Capitulo 13 - DPOP

Passar o dia trabalhando. E ainda ter que dar conta de uma mulher, com um fogo maior que o Canadá. Não é fácil, para homem nenhum, eu realmente estava exausto. Só conseguia pensar na minha cama. Bella não me tiraria de lá tão cedo pelas duas semanas de puro estresse e trabalho e também pelo que me fez passar hoje à tarde. Claro foi bom, porem eu trabalho feito um louco. Eu não sei por que mais às vezes acho que todas as mulheres de Seattle querem se consultar comigo. Meu numero de pacientes aumentaram consideravelmente e eu não sei se posso dar conta. Cheguei em casa fazendo toda a rotina de sempre. Eu realmente sentia falta de alguém a minha espera, não que eu tenha tido, mais sim porque ultimamente todas as minhas fantasias eram de como eu chegaria em casa e Bella estaria me esperando. Eu sei ridículo para quem a dois meses atrás só pensava em minha carreira e mais nada. Talvez eu devesse arranjar um gato, ou um cachorro, um gato seria bem melhor. Iria se virar melhor sozinho. Liguei a secretária para checar meus recados. Comecei a fazer isso mais, pelo menos nas ultimas 2 semanas todos os dias eu fazia.

“Oi querido é a mamãe, Bella te ligou? Me ligue”– minha mãe é a mulher mais curiosa do mundo.

“Doutor Cullen, sua agenda de amanhã. Está remarcada para semana que vem. Até mais.”– Ana minha assistente, secretária e quase ouvinte das duas últimas semanas.

“Você deveria ter visto as moças em sua sala de espera. Todas me olhando chocadas, com os rostos corados. Espero que não tenha sido atacado em sua sala.” – É eu vi, quase fui atacado por todas. Mais a vingança vem a jato Bella aguarde.

Retirei minhas roupas e fui para meu banho, não retornaria para Bella tão cedo. Amanha com meu dia de folga poderia me recuperar consideravelmente desses últimos dias de inferno. Refleti deixando a água quente cair pelo meu corpo. Pensando em tudo que vem acontecendo. Dormi como uma pedra acordando, mais tarde do que de costume. Sai de pijamas atrás do jornal do dia em minha porta quando olhei para a porta do vizinho. Eu vi brilhando uma das revistas a qual eu fiz um dos artigos. Lembrei do que Bella havia me dito sobre ter lido um deles, então olhei mais uma vez, tentando ler a matéria de capa. Só consegui ver um nome. Um nome em evidencia naquela capa, somente o desejo de pegar a revista. Que coisa feia Edward Cullen, roubando revistas alheias? Me repreendi sobre esse pensamento, mais ali estava escrito Jasper Whitlock. Um dos meus rivais na medicina digamos assim. E eu não poderia de deixar de ler quando li o nome da matéria.

A Sexualidade no Oriente Médio, Doutor Jasper Whitlock conta como é a vida das mulheres nesse mundo diferente do nosso.

Roubei mesmo a revista, meus vizinhos que me perdoem. Aliás, eles nunca iriam saber que fui eu, comecei a ler e olhar a capa com Jasper e seu sorriso colgate estampado na capa, fui para o índice a procura da pagina da matéria. Iria ler só para zombar de suas técnicas e seus métodos ultrapassados e que me fazem ter náuseas. É uma coisa infantil eu odiá-lo a ponto de considerá-lo um rival. Mais o ódio se intensificou assim que eu vi quem trabalhou na matéria. Meu ódio por Jasper não me deixou raciocinar primeiro no momento que peguei a revista por isso ao ler o nome de Bella na pagina fiquei mais furioso ainda. Ela passou 2 semanas, 15 dias ao lado desse verme.

