KM - Capitulo 7


Capítulo 7.




Voltei feliz para casa. Pelo menos Kellan tinha tirado meu mau-humor. Bem, ao entrar no prédio e ver a cara de Alfie, toda a raiva voltou.

- Acho melhor você ficar longe dessa porra desse interfone!

Apontei o dedo para ele enquanto ia em direção ao elevador. Ele estava se abanando com um jornal e ficou imóvel com minhas palavras. Entrei em casa e fui direto para o quarto. Precisava ver com que roupa eu iria hoje. Tinha que deixar Kellan babando e Robert arrancando os pentelhos com pinça. Não literalmente, por favor. Não consigo imaginá-lo depilado...



- Kiki.

Bateram na porta do meu quarto e escutei sua voz. Respirei fundo e mandei-o entrar. Ele abriu, e colocou a cabeça para dentro.

- Mais calma?
- Não.
- Podemos conversar agora?

Eu estava olhando o armário, tentando escolher uma roupa. Fechei as portas e olhei para Robert.

- Podemos.

Ele entrou e veio sentar na minha cama-sofá. Odiava esse troço.

- Seja sincera. Você está gostando de mim?

Se estou gostando? Pensei em responder "ah depende, tipo, eu gosto de você há pouco tempo, só há uns 8 anos ou talvez mais". Fiquei calada, olhando-o séria.

- Por que a pergunta?
- Porque não quero que você se magoe. Preciso saber o que exatamente você sente por mim... por que me beijou, por que veio para casa comigo, por que deixou o clima esquentar...? São coisas que eu realmente queria entender.
- Não basta um simples: deu vontade?
- Se tiver sido só isso mesmo, basta. Mas foi?

Eu não ia me jogar de bandeja para ele. Não mais.

- Foi. Talvez tenha sido muita carência, não sei.

Ele balançou positivamente a cabeça.

- Vou acreditar em sua palavra então. O clima vai continuar tenso assim, entre nós?
- Por mim não.

Ele sorriu delicado.

- Ok. Se você quiser sair com a gente hoje, nós vamos a uma boate.

Ops. Resolvi contar logo...

- Eu vou. Mas vou com... Kellan.
- Hein?

O sorriso do rosto dele se desfez e agora um ponto de interrogação enorme se formava no meio do rosto. Robert franziu a testa.

- Kellan? Você vai com o Kellan? Como assim?
- Bem, ele me chamou para ir...
- Desde quando você e Kellan se falam?
- Desde hoje.

Ele passou as mãos no cabelo foi em direção à porta.

- Tom vai surtar quando souber.
- Mas do que ele já surtou?

Ele balançou a cabeça negativamente, de costas para mim.

- Não acho que Kellan faça bem o seu tipo.
- Eu não tenho tipo, Rob.

Mentira descarada. Meu tipo era bem assim que nem ele.

- Ok.

Ele saiu do quarto e me deixou pensando. Estava fazendo besteira? Ou não?
Já estava pronta esperando por Kellan, quando resolvi ir na cozinha beber água. Não sabia que Tom estava em casa, pois nem o escutei chegar. Quando cruzei a sala, ele me viu.

- Vai sair?

Oh-oh. Sorriso carinhoso.

- Vou. Para o mesmo lugar que vocês.
- Não vou te levar hoje, Kristen...

Ah é filho da mãe? Toma!

- Não vou com vocês. Vou com Kellan.

Cara fechada me olhando. Escutei até a saliva passando pela garganta dele.

- Kellan Lutz?

Existe outro?

- Isso.
- Vocês se conhecem?
- Estive com ele hoje. Quer dizer, encontrei ele sem querer numa lanchonete e começamos a conversar.
- E ele resolveu dar em cima de você?
- Não. Ele só me chamou para sair.
- Traduzindo, ele deu em cima de você.
- Entenda como quiser, Tom. Mas eu sou maior de idade, e vou sair com ele.
- Certo. Deixa eu ver se entendi...

Robert apareceu arrumado na sala.

- Vamos?

Tom o olhou sinistro.

- Estou conversando com Kristen.
- Ah, certo. Desculpe. Eu espero.

Tom voltou a me olhar friamente.

- Então, deixa ver se eu entendi. Você ontem ficou com Robert e hoje vai ficar com Kellan.

Robert coçou o pescoço.

- Não disse que vou ficar com ele.
- Sei.
- E se ficar? Não tenho nada com Rob.
- Tom... relaxa... vamos.

Meu irmão passou por mim, me encarando nos olhos.

- Não me faça perder todas as minhas amizades, Kristen.

Fiquei esperando por Kellan, que na hora exata me ligou avisando estar lá embaixo. Saindo do prédio, o vi com o carro parado na porta. Ele estava de camisa branca. Abafa.

