Á Luz Das Estrelas - Capitulo 22


Bella mal conseguia comer no avião, pensava no avoado Edward com seus olhares distantes e reações inesperadas ao seu toque. Pensava em vê-la andando de pijamas pela casa, envergonhado por ser flagrado em alguma situação constrangedora, e no sorriso presunçoso quando demonstrava sua inteligência maior que o normal. Amava aquele garoto e ficar longe dele torturava seu coração, tinha tanto pra mostrar a ele quem nem sabia por onde começar.

Aproveitou a viagem ao máximo, visitou as catedrais, o Museu de belas Artes e um museu com obras feitas de chocolate, enfim viu lugares lindos, mas nada se comparava a falta que Edward fazia. Comprou roupas e acessórios para toda a família com o cartão de seu adorado padrasto e dormiu num quarto do tamanho do seu apartamento em Ithaca, porém tudo parecia tão pequeno sem ter alguém pra compartilhar. Sua mãe notou a tristeza da filha, Bella explicou à ela sobra a nova paixão e Renné alertou-a se encaixando no seu papel de mãe, sabia como Bella se entregava aos amores a acabava se machucando mais tarde, como ocorreu com Alec.

Ela nunca iria supor que seu amado namorado era na verdade um traficante de pequeno porte que escondia drogas no carro dela. Não suspeitou de Alec um segundo sequer, apesar de ele Sr violento e ciumento, Bella suportava tudo por amor. Mas a traição foi insuportável demais, foi acusada de um crime que não cometeu e se Alec não fosse pego talvez ela nem ao menos estaria na faculdade e seria acusada de cúmplice. Sofreu amargamente depois disso entrando em depressão profunda.

Edward seria incapaz de magoá-la, ela era um anjo que a salvou do precipício e não o largaria por nada.

Seus irmãos a pegaram no aeroporto. Abraçou os dois de vez, feliz por estar de volta.

- Lá é incrível. Vocês precisam ver a casa do Lars, é gigantesca. – Disse se referindo ao padrasto.

- Pensei que iria ficar por lá. – Brincou Jasper.

- Não passou pela minha cabeça, a única coisa que eu quero agora é curtir minha Manhattan ao lado do meu namorado.

- Ele também pensou em você e principalmente a mãe dele, tia Esme ta no seu encalço. – Disse enquanto dirigia deixando Bella no mínimo preocupada.

- Seja sutil, Jasper. – Reclamou Rosálie, daria um soco no irmão se ele não estivesse dirigindo.

- Cale a boca Rose, você anda muito estranha esses dias.

- Claro não é você que engordou três quilos do nada.

Bella estranhou a sensibilidade à flor da pele na irmã e deduziu que era TPM, ou pelo menos esperava que fosse.

- Vou enfrentar uma sogra superprotetora, hum, interessante.

- Se te consola também fui convocado. – Disse Jasper, sentindo-se importante por namorar Alice.

Bella parou pra pensar, pra que adiar um encontro inevitável? Só iria sofrer ainda mais longe de Edward e ao mesmo tempo tão perto.

- Mudança de planos, me deixe na casa do Edward. – Bella ordenou para Jasper, deixando os dois irmãos preocupados.

- Tem certeza?Tenho ingressos pra uma balada imperdível, comprei especialmente para comemorar sua volta.

Bella ponderou, não havia nada melhor do que uma balada em Manhattan e sentia falta disso. Mas o seu coração estava comprimido pela falta que Edward fazia. Precisava vê-lo, sabia como ele era sensível e não sabia lidar com novas situações.

- A deixe na casa do namorado logo, Jazz. Eu sei como a Bella se sent. – Reclamou Rose dando um tapa no ombro do irmão.

Emmet havia viajado para São Francisco com a família deixando sozinha, ela a convidou para ir, mas Rosálie recusou.

Jasper desviou o caminho, largando a irmã na casa do namorado. Bella deu esperanças de que iria para a balada e tentaria carregar Edward consigo.

