18. O início do fim, será?


Edward POV

O dia anormalmente longo, cansativo, a única coisa que me animava era saber que Bella estava em minha casa a minha espera e o melhor por um final de semana inteiro. Eu decidir que confessar meus sentimentos por ela seria melhor agora, antes que tudo terminasse. Eu a amo então não tenho porque esperar por mais nada. Se ela iria me rejeitar, eu lutaria contra isso. Peguei meu carro e no caminho fiquei pensando em tudo, tudo que se relacionava a Bella, eu estava tão louco por ela que deixei meu Aston Martin na mão dela. Eu posso amá-la, mas ela ainda é mulher sabe-se Deus se ela dirige direito.

Será que meu carro foi transformado em sucata? Bem se isso aconteceu, eu também perdi a mulher. Não quero nem continuar pensando nisso. Eu morreria se algo acontecesse a ela, não logo agora. Eu corri o máximo que o limite de velocidade permitia. Eu gostaria de ser um pássaro para voar e poder ficar perto dela muito mais tempo. 72 horas é pouco. Eu queria 24 horas por todos os dias. Cheguei em casa e fui direto para meu quarto procurá-la, não achei nada, só uma cama perfeitamente arrumada. Estranho será que ela saiu? Passei por todos os cômodos e nada, fui até a academia e encontrei uma Bella perdida olhando para um ponto fixo a esteira ergométrica.

- Revivendo o momento? – deu um pulo e virou para mim com uma cara assustada. Com a mão no peito. Acho que quase matei a bichinha.

- Edward... – falava dificilmente, tentando respirar. – que susto, você não avisa quando esta chegando.

- E como devo anunciar que eu cheguei em minha casa?

- Arraste suas correntes! – muito engraçada, uma comediante!

- Ahá! Pode deixar. – o que ela estava pensando para ter se assustado tanto. - o que você tanto pensava que estava tão longe. Que não me viu chegar pelo espelho, Bella?

- Em nada especial, às vezes saio fora do ar. E não me pergunte como faço isso.

- Você, além de tarada, maníaca. É bem estranha.

- Obrigada pela parte que me toca!

- O que fez o dia todo? – o que será que ela aprontou o dia todo. Notei que as roupas mudaram. Com certeza ela saiu daqui, pelo menos voltou e ficou aqui como eu queria.

- Eu fui até minha casa. – ela começou a andar e eu a segui. – pegar algumas peças de roupas. – eu não tinha me lembrado deste detalhe. – e passei no mercado e vou cozinhar para você. – neste momento chegamos à cozinha.

- Hum, interessante além de boa na cama é boa na cozinha?

- Ok, se você quiser, eu posso te provar isso agora. – subiu na bancada e me puxou para ficar entre suas pernas.

- Assim é tentação demais, mais nesse momento. – abracei sua cintura. - eu prefiro ficar só abraçado. – e encostei minha cabeça no seu peito. Ouvindo só o som de sua respiração e o som do seu coração batendo contra meu ouvido. - Ficamos assim por alguns minutos, até que Bella falou.

- Se ficarmos aqui, não terá jantar. – Woow! Quanto romantismo, quando foi que as mulheres ficaram assim?

- Ok, vou tomar banho.

Durante o banho eu fiquei pensando no que poderíamos fazer durante todo um fim de semana. Não era uma tarefa fácil e pelas minhas contas só tínhamos mais três posições a ser cumprida. Mas eu me lembrei do que ela me perguntou se tinha alguma posição que poderia ser feita no cinema. Realmente não que eu me lembre, mas para isso pode ser qualquer posição não necessariamente do Kama Sutra. E para isso qualquer filme serviria não prestaríamos atenção. Terminei meu banho e me vesti sentindo um cheiro bom, a começar pelo cheiro acredito que estivesse bom. Cheguei à cozinha acompanhando cada passo que Bella dava enquanto preparava o jantar.

- O que temos para o jantar?

- Risoto

- U.A.U!!!

Comemos em silêncio por alguns minutos, as dúvidas sobre as habilidades na cozinha de Bella foram embora quando provei. Coisas se passavam em minha mente sobre as últimas 24 horas.

- Então, o que você achou das últimas 24 horas? Você gostou de ver duas pessoas transando ali, se exibindo para nós.

- Considerando o fato que o homem estava alheio ao resto e só ela nos viu. Sim! – interessante, precisava descobrir mais. Que lado eu despertei em Bella.

- Você transformaria isso em uma prática normal em sua vida?

- Claro, porque não? – me assustei com a resposta, não imaginei nunca Bella como vouyer. – você não?

- Sim, é realmente uma experiência diferente. Você gostaria de assistir eu e outra mulher? – ela soltou o talher imediatamente franzindo o cenho. E eu aguardando ansiosamente a resposta.

- Não! – porque não?

- Porque não? Quando te perguntei se queria que ele fizesse o mesmo que fazia com a moça, você disse que sim.

- Você gostaria que ele me tocasse? – ela era boa, muito boa.

- Não – e não era por ser meu irmão. Não suportava a idéia de nenhum outro homem tocando-a.

- Então acho que você entende, porque eu não quero. – a olhei sabendo que o assunto tinha morrido ali. (N/A: Bella 1 X 0 Edward)

-Eu estava pensando. – retomei o assunto após um silêncio agradável que se instalou entre nós. – poderíamos ir ao cinema amanhã.

- Certo, e o que veremos?

- Não sei, não vamos prestar atenção mesmo. – retirei seu prato indo até a pia e me virando para ela. – eu lembrei o que você me perguntou, se alguma posição dava para fazer no cinema, eu realmente não encontrei. Mas podemos fazer outra coisa. Ou assistir ao filme o que você preferir.

