The Cullen's Secret - Capitulo 39


Capítulo 39.




Céus, eu mereço. Depois de explicar tudo para a caçadora, nós fomos nos sentar lá na festa, que pelo que percebi, não tinha crianças. Segurei o braço dela e a olhei sério.

- Hope é vampira?
- E humana.
- Ela é sua? Biológica?
- Totalmente. Ela tem tudo que um vampiro tem... E algumas fraquezas dos humanos também.
- Ela cora.

Bella falou sorrindo, olhando para Hope que nos olhava envergonhada. Notei que Hazel estava fazendo carinho nos cabelos dela. Eu preciso domar esse garoto.

- Ela tem 14, sabe?
- Hazel deve estar nessa faixa também...
- Edward?

O peste me chamou eu olhei para baixo. Ele estava de mãos dadas com Hope.

- Que?
- Nós vamos nos casar!

Buffy riu sem-graça e eu olhei para Hazel.

- Com licença, ok?

Puxei a peste pela mão e levei ele para um canto.

- Claro! Depois é só ir lá fora... Tem mesas lá.

Ouvi Buffy falar enquanto nos olhava de longe e saía da sala com Hope.

- Edward, deixa ele...
- Isso Edward, escuta a Bella.
- Vocês dois, querem ficar quietos? Hazel, você não pode sair falando essas coisas, ok? Nem todo mundo compreende.
- Por que?

Eu me abaixei para ficar mais próximo dele.

- Porque nós somos minoria aqui. Você já deve ter reparado que as pessoas não são que nem nós, certo?
- O Anthony é diferente...
- Viu só?
- Mas a Hope não.
- Por que a gente não conversa sobre isso em casa, Edward?

Bella interrompeu, pegando na mão de Hazel e puxando-o para longe de mim. Eu fui atrás dela, que me olhou sorrindo.

- Podemos apenas aproveitar a festa?
- Certo.

Ele encostou na minha cintura e senti sua boca discretamente, no meu ouvido.

- Mas se ele quiser sugar alguém aqui, vou deixar que você resolva então.

Ah, Hazel parecia estar tão feliz ali, que realmente eu não estava preocupada com nada mais. Ele sentou quietinho do nosso lado, mas acompanhava Hope com os olhos para onde ela fosse. Notei que não haviam crianças ali. A maioria eram amigos de Buffy e Angel, alguns com seus filhos, mas que não tinham qualquer tipo de amizade com a menina.

- Posso me sentar?

Eu engasguei com o refrigerante que estava tomando, quando o moreno vampiro alto e gostoso chegou na nossa mesa, puxando uma cadeira.

- Já está sentando, não?
- Edward!
- Tudo bem.

Angel respondeu, sorrindo para mim. Ele tinha uma aparência tão calma...

- Eu só vim agradecer por terem vindo.
- O prazer é nosso!

Eu respondi e senti Edward me olhar revirando os olhos. Angel olhou para a filha que estava de mãos dadas com a mãe, recebendo mais convidados.

- Tem sido muito difícil para Hope. Ela está crescendo, sabe? E as perguntas... Muitas perguntas.
- Nós imaginamos.

Por que Bella ficava tão animadinha perto desse cara hein? Não vejo nada demais nele, fora o fato de ser dominadinho pela caçadora. A menina deles veio correndo e pulou no colo do pai, beijando seu rosto. Eu não gosto de crianças, mas senti... não sei... uma pontada de inveja daquilo. Meu reflexo foi abraçar Bella.

- Ela não se parece com você...
- A cor... Parece.

Bella tem sempre que entrar nas minhas conversas, né? Ele sorriu e olhou para Hope, que não desviava os olhos de Hazel.

- Ela lembrando Buffy, já é o suficiente.
- Você é linda, sabia Hope?

Minha esposa era um poço de bondade, simpatia... Tudo transbordando até demais.

- Obrigada! Você também! E você, e você!

Bem, ela acha todo mundo lindo pelo visto. Não que eu não fosse...

- Hope, você vai casar comigo, né?

Sério, Hazel tinha problemas. Angel olhou para ele e riu. Só eu que não achava graça nenhuma ali?

