The Cullen's Secret - Capitulo 51


Meu marido engoliu em seco, pois ele sabia que não podia matar a bruxinha se fosse precisar da ajuda dela. Ele respirou fundo e sorriu de um jeito super forçado que quase me fez rir.

- Então, como eu estava dizendo, precisaremos que você faça sua mágica para que a guerra não fique tão visível a olhos humanos. Tem como?
- Eu não faço mágica.
Daí-me paciência! Depois tem a cabeça arrancada e não sabe por quê. Olhei para Bella, que me suplicava calma com os olhos e voltei minha atenção para a porra da bruxa.

- Tudo bem, vou consertar. Preciso da sua ajuda para usar seu incrível e único poder.


E enquanto isso, as horas corriam e mais perto de uma guerra demoníaca nós estávamos. Tudo graças ao ego gigante de uma bruxa ruiva. A garota me olhou como se tivesse um rei na barriga – se achava mais do que eu, como pode? – e torceu a cara. Ela estava brincando comigo, não estava?

- Edward, pode deixar que conversarei melhor sobre isso com Willow.

A caçadora nos interrompeu, com medo de que eu matasse sua amiga ali mesmo e a levou para longe.

- Buffy! Nós não temos tempo para convencer ninguém! Escutou? Buffy!
Edward estava realmente irritado com aquela situação, como há muito eu não o via. Ele expôs os caninos e ia na direção pela qual Buffy e Willow foram, quando Angel o bloqueou, encostando-o na parede e com os dentes afiados também de fora.

- Eu te respeito, mas não me obrigue a expulsá-lo daqui!

Ficou mais confuso ainda quando Hazel tomou as dores de Edward e levitou, levando uma mão até o pescoço de Angel e rosnando para ele.

- Não me obrigue, você, a matá-lo... Solte o Edward!

Antes que Angel fizesse alguma coisa, meu próprio marido se soltou sozinho, empurrando para longe o outro vampiro. Percebi que ia rolar uma luta básica ali naquela casa e por mais que eu soubesse que Edward tinha razão de estar nervoso, não era certo deixar Hope ficar presenciando aquelas cenas.

- Parem já com isso!

Entrei no caminho dos meus dois vampiros e olhei feio para eles. Hazel até respeitava um pouco, mas eu sabia que Edward por dentro estava era gargalhando da minha cara.

- Bells, amor, você tem meio metro. Se quisermos brigar...
- Eu já entendi, Edward.

Ele olhou de forma desafiadora para Angel e então pegou em minha mão, me puxando para fora da casa, junto com Hazel. Respirei aliviada quando chegamos no carro e Edward abriu a porta para mim.

- Não perderei mais tempo com eles.
- Mas precisamos deles.
- Não, nós precisamos da bruxa. Não preciso de Buffy, muito menos do segurança dela. Eu faço melhor do que eles dois juntos.

Segurei a porta, antes de entrar e puxei o rosto de Edward para que ele me olhasse.

- Mas você não tem outra bruxa, Edward.
- Não, não temos.

E como assim ele iria se conformar com aquilo? Eu estava me preparando para um discurso em como ele deveria engolir o orgulho e ir implorar pela ajuda de Willow, quando fomos interrompidos pela caçadora. Não a Buffy, a May. Sim, aquela que fica babando pormeu marido.

- Oi. Eu... vim oferecer minha ajuda.
Ela achava que sabia lutar? Confesso que era até uma menina bem interessante, mas daí a saber lutar, já era bem diferente.

- Ajudar em que, lindinha?
Que porra é essa dele chamando-a de “lindinha”? Edward Cullen estava perdendo a noção do perigo. Encarei a rapariga para ver se amedrontava a criança e ela saía correndo para debaixo das asas de Buffy, mas não. Ao invés disso, ela abriu um sorriso.

- Se Buffy não está se importando com isso, eu estou e quero ajudar no que for preciso. Quero ir com vocês.
- Quer vir conosco? E o que você acha que Buffy vai fazer quando souber disso?
- Não me importo com o que ela vai pensar. Buffy é ótima comigo, mas não manda em mim.
Preciso dizer que cada minuto que passava eu gostava ainda mais dessa caçadora.
Você está entrando na minha mira, mulher!

