Capitulo 20 - ALDE

Edward esperava por Bella ansiosamente, tinha planos para aquela noite, iria ensiná-la a apreciar sua área de interesse. Bella já expressou certa curiosidade pelos astros e ele como bom namorado e amigo que era se encarregaria de preencher com conhecimento aquela cabeça tão desajuizada.

Seus planos foram por água abaixo quando viu a garota sair do prédio e passar reto por ele, como se não existisse. Coçou a nuca, incomodado com o comportamento da garota.

- Algum problema?

- Sabe qual é meu problema?Minha burrice, a inteligência é o único meio para controlar os instintos e nisso eu falhei veemente


- Por que você está citando Freud? - Perguntou entrando no carro pouco à vontade, o mau humor de Bella certamente estragaria o que planejou para a noite.

Ela sorriu admirada com a perspicácia dele.

- Você já leu Freud?

- Sim,ele é era um cara meio esquisito em dizer que todos os sintomas são de natureza sexual mas como ele mesmo diz:o pensamento é o ensaio da ação.

- Seu filho da mãe!Não precisa me humilhar.

- Para conhecer astronomia é preciso se desprender dos números e das crenças. Eu não acreditava em psicologia até ver como ela faz todo sentido quando afloramos os sentimentos humanos.

- Mas você é humano.

- Um humano com visão de cientista.

- Um humano com o brilho de um deus.

- Só você pra enxergar o meu animus.

- Tá bom, chega de humilhação, eu nem estudei Jung ainda. - Disse ligando o carro dirigindo em direção ao campus.

- Se quiser podemos marcar uma bela discussão sobre conceitos psicológicos com os quais concordo. - ele propôs com ar confiante. Confiante até demais.

- Está bem!Podemos provar as teorias sexuais de Freud quando você quiser. - Ela respondeu propositalmente o deixando ligeiramente corado.

Então Edward calou-se envergonhado demais para continuar.

- Ficou sem palavras Spock?

- A psicologia é uma gama de conceitos sociais e pessoais que ajudam a entender como se dá a relação do homem com o mundo e vice versa,os conflitos de natureza sexual são apenas uma parte do que ela representa.

- Uau!Você devia mudar de curso. - Respondeu Bella um pouco incomodada, ela não gostava de se sentir superior a Edward, mas tudo era posto em cheque ao se apaixonar por um gênio. Ele conseguia assimilar uma enorme quantidade de informações bem mais rápido que qualquer um e ela invejava sua convicção. Queria ser assim, convicta em tudo, certa de que era psicologia que queria seguir, certa de que largaria a música em nome do que seu pai chamava de responsabilidade.

- Não, estou bem em astronomia. Ela responde todas as minhas perguntas, a psicologia questiona as minhas respostas.  - Disse ao saltar do carro, colocando a mochila cheia de livros nas costas.

Bella rodeou o carro e agilmente o imprensou na porta do carro. Edward pigarreou e olhou para Bella encontrando o seu sorriso desafiador. Perguntou-se o que ela faria depois. Carros se aglomeravam no estacionamento alguns percebiam outros tampouco o casal que ali "conversava".

Bella o segurou pela gola da camisa aproximando seus rostos, Edward não pôde deixar de olhar para sua boca coberta pelo batom carmim, mas também não pôde deixar de lado os fantasmas internos que o afligiam.


- Você me beijaria na frente de todos aqui?

Edward abriu a boca para formular uma resposta, mas nada vinha sua mente no momento. Ela o surpreendera novamente.

- Não sei se sou capaz.

Ela aproximou sua boca do ouvido dele e sentiu sua pele se arrepiar com apenas um gesto, ele iria ceder, teria que ceder.

- Você prometeu anular as regras.

- Mas não disse que estaria preparado para isso.

- Pois se prepare para o inusitado, Spock. - Afirmou antes de beijá-lo suavemente, seus lábios uniram-se ao dele e Edward se manteve imóvel absorvendo a situação. Ela largou a gola de sua camisa, envolvendo seus cabelos da nuca entre os dedos puxando-o pra mais perto, Edward se viu obrigado a ceder, circundando a cintura de Bella num abraço cheio de vontade, pressionou o lábio inferior de Bella entre os seus e ela respondeu penetrando sua língua quente e úmida na boca dele, explorando todos os espaços. Ele aprofundou-se no beijo, suas língua acariciavam uma a outra sem expectativas de fim, queriam mais começar a se perder.