- Oi.
- E aí, gata?

Ele me chamou de gata. Hehehe. Segurei para não rir na frente dele.

- Tudo bem.

Ele dirigiu, dessa vez de capota levantada.

- Achei melhor não vir com ele conversível por causa do seu cabelo...
- Meu cabelo?

Ele deu de ombros.

- É. Vocês sempre reclamam do cabelo despentear com o vento.
- Ah sim, obrigada. Mas bem... eu gosto do meu cabelo despenteado.

Eu sorri para ele, passando a mão pela franja e jogando-a para trás. Ele riu.

- Você tem a mesma mania do Rob. De ficar o tempo todo mexendo no cabelo.

E ele acha que eu não sabia disso?

- Pois é.
- E então, Kristen? O que tem em mente para hoje?

Como assim? Surtei.

N/A: música tema da cena: http://www.youtube.com/watch?v=ZI1kixLJ9jY&feature=related .

Chegamos na porta da boate, lotada, como tudo naquela cidade. Saí do carro aturando cara feia de mulheres que me olhavam enquanto tentavam pegar autógrafo do Kellan. Quando entramos, notei um som diferente. OMG. Isso era... samba?

- Kellan?
- Oi.
- O que é isso?
- Ah... o dono da boate é brasileiro.

Ok. Mas não avisaram a ele que americanos não sabem sambar? Como? Olhei para os lados e vi umas pessoas arriscando uns passos. Ok... ficarei parada a noite toda, né?

- Ei, Kristen!

Tinha uma menina me cumprimentando e eu reconheci. Era daquele grupo da... MCF. Quando olhei para a pista vi que eram as únicas que realmente sabiam dançar nesse ritmo.

- Nossa! Que legal! Vocês sabem sambar?
- Claro! Somos brasileiras.

Ah. Ok. Ela sorriu.

- Quer aprender? A gente ensina...
- Mulher sambando é tudo!

Kellan foi super direto. Respirei fundo.

- Acho que posso arriscar alguns passos.
- Daqui a pouco vou lá então... deixa só eu beber alguma coisa. Pode ser?
- Claro! É só chegar lá!

Fui até o bar junto com Kellan, que não tirava os olhos da pista de dança. Encostei no bar e a primeira pessoa que vi, foi? Claro, Robert. Ele não tinha me visto, estava de costas para nós.

- Seu amigo está ali.

Kellan olhou e sorriu.

- Depois vamos lá.
- Você vai... enquanto eu vou lá com as meninas.
- O que? Acha que eu vou perder isso?

Eu realmente tinha medo de pagar mico na frente dele. Ou de qualquer outra pessoa.

- Ah, não precisa. Pode ficar aqui com teus amigos.
- Robert!

Kellan deu um grito e Rob olhou em nossa direção, passando a mão pelos cabelos. Eu ia matar Kellan por ter avisado ao inimigo! Rob veio até nós e fez um cumprimento de macho com o amigo. Aquela paradinha de mãos que homens adoram fazer.

- Fala!
- Chegou tem tempo?
- Agora. Só vim beber alguma coisa. Cadê Tom?
- Por aí. E acho melhor você nem chegar muito perto dele...

Kellan fez uma cara de desentendido. Rob me olhou e sorriu.

- Acho que ele é um pouco ciumento.
- O que? Por causa da Kristen? Ah, que isso, não vou mordê-la não.

Quem dera...

N/A: musica tema da cena http://br.youtube.com/watch?v=VPWRrmyfZ6w

Os dois agora me olhavam sorrindo. Mas eu acho que vi uma pontinha de ciúmes no olhar do Rob. Ok, a julgar pela virada de cabeça que ele deu agora ao passar uma mulher de saia curta, ele não estava com ciúmes.

- E aí, preparada para sambar?

Kellan era puro entusiasmo. Robert se engasgou com a cerveja que estava bebendo.

- Quem vai sambar? Kiki?
- Eu sim. Algum problema?

Ele balançou negativamente a cabeça.

- Nenhum... só quero ver isso.

Impressão minha ou ele estava meio que duvidando da minha capacidade? Não que eu tivesse alguma para ficar pulando de uma perna para outra... mas vamos lá.

- Podemos ir lá agora, se quiser, Kellan.

Fiz questão de frisar bem o nome do loiro, que pegou minha mão e me puxou em direção à pista.

- Vamos!

Veio o frio na barriga. Que merda eu achava que ia fazer? Cheguei perto das meninas da MCF, que me receberam super bem.

- Olha para meu pé e faz igual!

Hein? Falou grego comigo...

- Segue o passo, Kristen!