A caçadora me parecia bem segura do que estava fazendo e eu não iria mesmo recusar ajuda. Eu ia respondê-la que era bem-vinda, mas não precisei fazer nada, já que Hazel abriu a porta traseira do carro e pediu que ela entrasse.

- O único problema é que eu não sei lutar direito ainda.

Ela falou com uma voz fina e quase inaudível, como se não quisesse mesmo que ninguém escutasse. Olhei pelo retrovisor e depois encarei Bella, que mordia os lábios enquanto olhava pela janela.

- Bem, nós a ensinaremos o básico.
- Eu também quero aprender, Edward.

Minha esposa fumou maconha.

- Querida, isso não é assunto para você.
- Qual o problema? Mayara também é humana e vai lutar...
- Ela é uma caçadora. Ela tem o dom dentro dela.
- E talvez eu também tenha.

Só se fosse o dom de cair, mas eu não queria me divorciar precocemente, então fiquei calado. Dirigi até em casa e encontrei outros carros estacionados ali. Já imaginava que Lestat tivesse voltado e que minha família também tivesse ido acampar por lá. Povo adora um acontecimento histórico, não?
Lestat já estava em nossa casa com sua comitiva e me parecia que ele estava ainda mais gato. Não que eu notasse muito, era só... ah enfim. Passei de cabeça baixa por ele e fui direto para a cozinha tentar preparar alguma coisa para o povo beber. Me deparei com 6 mulheres conversando dentro da minha cozinha e elas nem de longe pareciam vampiras.

- Ahn... oi?

- Você deve ser a Bella, certo?

Uma delas se aproximou e esticou a mão para me cumprimentar.

- Eu sou. E vocês...?
- Nossa, como é bom ver alguém que não seja vampiro!
- Com certeza, eu já estava me sentindo um prato de comida por aqui...

Cruzei meus braços para ver se elas me notavam e respondia minha pergunta. Eu acho que tinha o direito de saber, já que aquela era a minha casa, né? Uma delas, bem morena e de cabelos negros nos ombros, se pronunciou amigavelmente.

- Eu sou Glaucy. Estamos aqui com Lestat.

Ah sim, tinha que ser. Elas deviam fazer parte do imenso harém das mulheres de Lestat. Como eu não percebi isso antes? Ainda olhei em volta na esperança de ver surgir das cinzas uma escrava K, mas nada aconteceu.

- Fiquem à vontade então. Farei algo para vocês comerem...
- Obrigada. Eu sou Priscilla. Estas são Meny, Vanessa, Taty e Kese*.

Talvez seja impressão minha, mas algumas realmente não me eram estranhas. Já deviam existir na época em que eu fui ao castelo do príncipe.
- Conseguiu falar com a bruxa?
- Sim, Lestat, mas ela não vem. Ou pelo menos não deu certeza. No momento somos só nós.

O príncipe olhou para algo atrás de mim. Mayara. Notei então que ela meio que estava encolhida, tentando se esconder na minha sombra, mas não conseguiu.

- O que temos aqui? Petiscos para antes da batalha?
- Ela não é comida. Mayara veio para lutar ao nosso lado.

Com um pensamento extremamente pervertido dela direcionado ao Lestat, eu a olhei sem conseguir ficar sério. A garota ainda não tinha entendido que eu lia os pensamentos, né?
* As mulheres de Lestat aqui são as meninas que ficaram entre o 3º e 8º lugar no quiz de TCS.

Pensei em procurar por Bella, mas quase fui atropelado por um dos serviçais do príncipe entrando correndo em minha casa.

- Senhor, eles já estão se preparando! Devemos nos mover agora se não quisermos uma guerra aqui em frente.
Estava terminando de fazer sanduíches para as meninas, quando Edward apareceu por lá com cara de poucos amigos.

- Chegou a hora, Bells.

