Meu adorável vagabundo - Capitulo 3.


|Capitulo Três|


- Aqui? – ele falou sem fôlego, e ela gemeu se esfregando nele.

- Oh sim, por favor. – ela estava usando saia e ele a empurrou para cima e afastou sua calçinha a penetrando com dois dedos.

Ela abaixou a cabeça e mordeu o ombro dele, contendo o gemido alto. Ele movia seus dedos dentro dela, serpenteado em seu ponto de prazer. Ela começou a sugar e a lamber o pescoço dele.

- Sempre tão molhada.

- Só por você. – ela gemeu e ele aumentou a pressão e pressionou seu clitóris.


Ela agarrou os cabelos dele e beijou sua boca com urgência. Enquanto sentia seu corpo inteiro tremer, e sua intimidade ordenhar os dedos dele.

Ela amoleceu nos braços dele, e ele levou os dedos a boca o sugando, e depois a beijou com paixão. Ela o abraçou apertado.

- Volte pra casa comigo? – ela pediu com a cabeça no pescoço dele e ele a apertou mais contra seu peito.

- Eu não posso. – ele murmurava com pesar e ela soltou suas pernas dele, e se firmou no chão.

- Edward? – ela chamou e segurou seu rosto. – Por favor. – ele negou e enfiou o rosto no pescoço dela, cheirando sua pele quente e suada.

- Eu vou te magoar Bella.

- Não. Por favor, eu preciso de você. – ele se afastou dela. E ficou de costas.

- Bella... – ele terminou de falar, pois ela o abraçou por trás. Seus seios comprimidos contra suas costas, as mãos dela em seu peito.

Ela beijou suas costas e ele suspirou. Queria ficar. Queria Bella. Mais e se acontecesse de novo. E se por culpa dele... afastou os pensamentos e ficou de frente para ela.

- Bella... – ela o calou com um beijo, e ele tremeu. A cada segundo ela quebrava sua resistência. Fazia ele querer aquilo que ele perdera.

- Só volte comigo. – ela pediu contra a boca dele, e ele se viu assentindo.

Saíram do túnel escuro, e ela começou a se ajeitar, ele colocou o gorro que ela devia ter derrubado. Ela arrumava o cabelo e ele sorriu.

- Devo estar um horror. – ele sorriu.

- Esta linda como sempre. Eu por outro lado. – ele apontou para si mesmo, que estava com as roupas velhas e não se via muito limpo, ela sorriu e deixou o cabelo de lado.

- Quando chegarmos em casa te darei um banho. – ele arqueou uma sobrancelha.

- Hummm muito tentadora sua proposta. – ela riu e quando chegaram até a calçada onde ela o viu. Avistou Mike do outro lado da rua com o carro.

Bella pegou o celular e avisou onde estava e logo estavam no conforto do carro indo em direção a casa dela.
Edward a observou enquanto ela deitou a cabeça em seu ombro e não pode evitar lhe abraçar os ombros e a puxar para perto.

No dia em que dormiram juntos ficou tão desesperado. Senti-la, toca-la, foram as melhores coisas que já fizera. Mais ao vê-la adormecida como um anjo, se lembrou por que estava só e que não merecia esse anjo.

Fora um monstro, elas morreram por sua culpa. E aonde ia só trazia tristeza. Devia ficar longe de tudo, mais agora não conseguia ficar longe dela.

Durante o mês fora todo dia em frente a empresa onde a conhecera. A olhava sair com o motorista, e ficou aliviado de que ela não saia mais sozinha.

Mais hoje ela estava só, e o pânico o dominou. Ela ia sair a noite sozinha? Mesmo depois do que acontecera. Em seu desespero saiu do seu esconderijo, mais ela o viu.

Correu para longe dela. Tentando evitar a angustia de que a deixaria sozinha.

O maldito Black estava na cadeia. Mais sempre existiam outros, que faziam mal a anjos como ela. Sua Bella. Não, não era sua e nunca seria. Ele não podia.

Afastou os pensamentos quando o carro parou em frente a casa dela e ele saiu a pegando no colo.

Deu boa noite a Mike e subiu com Bella, ainda lembrava onde era o quarto dela. O mesmo onde ela o havia levado, onde se completaram se tornando um.

A colocou gentilmente sobre a cama. E ficou em pé a observa-la dormindo, saiu fechando a porta e foi até o quarto onde ficara.

Ficou surpreso ao ver tudo como ele deixou. As roupas ainda lá, o mesmo lençol. Sorriu e foi para o banheiro.

Bella se espreguiçou e viu que já estava em casa. Se desesperou ao ver a cama vazia e levantou apressada. Saiu do quarto, mais ouviu o barulho do chuveiro.

Seguiu o som até o quarto de hospedes e viu as roupas velhas jogadas na cama. Caminhou até o banheiro e fechou a porta e começou a se despir.

Assim que ficou nua abriu o Box e viu ele apoiado as mãos contra a parede enquanto a água caia em seu corpo perfeito. Sorriu e entrou o abraçando por trás.

