Capitulo 19- ALDE

A semana se passou e Edward tentava se convencer que nada mudou, porém muitas coisas haviam mudado. Ele e Bella se encontravam normalmente na faculdade, ocupados demais com os trabalhos  para demonstrar seus próprios sentimentos em público, ela tentava respeitar as regras dele e procurava sempre uma brecha entre elas, como naquela manhã em que se bateram no corredor. Ele fugindo de um seminário vazio em conteúdo e ela de um debate que praticamente virou uma guerra.

Edward não escondeu o sorrisinho que se formou em seus lábios ao ver a namorada.

- Só você pra melhorar meu dia. – Disse entrelaçando seus dedos com os dele. – Eu estava pensando em você sabia?

- Não é uma novidade, você diz isso todos os dias. – Afirmou ele olhando para o lado desconfiado.


- Mas o que digo é pura verdade, bobinho. Dá pra ser só um pouquinho romântico?

- Se ser romântico consiste em afirmar que pensa em alguém dez vezes ao dia, desculpe não sou romântico.

- Desculpe manequim. Estou apenas tentando. – Bella irritou-se com o rumo da conversa, tudo que tinha para ser um papo despretensioso no meio do corredor se transformou em uma discussão. Edward impaciente olhava para os lados. – Já que você é um estraga prazeres manequim, que tal me dar um beijo?

- Vai contra as minhas regras. – Respondeu soltando sua mão da dela.

- Alguém já te disse o quanto é bom quebrar as regras manequim? – Edward olhou para ela irritado com o novo apelido. Ia abrir a boca para reclamar, mas a sua namorada eficiente roubou-lhe um beijo rápido. – Sim, é muito bom quebrar as regras.

- Isabella... – Rosnou ele olhando desconfiado para os lados, a sua paranóia particular aumentava a cada olhar que dava para Bella na certeza de que alguém desconfiaria dos dois.

- Edward! – Ouviu uma voz feminina dizer, Edward olhou para o lado e viu Maddie Carter caminhando em sua direção, inspirou fortemente se perguntando se ela havia visto o beijo.

- Maddie! – Bella disse em uma falsa animação. Franziu as sobrancelhas e cruzou os braços sobre o peito analisando a inimiga. Isabella Swan  e Maddie Carter se conheciam desde o colegial,suas mães eram amigas e freqüentavam o mesmo ambiente social o que não significava que as filhas compartilhassem do mesmo sentimento.Era uma antipatia gratuita,mais por parte de Bella do que de Maddie.

- Oi Bella, como vai?

- Muito bem. – Bella num gesto possessivo pôs as mãos nas costas de Edward e se aproximou do rapaz, ele se viu perdido entre as duas garotas.

- Vocês se conhecem?

- Ah sim meu amor. Conheço muito bem a Madeline.

- Meu amor? – Maddie questionou curiosa. – Vocês estão juntos?

Edward suou frio, respirou fundo visivelmente nervoso com a situação.

- Sim, Maddie. Eu e o Edward somos um casal e estamos muito felizes não é meu amor? – Disse abraçando a cintura de Edward que apenas se manteve calado incapaz de expressar-se coerentemente.

- Vou voltar pra sala, com licença.

Antes que Edward pudesse escapar de seus braços, ela o puxou para si com mais força.

- E vocês se conhecem da onde?

- Fazemos o mesmo curso, agora dá pra me soltar Isabella Swan? – Perguntou aborrecido e assustado com a ferocidade de Bella.

- Claro, querido pode ir.

Querido, meu amor, manequim, abraços possessivos. Edward cada vez mais se convencia de que aquele namoro não daria certo. Ou Bella se adequava ao seu ritmo ou acabariam magoando um ao outro.

-Tchau Edward, a gente se vê.

Edward assentiu e voltou a andar sem nem ao menos olhar para ela, sua irritação era tanta que quase errou a porta da sala entrando em outra. Passou o resto das aulas calado e nos intervalos pouco falava, Mike arriscou puxar assunto mas logo foi surpreendido por uma resposta mal humorada.