Passei metade da manhã lendo as idéias ridículas e ultrapassadas de Jasper. Perdi um tempo enorme me estressando, cada vez mais louco com a fúria. Eu viraria um verdadeiro perseguidor a partir desse minuto. Eu precisava fazer com que Bella esquecesse o momentos que ela viveu com esse energúmeno. Passei a imaginar os dois se divertindo enquanto eu sofria com a falta dela, como eu posso ser tão burro. Ela está fazendo comigo o mesmo que eu fiz com todas as minhas amantes, agora eu sei exatamente como todas se sentiam. Porem eu sou homem, e isso não vai ficar assim. Não mesmo!

Tomei um banho apressado, peguei uma calça jeans e uma camisa branca e uma jaqueta de couro. Meus óculos escuros e fui para a editora da revista onde Bella trabalha, eu precisava ficar de olho, lá no fundo algo dizia que ela me enganava que ela estava comigo e com Jasper. Fiquei dentro do meu Aston, chamativo para uma espionagem. Mais o Volvo eu não poderia usar Bella o conhecia ia dar na cara. Após uma hora esperando a vi saindo talvez para o almoço. O que eu não esperava ver era Jasper indo em direção a ela. Abraçando-a e beijando... seu rosto. Mas e daí é meu, tudo dela é meu. Eu sou possessivo demais, quando o assunto é Bella eu não posso me controlar. Eles saíram rindo, com certeza do trouxa chamado Edward Cullen.

Liguei o carro ajustando o retrovisor e os segui, ele a levou a um restaurante xinfrim. Bem a cara dele, não sabe agradar uma mulher nunca! É por isso que eu sou muito melhor que ele. Entrei discretamente me sentando em uma mesa próxima tentando a todo custo ter uma super audição para ouvir a conversa. Bella ria, uma risada que também deveria ser só minha. Em algum momento um garçom chato veio atrapalhar minha concentração, trazendo o cardápio e me perguntando o que eu iria beber. Fui seco pedindo somente vodka, acabei comprando a garrafa. Eu me escondia com o cardápio só os óculos escuros não escondiam meu cabelo de cacatua. Minha irmã vivia me dizendo para cortar o cabelo direito. Ou trocar a barbearia que apesar de muitas meninas gostarem, meu cabelo era um desastre humano. E eu sempre mando a Alice ir catar coquinho na favela da etcetera.

Era terrível não conseguir ouvir foram os 50 minutos mais ansiosos da minha vida. Consegui ouvir uma única coisa. Ele a levaria para casa. Aparentemente Bella estava sem carro. Aquilo me fez perder mais ainda a cabeça, eu os segui novamente para a editora e os esperaria para saber onde ele a levaria. Para casa ou para qualquer outro lugar. Esperei, esperei e esperei. O tempo não passava rápido, eu saí do carro sorrateiro para comprar cigarro. Eu há muito tempo não fumava, desde a adolescência. Quando Carlisle pegou Emmett e eu dando altas tragadas no quintal dos fundos. Meu pai pode ser muito legal, mais na hora de dar as comidas de rabo. Ele é mestre. Bebi o conteúdo da garrafa de vodka adquirida no restaurante. Quando eu percebi a movimentação e a carroça de Jasper estacionando na frente do prédio me aprontei para segui-los e pega-los no flagra.

Claro que Jasper a levou para a casa, sã e salva sem nada para interferir eu esperei, e os minutos se arrastavam, que porcaria ela estaria fazendo ali ainda. “É tchau, obrigada pela carona Jasper, tenho namorado” e fora daquele carro. Não agüentei e dei um farol alto para eles se tocaram que eu poderia ser um morador e queria entrar na garagem. Bella saiu logo do carro. E Jasper foi embora com sua carroça, eu não poderia chegar agora. Fiquei dando voltas pelo quarteirão avistei uma lixeira e joguei a garrafa de vodka, ou me encrencaria com a polícia se me parassem. Eu estava alto mais não ao ponto de super bêbado. Talvez eu não soubesse o que estava fazendo, de repente meu ataque de fúria e ciúmes ficou mais forte e uma hora depois segui para a casa dela, determinado a fazer a maior loucura da minha vida e mostrar a ela que vim ao mundo para ter ela e que nada a tiraria de mim. Subi direto não precisei me anunciar já era conhecido do porteiro, passei os 30 segundos do elevador pensando em minhas ações, e em tudo que diria a ela. Cheguei a sua porta toquei a campainha esperando, ouvindo os passos a movimentação das chaves na porta e abrindo a boca para falar todas as merdas que eu queria que ela ouvisse. Que acabaram ficando presas em minha garganta quando ela abriu a porta eu já a tinha visto nua, de roupa de adolescente virgem, mais nunca com sua camisola. Agarrei sua nuca quebrando a distancia beijando-a com desejo apalpando cada pedaço daquele corpo.

