O Pianista - Capitulo 31


semana passou em um borrão. Edward aproveitou que eu não estava a sua disposição, e ficou praticando para o concerto.

Eu ia a nossa casa todo dia depois da escola, e nos comíamos juntos, mais evitamos maiores contatos. Edward disse que não sobreviveria tendo que tomar banho frio todo hora.

Lógico que eu rolei os olhos quando ele disse isso, e ele somente sorriu para mim.

Estava sentada na sala fazendo meus deveres, enquanto meu pai lia o jornal, minha mãe uma revista de moda.

-Bella. – meu pai chamou colocando o jornal de lado e larguei minha caneta o encarando.

-Sim.

-Bem é seu aniversario daqui a algumas semanas. O que vai querer fazer? – enruguei a testa em confusão.

-Achei que íamos ao concerto de Edward. – meu pai me encarou meio surpreso.

-Bem querida nos queremos ir. Mais achamos que você iria querer fazer algo diferente, mais divertido.

-Não, eu quero ir. – falei rápido e eles me encararam
confusos.

-Filha não precisa fazer isso por nos.

-Não, eu quero mesmo ir. Bem eu nunca fui muito fãm  de clássicos, só alguns. Mais depois de ouvi-lo tocando no jantar de tia Esme, fiquei encantada. – meus pais sorriram.

-Se é isso que você quer filha. – sorri assentindo.

-Então quais seus planos para o fim de semana. – minha mãe perguntou.

-Alice. – falei simplesmente e ela rolou os olhos. Terminei meus deveres e subi para meu quarto, era quinta, ia ficar o fim de semana todo com Edward de novo.
Assim que fechei a porta do meu quarto peguei o celular e liguei para Alice.

-Alooou. – ela falou e ri.

-Alooou.

-Miga como ta?

-To bem Alice. Acabei de falar com meus pais, vamos ao concerto de Edward.

-Ainda bem, ele ia surtar se você não fosse. – eu ri.

-Serio miga eu também surtaria. Amo ver Edward tocar. – ela riu.

-Sim, sei bem o que você ama ali. – nos rimos, e conversamos mais um pouco. Já ia desligar quando lembrei.

-Alice posso dormir ai amanha?

-Em dormir aqui você quer dizer, dormir no Edward?

-Sim. – ela riu.

-Claro, só tenho que avisar a mamãe.

-Ok. Thau.

-Thau miga. – desliguei e me troquei para dormir. Assim que me deitei ouvi o celular tocando e o peguei vendo “Meu Edward”, piscando na tela.

-Alooou. – falei quando atendi e ele riu.

-Ola amor.

-Oi, adivinha?

-Os dias de seca acabaram? – corei.

-Edward! – ele riu.

-Não venha me dizer que só eu estou sofrendo aqui. Sei que você também esta. – eu corei de leve.

-Bem, acabaram hoje. Mais não era essa novidade que eu falava.

-Então qual é?

-Hummm, acho que só vou dizer amanha.

-Vai vir dormir aqui?

-Bem você me prometeu brincarmos na cozinha, e no carro...

-Ah Bella, me deixa louco. – eu ri baixinho.

-Eu vou ao concerto. – falei por fim.

-Por que você não ia vir?

-Bem como é no dia do meu aniversario, meus pais acharam que eu queria fazer outra coisa.

-Oh. E você quer? – ele pareceu triste.

-Sim Edward, quero ficar com meu namorado.

-Oh, não sei se ele vai estar disponível. – eu ri.

-Então vai me buscar amanha?

-Na verdade não. Tenho um presente pra vc. Quero que venha aqui assim que sair da escola.

-Que tipo de presente?

-É surpresa Bella. – suspirei, ia passar o dia em agonia morrendo de curiosidade.

-Então vamos falar de algo mais interessante. – ele falou me fazendo esquecer a tal surpresa.

-Tipo?

-O que você esta vestindo agora?

-Edward! – ele riu.

-Vamos lá Bella, estou carente. – eu ri.

-Prometo de compensar amanhã.

-Hummm, vou cobrar.

-Só uma pergunta, eu sairei viva na segunda.

-Difícil dizer amor. – eu ri.

-Tenho que desligar Edward.

-Tudo bem. Vou tomar um banho de piscina então.