- Brigou com a Bella?

- Por que tudo na minha vida e no meu estado de humor tem que estar relacionado a ela?É algum tipo de carma? – Questionou impaciente com a pergunta de Mike, o nome Bella só o deixava mais apreensivo para as explicações que arrancaria dela mais tarde. O comportamento inadequado da namorada só o deixava mais nervoso e assim não seria capaz de continuar com esse romance fadado ao fracasso. Mas o que ele teria que descobrir era que todo romance nasce da expectativa de dar certo e era dever dos dois achar o caminho do sucesso. Sendo ele tão pessimista poderia o relacionamento ir mais longe?

Quando chegou ao estacionamento foi à vez de Alice questionar o irmão por seu mau humor.

Alice se soltou do abraço de Jasper e olhou preocupada para o irmão. Edward não entendia a relação deles e nem fazia esforço para entender, evitava perguntas sobre seu relacionamento com Bella e fazia o mesmo com a irmã.

- O que houve?Que carinha é essa?

- Estou bem,Alice.

- Na certa brigou com a minha irmã. – Jasper comentou cruzando os braços sobre o peito.

Edward não se incomodou em responder, apenas saiu dali antes que explodisse.Alice não foi atrás do irmão,sabia o quanto Edward só se dava bem consigo mesmo nessas horas.Foi caminhando sem direção, como se não houvesse mais nada o que fazer além de caminhar, como se fosse encontrar-se em alguma rota perdida. Chutou o chão como se o gesto limpasse a confusão em sua mente, estava preso a Bella e se aquilo não era amor o que mais seria?

- Edward? – Perguntou uma voz atrás de si, ele não a ouviu. Estava perdido demais para ouvir algo além da sua consciência. – Edward Cullen, sou eu sua namorada.

- Eu não quero conversar, Isabella Swan.
- Por favor, me dá uma chance.

- Já dei chances a você agora me deixe. – Disse olhando para  frente.

- Então que horas podemos conversar?

- Não sei. Agora vá!

- Ok!A propósito, volte para casa com a Alice, porque eu vou te deixar.

- Ótimo! – Foi aí que percebeu que a irmã o esperava no estacionamento, atordoado demais para lembrar do detalhe, caminhou de volta ao estacionamento.

- Ah!Resolveu voltar... – Viu Bella emburrada caminhar até seu carro e bater a porta com força.

Lutou contra a vontade de ir até lá e dizer tudo que estava entalado em sua garganta. Edward era assim nunca dizia o que sentia, deixava sua expressão falar por si e seus gestos característicos de quem vivia incomodado com alguma coisa. Respirou fundo antes de entrar no carro da irmã. Jasper foi até o carro de Bella sem mais nada dizer ele sabia o que todos já sabiam os problemas entre os dois estavam longe de acabar.

Edward disparou para o quarto incomodado com o ambiente. Percebeu o CD em cima de sua mesa,o objeto lembrava da ultima vez em que Bella esteve ali desfrutando da sua companhia enquanto ele tentava convencê-la que o seu gosto musical era depreciável numa tentativa de tirá-la do sério.

- Eu tenho o gosto parecido com o seu, não me venha com suas criticas sem fundamento. – Bella defendeu-se sentada na cama do namorado enquanto ouviam Radiohead.

- Essas bandas e seus vocalistas desafinados não me atraem.

- Não perceba isso, perceba a letra.Uma letra bem composta,que transmita sentimentos é o que importa.E o Radiohead tem tudo isso.E o Tom não é desafinado!

- Parece que não captei bem a idéia da música. – Disse ele da sua poltrona,tirando os olhos do computador e olhando em sua direção mas não exatamente para ela. – Talvez eu não tenha sentimentos suficientes para entendê-las. – Completou sorrindo forçosamente.

Bella lançou-se sobre ele e abraçou-o sentando em seu colo,Edward estremeceu com o ato mas continuou ali,sua recompensa era sentir o doce aroma dos cabelos castanhos de Bella.