- Urrgh você bebeu? – é um pouco.

- Um pouco talvez, eu vim aqui... – eu esqueci tudo. Efeito da bebida. Até as merdas foram embora. – eu vim te falar...

- Você ta bêbado! – nossa como ela descobriu. – vai embora Edward, eu não sei o que você bebeu, ou porque bebeu, mais eu estou ocupada eu estava fazendo...

- Estava fazendo o que? O que você estava fazendo, me deixa ficar eu não atrapalho. Eu não estou bêbado.

- Você ta bêbado sim, e pelo que senti você fumou? – credo ela começou a ficar histérica - Edward você fumou?

- Eu fumei um cigarro, foi um só eu juro. – ela me olhava com uma cara de interrogação gigante. – e você esta ocupada com o que?

- Eu estou vendo os resultados obtidos pela matéria desse mês na revista. – Jasper, sempre ele no meu caminho, alguém joga uma bomba naquela cabeça de jumento dele. E some com ele do meu caminho! – E eu tenho que entregar rápido. – ela ia andando em direção ao quarto dela. – então não vou poder te dar atenção.

Ela subiu na cama se sentando com o notebook no colo enquanto eu me sentava na poltrona próxima, cambaleando pelo efeito da bebida e quase caindo. Fazendo ruídos Bella levantou seu olhar para mim e me deu um olhar indignado. Eu apenas dei meu sorriso e ela balançou a cabeça. Fiquei observando cada movimento que ela fazia, suas pernas. Observando o contorno de suas pernas, Bella parecia que queria me provocar levantou uma de suas pernas fazendo a camisola que já era pequena deslizar por suas coxas, mostrando perfeitamente. Comecei a imaginar Jasper desfrutando da maciez de sua pele, trincando os dentes. Em minha cabeça eu via Bella gemer aos toques dele e isso me enfurecia cada vez mais. Em um pulo levantei da poltrona indo para cama. Subi e deitei ao seu lado passando a mão por suas coxas e deitando com o braço atrás da cabeça, retirou minha mão e me deu um olhar. Que só me fez ter vontade de agarrar ela e perguntar se Jasper foi tão bom assim, que nem a minhas caricias ela queria mais. Porem eu estava me controlando precisava pensar e dar o meu melhor e 100 vezes mais.

Voltei com a minha mão ao ponto onde parei e deslizei para dentro de sua coxa, fazendo ela ficar rígida e soltar um gemido baixo. Mas que eu tinha certeza que não era de frustração. Apertei cada vez mais forte sua coxa, eu não era violento o álcool e o ciúmes tinham esse efeito. Apertei com mais força.

- Ai Edward, para...

- Doeu? – sorri. Um sorriso perverso. Que ela não entenderia nem em mil anos.

-Doeu e quer saber, eu vou fazer café para ver se você sai desse estado de pudim de pinga. – não vai não...

- Não, dizem que as melhores trepadas são quando não estamos no nosso estado normal. Aproveita e vem aqui.

Puxei para que ela deitasse retirei o notebook da cama, iria mostrar a ela que é um homem de verdade e do que ele é capaz.

