Á Luz Das Estrelas - Capitulo 23


- Tenho mesmo que fazer isso? – perguntou Edward com a mão na maçaneta da porta do carro,com a outra segurava a mochila contra o corpo.
- Se quiser manter uma relação emocional fixa e pessoal,sim.
- Não precisa copiar minhas frases,Chewbacca. – Retrucou utilizando o novo apelido para irritá-la.Bella franziu os lábios e se inclinou sobre ele para abrir a portado carona.
Saiu agilmente do carro e de a volta estendendo a mão para Edward,ele hesitou pensando em como aquelas mãos macias,agora aterrorizantes,massageavam seus ombros quando estava tenso.
Não queria se expor na faculdade,o que Bella queria era exibi-lo como um manequim na vitrine. Lembrou-se do apelido que a namorada havia dado á pouco tempo e pensou em procurar a letra da música, confiava nela mas por vezes seus instintos de defesa em relação ao namoro dos dois eram acionados.

Aceitou a mão da namorada a encarando com o olhar furioso, avisando a Bella o quanto estava insatisfeito com o tal acordo, ele também impunha condições mas aquilo desafiava muito dos seus limites pessoais.

- Pelo amor de Deus, sorria. – Pediu Bella enquanto caminhavam de mãos dadas pelo campus.

E para o azar de Edward e felicidade de Bella foram o centro das atenções, o casal nada comum vencia mais uma barreira passando pelo julgamento público. Para ela pouco importava, para ele era uma questão de auto preservação. Não queria exigir pra ninguém o quanto estava feliz com Bella, o quanto amava beijá-la de manhã cedo e sentir o gosto de pasta de dente em sua boca, o quanto adorava encostar a cabeça no ombro dela e esquecer-se dos problemas, nem mesmo como apenas um toque de Bella despertava reações impressionantes em seu corpo, era o universo particular deles e ele não precisava se expor pra se auto-afirmar.

Cumpriu seu papel como bom namorado que era e saiu em busca da sua sala deixando Bella sem palavras e sem seu o beijo que precisava para agüentar o torturante 4° semestre. Passou as aulas ouvindo sermões dos professores pessimistas sobre o futuro da psicologia, ela não queria ouvir aquilo, era boa o suficiente pra se destacar com um bom escore e trabalhar na área de neuropsicológica como pesquisadora ou na área de jurídica atendendo crianças e adolescentes. Tudo o que Bella não queria era ter que freqüentar salas de terapia e ouvir problemas alheios, preferia permanecer nos bastidores.

Depois das aulas foi atrás de Edward, mas a turma dele havia sido liberada mais cedo, então imaginou o único lugar que o namorado poderia estar e foi em direção a biblioteca preparada para discutir o relacionamento. Mas não se preparou para ver Edward sentado com Maddie Carter conversando e rindo numa língua que ela nunca ouviu. Respirou fundo lutando contra a vontade de socar Maddie e tirar Edward dali a força, imaginou qual seria a atitude dele se fizesse isso. Á reprovaria com certeza e depois brigariam. Ela não queria brigar.

Depositou um beijo na bochecha de Edward e sorriu educadamente pra maddie.

- Oi, fui liberado mais cedo não que eu realmente quisesse.

- Eu não, e minhas aulas foram péssimas. – Edward tocou a mão dela delicadamente, quase se esquecendo da presença de Maddie. – Vai voltar comigo?

- Claro. Minha irmã está provavelmente com o Jasper e é repugnante o modo como eles se... – Fez um gesto com a mão indicando seu nojo quanto aos dois.
Maddie riu pra ele e Edward se virou pra ela dizendo algumas palavras na língua desconhecida e saiu com Bella de mãos dadas. Ela acenou pra amiga do namorado e o seguiu vitoriosa.

Já no carro Bella pôde expressar todo seu incomodo ao vê-lo com Maddie aos risos. Dirigia rápido demais deixando Edward assustado.

- Eu não sei do que vocês estavam falando, nem que língua era aquela mas não gosto nenhum pouco disso. Quero você longe da Carter.

- É klingon,uma língua fictícia da série Jornada nas Estrelas,poucos sabem falar.A Maddie e eu somos pessoas raras no mundo pois apenas uma dezena de fãs falam klingon fluentemente.

- Ah que bonito façam uma dupla e sejam felizes.

- Isso foi sarcasmo ou foi sério?Às vezes você me deixa confuso. – Perguntou coçando a nuca. Aquele clima de briga o incomodava, ele queria apenas sair dali, não via mau nenhum em conversar numa língua comum com Maddie.

- Se você me ama e quer continuar comigo, se afaste dela. – Disse convicta ao chegar à porta do prédio. Edward franziu as sobrancelhas e balançou a cabeça.

- Você não está sendo justa, conversamos mais tarde. – respondeu se retirando do carro. Precisava respirar, por os pensamentos em ordem e entender a condição que Bella impunha, soava injusto e cruel. Por que ele não podia ter amigos?Divertia-se com Maddie apesar de conseguir olhar apenas nos olhos de Bella, era por ela que seu coração batia, só precisava demonstrar isso a ela para não haver mais dúvidas.

Bella percebeu o quão infantil estava sendo, Edward a amava, mas tinha medo de perdê-lo pra Maddie. Eles tinham pontos em comum enquanto ela e ele eram totalmente opostos. As lágrimas vieram atrevidas, a possibilidade de perdê-lo doía em seu peito, tinha que ser inteligente e evitar brigas entre eles. Edward era sensível e lhe mostrou um mundo diferente que nunca sonhou conhecer, depois de tanta mágoa tinha um novo sentido pra continuar acreditando no amor. E como se não bastasse ainda tinha que consolar a irmã e ajudá-la a superar os problemas, não era nada fácil.