- Você tem sentimentos,só precisa explorá-los. – Afirmou com uma convicção quase profissional.Depois voltou seu olhar para os lábios finos e convidativos do garoto. – E eu posso te ajudar nisso. – Levou a mão ao seu rosto forçando-o a olhá-la e encostou seus lábios nos dele iniciando um beijo cheio de paixão e vontade e tudo que Edward mais quis foi degustar da sensação de estarem em acordo,pelo menos uma vez.

A lembrança do dia trouxe consigo a vontade de estar envolto pelos braços macios de Bella e ele expulsou a lembrança de sua mente com um leve tapa em sua testa. Conteve a vontade e jogar longe o CD e o deixou ali, intacto. Deitou-se na cama e deixou o sono dominar-lhe, mais uma vez a inconsciência mais uma vez seus pensamentos nela.

- Edward! – Alice o acordou balançando o ombro do irmão.Sentou-se na beira da cama e esperou Edward despertar do sono que se estendera pela tarde. – Precisamos conversar.

- Eu já ouvi isso antes. O que você tem de tão importante pra me falar na madrugada? – Disse coçando os cabelos bagunçados.

- Não são nem oito horas da noite.

Ele olhou para o lado ainda sonolento.

- Sério?Acho que dormi demais.

- É esse seu problema, você dorme e esquece que tem uma namorada irritada que a propósito te ama.

- Isso não da sua conta. – Disse voltando a se deitar e olhando para o teto.

- É sim, eu não vou deixar minha melhor amiga e meu irmão brigarem por bobagens. Você tem que agir, ela está em suas mãos, ela está lutando por você. Pare de aceitar as coisas e lute.

- Não sou a favor de violência. – Respondeu, mesmo que não admitisse foi atingido pelas palavras de Alice. Talvez Bella precisasse de alguém firme ao seu lado que soubesse tomar decisões e ele não se achava esse alguém.

- Mas seja!Pelo menos uma vez! – Alice vendo a conversa não surtir nenhum efeito na postura do irmão vociferou. – Que droga Edward!Vá lá falar com ela, quando você estiver sem a Bella e sofrendo pelos cantos não é só você que sofre. Eu, o papai, a mamãe todos sofremos. Faça isso por nós e por ela.

Edward levantou-se e calçou os tênis surrados. Passavam-se mil coisas pela sua mente confusa e uma delas era o humor de Bella, estaria ela disposta a ouvi-lo?Teria aquela relação futuro?E haveria explicações coerentes para o se comportamento?Só havia uma forma de descobrir e assim faria, afinal não era só sua felicidade que estava em jogo.

Edward adentrou o quarto de Bella com a convicção que encontrara em algum lugar perdido na sua mente. Determinado a acabar com os fantasmas que rondavam a relação conturbada, olhou bem para a garota que lia atentamente algum livro de psicologia, sentada com os pés encima da mesa e o som ligado num volume razoável. Bella não notou sua presença e certamente não queria notar, absorta nas linhas do livro.

- Isabella.

Só havia uma pessoa que a chamava assim, uma pessoa que perturbava seu sono, que não permitia estudar quando mais precisava uma pessoa que desejava mandar simplesmente se foder sem nenhuma explicação. Tirou os olhos do livro e olhou para o ser parado na soleira da porta com ar despreocupado e perguntou-se se estaria ela preparada para dar explicações a ele.

- Ora, ora. O que quer? – Jogou o livro na mesa assim como os óculos de grau e observou atentamente o garoto gesticular.

- Não precisamos ter regras. Não precisamos brigar, nem tolerar meu humor. Eu sinto muito, mas me senti um pouco incomodado com o modo como você me tratou diante da Maddie.

Por essa Bella não esperava, Edward simplesmente pedia desculpas.Se redimia sem mais delongas,sem discursos sobre responsabilidade e fragilidade.Aproveitou-se da situação mais um pouco calada,esperando que Edward tomasse iniciativa.

Ele se viu desesperado sem uma resposta da parte de Bella,bastava uma justificativa para poder dormir em paz.Apenas ela acalmaria seu coração.

