DPOP - Capitulo 10

Amanheceu rápido, muito rápido para o meu gosto. A única coisa que me fez feliz ao ver onde estava e depois de olhar a janela e perceber que a gostosa não morava mais lá. E sim a velha carcumida daquela música A Velha a Fiar. Era Bella em meus braços, apertei-a contra meus braços sabendo que teríamos que levantar logo para o café. Minha mãe gosta de toda a familia reunida sempre que possível e não nos daria um desconto. Bella se espreguiço me dando bom dia abafado pelo meu peito. Retribui dando um bom dia e um beijo em sua cabeça.
- Credo Edward! – ela levantou num pulo que até me assuntei o que foi que eu fiz? – nossa não dá pra discutir a relação com você depois do sexo. – como? – você dorme igual uma pedra. Serio em 1 segundo você dormiu. – começou a rir. – você ronca sabia? Nossa e alto. Eu vou ficar aqui e tirar as 2 horas que eu levei para dormi, graças aos seus roncos.
- Eu não ronco! – isso é uma calunia.
- Como pode saber? Você estava dormindo. – se virou de lado e fechou os olhos.
- Eu ronco, bom saber disso. – me levantei, indo para o lado dela na cama. A peguei no colo. E ela parecia uma pedra nem se mexia. – e você dorme feito uma pedra, mais eu vou te acordar delicadamente. Como minha mãe fazia.
Cheguei ao meu banheiro e abri silenciosamente o chuveiro. Era obvio que Bella estava fingindo. Mesmo assim eu tinha que acordar ao modo “Dona Esme manda seus filhos para aula!” entrei com Bella no chuveiro e ela começou a gritar. E me xingar. O que era mais divertido ainda
- Ué estou te acordando como minha mãe fazia comigo. Bons tempos!
- Nossa isso é maldade, a água ta meio fria aumenta a temperatura? – fez beicinho. Se ela soubesse o efeito que isso tem em mim. E fosse ambiciosa já estaria com todo meu dinheiro na mão.
- Eu aumento. Mais primeiro me diz. Eu ronco mesmo? – porque se sim eu teria que buscar um tratamento. Isso pode fazer mal.

