The Cullen's Secret - Capitulo 48


Minha conversa com Lestat não foi demorada como eu achei que fosse ser. Assim que eu comecei a falar sobre o acontecido, ele avisou que estaria chegando em Forks pela manhã. Era só o que faltava mesmo, reunir Vlad e Lestat na minha tão pacata cidade. Não era bem o que eu tinha em mente, mas não podia simplesmente recusar a vinda do príncipe.

Ao voltar para o quarto, passei pelo de Hazel e encontrei o garoto sentado na cama, mexendo nos cabelos de um jeito não muito contente.

- Hazel?

Entrei em seu quarto e ele me olhou chateado.

- O que foi?
- Vai ficar duro.
- O que?

Será que ele já tinha esse tipo de... reação? Era estranho pensar nisso, sendo ele uma criança, mas eu não sabia exatamente como era o amadurecimento de uma criança vampira, já que nunca tinha visto uma.

- Meu cabelo...

Suspirei aliviado com a sua resposta e sentei-me ao seu lado na cama. Toquei em seu moicano e notei que estava tão duro, que talvez se eu fizesse muita força, seria capaz de partir ao meio.]

- Credo, o que você colocou aqui afinal?
- Gel.
- Só?
- Uhum.
- Cadê esse gel?

Ele levantou e foi até o banheiro, voltando em poucos segundos com um pote vazio nas mãos.

- Você por acaso usou tudo?
- Uhum.
- Aí está então o motivo para seu cabelo estar mais sólido que aço.

Ele revirou os olhos, como se tentasse olhar para o cabelo no topo da cabeça. Deus! Não poderia Lestat encontrar o garoto naquele estado.

- Hazel, seu pai chegará amanhã aqui. Precisamos dar um jeito em você.

Se me dissessem algum tempo atrás, que um dia eu estaria ajoelhado do lado de fora de uma banheira, enquanto dava banho numa criança, eu juro que mataria essa pessoa, por tentar me difamar. Bem, mas era exatamente isso que eu estava fazendo agora. Resolvi mergulhar Hazel dentro d’água para ver se dava jeito naquele seu estado lamentável. Pensei até em colocar soda cáustica na água, mas talvez não fosse preciso, certo? E poderia estragar a banheira.

- Você quer me afogar?

Ele levantou, cuspindo água enquanto falava.

- Não. Você pode respirar perfeitamente embaixo d’água, Hazel.
- Mesmo assim! Me sinto sendo afogado!

Inacreditável como ele conseguia ser tão corajoso a ponto de enfrentar Akasha, mas era tão medroso numa banheira. Uma maldita e inofensiva banheira! Depois de gastar 1 vidro inteiro de shampoo naquela cabeça dura, afoguei-o mais uma vez para deixar um pouco de molho e suspendi rapidamente antes que ele arrancasse minha mão. Sério, se fez o que fez com Akasha, ele poderia ser capaz de arrancar minha mão.

- Pronto! Acho que ficou melhor agora...


Toquei naquele ninho de passarinho e vi que ainda estava meio duro, mas eu tinha feito o possível, certo? Saí do quarto e fui para o meu. Bella estava dormindo e mesmo ela tendo me prometido que me daria hoje, eu não quis acordá-la. Sabia que ela estava cansada e assustada com o que tinha acontecido.

Nem me dei conta de que tinha sido derrubada pelo sono, só quando abri os olhos e ouvi o barulho do chuveiro ligado. Edward já devia ter ligado para Lestat há tempos e encontrou a otária aqui dormindo. Antes mesmo que eu pudesse me levantar e ir até lá, ele já estava saindo do banheiro, enrolado na toalha.

- Te acordei?
- Não. Voltou tem muito tempo?
- Não muito.

Edward aproximou-se de mim e ajoelhou na cama, beijando minha boca devagar. Seu corpo ainda estava levemente molhado, fazendo com que algumas gotas pingassem em mim. Alisei seus braços perfeitos e puxei seu pescoço para trazê-lo todo para mim, mas ele recuou.

- Deixa para depois, Bells. Prefiro que você só descanse.
- Hein?

Ele sorriu e afastou-se da cama, tirando a toalha para poder se vestir. Era totalmente maldade pura de ele fazer aquilo comigo! Como se eu fosse conseguir dormir tranquilamente depois de ter visto sua bunda. Ele vestiu apenas uma cueca e voltou para a cama, deitando ao meu lado todo carinhoso e beijando meu ombro.