Ele virou a cabeça e ela sorriu.

- Eu lhe prometi um banho. – ele sorriu torto e ficou de frente para ela.

- Sou todo seu. – ela riu e pegou o sabonete fazendo espuma e começou a passar pelos ombros e o peito largo, a barriga e desceu para o membro o lavando.

Sorriu quando ele gemeu e ficou ereto, ficou de joelhos e acariciou as bolas e levou o membro a boca sugando e lambendo. Ele jogou a cabeça para trás e gemeu alto e a puxou para cima a fazendo se enroscar nele e a penetrou em uma única investida.

- Oh Deus, continua apertadinha.

- Edward.

- Geme meu nome delicia. – ele sussurrou e ela gemeu alto enquanto ele investia fundo e forte, a fazendo arranhar suas costas e lamber seu pescoço.

- Edward... Oh... não pare... – ele continuou investindo contra sua intimidade pulsante quando levou os seios a boca os sugando e lambendo.

Ela apertou seus ombros sentido seu prazer vir com força, e o membro dele pulsava dentro dela. Antes que ele se liberasse ele saiu de dentro dela e moveu a mão em seu membro até gozar.

Ela se abraçou a ele e deixaram a água lava-los. Assim que terminaram se enrolaram nas toalhas e saíram para  quarto. Ele deitou na cama e a puxou para ele, que caiu em cima do corpo dele.

- Vai estar aqui de manhã? – ela perguntou se apoiando no peito dele, que sorriu e afagou seu rosto.

- Estarei aqui. – ela sorriu e se aconchegou nele deixando o cansaço dominar seu corpo e logo estava dormindo.

Edward beijou os cabelos dela, e suspirou. O que devia fazer? O certo era deixa-la, não devia se envolver. Deixara tudo para trás. Sem arrependimentos.

Agora queria poder voltar. Ser um homem que pudesse ficar Bella para sempre. Cuidar dela, amá-la.  E ele não podia, o amor morreu para ele naquele dia.

Suspirou e fechou os olhos, era melhor parar de pensar tanto e só aproveitar a mulher doce e quente que tinha nos braços, pelo tempo que durasse.


As sirenes estavam altas, e os gritos. O choro desesperado do homem era ouvido por todos que mantinha algo contra o peito.

Alguém o agarrou para retirar o pequeno corpo dos seus braços. Mais ele ainda chorava e não soltava. Alguém lhe aplicou uma injeção e logo a inconsciência o dominou, deixando aquilo que mais amava sair de seus braços.

A pequena menina que nem vivia mais.

Ele acordou suado e ofegante. Passou as mãos pelos cabelos e viu a cama vazia. Fechou os olhos e a cena voltou a sua mente.

Maldita seja. A anos que não sonhava com isso. E agora voltava a lhe assombrar. Abriu os olhos quando a porta se abriu e a viu.

Não pode evitar o sorriso ao ver a linda mulher com os cabelos soltos e bagunçados, usando somente uma camisa e trazendo uma bandeja.

- Bom dia. – ele sorriu mais e deu espaço para ela colocar a bandeja.

- Bom dia.

- Com fome?

- Faminto. – ela sorriu e começou a servir o café para ele.
Comeram em silencio, e ela tirou a bandeja da cama assim que acabaram e a colocou no chão.

Ele a puxou pelas pernas e ela deitou na cama. As mãos dele passeavam por seus joelhos e subindo para as coxas e descendo.

- Me diga, esta usando algo por baixo? – ela mordeu o lábio.

- Não.

- Ah maldita. – ela riu e as mãos dele subiram até levantar a camisa e exporem sua intimidade, as mãos dele continuaram subindo até seus seios, e brincou com os mamilos.

Começou a distribuir beijos pela barriga até chegar aonde queria, e sugou sua intimidade que já estava úmida e quente.

- Oh Deus. – ela gemeu rebolando contra a boca dele, que a sugava, dois dedos deslizando por suas dobras a deixando cada vez mais a beira do precipício.

Ele agarrou seus cabelos e o puxou para cima devorando sua boca, em um beijo cheio de luxuria. Ele a agarrou pelos quadris e pegou uma camisinha na cômoda dela e envolveu seu membro que já estava aponto de explodir, e a penetrou em uma única investida.

Agarrou seus quadris e a levou mais fundo, penetrando em seu calor, pulsando de desejo por essa mulher que o fazia esquecer de tudo.

- Edward. – ela gritou o tomando cada vez mais profundamente, a cada investida forte que ele dava.

- Isso Bella me aperta gostoso. – ele rosnou, sentindo que ela estava próxima assim como ele, e beliscou os mamilos dela, a fazendo gritar e o puxar para um beijo urgente, tomando assim seu grito quando ela se liberou, sendo seguida por ele.

Ele caiu sobre ela ofegante e ela afagou seus cabelos, e beijou os cabelos dele se sentindo feliz por ele estar ali com ela.