- Quem é a ex-virgem de orgasmos que teria que ser safada aqui? – ela perguntou com um atuação de quem estava surpresa.

- Você. – apontei.

- Não parece... – ela me olhava dos pés a cabeça. – Edward eu estive pensando. Quem eram aquelas pessoas ontem? Porque era seu consultório. Você os conhece?

- Um das pessoas eu sei quem era...

- A mulher, provavelmente. – ela murmurou fechando a cara.

- Se você deixar eu terminar... – rebati, ela sorriu e fez um sinal com a mão para que eu continuasse. – bem a mulher eu não faço a mínima idéia de quem poderia ser. Eu juro nunca vi na vida. – ela parou por um momento me olhando nos olhos e eu levantei minhas mãos em rendição para provar que não estava cruzando os dedos nem nada. – já o homem...

- Quem era? E de onde você o conhece? - será que ela ficaria muito nervosa.

- Desde que nasci, era o Emmett. – imediatamente ela pulou da cadeira da bancada gritando.

- O que? Ai.. meu ... deus! Eu não acredito que vi a bunda do seu irmão. Que vergonha Edward, você sabia que era ele o tempo todo? – admiti balançando a cabeça. – e agora como vou olhá-lo ai meu deus, eu vi seu irmão fodendo alguém. Eu não posso acreditar nisso. – ela ficava cada vez mais vermelha. E eu começava a desconfiar o por que. – Edward eu vi o... – ela parou e eu quase ri. – do seu irmão.

- Não precisa ficar assim, é tudo igual.

- Ah não é não! – espera o que ela queria dizer com isso. Fiquei ali pensando. Eu teria que tirar satisfações, fui atrás dela para saber qual era a diferença. Ela já estava sentada na cama ligando a TV e se acomodando quando eu entrei no quarto.

- Vem cá, que diferença existe, se não é tudo igual? – parei na porta olhando bem no fundo dos olhos. Se existe alguma coisa eu quero saber!

- Nenhuma, só comentei. – ah e eu agora sou o Bozo por acaso?

- Não, existe alguma diferença, você mesmo disse. Anda quero saber.

- É uma pequena diferença. – ah não acredito nisso!

- Você ficou reparando no do meu irmão? Você não tem vergonha nessa sua cara branca de defunto. – comecei a rir

- Hey nem sabia que era seu irmão, e se eu soubesse eu não teria ficado lá para ver tudo aquilo. E sim a pequena diferença ta lá onde você mesmo está pensando. – sei...

- Quem é maior, melhor, grosso? Vai responde logo.

- Eu não vou responder isso. Fique com a dúvida! Quem deixou olhar para seu irmão, foi você. – nessa questão ela estava certa.

- Você é malvada. – me sentei do lado dela e ficamos durante uns tempos quietos, vendo TV. Até contra atacar. – realmente existem as diferenças. – a vingança é doce, olhei para ela e ela me olhou com raiva. – muitas diferenças. – Disse olhando em seus olhos. E retirando o controle da TV de sua mão. – mas nenhuma delas me faz trocar o que eu tenho aqui, por ela. Jamais! E curtimos nossa noite assim, entre brincadeiras e beijos. Uma noite de sexta feira normal para muitos casais. O calor dela em meus braços era a única coisa que eu sentia. Um barulho irritante, celular, o meu não era. Não tinha nenhum parto neste fim de semana e eu sei que os pimpolinhos não iriam estragar meu fim de semana.

- Alô – Bella disse feliz. Até colocou no viva voz. Era bom que ela não tinha mais nada a me esconder. Ou realmente queria me mostrar quem era...

- Como vai minha filha preferida. – meu sogro! – estou morrendo de saudades sua filha desnaturada, só não digo que você é uma cobra que eu criei no meu seio, porque quem te deu o seio foi sua mãe. – eu só conseguia rir. E Bella também. – e eu ainda não tenho este super poder.

- Pai eu vou muito bem, também estou com saudades. – Bella ria e conversava com ele. Eu daria privacidade para que ela conversasse com seu pai, estava saindo quando ela segurou minha mão. – e o que me conta de novo? Como vai a Sue, Seth... E detalhe eu sou sua única filha pai.

- Infelizmente, e desnaturada, então o que vai fazer amanhã minha filha? Nós estamos loucos para te ver e Seth está aqui dizendo que está com saudades. Venha almoçar conosco meu amor.

Bella me olhou e eu sorri para ela. - dizendo para ela aceitar. - Não tínhamos nada para fazer, só o cinema à noite.

- Posso levar uma pessoa? – Bella perguntou hesitante, talvez com medo da reação de seu pai.

- Filha você está namorando? – Escutamos um grito. – Suuuuuuuueee a Bella desencalhou! – Bella ficou vermelha, mais vermelha do que o vermelho da camisa do Flamengo. – traga ele minha filha. Quero ver se ele é digno de estar com a cobrinha amada.

- Nossa pai, muito obrigada pela cobra! – eu enfiava a cara no travesseiro para que seu pai não escutasse minhas risadas. – te vejo amanhã.

- Te amo, até amanhã, minha filha.

- Também papai.

Eu ainda estava me contorcendo de rir com o rosto no travesseiro quando Bella me alertou sobre seu pai.

- Ria enquanto pode, porque quando ele te pegar. Ah Edward você estará fugindo de mim em meio segundo. – nossa agora fiquei com medo do Sr. Swan.

Me empenharia ao máximo para agradar o Sr. Swan, meu futuro sogro.



0 comentários :

Postar um comentário