Ao subir o elevador, perguntou-se se a sogra estaria em casa e como ela reagiria à visita.

Não sentia medo, era apenas receio, pois seria a primeira sogra que conheceria.

Edward conversava com Derrie, a governanta da casa dos Cullens,ela conhecia bem o garoto. Se afeiçoou por Edward desde o principio e sabia todas as manias dele, em seus vinte anos trabalhando para os Cullens nunca viu Edward tão agitado.

- É aquela garota,não é?

- A Bella é conhecida sem nem mesmo aparecer aqui. – Disse Edward roendo as unhas,Derrie o forçou a parar antes que comesse os dedos.

- Você gosta dela?

- Sim ela é legal.

- Só legal?Você está com os pneus arriados por ela. Admita!

Edward se ajeitou na cadeira da cozinha e estreitou os olhos.

- Pneus arriados?Eu não sou um carro, Derrie. – Disse irritado fazendo Derrie rir.

- Quer dizer que você está apaixonado, amando, se envolvendo com ela, querido.

- Isso não é nada bom, eu sou um risco para mim mesmo, pra ela então...

- Você não é um risco pra ninguém. E está indo muito bem na faculdade pelo que seus pais e a sua irmã disseram. Fez até amigos, você nunca teve amigos na época de colégio.

Deu de ombros como se isso não importasse muito.
A campainha tocou o assustando, Derrie foi atender e ordenou a Edward que permanecesse ali.

Derrie voltou no mesmo instante sorrindo alegremente e Edward se irritou com seu comportamento estranho.

- O que é Derrie?

- É uma garota, muito bonita por sinal.

Ele se levantou e arregalou os olhos. Será que era Bella? Ou podia ser uma das amigas de Alice na melhor das hipóteses.

- Será que...

- Sua mãe está com ela na sala, vá lá.

- Eu odeio visitas... – Resmungou.

Alice chegou saltitando na cozinha, Edward revirou os olhos ao ver outra pessoa contente naquela casa.

- Edward advinha?

- Se você não me disser como vou saber?

Alice colocou as mãos nos ombros do irmão e depositou um beijo em sua bochecha para irritá-lo.

- Isabella Swan está aí na sala conversando com a mamãe.

Edward não acreditou no que acabou de ouvir, sua Bella na sala com sua mãe?O ar lhe faltou e ele estremeceu.

- A mamãe não pode conhecer a Bella. – Gritou indo até a sala, cerrou os punhos ao ver sua mãe e Bella no mesmo sofá se entretendo numa conversa.

Bella não se sentiu intimidada por Esme, deu-se conta de que ela era apenas uma mãe protegendo a cria.

- Eu não me importo com o fato do Edward ter S.A. Gosto dele da mesma forma.

- Ele é frágil, sensível, não é como os outros garotos. – Declarou Esme preocupada.

- Eu amo o seu filho, por esse motivo quero mostrar ao Edward o quanto ele é capaz. – Argumentou Bella descontraída e calma. Seu poder de persuasão sempre foi aguçado, era uma característica comum entre os Swans. A palavra amor certamente pegou Esme de surpresa, ela não entendia como uma garota rica e bonita como Bella podia amar seu garoto que mal sabia o que significava isso.

As duas se viraram e notaram um Edward impaciente as observando.

Esme observou ela se levantar ansiosa e correr até Edward envolvendo seus braços no pescoço dele.

- Amor, que saudades.

Edward fechou os olhos se deixando levar pelo cheiro do qual sentia tanta falta, relaxou os ombros e sorriu ao sentir o calor de Bella e os lábios doces em sua face.

Emocionada, Esme observava a troca de carinhos feliz pelo filho ter encontrado alguém especial.

Alice e Derrie também observavam encantadas. Edward percebeu que estava sendo observado e se afastou.

- Isabella, como vai? – Perguntou seco. Bella se irritou com a postura dele mas logo entendeu por quê.

- Melhor agora que estou com você.