- Você me deve, por muita coisa e seu trabalho não vai atrapalhar no pagamento da sua dívida comigo. – rosnei para ela com raiva. Vendo-a ficar assustada – como seu medico e futuro marido. – ela abriu a boca para reclamar. – não pense em me interromper. Calada Bella. Eu vou escolhi a posição. E você vai me obedecer. Que tipo de esposa você vai ser, a que manda? Não comigo o angu não tem caroço. E eu digo que eu quero. Na minha casa você vai me obedecer.

- Você não esta na sua casa! – ela gritou. E eu rapidamente a calei com minha boca.

- Ca – la – da .

Tapei sua boca com a mão e com a outra segurei seus braços acima de sua cabeça, descendo até seus seios onde tinha um laço. Puxei a fita de cetim com os dentes. Puxando toda a fita, até que a frente de sua camisola estivesse toda aberta. Mais ainda não era o suficiente, passei a língua entre seus seios subindo até seu pescoço. Dando chupões violentos para marcar. Era isso eu queria que Jasper visse. Bella gemeu e isso me deu mais confiança ainda. Levantei soltando seus braços colocando minhas mãos na abertura do decote rasgando toda a sua camisola. Rosnei ao vê-la só com sua calcinha, com a minha boca explorei cada canto de seus seios. Com minhas mãos apertava-a cada vez mais forte, ela se remexia encostando sua virilha em minha ereção. Mordi seu mamilo esquerdo, trazendo comigo entre meus dentes enquanto Bella gritava, massageando o outro apertando alternadamente entre apertões violentos e suaves.

Ela começou a puxar minha jaqueta me atrapalhando, me fazendo parar a tortura para retirá-la junto com a camiseta, que teve o mesmo destino, o chão do quarto. Me livrei da calça antes que ela fosse mais um empecilho para o que estava por vir e me posicionei entre suas pernas.

- Creio que você sabe o que eu vou fazer. Essa posição é uma das primeiras do livro. E como já foi comprovada toda a sua elasticidade. – elevei suas pernas a segurando pelo quadril. – espero que você tenha forças para agüentar. - Apoiei suas pernas em minhas coxas. Fazendo a subir mais um pouco com suas costas fora da cama, senti o cheiro de sua excitação bater em meu nariz. Era tudo que faltava para eu me tornar um animal selvagem. Puxei a sua calcinha com força escutando os estalos do elástico em sua pele. Machucando e causando um grito de Bella que estava quieta. Passei meus dedos pela sua fenda molhada e rosnei.

- Esta molhada assim para mim Bella? – ela gemeu baixinho. – Vamos estou esperando uma resposta.

- Sim – ela suspirou.

Não perdi tempo colocando meus dois dedos pela sua fenda violentamente. Estocando a girando-os fazendo Bella gritar cada vez mais alto.

- Somente eu, faço você gritar assim, só eu sei o que você gosta. – estocava com toda a força que tinha meus dedos movimentando-os rapidamente. – só eu, diz Bella.

- Só Edward – ela gritou. – só você. – abocanhei seu sexo. Passando minha língua de sua entrada até seu clitóris inchado o mordendo com força. Obtendo outro grito.

- Tão molhada, tão deliciosa. E tudo meu. – me deliciava com seu gosto. – vamos quero que goze pra mim, quero sentir todo o mel em minha boca. Quero matar minha sede.

No lugar dos meus dedos coloquei minha língua, aprofundando cada vez mais em sua gruta nunca deixando de olhar cada reação sua. Apertei um dedo em seu clitóris inchado fazendo pressão. Mais isso não era o suficiente, cada vez que sentia o gosto de Bella mais louco eu ficava, imaginando se Jasper deu a ela o prazer que eu dava. Apertei e esfreguei fortemente fazendo Bella se revirar e apertar suas pernas em meu pescoço e gritar alto. Eu queria ouvir meu nome de sua boca, o que ela fez prontamente tendo um orgasmo e me dando mais de seu sabor. Limpei cada pedaço de sua pele sentindo suas contrações. Eu queria mais e não dando tempo de recuperação.

