Odeio amar você - Capitulo 10


Capítulo 10 – O último suspiro

>PDV Nessie
Assustei-me quando meu avô disse que nos levaria para delegacia. Eu não podia acreditar nisso. Apertei a mão de Jake, temendo o que poderia acontecer. Quando seguimos para a viatura, o olhar que Charlie me deu de mágoa e decepção me fez sentir a pior pessoa do mundo.
[...]
Eu estava sentada em um daqueles bancos que tem na delegacia. Eles não nos prenderiam, porque quase todos ali eram menores de idade. Ouvi um suspiro pesado da Tia Alice, que agora estava me abraçando, enquanto Charlie ligava para os meus pais.
- Tia, me desculpe. Me desculpe mesmo.
- Você me decepcionou muito, Nessie. Mas vai passar.
- Você acha que meus pais vão querer me levar de volta?
- Não sei, provavelmente sim.
Deixei as lágrimas rolarem pelo meu rosto, enquanto via Jake saindo da delegacia ao lado do pai dele. Seus olhos encontraram o meu e ele fez um coração com as mãos, sibilando um “depois nos vemos”. Eu apenas sorri de volta, sem emoção alguma. Meu avô se aproximou de mim, sem ao menos olhar em meus olhos.
- Avisei Bella e Edward, Renesmee. Contei a eles tudo que você fez, o que eu fui obrigado a fazer e onde você está nesse exato momento.
- E ai? – perguntou tia Alice.
- Eles estão arrumando as coisas, virão para Forks… Te buscar.
- Como assim? Eu vou embora? NÃO!
- E você queria que eu os pedisse para que ficasse aqui depois de tudo que você fez, Renesmee? Depois de ter me enganado e enganado sua tia?
- Eu só preciso de uma segunda chance.
- A segunda chance foi dada quando você veio morar aqui. Não há mais chances. E Alice, Renesmee irá para casa comigo.
- Charlie, deixe que ela fique comigo. Acho que nada mais pode acontecer depois de hoje. Quando Edward e Bella chegarão?
- Provavelmente pela manhã.
- Certo. Agora vamos Nessie, você tem que dormir e pensar em tudo que fez.
Caminhamos em silêncio até o carro da tia Alice e fomos para casa, sem dizermos uma palavra sequer. Antes de me deitar a implorei por desculpas mais uma vez, e mesmo triste ela me desculpou. Eu não queria dormir, porque eu sabia que quando acordasse meus pais estariam aqui, brigariam comigo, me colocariam de castigo e me levariam embora.
[...]
Senti leves raios de sol entrando no quarto e uma mão afagando meus cabelos. Abri meus olhos com dificuldade, pois eles ardiam de tanto que eu havia chorado na noite passada. Queria tanto acordar e saber que tudo havia sido um pesadelo, mas não, era real. Olhei para meu lado a fim de ver quem era a pessoa que fazia carinho em mim. Dei de cara com a figura materna mais linda do mundo, minha mãe. Ela tinha um sorriso no rosto que me fez esquecer de tudo.
- MÃE! – exclamei abraçando-a forte – Quando você chegou?
- Já tem algumas horas. Convenci seu pai a deixá-la dormir mais.
- Queria dormir e não acordar, nunca mais.
- Querida, terá de enfrentar as consequências dos seus atos.
- Papai está muito bravo?
- Sem querer te assustar, mas já assustando. Ele está furioso.
- Vocês vão me… Levar embora?
- Nessie…
- Por favor, mãe, me diz que não.
- Nós não vemos nenhum motivo para você permanecer aqui, filha. O que você fez foi insano demais. Não foi isso que eu te ensinei, Renesmee.
- Eu não quero ir embora. – disse entre lágrimas, me deitando em seu colo.
- Muitas vezes temos que fazer coisas que não queremos.
- Eu senti sua falta.
- Eu também. Senti muito a sua falta. Parecia que tinha um buraco dentro do meu peito sem meu bebê por perto.
