O Pianista - Capitulo 30

Você ta louco?

Eu estava muito vermelha, o mico dizer pro seu namorado que não pode dar pra ele. Ainda com o rosto enterrado no travesseiro, ouvi Edward suspirar, e ele me puxou para seu peito, e beijou minha testa.

-Não fica assim? – ele pediu beijando minha nuca.

-Ok. – falei baixinho, e ficamos abraçados por alguns minutos.

-Esta com fome? – ele perguntou depois de alguns minutos de silencio e assenti.

Edward me deu um beijo e desceu para o primeiro andar, fiquei deitada mais um pouquinho e resolvi levantar. Cheguei na sala e nem sinal de Edward, olhei na cozinha e na sala do piano e nada.


-Edward?

-Aqui. – ele gritou e segui sua voz até a piscina, ele estava mergulhado e de olhos fechados.

-Edward, ta louco é. O que faz ai? – ele abriu os olhos.

-Apagando meu fogo. – eu ri, e ele me jogou água, soltei um gritinho e corri para longe da borda. Ouvi a campainha.

-Bella atende pra mim, é a comida. – assenti já indo pra porta.

-O dinheiro esta na mesa. – gritou e corri a pegar e atender. Paguei a comida e levei até a cozinha.

Edward saiu da piscina, e veio com o peito nu os cabelos úmidos, uma toalha passando pelo peito, suas calças colada ao corpo. Oh homem bom em. ele sorriu torto ao ver que eu o encarava e ficou de frente pra mim, e beijou meu rosto.

-Quer tomar um banho de piscina também amor? – eu corei e desviei o olhar.

Ele riu, e me segurou pela cintura, e colou sua boca na minha, agarrei seus cabelos úmidos e ele sorriu contra meus lábios e apertou minha bunda.

-Edward! – falei ofegante, ele sorriu e passou a toalha pelos cabelos.

-Que foi não posso tirar um casquinha? – olhei feio pra ele.

-Vamos comer Sr. Masen. – ele riu e beijou meu pescoço.

-Adoro quando me chama de Sr. Masen, é muito sexy. – eu corei e ele sorriu.

-Pare de me provocar.

-Amor à culpa não é minha se você é fácil de provocar. – mostrei a língua para ele, e Edward riu e me abraçou.

-Fica assim não minha menina. São só, o que 3 dias?

-Cinco. – falei baixinho, e ele me olhos com uma careta.

-A gente agüenta. – eu ri.

-Eu agüento, e você?

-Ta dizendo que é mais resistente do que eu?

-Com certeza. – ele semi-cerrou os olhos, e sorri enquanto abria as caixinhas com comida italiana, e começava a comer.

Edward deixou passar e começou a comer também. Comemos em silencio, e notava que ele me olhava de esguelha toda hora. Assim que acabamos subi para o quarto, e ele me seguiu em silencio.

Fui ao banheiro e escovei os dentes, depois fui me deitar, Edward entrou no banheiro e ouvi o chuveiro ligado, depois de alguns minutos ele saiu do banheiro completamente nu, enquanto se secava na minha frente.

Oh Deus!

Ele ficou de costas pra mim, e fiquei olhando sua bundinha muito linda, e ele pegou no closet uma cueca e vestiu e veio para a cama.

-Vai dormir assim? – falei apontando para seu corpo. – ele sorriu e me abraçou colando ao seu peito.

-Amor eu durmo nu. Mais em consideração a você vou dormir vestido.

-Edward, vestido seria com uma camiseta e calça. – ele sorriu e roçou seus lábios nos meus.

-Que foi amor, te incomoda como estou vestido? – podia sentir a provocação na sua voz, e neguei.

-Não gato. – ele riu e me abraçou apertado, e beijou minha boca, suas mãos corriam pelo corpo me deixando quente, ele apertou minha bunda e gemi contra seus lábios.

Ele sorriu e começou a distribuir beijos pelo meu pescoço, e ombro, voltando a minha garganta, suas mãos entraram na minha camisa e acariciaram meus seios.

-Oh Edward. – gemi e ele voltou a beijar meus lábios, um beijo calmo e se separou de mim.

-Hora de dormir amor.