Uma histeria crescente da parte delas começou e eu me afastei com meu marido. Ele não estava tão confiante como na guerra da França e eu sabia que suas preocupações hoje eram muito maiores.

- Vai dar tudo certo, Edward. Dá tempo só de eu trocar de roupa?
- Você vai ficar em casa, junto com as mulheres do Lestat.
- Lógico que não!
- Lógico que sim. E nem adianta discutir esse assunto comigo, Bella. Hoje precisamos de todos que podem lutar e isso significa que não terá ninguém lá para tomar conta de ti.

Eu não me importava com meu bem-estar. Eu me preocupava era com ele. Estar longe, sem poder ver o que acontecia era muito pior. Edward beijou-me na testa e depois na boca, devagar, segurando o beijo por alguns segundos e depois sorrindo para mim.

- Estarei em casa antes que você consiga descer as escadas sem cair.
- Haha.

Num breve momento de despedida nosso, Lestat entrou na cozinha e começou a se alimentar do sangue de cada uma das suas 6 mulheres como um animal, rugindo ao final e passando a língua pelo canto dos lábios.

♪ Two Steps From Hell - Nemesis ♪
Fui atrás deles para a sala e vi o exército de vampiros que eu conhecia, ali, esperando pelo rei supremo deles. Drácula desceu as escadas com seu manto arrastando nos degraus e até mesmo Lestat engoliu em seco.

- Tchau Bella!

Hazel levitou para beijar meu rosto e sorriu. Senti meu coração ficando apertado em ver os homens da minha vida saírem por aquela porta, rumo à uma batalha que nem mesmo eles sabiam se ganhariam.

- Vão com Deus.

Suspirei e sussurrei baixinho. Drácula olhou rapidamente para trás, sendo o último a passar pela porta.

- Deus e eu não somos amigos, Bella.

A porta se fechou e eu olhei em volta, encontrando 6 mulheres que estavam mais perdidas do que cego em tiroteio. Uma delas estava com uma fatia de pão na mão.

- Tem patê?

Logo mais nós poderíamos dizer que a floresta de Forks nunca tivera tanto movimento. Ao chegarmos numa parte plana e com poucas árvores, percebi que não tínhamos um número tão grande assim do nosso lado.

- Eu achei que haveria mais vampiros por aqui.
- Fiz o que pude e o tempo permitiu, Edward. Não é muito simples reunir vampiros que residem do outro lado do mundo assim em tão poucas horas.

Lestat realmente não tinha culpa de nada. Para ser sincero, se tínhamos aquela contagem ali, era um pouco graças a ele, que sempre mexia os pauzinhos e conseguia o que queria. O vampiro arrogante, no final das contas, era mesmo respeitado pelos outros.

- Isso não vai dar certo. Edward, somos poucos! Estamos em quantos mais ou menos? Uns 220 ou 250?

Barata-branca perguntou ao se aproximar de nós. Não era muito comum vê-lo daquele jeito e se ele estava pessimista, eu tive medo que os outros também estivessem. A caçadora discípula de Buffy, veio até mim, de braços cruzados e queixo tremendo – provavelmente de medo, não de frio.

- Você acha que Buffy vai nos deixar na mão?
- Eu quem te pergunto. A tutora é sua, não minha.
- Nós vamos morrer, não é?

Ela, talvez. Mas eu não responderia aquilo, claro. Sorri e pousei uma mão no ombro da garota amedrontada. Tinha certeza que se ela pudesse voltar atrás, não teria me seguido.

- Vai dar tudo certo.

Notei Alice calada num canto, de olhos fechados como quem se concentrava em algo e me aproximei, pedindo que Mayara fosse procurar por armas que pudessem ser úteis a ela.

- Consegue ver alguma coisa, Alice?
- Não.
- Nada que nos ajude?
- Sinto muito, Edward.

Ela abriu os olhos e me olhou desanimada. Eu odiava me sentir tão impotente como dessa forma.

- Está tudo bem, Alice. Não precisa se esforçar, vai dar tudo certo. Sempre dá, não é?
- Eu espero que sim.