- Bella. – o ouviu chamar e se sobressaltou da cama, limpou rapidamente as lágrimas e olhou pra ele. Edward vestia uma impecável camisa preta comprida, ela nunca o havia visto de preto e aquela imagem a excitou.

- Por que brigamos mesmo?

- Nós não brigamos. Eu saí antes que isso acontecesse, não gosto de brigas, principalmente com você. – Confessou ele colocando as mãos suadas nos bolsos da calça jeans. Pensou que seria mais fácil convidar a namorada pra jantar. – Você está com fome?Podemos jantar num restaurante italiano, você ainda gosta de culinária italiana?

- Claro que gosto, Edward e, por favor, fique calmo. – Pediu percebendo que ele estava suando frio. Ele sorriu tímido. – Que fofo, você quer sair comigo.

- Sugestão da minha adorável irmã, ela quer me ver longe de casa.

- Deve ter algo relacionado ao Jasper – Disse Bella sorrindo, feliz por Edward finalmente ter tomado a iniciativa. Quando saíam, geralmente ela que convidava e escolhia o lugar. – Eu vou tomar banho, você me espera aqui?

- Claro. – Edward se sentou na cama enquanto Bella tomava banho, percebeu algo estranho embaixo de si ao sentar e se levantou vendo o que não queria ver. Era uma caixa, ele a pegou e leu curioso a embalagem. Arregalou os olhos ao percebeu do que se tratava, suou frio e seu coração quase saiu pela boca de tão nervoso, estaria Bella grávida?

Lembrou-se da última vez em que fizeram amor tentando recordar se haviam se protegido. Sua mente buscava resposta que só a namorada poderia dar. Levou as mãos aos cabelos desesperado, tremia de antecipação e medo. Seria por isso que Bella estava chorando?Esperava que não, esperava que aquilo fosse um pesadelo muito ruim e ele implorava para acordar.

Edward caminhava ao lado de Bella, contudo sua mente permanecia no teste de gravidez, havia duas respostas e ele rezava para ser negativa. Esperava que Bella dissesse algo sobre sua recém descoberta, porém ela não tocou no assunto e isso o deixou perturbado. Passou o jantar todo aflito, não conseguindo nem ao menos deglutir a comida.

A garota a olhou preocupado com o seu silêncio enquanto comia seu ravióli de quatro queijos. Tentava decifrar as expressões faciais de Edward que ora transpareciam dor, ora dúvida, o que quer que estivesse atordoando a mente do garoto deveria ser muito ruim. A palavra ruim lhe remeteu a outros planos, sua família e sua vida mudariam drasticamente após o que havia descoberto.

- Edward você está bem?

- Você tem algo pra me contar? – Perguntou sorrateiro.

- Não! – Deu de ombros, havia alguns fatos a serem esclarecidos, mas a ocasião não era ideal para revelá-los.

- Então, não está omitindo nenhum fato? – Insistiu mexendo na sua macarronada com garfo.

Bella se sentiu pressionada pela insistência de Edward,será que ele já sabia?Quem havia lhe contado?

- E você está me escondendo algo? – Bella perguntou enquanto comia mais do seu raviolli,quando ficava preocupada a fome atacava avidamente.

Edward se impressionou com a fome dela, seria um sintoma da gravidez?

Gravidez que ele mal sabia se existia realmente e não tinha coragem para perguntar.

Se Bella carregasse um bebê em seu ventre teria que tolerar as mudanças de humor dela, além de ter que sustenta sua mais nova família. Teria que agüentar o choro incessante de um pequeno que mal queria e não tolerava. Odiava crianças e principalmente bebês, não tinha a mínima paciência para lidar com elas. Um filho seu iria nascer e ele não sabia como lidar, o que fazer e não podia pedir conselhos a ninguém.

Não parava de pensar no seu futuro profissional, sua carreira estava em jogo e era tão jovem para ser pai. Tinha apenas dezessete anos e não estava pronto para tal responsabilidade. Não iria largar seu curso para ser um pai de família, mas também não queria deixar Bella sozinha com esse fardo.

A solução estava em sua frente, porém ele não queria enxergá-la e ver nela seu futuro.

- Eu preciso voltar pra casa, já está tarde. – Não suportava olhar para Bella e raciocinar ao mesmo tempo, apesar de ser um gênio sua inteligência emocional estava abaixo de zero.

- Você não precisa voltar! – a garota inquiriu nervosa. Odiava quando Edward era dominado pela síndrome, assumindo aquela face fria e dura e o coração impenetrável. Doía pensar que aquela relação era unilateral, por vezes pensava que Edward só a namorava porque convinha. – Eu pensei que você tinha mudado Edward, mas não. Essa maldita doença toma conta de você, te absorve e você permite!Por quê?

- Porque eu nasci assim, infelizmente, eu queria ser diferente. Queria poder te dar tudo em dobro, mas eu não posso Bella. Eu não vou mudar e se você me quiser vai ser assim. – Disse se levantando para ir embora, Bella ficou em sua mesa, estática e sem palavras.

“Eu não vou mudar e se você me quiser vai ser assim”,ela queria mudá-lo,mostrar a Edward o quanto ele era demasiado humano,capaz de amar e de sentir mas sempre esbarrava em suas próprias vontades.