- Tudo bem, vamos lá. Edward Cullen,eu não suporto mais seu mau humor constante,suas respostas pseudo sagazes.- Levantou-se e foi em direção  a ele,Edward fugiu do seu olhar como se fosse maligno demais,ou talvez a verdade fosse  dolorosa demais para agüentá-la - Você acha que eu sou algum tipo de idiota só porque tem o QI mais alto que o meu?Você não pode sair por aí falando o que quer Edward, magoa as pessoas.

Edward abaixou a cabeça incapaz de encarar a verdade nos olhos de Bella, doía causar dor a garota, doía ser amado por ela, pois não sabia se seria capaz de retribui na mesma medida. Era um eterno confuso acima de tudo e odiava esse fato.

- Eu não controlo Bella, é algo além das minhas forças.  – Justificou ainda encostando a porta.

Bella o observou calada por alguns segundos, deixou Edward deglutir toda sua culpa aos poucos. Sabia que estava sendo egoísta, tinha sua parcela de culpa na situação, mas ver Edward admitir era o primeiro passo, e se ele não admitisse talvez tudo entre eles morresse na mesma intensidade que nasceu. Temendo o pior, largou seu orgulho de lado e levantou-se num ato, e só o que Edward pode ver foi um corpo pequeno chocando-se com o seu, e só o que pôde sentir foram os braços de Bella envolvendo-lhe e o cheiro vindo dela alimentar seu encanto.

- Eu te amo, não vou deixar a nossa magia acabar por uma besteira. – Embalado pela convicção daquelas palavras sorriu e seus braços envolveram o corpo de Bella como se não houvesse amanhã. Era dele que precisava tudo que precisava. E viu novamente a esperança de um amor, um amor capaz de mudá-lo.

- Então por que você me abraçou e me chamou de amor na frente da Maddie? – Perguntou calmamente.

- Porque eu tenho algumas contas pendentes com a Maddie.

- Contas pendentes?

- Eu e ela não somos compatíveis. Tivemos um passado de desavenças.

- Uau. Isso é muita coincidência, não?Porque foi ela que me incentivou a falar com você aquele dia na biblioteca.

- Você não tem culpa, as mulheres gostam de homens inteligentes. – brincou ela sorriu levemente, toda a tensão se dissolvera no abraço.

- Sério?Isso é um dado cientifico?Porque ser for eu... – Bella revirou os olhos antes de encarar o namorado segurando seu rosto entre as mãos.

- Edward!O que a ciência não pode provar, eu posso, e sou muito mais eficiente. – Disse antes de selar seus lábios nos dele. Edward não objetou e seguiu o ritmo que Bella impunha num beijo lento, porém cheio de paixão. Distraído com o beijo Edward deu um passo para trás indo de encontro à cama, interrompendo o beijo olhou assustado para Bella que apenas sorriu contagiado pela cumplicidade da queda fez o mesmo.

- Desculpe.

- Pelo quê? – Bella perguntou perdida no meio sorriso encantador de Edward.

- Por isso.

- Não peça desculpa, aqui é bem mais confortável. – E o beijou novamente, dessa vez com mais convicção do que nunca, puxando seus cabelos já bagunçados. Os movimentos seguiram o beijo, intensos e famintos um pelo outro.

- Tem certeza que quer isso? – Perguntou ela sentando-se sobre ele.

Edward inseguro fitou a garota, os momentos com Bella passaram como um flash em sua mente e ele percebeu que estar com ela era tudo que precisava no momento. Tudo se baseava em viver o momento e com as contas postas na mesa não queria deixá-la escapar, não agora.

- Por favor, não me faça pensar. – Foi o ponto de partida para se inclinar sobre ele e beijá-lo. Edward se mantinha passivo sobre o colchão mole demais, suas energias sendo sugadas pelo contato, sua razão se dissolvendo em desejo.

Bella aproveitou para prosseguir o carinho da outra noite passeando suas mãos pelo abdômen do garoto que gemeu sobre seus lábios, submerso na nuvem que os envolvia.