- Ronca, e alto. – percebi em seus olhos a mentira. – brincadeira. Você não ronca, mais dorme feito uma pedra. Acabei com você não foi?
- Se eu ronco Bella, você tem sérios problemas com a sua boca.- a olhei nos olhos, e fiz a melhor cara seria que eu podia. – você precisa aprender a fechar essa boca e respirar pelo nariz. – ela ficou chocada. – sério você já reparou os seus dentes esses dois são grandinhos, eu entendo como médico. Mais fecha essa maldita boca! – comecei a rir descontroladamente caindo no Box. – eu to brincando. – falava enquanto tentava me levantar. Bella desceu ao meu ao meu nível.
- Não tem graça! – tem graça sim. – eu não to achando graça. – começou a rir. – para de rir! – depois de alguns minutos paramos de rir e ela me olhos
- Eu... – ela começou a falar e meu coração se acelerou drasticamente. Parecia uma menina. Ela hesitou, talvez pensando e soltou. – te adoro sabia.
Decepção, agora eu sei o que queria dizer essa palavra.
- Eu também. – respondi, sorrindo falsamente. Quando na verdade queria dizer que a amava. – também te adoro. Mais vamos logo antes que minha mãe venha nos buscar. E não será uma cena bonita.
Terminamos o banho e agora vestidos, e devidamente apresentáveis descemos para o café da manha com a minha familia. Bella foi paparicada pela minha mãe. Que tentava a agradar de todas as maneiras. Parecia que ela queria que Bella se sentisse sua filha para não me deixar tão cedo. Poxa eu esperava mais confiança da Dona Esme em mim. Pelo visto to mais sujo que pau de galinheiro. O café foi tranqüilo, tirando as piadinhas do meu pai, do tipo “A noite foi boa em filho” é por essas coisas que eu sei que Emmett não é adotado, só puxou o lado comediante do meu pai. E levou ao nível 300 da coisa.
Quando terminamos Bella se ofereceu para lavar a louça junto com a minha mãe. Dava para ouvir os risinhos das duas ecoando pela casa. Minha mãe com certeza estava acabando comigo. Deixei as duas se divertindo as minhas custas e fui passear pela casa que há tanto tempo não via. Era estranho estar ali novamente, tanto quanto reconfortante. Porque acontecesse o que tinha que acontecer eu sempre teria minha casa. Meus pais e meus irmãos quando cheguei na estufa encontrei meu pais em um momento romântico. Fiquei de longe observando sendo surpreendido por Bella.
- Que feio! Espionando Edward Cullen?
- Estou, sempre fiz isso. – virei para ela que estava do meu lado olhando a cena romântica dos meus pais. – eu acho o máximo. O quanto eles ainda se amam.
- Eles são um casal muito bonito. E muito feliz. Gostaria que meus pais fossem assim, apesar de hoje serem felizes com seus respectivos parceiros. Gosto assim, mesmo querendo uma familia unida. Seu pai não exerce mais a profissão?
- Na verdade, ele ainda a exerce sim. Só que aqui em Forks ele só vai para outras cidades quando são cirurgias de emergência, e extrema delicadeza. Eu me orgulho muito do meu pai. Ele nunca nos deixou faltar nada. Ele sempre esteve ao nosso lado, independente da profissão. – continua a olhar para meus pais. E senti Bella segurar meu braço. Olhei para ela e continuei. – eu quero ter uma familia como a do meu pai. Quero ser como ele, não só no nome. Vem quero te mostrar outra coisa.
A puxei e subi correndo a escada que dava para um deck. Dele dava para ver toda Forks, a cidade era um ovo mesmo então dava para imaginar.
- Meu pai construiu para minha mãe. Sempre que meu pai viajava, ela ficava aqui o esperando. E é assim até hoje. – olhei novamente para ela que apreciava a vista da cidade e a floresta. – eu quero um dia ter uma esposa assim, quero construir coisas para ela. – eu queria era pedir ela em casamento ali mesmo. Mais Bella só me escutava e não me dava bola. Que eu estava quase desistindo. - quero ter filhos e ter uma familia feliz, já imaginou uma mini Bella ou um mini Edward. O que você acha? – dei meu sorriso torto e abracei-a. – então o que acha?
- Eu acho bom. – me abraçou mais forte subindo a mão pelo meu peito.
Agarrei os dois lados do seu rosto e a beijei com todo o amor que eu podia mostrar a ela. Espero que tenha sido o suficiente e que mesmo minhas insinuações tivessem deixado claro onde eu queria chegar. Com essa relação, com ela e que se ela não quisesse que me desse o fora agora. Para que eu pudesse correr atrás dela que nem um cachorrinho. Porque somente uma grande decepção me faria desistir dela na altura desse campeonato.
- Hurum... – uma tossida. Que só poderia ser de... Sir Carlisle Cullen atrapalhando! – Sua mãe quer falar com você Edward. Ela está lá embaixo.
- Obrigada Pai, você sempre chega nos melhores momentos. – Bella estava vermelha e abafou o riso com uma tossida.
- Ah claro meu filho. Como se vocês estivessem transando aqui em cima. Me poupe Edward e vá logo ver o que sua mãe quer. Eu vou levar Bella comigo. Para comprar o que sua mãe me pediu, enquanto você conversa com ela.
- Não dê bola para esse velho. – me soltei relutante de Bella para atender minha mãe. Dei um beijo no topo de sua cabeça e fui em direção ao meu pai que me deu um tapinha no ombro. – Ah, pai por favor não dê em cima da minha namorada. O senhor já tem Esme e todas as enfermeiras de Forks. Deixe essa para mim ok?
- Claro meu filho. Não vou roubá-la, apesar de ter certeza que ela estaria muito melhor comigo. Do que com o idiota do meu filho. Não estou certo Srta.
- Ah claro, certíssimo! – Bella ria junto com meu pai.
- Eu ouvi isso. – desci as escadas rindo.