Eu tinha algumas questões para tratar com Alice, pois estava achando-a muito para baixo e às vezes uma pessoa assim numa guerra, ao invés de ajudar, atrapalha. Mas não deu para conversar nem um minuto a mais, pois o barulho dos lobisomens correndo, fez o chão tremer sob nossos pés.

- Eles estão aqui, Edward.

Agora ela já não precisava mais me avisar. Juntei-me rapidamente aos outros e por instinto, coloquei-me na frente de Hazel.

- Vlad, eles estão vindo de todos os lados.

Meu suposto pai olhou em volta e gritou, ou rosnou, algo que ele fazia muito bem.

- Formem um círculo! Não deixem nenhum buraco ou será nossa desgraça!

Eu contei o mais rápido que meus olhos conseguiram e pelo que via, podia chutar que ali tinham pelo menos uns 500 lobisomens. Ou mais.

- Estamos bem para não dizer o contrário. 200 contra 500...
- Que 200?

♪ Conviction - Groove Addicts ♪

Encarei Vlad, que sorriu malignamente. Um “maligno” que não era legal nem mesmo para ele.

- Edward, não estamos nem em 100.

Não tive tempo de absorver aquela informação, pois naquele exato momento, um dos adversários estava vindo chocar-se contra mim. E isso acontecia com todos os outros. Segurei no pescoço do infeliz e deixei minhas unhas entrarem por sua cartilagem. Podia ouvir ganidos por todos os lados e isso definitivamente era um som gostoso de se ouvir.

- Fechem o círculo!

Vlad esbravejava nos intervalos de sua matança, ao ver buracos aparecendo pelo escudo de vampiros. Nós matávamos com facilidade, mas éramos poucos para competir com eles. Muitos vampiros ali ainda eram inexperientes e vi James tentando lutar e proteger Ângela a todo custo. Ao ver aquela cena, imediatamente me lembrei que Hazel estava atrás de mim e joguei uma mão para trás, para senti-lo no meio daquele escudo esmagador de vampiros. Porém, ele não estava ali.

- Edward.

Olhei para Vlad quando vi que os lobisomens pararam de atacar e passaram a encarar algo sobre nossas cabeças. Quando olhei para cima, lá estava ele. Levitando sobre o círculo, com os olhos completamente negros e com a boca aberta. Dali, saía uma fumaça preta bizarra, que ia devagar na direção dos lobisomens. E era isso que aparentemente, estava hipnotizando-os.

- Como ele está fazendo isso?
- Não nos interessa agora, Emmett!

Aproveitei o momento de Hazel e me juntei a Vlad e Lestat, que desmembravam os lobisomens estáticos. Poderíamos ter acabado com todos rapidamente, se não fosse o grito de Hazel ecoar por toda a floresta. Akasha estava vindo até nós, com seu sorriso amaldiçoado nos lábios. Hazel grunhia, mas ainda conseguia manter um pouco da hipnose, facilitando para nós. Estávamos de igual para igual agora, com praticamente o mesmo número de soldados, mas Hazel já não agüentava mais. Já era possível ver sangue escorrer de seu nariz e ouvidos, quando Vlad voou para cima dela.

- Você nunca o terá, Akasha!

Era como ver bolas de fogo agitarem-se pela planície, numa velocidade incomum até mesmo para mim. Faíscas saltavam daquilo que deveriam ser seus corpos.

- Edward!

Olhei para o local de onde veio o grito e vi Buffy em pose de caçadora, com Angel, Spike e Puh ao seu lado. O amigo dela, o caolho, apareceu depois, com um arco na mão, mandando uma flecha bem no meio da cabeça de um lobisomem. Ok, o cara não tinha os dois olhos, mas era bom. Buffy partiu para cima dos infelizes, passando perto de mim e sorrindo.

- Está olhando o que, Cullen? Sério que vai perder na contagem para uma garota?

Ouvimos o baque do corpo de Hazel caindo no chão e imediatamente, os lobisomens saíram do transe. Vi de longe, um deles prestes a agarrar Mayara pela coluna e sabia que não a alcançaria a tempo. Felizmente, Spike colocou-se na frente dela e foi ele quem foi arremessado longe.