- Tem certeza? – Perguntou Bella insegura e ofegante, coçou a cabeça em sinal de duvida.

- Bella, desde que te conheci não tenho mais certeza de nada. – Ela sorriu tranqüila, era a primeira palavra de carinho de Edward em muito tempo.

- Você ficou burro?

- Emocionalmente sim. Então te aconselho a se aproveitar do meu baixo QI emocional. – Concluiu pensativo.

Edward estava cedendo, Bella não podia acreditar no que chegara aos seus ouvidos, muito menos o que respondia seu corpo. Viu-se confuso diante da passividade do garoto. Então acatou o pedido de Edward decidindo não pensar. Ela tinha uma leve idéia do que iria fazer, só não sabia se estava pronta.

Desabotoou a camisa de Edward botão por botão sem pressa alguma, não houve protestos por parte dele que fitava Bella tentando desvendar seu próximo passo. Suas mãos percorreram a parte desnuda do corpo do garoto e ele suspirou pesadamente. Inclinou-se para beijar seus lábios alimentado o volume evidente em sua calça moletom. Um frio na barriga ocorreu-lhe quando pensou no que provavelmente aconteceria. O sorriso de garota experiente deu lugar à expressão de garota insegura e ela sabia bem o por que. Amava Edward e não queria magoá-lo, ele era especial o suficiente para querer que tudo desse certo.

Num ato inusitado afastou-se, saindo de cima do garoto que a observou atentamente despertando de seu transe. Bella sentou na beira da cama e abraçou os joelhos balançando para frente e para trás, trancou-se no seu próprio mundo procurando uma explicação coerente para a sua súbita transição de garota desligada para apaixonada e conseqüentemente abobalhada.

- Bella?Tudo bem? – Edward perguntou aproximando-se com cautela da namorada. Não compreendia a desistência da tão determinada Bella.

- Estou bem. Vá para casa, não quero te magoar.

Edward abraçou Bella pro trás, envolvendo seus braços nela que se surpreendeu com a firmeza do gesto.

- Não precisa temer isso sozinha, podemos superar juntos. – Sussurrou no seu ouvido a tranqüilizando.

- Você não está assustado? – Virou-se se desvencilhando do abraço.

- Não, só um pouco... – Edward olhou envergonhado para o volume em sua calça.

- Excitado. Você envergonhado é tão sexy. – Acrescentou avançando novamente sobre ele. Edward riu nervosamente e deitou sobre o colchão mole.

Bella mandou seus pensamentos confusos embora e rebolou sobre seu membro ainda coberto pela calça. Edward gemeu baixo numa mistura de nervoso e prazer. Tirou a t-shirt que usava deixando à mostra os seios cobertos pelo sutiã azul.


- Edward abra os olhos – Ordenou se aproximando de sua boca fina e bem desenhada. Ele abriu os olhos lentamente deleitando-se da visão, nunca havia visto seios em sua vida assim como nuca desejou tanto que eles coubessem em suas mãos.

- O que foi?

- Eu nunca... – Engoliu seco e piscou os olhos seguidas vezes sem acreditar, Bella riu se aproveitando da inocência do namorado.

- Nunca viu seios?

Ele corou e confirmou com a cabeça.

- Pois eles estão ao seu alcance.

Edward hesitou, mas Bella conduziu sua mão até um de seus seios, a mão firme e trêmula apertou-os ainda assustado com a força perceptível da atração.

- É tão bom. – Murmurou incapaz de controlar sua vontade. Bella gemeu e rebolou um pouco mais, provocando-o.

- Oh, Bella. – ele gemeu entorpecido pelos quadris de Bella movendo-se contra seu membro. Mal sabia ele que a excitação fervia entre as pernas de Bella que ansiava para senti-lo dentro dela.

Inclinou-se para beijar aqueles lábios entreabertos que quase gritavam para serem possuídos. Mordeu o lábio inferior de Edward enquanto ele pressionada seu seio com uma mão e a outra passeava por suas costas.
- Sabe o que eu mais gosto em você Edward Cullen?