OMG! Complicado demais... Arrisquei alguma merda e acho que dava para enganar que eu estava sambando. Ok, dava para enganar os bêbados do local. Eu vi Kellan sorrindo olhando para todas nós. Eu falei todas, certo? Tudo bem... Rob estava parado me olhando sério. Deu até medo daquela cara. Virei de costas para tentar rebolar a bunda na cara dele. Fiquei um pouco puta quando vi uma garota, que não era da MCF, chegar nele e falar alguma coisa no seu ouvido. Vagabunda!
Ok, agora eu vi perfeitamente quem era a tal garota falando com Rob. Não era qualquer garota. Era simplesmente Megan Fox. Eu me irritava profundamente sempre que lembrava que ela já tinha beijado ele. E daí que era beijo técnico? Alguém acredita mesmo que isso existe?.

N/A: musica tema da cena: http://br.youtube.com/watch?v=VRp2BU1gXpg&feature=related

Impressão minha ou o ritmo tinha ficado mais lento? Eu estava vendo casais se formando na pista. OMG, o que eu faço da minha vida? Senti alguém segurar minha mão.

- Posso?

Kellan Lutz estava falando comigo. Momento congelante. Pronto, voltei à vida. Sorri para ele.

- Você... sabe?
- Se eu não souber, é só aprender.

Ah ok. Quem se garante é assim mesmo... Olhei Robert conversando com Megan como se fossem namorados. Que se dane! Virei para Kellan e fui dançar com ele.

- Ok, não é difícil, Kristen... é um molejo... solta o corpo.

Fácil falar quando se tem coordenação motora normal. Ele pegou na minha mão e segurou minha cintura. Quem tinha dado aulas de dança de salão para Kellan?

- Viu? É moleza!
- Aham.

Só eu sei o esforço que fazia para não pisar no pé dele nem trocar o passo. Já falei que ele era absurdamente cheiroso? OMG. Respira.

- Ah, até que você dança direitinho...
- Obrigada. Faço o que posso, sabe?

Ele sorriu e piscou. Homens gostosos, parem por favor de piscarem para as mulheres carentes! Deus!

- Robert e Megan... não entendo esses dois.

Percebi que Kellan olhava para eles e ria.

- Não entende o que?
- Bem, está na cara que eles se gostam... não entendo por que não se pegam logo.

Ah sim. Minha noite melhorou muito depois dessa declaração.

- Tudo bem, Kris? Posso te chamar de Kris, né?
- Pode.
- Tudo bem?
- Aham.

Eu acho que Kellan Lutz estava pensando em me beijar. Veja bem, eu acho. Mas eu começava a ter certeza, porque cada vez ele se aproximava mais do meu rosto. Eu sei que ele é lindo, tesão, bonito e gostosão, mas eu não estava com minha mente nele agora. A música acabou e eu me afastei.

- Acho que vou no banheiro rapidinho...
- Ok. Vou procurar uma galera aí, depois me procura lá.
- Certo.

N/A: música tema da cena http://br.youtube.com/watch?v=vo_Oxf_AreE

Nem estava mais com muita vontade de ficar lá. Eu sei que a gente sempre se programa para fazer o cara dos sonhos babar por nós, fazer ciúmes e tudo mais... mas às vezes a gente se desprograma e é como se jogassem um balde de água fria na nossa cabeça. Demorei um pouco no banheiro, por causa da fila, e depois voltei. Tiva dificuldades para achar Kellan. Quando achei, vi que ele estava no meio de um bando de homens que eu não conhecia e nem estava com vontade de conhecer. Fui até o bar pegar outra bebida e fiquei dando um tempo por lá mesmo. Senti uma cerveja gelada encostar no meu ombro.

- Que cara é essa?

Robert estava do meu lado. Eu dei de ombros.

- A única que eu tenho.
- Sim, mas da última vez que eu a vi, a expressão não era essa.
- Deve ter mudado então...

Ficamos um tempo em silêncio e lá vinha Megan Fox. Ela não sabia mesmo ficar afastada, né?

- Robert, cadê minha cerveja?

"Robert, cadê minha cerveja nha nha nha". Viada! Ele sorriu para ela e ofereceu a dele.

- Pegue essa, que eu pego outra para mim.
- Não está babada, né?

Quem essa infeliz achava que era? "Não está babada, né?" Tive vontade de tirar a garrafa da mão dela e cuspir ali dentro. Ela estava estragando meu momento de fossa!

- Megan, essa é Kiki. Irmã de Tom.
- Kiki? Seu nome é esse mesmo?
- Não. Kristen.
- Ah sim.

Continuei calada olhando para a fuça dela. Ela virou-se para ele e encostou no seu braço.

- Vai ficar aqui?

Vou puxar essa palha que ela chama de cabelo...
Robert me olhou e voltou a olhá-la. Que foi, está escolhendo? Vai com a vagabunda então! Eu sorri.

- Pode ir, não preciso de babá...