- Eu te amo tanto...
- Você é mau!
- Bells, não adianta reclamar. Não irei fazer nada contigo hoje.
- Tem certeza?
- Absoluta!

Ele não sabia com quem estava falando! Uma mulher super excitada pelo marido gostoso que tinha! Virei-me tão rápido que até desconfiei de estar sonhando, já que normalmente eu não era assim, e subi em cima dele. Edward olhou-me surpreso e sorriu, levando as mãos atrás da cabeça.

- Ora, ora. Vou ganhar um showzinho?

Não respondi, apenas desci minha mão até seu membro que ao menor toque meu, deu sinal de vida, armando-se como uma barra de ferro. Edward revirou os olhos e suspirou.

- Você joga baixo, Bells.
- Quando é preciso, sim.
- Me ajudem!

OMG! Rolei para o lado com o susto que levei e acabei caindo da cama.

Mas que merda era essa? Hazel entrou correndo no quarto e acabou fazendo Bella levar um tombo. Puxei minha mulher de volta para cama, observando se ela não sofrera nenhum ferimento e fuzilei a peste com os olhos.

- O que faz aqui, Hazel? Bata antes de entrar!
- OMG. Estou em choque. Que susto!
- Vocês estavam fazendo sexo?
- Não te interessa!

E então eu vi o que o levou a entrar gritando em nosso quarto. O cabelo loiro do garoto parecia uma palha, de tão duro e seco que estava.
- Wow! O que fizeram contigo, Hazel?

Levantei da cama e fui tocar no que antes, era um lindo cabelo liso e sedoso. Estava totalmente seco, sem gel, mas parecia agora que estava mais duro do que antes. Não tinha mais moicano algum ali, já que agora todo o cabelo estava em pé. E eu não digo “em pé” de um jeito arrumadinho.

- Foi o Edward.
- Ah ok, coloca mesmo a culpa em mim. Eu que te obriguei a gastar o pote todo de gel.

A criança mais linda do mundo estava chorando sangue e isso cortava meu coração. Abracei-o e beijei sua cabeça, mesmo machucando um pouco minha boca no seu cabelo duro.

- Vai ficar tudo bem, ok? Nós daremos um jeito nisso.
- Desiste, Bells! Gastei o shampoo todo com ele e continuou esse desastre...
- Você lembrou-se de usar o condicionador depois? Ou só tacou o shampoo aqui?

Perguntei, meio que de costas para a cama e recebi o silêncio como resposta. Olhei para Edward e vi que ele estava com uma cara cínica agora.

- Bem... talvez eu tenha esquecido do condicionador.
Por que ela estava revirando os olhos para mim? Eu esqueci, nada demais. E também não acho que condicionador seja capaz de fazer milagres, porque era isso que Hazel estava precisando agora.

- Certo. Vamos tomar outro banho, Hazel.
- De novo? Mas eu já tomei...
- Sim e pelo visto não teve sucesso algum.

Hazel não sabia como uma mulher decidida podia ser. Tive vontade de avisá-lo para não discutir com Bella, mas nem precisei, já que ela saiu arrastando o garoto pela mão para fora do quarto. Me pergunto quantos banhos Hazel agüentaria tomar.

[...]

Era perfeitamente normal Bella ter desabado na cama depois de ter passado a noite dando banhos em Hazel. Pelas minhas contas, eu acho que ela lavou a cabeça do moleque 8 vezes. Eu acho.

- Amor?

Eu estava olhando pela janela quando ela acordou, sentando sonolenta e de rosto amassado na cama. Não preciso comentar que seus cabelos estavam com um fio para cada lado, né? Tão linda...

- Estou aqui. Bom dia.
- Que horas são? Não acredito que peguei no sono aquela hora!
- Lestat está chegando, vista-se, ok?

Eu já sentia que o inconveniente estava por perto e realmente não queria que Bella aparecesse na frente dele de calcinha e sutiã. Fui até o quarto de Hazel e encontrei o garoto arrumado como se fosse para um baile.

- Oi Edward! Meu pai está chegando!
- Eu sei... Vim te avisar, mas pelo visto não é preciso.
- Não mesmo.

A peste sorriu e saiu do quarto, descendo as escadas correndo. O cabelo felizmente tinha voltado ao normal, mas eu precisaria ir ao mercado comprar shampoo.