Edward sorriu tímido e aproximou seus lábios do ouvido dela.

- Estão olhando pra a gente.

Ela riu do constrangimento do namorado.

- Bom, jovens apaixonados, eu vou sair à noite. Eu e Carlisle temos um jantar com alguns amigos. Vou me preparar. – antes de deixar a sala Esme se dirigiu ao casal agora de mãos dadas. – Foi um prazer conhecê-la Isabella, cuide bem do meu garoto. E quanto ao senhor Edward Cullen,devo dizer que escolheu muito bem sua namorada.

Bella esperou todos saírem para atacar os lábios de Edward, ele hesitou se afastando.

- Por que você veio aqui? – Perguntou ainda digerindo a reação da mãe.

- Estava com saudades, você não?

- Eu não neguei, apenas estou perplexo. Você e minha mãe conversando...

- A Esme me adorou, amor. Esqueceu que sua Bella é poderosa?

Edward se viu sem palavras e ele odiava isso. Sim, Bella conseguia tudo o que queria e isso o assustava um pouco.

- Vamos, me mostre a casa, mal educado.

Ele a mostrou  a sala de televisão,a cozinha, a sala de jantar e o corredor que dava para os quartos.

- Qual é o seu?
- O segundo a esquerda, em frente ao de Alice.

Bella o puxou pela mão até o seu quarto e fechou a porta atrás de si.

Não se importou em conter sua vontade dando um beijo voraz em Edward. Ele não viu saída senão se entregar ao beijo, explorando cada canto da boca dela.

- Hum, você está melhorando. – Disse um pouco ofegante encostando sua testa na dele.

- Sim. – Edward murmurou.

- Sim o quê?

- Sim, eu senti sua falta.

Conversaram sobre a viagem e outros assuntos. Bella sentou no colo dele que permitiu um pouco animado com a idéia.

Seu semblante mudou quando ela saiu do seu colo e explorou seu quarto, tocando em um de seus bonecos da coleção de Star Wars.


- Não! – gritou nervoso, tirando o boneco das mãos da namorada e o colocou no lugar. Só de pensar que Bella danificaria seus bonecos agoniou-se.

- É só um boneco. – Disse assustada com a atitude do garoto.

- É um boneco pra você. Pra mim é a replica legitima do Conde Dooku um dos Sith. – Respondeu ríspido.

- Nossa que estresse, Edward.- Cruzou os braços sobre o peito e se afastou dele, Edward notou a besteira que fez e se aproximou da namorada.

- Acho melhor você ir pra casa descansar.

- Eu quero ficar com você, não estou cansada. – Ele deu de ombros, calado. – Eu não vou a uma festa pra ficar com você então me agüente.

- Eu não quero te atrapalhar, se você quer ir vá.

- Acabei de dizer que quero ficar com meu namorado.

A porta se abriu interrompendo a discussão,  era Alice avisando que ia sair mais tarde com Jasper e perguntando se Bella e Edward iriam com eles. Edward respondeu o obvio deixando Bella sem saída além de aceitar.

- Você não teve a mesma idéia que eu? – Ele meneou a cabeça negativamente. – Casa vazia, nós na sua cama, sem roupa. – A voz doce e sensual de Bella encheu seus ouvidos, ele suspirou involuntariamente devaneando sobre os planos dela. Queria aproveitar todo e qualquer momento com ela, mas sem seus pais, Alice e Derrie para atrapalhar ou supor algo, o que acontecia entre eles deveria ficar entre eles.

- Não sei se é uma boa idéia.

Bella enlaçou seu pescoço e passou a língua em seu ouvido, Edward estremeceu sentindo o corpo fraquejar.

- Eu acho uma ótima idéia Spock.

- Como quiser. – Respondeu a mercê dos encantos da namorada.

Ouviram batidas na porta, Edward olhou para ela assustado se separando da namorada ao supor que poderia ser a mãe ou novamente Alice.

- Quem é? – Perguntou se afastando dela.

- Derrie, querido.