Bella dessa vez tomou a pose de ajuizada dos dois e interrompeu o beijo aos poucos, bem aos poucos.

- Edward chega! - Disse ofegante, seus corpos permaneciam próximos graças aos braços dele.

- Você que pediu. - ele esclareceu sem poder disfarçar o rubor em sua face.

- Eu sei, mas nós temos aula agora.

Se despediram apenas acenando, se corressem o risco de ficarem próximos um ao outro perderiam as aulas do dia. Edward caminhou até a sala preocupado, Bella o colocava em situações que nunca imaginou viver e odiava chamar atenção e por isso não queria que ninguém soubesse do namoro,mas parecia que era tarde demais.Suas mãos suavam de nervoso e ele olhava para os lados à todo tempo se certificando de que ninguém apontava para ele,até que ao chegar na sala o inevitável aconteceu.

- Você fica bonito com essa cor de batom cara. - Um colega de classe zombou e ele apenas deu de ombros sem entender a piada.

Até Mike chegar.

- Hey, Edward. Esse batom é de que marca?Quero comprar um pra minha prima.

- Batom?Do que você está falando?

- Quem você andou beijando hein Edward? - Perguntou outro colega que sentando atrás dele. Ele estremeceu e sentou consternado.

- Isabella Swan. Eu os vi no estacionamento. Pareciam bem íntimos. - Outra colega falou se aproximando.

- Isabella Swan?Você e ela estão juntos?

- Sem mais perguntas. - Disse entre dentes, para sua sorte o professor chegou portando consigo as notas de um trabalho e limpou a boca com as costas das mãos esperando ele que mais ninguém lembrasse o assunto após as notas.

Mike não o questionou sabendo do mau humor do amigo. Preferiu deixar que os gestos falassem por si, e foi isso que aconteceu no intervalo.

Quando saiu da sala não viu nada menos que Bella em frente a sala de aula sorrindo para ele.

 - Edward?Tudo bem? - Edward permaneceu calado com as mãos no bolso da calça.

- A galera estava zoando ele porque o seu batom ficou na boca dele.

- Sério? - Bella perguntou rindo. - Nem percebi.

- É muito engraçado Isabella.

- É realmente engraçado, qual é problema? - Edward revirou os olhos e sacudiu os ombros. - Nós não devemos nada à ninguém,a não ser a quem está próximo de nós.

- Ela está certa cara. - Mike disse antes de se retirar.
Edward se deu por vencido, porém dentro de si a batalha interna prosseguia. De tanto pensar acabou se esquecendo do programa que planejou para os dois naquela tarde.

- Lembra das nossas aulas de astronomia que eu nunca tive oportunidade de dar? - Iniciou um pouco confuso.

- Claro que lembro, foi o nosso primeiro beijo. Foi lindo.

- Nosso primeiro beijo foi quando você me agarrou quando estava bêbada. - Ele retrucou reflexivo.

- Aquele não vale. O primeiro beijo acontece espontaneamente, sem razão. E aquele sim foi especial.

- Está bem, aquele foi o nosso primeiro beijo. - Ele disse convencendo-se. - Mas o caso é: você está disposta a ver o pôr do sol comigo hoje?

Bella sorriu e envolveu o pescoço do namorado num longo abraço.

- Mas é claro. No terraço?

- Não, o lugar será uma surpresa.

Bella viu-se desesperada e curiosa para saber onde Edward a levaria, onde quer que fosse seria com ele que estaria então se sentiu segura. Ele finalmente estava incorporando o verdadeiro significado de namoro.

 Mais tarde Edward foi buscar Bella em casa, acabou dando de cara com Jasper que atendeu a porta com a expressão nada agradável e Edward imaginou se ele incorporou o espírito de Rosálie.

- O que é?

