Despertando Para O Prazer - Capitulo 20


Missão:

1– Encontrar um cinema com cadeiras confortáveis.

– Uma sessão a meia noite.

3 – Dar prazer à mulher que eu amo.

Um almoço simples, conversas agradáveis e divertidas. Será que todos que tiveram que passar pelo sufoco de conhecer um sogro, tiveram a mesma sorte que eu? Acredito que não, a familia dela era engraçada. Agora no final da tarde inicio da noite teríamos uma missão. Missão a qual eu estava completamente obcecado em cumprir.

Voltamos para casa o efeito das cervejas ainda não havia passado eu precisaria de um banho para voltar ao meu estado, talvez normal. Tomei uma ducha rápida que não ajudou muito enquanto Bella tomava a sua eu imaginava aonde iríamos onde eu iria achar um cinema vazio. Procurei pelo jornal e achei um filme que com certeza a sessão estaria vazia.

- Aonde vamos?

- Estou pensando, não vou muito ao cinema, conhece algum bom?

- Podemos ir ao shopping. – definitivamente não. – ou em alguns desses cinemas de rua.

- Cinema de rua, conhece algum que tenha sessão a meia noite?

- Porque a meia noite?



- Porque o que eu pretendo fazer com você, na ultima fileira. A sessão tem que estar vazia. A menos que queira platéia. – e lá estava meu sorriso safado. – e vá sem calcinha.

O vá sem calcinha surtiu mais efeito do que o desejado, escolhemos um filme qualquer eu definitivamente não me lembro do nome, a sessão era a meia noite, haviam pessoas no cinema. Adolescentes, será que eles gostariam de um showzinho. Felizmente ou não todos foram para uma sessão de um filme de terror, enquanto nos dirigíamos a uma sala de algum filme bem chato. Segurei em sua mão guiando-a pela sala escura, os trailers de outros filmes iluminaram a sala. Só nós dois e uma sala de cinema inteira para nossa "diversão" pobre pessoas que decidiram ver um filme de terror. O filme do ano seria protagonizado nesta sala. Durante algum tempo Bella me olhava e prestava atenção nos trailers.

Sempre a mesma coisa, filme de vampiro, filme de lobisomem, outro filme do James Bond, mais um filme-fiasco do Tom Cruise. A coisa estava ficando muito chata. Lógico que tínhamos que ficar e fazer pelo menos que estávamos a fim de ver o filme. 30 minutos depois e todos os trailers possíveis. O filme começou. Bella prestava atenção eu estava quase dormindo tamanha a chatice, quando a mão dela subiu pela minha coxa. Eu apertei a mão dela.

Colocando minha mão sobre a dela guiando aonde eu exatamente queria que ela me tocasse com a outra mão subi pelo seu pescoço puxando para mais perto beijando, acariciando-o enquanto a beijava e sentia o calor de seus lábios nos meus. Bella quebrou o beijo olhando para a tela, bem eu achei que era a tela.

- Temos companhia. – ela apontou para um casal que estava se acomodando na primeira fileira. Sem ao menos nos reparar.

- Não repararam em nós. Vamos continuar- sussurrei para ela mordendo sua orelha.

Bella cruzou e descruzou a perna milhares de vezes, enquanto nos beijávamos. Parecia que algo a incomodava. Coloquei minhas mãos sobre suas pernas e perguntei.

- Algo errado? – como se eu não soubesse. - Você cruza e descruza essas pernas.

- Você sabe o que está errado, se quiser consertar. Estou disposta a cooperar.

- Vem cá. – puxei sua mão a fazendo a levantar de sua cadeira e sentar no meu colo. – vamos inventar uma nova modalidade. O Kama Sutra oral. – ela riu. Beijando minhas bochecha.

- Você é doidinho, ou as cervejas que tomou com meu pai ainda estão surtindo efeito?

- As cervejas, acho que não... chega de papo. Vou te explicar a nova posição, acabei de inventar quero testar. Sente com uma perna de cada lado, por favor. – ela fez o que eu pedi. – agora levante até o encosto do assento.

- As duas?

- Sim as duas! – ela levantou, agora sua panturrilha estava encostada no assento da minha cadeira.

- Eu quero que você eleve o corpo, para isso você vai se encostar na cadeira da frente. Deite-se e eleve o quadril.

Ela apoiou a cabeça na poltrona da frente e eu coloquei minhas mãos em seu quadril subindo seu vestido. E a ajudando ela se elevar, deslizei minha mão até onde poderia alcançar, beijando suas coxas saboreando cada pedaço de sua pele. Sentindo o cheiro de sua doce excitação eu aspirei todo aquele cheiro para guardar na memória e me lembrar sempre desse momento, Bella levantou um pouco mais seu vestido e eu adentrei com minha língua sentindo seu gosto.

Fiz o meu melhor trabalho, enquanto ela se elevava mais em minha direção. Trabalhava com a minha língua. Apertava sua bunda trazendo-a para mais perto, ainda mais que o possível. Eu disse que o melhor filme seria interpretado nesta sala.