Droga! Saí pulando da cama para catar alguma coisa para vestir. Meu humor não estava dos melhores, já que eu queria ter transado com Edward e ao invés disso, capotei. Hazel pelo menos tinha ficado um gato, com cabelos sedosos e macios.

- Bells?

Meu amor entrou no quarto e levantou sensualmente sua sobrancelha, me comendo com os olhos.

- Vem que tem, vampirão!
- Eu até iria, amor... Mas preciso descer.
- Jura?

Ele riu e me pegou pela cintura, colando-me em seu corpo e descendo as mãos até minha bunda. Senti um leve apertão ali no local e depois um determinado volume na frente.

- Eu ontem te deixei descansar porque tinha motivos para isso, mas hoje essa cama vai quebrar se for o caso.
- OMG, Edward! Não pode ser agora?
Ela gostava mesmo de me provocar. Dei um tapinha na sua bunda gostosa e saí do quarto. Lestat chegou.
Abri a porta de casa e esperei pela limousine que estava chegando. O carro parou lentamente, sendo seguido por mais outros... Perdi a conta. Ele cada vez me surpreendia mais! O motorista saltou e veio abrir a porta para o príncipe. Claro, ele não podia fazer isso.

- Edward.

Lestat me cumprimentou com todo seu jeito cheio de pompas e fez um gesto com a mão, na direção dos carros de trás, que foram embora.

- Lestat. Bem-vindo.
- Obrigado.
- Trouxe poucos contigo, não?
- Foi apenas o que consegui reunir tão rápido...

Ele estava me zoando, né? Estava, claro. Sorri querendo socar aquele rostinho perfeito e entrei em casa. Hazel quase passou por cima de mim quando viu o príncipe asqueroso e pulou no colo dele.

- Pai!
- Ei rapaz! Estava com saudades!

Era tão estranho ver Lestat carinhoso assim com alguém, que me dava até vontade de rir. O moleque devia ter poderes mágicos mesmo, só pode.

Vesti uma roupa qualquer e desci para encontrar com Edward lá embaixo. Lestat estava na sala e... Ok, a reação sempre seria a mesma toda vez que eu olhasse para ele. O cara era lindo, o que eu posso fazer? Tudo bem que eu o ache nojento, arrogante, insuportável, falso e esnobe, mas ainda assim, ele era perfeito. Fisicamente, digo.

- Olá, Bella.
- Oi.
- Vejo que está cuidando bem de Hazel.

Olhei para o anjo que sorria divinamente. Era impossível não cuidar bem dele.

- Ela me deu uns 10 banhos ontem!
- Jura?

Eu tinha certeza que aquele olhar de Lestat não era exatamente de surpresa. Era mais algo como que pensando se conseguiria que eu lhe desse banho também. Bem, isso é apenas suposição, eu não leio mentes.

- Será que podemos deixar os banhos de Hazel de lado e colocarmos em pauta o assunto que é importante?
- Edward sempre com esse humor agradável! Vocês casaram, não foi? Achei que ele fosse ficar mais relaxado depois disso...
Eu só não voei em cima daquela praga porque precisávamos dele ao nosso lado na guerra.
[...]
Felizmente não foi preciso apaziguar as coisas entre os dois porque Vlad logo desceu para colocar ordem no recinto. Era engraçado como tanto Lestat quanto Edward abaixavam as orelhas rapidinho na presença do todo-poderoso. Eu fiquei de longe, mas prestava atenção na conversa dos vampirões e vampirinho. Sim, Hazel estava sentadinho observando tudo em volta.

- Impressionante!

Edward tinha acabado de contar a Lestat os últimos acontecimentos em relação ao anjinho. O príncipe olhou para sua cria e passou a mão nos cabelos dele, sorrindo.

- Bem, eu não sei... Mas talvez tenha uma explicação para isso. Ou não.
- Se tem, é melhor que você nos diga logo.
- Lembra quando você e Bella foram conhecer Hazel, que eu contei a história da mãe dele?
- Lestat, isso realmente tem alguma importância? Ou é mais uma de suas histórias fantasiosas?

Ok, acho que meu sogro não estava com muita paciência, o que era engraçado de se ver, visto que ele tratava Lestat feito lixo.

- Sim, é importante.
- Continue.
Não é à toa que meu sangue é nobre. Eu e Vlad pensamos igual quando o assunto é Lestat. Que ele era um verme e ponto final.