A sustentei em minhas coxas me colocando de quatro e entre suas pernas fazendo seus pés baterem na cabeceira da cama estocando de uma vez sentindo meu pau ser apertado por suas contrações. Gemi de prazer com a sensação. A posição me dava plena visão de seu rosto, me deixando ver cada expressão que nosso ato a fazia ter.

- Bella, balance seu corpo. – rosnei

Bella não tinha força suficiente para isso, então eu mesmo tive que ajudar estocando violentamente e com uma mão apertando e levantando seu quadril cada vez mais rápido. O rangido da cama, os gemidos de Bella e o som do encontro de nossos corpos cada vez mais altos. Eu gemia, rosnava, trazendo o pior lado de mim no sexo. O lado violento. Bella cravou sua mão em minha perna, arranhando e revirando os olhos apertando meu membro com suas paredes jogando sua cabeça ainda mais para trás. A penetração profunda eu sentia cada parte de sua gruta, cada centímetro dela, que era só meu. Me sentia mais possessivo ao lembrar que ela não era minha, que nossa relação era aberta. E que Jasper esteve em meu lugar. E isso me fez ficar mais bravo ainda apressei os movimentos para chegar ao ápice, sem me importar se a machucaria. Acelerando cada vez mais sentido apertado dentro dela. Gozei com Bella vindo logo depois gritando meu nome e apertando minha bunda fortemente.

- Isso foi incrível. – disse enquanto saia da posição se colocando de lado na cama. – nunca pensei que eu pudesse gozar tão fortemente. Você foi maravilhoso. – sua voz quebrou na ultima frase.

- Sou muito melhor do que o Jasper não é? – ela olhou com uma expressão confusa.

- O que? – e ainda tinha a coragem de ser fazer de inocente.

- Jasper, o homem que foi com você na viagem. – ela levantou rapidamente me fitando com uma expressão que eu não sei dizer o que significava. – não se faça de boba, vocês não passaram duas semanas falando sobre o sexo no oriente médio.

- Como você... – eu não deixei ela terminar.

- E não me venha com desculpa, porque mesmo que fosse só trabalho. O trabalho terminaria ali e não continuaria hoje em um almoço Isabella. – ela tentou falar de novo e eu a cortei novamente. – anda, diz que as caricias dele são melhores que as minhas. Porque eu não duvido que você tenha dormido com ele. Afinal ele é medico. Talvez você quisesse testar o Kama Sutra com ele também, para depois fazer uma matéria comparativa. – elevei a voz consideravelmente.

- Fora. – foi à única resposta que eu recebi. – fora Edward. Agora.

- Não, eu não saio. – eu agora gritava. - daqui enquanto você não me explicar que tipo de relação você tem com ele. – seus olhos brilhavam, com lagrimas prestes a sair. Eu fiz burrada.

- Fora, agora, sai daqui. – ela me empurrava ate a porta. Enquanto eu colocava minha calça. – não quero te ver nunca mais. – isso doeu eu virei para ela, tentando consertar a merda que eu havia feito. Recebendo tapas e empurrões. Ela abriu a porta me jogando por ela com toda sua força, jogando minhas coisas logo em seguida. – Jasper é meu amigo de infância.

E bateu a porta tão forte, quanto a minha compreensão logo após a batida. A foto dela com uma criança loira. Era ele, era Jasper.

Edward Cullen, você fez a maior burrada da sua vida, e a bebida ajudou consideravelmente nesse fato.

-----------------------------------------------------------------


Posição do Capitulo: Gangorra Sexual

Faça alguns exercícios de alongamento antes. Então, deite-se de costas e levante as pernas o máximo possível, dobrando-as para trás, paralelas ao chão. Ajoelhado à sua frente, o homem vai ajudar a manter o equilírio, sustentando seu bumbum nas coxas. Depois da penetração, comecem um lento e sensual movimento de sobe-e-desce, como numa gangorra.


http:// arsenaldaseducao*blog*uol*com*br/images/gangorra*gif ( Retirem os * )

-----------------------------------------------------------------

0 comentários :

Postar um comentário