[...]
Eu tinha acabado de me trocar e estava descendo as escadas para encarar a fera. Meu pai estava encostado na estante da tia Alice, completamente sério, mas lindo como sempre. Quando ele me viu, deu um meio sorriso, que logo foi substituída por uma carranca. Ele veio até mim e me abraçou, beijando minha testa.
- Temos que conversar.
- Eu sei.
- Vamos lá pra fora.
Edward, não seja duro demais com ela. – ouvi minha mãe sussurrando em seu ouvido.
Seguimos para o jardim e nos sentamos na pequena escada que havia ali. Meu pai me encarou sério e começou seu discurso.
- Eu confiei em você quando te mandei para cá, Renesmee.
- Pai eu…
- Deixe-me continuar. Ainda não terminei.
- Tudo bem.
- Você me decepcionou muito. Não consigo acreditar que você fez isso. Meu propósito era que você aprendesse alguma coisa aqui e não… Não… Tornar tudo mais complicado. Eu pensei que você tinha mudado.
- Mas eu mudei.
- Não, você não mudou. Continua aprontando. A prova disso é o que você fez.
- Eu mudei sim. Pai… Você não entende. Eu estou aqui e estou bem. É isso que importa. Não farei mais nada.
- Racha é ilegal, Renesmee. E se acontecesse alguma coisa com você?
- Mas não aconteceu.
- Você sabe muito bem que voltará para Nova York não sabe?
- NÃO, VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO COMIGO. NÃO PODE ME TIRAR DAQUI.
- Posso sim, porque sou seu pai e sua mãe já concordou comigo. E não grite assim Renesmee, sou seu pai e exijo respeito. Você nem queria vir morar aqui, porque não quer ir embora?
- Porque eu me apaixonei.
Não esperei ele terminar. Apenas me levantei e voltei correndo para dentro de casa, me trancando no quarto de hóspedes da tia Alice. E o decorrer do dia foi assim… Eu trancada no quarto sem comer ou beber nada, apenas chorando e tentando evitar a insistência de todos.
- Filha, estou indo até a casa do seu avô, arrumar suas coisas. Partiremos amanhã as 10:00 da manhã. Saia desse quarto e coma alguma coisa. Isso é uma ordem. – falou minha mãe do outro lado da porta.
Eu não sairia dali e nem comeria nada. Apenas esperaria a noite chegar e todos irem dormir, para ser insana mais uma vez e ir me despedir dele.
[...]
Olhei para o relógio do quarto que marcava 12:00 em ponto. Respirei fundo e retirei meus sapatos, caminhando na ponta dos pés até a sala da casa da tia Alice, onde meu pai havia colocado as chaves do meu carro. Estava tudo muito escuro, então provavelmente todos estariam dormindo. Fui até o armário e comecei a analisar prateleira por prateleira até achar minhas chaves.
Quando por fim as encontrei, destranquei a porta bem devagar e caminhei até meu carro que estava estacionado logo em frente de casa. Respirei fundo e entrei no carro e comecei dirigir até La Push.
Não demorou muito até que eu chegasse lá. Tive que ir mais devagar porque a estrada estava bastante escura. Eu não estava preocupada se meus pais acabassem acordando e percebessem que eu não estava em casa. Já não tinha como as coisas ficarem pior.
Ao longo avistei a casa vermelha do Jacob e estacionei o carro na entrada do terreno. Fazia bastante frio e eu sequer havia trazido um casaco. Apressei meu passo até a janela do quarto de Jake e comecei a jogar pequenos cascalhos que haviam ali.
Finalmente ele percebeu alguém chamava por ele, pois Jake abriu a janela com cara de sono e quando me viu se espantou.
- Nessie? – ele sussurrou.
- Está frio aqui fora, se não percebeu.
- Vou abrir a porta para você.
Silenciosamente ele abriu a pequena porta de madeira e me recebeu em um abraço aconchegante e caloroso.