- Willow, seria bom se você não demorasse muito.
- Willow está aqui?

Perguntei para a caçadora loira e ela sorriu.

- Achou mesmo que eu viria sozinha, Edward?

Os lobisomens voltaram ao transe quando a bruxa surgiu trazendo uma chuva de folhas junto. A ventania era forte demais até para manter humanos como Buffy e Mayara em pé. Quando um rosnado baixo ecoou, todos paramos para ver Vlad arrancando um pedaço do ombro de Akasha. Ela no entanto, foi rápida o bastante para se desvencilhar dele e sair de nosso alcance.

- O que estão olhando? Acabem com todos eles!

Vlad ordenou ao voltar ao chão. Ele levou a mão à boca na tentativa de lamber o sangue da sua oponente, mas hesitou. Eu só podia imaginar que Akasha possuía algo tão terrível dentro dela que nem mesmo Vlad queria se contaminar.
Quando finalmente consegui alimentar aquelas mulheres famintas – penso que Lestat devia alimentá-las só de sexo – fui para meu quarto descansar e meditar um pouco. Minha mente estava com Edward, doida para saber o que estava acontecendo e eu precisava ficar sozinha para mandar boas energias para ele.

Levantei da cama para fechar a cortina, pois começou a ventar muito forte e ao me aproximar da janela, tive uma surpresa. Akasha estava ali do lado de fora, com um braço sujo de sangue, mas sem corte algum. Meu estômago revirou ao imaginar o que poderia ter acontecido com os vampiros.

- O que você fez...?
- Não se preocupe, estão todos bem.

Dei alguns passos para trás, mesmo sabendo que era impossível lutar com ela. Akasha sorriu e estendeu a mão para mim.

- Vamos dar um passeio, Bella.

No final das contas, a contagem de vampiros não tinha diminuído tanto quanto esperávamos que iria logo no começo da luta. Tínhamos conseguido dizimar um bom número de lobisomens e se não fosse Akasha ter fugido, estaríamos ainda mais satisfeitos.

- Sabe que não podemos contar isso como vitória, né Edward? O fato de Akasha ainda estar por aí não nos deixa muito tranqüilos.
- Eu sei perfeitamente disso, mas nós iremos achá-la logo, tenho certeza.

Vlad passou por mim e foi resolver algumas pendências com seus vassalos, digo, seus discípulos. Eu fui até o grupo de Buffy e engoli um pouco do orgulho para agradecer a ajuda deles. Tinha que dar o braço a torcer de que eles ajudaram bastante aparecendo de surpresa.

- Edward! Nunca mais traga uma caçadora que estou treinando para o meio de uma guerra, ouviu bem?

A loira baixinha veio toda furiosa e cheia de si para cima de mim e eu cruzei meus braços para me divertir com aquela imagem. Ela tinha muita coragem mesmo...

- Obrigado pela ajuda. E a propósito, sua aprendiz de caçadora veio porque quis, querida. Mayara me ofereceu ajuda sem que eu tivesse pedido.
- Não importa. Ela não fazia a menor idéia dos riscos que correria aqui! Você pode ser o imortal do inferno, mas ela não!

Nossa, que língua afiada essa. Que inferno? Eu era angelical ao extremo, olha minha auréola!

- Buffy, Edward tem razão, fui eu quem o procurei e ofereci ajuda, apesar de não ter ajudado em nada.

Não falei? Que culpa tinha eu?

Abri meus olhos me sentindo extremamente sonolenta e com o corpo pesado. Só via escuridão a minha volta e não fazia idéia de onde estava. Tudo que lembrava era de Akasha ter aparecido na janela do meu quarto e me chamado. Lembrava também perfeitamente de ter recusado seu convite e de ainda ter tentado fugir.

- Ei! Tem alguém aí?

Gritei e pude ouvir o eco da minha voz. O ambiente era frio e parecia ser amplo, algo que lembrava o interior de uma caverna.

- Edward?