-A essa hora?

-É o jeito né. Minha namorada não quer brincar comigo.

-Idiota. – ele riu.

-Te amo minha menina.

-Também te amo Edward. Boa noite.

Assim que desliguei me joguei na cama, sorrindo como boba, não via a hora do meu aniversario chegar, iria ficar com Edward o tempo todo.

Adormeci sonhando com Edward, me abraçando e dizendo que me amava, e era a única certeza que eu tinha do nosso futuro.

Que não importava o que acontecesse, ele me amava.
Acordei, com o despertador e corri a me arrumar, já fazendo uma mochila arrumando as coisas para ficar com Edward. Desci para tomar café, e meus pais já haviam saído.

Sai de casa, e fui para meu carro direto para a escola. Estacionei em frente a escola, e assim que vi Alice corri até ela, no caminho vi Jake, eu e ele não nos falamos desde que eu o enfrentei. Ele estava chateado comigo, mais ele sempre soube que eu não sentia nada por ele.

Alcancei Alice o ignorando, e ela me abraçou e fomos juntas para as nossas aulas. No almoço Jake estava sentado a nossa mesa com Lauren em seu colo, quando ele me viu sorriu tímido.

-Hei Bells.

-Oi Jake.

Ele parecia menos chateado com o ocorrido e eu não queria tocar no assunto, o almoço transcorreu bem, e acabamos todos conversando sobre banalidades.

Lógico que debochando quando Lauren chamava Jake de meu lobinho. E ele corava.

Caminhei ao lado de Alice, enquanto íamos para a nossa ultima aula juntas. Conversando sobre meu assunto favorito. Edward.

-E ele não disse o que era?

-Não, e com certeza não deve ser coisa boa. – falei preocupada com sua surpresa e ela riu.

-De um credito a ele Bella. – rolei os olhos e nos despedimos, e prometi ligar para ela mais tarde e contar qual a surpresa de Edward.

Educação física passou em um borrão, treinador Clapp estava legal, e me deixou assistir ao jogo, ele finalmente percebeu que era mais seguro.

Ao sair da escola, fiquei chateada por não ver Edward, eu sabia que ele não viria, mais já estava acostumada ao vê-lo recostado no volvo, todo charmoso.

Com esse pensamento, corri para meu carro, e fui direto para nossa casa. Assim que cheguei estacionei o carro, e fui até a porta, mais antes que eu colocasse a chave ele abriu a porta sorrindo.

Nem me deixou falar, me agarrou em seus braços colando sua boca na minha em um beijo urgente, segurou minha bunda me puxando para cima e enlacei minhas pernas em seu quadril.

Ele me levou pra dentro, e fechou a porta com o pé. Durante a semana, Esme esteve aqui varia vezes e boa parte da casa já estava decorada, moveis claros e muito bonitos já ocupavam a sala, e a cozinha.

O nosso quarto j havia sido decorado, assim como a sala do piano, mesmo Edward não querendo nada lá alem do piano e de mim, o que me fez corar já que ele disse isso na frente de Esme.

Ela colocou um bonito sofá branco, e algumas poltronas negras, daquelas quadradas sem as costas, e havia algumas prateleiras, onde Edward colocou um som, e seus CDS, ele tem muitos CDS.

Ele separou nossos lábios, e sorriu comigo ainda agarrada a ele, roçou seus lábios nos meus sem me beijar.

-Oi.

-Oi. – eu ri e enterrei a cabeça em seu pescoço. – Senti sua falta. – falei em um sussurro e ele riu.

-Falta do meu corpo? – ele falou brincando e eu corei.

-Sim.

-Eu também minha menina. Parece que faz anos que não toco toda você.- eu sorri e levantei o meu rosto.

-O que esta esperando. – ele riu.

-Antes quero dar o seu presente. – arquei uma sobrancelha e ele sorriu.

-Ok, cadê? – ele me pos no chão, e pegou uma sacola em cima do sofá, na sacola havia um emblema que nunca vi. “Secret’s”.

-O que é?

-Quero que use. Comprei pensando em você. – tentei ver, mais ele negou.

-Vá para o quarto e vista. Estarei na sala do piano. – olhei confusa para ele que sorria e assenti.