Bella gemia contidamente eu acho. O som do filme não me deixava ouvir os sons que eu tanto amava os gemidos de prazer causados por mim, somente por mim. Minutos se passavam, até que Bella apertou suas pernas e eu sabia que ela estava quase lá, apressei os movimentos da minha língua. Sentindo o mel escorrendo pela minha língua. Adentrando minha boca, transformando a sede dela em alivio. Tanto para ela como para mim. Antes de descer Bella abri o zíper da minha calça, libertando minha ereção mais que evidente.

Trouxe Bella à mesma posição de antes, beijando. Para que ela sentisse seu gosto em minha boca. Beijava-a furiosamente enquanto a safada se esfregava em minha ereção.

- Foi o melhor oral da minha vida. – sussurrou em meu ouvido.

Aquilo fez meu corpo todo estremecer, eu precisava dela. Uma dependência, afastei o decote dos seus seios passando minha língua entre o vão deles. Enquanto minha mão trabalhava no seu mamilo esquerdo eu chupava o mamilo direito mordendo fazendo Bella se arquear ainda mais e o contado de seu sexo com o meu se tornar maior ainda. Eu levantei um pouco Bella me recostando em uma posição mais confortável. Fazendo a cadeira se reclinar um pouco. Rocei meu membro em sua entrada, enquanto ela arqueava suas costas pedindo mais contato.

Segurei Bella pela cintura trazendo-a e enterrando meu membro. Me segurava pelo pescoço enquanto eu recostado na cadeira me enterrava nela, gemidos altos e o barulho de nossos corpos se chocando até havíamos esquecido do casal que estava na primeira fila, duvido que não estejam fazer algo do tipo. Porque pior que nós dois não existe, e nunca vai existir.

Desceu suas mãos passando sua unha por cima da minha camisa, causando arrepios na minha coluna.

- Mais forte! – ela ordenou

Agarrou o braço da poltrona enquanto eu bombava cada vez mais forte, para quem olhasse a cena só veria eu e as pernas de Bella balançando sobre a poltrona. Uma verdadeira cena bizarra para quem vê de outro ângulo uma bizarrice muito prazerosa ao meu olhar eu podia sentir o suor na minha testa descendo, estocava em Bella segurando em seu quadril, ela levantou um pouco se endireitando me beijando, enquanto apertava meu membro.

Os gemidos dela abafados em minha boca junto com os meus. Quando Bella cravou suas unhas em meus braços e jogou sua cabeça para trás e apertou ainda mais meu membro fazendo com que eu chegasse ao orgasmo junto com ela. Nossas respirações ofegantes. Eu olhava para a cena, dando uma checada para ver se alguém tinha nos notado. Definitivamente nada, o casal na primeira fila se agarrava lá embaixo.

Bella se endireitou descendo seu vestido, enquanto eu subia meu zíper ela se sentou na cadeira colocando seus pés em meu colo. Eu olhei para ela passando as costas de minha mão em sua bochecha. Eu sorri para ela, um sorriso de criança que tinha acabado de aprontar. E aprontamos mesmo.

Ela se recostou em sua poltrona olhando para o filme, havíamos perdido metade do filme, não importava muito, pois o filme era realmente um porre. Bella segurava a minha mão, quando ela soltou aos poucos eu a olhei. Tinha caído no sono. Deixei que ela dormisse um pouco enquanto prestava atenção no filme. Até que estava interessante, mas olhar Bella dormir era muito mais, tão inocente, calma. Quando o filme acabou já passavam das duas da manhã e eu acordei Bella.

- Filme bom? – perguntei quando ela despertou do meu lado.

- Eu não sei, você me deixou dormir. – gargalhei com essa resposta.

- Vamos embora, você esta cansada, e os lanterninhas do cinema vão nos enxotar se não andarmos logo.

Caminhamos de mãos dadas até o carro eu abri a porta para ela, como bom cavalheiro, eu já podia dirigir sem nenhum risco. Bella estava tão quieta, eu queria deixá-la dormir mais uma coisinha me cutucava para contar o que eu conversei com o pai dela.

- Bella? – chamei baixinho.

- Hum... – ela virou o rosto para minha direção interessada, mal sabia o que eu iria falar.

- Você não está interessada sobre o que eu conversei com seu pai? – ela pareceu acordar. Despertou completamente com a curiosidade.

- Sim, o que vocês falaram? Ele me entregou muito. – virou completamente seu corpo para minha direção agora.

- Basicamente, foi sobre a vida sexual dele e da sua madrasta! – ela arregalou os olhos.- você sabia que ele lê os meus artigos?

- Edward eu não mereço saber a vida sexual do meu pai! – ela ficou completamente vermelha.

- Claro que não. Mas quando ele me perguntou se eu faço o que escrevo com você eu não pude mentir. Eu fui sincero.

- Você fez o que? – aí!

- Isso mesmo, eu fui bem sincero... bem sincero mesmo. Eu disse a verdade.

- Ta explicado! Agora eu entendi porque você ainda está aqui comigo. Geralmente meu pai quando não gosta de uma pessoa, ele faz de tudo, e quando eu digo, tudo é tudo mesmo. Eu me espantei o quanto ele gostou de você.

- E isso não é bom?

- Não sei dizer ainda...

Aquela resposta vaga deu inicio ao que talvez fosse o fim de um romance que não estava nem ao menos no começo.

0 comentários :

Postar um comentário