Odeio amar você - Epilogo


Epílogo

Breath – Michelle Branch

Eu estive dirigindo por uma hora
Só conversando com a chuva
Você diz que eu estive te deixando louco
E isso está te afastando
Então me dê uma boa razão
Me diz porque eu devo ficar
Porque eu não quero desperdiçar mais nenhum momento
Dizendo coisas que nós nunca queríamos ter dito

Eu dirigia com calma pelas ruas de New Haven, Connecticut. Era verão e o sol estava claro no céu. A traseira do meu carro estava repleta de malas e o locutor da rádio local dava boas vindas aos calouros de Yale.
Yale. Meu presente e meu futuro.
Mal poderia acreditar que eu estava indo para o Campus de uma universidade me acomodar em meu dormitório e estudar Artes.
E eu espero só um pouco
Eu seguro minha respiração e conto até dez
Eu estive esperando pela chance de te deixar entrar
Há meses atrás eu não me convenceria nunca, que teria forças para continuar meu caminho. Eu era maior de idade, na universidade e sem Jacob Black. Os últimos meses da minha vida em NY não foram dos melhores. A relação com o meu pai permaneceu instável – mas isso eu deixei claro para mim mesma que melhorava com o tempo – e eu realmente não participei de formatura alguma. A parte realmente boa foi quando o Reitor de Yale escreveu uma carta a mão, direcionada a mim, me dando boas vindas a minha nova Universidade.
Avistei o Campus e estacionei o meu carro. Peguei apenas minha bolsa, onde estavam os papéis com a localização do meu quarto e comecei andar pelo Campus repleto de alunos, que tomavam sol na grama e curtiam os últimos dias de folga. Levantei meus óculos de sol e pude ver tudo ao vivo e a cores. Do outro lado do estacionamento tinha um Jaguar preto estacionado. Aquele Jaguar me fez voltar ao meu passado. Jake.

Se eu apenas respirar
Deixar que os espaço entre nós se encha
Eu saberei que tudo está bem
Respirar
Cada pedacinho de mim
Você vai ver
Tudo está bem
Se eu apenas respirar

Depois de inúmeras ligações não atendidas, acho que ele realmente desistiu de mim. Fora difícil mostrá-lo que nossos caminhos não se cruzariam mais e que separados sofreríamos menos, mas acho que consegui, pois desde o dia que eu disse adeus nunca mais ouvi sua foz. Confesso que o fato dele ter se esquecido de mim doía tanto, mas agora não tinha volta. Eu havia feito minha escolha.
Claire e Josh foram para Universidade de Cornell. Ela começaria cursar Literatura e ele Astronomia. Já disse que agora eles dividem um apartamento?
Voltei minha atenção para a entrada dos dormitórios, onde tinha um segurança. Mostrei meu nome e minha carta de admissão e ele me deixou passar. Fui andando até chegar ao corredor de nº 4. O número de meu dormitório era 402, a segunda porta do corredor. Peguei a chaves na minha bolsa a abri a porta.
Bem isso não é tão superestimado
Eu não estou dizendo como você se sente
Então você acaba assistindo às chances desaparecerem
E se perguntando o que é real
O lugar era confortável, bonito e aconchegante. Não era nada grande e extravagante, como eu estava acostumada, mas me lembrava Forks. Supus que minha colega de quarto já tivesse chegado, pois caixas ainda lacradas estavam sobre a cama da esquerda. Percebi que por cima de uma das caixas havia um carrinho em miniatura de corrida cor azul. Dei de ombros, ela devia gostar de corridas. Já gostei dessa garota.
Joguei minha bolsa de qualquer jeito sobre a estante onde ficariam minhas coisas e me larguei sobre a cama fofa. Finalmente em paz. Em casa. Agora só faltava pegar as coisas mais delicadas que trouxe no carro e me acomodar, já que minhas roupas, sapatos e livros já haviam sido mandados para cá há uma semana.
E eu te daria mais tempo
Eu imagino se você entende
Eu estive esperando para ver nos seus olhos
Meu celular tocou, era Claire, querendo saber como era tudo.
- Ah, Claire, o quarto é bem legal. Gostei daqui.
- E quem é sua parceira de quarto?
Ouvi alguém batendo na porta e voltei minha atenção ao telefone.
- Vou conhecê-la agora, acho. Te ligo mais tarde. Beijos.
Joguei o celular na cama e fui até a porta, abrindo-a e me deparando com olhos negros que eu conhecia e amava… Palavras não saíram da minha boca, apenas exclamações sem nexo. Meu coração pareceu não bombear mais sangue para o meu corpo. Eu estava bamba, como se a qualquer momento fosse desabar. O que Jacob fazia na minha porta?
Se eu apenas respirar
Deixar encher os espaços entre nós
Eu saberei que tudo está bem
Respirar
Cada pedacinho de mim
Você vai ver
Tudo está bem
Se eu apenas respirar
- Você deve ser minha colega de quarto. – ele disse travesso – Sou Jacob Black. Futuro estudante de Medicina e irei dividir o quarto contigo.
Eu não disse nada, apenas o encarei com um sorriso no rosto e sentindo a felicidade tomar conta de mim, como há tempos não acontecia. Jacob ficou parado na soleira da porta, me encarando profundamente. Era incrível como nada mudara nele, a não ser pelo fato de estar ainda mais lindo.
- Como você soube que eu estava aqui? Como conseguiu ficar no mesmo dormitório que eu?
- Claire me ajudou muito e… Um suborno na reitoria pode ajudar bastante às vezes, garanto.