Ele beijou minha testa e foi para a sala do piano, subi para nosso quarto e tirei o que quer que fosse da sacola.

Praticamente engasguei ao ver a lingerie sexy toda preta. Ele queria mesmo que eu usasse isso? Tentei ver onde começava e assim que consegui, e coloquei meu rosto estava em chamas.
Parecia um maio, e tinha as ligas colada a meia calça fina preta, mais o pior era que os seios ficavam totalmente exposto. Vesti um roupão de banho do Edward e desci.

Assim que cheguei lá embaixo, o som do piano já ocupava o ambiente, Edward tocava uma musica que já estava acabando, e começou a tocar a minha, entrei na sala meio corada e meio sem jeito e ele sorriu quando eu me aproximei.

-Deixe-me ver. – falou  e me olhou, com olhar reprovador.

-O que?

-Tire o roupão. – eu estava muito vermelha, meu pescoço, e meu rosto estavam extremamente quentes quando deixei o roupão escorregar e fiquei exposta para Edward.





Ele sorriu malicioso e parou de tocar me chamando, fui até ele que me olhava quase me devorando. Seu dedo acariciou meu mamilo exposto e gemi.

-Esta tão linda, minha menina. – se for possivel eu corei mais ainda. Ele riu e me puxou para sua frente e beijou minha boca. Suas mãos apertaram minha bunda, e ele me puxou para seu colo, minhas pernas em volta do seu quadril.

Ele soltou minha boca, e colou seus lábios em meus seios, sugando e lambendo meus mamilos, suas mãos os apertavam os mantendo juntos, e agarrei seus cabelos sem saber em direito como respirar.

Ele me colocou em pé, e me empurrou para o piano, me fazendo sentar nas teclas, ele acariciou meus seios, passando suas mãos pelos meus seios, e passando por minha barriga, descendo até a calçinha que ele retirou, rodeando seu dedo por meu centro.

-Esta tão úmida amor. – eu gemi em resposta e ele riu, e desceu sua boca em mim, meu corpo inteiro tremeu e teria caído se ele não estivesse me segurando, pela cintura.

Sua língua entrava e saia de mim, sugando e lambendo, me fazendo gemer, suspirar e gritar. Meu corpo inteiro tremeu quando ele moveu um dedo em mim, começando um vai e vem rápido.

-Edward... – gritei ao sentir, mais dois dedos, e seus dentes em meu clitóris.

Meu corpo estava todo jogado sobre o piano, enquanto sentia, meu corpo estremecendo, e o formigamento que me fazia arquear o corpo todo, ao sentir meu gozo vindo.

Edward saiu de entre as minhas pernas, e meus olhos estavam fechados, e minha respiração difícil. Ouvi o barulho de suas roupas saindo, e logo meu corpo sendo puxado para seu colo.

Ele estava sentado no banco do piano, e me puxando de encontro ao seu membro, pulsando, ele me preencheu em uma única investida e gritei agarrando seus ombros com força.

Ele beijou minha boca, enquanto puxava meu corpo em direção ao seu eixo, me fazendo gemer contra sua boca, que sugava minha língua com avidez.

-Oh Edward... – gritei quando nos separamos para respirar e ele continuava investindo contra mim, e sua boca voltou para meus seios, agarrei seus cabelos, e rebolei sobre seu pau.

-Merda... – ele gemeu e voltou a me beijar, mordiscando meu lábio. Já sentia meu corpo tremer e meu próximo orgasmo me alcançar quando a boca de Edward encostou em meu ouvido.

-Vem pra mim Bella. – ele pediu em um gemido e meu corpo inteiro tremeu com meu orgasmo. Mais Edward ainda não veio.

Ele me tirou de cima dele e me virou de costas contra o piano, suas mãos tocando minha bunda, e roçando seu dedo em meu centro úmido.

-Esta tão molhada minha menina. – gemi quando ele moveu seu dedo dentro de mim.

Meus seios estavam pressionados sobre o piano, e ele puxou minha bunda para trás encostando sua boca em meu ouvido e mordendo o lóbulo.

-Empina essa bundinha linda pra mim Bella. – ele pediu e empinei o máximo que dava, e seu membro já entrava em minha entrada úmida.