- Então, o vampiro que transformou Hazel... era... digamos que ele lidava com bruxaria. Não que eu realmente acredite nessas coisas, mas ele se achava bruxo, além de vampiro.
- O tal do Cedric?
- Isso.

Era só mesmo o que me faltava.

Eu ainda não estava acreditando naquilo. Bruxaria era uma coisa bem antiga e eu sempre soube que não era apenas boato. Na verdade, já tinha até conhecido alguns bruxos ao longo da minha existência, mas esse lance de vampiro e bruxo era completamente novidade para mim.

- Peraí, Lestat... Você acha que os poderes de Cedric passaram para Hazel?
- Os de vampiro não passam? Então...

Ele deu de ombros, olhando-me com tédio puro. Vlad pigarreou e encarou Hazel, que até então parecia mergulhado em sua própria mente.

- Talvez a mistura de ambas as espécies tenha intensificado cada um dos seus dons. Isso explicaria ele ser tão forte.
- E Akasha sabia disso?

Vlad balançou a cabeça negativamente e levantou, parando na frente de Hazel e levitando-o até deixá-lo da sua altura.

- Imagino que não. E isso é que me preocupa, pois se antes ela já o queria, agora provavelmente quer mais ainda. Akasha viu o que Hazel é capaz de fazer. Todos nós vimos e sabemos que isso é porque ele nem teve treinamento algum.
- Então nós podemos imaginar como seria se tivesse.
- Exatamente.

OMG. Eu estava boiando um pouco naquela conversa, mas se eu tinha entendido direito, eles estavam dizendo que Hazel além de vampiro era um bruxo? Tipo Harry Potter mesmo? Uau!
- Posso perguntar como foi que Hazel usou... poderes? Foi do nada?

Lestat perguntou diretamente para mim, já que ele evitava sempre encarar Vlad. Era tão divertido isso!

- Não foi do nada. Nós estávamos na casa de Buffy quando fomos atacados e uma amiga dela usou alguns poderes para conter Akasha.
- Desculpe, Edward. Eu juro que ouvi você falar “Buffy”.
- Isso mesmo.
- Buffy... a caçadora?

O príncipe me olhou em completo choque. Isso era tão legal!Eu sorri de um jeito divertido e ele dessa vez encarou Vlad. O que foi? Não acreditava em minha palavra?

- Isso é verdade?
- Sim. Edward é amigo de duas caçadoras, pelo que me parece.

Ah calma aí! Vlad estava exagerando um pouco, pois eu não era exatamente “amigo” delas. Lestat abriu um sorriso, mas não era daquele tipo de sorriso caloroso.

- Eu adoraria ficar cara a cara com Buffy. Sinto saudades de estar perto de uma caçadora... Já tem tanto tempo...
- Fique longe da minha sogra, pai!

Oh, Hazel tinha mesmo que piorar as coisas?

Tinha que aturar Lestat dando ataque agora. Bem, ele ainda não tinha feito nada, mas me olhava com uma cara azeda.

- Alguém pode me explicar do que Hazel está falando? Que papo é esse de sogra?
- Seu filhote se apaixonou pela filha da caçadora. Não é perfeito?

Ok, acho que Vlad estava gostando de ver Lestat surtar. Eu notei um pouco de ironia na sua voz e ele sorriu quando terminou a explicação. O príncipe fechou a cara e olhou para Hazel, que parecia nem se importar se estava ou não desagradando ao criador.

- Eu vou... tentar ignorar essa informação por enquanto.

Lestat então voltou a me encarar, suspirando. Eu sabia que na verdade ele devia era estar gritando internamente, horrorizado pela sua cria perfeita estar de graça com uma filha de caçadora. Nossa, isso era hilário!

- Lestat, quanto tempo até você convocar os seus... seguidores?
- Já fiz isso antes de vir para cá. Estão todos a caminho.

A conversa entre Lestat e Vlad parecia não me dizer respeito ou era impressão minha? Tudo bem, talvez eu nem devesse me importar com isso, mas eles tocaram num ponto um pouco delicado para mim e eu precisei me meter.

- Peraí, eles estão vindo para Forks?
- Sim. Não é aqui que Akasha está?
- Vocês devem estar loucos, né? Essa cidade não possui a mínima condição para abrigar tantos vampiros e muito menos para suportar uma guerra.

Os dois me olharam como se eu falasse grego. Claro, ali não era a casa deles então pouco se importavam para o que poderia acontecer. Bella estava no outro canto da sala, fingindo estar alheia a conversa, mas na verdade ela tinha os dois olhos grudados em nós. Disfarça super mal...