Às vezes sonhava alto, vendo-os futuramente, cercado de filhos inteligentes como ele e espontâneos como ela. Edward era sua alma gêmea e ela queria acreditar que poderiam ir além no relacionamento, assumir a responsabilidade e os revés que vinham junto com ela. Estava preparada para enfrentar tudo ao lado dele, mas ele não se doava da mesma forma. A cada dia acreditava menos em sua melhora.

No outro dia não encontrou com ele, provavelmente havia ido mais cedo para a faculdade pra não encontrar com ela. Conhecia bem o orgulhoso e  teimoso namorado.

- Eu não entendo Jacob, eu queria me prender a ele e assumir tudo, mas me sinto perdida quanto aos sentimentos dele. – Desabafou em meio a uma aula.

- Amiga querida, você quis ficar com ele, acasos acontecem e se vocês se amam de verdade vão ultrapassar todos os obstáculos juntos. E pra ser sincero, eu sinto que ele te ama,  pelo modo como ele olha pra você. – disse Jacob envolvendo a amiga num abraço solidário.

- É mesmo, espero que seja verdade. Eu amo o Spock, nunca me imaginei namorando um gênio.

- Imagine quando ele descobrir que...

- Nem quero pensar nisso! – Exclamou exaltada, respirou fundo e decidiu ir falar com ele após a aula. Edward tinha o direito de saber tudo o que estava acontecendo.

Edward passou todas as aulas atordoado. Suava frio pois logo teria que comunicar a ela sua decisão, iria dizer que sabia de tudo. Mike que havia voltado no dia anterior recuperado de uma virose, já sabia quem era a responsável pelo comportamento agitado do garoto.

Bella o aguardava no estacionamento com os braços cruzados sobre o peito, ao lado dela Jasper e Alice se abraçavam apaixonados e ele revirou os olhos ao ver a cena.

- Bella, quero conversar com você.

- Legal, pois eu também. – Respondeu enfezada.

A falta de coragem rompia o poder das palavras, Edward não sabia por onde começar, engoliu seco enquanto seguia Bella até as arvores. O local onde se declararam um para o outro, agora seria palco de uma discussão inadiável.

- Como sou um cavalheiro e fui ensinado por meus pais a honrá-los e não magoar a ninguém gratuitamente, eu resolvi que vou assumir as responsabilidades exigidas nessa relação e quero te pedir em casamento.

Ela arregalou os olhos e encarou-o boquiaberta. Estava pronta para encarar o que viesse pela frente, mas isso era demais, imaginava o futuro perfeito, todavia  isso não envolvia compromissos sérios demais e principalmente cedo demais.

- Não, por favor, não me pede isso. Nós temos apenas um mês de namoro.

- É o preço que pagamos por ter que cuidar de um bebê. – Falou impulsivamente. Estava tremendo e sua decisão era baseada em fatos imprecisos.

- Espera um segundo... – Bella fez um sinal com a palma da mão e olhou para ele pensativa. Tudo fazia sentido agora,era um grande mal entendido. – Você está pensando que eu estou grávida?

- Eu vi um teste de gravidez encima da sua cama.

- Foi alarme falso, Edward. – Não pôde conter o riso. – Eu fiz o exame de precaução e porque queria apoiar a Rosálie, ela sim que está grávida.

- Então eu fiz papel de idiota. – Supôs colocando as mãos nos bolsos da calça. – Por que você não me contou?

Bella colocou as mãos na cintura, indignada. Edward nunca estava disposto a ouvi-la, chegava a dizer para não ir visitá-lo com a desculpa de atrapalhar seu desempenho acadêmico.

- Você não faria papel de idiota se me ouvisse mais e impusesse menos. Eu não consigo ter uma conversa franca e aberta com você, tem que ser do seu jeito.

- Se fosse do seu jeito não estaríamos mais juntos hoje,você não pensa,age impulsivamente e não vê as conseqüências. Se fosse um pouco mais consciente entenderia os meus motivos, mas prefere me culpar porque é mais fácil. Isso sim é ignorância. – Edward disse sem medir as palavras, estava com raiva pelo que acontecera a pouco, todas suas preocupações foram em vão por conta de um mal entendido.

Bella se aproximou dele e o empurrou, Edward não sabia metade do que ela passou e ultrapassou até poder se apaixonar de novo e agora ele é que ouviria pronto ou não. A dor a invadiu e ela se sentiu obrigada a desabafar.

- Eu passei um ano da minha vida vivendo de relacionamentos vazios e sem sentido sabe por quê? Porque eu nunca quis depender de alguém como eu dependo de você, como eu dependi do Alec e com os dois eu me decepcionei. Talvez seja o carma da minha vida, mas eu não vou sofrer mais, Edward, não por você.

- Quem é Alec?E por que você sofreu por ele? – Perguntou Edward odiando como o tom da voz de Bella atingiu seus tímpanos. Reconhecendo a mágoa no rosto da garota se sentiu culpado por ser o principal responsável por sua dor.

- Alec foi um idiota, mas eu o amava e fazia tudo por ele. Só que ele não era tão perfeito quanto minha mente de menininha apaixonada achava.

Ele abaixou os olhos e estendeu a mão para tocar a dela, porém Bella afastou-se dominada pela raiva que sentia dele. Edward a decepcionou e mesmo sendo a acidez um  dos sintomas não agüentaria calada e consentiria que ele  a machucasse. O garoto recolheu a mão constrangido e a colocou no bolso da calça.