Eu percebi que ele ficou meio sem-graça.

- Vamos?

Por que ela não conseguia ficar calada? Eu resolvi agir.

- Já que você está em dúvida, eu vou então. (sorri falsa para ela) Podem ficar.

Saí dali e fui me juntar a algumas meninas da MCF que não estavam dançando.

- Kristen! Aquela vadia lá da Fox está ciscando na sua área, né?
- Nem é minha área não... se ainda fosse...
- Como assim, não? Vocês não tinham ficado?
- Sim. Mas deu uns problemas aí... e pelo visto ele nem é afim de mim...
- Olhem o Tom pegando a Káh! Se a Fran souber... ela morre.

Olhei para onde elas olhavam e vi meu irmão com uma garota. Eu lembrava dela.

- Bem, pelo menos alguém da família está beijando na boca.

Apesar de Tom não merecer. Por mim ele podia ficar um ano na seca.

- Ué Kristen! Você ainda pode beijar. Se não for o Robert, pode ser o Kellan. Ele te deu muito mole...
- Acho que nem quero.

Todas me olharam como se eu tivesse cometido algum tipo de pecado.

- Eu sei que ele é lindo... mas sei lá... desanimei.
- Ah não! Desanimar assim por causa de um cara? Nunca! Vamos beber!

Pelo visto era uma das minhas poucas opções. Eu bebi com elas. Devo ter misturado vinho, vodca e tequila. Eu acho. Porque certeza à essa altura, eu já não tinha mais.
Depois de algumas bebidas, eu já me sentia um pouco alegre. Minto, me sentia muito alegre.

- Kristen? Enfim te achei...

Eu via Kellan Lutz lindo, sorrindo para mim. Já falei que ele era lindo? E gostoso?

- Me achou!
- Você não acha melhor parar um pouco com a bebida?
- Eu? Não! Estou bem!

Pisquei para ele. Eu realmente não fazia isso.

Será que a NASA tinha colocado algum chip no meu cérebro? OMG.

- Gente... acho que estou sendo investigada...
- Hein?

As meninas da MCF me olharam confusa.

- Como assim?
- A NASA...

Kellan tirou o copo de vinho da minha mão.

- Ok, chega de álcool para a senhorita.

Vi Kellan virar o líquido precioso daquele copo, dentro de sua boca preciosa. Hum, acho que estou confundindo as coisas...

- Kris? Você está bem?
- Perfeita!
- Sério... não quero que passe mal, ok?
- Ok!

Eu puxei ele para dançar, indo para a pista onde as pessoas tentavam sambar. Mas acho que não foi uma boa idéia, porque eu estava sentindo o álcool sacudir tudo em volta.

Ou eram as paredes que estava rodando?

- Ei, a boate é moderna!
- O que foi?
- As paredes...

Kellan olhou em volta, para as paredes.

- O que tem elas? Não vejo nada.
- Não as vê rodarem?

Ele me olhou incrédulo. Hum, acho que quem estava rodando era eu. Será?

- Já volto... vou ali rapidinho.

Eu saí e ele veio atrás de mim.

- Kristen? Acho melhor te levar para casa...

Virei para ele e puxei seu pescoço. Ops, acho que beijei Kellan Lutz. Será?

- Fica aí que vou ali vomitar...

Entrei correndo no banheiro.
Eu via algumas coisas estranhas boiando na água do vaso. O que eu tinha almoçado hoje mesmo? Enfim, dei descarga e fui lavar a boca na pia. Olhei para o espelho e sorri. Kellan estava do lado de fora, encostado na parede.

- Está melhor? - Sim.

Sei lá... a vontade de vomitar passou... porque eu tinha vomitado. Dãã. Sorri para ele.

- Acho melhor eu pegar uma bebida para tirar o gosto ruim da boca!

Ele me olhou rindo e me levou até o bar.

- Desde que você não beba nada que contenha álcool. - Como assim? Quer que eu beba água? Ok, isso realmente tem algo a ver com a NASA, certo? - Kristen, do que você está falando? - Eu? Do que você está falando que eu estou falando?

Ele me olhou de boca aberta e confuso. Eu hein...

- Esquece querida. Vamos pegar um refrigerante, ok?

Ele me deu uma latinha de Pepsi. Eu olhei aquilo.

- Qual o problema com a Coca? - Como assim? - Primeiro você me tira o álcool. E agora, me tira a Coca? Quer me matar, fala logo! - Prefere Coca? - Não, tudo bem... eu gosto de Pepsi.

Ele me olhou de um jeito estranho.

- Kiki.

Não me dei conta de que Robert tinha chegado perto de nós. Senti sua mão em minhas costas.

- Você está bem? - Sim! - Kellan? - Ela está um pouco alegre... mas acho que está bem sim.

Rob me olhou, como se me estudasse.