Fazendo amor com ela. Mais isso lhe mostrava a assustadora verdade. Estava apaixonada pelo seu vagabundo de rua, misterioso e lindo. Que poderia sumir a qualquer momento.

Sentiu uma lagrima escorrer por sua bochecha, mais a secou rapidamente. Ele estava aqui agora. E só isso importava. Enterrou o rosto nos cabelos dele e fechou os olhos adormecendo logo em seguida.

Ambos acordaram quando o telefone começou a tocar. Bella abriu os olhos e sorriu vendo que ele continuava em cima dela. Esticou o corpo e pegou o gancho.

- Alô.

- Bella, é Angela.

- Boa tarde Angela. Ouve algo?

- Sim, lembra que queria ter uma reunião com aquela empresa que queria fazer a fusão?

- Qual?

 A C&C.

- Ah claro. Já sei qual é. O que tem?

- Um dos donos esta na cidade. E gostaria de falar com você.

- Hoje?

- Sim. Ela terá que voltar amanha. – Bella suspirou.

- Esta bem. – Bella deu uma rápida olhada no relógio de seu celular.

- Marque então para daqui uma hora. Só vou me arruMAR. – Bella gritou ao sentir uma leve mordida do bico do seio, e logo seguiu uma chupada.

- Bella?

- Estou bem. Melhor marcar a reunião para daqui a duas horas. – ele riu baixinho e acariciou a bunda dela ainda sugando seu mamilo.

- Bella?

- Duas horas Angela. Merda.

- Isabella Swan, o que a senhorita esta fazendo?

- Oh Deus. – ele beliscou seu clitóris e ela ofegou.

- ISABELLA! – a voz de Angela saiu alta, e antes que Bella pudesse falar ele pegou o telefone.

- Assim que eu acabar com ela. Bella é toda sua.

- Edward. – Bella gritou e ouviu Angela rindo do outro lado da linha. Ela puxou o telefone da mão dele, e falou com Angela extremamente corada.

- Angela...

- Duas horas, entendido chefe. Ah divirta-se.

Assim que desligou o telefone se preparou para brigar com ele mais já era tarde, ele já estava com a boca lá.

Impossível pensar assim.

Bella saiu do banho, e viu ele enrolado na toalha, e foi até ele sentando em seu colo.

- Por favor? – ela piscou seus olhos chocolates e ele suspirou.

- Eu estarei aqui quando você voltar.

- Ah mais nos podemos passear depois. – ela mordia o lábio em expectativa e ele riu.

- Esta bem. – ela deu um pulo animada e o abraçou dando vários beijos em seu rosto.

- Te adoro. – ele sorriu torto.

Assim que Bella foi se vestir, e ele foi até o quarto de hospedes e vestiu uma das roupas que ela tinha comprado para ele.

Uma calça jeans e uma camisa azul clara, e a dobrou até o cotovelo. Vestiu um tênis e foi até o quarto dela. Encostou na porta a vendo.

Ela usava um vestido solto azul, e deixou os longos cabelos soltos, e vestiu a sandália clara. Ela se virou para ele e sorriu e ele caminhou até ela.

- Esta tentando me deixar louco por você. – ela sorriu e o abraçou.

- Depende esta funcionando? – ele riu e a beijou com calma, se afastando e encarando os olhos dela que o olhavam com carinho, e talvez amor.

Mesmo ele não merecendo, ele queria que ela o amasse. Era um masoquista mesmo. Fechou os olhos e encostou a testa na dela.

- Vamos. – murmurou e ela assentiu.

- Vamos.

 Bella sorria enquanto entrava na empresa de mãos dadas com Edward. Ele quis esperar no carro, mais ela insistira que ele fosse junto, assim conhecia Angela.

- Podemos ir ao cinema. – ela sussurrou e ele sorriu, enquanto saiam do elevador.

- Aonde você quiser.

- Você não quer escolher algum lugar?

- Sua cama. – ela riu e parou de andar o abraçando pelo pescoço.

- Mais tarde serei toda sua. – ele fechou os olhos e a apertou de encontro ao seu corpo.

- Já estou ansioso. – ela sorriu e ficou na ponta dos pés para beija-lo, ele sorriu contra a sua boca e a beijou com paixão.

- Edward. – eles se soltaram quando uma voz fina chamou por ele.

Bella olhou a pequena mulher de cabelos curtos negros e feições pequenas e delicadas. Ela parecia chocada ao ver Edward. E voltou seu olhar para ele que parecia nervoso.

- Edward? – Bella chamou mais ele se afastou dela.

- Eu... Eu... Preciso ir. – ele entrou de volta ao elevador e as portas se fecharam.

Ambas ficaram em silencio olhando para o elevador que descia para o térreo. Bella não acreditava que ele tinha partido, ou melhor fugido. Justo agora que tudo ia tão bem.

- Onde ele mora? – perguntou de repente a mulher que o assustara e Bella se voltou para ela.

- Quem é você? – a mulher suspirou.

- Alice Cullen.

- OMG você é mulher dele.


|Continua|

0 comentários :

Postar um comentário