- Sinto muito, e então isso quer dizer que meu pedido foi em vão...

Ele a pediu em casamento e aquilo a tocou mas não o suficiente para anular o efeito das suas palavras.

As palavras de Bella permaneceram tempo demais na mente do nosso gênio. Edward foi atormentado por uma avalanche de dúvidas. Por que Bella escondeu a verdade sobre o tal Alec?Só de pensar que alguém poderia ter machucado sua namorada seu sangue fervia. Apesar de não parecer amava Isabella muito além dos seus limites.

- Edward, estão nos chamando na coordenação. – Newton avisou-o com o ar preocupado.
Ele se assustou com a intimação se sentindo acuado, mas compareceu à coordenação com Mike ao seu lado, já se acostumara com a presença do garoto – apesar de detestar ser tocado por quem quer que fosse, a única que conseguiu quebrar essa defesa foi Bella – era ágil  e um companheiro de trabalhos.

A coordenação do curso de astronomia ficava próximo as salas de psicologia sendo inevitável esbarrar em Bella, seus olhares se cruzaram mais nada,Bella evitava trocar palavras com ele deixando o garoto desolado,mas nem por isso se sentiu culpado.Ele respeitava a decisão dela como devia ser, se questionando se haveria futuro para a relação.

Sentaram na cadeira do escritório do coordenador do curso,senhor Fleming,um astrônomo bem conceituado de cinqüenta e quatro anos,Edward já havia lido alguns artigos dele e se empolgou por estar em frente ao mestre.

- É uma honra professor.

- É uma honra pra mim ter alunos tão brilhantes. – Fleming  sorriu para eles.Mike logo se animou enquanto Edward permanecia sério. – O trabalho de vocês sobre as influencias da astronomia nos fenômenos da natureza ficou impecável, tão impecável que eu fiquei curioso pra saber como dois alunos do primeiro ano sabem tanto sobre o sistema solar,órbitas e tudo mais.Sejam sinceros comigo...

- Nós não copiamos... – Defendeu-se Mike rapidamente.

- Claro que não, Newton. – Continuou o mestre olhando diretamente para Edward. – O senhor Bolby  professor de vocês no primeiro semestre me alertou para a capacidade de raciocínio do senhor Cullen e confesso que fiquei curioso para conhecê-lo. Os outros professores concordaram que o Edward possui um grande mente e já devia estar se formando.

Mike ergueu a sobrancelha enquanto Edward riu.

- O que é tão engraçado Cullen?

- Eu não sou um gênio, estudo e me esforço pra ser um bom profissional, então não sei aonde o senhor quer chegar, mas não sou gênio.

- Você terminou cálculos dificílimos de termologia em cinco minutos. E as provas fazem na maior rapidez e sempre se dá bem, se isso não for ser um gênio não sei o que é. – Mike disse sincero. Fleming ergueu uma sobrancelha para ele.

- Senhor Cullen, eu quero que você e o Mike apresentem o mesmo trabalho sobre as influencias da astronomia nos fenômenos da natureza.

Edward se viu apavorado por chamar a atenção,sua inteligência não passou despercebida.Um mestre como Fleming sabia reconhecer alunos promissores.O medo invadiu seu corpo o paralisando na cadeira,apresentar um trabalho na semana da consciência ambiental era uma honra para um jovem do primeiro ano.

- Eu não posso. – Respondeu suando frio.

Mike o olhou assustado,o professor encostou-se na cadeira e ajeitou os óculos de armação grossa.

- Conta como atividade extracurricular e ganhará pontos na sua escalada acadêmica. Pense no seu futuro senhor Cullen.

Claro que Edward pensava no futuro, um futuro que incluía patrocínio para as pesquisas, mestrado, doutorado e prêmio Nobel. Todos sonham com algo  e com Edward não era diferente. Um sorriso iluminou seu rosto ao pensar nos seus objetivos, era o que restava após a briga com Bella.

- Aceito e agradeço a oportunidade.

- Agradeço eu por ter alunos com escores tão consideráveis. E aproveitem a oportunidade.

Ele ainda não acreditava que havia sido chamada de gênio por Phillip Fleming e sua vasta experiência. Mike empolgado com a notícia tratou de contar através da “rádio corredor” e todos souberam do novo gênio em gestação contribuindo para a inveja de uns e os olhares admirados de outros.

- Parabéns doutor Edward. – Maddie o cumprimentou ao final da aula.

- Cale-se Maddie. – Disse atordoado, sofreu emoções demais para um dia só e para sua aflição todas vieram conjuntas.

- Eu assistirei a essa palestra.

- Pois vai se arrepender, eu não sou mestre, doutor e muito menos graduado. – Retrucou andando mais rápido.

- Mas fez um excelente trabalho pelo que eu soube. – Maddie  adiantou os passos para acompanhá-lo.

- Qualquer um faria.

- Se convença de que você é o cara. É um gênio, foi elogiado pelo Phillip e tem a garota mais cobiçada da faculdade.

- Não à tenho mais. –Lamentou abaixando os olhos.

- Ela terminou com você? – Maddie levou a mão à boca e arregalou os olhos, surpresa com a notícia.

Edward percebeu que falou demais e calou-se,agradecendo por Alice vir em sua direção.

- Terminou ou não? – Insistiu.

- Quem?Edward e Bella são inseparáveis, Maddie. Eles não terminaram. – Disse Alice em defesa do irmão, lutou demais pra ver ele a amiga juntas e tudo o que menos queria era que eles se separassem. O namoro estava passando por uma crise, nada definitivo que levasse a crer no fim.