- Minha inteligência? – Perguntou Edward rindo contra o pescoço dela. Bella balançou o dedo indicador sobre o seu rosto e Edward desejou comê-lo de tão faminto que estava.

- O fato de você ser inocente e ao mesmo tempo tão... - escorregou as mãos pela barra da calça dele a descendo aos poucos – másculo.

- Sério?

- Eu vou me aproveitar de você a noite inteira, e você não reclamará.

- Não vou- Respondeu ele passivo.

Bella escorregou a calça pelas pernas dele e subiu a mão até sua ereção na samba canção não se importando com os Mickeys estampados nela.

- Oh Bella. Eu não vou reclamar. – Ela gemeu transpirando desejo enquanto a mão de Bella percorria todo seu membro. Permanecia preso a nevoa de desejo que projetaram e lá permaneceria noite adentro se não fosse o celular de Bella tocando insistentemente.

- Droga. – Ela exclamou socando o colchão com a respiração ofegante e a irritação evidente. Levantou-se para atender o celular sem se dar ao trabalho de ver quem era.

- Quem é? – Esbravejou impaciente.

- Bella! – A voz autoritária do pai do outro lado da linha a fez tropeçar nas próprias pernas.

- Pai? – Edward levantou-se se assustando ao ouvir o nome “pai”,sem querer o pai de Bella interrompeu a noite produtiva da filha.

- Está tudo bem? Por que você está ofegante?

- Estive correndo, malhando. Você sabe como gosto de me exercitar.

Não deixa de ser um exercício, pensou ela tirando o cabelo assanhado do rosto.

- Sei, às oito da noite.

- Não há hora para malhar, pai! – Respondeu irritada da desconfiança de Charlie.

- Eu sei, mas é estranho.

- Por que ligou? – Mudou de assunto rapidamente.

- Porque eu vou viajar e não sei quando você e seus irmãos terão recesso da faculdade. Só pra avisar que irei supervisionar a compra de um hotel em Palm Beach.

- A casa vai estar vazia? – Olhou de canto de olho para Edwad que coçava a cabeça e olhava para o teto, deitado apenas de cueca e camisa aberta na sua cama e pensou que poderia estar atingindo um orgasmo invés de estar falando com o pai.

- Sim, mas não significa que está livre!

- Sei... Nós vamos para casa semana que vem pai, beijos. Te amo.

Bella voltou seu olhar para Edward que a observou confuso.

- Era seu pai?

- Sim. Cômico não é?Você ia me desvirtuar e aí aparece meu pai, típico de filmes. Tive que inventar uma mentira, não ia simplesmente dizer, oi pai estava quase transando com Edward meu novo namorado à propósito ele é muito bem dotado.

Edward ergueu as sobrancelhas.

- O que quer dizer bem dotado?

- Quer dizer que... – Bella arrependeu-se de ter dito aquilo na verdade queria estar em cima de Edward proporcionando a ele a melhor noite de sua vida, mas agora que o mal estava feito achou melhor mudar de assunto. – Você usa samba canção e tem Mickeys nela. – Não pôde deixar de rir da situação.

- Foi minha mãe que me deu algum problema? – Ele perguntou levemente irritado.

- Ela é fofa, assim como você! – Bella respondeu amenizando a situação.

Jogou-se na cama ao lado de Edward que ainda olhava distraído para o teto. Abraçou seu corpo e juntou-se a ele deitando sobre seu peito.

- Aqui é tão bom, quente e confortável.

- É eu sei, as mulheres gostam de homens inteligentes.

- É provado cientificamente? – Levantou a cabeça encontrando o sorriso perfeito de Edward só pra ela.

- Acho que sim. – Os dois riram juntos num momento que podia ser classificado como perfeito, o final não havia sido como eles planejaram, mas diferente dos filmes a vida segue um roteiro inusitado.

Bella por que você me chamou de manequim? - Perguntou ele casualmente, era mais uma curiosidade. Por mais que estivesse descamisado e apenas de cueca na cama da garota não se sentia intimidado, ela já fazia parte da sua vida e só restava a ele aceitar e aproveitar o clima de paz.

