Meu adorável vagabundo - Epilogo.


|Epílogo|

Dois anos depois

Bella sorriu enquanto o menininho de grandes olhos verdes sorria seu sorriso sem dentes e esticava os braçinhos em sua direção.

Ela o pegou no berço e o abraçou de encontro ao peito, e beijou seus cabelos ralinhos dourados.

- Meu Rob. – o menininho riu e bocejou, ela o embalou e sorriu quando a mulher de cabelos cor de caramelo veio até ela carregando a menininha de cabelos dourados e olhos castanhos.

- Mais esses dois são opostos. Lizzie esta toda animada, enquanto Rob já esta quase desmaiando. – Bella riu e o pequeno Rob bocejou mais alto.

- Sim, totalmente opostos. Há dias que eu e Edward não dormimos.


- Deve estar exausta querida.

- Sim, mais não trocaria isso por nada Esme. – a mãe de Edward sorriu e foi até o berço e deixou Lizzie e pegou Rob o embalando. Ela foi até uma poltrona que havia ao lado do berço.

O grande quarto que Bella e Edward decoraram, assim que ela descobriu grávida de gêmeos. Não tinha passado nem dois meses que se casaram e ela se descobriu grávida. O que deixou Edward extremamente feliz.

Bella sorriu ao ver Lizzie emburrada.

- Que foi pequena, quer colo. – a menina riu e esticou os braços em direção a Bella.

Esme olhou sua nora com seus netos e sorriu. Era bom ver que seu filho conseguiu uma família. Bella era totalmente o oposto de Tania.

Ela era doce e calma, e amava Edward. Não que Tania não o amasse, mais era um amor doentio que ela tinha. Já Bella era tão calma.

Lizzie bateu palmas animadas e as duas mulheres olharam o que deixou a pequena tão feliz, e Bella sorriu ao ver seu Edward jogando o terno sobre uma poltrona e caminhando em sua direção.

- Oi amor. – ele sussurrou e a beijou nos lábios, e sentiu as pequenas mãos apertando seu rosto. – Olá minha menininha. – o bebê riu e ele a pegou no colo. – Oi mãe.

- Olá filho.

- Oi querido. Como foi no trabalho? – Bella perguntou se levantando e pegando Rob, dos braços de Esme e o colocando no berço.

- Bem. – ele sorriu e olhou para o menino que já dormia pesadamente e fez uma careta. – Dormiu de novo.

- Sim. Já lizzie... – nem precisou dizer a menina sorria e brincava com o rosto de Edward, que beijou os cabelos encaracolados.

- Ah minha menininha. Dorme, papai e mamãe estão cansados. – Bella e Esme riram quando e menina soltou um gritinho e continuou a brincar com as bochechas de Edward, que suspirou, mais acabou sorrindo.

- Sabe Carl e nós não nos importamos de ficar uma noite com eles.

Edward e Bella se entreolharam e assentiram rapidamente. Esme riu, e pegou o celular já ligando para o pai de Edward.

- Tem certeza? – ele perguntou olhando para Bella que mordia o lábio.

- Vai ser difícil deixa-los.

- Minha mãe pode dormir aqui e nos saímos para jantar fora. - ela assentiu.

- Esta bem. Eu posso agüentar duas horas. – ele sorriu malicioso.

- Acho que vamos demorar mais que duas horas. – Bella riu baixinho.

- Ok.

Esme voltou logo em seguida sorrindo, e avisando que Carlisle viria em pouco tempo. Bella correu a se arrumar, e Edward entregou Lizzie a sua mãe.

- Estou muito feliz por você querido. – ele sorriu.

- Eu estou feliz mãe. – ela apertou a mão dele.

- Ela te faz bem. E te deu uma família linda. – ele sorriu para a menininha que brincava fascinada com o cabelo da avó e sorriu.

- Sim. Bem mais do que eu mereço. – Esme suspirou e apertou a mão de seu filho querido.

- Não, ela te deu exatamente o que você merece. – ele sorriu assentindo.

- Espero que seja assim. Pois se perder Bella e meus anjinhos eu não poderia mais viver.

- Nos não vamos a lugar algum. – falou Bella entrando no quarto e o abraçou pelos ombros. Ele pegou sua mão e beijou a palma.

- Que bom. – ele se virou para ela e a abraçou pela cintura. – Pois nunca deixarei você se livrar de mim. – ela riu e escovou os lábios nos seus.

- Ainda bem. Sabe achar vagabundos de rua tão bonito assim é difícil viu. – ele sorriu torto.

- Fico feliz que você me encontrou, pois eu realmente estava perdido e você me salvou. – ela sorriu mais.

- Vamos meu príncipe, antes que nossos anjinhos decidam que não merecemos uma noite de descanso. – ele assentiu e beijou a testa de sua mãe e depois seus bebês.

E foi em direção a sua Bella que sorria para ele.

Sorriu pensando que quando achava que sua vida não tinha mais sentido, ela o achou e salvou de se afogar em sua tristeza, e lhe mostrou que ainda podia achar amor, que ainda podia sonhar.

E era como se sentia com ela. Em um sonho do qual nunca mais queria acordar.


Fim!

2 comentários :

Que perfeito *-*

Anônimo
10 de junho de 2015 22:02 comment-delete

Descobri essa fanfic hoje! Só em 2016! Por que não achei ela antes? Maravilhosamente linda essa fanfic, boa de ler

Anônimo
14 de agosto de 2016 11:22 comment-delete

Postar um comentário