- Cale a boca Alice. – Disse discretamente entre os dentes.

- Arredio.

- Intrometida.

- Ok, briga de irmãos... Edward, você devia ir festa da KB hoje pra comemorar. Você merece se divertir. – Convidou Maddie no seu maior estilo simpática.

- Se eu estiver tendo alucinações ou sofrendo de algum distúrbio que altere meu juízo posso pensar em ir. – Respondeu sorrindo secamente.

- Seria legal te encontrar lá. Lúcido e saudável de preferência. – Persistiu ela se distanciando sem tirar os olhos dele, Edward se viu fascinado pelo modo como Maddie caminhava ao longo do corredor.

- Mais uma que se ilude por acha que tem alguma chance com você, como se a Bella permitisse. – Divagou Alice dando uma cotovelada despertando Edward do transe.

- A Bella não é minha dona. – Replicou irritado com o assunto, começou a caminhar em passos rápidos, a irmã teve que correr para acompanhá-lo.

- Ah é?Então diz isso a ela. – Dito isso Alice empurrou Edward contra a pilastra onde Bella conversava com Jacob. Ela tropeçou nos próprios pés e ele acompanhou tudo sem saber o que dizer.

Seus olhares se encontraram e permaneceram congelados numa troca que dizia mais do que mil frases feitas. Edward, receoso deu as mãos á ela para levantá-la ignorando o choque inevitável do toque. Era preciso muito mais do que desculpas, o momento exigia calma e tolerância.
- Você está bem? – Perguntou ele ainda segurando as mãos dele,contendo a vontade de abraçá-la mesmo que seus braços queimassem por um contato maior.

- Você deveria se preocupar com a Maddie, não há porque se preocupar comigo.

- Bella... Não seja infantil! – Disse bravo se afastando dela, não era lugar nem hora para se discutir.

- Infantil?Se eu sou infantil você é desequilibrado. – Edward abriu a boca para replicar, mas Bella ergueu a palma em seu rosto em protesto. – Nem mais uma palavra. Eu não quero falar com você agora.

Ou terminaria logo com o namoro ou teria que deixar passar os deslizes de Edward e conviver com eles, afinal ele não iria mudar e ela não conseguia passar tanto tempo longe. Sentia falta da voz imparcial no seu ouvido, do jeito calmo de dizer as coisas, no modo como ele se tornava passivo em suas mãos, Edward era mais do que um simples namorado, era sua vida, seu ar. E sem ar ela mal poderia respirar.

Era dia de festa, alguns queriam se divertir, outros queriam se embebedar e alguns queriam se dar bem. Não era o caso de Edward que jogava Halo com Mike querendo esquecer o encontro com Bella e evitando pensar no que poderia acontecer futuramente.

- Você vai ganhar todas, está a fim de ir a festa?

- Nem em um ano-luz.*

- Vai ser legal, não é tão ruim quanto pensa.
- Não? – Perguntou Edward curioso, nunca havia ido a uma festa além das de família, era poupado das festas de final de ano da firma do pai. – Então como é?

- Depende, cada uma tem uma emoção diferente. Você não precisa beber e beijar a primeira que aparecer. Até porque a Swan te mataria.

- Esquece a Isabella. – disse pensativo, coçou a barba e olhou não diretamente para o amigo. - acho que eu posso agüentar alguns minutos de tortura.

Mike entendeu como um sim e sorriu para o amigo enquanto esfregava as mãos uma na outra. Edward revirou os olhos esperando o pior daquela noite, o que ele não sabia é que às vezes as festas podem ser surpreendentemente reveladoras.

Arrependeu-se no exato momento em que ouviu a música alta demais saindo da casa lotada de pessoas desconhecidas. Enquanto Mike se ambientava e ele resolveu ficar na varanda que era o lugar mais confortável para se ficar. Imaginou se Bella estaria lá dentro se amontoando em meio ao calor humano.

Alguém sentou ao seu lado na escada e ele não se preocupou em ver quem era, por não ser muito fã de pessoas.

- Ei Edward. Você veio!

Era Maddie Carter.

Perguntou-se qual seria a reação de Bella ao vê-lo ali ao lado de Maddie.A resposta estava próxima.

Enquanto isso Isabella caminhava em meio a várias pessoas, mas ainda se sentia sozinha, clichês a parte, a dor levava a cometer besteira mas ela estava longe de insanidades, refletia num dialogo mental sobre seu namoro. Não ouvia as tentativas dos veteranos de ser dar bem aquela noite e quando passou os olhos pela casa não imaginava vê-lo. Aproximou-se dele animada com a possibilidade de ver seu namorado numa festa, já havia esquecido a situação incomoda com ele e queria mais aproveitar, mas o que viu na entrada da irmandade não foi nada estimulante. Maddie tocou em Edward enquanto dizia algo em seu ouvido.


Se sentiu traída, não sexualmente, mas sim por ter passado todo esse tempo com um homem que não deu o mínimo valor à ela e agora permitia que outra o tocasse,Edward não parecia tão inocente aos risos com Maddie.

- Edward e Maddie... – Murmurou sem acreditar no que via.

Edward olhou para trás e viu Bella se desmanchar em lágrimas e correu para dentro da casa. Sentiu seu coração se comprimir com o peso da dor e correu atrás dela.
Queria explicar a Bella que Maddie só havia confidenciado a ele que estava gostando de Mike e morria de vergonha de se aproximar, mas ela entendeu mal a história.
- Bella, vem aqui.