- Por causa da música da Katy Perry, é uma besteira, não se preocupe. - disse desconsertada, não via outros modos de formular sua resposta. Não queria estragar o momento com o real motivo de chamá-lo.

Foi um momento de fraqueza e raiva, agora estava tudo bem e lutaria pela harmonia entre os dois. Mesmo que pra isso tivesse que mudar, seria um grande esforço, mas pelo amor de Edward valia à pena.

- Besteira. - Repetiu ele sentando-se na cama. Bella fez o mesmo, preocupada com o gesto do namorado.

- O que foi?Tudo bem?

- Alice ficará preocupada, acho melhor eu ir. - Bella empurrou seu peito com a mão o fazendo deitar novamente. Sentou-se no colo dele, o calor perpassou o corpo de Edward o atingindo bem aonde Bella sentou.

- Dorme comigo hoje. - Pediu passeando o dedo pelo peito dele.
Edward riu e fechou os olhos, talvez pudesse ficar se Bella não o persuadisse tanto com seu toque.

- Ainda tem os seus irmãos, e eu não avisei a Alice.

- Eles nem se importam e quanto a Alice, eu mando uma mensagem pra ela.Não se preocupe. - Estava lançado o feitiço e Edward não via por onde fugir das insinuações e carinhos de Bella.

- É melhor eu me vestir antes.

- Edward!Você está com medo de mim? - Perguntou se inclinando para bem perto de seu rosto.

O cheiro de Bella o hipnotizou e ele resignou-se respirando fundo.

- Não é isso. Apenas não me sinto à vontade estando quase nu em sua frente. Não é educado.

- Ai Edward. Faz um favor para sua namorada.

- Qual?

- Esqueça de formalidades comigo. Temos que construir nossa intimidade entendeu?

- Esquecer formalidades... Entendi. Não será fácil, mas tentarei. - Respondeu sorrindo, Bella não resistiu e o beijou como em tantas outras vezes naquela noite. Era apenas Bella e Edward, o mundo real lá fora só servia de enfeite para a paixão dos dois que se trancavam no próprio refúgio que cada um construiu pra se adaptarem um ao outro.

Edward acordou às cinco e meia da manhã. Inquieto, não dormiu bem apesar de suas mãos estarem entrelaçadas com a de Bella. E foi exatamente esse o motivo pelo qual não pôde descansar em paz, as dúvidas quanto ao relacionamento ainda pairavam em sua mente. Não duvidava do amor dela que provou muito bem através das carícias e beijos. O que duvidava era da sua capacidade de retribuir.

Seu humor mutável e sua inquietação dificultavam qualquer tipo de relação normal que viria a ter. E temia por Bella, mesmo ela insistindo em viver esse sentimento totalmente, esperava aprender com ela à amar.A noite de ontem demonstrou até onde iria seu desejo por ela,e de certa forma ficou satisfeito por nada ter ocorrido entre eles,não saberia como reagir se algo mais profundo acontecesse.Impaciência,incapacidade incerteza,incredulidade essas palavras rodavam sua mente e ele queria expulsá-las mas não podia,não sabia o preço da sua paz.

Olhou para o céu azul e o sol ameaçando nascer e em seguida olhou para Bella e sorriu. Suas curvas, sua pele, sua boca semi aberta enquanto se mantinha em plena inconsciência, tudo nela atraia seu olhar. Sentou-se na poltrona onde antes ficava a guitarra agora encostada na parede e observou Bella dormir. Seguindo seu conselho evitou pensar e só admirou a garota, soltou um longo suspiro satisfeito por estar ali.

Bella acordou às seis e meia da manhã, dando de cara com Edward a observando da poltrona, podia compará-lo a uma estátua, uma estatua viva e perfeita, esculpida para fazer seu coração acelerar com apenas um olhar. Seus cabelos bagunçados acentuavam o charme, sua boca vermelha era uma linha reta, podia enxergar os fios de sua barba por fazer, os olhos verdes brilhantes a admirava intensamente e ela o desejou aproveitar-se um pouco mais dele. Tentaria de novo... em breve.