- Eu tomo conta dela, Kellan. - Não precisa, Rob. Ela está bem. E comigo. - Eu estou bem sim! Ok?

Eu acho.

- E eu prefiro ficar com Kellan. Ele beija bem!

Rob me olhou surpreso. Chupa essa manga! Hihihi. Me senti a diabinha vestindo Prada!

- Certo. Já que estão íntimos, tudo bem.

Ele saiu e nos deixou a sós. Eu sorri para Kellan que coçou a cabeça.

- Piolho? - Hein?

Ele me olhou sem-graça. Só eu estava rindo?

- Kellan.

Ah qual é agora? Meu irmão nos achou e olhava Kellan de cara feia.

- Ei, Tom! E aí?
- Legal você ter vindo com minha irmã...
- Ah sim, Kristen é super legal!
- Eu sou super legal mesmo! Não sou? Viu, Tom? Super legal! Uhuuu!

Meu irmão me olhou torto e cheirou minha cara. Sai, mosca!

- Você está bêbada? Kellan, você embebedou minha irmã?
- Claro que não! Ela bebeu na hora que não estava comigo...
- Eu não bebi! A bebida é que se jogou em mi. Eu hein...

Tom fechou a cara. Eu ouvi um rosnado e parei para prestar atenção.

- Shhh. Estão ouvindo?
- O que?
- Um cão... ou lobo!
- Kristen...
- Não! Shh! Quero ouvir.

Outro rosnado. Tentei seguir o barulho e fui me inclinando, inclinando... ué. Cheguei no peito de Tom. Ele me olhava meio puto. Ops.

- Se vira agora, Kellan. Você a trouxe, você toma conta. E não quero que ela chegue em casa com um arranhão, entendeu?
- Sim, senhor.
- Não estou brincando.
- Ok, Tom... relaxa.

Enfim nós estávamos a sós. Mirei aquela boca que sorria para mim.

- Está me fazendo brigar com seu irmão... fazer o que se eu não resisto a uma mulher bonita, né?
- É.

Ele ria. Era de mim ou de alguma outra coisa? Nem sei... mas sei que ele se aproximou e foi me empurrando até a parede. Opaaa!

- Me taca na parede e me chama de lagartixa!
- Hein?

Falei em voz alta, é? Ops. Pensa rápido.

- Uma musiquinha... "me taca na parede, me chama de lagartixa aiá... mata ela, mata a tixa aiá..."

Ele me olhava assustado.

- Não conhece? Está mesmo por fora então...
- Não conheço não.
- Um dia eu empresto meu CD.
- Ok.

Ele passou a mão pelo meu pescoço e beijou minha bochecha. Sem-graça.

- Você é linda, Kris.
- Eu sei.

Ele riu.

- E humilde...
- Aham, eu sei. Vai me beijar ou não?

Ele riu de novo.

- E bem direta.

Abri a boca para responder.

- Ok, você vai dizer que já sabia também.

Então ele me beijou. Uhuuu! Olha o linguão aí gente!

Tinha uma língua dentro da minha boca e uma mão na minha coxa. Ui! A lagartixa estava feliz! Ele parou de me beijar e me olhou sorrindo.

- Delícia.
- Jura? Sou doce ou salgada?

Ele riu e mordeu minha boca.

- Um meio termo... Quer outra Pepsi?
- Brincou, né? Traz uma Fanta!

Ele sorriu.

- Você é engraçada! Fica aqui que já volto.

Fiquei paradinha olhando para o teto. Aquilo era teia-de-aranha? Cadê o gerente?

- Kiki.

Essas pessoas apareciam do nada na minha frente! Robert me assustou.

- Oi.
- Não estou te achando muito bem. Quer que eu te leve para casa?
- Não! Estou dando uns pegas no Kellan.

Ele ficou sério e olhou para Kellan lá no bar.

- Não acho que Kellan queira algo sério com alguma mulher.
- E daí?
- Kiki... você bebeu demais.
- Bebi nada! Estou a noite toda na Pepsi!

Mostrei minha latinha vazia para ele. Ele se aproximou e sussurrou no meu ouvido.

- Isso por acaso não é uma tentativa de me causar ciúmes não, né?
- Não!

Sei lá! Mas no momento eu só queria beijar no boca. Posso?

- Até porque você nem me quis...
- Kiki...
- Rob!

Kellan chegou. Yay! Puxei-o pela cintura.

- Senti saudades!

Rob tocou no braço dele.

- Posso falar contigo a sós?
- Claro. Já volto, Kris.

Fiquei sozinha de novo. Cadê a teia-de-aranha?

Fiquei conversando com a aranha no teto enquanto os machos tricotavam longe de mim. Vamos tentar ler os lábios? Me concentrei neles dois.

