiro nem te ofereceu uma bebida. – eu assenti e ela enlaçou seu braço no meu, e me levou ate um bar onde um garçom fazia algumas bebidas.
–Dois martinis. – ela pediu e o garçom nos atendeu prontamente, segurei a taça com um liquido transparente que nunca tomei na vida, e vi Rose dar um gole, dei de ombros e me preparei para beber, quando alguém tirou a taça da minha mão.
–A senhorita tem idade pra tomar isso? – sussurrou a voz tão conhecida e que me deixava arrepiada em meu ouvido. Corei de leve olhando pra ele que deu um gole na bebida.
–Não. – falei com um muxoxo e ele riu.
–Você queria provar? – eu assenti e me surpreendi quando, sua mão envolveu minha nuca, e me puxou para um beijo urgente, pude sentir o gosto da bebida em seus lábios, e com certeza beijar Edward era muito melhor que beber.
Afastamos-nos ofegante e ele sorriu passando o polegar em meus lábios inchados.
–Gostou. – assenti corada, e reparei que algumas pessoas olhavam para nós, entre ela a loira de pernas longas.
–Não devia fazer isso aqui. – falei mais vermelha que um tomate e ele riu.
–Por quê? – perguntou dando de ombros.
–Por que todos estão olhando pra nós. – ele sorriu malicioso e encostou seu corpo no meu.
–Não fique envergonhada, afinal você não é minha garota. – olhei para minhas mãos.
–Quem falou isso foi o Emmett. – ele riu e roçou seus lábios nos meus.
–Mais você não desmentiu.
–Bem, o que você queria que eu dissesse. Que sou sua amiga com benefícios? – ele riu alto e beijou meu pescoço, oh pai tava difícil respirar com ele me tocando assim.
–Hummm, gostei disso, amigos com benefícios.
–Edward!
–Desculpe, mais é uma idéia tentadora. – bufei chateada, e acabei olhando para loira para não olhar para ele.
–Ela era sua amiga com benefícios? – perguntei ainda olhando para a loira, ele seguiu meu olhar e sorriu mais.
–Com ciúmes? – dei de ombros.
–Claro que não. – ele enlaçou minha cintura com as duas mãos agora e acabei colocando minhas mãos em seu pescoço.
–Não se preocupe com ela, ou com qualquer outra. Só quero você. – arregalei meus olhos e antes que eu reagisse seus lábios estavam nos meus, sua língua invadindo minha boca, brincando com a minha, ele separou nossos lábios e deu pequenos beijos em meu rosto.
–Vamos dançar?
–Oh não, eu sou uma péssima dançarina, vou pisar no seu pé. – ele sorriu.
–Se eu tivesse te levado ao baile, não dançaríamos?
–Ok, eu acho. – ele riu e me abraçou por trás me levando ate a parte onde os casais dançavam, uma musica lenta ecoava, e paramos quando chegamos ao centro, ele me virou de frente para ele, e colocou as mãos em minha cintura, minhas mãos se entrelaçaram em seu pescoço.
Ele ditou o ritmo e eu movia meu corpo de acordo com o dele, seus olhos nos meus, Edward parecia tão diferente, os pensamentos de que talvez ele gostasse de mim, voltaram a assolar minha mente, ele se aproximou seu rosto e beijou minha boca com calma.
Seus lábios se movendo contra os meus, sua boca saiu da minha trilhando um caminho de beijos pelo meu rosto, suspirei e senti seu sorriso contra meu pescoço. Ele abriu a boca como se fosse contar algo, mais desistiu, antes que eu perguntasse a musica parou.
–Edward. – a voz de Emmett ecoou e olhamos para ele que estava perto do piano.
–Tenho que ir. – ele sussurrou contra minha boca e se afastou, segui para mais perto do piano e fiquei ao lado de Rose.
–Ola querida, vocês ficam tão lindos juntos. – eu sorri, e mordi meu lábio.
–Obrigado.
–Sabe, Edward nunca trás suas namoradas em festas assim. – senti meu coração falhar.
–Mesmo? – perguntei com a voz fraquinha e ela sorriu.
–Sim, você é a primeira, por isso Emmett ficou falando aquilo. – eu sorri mais e olhei pra ele que já estava sentado, e arrumando as partituras, assim que ele tocou a primeira tecla, seus olhos estavam nos meus.
Senti um arrepio por todo meu corpo, e duas coisas se formaram em minha mente, enquanto ele tocava uma musica complexa e apaixonante ao mesmo tempo sem nunca deixar de me olhar.
A primeira, eu queria ser dele, queria que fossemos um, deixaria ele tomar meu corpo, pois eu queria seu corpo colado ao meu, esse pensamento me fez ruborizar, e ele sorriu ao ver isso.
E segundo, eu estava começando a acreditar que talvez eu realmente não era apenas mais uma em sua cama, talvez ele gostasse de mim, e quem sabe não viria a me amar.
Pois eu estava amando ele, e agora enquanto seus dedos corriam velozes pelas teclas, mais seus olhos não deixavam os meus uns segundo sequer eu tinha certeza de que eu amava Edward Masen.
Assim que ele terminou todos aplaudiram entusiasmados, ele sorriu agradecendo, se levantou e veio até mim.
–Esta cansada, quer que te leve em casa? – eu corei de leve e ele me olhou confuso.
–Sobre isso, bem eu disse aos meus pais que eu ficaria na Alice. – falei abaixando meu rosto, sentindo minha bochecha muito quente.
–Então quer que eu te leve até a casa de Alice? – eu neguei ficando mais vermelha.
–Bem, er, eu disse a Alice que não iria pra lá.
–E pra onde você iria? – serio que ele não percebia, meu rosto estava em chamas já, levantei o rosto e vi que ele estava sorrindo.
–Seu idiota! – falei baixo e ele riu.
–Desculpe, mais a sua carinha alcançando altos níveis de vermelho. Eu bufei ficando de costas pra ele, e senti suas mãos em minha cintura e seus lábios em meus pescoço.
–Hummm, você e eu a noite toda no meu quarto, acho que não vou conseguir dormir. – ele sussurrou contra minha pele.
–Tudo bem. – falei baixinho, mais acho que ele ouviu, pois parou de mover seus lábios, ele me virou de frente e me olhou atentamente.
–Tem certeza? – eu assenti sentindo minha pele quente e olhei para meus pés, ele puxou meu queixo me olhando nos olhos.
–Você sabe o que eu quero, não é? – eu acabei rindo. E com uma coragem que nem sabia que tinha, colei meu corpo ao dele, e sussurrei em seu ouvido.
–Se for você dentro de mim, eu também quero.

0 comentários :

Postar um comentário