Seu celular estragou o clima propício e cuidaria para que isso não acontecesse novamente. Da próxima vez o teria em sua cama, em seu lar, e estaria em seus braços.

Edward retribuiu o sorriso, mas não se moveu. Bella esticou-se até o criado mudo e pegou o BlackBerry focando a câmera do celular em Edward.

- Perfeito. – Disse observando a foto e o original. Armazenou a foto em seu celular e o devolveu ao criado mudo.

- O que você fez?

- Tirei uma foto do meu príncipe encantado. Antes que despertemos do sonho.

- Eu não quero despertar, então.

- Mas infelizmente tenho uma prova no segundo horário.

- E eu tenho que assistir ao seminário dos outros, é chato. – Ele resmungou se levantando para ir embora. Edward não tinha a menor paciência com os seminários alheios, na maioria das vezes jogava no seu PSP trocando mensagens com Mike entre uma jogada e outra ninguém percebia e Edward tampouco se importava.

- Seja solidário com os colegas. – Bella disse enquanto escolhia uma roupa no armário.

- Se pelo menos eles fossem solidários com os meus ouvidos, eles falam muitos absurdos. E além do mais, meu PSP é muito mais interessante. – Respondeu ao abrir a porta.

- Onde você pensa que vai sem o meu beijo, senhor Cullen?

- Pra casa, tomar banho e vestir uma roupa limpa. Esperarei você lá embaixo. Não demore.

- Não demorarei, e eu ainda vou cobrar meu beijo. – Bella esticou os braços para alcançá-lo, mas ele foi mais ágil.

Passou pela sala como um furacão ao ver Jasper na cozinha.

- Bom dia Jasper. – Cumprimentou antes de sair pela porta principal agilmente. Não queria dar explicações e muito menos sabia o que dizer ao irmão da namorada, prezava pelas formalidades, mas nesse momento o melhor a fazer era sair rápido.

Jasper entrou no quarto de Bella sem pedir licença, ela flutuava alto em sua nuvem de felicidade então nem notou nada ao redor.

- Ele dormiu aqui?
- Bom dia Jasper. – Bella disse tranquilamente. – Sim, ele dormiu, mas nem fizemos barulho. – brincou.

- E a segunda vez... Eu não gosto disso.

- Ele é meu namorado e seu amigo esqueceu? – Jasper olhou desconfiado para a irmã.

- Seu namorado?Mas isso é ótimo!Como isso foi acontecer?

- Depois de muito investir, ele acabou me pedindo. É uma longa e confusa história e eu ainda tenho que tomar banho. E pare de bancar o irmão protetor porque você pegou a irmã dele.

- Isso não quer dizer que ele vá dormir aqui sempre.

- Não se preocupe o Edward permanece virgem. – Brincou sorrindo cinicamente.

- Você também seria se o Alec não tivesse aparecido e feito aquela sacanagem com você.

Bella socou a porta do quarto e cerrou os dentes, incomodada com a lembrança de Alec.

Prometeu nunca mais se submeter á garoto nenhum como a ele, mas seu coração a enganava e ela se apaixonou novamente. Edward era bem diferente de Alec, o que faltava em um sobrava no outro, como pro exemplo educação. Com certeza não poderia comparar a inocência de Edward com os desvios de conduta de Alec, Edward era muito superior.

- Parou aí. Saia daqui agora Jasper.

Jasper olhou para a irmã, seus olhos se enchiam de lágrimas com as lembranças e doía nele também, afinal ele viu sua irmã se destruir por causa de um relacionamento doentio.

- Ok Bella, desculpa. Só quero te proteger.

- Me proteger?Estamos falando de Edward Cullen, é ele quem precisa ser protegido não eu.

- Não estou falando disso, me refiro à sua obsessão por Edward.

Bella respirou fundo, não entedia a que o irmão se referia, sua paixão por Edward era normal, não havia nada de obsessivo em gostar de alguém. Ou apenas não queria enxergar.

0 comentários :

Postar um comentário