- Qual a cor da sua cueca, Kellan?
- Cerveja geladinha...
- Eu depilo o braço todo dia!

Ok... eu não era muito boa em leitura labial. Parei. Dona aranha, vamos voltar ao nosso papo. Como é viver no casulo? Ah não... isso é com a borboleta.

- Voltei.

Kellan me olhava de novo!

- Oi! Não ligue para a aranha...
- Que aranha?

Tadinho, ele ficou procurando a aranha. Devia avisá-lo que ela estava lá no teto? Melhor não.

- Que aranha, né? Boa pergunta!
- Kris... você me assusta de vez em quando...

Ele estava rindo. Eu também achei engraçado e ri.

- O que o chato do Rob queria?
- Nada demais.

Eu precisava ter certeza.

- Vocês por acaso falaram sobre depilação?
- Como assim?
- Nada.

Eu realmente era ruim em leitura labial.

- Olha, Kris... acho melhor você ir para casa.
- A minha ou a sua?

Ele sorriu e mordeu a boca. Gostoso!

- A sua. Só você.
- Mas o que eu vou fazer sozinha?
- Kris...

Ele sorria e balançava a cabeça.

- Não dificulte isso para mim, ok?
- Ok.

Ele me beijou no pescoço e depois beijou minha boca.

- O Rob vai te levar... se quiser, me ligue amanhã quando acordar.

O Rob? Ah...
Eu não queria ir e deixar a aranha. Me despedi de Emmett e Rob me pegou pela mão.

- Vamos...
- Mas... mas... a Benedita...
- Quem?
- A Benedita... a aranha.
- Repete.
- Deixa...

Olhei para o teto.

- Tchau Bené.

Peguei Robert rindo.

- Qual seu problema? Nunca teve que dar adeus a nenhum amigo?
- Claro que já. Desculpe. Sei como dói.

Doía mesmo. Bené e eu fizemos uma amizade indescritível. Ela acenou e me jogou um pedaço da sua teia para eu levar de recordação. Dobrei e enfiei no bolso da calça.

- Um dia te apresento direito a Bené.
- Ok.

Entrei no carro dele e ele colocou o cinto em mim.

- Só em caso de você querer sair pela janela...

Dava para sair pela janela? Que legal!

- Eu sei usar a porta.

Rob ligou o carro e começou a dirigir. Silêncio.

- Por que bebeu tanto, Kiki.
- Porque Pepsi é legal.
- Pepsi? Estou falando sério.
- Eu também. Lembra que te mostrei a latinha? Bené é testemunha.
- Ok.

Ele calou-se. Acho bom. Só porque é gostoso acha que pode ficar falando no meu ouvido.

- Eu não queria que ficasse clima ruim entre nós, Kiki.

E lá vinha ele de novo.

- Não ficou!
- Não é o que parece...
- Eu estava beijando o Kellan, Rob! Você interrompeu meu momento de glória!
- Não me irrite, Kiki.
- Não estou irritando. Só estou sendo sincera!
- Nunca mais vou deixar você beber...
- Você é ranzinza!
- Certo.

Ele ficou calado de novo. Tão fofinho. Me joguei em cima dele. Ops. Beijei. Ops. Ele ziguezagueou (N/A: nem sei se tá certo, to nem aí) com o carro e freou.

- Ficou louca, Kiki?
- Não! Ou estaria num hospício!

Ele suspirou.

- Ih, foi só um beijo... credo!
- Kiki, eu realmente não quero ficar me aproveitando de você.
- Eu sei! Quem está se aproveitando aqui, sou eu! Eu hein...

Ele voltou a dirigir enquanto me olhava sério.

- Fique quietinha pelo menos enquanto eu estiver dirigindo, ok?
- Ok. E depois?

Robert suspirou.

- Depois a gente conversa.
- Não quero conversar. Quero dar amassos!

Ele riu e nós entramos na garagem do prédio.

- Acho que se eu filmar isso, você vai se arrepender amanhã.
- Eu só me arrependo do que eu não faço!
- Sei.

Robert saiu do carro e veio abrir minha porta.

- Não quero sair daqui. Eu gosto desse carro.
- Kiki...
- Boa noite.

Ele revirou os olhos e se inclinou sobre mim, tirando meu cinto e me tirando do carro no colo.

- Ei, somos casados?
- Vou fingir que estou surdo, ok?
- Não lembro quem foi o padre...
- Kiki... o que você bebeu exatamente?
- Pepsi!

Amei quando chegamos no saguão do prédio e vi Alfie lá. Peraí.

- Rob, pare.

Ele parou! Estava ficando domesticado!

- Que foi?
- Chega mais perto ali da recepção...

Alfie levantou a cabeça e nos olhou petrificado. Eu sorri para ele e puxei o pescoço do Robert com as duas mãos. Invadi aquela boca gostosinha (oi?) e beijei com vontade! Depois então olhei para Alfie.