- Edward, não é hora para pensarmos em locais apropriados para tal. Ou você está achando que nós poderíamos mandar um convite para Akasha dizendo hora e local?
- Não! Lestat, eu não permitirei que minha cidade seja transformada em praça de guerra! Isso aqui viraria um caos!

E era melhor aquele arrogante não me irritar muito, pois eu estava disposto a manter meu raciocínio custe o que custar. Olhei para Vlad, procurando por apoio, mas sua expressão era ilegível. Ele apenas estudava a situação, daquele seu jeito calmo que às vezes parecia estar morto. Certo, ele realmente estava.

- Nós não iremos nos precipitar, Lestat. Não haverá guerra aqui se eu pude evitar.

Toma! Engole essa, príncipe! Quase abracei meu criador.

Meio que entrei em pânico quando ouvi Lestat sugerir uma guerra básica ali em Forks. Naquele minúsculo pedaço de terra chamado Forks! Não sobraria nem um pedacinho sequer de asfalto.

- Eu entendo a preocupação de vocês, mas pensem da seguinte forma: o que faremos se ela atacar novamente aqui?
- Lutaremos em menor número, mas não causaremos nenhuma desordem maior, até porque Lestat, não é meu interesse chamar a atenção de nenhum mortal. Ou você pretende fazer lavagem cerebral em todos os moradores de Forks, depois que a guerra terminar?

Eu tinha orgulho do meu sogro. Realmente ficaria um pouco estranho ter que explicar para as pessoas a tal guerra. Lembro que logo quando conheci Edward e fui seqüestrada por um Volturi, nós inventamos uma mentira sobre sermos atores e tudo mais. Aquilo, porém foi um pequeno contratempo e nem podia ser comparado com guerras entre vampiros e lobisomens. Não mesmo.

- Faremos o que então?
- Deixaremos todos avisados já e partiremos daqui. Minha intenção é atrair Akasha para campo aberto.
- E você acha mesmo que ela vai cair nessa? Por que ela se importaria em ir atrás de nós, Vlad?
- Porque nós levaremos quem ela quer.

Meu sogro lançou um olhar frio para Hazel, que sorriu abertamente.

- Eu não sei se é seguro usar Hazel como isca...
- Edward, você viu muito bem do que ele é capaz.
- Também não gosto da idéia de usar Hazel.
- Eu sei me proteger, pai! Salvei a Bella, sabia?

O pequeno me olhou e piscou como um verdadeiro garanhão. Se ele não fosse louco pela Hope eu acharia que ainda tinha intenções de me conquistar. Não que Edward corresse algum perigo, claro.

- Você não sabe usar seus poderes, Hazel.
Em alguma coisa eu tinha que concordar com Lestat. Por mais que o garoto fosse extremamente irritante, eu não queria que algo lhe acontecesse. Além do mais, seria eternamente grato pelo que ele fez por Bella. Vlad, no entanto, parecia irredutível e Hazel com seu ego de herói não estava ajudando muito.

- Eu sou forte, pai.
- Não como você acha que é.
- Hazel, as coisas não são simples assim, acredite no seu pai...
- Calem-se!

Lestat precisou cravar as unhas na poltrona para se controlar com o grito de Vlad. Ele detestava ter que se curvar a alguém desse jeito.

- Acham que sou demente? Não colocaria Hazel no fogo cruzado sem mais nem menos. Eu quero que ele seja treinado pela bruxa amiga de Buffy.
- Isso é sério? Você quer transformar Hazel em bruxo?

Vlad não podia estar raciocinando direito. Ele me olhou apenas de canto de olho, sem responder.

- Não iremos desperdiçar o dom que ele tem, Edward. Imagino que Lestat possa concordar comigo.
- Sim. Eu sempre soube que Hazel era diferente, mas nunca entendi em que sentido.
Quando Edward levantou para ir até a adega, eu discretamente fui atrás dele. Primeiro porque queria fazer umas perguntas e segundo porque não gostaria de ficar a sós com 2 vampiros sinistros e 1 vampiro-bruxo.

- Psiu... amor!

Chamei ele enquanto entrava na adega e Edward sorriu, surpreendendo-me e virando-se para me dar um puxão. Sua boca colou na minha e ficamos grudados, dando um amasso gostoso em meio a tantas garrafas de sangue. Sombrio, eu sei. Não foi bem esse o futuro que minha mãe sonhou para mim, mas fazer o que...