- Quem sabe um dia, Hazel. Mas ela ainda é muito nova para isso.
- Ok, sogro.

OMG. Sogro? Eu percebi que Angel deu um sorriso meio amarelo e levantou discretamente da mesa, levando Hope junto com ele. Edward estava sorrindo.

- Qual a graça, amor?
- Deixe-me curtir esse momento, Bells.

Ele abaixou a cabeça e riu, olhando para Hazel, que batia os dedos na mesa enquanto brincava com uns salgadinhos no prato.

- Eu nem como essa gororoba!
- Hazel!

Olhei em volta para ver se tinha alguém ouvindo, mas não. Edward puxou meu pescoço, beijando meu rosto devagar.

- Eu te amo.
- Eu também. De onde veio isso?

Ela ria da minha cara. Não posso ficar carente de vez em quando não?

- Sei lá, precisa vir de algum lugar?
- Não!

Bella alisou meus cabelos e me beijou na boca. Um beijo simples, considerando que estávamos em público. Hazel suspirou e bateu mais os dedos na mesa.

- Também quero beijar, sabe?

Ignorei. É o melhor a se fazer.

Música: High School Musical - We're All In This Together
http://www.youtube.com/watch?v=k7zzbB17Fvo


Sério, até que horas Bella ia querer ficar aqui? Ela parecia estar se divertindo, apenas comendo, bebendo e olhando para as pessoas.

- Amor... quanto tempo nós já estamos aqui?

Ela olhou para o relógio e sorriu para mim, colocando um salgado na boca.

- Tem uns quarenta minutos que chegamos.
- Tudo isso?
- Tudo? Edward...
- Ok.

O que a gente não faz por amor, né? A música tocando alto nas caixas de som estavam me deixando tonto já. Era disso mesmo que Hope gostava? Bem, Hazel pelo menos parecia estar gostando, já que ele estava mexendo o corpo na cadeira.

- Eles combinam, né amor?
- Oi?
- Hazel e Hope...
- Bells, menos.
- Estou falando sério. Aonde mais a gente vê duas situação tão parecidas? Lembra que quando a gente conheceu ele, você achava que ele era o único?

Sim, sim. Ela tem razão. Mas daí a combinar com Hope... Bem, a menina não merece esse sofrimento, né?

Música: HSM2 all for one
http://www.youtube.com/watch?v=nafbS7V5uHg


Edward estava com uma cara de quem comeu e não gostou, que estava até me assustando.

- Você está bem, amor?
- Sério Bells, essa música... Eu vou me matar se escutar essas vozes por mais 10 minutos...
- Ah. Bem, isso é High School Musical.
- Por mim podia ser até Pós-Graduação, eu não me importo... é ruim demais!

Eu também concordo que é ruim, mas o que ele queria? Chegar para a dona da festa e mandar ela trocar de música? Edward?

- Edward!

OMG. Ele levantou e estava indo na direção de Buffy. O que ele vai fazer, senhor?

- O Edward não gostou da festa...
- Gostou sim, Hazel... É que ele está pensativo...
- Sei.

Nem o garoto acreditava nas minhas mentiras. Céus, eu devo ser ruim mesmo! Edward voltou, com um semblante mais calmo e sentou de novo do meu lado, beijando meu pescoço.

- Delícia!
- O que você foi falar com Buffy?
- Para ela trocar essa joça.
- Edward!
- O que? Eu sou sincero ué.

Buffy passou pela nossa mesa, com um sorisso sem-graça no rosto e eu tive vontade de me enfiar debaixo da toalha. Existia pessoa mais cara-de-pau que meu marido? Hope veio sentar na nossa mesa e ficou nos olhando.

- Oi linda... Sua festa está linda!
- Não está não.

Edward riu.

- Putz Bells... Até a menina é mais sensata que você.

Música: Sandy e Junior - Love Never Fails
http://www.youtube.com/watch?v=F24nxk-Gm3Y


Pronto. Quando eu acho que vai melhorar... Continua estragado.

- Sua mãe tem um péssimo gosto, né Hope?
- Edward!
- Me desculpe, amor... Mas eu quero realmente morrer.
- Eu gosto dessa dupla.