- Adoro ser carregada no colo! Ei Alfie, quem sabe um dia o Rob não te carrega também, hein? Nos seus sonhos! Otárioooo!
- Kiki!

Rob ficou vermelho e sorriu para Alfie, que espumava.

- Desculpe, Alfie... problemas com a bebida.

Nós entramos no elevador e eu ri.

- Caraca, a Bené vai amar quando eu contar a ela!
- Céus, Kiki.
- Que céu que nada... prefiro o inferno! Vamos dar uns amassos aqui no elevador? Me abre, me fecha, me chama de gaveta, Rob!

Ele se engasgou. Com o que? Saliva?

- Ok, você vai para debaixo do chuveiro frio quando chegarmos lá em cima.

O elevador abriu.

- Opa! Chegamos! Vai me dar banho? Hum...
- Kiki... se eu resolver te pegar de jeito, você vai se arrepender...
- Me pegar de jeito? O que você está esperando? Eu hein... tenho que ensinar tudo?

Ele riu e me levou para o banheiro. Impressão minha ou ele estava entrando dentro do box comigo no colo?

- Ei! Está gelada essa água!
- Essa é a intenção.

Ah filho da mãe. Beijei de novo e levei rápido minhas mãos até o final da sua blusa. Corpinho gostoso! 

Ô corpinho delícia. Minhas mãos deliszavam por aquela barriga sexy. Ele me empurrou e me olhou sério.

- Pare com isso, Kiki.
- Estou parada amor!

Ele sorriu e me colocou no chão.

- Acho que você consegue tomar banho sozinha.

Rob virou e saiu do box. Ah, como assim? Acabou a graça...

- Você volta?
- Não...

Ok. Olhei para o chuveiro e ele me olhou. As gotas caíam lindamente pelo meu braço. Cara, eu amo tomar banho! Fiquei paradinha deixando a água cair na minha cabeça e depois fechei o chuveiro. Rob não tinha dito quanto tempo eu tinha que ficar ali. Tirei a roupa e me enrolei numa toalha. Fui para o quarto. Aquele era o meu, certo? Bem... parecia. Abri o armário e vesti uma camisola. Ops. Esqueci da calcinha. Hehehe. A cama quis falar comigo.

- Oi cama!

Ela estava ficando super perto de mim. Eu hein, a cama está querendo me beijar. Ela bateu na minha cabeça. Ou foi minha cabeça que foi de encontro ao colchão?

Meus olhos estavam com sono, eu acho. Porque eles me deram boa noite e se fecharam. Eu hein... Sonhei com a Bené! Saudades! Ela estava fazendo bolo de chocolate para mim, lá na sua casa no teto. A casa era linda, super bem decorada, e então eu senti alguém me olhando.

- Bené, tem alguém aqui com a gente?
- Quem? Não... só tem nós duas! Bate aqui amiga!

Ué, mas eu sentia alguém. Ah tá, bati na patinha dela para não deixá-la no vácuo. o/\o

- Kiki...

Abri meus olhos e vi um Edward na minha frente. Sentei na cama e o abraçei.

- Sabia que você um dia viria me morder!
- Kiki... não sou o Edward.

Como? Pisquei algumas vezes e continuei vendo o Edward.

- Sou o Robert, ok? Edward é só um personagem.

Ah, como assim? Edward não existe? Meu... fala sério. Daqui a pouco vão vir me dizer que Papai Noel também não existe. Aí eu piro de vez!

- Kristen!

Ôee, ele engrossou a voz.

- Gostoso! Peraí, é o Edward ou o Robert? Porque tipo, vocês me confundem, ok? Já disseram que os dois são super parecidos?

Por que ele estava me olhando de cara feia? Credo...

- Vou falar mais uma vez, que eu sou Robert Pattinson.
- Mentira! Jura? Meu, eu sou sua fã!

Agarrei ele e enchi de beijos no rosto. Levantei a blusa, mostrando minhas belas coxas para ele.

- Autografa, por favor? Se quiser eu subo mais...

Cheguei perto do seu ouvido e cochichei.

- Shhh! Deixa eu te contar um segredo. Tô sem calcinha!

Eu ri muito daquilo meu! A cara que ele fez foi hilária.

- Eu não devia ter te trazido... devia ter te deixado com o Tom...
- Tom Cruise? Meu, eu sou sua fã!
- Esquece.
- De que?

Rob ou Ed, não sei qual dos dois era, mordeu a boca.

- Kiss Me!

Eu fiz carinha e boquinha de peixe esperando por um beijo.

Ele levantou da cama. Ei, não se vá! Fiquei em pé na cama e pulei no colo dele.

- Está preso!
- Boa noite, querida...