-Oh... – suspirei enquanto ele entrava devagar, me fazendo gemer quando empinei mais e ele entrou de uma vez.

Ele movia meus quadris, enquanto beijava minhas costas e a nuca, aumentando a velocidade das investidas aos poucos.

Até estarmos gemendo e gritando de prazer, a cada investida forte dele, minha entrada pulsava me avisando que estava chegando meu terceiro orgasmo do dia, e rebolei ouvindo um gemido rouco de Edward.

-Isso minha menina, rebola gostoso. – rebolei de novo e ele rosnou, mordendo minhas costas.

-Oh... estou... quase... – falei entre gemidos e ele aumentou a velocidade.

-Isso me aperta gostoso.

Gritamos juntos quando nosso ápice nos alcançou. Senti o corpo de Edward caído sobre o meu, até ele sair e me pegar no colo.

Deitei a cabeça em seu peito de olhos fechados e senti seus lábios em minha testa.

-Aonde estamos indo?

-Banho. – sorri preguiçosa, e ele me levou até o banheiro. Chegando lá retirou a minha er camisola, e sorriu ao me ver nua e me levou ao chuveiro morno e lavou meu corpo.

Só lavou mesmo, depois se lavou e me enrolou em uma toalha e me levou até a cama, me abraçando, e adormecemos nus.
Acordei vendo a escuridão adentrar o quarto. Edward estava deitado de costas pra mim, e me movi já sentindo sua ereção, e ri.

Ele resmungou quando me afastei mais não acordou, tirei o lençol de cima de seu corpo e ele estava nu, assim como eu, fiquei olhando seu corpo perfeito e sorri.

Passei meus dedos por sua barriga e acariciei sua ereção, ele ficou maior, e sem me conter beijei a ponta. Edward soltou um gemido e o enfiei todo na boca, assim que suguei senti seus quadris se movendo em direção a minha boca.

Movia minha mão para cima e para baixo, o acariciando enquanto continuava a suga-lo, arranhei os dentes e ele tremeu.

-PORRA. – ele rosnou e me afastei e vi ele me encarando com os olhos negros de desejo, e me assustei quando ele me puxou para cima, e pressionou seus lábios nos meus, me dando um beijo quente e cheio de desejo.

Agarrei acariciei seu peito, enquanto suas mãos passavam por todo meu corpo, me tocando nos meus pontos sensíveis, gemi ao sentir seus dedos em minha intimidade e o beijei com ardor.

Nos separamos ofegantes e me sentei em cima de sua barriga uma perna de cada lado de seu quadril e acariciei seu peito.

-Bom dia amor. – falei mordendo o lábio.

-Que ótimo jeito de acordar, minha menina. – eu ri e me levantei um pouco ficando sobre sua ereção, e ele gemeu.

-Senta ai minha menina. – deixei só a pontinha encaixar em mim, e ele jogou a cabeça pra trás.

Mordi o lábio enquanto rebolava sobre sua ereção, e ele abriu os olhos me encarando, tremi com seu olhar de desejo, e me surpreendi quando ele pegou meus quadris e me puxou com tudo para baixo.

Gritei alto ao ser totalmente preenchida, ele gemeu comigo, e começou a me mover sobre ele me fazendo gemer a cada investida.

-Rebola minha menina. – ele mandou enquanto continuava a me mover sobre seu membro.

Gemi obedecendo e apoiei minhas mãos sobre seu peito, começando a mover meu corpo com calma, já sentia seu membro pulsando dentro de mim.

Ele rosnou sentindo que seu ápice logo viria e levou sua mão ao meu clitóris e o beliscou me fazendo engasgar.

-Edward. – gritei e me movi mais rápido. Enquanto ele continuava brincando com meu clitóris e me puxou para um beijo urgente.

Nosso clímax chegou ao mesmo tempo, nosso corpos tremendo, por conta do prazer, meu corpo suado caiu sobre o dele, e ele beijou meu ombro.

-Definitivamente eu tenho que casar com você. – ele falou e levantei o rosto para olhá-lo sorrindo.

Estava sorrindo como boba com suas palavras, mais é lógico que daquela boca linda não saia nada que preste né.

-E sua primeira obrigação como esposa é me acordar todo dia assim.

0 comentários :

Postar um comentário