Alice segurou seu peito o impedindo de fazer alguma besteira e estragar de vez suas chances com Bella.

- Onde ela está? – Perguntou a Alice que olhava para ele aflita, apontou para a mesa enorme no outro cômodo da casa onde várias garotas rebolavam apelativas a mercê dos telespectadores do sexo masculino que gritava coisas obscenas demais para os ouvidos de Edward.

Fechou os punhos com força e se encaminhou até o cômodo, Emmet e Jasper tentaram pará-lo, mas foi inútil, Edward não ouvia ninguém além da sua cólera febril que o guiava até a mesa.

Passou pela multidão ensandecida com o olhar fixo nas curvas de Bella e no seu olhar no mínimo sensual, ela parecia tranqüila demais como se já tivesse feito isso várias vezes. Se não estivesse furioso ele estaria excitado, imaginou quantos outros já haviam tocado naquele corpo, já haviam sentido a maciez da pele  e quantas bocas beijaram a dela. E se ela fosse iguais as outras mulheres que ali dançavam?Ele não a conheceu tempo suficiente para tirar conclusões,e ela deu motivos suficientes para ele desconfiar.

Bella parou ao ver Edward com a face queimando de raiva,seu semblante exprimia quanta dor sentia ao vê-la daquela forma inapropriada.

Ele não agüentou tal tortura e saiu sua mente murmurava respostas torturantes ao comportamento de Bella.

- Por que Bella? – Sussurrou enquanto caminhava perdido pela casa lotada.

Mike o encontrou e colocou a mão no ombro do amigo.

- Edward!O que houve lá, a Bella estava dançando com aquelas patricinhas gostosas que fazem nerds como nós perdemos a compostura e...

- Cale-se Mike.Eu vou pra casa e você devia procurar a Maddie. – Disse indo em direção ao que achava que era a saída.

Mas acabou indo parar na área da piscina que por acaso estava vazia, para sua sorte não havia ninguém que pudesse atrapalhar seus pensamentos. Queria ficar sozinha e se preparar para o inevitável fim do seu relacionamento, não planejava que fosse assim, o doía saber que preservou tudo por pura pêra de tempo. Amava Bella de um modo diferente, mas não podia continuar enganando a ela e a si mesmo, afinal não era para dar certo. Ele permaneceria como o jovem brilhante, porém ineficiente nas relações afetivas e ela seria a garota dos sonhos de todos os garotos como sempre foi.

- Por que aconteceu isso comigo? – Perguntou-se olhando a para o azul da água como se ali obtivesse soluções efetivas pois estava perdido,agora muito mais do que esteve.

- Porque você escolheu,Edward. – Apertou os olhos e se virou querendo que aquela voz sumisse assim como o cheiro hipnotizante.

- Sai daqui.

- Você não pode me impedir de ficar aqui. – Respondeu Bella com a fúria contida e as palavras presas em sua garganta. – O que você tem com a Maddie?Você tem noção de como traiu o que sentíamos?

Edward deu um passo para trás e abriu os olhos,evitando que seus olhos atingissem os dela.Dessa vez ele não tinha culpa portanto não era obrigado a escutá-la,apesar de se sentir mal com as acusações dela.Não sentia nada por Maddie que se igualasse ao que sentia por Bella.

Mais um passo para trás e o que encontrou foi a água que pra sua sorte estava quente. Bella se aproximou e se abaixou na borda da piscina com um sorriso divertido nos lábios.

- Eu não traí você, a Maddie...

- Não toca no nome dessa garota. – Bella interveio e esticou a mão para ele ainda rindo. – Me diz se a água está quente.
- Por quê? – Perguntou ainda consumido pela raiva,Bella brincava com seus sentimentos de um modo cruel.Promessas e desejos se perdiam no meio da sua decepção.

Bella respondeu sua pergunta se jogando na piscina, surpreendendo-o.Edward acompanhou com o olhar fixo a garota se aproximar dele,seus cabelos encharcados e os lábios formavam um sorriso divertido.Contrariando a própria raiva Edward desejou beijá-la,a tortura aumentou ao vê-la se aproximar.

Sem pedir permissão,Bella o obrigou a se encostar na borda e aproximou seus corpos.Edward fechou os olhos aproveitando a sensação do caloroso corpo contra o seu,pensou no quanto sentia falta do contato físico,do estar com Bella sem raiva,dor ou qualquer outro sentimento que pudesse separá-los.

- Você me magoou sabia? – Bella murmurou próxima aos lábios dele.

- Você também.

Nada podia impedir o desejo que crescia entre os dois,era imbatível.Uma paixão irracional misturada com amor incondicional.Bella envolveu seus dedos nos cabelos de Edward e o beijou.Sugou os lábios dele que cederam aos dela se juntando na comprovação de que havia muito mais entre eles.Tanto que mal ouviram os barulhos das sirenes se aproximando.

Os dedos de Bella percorriam os cabelos de Edward com furor,o beijo se intensificava e seus corpos necessitavam cada vez mais um do outro.ele gemeu entre beijos avisando a ela o quanto estava excitado.

- Isabella,eu quero... – Pressionou seu corpo contra o dele e sorriu,rebolou sobre o membro de Edward que gemeu descontrolado.

- Eu não ouvi muito bem o que você quer.

- Você. – As mãos dele agarraram as coxas da garota que já estavam em volta do seu corpo. – Acho melhor pararmos. – Disse buscando a pouca sanidade existente no momento.

- Está com medo de ser pego? – Ela desafiou.