Fui respondida apenas com o silêncio.
Voltei para casa com Vlad, Lestat e o grupo de Buffy nas minhas costas, porque aparentemente eles queriam comemorar a pseudo vitória. Quando entrei, fui logo até o quarto mostrar para Bella que estava inteiro como havia prometido voltar, mas ela não estava lá. Desci até a sala e encontrei as mulheres de Lestat acariciando e babando o ovo do príncipe.

- Alguma de vocês sabe onde está Bella?

Era como se eu estivesse falando com as paredes, já que as madames ali tinham olhos apenas para o vampiro loiro nojento.

- O que houve, Edward?
- Bella não está em casa.
- Ela deve ter ido em algum lugar então.

Buffy não parecia conhecer Bella. Minha esposa não sairia de casa sem antes saber se eu voltaria vivo.

Comecei a ficar estressado por não saber onde Bella estava e isso foi logo percebido pelas outras pessoas, que começaram a questionar onde minha mulher poderia estar.

“Deve estar chifrando o pobre coitado.”
Spike pensou o que provavelmente muita gente estava com vontade de pensar, mas eu não me preocupava com isso. Sabia que não corria o risco. Sim, eu sou gostoso.

- Edward.

Vlad me chamou num canto e me aproximei dele, ficando feliz por não precisar falar para me comunicar.

“Tem certeza que Bella não tinha lugar algum para ir?”
“Absoluta.”
“Colocarei gente atrás dela então. Iremos encontrá-la.”
Ele me deixou ali sozinho e saiu em velocidade. Eu não queria ser pessimista, mas estava com medo que algo de sério pudesse ter acontecido com Bella. Uma das mulheres de Lestat finalmente veio falar comigo e me confirmou que tinha visto Bella subir logo depois que todos nós saímos.
Minha respiração já estava ofegante, conseqüência do medo que só crescia em mim, por não saber o que estava acontecendo. Eu daria tudo agora para poder saber que Edward estava por perto.

- Olá, Bella.

Aquela não era a voz de Edward.

- Não, não sou seu marido.

Um arrepio percorreu cada nervo meu ao ouvir aquela voz e uma risada ácida que a sucedeu. Ainda estava muito escuro, mas um ponto de luz foi se formando um pouco a minha frente e eu descobri que a tal luz na verdade eram os olhos azuis da vampira, que brilhavam naquela escuridão.

- Akasha?
- Muito bem, querida. Achei que não fosse me reconhecer.
- O que faço aqui? Me solte ou irá se arrepender quando...

Ela gargalhou tão alto e tão estridente que parecia haver algo perfurando meus tímpanos. Se eu não estivesse com as mãos amarradas sobre a cabeça, teria tampado meus ouvidos.

- Me arrepender quando o que? Quando Edward vier resgatá-la?
- Com certeza.
- Bella, assim você me decepciona. Por que acha que está aqui?

Aquela pergunta foi feita com extremo sarcástico e eu tremi ao ouvi-la, já sabendo qual seria a resposta.

- O objetivo é justamente que venham te resgatar.

Num piscar de olhos, Akasha estava em cima de mim com uma mão na minha testa. Eu comecei a sentir dores terríveis na barriga e ela pareceu se divertir com aquilo. Não lembro de mais nada, pois desmaiei de dor em seguida.
Eu não precisava mais que Vlad descobrisse onde Bella estava. Algo dentro de mim já estava me dizendo que Akasha tinha algo a ver com aquele sumiço dela. Todos já estavam preocupados também e quando eu estava para sair de casa à procura de uma solução, Vlad me interceptou na porta.

- Edward, Bella está com Akasha.

Ok, ter uma leve suspeita não era o mesmo que ter certeza. A notícia caiu como uma bomba sobre mim e senti minhas entranhas queimarem.