- Olá Jasper, sua irmã está? – Antes que Jasper pudesse achar possível responder Bella apareceu passando rapidamente pelo irmão e abraçando o namorado. Edward desconcertado olhou para Jasper sem entender o porquê da zanga.

- Que bom que você chegou. Estava com saudades.

- Nós nos vimos há duas horas. – Edward disse franzindo a sobrancelha.

- O tempo é irrelevante! – Justificou ela e em seguida olhou para o irmão ainda mau humorado.

- Bella, eu ainda não pedi desculpas por hoje de manhã, fui um idiota. – Jasper confessou respirando fundo, pedir desculpas não era fácil principalmente para Bella, quando eles brigavam geralmente Rosálie intervinha.

- Hum... Tudo bem Jazz, sei que você não teve a intenção de me magoar. – Edward olhava de um para o outro impaciente para sair dali com Bella, mas tinha que cumprir seu papel de cavalheiro.

- Jasper. – Chamou puxando Bella para si pela cintura. – Eu e a sua irmã estamos namorando e queria dizer que a respeitarei e não à magoarei de forma alguma.E se eu o fizer pode me bater,me atropelar e me esmagar. – Disparou sincero. Jasper teve vontade de rir da seriedade de Edward, mas apenas deu um tapinha no ombro do amigo e sorriu.

- Que bom. Sejam felizes e usem camisinha. – Bella depositou um beijo na face de Edward orgulhosa do seu novo namorado. Ele parecia disposto a enfrentar qualquer situação ao seu lado e esperava que assim fosse.

- Aonde vamos? – Perguntou ela curiosa quando estavam na calçada. Edward suspiro e calculou a distância.

- Ao lago Cayuga. Lá fica meio vazio a tarde e o Mike falou que é ótimo para levar garotas.

- Hum, levar garotas?Pra fazer o que? – Perguntou ela sorrindo maliciosamente. Aproveitaria o fim de tarde à sós com Edward para pôr seus planos de recesso em ação,ele não resistira,não mesmo.

- Quero que você aprenda algumas noções de astronomia Bella. – Respondeu envergonhado.

O lago Cayuga era perfeita no começo do verão e Edward apreciou o ar e a vista, havia verde por todos os lados e as folhas caiam no chão espalhando-se por todo ele dando um contraste especial. Não havia melhor lugar para se despedir do sol e ele soube disso desde a primeira vez que passou por ali com Mike após um lanche.

Bella já havia estado ali para jogar futebol americano com os amigos, lembrava bem o cenário do Central Park em Manhattan onde adorava caminhar pelas manhãs antes de ir ao colégio. Estar ali com Edward tinha um significado ainda mais especial, satisfeita com sua presença nem reparou na beleza do local, apenas admirava os olhos verdes que encantos avistavam o sol refletindo seus raios no lago.

- Estou feliz que tenha me trazido aqui.

- E eu estou feliz por você estar aqui.

- Foi difícil dizer isso?

- Até que foi fácil, as coisas estão começando a dar certo entre nós. - Confessou otimista.

- Eu acreditei que dariam certo desde o princípio. Sou indelicadamente persistente.

- Nota-se! - Edward replicou sorrindo.

Bella mostrou-lhe a língua brincalhona e em seguida sorriu. Aproveitando a atmosfera de igualdade que unia os dois pelo menos por esse instante resolveu brincar um pouco com os sentidos dele. Parando de caminhar, se aproximou um pouco dele fazendo-o suspirar por antecipação certo do que Bella pretendia fazer,seu coração batia irregular como em todas as vezes em que ela o beijava. Mas dessa vez Bella não o beijou, só o encheu de expectativa para depois correu pelo parque. Edward grunhiu e correu atrás dela sem entender o porque do gesto. Bella era mais rápida do que ele e se escondia por entre as árvores.

Edward se viu desesperado olhando para os lados sem encontrá-la.

Caminhava se direção apenas queria encontrar Bella e acabar com aquela brincadeira.

Sentiu duas mãos lhe puxarem, virou-se e viu Bella gargalhando do seu olhar apavorado.
- Onde você imaginou que eu estaria Spock?Acho que eu fugiria de você?