Então eu sussurro no escuro
Esperando que você me ouça
Você me ouve?
Continuei fitando-o sem nada dizer. Jake entrou no quarto, jogou uma bolsa de roupas em cima da cama e se virou para mim, abrindo os braços para um abraço. Fechei a porta atrás de mim com um dos meus pés e sorri marota, correndo para seus braços onde eu me encaixava perfeitamente. Nossos corpos correram para cama, onde fiquei por cima dele, encarando-o. E como se nada mais pudesse impedir – e não poderia mesmo – eu o beijei com todo o fervor.
Depois de carícias e beijos calorosos de saudade, Jacob me olhou e disse:
- Eu disse que não desistiria de você.
- No fundo, eu sabia que você não iria desistir.
- Então, estamos começando de novo?
- Começando? Não. Porque isso nunca acabou.

Se eu apenas respirar
Deixar encher os espaços entre nós
Eu saberei que tudo está bem
Respirar
Cada pedacinho de mim
Você vai ver
Tudo está bem
Se eu apenas respirar
Voltamos a nos beijar e só Deus sabe quando pararíamos. Agora tínhamos anos pela frente, morando no mesmo lugar, vivendo juntos. Eu não tinha mais o que negar. Jacob Black sempre seria meu eterno namorado e não era para ser ao contrário. Nosso amor tinha vencido e agora só nos restava passar por obstáculos fáceis da vida, já que agora estávamos juntos e nada mais seria difícil.
Um grande amor é assim mesmo. Ele nos dá o caminho da emoção, mas os sentimentos de verdade são apenas nossos, ninguém copia, ninguém leva, ninguém divide. Eu não queria mais ser feliz. Nem triste. Nem nada. Eu quis muito mandar na vida. Agora nem chego a ser mandada por ela. Eu simplesmente me recuso a repassar toda a minha história de amor, fosse qual fosse, pela primeira vez eu deixaria a vida ser como é.
Desde que eu continuasse dormindo, presa na realidade do meu maior sonho de amor.
Tudo está bem se eu apenas respirar
Eu estive dirigindo por uma hora
Só conversando com a chuva…
::: :::

Save Me – Hanson


6 meses depois…

- As artes criativas são muitas vezes dividas em mais categorias específicas. Tais como artes decorativas, artes plásticas, artes do espetáculo ou literatura…

A aula de Gêneros da Arte não era a minha preferida. Mas eu gostava tanto de estudar isso que tudo se tornava fácil demais. Eu havia escolhido seguir carreira de Artista Plástica e Decorativa e como meu pai havia cortado parte da minha grana, quando descobriu que Jake estava no mesmo dormitório que eu, a única coisa que me restou, foi fazer alguns bicos com o pouco que eu já havia aprendido sobre Artes.
Amando você como eu nunca amei ninguém antes
E precisando que abra esta porta
Te implorando, como se, de algum modo, pudesse mudar a situação
E me peça também, eu preciso tirar isto da minha cabeça
Jake estava se saindo super bem no curso de Medicina e eu estava muitíssimo orgulhosa. Passar os dias separados um do outro compensava todas as noites em que dormíamos juntos. Ele não só mudou a personalidade, mas também amadureceu como homem. Agora mais inteligente, responsável e claro, bem romântico até. Não estou reclamando.
Eu nunca pensei que estaria dizendo estas palavras
Eu nunca pensei que precisaria dizer
Outro dia sozinho é mais do que posso suportar
A professora pediu para que pegássemos o livro e assim que o abri um pedaço de papel caiu no chão. Me agachei para apanhá-lo. Tinha o perfume dele.
“Jantar hoje.
Ás 21h.
Irei passar aí para te buscar.