23 comentários :

Posta o capitulo-51
Eu amei esse capitulo.....E to louca para saber se bela vai ficar gravida e virar vampira ou vai virar vampira e nao ter filhos
beijos

20 de novembro de 2011 12:33 comment-delete

Eu tbm letícia... To quase sendo internada!kkkkk

Amanhecer
29 de novembro de 2011 15:40 comment-delete

Putz...Bellita foi sequestrada pela do mal, espero que Edward mantenha a cabeça fria e use de uma estrategia que resulte em sucesso no resgate da mesma, senão..........lascou....
Ansiosa por mais.....

29 de novembro de 2011 17:53 comment-delete

pelo amor de deus esta história não vai sair do capitulo 51? já faz mais de um ano que eu li este capitulo.

Anônimo
14 de dezembro de 2011 10:43 comment-delete

idem

4 de janeiro de 2012 20:24 comment-delete

Idem2

Anônimo
18 de janeiro de 2012 03:34 comment-delete

Idem3

Anônimo
4 de fevereiro de 2012 18:38 comment-delete

Idem4

4 de fevereiro de 2012 18:54 comment-delete

ATENÇÃO LEITORAS.
A autora está muito ocupada, ele determinou que primeiro vai escrever só uma de todas as suas fanfics, e depois ela continua essa.
Não somos nós que não queremos postar, é apenas o que a Autora disse: "ESTOU MUITO OCUPADA, VOU APENAS ESCREVER 1 DE MINHAS FANFICS, DEPOIS CONTINUAREI TODAS".

EQUIPE THE BEST FANFICS
ADMINISTRAÇÃO Natália Alves

5 de fevereiro de 2012 13:39 comment-delete

Nossa... Só não desisto de ler, pois sou mega fã da K!
Amo essa fic e espero que ela nao seja esquecida, pois a cada dia eu fico pensando no que ira acontecer! Mas nada sai bom o suficiente para a fic!!!!!!
Bjusss

Nhany Oliver Amanhecer
19 de abril de 2012 23:57 comment-delete

por que não terminam de postar?
quero ler tuuuuuuudo... saber como termina.

Nossa!
Queria tanto ler o restanteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Anônimo
12 de novembro de 2012 17:57 comment-delete

Ave maria já faz uma ano q essa fanfics ñ movimentada !E uma pena,pq ela muito boa!por favor post logo
xoxo

19 de agosto de 2013 20:54 comment-delete

Aah olha eu sou meio atrasadinha e pirei com essa.!!!!!!!!!!!! Serio. Até chorei quando nao consegui abrir o capítulo 38....okay eu tava de tpm mas isso não vem ao caso. E bom AMOOOOO elaaa releio releio e releio espero que um dia vcs voltam a postar.

Anônimo
26 de agosto de 2013 17:33 comment-delete

Ai gente vou morrer de tanta pq v6 nao continuam :-(

Anônimo
1 de outubro de 2013 04:46 comment-delete

oiiie sou nova leitora decide ler todo para poder depois cometa. esta de parabens adorando ops!! adorando a sua fic :chorei,sorri,gargalhei esperando anciosa para o próximo capitulo robjus :*

Anônimo
4 de outubro de 2013 19:40 comment-delete

simplismente incrivel
quando vai sair o proximo capitulo?
por favor o mais rapido possivel

Anônimo
5 de janeiro de 2014 23:53 comment-delete

Adoreiiiii *-*

Já perdi a conta de quantas vezes li está fanfic.

Gostaria de saber se ela vai continuar????, já faz um "tempinho" que está parada neste capitulo :s

bjs

9 de janeiro de 2014 15:32 comment-delete

amoooo mais ta demorando pra postaaa

Anônimo
4 de fevereiro de 2014 16:45 comment-delete

Saudadesssssss *-*

20 de outubro de 2014 18:28 comment-delete

To amando a fic, ela e perfeita parabéns,mas posta os proximos capítulos rapido, estou super anciosa.
Bjs

30 de março de 2015 11:53 comment-delete

To amando a fic, ela e perfeita parabéns,mas posta os proximos capítulos rapido, estou super anciosa.
Bjs

30 de março de 2015 11:53 comment-delete

Continua a fanfic por favor!! Ela é ótima

Anônimo
22 de julho de 2016 00:23 comment-delete

Postar um comentário