- Vem, vamos pro meu quarto.
Só então percebi que ele estava de… Cueca? OMG! Entramos em seu quarto e eu me sentei em sua cama de casal, observando a bagunça que estava no local. Bem a cara dele.

Ultimamente eu estou tão cansado
Se eu pegar tudo eu te avisarei
Eu nuca pretendi
Se eu te deixar lá fora
Se você achou que eu te ignorei
Não, minha vida é só você
Então coloque seu melhor vestido
E se aconchegue nos braços de alguém
Quem quer te dar todo amor que você quer
Esta noite, eu vou te compensar
Esta noite, eu vou fazer amor pra você
Esta noite, você vai saber o quanto senti sua falta, baby
Esta noite, eu dedico meu coração a você
Esta noite, eu quero ser parte de você
Essa noite, você vai saber o quanto eu sinto sua falta
E eu sinto tanto sua falta
Eu não quero agir como
Eu sei que você seria minha pra sempre
Embora espero que seja pra sempre
Não quero que você sinta
Como se eu tivesse te obrigado
Sempre que estamos juntos
Shane/Todos:
Então coloque seu melhor vestido
E se aconchegue nos braços de alguém
Quem quer te dar todo amor que você quer
Esta noite, eu vou te compensar
Esta noite, eu vou fazer amor pra você
Esta noite, você vai saber o quanto senti sua falta, baby
Esta noite, eu dedico meu coração a você
Esta noite, eu quero ser parte de você
Essa noite, você vai saber o quanto eu sinto sua falta
E eu sinto tanto sua falta
Oh yeah
Então coloque seu melhor vestido
E se aconchegue nos braços do meu amor
Todos:
Esta noite, eu vou te compensar
Esta noite, eu vou fazer amor pra você
Esta noite, você vai saber o quanto senti sua falta, baby
Esta noite, eu dedico meu coração a você
Esta noite, eu quero ser parte de você
você vai saber o quanto eu sinto sua falta
Esta noite, eu vou te compensar
Esta noite, eu vou fazer amor pra você
Esta noite, você vai saber o quanto senti sua falta, baby
Esta noite, eu dedico meu coração a você
Esta noite, eu quero ser parte de você
você vai saber o quanto eu sinto sua falta
E eu sinto tanto sua falta
- Então, aconteceu alguma coisa?
- Aconteceu. Meus pais estão em Forks.
- NÃO! Charlie ligou para eles?
- Sim… E você? O que seu pai fez?
- Nada, só estou de castigo por toda a minha vida e ele vai ficar com minha carteira de motorista por dois meses.
- Perto do meu castigo o seu parece até o paraíso.
- O que eles fizeram com você? – olhei para aqueles profundos olhos chocolates e deixem minhas lágrimas rolarem.
- Eles vão me levar embora, Jake. Logo pela manhã estaremos indo para Seattle. Nosso vôo é as 10:00.
- O QUÊ? NÃO. NÃO PODE. – ele gritou.
- Tanto pode que eles estão fazendo. Jake, eu não quero e não consigo ficar longe de você.
Jacob se levantou e começou a chutar o nada e a dar socos na madeira do quarto completamente desnorteado. Eu me levantei também e fui até ele, o abraçando, tentando acalmá-lo.
- Eu não quero me separar de você. Ness, você mudou minha vida completamente… Eles não podem fazer isso com a gente. – ele disse fitando o nada, sem ao menos corresponder meu abraço.
- Jake, a gente vai ter que se conformar.
- Não vai não, fica comigo.
- Eu não posso.
- Nessie eu… Eu te amo. E eu não estou brincando. Eu nunca havia dito isso para nenhuma garota. Você fez me ver um mundo diferente… Você me mudou e eu não quero te perder.
O olhei perplexa. Jake nunca havia me dito nada assim antes. Eu me sentia triste por ter que ir embora e deixar meu primeiro amor para trás, mas me sentia feliz por eu ter o mesmo nível de importância para ele, que ele tinha para mim.