- Veio atrás de mim para me agarrar, né? Nossa Bella, você é tarada...
- Hahaha. Engraçado você! Escuta, não tem medo que Hazel comece a ter uma crise de identidade? Por que coitado... antes ele era humano, depois virou vampiro e agora descobre que também é bruxo!

Edward revirou os olhos e beijou minha testa como se eu fosse alguma criança que falava besteira.

- Não amor, eu não acho que ele terá crise alguma.
- E você acha seguro esse lance dele treinar com a bruxa lá? Eu não vou muito com a cara daquela garota...
- Bella, você acha que Hazel corre perigo perto dela? Você estava rodando no teto e não viu, mas a forma como ele enfrentou Akasha... Nem eu e nem Vlad fomos capazes disso. Talvez se ele realmente treinar e descobrir como lidar com os poderes que tem, sei lá... Pode ser que um dia ele se torne tão poderoso quanto Vlad! Vai saber...

Eu não sei quanto a Edward, mas para mim aquele papo todo de poder estava abrindo meu apetite. E não era fome de comida que eu sentia no momento. Sorri diabolicamente para meu marido e encostei ele na parede, usando minha força de macho que eu não tinha.
Bella ficou raivosa. Não deve ter gostado do que eu falei sobre Hazel.

- Te dou cinco segundos para me puxar pelos cabelos e me possuir, Edward.

Fiquei passado com aquela atitude selvagem, mas não era louco de recusar.

- Não preciso de cinco segundos, amor. Bastam apenas dois.

Bella gostava de me ver raivoso... Ela ficava sempre excitadinha. Ponto para mim, claro. Levei minha mão até sua nuca quente e puxei seus cabelos, levantando-a no ar e fazendo com que suas pernas me envolvessem.

- É assim que você quer, Bells?

Perguntei enquanto chupava sua garganta vulnerável e andava com ela na direção de uma mesa que havia ali. Bella gemeu em meus braços e rapidamente tratei de abrir a calça. Não tínhamos tempo para nos despirmos, pois realmente não queria que Lestat ou Vlad viessem atrás de nós por causa da demora.

- OMG, você é mau!

Eu ri com aquilo enquanto puxava sua calça jeans a destruía sua calcinha. Bella conseguia ser hilária em todos os momentos.

- Você é perfeita para mim, sabia? Pede socorro aqui no meu ouvido, pede...
Ele queria me fazer surtar, só pode! Edward enrolou alguns dedos nos meus cabelos e assim comandava os movimentos da minha cabeça. Sua língua brincava pela minha jugular enquanto eu sentia ele me penetrar.

Seu corpo chocou-se totalmente contra o meu quando ele enterrou tudo, fazendo a mesa deslizar um pouco pelo chão. Apertei minhas mãos nos braços dele com medo de cair, mas quando a mesa parou, ele estava rindo do seu jeito todo malicioso.

- Isso foi... de propósito?
- Disse para pedir socorro, não disse?

OMG! Ele começou a estocar com violência – e isso era bom – e arranhar os caninos no meu pescoço. Resolvi experimentar fazer o que ele queria enquanto ainda tinha forças para falar. Grudei em seu ouvido e sussurrei um pedido de socorro para me livrar dos braços do vampiro mau. Edward riu um pouco, mas logo voltou a se concentrar.

- Assim que eu gosto!

Seus olhos ficaram negros e então eu fui lambida no local onde seus dentes me arranharam. Eu sabia que ele estava preparando a refeição. Nossos corpos chocavam-se em meio ao barulho molhado. Foi só então que olhei para o lado e tive uma visão do paraíso. Estávamos na direção de uma porta de vidro fumê que havia ali e por ela eu podia ver os nossos corpos em perfeita sincronia. Ver o movimento que Edward fazia, agora num ritmo cadenciado, entrando e saindo de dentro de mim, aumentou meu tesão.

- Vem comigo, vem...

Ele pediu e enterrou seus dentes em mim, bebendo devagar meu sangue enquanto chegávamos juntos ao orgasmo. Deixei que meus olhos se fechassem e fiquei à mercê dele, sentindo sua língua agora deslizar pela ferida para cicatrizá-la.
Deixei que Bella respirasse um pouco antes de nos separarmos. Tirei-a ainda mole de cima da mesa e beijei sua boca devagar enquanto ela se recuperava.

0 comentários :

Postar um comentário