-O que? – ele riu, e me abraçou fechando os olhos. –Edward Masen?

-Diga amor. – falou de olhos fechados.

-O que foi tudo isso? – ele deu de ombros e um pequeno sorriso brincava em seus lábios.

-Eu disse que agüentava, e você amor? – podia ver a alegria em sua voz, e dei um tapa nele.

-Idiota.

-Amor, já disse guarde esse seu lado selvagem pra cama. – rosnei e fiquei de costas pra ele, e ele me abraçou. Beijando minha nuca.

-Durma minha Bella. – sem pensar movi meu corpo e rocei minha bunda em seu membro, e ele gemeu. Ri internamente e dessa vez de propósito fiz de novo.

-Merda! – ele resmungou e fiz mais algumas vezes, mais parei de repente, e fiquei quietinha.

-Por que parou? – ele falou meio rouco e ri.

-Amor, estou com sono. – falei rindo e ele rosnou.

-Diaba. – falou no meu ouvido, e me abraçou apertado, e dormimos.

O domingo passou igual, ficamos na nossa casa, e um provocando o outro, ao final do dia estávamos quase subindo pelas paredes.

Edward se jogava na piscina toda hora, e eu ia pro chuveiro frio mesmo. Depois que desistimos de provocar um ao outro o resto do dia foi mais calmo. Conversamos e ficamos de bobeira deitados no chão da sala, namorando.

A noite dormimos abraçados de novo, e fui dormir um pouco mais cedo, pois teria aula no dia seguinte. Nosso fim de semana já estava acabando, e tanto eu como Edward estávamos desanimados com isso.

-Eu te amo minha menina. E logo direi isso todos os dias antes de você dormir. – ele falou a noite e sorri.

-Eu vou gostar muito disso. – falei sonolenta e adormeci sentindo seu corpo no meu.

Acordei com o despertador do celular, e abri os olhos sonolenta, Edward resmungou me apertando contra seu corpo e o empurrei de leve para me levantar, e já ia sair da cama quando senti meu corpo sendo puxado de volta.

-Aonde vai? – sorri e tentei me soltar.

-Tenho que ir para a escola.

-Não, não. Fica aqui. – resmungou me abraçando e sorri e virei para ele e o beijei.

-Amor eu tenho que ir. – ele assentiu e me soltou, fui pro banheiro tomei banho e me vesti, amarrei meu cabelo e quando cheguei ao quarto, Edward estava de calça jeans e camiseta preta.

-Aonde vai?

-Te levar.

-Edward não precisa? – ele sorriu e veio até mim me abraçando.

-Eu quero. – assenti e rocei meus lábios nos dele. Fomos para o andar de baixo.

-Você come algo antes de ir para a escola?

-Cereal, ou tomo um suco. – ele fez uma careta.

-Não tenho nada. Vamos até uma padaria e você come algo. – assenti e fomos para o meu carro, ele dirigindo.

Depois de passar na padaria e eu comer um pão de queijo gigante, era tão grande que Edward teve que comer metade, fomos para a escola. Sai do carro e ele me seguiu, e me abraçou contra seu peito.

-Venho te buscar.

-Ok. – ele pressionou seus lábios nos meus e agarrei seus cabelos, sua língua invadiu minha boca, me fazendo gemer baixinho, quando senti alguém me puxando.

Olhei atônita, e vi Jacob na minha frente e encarando Edward com raiva, e Edward retribuía o olhar. Me afastei de Jake para chegar em Edward, mais ele se pos na minha frente.

-Jake o que esta fazendo?

-Eu que pergunto Bella. O que esta fazendo com ele?

-Algo que nunca faria com você. – falou Edward e Jake rosnou.

-Olha aqui cara. Ela é minha prima e vou protege-la de caras como você.

-Jake você ta doido é. Edward é meu namorado.

-Bella não pode estar falando serio?

-Claro que estou. – o empurrei já chegando em Edward mais ele segurou meu pulso.

-Seus pais concordam com isso?

-Jake a vida é minha, faço dela o que quiser.

-Não sabem não é?

-Escuta aqui pirralho... – Edward começou mais corri até ele segurando seu rosto entre minhas mãos, ele me olhou.

-Edward, por favor.

-Bella, esse idiota... – o interrompi.