- Eu te amo também, Jake. Por isso… Que essa noite eu quero me tornar sua. Apenas sua. – disse por fim, com toda minha coragem.
Jacob me encarou, fazendo todas as minhas células tremerem só com seu olhar.
- Você tem… Certeza?
- Como não ter? Você é meu primeiro amor. Estará comigo para sempre… Independente do que aconteça.
- Eu não sei se…
- Jake, ouça isso. – peguei sua mão e a coloquei em cima do meu seio esquerdo, para que ele sentisse meu coração acelerado – É assim que ele fica perto de você.
I’m Not A Girl, Not Yet A Woman – Britney Spears: http://www.youtube.com/watch?v=RAfG3iKZAGA&feature=related
Eu costumava pensar
Que tinha respostas para tudo
Mas agora eu sei
Que a vida nem sempre
Segue meu rumo, yeah…
Sinto como se estivesse sido pega no meio
Isso é quando percebo…
(Refrão)
Eu não sou uma garota,
Nem ainda uma mulher
Tudo que preciso é tempo
Um momento que seja só meu
Enquanto estou nessa transição
(Verso 2)
Eu não sou uma garota
Não é preciso me proteger
É tempo de
Encarar tudo isso sozinha
Eu já vi muito mais do que você possa pensar agora
Então não me diga para fechar os olhos
Eu não sou uma garota,
Nem ainda uma mulher
Tudo que preciso é tempo
Um momento que seja só meu
Enquanto estou nessa transição
Eu não sou uma garota
Mas se você me olhar de perto
Você vai ver em meus olhos
Essa garota vai sempre achar
Sua trilha
Eu não sou uma garota
(Eu não sou uma garota não me diga no que acreditar)
Nem uma mulher
(Eu estou tentando achar a mulher dentro de mim, sim)
Tudo que preciso é tempo (Tudo o que preciso)
Um momento que seja só meu (só meu)
Enquanto estou nessa transição
Eu não sou uma garota
Nem ainda uma mulher
Tudo que preciso é tempo (é tudo que preciso)
Um momento que seja só meu
Enquanto estou nessa transição
Eu não sou uma garota
Nem ainda uma mulher
Não foi necessário dizer mais nada. Jake me deu um sorriso esplêndido e me beijou ferozmente, caminhando comigo até sua cama. A janela estava aberta, então a luz da lua me proporcionou uma visão perfeita do meu corpo esculpido que estava por cima de mim.
Jacob parecia possuir milhares de mãos, pois o sentia em todo lugar a todo tempo. Aos poucos ele foi me despindo, me deixando apenas com roupas íntimas.
- Preparada?
- Para você… Sim.
Então eu fechei os olhos e apenas me deixei levar, pelas milhares de sensações que seus beijos espalhados por todo o meu corpo me proporcionaram. Jake retirou meu sutiã, me encarando de uma forma diferente, o que me fez corar, me deixando completamente constrangida.
- Jake, estou ficando com vergonha.
- Não fique. Você é linda… E de todas as formas.
E quando eu pensava que ele não poderia ser mais romântico, adivinhem? Ele conseguia ser. Finalmente ficamos apenas separados por pequenos pedaços de panos, mas logo dei um jeito e dizer a ele que o queria através de um caloroso beijo.
E nada mais foi dito e sim feito. Me senti sendo rasgada, como se não houvesse espaço suficiente dentro de mim. Eu afundava meus dedos no colchão da cama e sentia algumas lágrimas escorrendo pela minha face. Jake me deu um olhar culpado, como se dissesse um “Me desculpe”. Eu apenas acariciei sua face e o incentivei a prosseguir. Minutos depois a dor já havia sido jogada de lado e o prazer dominava meu corpo. Eu fazia e dizia coisas que eu nunca imaginei dizer ou fazer. Meu cérebro já não comandava meu corpo e minhas atitudes. Eu estava em outro mundo… Um mundo meu e dele.