Pude ouvir os dois rindo saindo de casa e entrando no carro. Só espero que meu pai também não fique dando a minha ficha suja para Bella. E que cuide bem dela. Desci para ter a conversa do ano com minha mãe. Claro que ela tinha notado tudo, ela não era idiota, ela era minha mãe. E conhecia bem seu filho a ponto de saber que eu estava pateticamente apaixonado. Passei 2 horas conversando com ela. Rindo das loucuras dos meus irmãos e o que eles vêem aprontando nesse tempo que estive longe. Quando eu ouvi o carro do meu pai voltando fui correndo para recebê-la e vendo a cara de Bella e do meu pai eu sabia que algo tinha acontecido. Eles trocaram um olhar cúmplice e eu sabia que ambos iriam me esconder algo. Algo que eu iria descobrir.
- E então, o que compraram? – os dois se enroscaram na resposta.
- Bolo de chocolate – meu pai disse levantando o pacote e mostrando. Bella riu da cara que meu pai fez como se o bolo fosse saboroso.
- Sei chocolate. E desde quando você gosta de chocolate?
- Bella gosta, eu gosto, sua mãe gosta. E se você não gosta, o problema é seu. – meu pai ria, nunca tinha o visto assim. O que é agora ele trocara o filho preferido pela futura nora? – vamos Bella deixa esse ranzinza aí. – fiquei ali pensando o que estava acontecendo. Quando resolvi entrar e escutei a conversa dos três na cozinha.
- Esme, você não vai acreditar. Sabe aquele filho do Black, o Jacob. Ele deu em cima descaradamente da Bella. – eu não posso acreditar. Era isso que Bella não estava deixando meu pai me contar. Escondendo de mim. - você tinha que ver praticamente se jogou em cima dela. Eu quase bato nele. Mas Bella não deixou. Se o Edward sonhar com isso. Ele morre! – eu não sonho eu já estou morrendo. – você se lembra o quanto ele sempre odiou o Jacob.
- Lembro, e acho bom você não contar Carlisle. Esse menino está muito mudado para o meu gosto. – isso mãe me joga na jaula mesmo. Na frente da Bella. Pow! - é capaz dele ir agora lá quebrar a cara dele. Assim como você queria fazer. Aliás! Carlisle Cullen que diabos você tem em querer tanto quebrar a cara de um dos Black – minha mãe ralhou com meu pai.
- Edward é tão violento assim. – Bella perguntou para minha mãe. Que a olhou com ternura e respondeu.
- Não ele é apenas ciumento. Como esse velho aqui. – deu um beijo no meu pai. – e onde está o Edward?
- Está lá fora, ele não gosta de chocolate.
- Quem disse que eu não gosto de chocolate. Eu adoro chocolate, não é mãe. - ela assentiu e eu me sentei do lado de Bella tirando a colher da mão dela e comendo bolo. – e do que vocês estavam falando. Mal de mim eu presumo.
- Claro que não, agora devolve minha colher, e xô de perto do meu bolo. – credo! Pior que TPM é uma mulher com chocolate.
- Meu filho tenho uma coisa para te contar. – aposto que meu pai não vai segurar a língua, ele como eu tinha raiva dos Blacks. Agora pelos mesmos motivos. – sabe aquele filho do Billy Black.
- Carlisle! – minha mãe advertiu.
- Não Esme, ele tem que saber. – adoro meu pai. – ele deu em cima descaradamente da Bella. Até faltou com respeito eu só não quebrei a cara dele... – minha mãe deu um tapa como Alice dava na nuca do Emmett quando ele fazia alguma coisa idiota, e tapou a boca do meu pai.
- Carlisle sua velha fofoqueira para!- minha mãe ralhou. – não foi nada meu filho é só brincadeira do seu pai. – eu sabia que Bella não iria mentir para mim. Então virei para ela e perguntei de uma vez.
- Isso é verdade. – Bella olhou para meu pai como se pedisse ajuda. – isso é ou não verdade? – olhou agora para minha mãe. – eu tenho todo o final de semana e a semana também para você me contar. É verdade ou não?
- É mais.. seu pai deu um jeito nele. – olhei para o meu pai que negou. – ele apenas estava me atendendo.
- Eu vou lá agora, ver como ele vai me atender. – comecei a levantar da mesa. Enquanto Bella pulou no meu braço e me segurou.
- Não, você não vai. E olha seu pai já deu um jeito nele. E não foi nada, juro.
- Não deixa ela mandar em você, meu filho. Uma vez que você deixe, ela vai mandar em você pelo resto da sua vida. – meu pai é o melhor. – veja aqui o exemplo sua mãe manda em mim o tempo todo. – escutei a tapa que minha mãe desceu na nuca do meu pai e soltei meu braço do aperto de Bella.
- Ela já manda em mim pai. Em outros lugares é claro. – subi correndo as escadas para pegar meus documentos. Ouvindo meu pai gritar.
- Esse é meu garoto.
- Carlisle Cullen - minha mãe ralhava. – ta vendo o que você arranjou.
Bella veio atrás e quando eu estava para sair me virei trombando nela. Com um sorriso sedutor.
- Você não vai atrás do menino. Você vai ficar aqui comigo, nada de ir fazer barraco com ele, ele não fez nada. – me empurrava em direção ao sofá. - É exagero do seu pai, eu juro. – deitei quando senti o braço do sofá em minhas pernas. Trazendo Bella junto. – ele só estava me atendendo. – me beijou tirando as chaves do carro. Da minha mão e escondendo.
- Eu não acredito Edward. Eu esperava mais meu filho, meu orgulho. Você caiu no golpe do beijinho. Francamente que decepção.
É cai no golpe mais sujo feminino, Bella não me entregou as chaves em nenhum momento e a minha mãe aliada dela, roubou as chaves do meu pai, me restava esperar Alice ou Emmett chegarem para pegar um dos carros. Mesmo assim Bella jamais me deixaria chegar perto do energúmeno, passei a noite inteira emburrado. Eu realmente queria dar um bela lição no cachorro do Black primeiro porque quando nos mudamos para Forks. O pai dele Billy deu em cima da minha mãe descaradamente. Até mandava flores, e segundo porque agora ele tinha mexido com a minha garota. E isso não poderia ficar assim. Nem que para isso tivesse que ir embora e voltar depois sem ela para quebrar a cara do idiota.

E aí meninas o que acharam deste capitulo? Eu achei um Edward bem atrapalhado...

0 comentários :

Postar um comentário