Ele me olhou como se eu estivesse cometendo algum pecado. Edward era patético quando queria! Hope levantou correndo quando alguns convidados chegaram e pulou no colo de uma das garotas. Ela era pequena e tinha um cabelo ruivo claro, curtinho.

- Tia Willow!
- Hey Hope...

Prestei atenção também no rapaz que estava com ela, moreno e alto, mas usando um tampão no olho, tipo de pirata. Eles sentaram numa mesa perto da nossa e Angel foi logo falar com eles. Percebi que eram bem amigos, pois Buffy chegou também, dando abraços demorados em cada um.

- Bells?
- Oi.
- Não sabia que ainda existiam piratas...

Ela me acariciou com força no ombro enquanto eu ria da fantasia do mocinho ali do lado. Eu não conseguia parar de olhar, já que ele estava realmente engraçado e então a ruiva baixinha cruzou o olhar com o meu e ficou séria, puxando o braço de Buffy. Elas cochicharam alguma coisa enquanto me olhavam e a caçadora resolveu trazer os amigos até nossa mesa.

- Edward, Bella... esses são meus amigos, Willow e Xander.
- Prazer!
- É... prazer.
- O Edward é um pouco mal-humorado mesmo... Não liguem.

Mas como assim ela já estava falando mal de mim? Eu dei essa intimidade por acaso? A tal da Willow franziu a testa para mim e se curvou, falando perto do meu rosto.

- Se fizer mal para essa família, eu te mando para o inferno.
- Está tudo bem, Willow.

Wow. Menina invocada, não?

Música: Marilyn Manson - The Nobodies
http://www.youtube.com/watch?v=2SdQGYHOFu8


Eu realmente achei a ruiva bem hilária, até sorri para ela, mas então vi seus olhos oscilarem para o preto e voltarem à cor natural. Opa. Tem alguma coisa diferente na menininha aí. Ia perguntar a ela qual o tipo de aberração que ela era, pois vampira passava longe, mas fui pego de surpresa por uma música bizarra.

- Mas o que...?

Eu notei que todo mundo estava olhando para o DJ e olhei também. Hazel estava vindo de lá com um sorriso no rosto e balançando a cabeça.

- OMG Edward! O que você coloca para o garoto escutar?
- Ei! Ele nem é meu filho, ok? Culpa de Lestat se o garoto é sombrio assim...
- E ele ainda tem o sangue de Drácula, então...

Mas Bella não conseguia mesmo ficar caladinha e bonitinha, né? Buffy me olhou surpresa com a novidade e fechou a cara.

- Drác...

Ela sentou numa cadeira e puxou a gola da minha camisa.

- Como assim, sangue de Drácula?
- Bem... pois é.
- Eu matei Drácula!

Eu ri.

- Não matou não, querida.
- Eu matei. Anos atrás!
- Jura? Bem, ele parecia estar bem vivo no meu casamento...
- OMG, ele esteve aqui na cidade? E no seu casamento?
- Ele é meu pai. Você tem preconceito?

Os queixos deles caíram. Falo mesmo!

Ok. O clima ficou tenso ali. Buffy e Edward estavam se encarando, até que ela resolveu falar.

- Todos nós, podemos ir lá dentro, por favor?
- Fala aqui mesmo...
- Edward!
- Bells, fique fora disso.
- Ei! Nós não queremos briga! Só não queremos ter essa conversa... na frente dos convidados.

Angel falou, num tom de voz bem baixo. O seu olhar implorava por compreensão. Eu nunca vi pessoa tão expressiva com os olhos. Edward me olhou e suspirou, levantando e me dando a mão.

- Vamos lá.
- E eu?
- Você fica, Hazel.
- Não, ele pode ir também.

Edward se colocou na frente de Hazel e fechou a cara para Buffy.

- Ele fica.
- Certo. Então Xander também fica. Não vou deixá-lo sozinho aqui!
- Por mim, tudo bem.

Nós deixamos os dois sentados na mesa. Xander com cara de poucos amigos e Hazel batendo os dedos na mesa, acompanhando a música. Ele não estava nem aí para o que estava acontecendo.