-Jake, é de menor, você pode ter problemas. – ele respirou fundo e encostou sua testa na minha.

-Ah Bella, esta cada vez mais complicado.

-Vai me deixar? – falei chorosa e ele deu um riso triste.

-Mesmo que eu quisesse eu não posso. Não sei mais viver sem minha menina. – sorri e rocei meus lábios nos dele.


-Eu te amo Edward. – ele assentiu e se afastou.

-Eu já vou. – ele entrou no carro e dirigiu para fora do estacionamento, e encarei Jake que se encolheu.

-Qual o seu problema? – falei dando um tapa em seu ombro.

-Bella, eu que pergunto. O que faz com aquele cara?

-Jake eu e Edward nos amamos. Não se meta. – ele me encarou serio.

-Como sabe que ele não vai te trocar por outra.

-Ele não vai?

-Quem te garante. Assim que aparecer uma que satisfaça ele no que você não pode, ele te chuta.

-E quem disse que eu não satisfaço ele. – fechei a boca vendo que falei demais, e Jake ficou branco.

-Bella? – suspirei.

-Olha aqui Jake. Eu e Edward nos amamos, e estou esperando só fazer 18 para falar aos meus pais. Então não se meta, ou nunca mais olhe na minha cara.

Me afastei sem olha-lo, e vi Alice na frente do prédio me esperando. Assim que a vi a abracei, ela me abraçou também, e em vez de irmos a aula fomos para o banheiro da meninas.

-O que houve? – perguntou Alice, enquanto sentava na pia e olhava para minhas mãos.

-Estou ficando doida. Ter que esconder Edward é tão difícil. – ela suspirou.

-Eu sinto Bella.

-Eu queria contar aos meus pais. Mais tenho medo da reação deles. E se eles fizerem algo, e me afastar de Edward. – já estava chorando e Alice me abraçou.

Ficamos assim até o sinal bater, e termos que ir para a aula. A manha foi meio estressante, não conseguia me concentrar, e no almoço, fiquei no banheiro.

Na saída Edward me esperava dentro do carro, e isso pareceu um mal sinal. Entrei no carro, ele estava quieto, dirigiu até a casa, e ficou quieto.

-Vai terminar comigo? – falei chorosa e ele me encarou.

-O que?

-Você esta estranho. – ele suspirou e saiu do carro e veio até a minha porta, a abriu e se ajoelhou na minha frente.


-Sabe o quanto é importante pra mim. – fiquei quieta e ele suspirou.

-Isabella Swan, não duvide que eu morreria por você. Nunca duvide que eu a amo mais do que tudo, mais do que respirar. Nunca duvide que eu lutarei por você. Lutarei por nos. – assenti chorosa e ele afagou minha bochecha e tirou algo do bolso.

-Fiquei pensando, em formas de te provar que eu não estou brincando com você. Em provas para te provar que eu te amo, mais do que a vida, mais do que tocar meu piano.

-Edward...

-Deixe-me terminar. Eu queria dizer aos seus pais agora, que eu te amo, e vou me casar com você. Cuidar de você para sempre. Pois meu mundo é sem vida sem você. – eu já estava chorando, e sequei as lagrimas teimosas com as costas da mão. Edward suspirou e tirou uma caixinha do bolso, e abriu me mostrando um anel preso a uma corrente.

-Queria te provar, queria que fosse só minha Bella. Mais eu vou seguir seu desejo e esperar, mais enquanto isso, gostaria que você usasse pra ter certeza que nunca vou te deixar.
Peguei o colar e olhei o anel, ela uma aliança de prata e tinha algo escrito.

“Meu coração e minha alma são seus”, sorri e beijei Edward, ele me abraçou apertado e me tirou do carro e entramos em casa.

-Eu sou seu Bella, e nunca duvide disso. – eu sorri de olhos fechados e o abracei apertado.

-Eu também sou sua Edward, e serei para sempre.

-Ainda bem,  - ele deu um beijo em meu pescoço. – Pois ainda não brincamos na sala, - beijou minha bochecha,  - Nem na cozinha, nem no carro. – e beijou minha boca.

Oh Deus esse homem é insaciável!

Continua

0 comentários :

Postar um comentário