- Na verdade, estou com medo do que essas sirenes representam. – Respondeu ele calmamente. Bella parou por alguns segundos se desesperando ao constatar que a policia estava a caminho.

- Merda Edward, nós temos que sair daqui agora! – Edward entrou em desespero saindo rapidamente da piscina e ajudando a namorada a sair.

Percebendo que a polícia já havia entrado, Edward abriu a boca para gritar de pânico mas Bella o impediu.

- Calma, é só correr comigo.

- Eu sou menor ,se eles me pegarem aqui e...

- Querido, eu já fui uma menor, sei bem como é. – Tentou acalmá-lo em vão. Revirou os olhos e o puxou pelo braço obrigando Edward a correr junto com ela.

- claro que você sabe, esqueci do quanto você é... – Sua voz saiu entrecortada por conta da perda de fôlego.

- Olha lá o que vai falar de mim, ainda sou sua namorada. – respondeu reconhecendo o jeito ríspido de falar do namorado, Edward sempre acabava falando besteiras sem medir as conseqüências, por mais que fosse uma característica da doença acabava ofendendo alguém com suas criticas.

Aos poucos a casa se distanciou e rapidamente Edward se cansou, não fazia o estilo atlético. Só era possível ouvir o barulho dos motores dos carros e os pneus se arrastando.

Esconderam-se atrás de uma arvore dentre uma cadeia de árvores, longe da confusão.

Bella desatou a rir enquanto Edward buscava ar encostando-se ao tronco da árvore.

- Estamos molhados, no fim do mundo e cansados. – Enumerou. Nunca havia fugido da policia e podia dizer que a experiência fora interessante.

- Relaxa, amor.Deu tudo certo. – A voz calma de Bella estava irritando-o,tanto que a deixou ali só e começou a caminhar entre arbustos até chegar à estrada.

- Edward Cullen,volte aqui.

- Não estou te ouvindo. – Replicou ele sentindo o frio dominar-lhe aos poucos.

Viu um carro se aproximar, o farol o cegou fazendo-o cobrir o rosto com as mãos. O carro buzinou,baixou os faróis e foi parando,era uma buzina conhecida, provavelmente Alice, sua expectativa se confirmou ao ver a irmã e seu carro roxo.
- Entra aí,maninho.Ainda bem que te achei,estava prestes a ter um infarto.
Bella se juntou a ele que não se preocupou em ajudar a namorada.Os dois se sentaram em lados extremos no banco de trás.

- Por que vocês estão molhados? – Perguntou Jasper.

- Caímos na piscina. – Justificou Bella enquanto roia a unha,evitaria Edward ao máximo,as imagens de Maddie tocando nele invadiam sua mente cruelmente.

- Eu caí,você se jogou,você se jogou. – Esclareceu Edward.

- Céus,vocês nunca estão de acordo. – Alice deu um tapa no volante já irritada com o clima ruim.

Não dava para ignorar ou simplesmente dizer que estava tudo bem.Era mais que claro a crise do casal em apenas um mês  de namoro e cabia aos dois cederem ou terminarem logo com o que tanto os torturava.Por mais paixão que houvesse,ela não poderia se manter sem a compreensão.

Edward fingia,muito mal,não estar preocupado com Bella.Da outra vez em que tomaram chuva ela ficou gripada e doente.

- Você está com frio. – Observou ao vê-la abraçar o corpo e tremer. – Se quiser eu...

- Estou bem,Cullen.

Edward ignorou sabendo que a namorada era orgulhosa demais para admitir.Se aproximou de Bella e passou os braços em volta do corpo dela.

Bella sorriu diante da aproximação,pelo menos Edward se aproximava voluntariamente dela.

- Obrigada. – sussurrou.

- De nada,Bella.

Alice observou a cena pelo retrovisor,riu da atitude do irmão,aprovando o fato de ele querer partilhar sua vida com outra pessoa.

Finalmente chegaram,Edward ajudou Bella a sair do carro e ela agradeceu com um sorriso que se desmanchou ao ver o carro de Emmet do outro lado da rua.

- Eu vou lá. – Disse Bella prevendo a discussão entre Emmet e a irmã,eles teriam que discutir os rumos da relação agora que Rose estava grávida e Bella sabia que Rose e seus 22 anos não estavam preparados para isso.Teria que largar o curso para assumir toda a responsabilidade que um bebê acarretava.Emmet apesar de amar Rose,era jovem e imaturo demais para perceber o mundo ao seu redor.Os dois teriam que aprender e crescer com o erro.

- Edward suba com Bella e tente acalmá-la. – Ordenou Alice.

- Ele vai me acalmar?Seu irmão só sabe me estressar. – Disse exaltada sem notar a magoa nos olhos do rapaz. – Alice,eu tenho que ir lá.

- Fique com Edward,tire essa roupa e tome um banho.- Bella se impôs mas ela pôs as mãos nos ombros da amiga a impedindo de passar. – Você não vai se meter.

Bella subiu com um Edward carrancudo e ofendido com suas palavras.O clima tenso só piorava devido aos confusos acontecimentos da noite.

- Trouxe café pra você. – Disse Edward entrando no quarto com uma xícara de café fumegante.Bella estava encolhida no canto do quarto olhando para o nada.As lágrimas em seus olhos eram visíveis,uma sensação de impotência a dominou e ela desejou ter o controle de seus sentimentos.

- O que aconteceu com a gente? – Edward entregou a xícara e sentou-se na beira da cama,passou as mãos nos cabelos molhados e suspirou.Nem o banho ajudou a refrescar os pensamentos.