Eu e Edward acompanhamos os outros, até entrarmos numa sala, que parecia um escritório. Angel fechou a porta atrás de nós e senti os músculos de Edward tensionarem.

- Então... O que querem?
- Como assim Drácula é seu pai?

Ele deu de ombros, sorrindo.

- Ué, ele me tranformou.
- E ele está vivo? Digo... vivo?
- Perfeitamente.

Edward sorriu cínico. Eu sabia que ele se sentia vitorioso pela cara que Buffy fazia agora.

- Você tem um medalhão?

Angel perguntou, encostado numa mesa, de braços cruzados. Ele fitava Edward sem desviar os olhos um segundo.

- Lógico.

Eu vi a ruiva, a tal da Willow, dar uns passos para trás, se afastando de Edward.

- Buffy, posso saber por que você ainda está dialogando com ele?

Eu olhei para a ruiva, que falava com Buffy com um ar de ser superior. Eu ri.

- Bem, deve ser porque ela ainda não conseguiu me matar.

A ruiva era esperta. Ela bloqueava sua mente perfeitamente. Mas tinha algo nela, que eu ainda não tinha sacado. Algum tipo de... poder.

- Nós não estamos aqui para brigar, Willow.

Buffy falou secamente, me olhando. Ela se aproximou, com os braços para trás.

- Como você quer que eu reaja, descobrindo que aquela criança lá fora, além de ser "filho" de Lestat, ainda tomou do sangue de Drácula? Vai me dizer que ele também tem um medalhão?
- Tem.

Ela não esperava por essa resposta, pois seus olhos se arregalaram. Ops. Foi mal.

- Hazel não é mau!
- Bells...
- Não Edward! Não vou deixar que o tratem como um vilão! Ele não tem culpa se fulano ou ciclano deram sangue a ele! Ele nunca fez mal a ninguém durante todo esse tempo!

A loira veio na minha direção, sorrindo cínica.

- Você por acaso tem noção do poder que esse garoto pode vir a ter? Você tem noção do poder que o seu próprio marido tem?
- Absolutamente.

Ela fechou a cara, respirando fundo.

- Esse garoto pode virar uma arma nas mãos erradas!
- Bem, ele está sendo muito bem criado.

Edward segurou minha mão e me puxou na direção da porta.

- Acho que não temos mais que ficar na festa. Boa noite.

Ele abriu a porta, que fechou sozinha, com força. OMG. O que foi isso? Nós olhamos para trás e vimos a ruiva sorrindo.

- Willow, deixe-os ir.
- Ok.

Edward abriu a porta novamente e nós saímos. Mas antes, ele se virou para olhá-los mais uma vez.

- Vocês têm uma bruxa e ainda acham que Hazel é perigoso? Hilário!

Bruxa? Como assim? Nós estávamos indo pegar Hazel, mas eu parei Edward no caminho.

- Amor... O que você quis dizer com "bruxa"?
- Bruxa.
- Tipo, com caldeirão e verruga no nariz?

Ele revirou os olhos e me puxou para a parte onde a festa acontecia.

- Bells, você vê muito filme de terror! Ela é uma bruxa, em questão de poderes, não de aparência, amor...
- Ok.

Hazel estava olhando fixamente para Xander, que parecia imóvel. Nós chegamos perto e Hazel sorriu.

- É tão legal hipnotizá-lo!
- Hazel! Pare com isso!

Edward puxou o rosto dele, o fazendo desviar os olhos de Xander, que saiu do transe e piscou várias vezes.

- O que foi? O que houve?

Ele nos perguntou atrapalhado e levantou, ainda sem saber para que lado ir. Edward deu um peteleco na orelha de Hazel.

- Você só me envergonha, pivete!

- Nós já vamos?

Hazel nos perguntou fazendo cara de choro e olhou para Hope, que estava distante, na mesa de outros convidados.

- Já querido... Está tarde.

Deus iria me castigar por mentir para a pobre criança desse jeito. Tarde? Não eram nem 23h ainda! Edward me olhou cínico e sorriu.