- Talvez.

- Ainda não enlouqueci pra cometer esse erro. - Disse, Edward encostou-se na parede deixando o ar preencher os pulmões.

- Nunca mais suma dessa forma. - Edward replicou irritado.

Bella riu ainda mais e envolveu seu rosto entre as mãos.

- Foi brincadeira. Relaxa.

Ele calou e envolveu a cintura de Bella num braço leve. Ela encostou-se a seu peito e olhou para o horizonte.

- Eu invejo o sol. Dentro dele caberiam mais de 1 milhão e quatrocentas Terras.E ele tem o brilho suficiente para 4 bilhões a 5 bilhões de anos.

- Ele não aprece tão assustador daqui.

- Quando o sol havia surgido, não existiam planetas rochosos como a Terra, Depois eles foram surgindo e se aproveitando do gás ao redor dele.

- Ele é feito de fogo certo?

Edward soltou uma gargalhada sonora.

- Claro que não. Só há hidrogênio nele mais nada. Uma concentração descomunal desse gás gera pressões e temperatura elevadíssimas. O bastante para produzir reações de fusão nuclear, a origem da energia de todas as estrelas.

- Nossa, que estranho. A gente percebe o sol, mas nunca se pergunta esse tipo de coisa.

- Pra isso que eu estudo, para desvendar os mistérios do universo.

- Acho que temos muito que aprender um com o outro. Por exemplo, você tem que aprender a me achar.

- Mas eu já te encontrei! - Respondeu confuso.

- Tem certeza? -Disse antes de correr por entre as árvores. Ele revirou os olhos e correu atrás da namorada.

- Aqui vou eu. - Ele murmurou impaciente. Se Bella queria brincar então teria que ser do seu jeito.

Silenciou-se e procurou vagarosamente um sinal da namorada, até que a encontrou escondida pelo tronco de uma árvore. Chegou por trás e a prendeu em seus braços, chocando seus corpos pelo susto que Bella levou.

Ele gargalhou deixando a cabeça pender no ombro dela, aproveitando-se do aroma que vinha dela,

- Te peguei.

Bella se virou para ele, encontrando a risada mais encantadora, doce e espontânea que já viu Edward dar.

- Então não me solte nunca mais. - Disse antes de beijá-lo. Seus lábios se encaixaram com perfeição como sempre, era como se fossem feitos para grudarem um ao outro, era como se o tempo quisesse brincar eles. O vento batia por entre as árvores e folhas caiam, mas nenhum dos dois se preocupou com isso, estava envoltos demais na nuvem de paixão.

Bella sabia que nunca era muito tempo e sabia que deveria esperar o tempo de Edward, mas era impaciente demais, mas se jogou nessa relação de cabeça e não queria sair de lá. Não queria sair dos braços de Edward, mas após o pôr-do-sol seu estômago anunciou que precisava de comida então seguiram para casa, cada um para a sua. Marcaram de se encontrar mais tarde no terraço para admirarem as estrelas e Bella ficou satisfeita por ele não enjoar de sua presença, pelo contrário para Edward a presença de Bella se tornava no mínimo necessária.

- Pensei que você fosse trazer o telescópio. – disse ela ao chegar ao terraço, pensou que hoje aprenderia a olhar as estrelas de perto e estava realmente empolgada com isso.

Edward riu da ignorância astronômica de Bella.

- Não. Você tem que aprender a olhar e apreciar as estrelas. Um passo de cada vez. – Explicou andando até ela. Colocou-se ao lado de Bella e aproximou a boca do seu ouvido. – Olhe para o céu, Isabella.

- Pra mim são estrelas, são todas iguais. – Ela tentou agir normalmente, mas sentir Edward tão perto não estava ajudando.

Ignoraria facilmente todo o céu estrelado para beijar aqueles lábios que agora sussurravam ao seu ouvido.

- O nome da estrela que você estava olhando é Mira. Ela está brilhando hoje é seu dia de sorte, algumas vezes brilham outras simplesmente some. Ela é extraordinária essa estrela. Seu brilho aumenta e diminui num período de aproximadamente 330 dias

- É linda.