Ganhei um beijo na testa e fui colocada de volta na cama. Chato! Ok, vou voltar a sonhar com Bené. Ela pelo menos me deixava fazer o que eu quisesse.

- Amiga, você voltou!
- Benéééé!!

Parecia filme em câmera lenta. Nós corremos uma em direção à outra e nos abraçamos apertado. Ela me envolveu na sua teia e me girou. Uau, estou dançando mambo! O sonho foi ficando sem-graça, sem cor, até que sumiu. Parei de sonhar. Que chato.

Tchau Bené...

Abri os olhos e olhei para o lado. Percebi que já estava quase amanhecendo. Percebi também que minha cabeça meio que rodava. Quem martelou meu cérebro? Levantei ainda tonta e fui pegar água na cozinha. Oh senhor! As imagens agora vinham rápido na minha mente. Oh senhor! Oh senhor! Não... Ok. Não... Merda!

- Já passou o efeito do... seja lá o que você tenha tomado?

Eu dei um pulo quando Robert chegou por trás de mim na cozinha. Eu lembrava de ter pagado mico na frente dele. Eu lembrava de ter beijado ele. Ok, eu lembrava de tudo e mais um pouco.

- Passou.

Virei de lado para abrir a geladeira e tentar também evitar de olhá-lo nos olhos. Merda! Duas vezes merda!

- Me desculpe... pelas besteiras que eu fiz. Ou falei.

Continuei ali na geladeira, fingindo que estava procurando por algo.

- Sem problemas. Só me responde uma coisa?
- Claro.

Peguei a garrafa e virei para encará-lo. Uma hora eu teria que fazer isso. Ele me olhava sério. Estava sem camisa.

- Você já estava bêbada quando ficou com o Kellan?
- Já.
- Ok.

Ele me olhava dos pés à cabeça. E riu. O que foi agora?

- Você está mesmo sem calcinha?

Oh senhor! Eu não lembrei dessa parte. Quer dizer, agora eu lembrei, né? Sorri sem-graça, provavelmente ficando rosa, vermelha, roxa e chegando ao azul. Ele voltou a ficar sério.

- Brincadeira sem-graça a minha. Desculpe.
- Ok. Estou sim.

Eu tinha passado a mão em mim discretamente, pois nem sentia. Bebi minha água e guardei de volta na geladeira. Quando fui passar por ele, Rob estava coçando a cabeça. Alguma coisa me fez parar e ficar o encarando. Ele fazia o mesmo. Eu queria era beijá-lo novamente, sem estar bêbada. Ele riu.

- Certo... melhor voltarmos para o quarto antes que façamos besteira.
- Exato.
- Quer dizer, eu volto para o meu e você para o seu, Kiki.
- Eu sei. Já estou indo...

Fui andando em direção ao meu quarto e sentia que ele estava atrás de mim.

- Bom dia.

Eu tinha me virado para me despedir mais uma vez e ele parou a milímetros de mim. Desculpe, mas eu não sou de ferro. Beijei. E me afastei para olhá-lo. Ele puxou meu pescoço e pegou na minha cintura, me invadindo a boca. Sua língua trabalhou agilmente dentro da minha boca, me deixando sem ar. Ele levantou minha blusa com uma das mãos, apertando minha pele, passando a mão pela minha coxa e subindo. Ele pulou minha bunda e foi para as costas, me alisando com força. Sua boca deixou a minha e veio beijar meu pescoço. Eu acho que gemi baixinho e ele se afastou.

- Meu deus Kiki... nós precisamos parar com isso.
- Ok. Ok.

Estava tentando me recompor. Mordi os lábios e ele sorriu.

- Você é linda. Mas eu vou mesmo para meu quarto, ok?
- Aham.

Ele passou por mim e eu já ia entrando no meu quarto, quando ele me chamou.

- Kiki!
- Que?
- Quer vir para cá?

Era comigo? Hein? Perdi a fala.

- Para dormir. Apenas isso.

Balançei a cabeça sem voz e entrei no quarto dele. 

<<< Capitulo 6                                                                    Capitulo 8 >>>

3 comentários :

OLÁ!!!!!Eu simplesmente AMEI KM!!!É uma das melhores fanfics que já li!!!Parabens à autora!!Só queria saber quando vc postará o capitulo 8, to loca pra saber o que acontece...PLEASE!vou deixar meu email: cherry_mallony@yahoo.com.br.Novamente parabenizo!beijao sou sua fã!haha

CHERRY
6 de julho de 2011 00:51 comment-delete

Eu tava ansiosa para o final,mas esperava mais,mesmo q tenha adorado a fic

Anônimo
20 de junho de 2012 20:17 comment-delete

muito boa

Anônimo
15 de maio de 2014 19:29 comment-delete

Postar um comentário