- Primeiro foi à festa,depois você me viu e...

- Edward!Acorda! – Se pôs na frente dele e começou estalando os dedos em seu rosto. – Não sei se temos futuro,não sei se eu sou ideal pra você,só sei que não quero sofrer mais com essa situação.

- O que você quer dizer com isso? – Levantou-se e a olhou tentando entender,odiou não poder ler a sua expressão.E odiou a si mesmo por não notar,seu namoro estava prestes ao fim.Precisava de algo para salvá-lo,uma arma poderosa e instantânea que fizesse Bella crer no quanto gostava dela.Mas como demonstrar?O que fazer?

Sem se conter a abraçou antes que Bella pudesse responder ou reagir,era disso que ele precisava, parar de pensar e senti-la. Seus braços fortes envolveram o corpo de Bella que se deixou levar pelo conforto do gesto.

- Acho melhor pararmos de nos acusar e começarmos a pedir perdão.

- Você tem sorte de ser lindo,fofo e inteligente,senão... – Bella disse incapaz de brigar com ele depois de um gesto tão altruísta.

Tinha medo de perdê-la,por mais que essa realidade estivesse próxima não podia se ver sem Bella caminhando junto com ele.Aceitaria se ela quisesse sair de sua vida mas não podia simplesmente deixá-la ir.Era um risco e um progresso em sua vida.

No calor dos braços de Edward,Bella perdeu sua razão e encontrou seu lar.Se dissesse que era a primeira vez que Edward tomava iniciativa seria uma mentira,mas raras eram às vezes em que ele se deixava levar pelo contato físico.

- Eu não quero terminar,Edward...eu te amo demais. – Disse correndo os dedos por sua coluna suavemente.

- Eu também... – Edward pigarreou,tinha medo de dizer que a amava e em seguida perder Bella para sua doença.

Alertada pelo murmúrio,ela ergueu a cabeça e encarou os olhos fugitivos.

- Também o que?Diz! – Pressionou,Edward se viu sem escolha,era o medo o causador dos seus conflitos,o medo o bloqueava impedindo de agir impulsivamente como um ser humano normal.

- Eu te amo.Pronto!

- Não acredito que você disse isso.Estou tão feliz que nem sei o que fazer,o que dizer. – Sorriu encostando a cabeça na camisa dele,aspirando o cheiro tão confortável e conhecido.Tudo que precisava agora era de conforto e paz e o único lugar onde poderia encontrar era nos braços de Edward.

- Não diga nada,às vezes palavras são desnecessárias. – Deslizou os dedos pelos cabelos dela sentindo a maciez contra sua pele.

- O que você quer dizer com isso?

Edward revirou os olhos,será que era o único inteligente ali?Ergueu a cabeça de Bella segurando seu queixo com a ponta dos dedos,eles percorreram sua mandíbula e desceram até o pescoço da garota que alterada pelo calor do toque,jogou a cabeça para trás e gemeu.

-Acho que entendi.

O beijo foi inevitável e não menos importante,unindo aqueles dois seres cansados de brigar com si próprios,cansados de seus próprios medos.Um beijo que começou calmo,o gosto da paz era maravilhoso e a cama os convidava para aproveitá-la.Eles atenderam ao seu chamado,enquanto as mãos de Edward deslizavam pelas laterais do corpo de Bella já sabendo aonde ir para deixá-la louca.Ela gemeu entre os lábios dele e ele sorriu feliz por saber o efeito que causara na namorada.

- Eu quero você,agora. – Disse ela assumindo o controle como gostava de fazer,a sensação de ter Edward a mercê de seus desejos era excitante.A camisa dele voou para alguma parte do cômodo,os lábios de Bella se encarregaram de passear pelo corpo dele.

- Você não cansa? – Perguntou ele na esperança de que Bella ouvisse.

- Não canso de desejar você,Edward.Mas caso você não queira podemos só conversar.

Edward franziu os lábios e estendeu a mão para ela.Bella alcançou-o deitando em seu peito,ouviu as batidas intensas do coração de Edward por ela eram como música e ela apreciou aquela sinfonia em silêncio.

- Bella seu silêncio me provoca.

- Desculpe.Estava ouvindo seu coração. – Disse colocando a palma em seu peito para sentir melhor o coração dele. – Você é tão lindo sabia?Eu sou tão sem graça perto de você.

- Deixe de sandices,Bella. – Seus olhos buscaram os dela sem medo. – Você é linda.Eu deveria ter ciúmes de você.

- Na verdade não,até porque pra que olhar para outro garoto se tenho um conjunto de qualidades completo em você?

- Eu não sou completo,sou vazio e frio.Você já devia entender isso. – disse contrariando a namorada,Bella deu uma tapa leve em seu peito. – É a verdade,sinto muito por isso.

- Você é perfeito,maravilhoso,tão inocente.Sabe o quanto é raro ser inocente no mundo de hoje,as pessoas sempre querem algo de você,vem com segundas intenções.

- Eu tenho segundas intenções com você,seus trajes mínimos facilitam meus pensamentos maliciosos sabia? – ele brincou circulando a coluna dela com os dedos.

- Então acho que devo usá-los com freqüência.

Os dois riram cúmplices, não havia nada que pudesse separá-los naquele momento. Desentendimentos foram deixados de lado e eles puderam curtir um ao outro sem culpa. Era um bom começo... Bem longe do fim.

0 comentários :

Postar um comentário