M - Capitulo 16

Angeline (com 7 anos)
~xx~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~x~xx~
Sete anos depois...

— Mãe, pai, a Senhora Richards chegou – Angel disse descendo as escadas como um foguete. Ela estava indo para uma festa do pijama na casa de sua amiga Julie, e estava morrendo de ansiedade.

— Não corra descendo as escadas Angeline Cullen – Edward a repreendeu e ela parou no ultimo degrau fazendo biquinho.

Bella tinha ido receber a senhora Richards. Ela não tinha tantos amigos, ainda por causa de sua deficiência, mas a Carla Richards, era uma das poucas mães que se aproximaram dela.

— Vamos Angeline, as garotas estão preparando uma ótima festa – Carla disse e Angel tinha os olhos brilhantes.

— Ok, algumas regras do papai – Edward disse sorrindo para a filha. – Sem fazer bagunça na casa da Senhora Richards, obedeça, brinque, não brigue com ninguém, e seja educada tudo bem? Qualquer coisa nos ligue e eu vou te buscar.

— Tudo bem papai. Mamãe tem regras? – Bella sorriu e abaixou-se a altura da filha.

Não, mas reforço o que seu pai disse tudo bem?

— Tudo bem, amo vocês – ela abraçou Bella e depois o pai.

— Qualquer coisa nos ligue Carla.

— Claro. Ela estará bem e segura lá em casa. Aproveitem a noite de folga – ela piscou e Edward riu.

— Vamos aproveitar sim, com certeza.

Depois que elas saíram Bella virou-se para Edward. Esse levantou as sobrancelhas divertido. A chuva caia fina do lado de fora, o que fez Edward ter uma idéia. Caminhou até o som colocando uma música.

Entre tus alas - Camila

— Que tal uma dança na chuva? – disse segurando-a pela mão e a levando para o lado de fora.

Sério? – ela sorriu. – Vou ficar doente.

— Eu cuido de você – piscou e puxou-a para perto dele. – Nunca vou cansar de sentir seu perfume de morangos – ele murmurou contra seus cabelos.

Sempre fui escravo da liberdade
Desses que sabem voar e que beijam o céu

E até que você apareceu por aí
Eu decidi aterrizar e ficar em seu solo

Bella deixou suas lembranças vagarem pelos últimos seis anos. Em tudo o que viveram e aprenderam nessa cidade que para eles era uma novidade. Sem qualquer pessoa para ajudar por perto, passaram pelas dificuldades juntos.

Apertou suas mãos no corpo dele sentindo a segurança que ele dava. Sentia o coração sempre acelerar quando estava com ele. Nada tinha mudado desde que ela era uma adolescente, apenas aumentava a cada dia que passava.

Não sabia se era possível amar ele ainda mais do que antes, mas isso realmente se mostrava certo a cada dia. Respirou o cheiro dele tão familiar, e se afundou na felicidade de estar ao seu lado.

Fechou os olhos pensando em como daria uma grande novidade para ele.

Descobri minha fé em sua ilusão minha alma reconheceu
Sua voz e assim meu coração foi atrás de ti

Edward beijou seus cabelos, e apertou as mãos em suas costas, sentindo o pequeno corpo contra o dele. Sempre seria como a primeira vez, cada vez que a beijasse, ou visse seus belos olhos castanhos.

Sempre iria se sentir como um garoto inseguro sem saber para onde ir. Sempre iria sentir as pernas fracas, a garganta seca, e a visão nublada, quando a visse em peças menores. Sempre seria o homem que ela precisava, o amigo para dar conselhos e o alicerce de sua vida.

Vôo entre suas asas amanheço entre sua calma
E minha paz em mim, razão viajo no seu olhar me eleva
Sou melhor do que fui por ti Amor

A vida os mostrou que nunca devemos deixar de acreditar e pensar em nossos sonhos e vontade. Tudo o que mais queremos irá acontecer, por mais improvável que seja. Nenhum dos problemas que possamos ter é uma barreira para a felicidade.

Ser feliz sempre depende de cada um. Tem que deixar a felicidade e as possibilidades entrar em sua vida, ou o medo de errar no meio do caminho nunca vai deixar com que a vida vá para frente.

Edward rodou Bella fazendo-a sorrir no meio da chuva fina. Não estava frio, era apenas uma chuva de verão que acalmava o calor.

Tenho uma coisa para te contar – ela   disse quando ele a tomou novamente nos braços.

E até hoje pensava que era liberdade
estava em outro lugar e hoje a levo dentro de mim
Me agregue ao labirinto do seu amor aqui encontrei minha verdade
E em você está o que quero

— O que? – ele a movia lentamente de um lado para outro, sentindo a chuva entre eles.

Ela parou de dançar e pegou a mão dele que estava em sua cintura, e levou até seu baixo ventre. Edward arregalou os olhos pensando se mensagem que estava chegando a ele era verdade. Olhou para ela, pedindo resposta com seus olhos. A água cobra os cílios dela, emoldurando seus olhos brilhantes.

Descobri minha fé em sua ilusão minha alma reconheceu
Sua voz e assim meu coração foi atrás de ti

Você vai ser papai de novo – Bella sorriu e ele espelhou o seu ato.

— Vou ser pai de novo? Sério? Oh Deus – ele a pegou entre seus braços abraçando-a e rodando no ar. Bella fechou os olhos e levantou o rosto sentindo a chuva.

Ele a desceu e segurou seu rosto entre suas mãos, e juntou sua testa com a dela. Nos olhos castanhos via todo o amor que podia, e passava para ela a mesma mensagem. Bella colocou as mãos em volta do pescoço dele.

Eu te amo. – os lábios dela trêmulos diziam mesmo sem palavras, as únicas capazes de o fazer se sentir bem e feliz.

Vôo entre suas asas amanheço entre sua calma
E minha paz em mim, razão viajo no seu olhar me eleva
Sou melhor do que fui por ti amor

— Sempre vou te amar – ele disse baixinho com os lábios perto dos dela.

Os pegou entre os seus e a sentiu sempre quente e macia. Os lábios que se moldavam, as línguas que se tocavam, e as almas que se amavam. Era assim, sempre seria, e eles sabiam. Apertaram seus corpos um no outro, sentindo os corações batendo forte. E em tantos anos aprenderam que uma coisa era certa.

A vida não era eterna, mas o amor deles sim.

~~~~{FIM}~~~~

0 comentários :

Postar um comentário