- Quem é Derrie? – Perguntou Bella suspeita.

- Nossa governanta, ela me conhece desde criança.

Ergueu as sobrancelhas percebendo a agitação de Edward.

- Pode entrar, Derrie. – Gritou Bella sorrindo pra ele que a repreendeu.

Derrie entrou e se apresentou a Bella.

- Me conte alguma curiosidade sobre o Edward,Derrie. – Bella quis saber curiosa,esperava que ela contasse algo secreto sobre a infância ou adolescência dele pois Edward evitava entrar no assunto sempre que tocava nele.

- Como se ele permitisse isso – a  governanta riu descontraída olhando carinhosamente para o garoto. – Eu adoraria ficar aqui e conversar, mas tenho que preparar o jantar e sair em seguida.

- Pronto Derrie,ela é a responsável por minha agonia. – Edward disse olhando para além da janela.

Derrie fez um sinal com mão para Bella pedindo paciência, ela piscou o olho para a governanta que logo depois saiu deixando os dois à sós.
Ainda dominada pela curiosidade, Bella envolveu o pescoço do namorado que distraído encarava o céu.

- Eu não vim aqui pra te deixar constrangido. – Explicou odiando ser ignorada por ele. Edward se manteve calado deixando ela agoniada com o seu silêncio, quando precisava ouvir a voz do namorado ele simplesmente se calava.

- Não deveria ser assim. – Murmurou tenso.

- Esquece, eu tenho uma proposta pra você hoje.

Animado, Edward sorriu, Bella se tornou uma pauta constante em sua vida, como a Mira ela aparecia e sumia do céu, mas sempre estava lá.

Carlisle apareceu no quarto mais tarde cumprimentando Bella, o que deixou Edward ainda mais constrangido e envergonhado.

Eles jantaram junto com Alice que logo depois saiu com Jasper e Rosalie deixando os dois sozinhos em casa. Edward foi guiado por Bella até o seu quarto, ela fechou a porta atrás de si e sorriu maliciosa, se aproximando do indefeso e confuso Edward. Seus instintos de defesa diziam que nenhum dos dois sairia ilesos dos efeitos que causavam um ao outro.

- O que você quer fazer?Tenho alguns jogos aqui. – Edward procurou os jogos no armário e foi surpreendido por um abraço.Bella colou seu corpo ao dele de forma desesperada.

- Você tem que parar de me abraçar assim.

- E você tem que parar de ser chato. – Edward se virou sendo obrigado a encará-la. – Sugiro um jogo de perguntas e respostas.

Edward aceitou mesmo preocupado com o tipo de perguntas que Bella faria. Uma das regras do jogo era ficar frente a frente. Ela começou animada para tirar algumas verdades dele.

- Você já sentiu atração por outra garota da faculdade?

- Sim. – Respondeu despreocupado. Ela ergueu as sobrancelhas surpreendida com a resposta, seria Maddie?Não queria correr o risco de perdê-lo logo pra ela, apesar de não demonstrar era insegura.

- Quem?

- É contra as regras repetir a pergunta. – Lembrou deixando-a com raiva. – Você já mentiu pra mim?

- Já. – Recordou que se não fosse por uma mentira dela não estariam juntos. – Pensou sexualmente em outra garota a não ser eu?

Edward corou e engoliu seco, já se pegou olhando para o decote de Maddie e repreendeu-se por isso. Bella não gostava de Maddie, mas ele admirava a inteligência e os gostos em comum que possuía com a garota.

- Não. Por que você tem ciúmes da Maddie?

Bella se perguntou por que ele havia tocado no nome de Maddie,será que Edward havia mentido pra ela sobre a pergunta anterior?A possibilidade a pegou desprevenida.
- Porque ela sempre chamou mais atenção que eu. Ela é linda, faz astronomia como você e é super inteligente.

- Quer dizer que você acha que eu queria estar com ela?

Bella teve que admitir como se sentia, com Edward deixava as mascaras e convenções sociais de lado.