- Pertence à constelação de Baleia. O formato é de uma baleia. Mira na verdade, são duas estrelas. Mira A e Mira B,a A é a maior e que dá brilho a essa estrela.

Bella cerrou os olhos tentando enxergar a constelação que Edward percebia com tanta facilidade.

- Não estou vendo nada. – E de novo o sentimento de inferioridade acertou-lhe.

Edward se pôs atrás dela e segurou sua cintura com uma das mãos, a outra pegou a dela e apontou seu dedo indicador para o céu. Outra vez, só que com mais intensidade, Bella tremeu e sentiu seu corpo esquentar. Bastava a presença de Edward e seu toque, mesmo que inseguro, para fazer seu coração acelerar no peito.

- Olhe para o céu, Isabella. Não pense em mais nada. – Disse com a certeza de um profissional.

Com a mão envolvendo a de Bella, desenhou a baleia no céu como se o indicador dela fosse um pincel invisível.
Bella acompanhou com os olhos de criança a Baleia e sorriu ao perceber que a viu, mesmo que pelos olhos de Edward.

- Agora percebi.

- Você se concentrou. – ele afirmou ao seu ouvido.

Bella sentiu a pele arrepiar, mas não era de frio, a voz de Edward emanava por todo o seu corpo e ela desejou como nunca.

- Foi você, se não fosse você eu não veria.

- Há muito que perceber ainda. – Disse depositando um beijo em seu pescoço.

- Eu já te disse que tenho tempo e paciência pra você.

- E eu já disse que é um prazer te ensinar. Já expliquei o porquê do nome da constelação? – Edward se sentia seguro explorando a astronomia para se aproximar de Bella, era o seu modo de se igualar ao mundo dela. - Na Antiguidade, a constelação da Baleia era vista como um grande monstro marinho prestes a devorar a jovem Andrômeda, salva a tempo pelo herói Perseu. Baleia faz parte de uma das mais famosas “famílias celestes”, grupos de constelações ligadas por um mito.

- Estou boba, como você consegue armazenar tanta informação?

Ela se virou e encontrou seus olhos verdes fugindo novamente dela.

- Mira significa maravilhosa em latim. Você se parece muito com ela.
Foi aí que Bella não vou meios de resistir e o beijou.Um beijo lento e chio de amor,Edward foi pego de surpresa e não viu alternativas se não se render,estava preso aos lábios de Bella desde a primeira vez que os provou.

Mais tarde Bella e Edward foram até a casa dele e se depararam com Jasper encima de Alice. Edward oscilou suas expressões faciais entre boquiaberto e assustado e coube a Bella controlar o garoto.

- Minha irmã e o seu irmão estão praticamente tendo relações sexuais no sofá. – Edward formulou ainda observando a situação.

Todos riram menos ele, Bella pegou sua mão e o levou até o quarto para ficarem mais à vontade.

- Desde quando eles estão assim? – Questionou ele confuso com a visão que teve há pouco.

- Nós devíamos planejar o nosso verão. – Disse ela se jogando na cama.

- Tanto faz, contanto que você não queira me levar para aquelas festas cheias de gente tudo bem.

- Qual o problema com as festas?

- Muita gente, pouca responsabilidade e muito álcool levando a uma juventude desesperada por prazeres transitórios.

- Nossa!Você fala igual ao meu pai. - Replicou ela boquiaberta. Edward era responsável demais e odiava essa característica nele.

- Ele deve ser um bom homem então. – Disse calmamente sorrindo.

Bella foi até a mesa onde ficava o computador e o ligou sem pedir permissão, Edward fez vista grossa, mas permitiu.

- Devia pelo menos pedir para ligar.

- Me poupe Edward! – respondeu impaciente.

- Cuidado, estou desenvolvendo um projeto muito importante nele.

Abriu os emails e ficou empolgada ao ver que havia um email de sua mãe na caixa de entrada, clicou na mensagem, mas a sua alegria se esmaeceu ao ler o email, com certeza estragaria seus planos de verão com Edward.

0 comentários :

Postar um comentário