Amo você, princesa.
Jake.”

E como não amar um homem assim?
Você não vai me salvar?
Salvação é o que eu preciso
Eu apenas quero estar ao seu lado
Você não vai me salvar?
Eu não quero ficar
Apenas vagando sem rumo neste mar da vida
[...]
- Jake, você pode me fazer o favor de contar para onde estamos indo exatamente? – perguntei para ele. Meus olhos estavam vendados e Jake me guiava por uma escada que parecia nunca ter fim.
- Já disse, na faculdade.
- Jura? Pensei que ia me levar a um lugar mais romântico para jantarmos.
- Não reclame ainda. Aguarde o momento certo.
Você não vai…
Ouça, por favor querida não saia pela porta
Estou de joelhos, tudo que estou vivendo é por você
Assim que paramos de subir as escadas, Jake segurou minha cintura e beijou meu pescoço. Senti que ele abria uma porta e logo pude sentir a brisa gelada da noite batendo em meu rosto.
Eu nunca pensei que estaria dizendo estas palavras
Nunca pensei que encontraria uma maneira
Outro dia sozinho é mais do que posso suportar
- Pode tirar a venda, Ness.
- Finalmente.
Retirei aquela maldita venda e pude abrir meus olhos. Estávamos em um terraço e dele eu tinha visão de todo o céu, como se fosse possível tocar cada estrela que brilhava lá em cima. Uma pequena e simples mesa estava posta e rosas trilhavam o caminho até ela. Olhei para Jake surpresa.
- Amor, que lugar lindo.
- Esse prédio não funciona mais… Está abandonado.
- Como descobriu isso aqui?
- O pessoal me deu a dica.
Você não vai me salvar?
Salvação é o que eu preciso
Eu apenas quero estar ao seu lado
Você não vai me salvar?
Eu não quero ficar
Apenas vagando sem rumo neste mar da vida
- Você consegue sempre pensar em tudo.
- Eu sei que consigo. – ele respondeu, me dando uma piscadela – Mas hoje eu tenho um presente para te dar. Feche os olhos.
- Hum, Ok.
Fechei os olhos e alguns segundos depois Jake me mandou abri-los. Ele estava parado na minha frente, com um parzinho de alianças de ouro branco na palma das mãos.
- Pensei em trazê-las em uma caixinha, mas achei que você gostaria mais se eu as trouxesse em minhas próprias mãos.
- Jake, o que significa isso?
- Cheguei à conclusão que se eu te pedisse em casamento agora, você diria que eu estava ficando louco, porque somos jovens demais, mas eu queria uma forma deixar simbolizado meu amor por você, Renesmee.
Repentinamente o céu está caindo
Poderia ser tarde demais para mim?
Se eu nunca disse “Me perdoe”
Então estou errado, sim eu estou errado
Então eu escuto meu espírito chamando
Imaginando se ela está ansiando por mim
E aí eu entendo que não consigo viver sem ela
No fim o amor me atingira como uma bala no peito. Rápido, violento e profundo. Eu não me importava com alianças e nem nada material. O que realmente me importava era que eu amava aquele homem com todas as minhas forças. Eu poderia amar Jake até sem amor, porque o sentimento dentro de mim era tão grande, tão sadio, tão absurdo e profundo, que o amor havia se tornado algo mais.
Do amor a gente não enjoa. Você pode até cansar, mas não enjoa. E assim eu me acolhi no meio daqueles barcos fortes… Quem diria, para alguém que sempre odiou os malhados. Se a vida acabasse hoje ou daqui a mil anos, eu o escolheria para seu meu… Pra sempre.
E não se esqueçam: Para a parte surda do seu coração lhe ouvir, faça silêncio. Não lhe arrancará pedaços passar por cima de todos para conseguir o que quer. E depois que você conseguir o que tanto quer… Bem, talvez nessa parte alguns pedaços seus possam ser arrancados. Quero dizer, Jake até agora não arrancou nenhum meu, mas para alguém forte e másculo como um lobo, quem pode garantir?

0 comentários :

Postar um comentário