Em momento algum nossos olhos foram desconectados. Parecia que isso só aumentava a fricção e o prazer entre nós. Senti uma vontade louca de gritar, colocar para fora todo o prazer que sentia, mas me controlei. Os dedos dos meus pés começaram a se contrair e a realidade fugiu de mim juntamente com os sentidos. Percebi então, que eu estava tendo meu primeiro orgasmo. O famoso assunto que minhas amigas de NY sempre citavam.
Desfalecidos. Era assim que estávamos. Jacob ainda estava com seu corpo sobre o meu, com a cabeça apoiada em meu busto.
- E então?
- Me sinto… Mulher. – disse em um suspiro.
- Eu não vou te esquecer… Nunca.
- Nem eu.
- Eu ouço seu coração.
- E?
- E é o melhor som que alguém pode ouvir.
Sorri de volta afaguei seus cabelos, apenas o admirando.
- Existe telefone, e-mails… Enfim, várias formas de entrarmos em contato.
- Sim… Temos as férias e os feriados, nós vamos conseguir.
- Eu realmente espero que sim. Não me vejo mais sem você.
Jake se levantou, ainda nu e foi até seu armário, vindo com uma camisa cinza lá de dentro e me entregando. Peguei a camisa e a cheirei, me sentindo inebriada por seu maravilhoso perfume.
- Para você dormir todos os dias pensando em mim.
- Que lindo… E já que vamos trocar coisas. Fique com isso.
Retirei meu colar de ouro branco que possuía um pingente com a letra “R” de Renesmee e o entreguei.
- O colar é feminino, mas você pode guardá-lo e usar apenas o pingente.
Ele apenas sorriu e me beijou, voltamos então a nos amar loucamente como antes.
[...]
O relógio marcava 07h30min da manhã. Eu estava terminando de me arrumar para seguirmos à Seattle. Acho que estava escrito na minha testa o quão maravilhosa havia sido minha noite, pois um sorriso bobo estava escancarado no meu rosto. Eu havia chegado em casa por volta das 04:00 da manhã, admito que estou esbanjando sono, mas recuperaria minhas forças na viagem.
A dor de estar me afastando de Claire e Jake ainda estava dentro de mim, mas a felicidade pelas coisas que ele havia me dito ontem e por tudo que passávamos estava me dominando.
Eu havia escolhido um vestido azul marinho vintage, juntamente com um chapéu, luvas e um sapato maravilhoso para acompanhá-lo. Me olhei no espelho e não só me senti mais bonita, como também mais mulher, mas quando me encarei de verdade, vi grande tristeza em meus olhos.
 (N/A: para quem sentiu falta dos modelitos da Ness)
Modelo 1:
Modelo 2:
Minha mãe entrou no quarto e me abraçou.
- Querida, você está linda.
- Obrigada, mãe.
- Pronta?
- Sim.
- Então vamos descer. Sua amiga está lá embaixo te esperando para vocês se despedirem.
Peguei minha pequena maletinha vermelha que servia de bolsa e desci as escadas, encontrando Claire já com lágrimas dos olhos.
- Vou sentir tanto sua falta. – exclamei a abraçando, já chorando.
- Eu também. Promete me ligar todos os dias?
- Todos os dias.
- Vai me deixar informada de tudo?
- Absolutamente TUDO. – a abracei novamente e olhei para o meu pai que me esperava paciente na porta. – Cuide do Jake para mim. – sussurrei – Eu te amo.
- Te amo também.
- Vá me visitar ok?
- Claro.
Sai da casa da tia Alice e entrei no meu carro, que meu pai agora dirigia em direção à casa do meu avô, para que nos despedíssemos.
Em algumas horas eu estaria longe… Bem longe. Talvez nosso amor acabasse por ali e nunca mais voltássemos a ficar juntos, mas eu não me arrependia de nada que fiz. Eu ainda era dele. Eu sempre seria dele.

0 comentários :

Postar um comentário