- Não há mais ninguém que eu queria estar. Eu gosto mais de você do que do meu telescópio. – Confessou olhando para o chão, estava em um jogo e agia como em um. Bella entendeu como um elogio sorrindo pela declaração de Edward.

- Sua declaração é bem original pra um riquinho de East Side. – Brincou estendendo a mão para acariciar o rosto dele.

Naquela noite se entregaram um ao outro. Edward explorou cada parte do corpo de Bella no quarto escuro, enquanto ela gemia de prazer deixando as emoções assumir o controle. Chegaram a ser descuidados não usando proteção, mas era tarde demais, os corpos ardentes gritavam um pelo outro, exigindo mais até atingir o auge.

- Você é maravilhoso. – Disse Bella,as mãos apoiadas nas laterais da cama dele desejando nunca mais separar seus corpos.Seus cabelos bagunçados davam um ar pós sexo que Edward apreciou extasiado.

- Nós somos. – Corrigiu ele enquanto suas mãos passeavam pelas curvas laterais de suas costas.

- Se você diz.

- Não sou eu que digo,são nossos corações. – Levou a mão até a cabeça dela e a encostou em seu peito para sentir seu coração que pulsava rápido demais.

- Isso foi uma metáfora, você odeia metáforas.

- Bella,isso foi uma prosopopéia.Eu ainda odeio metáforas. –Ela riu acompanhando-o consciente da sua ignorância gramatical. Mas com Edward perdia a noção de tudo.

- Como você esqueço até meu nome, senhor cueca de barquinhos. – Disse se referindo à cueca dele deixando-o no mínimo corado.

- São veleiros. Foi a mamãe que comprou. – Replicou revirando os olhos.

- Não importa. Que tal irmos às compras amanhã? – Convidou se levantando para catar as roupas espalhadas pelo chão. Edward acompanhou com o olhar o corpo esbelto da namorada e sorriu. – Edward, te fiz uma pergunta, amor.

- Eu não. – Não tirou os olhos das curvas dela.

Bella se vestiu vendo que só assim poderia ter uma conversa coerente com ele.

- Eu volto amanhã, venho te pegar pra umas compras.

- Contanto que Alice não vá, eu te acompanho.

Ele se vestiu apressado e a acompanhou até a porta.

- Tem certeza que vai ficar bem aí sozinho?

- Como PI é três virgula quatorze.

- Metáfora?

- Paradoxo!Te peguei! – Corrigiu novamente, depois de se esforçar pra passar em português no colegial havia decorado todas as figuras de linguagem.

Deram um beijo demorado com receio de deixar um ao outro.

Sem se dar conta do tempo, foram flagrados por Esme e Carlisle que voltavam do jantar. Edward rapidamente disfarçou e sorriu tímido para os pais. Esme sorriu simpática escondendo sua preocupação ao olhar nos olhos de Carlisle. Bella agora seria parte da família, só esperavam que durasse.

As férias de verão passaram numa velocidade inacreditável, Edward e Bella aproveitaram cada segundo sem ficar um dia longe um do outro. Foram ao cinema, ao teatro, as exposições de artes contra vontade dele e desfrutaram da companhia dos amigos. Seriam férias inesquecíveis principalmente para Edward que descobriu o prazer de dividir uma banana split com Bella e aprendeu que não devia deixá-la ao lado de Alice durante as compras. Conhecer Charlie Swan foi um dos pontos peculiares para ele, ao contrário dos outros pais, Charlie era divertido e descontraído não cobrando ou questionando Edward.

A aprovação do pai foi mais do que importante pra Bella  e o “gostei desse garoto” de Charlie a fez estampar um sorriso apaixonado.

Voltar para Ithaca trazia consigo as responsabilidades que os estudos exigiam. Edward começou a botar suas prioridades na balança, se vendo entre a carreira promissora e os cuidados que o namoro exigia. Teria que ser um verdadeiro equilibrista suportando o peso das suas escolhas.

0 comentários :

Postar um comentário