- Pois é, muito tarde. Está na hora de criança dormir.
- Eu não sou mais criança.
- Bem, para mim você é um fedelho, então...

Ele olhou feio para Edward, que abaixou a cabeça para encará-lo melhor.

- Ei rapaz, não tenho medo de cara feia, ok?
- Saco!

Hazel cruzou os braços e saiu batendo pé na nossa frente, em direção à parte de dentro da casa. Hope nos olhou e veio falar conosco.

- Já vão?
- Já sim. Parabéns, viu?
- Obrigada!

Ela sorriu agradecida e olhou pelo caminho onde Hazel foi. Eu me abaixei e dei um beijo em seu rosto.

- Ele adorou te conhecer.
- Eu também gostei muito dele...

Ah que lindo!

Bella não tinha jeito mesmo! Me despedi da menina e puxei minha esposa para a saída.

- Sério que você vai ficar incentivando esse lance?
- Que lance?
- Hazel e Hope.
- Ué, eles são tão parecidos...
- Não inventa Bells. Deixa quieto, ok?

Hazel já estava encostado no carro nos esperando. Ele estava de cabeça baixa, enrolando os dedos na barra da camisa.

- Pode entrar, Hazel.

Destravei o alarme do carro para ele abrir a porta. Tinha parado no meio do caminho porque senti a presença de Buffy atrás da gente.

- Já vão então?
- Com certeza.
- Olha... desculpe. Eu não... não queria que houvesse esse desentendimento aqui.

Ela falou com a voz ressentida e pela sua expressão parecia realmente arrependida.

- Bem, no final das contas, eu ainda sou um vampiro, e você uma caçadora!
- Mas não precisa ser assim! Esse clima.
- Eu também acho...
- Bells...
- O que? É sério, vocês não precisam agir como inimigos ué.

Buffy olhou para Bella e sorriu. Eu tinha medo que elas resolvessem marcar para tomar um chá ou algo do tipo. Mulheres...

- Sua esposa tem razão, Edward. Foi só um mal entendido. E acho que já está tudo explicado, certo?
- Você tem uma amiga bruxa. Ela não vai com a minha cara e nem eu com a dela.
- Willow é inofensiva, para quem não apresenta perigo.

Eu me aproximei da loira, estreitando meus olhos bem próximos do seu rosto.

- E quem disse que eu não sou perigoso?
- Pff! Edward, por favor, amor! Você mal mata uma barata!

Sério, eu casei mesmo com Bella? Lá ia toda minha dignidade para o ralo!

Por que ele me olhava estranho agora? Falei alguma coisa errada? Buffy abafou um riso e Edward me olhou revirando os olhos.

- Vamos embora Bells...

Ele me puxou pela mão e abriu a porta do carro para eu entrar.

- Vamos manter contato, Buffy!
- Ok!

Ela respondeu sorrindo para mim e acenou, antes de entrar em casa e fechar a porta. Edward entrou no carro e me olhou.

- Não mato nem uma barata?
- Oi?
- Tu fumou maconha, Bells?
- Ah amor... você é bonzinho...

Acariciei o pescoço dele e ele sorriu. Mas não era um sorriso feliz, era meio cínico.

- Eu não sou bonzinho porra nenhuma, ok? Eu sugo o sangue das pessoas, lembra? Eu mato algumas também. A maioria!
- Está tentando entrar para o Guiness?
- Vocês vão discutir muito ainda? Porque senão eu vou a pé...

Nós dois viramos para olhar Hazel, de braços cruzados no banco de trás.

- CALA A BOCA, HAZEL!

Ok, em alguma coisa eu e Edward concordávamos!

- Hazel? Eu te dou 5 minutos para você ir se despedir de Hope.
- Ok!

Ele abriu a porta e saiu correndo. Bella me olhou confusa, franzindo a testa.

- O que te deu?
- Adivinha?

Sorri malicioso para ela e puxei-a pela cintura para cima de mim. Ela ficava ofegante com meus movimentos rápidos demais para sua compreensão.

- Edward...

Puxei seus cabelos e sua cabeça para trás e beijei sua boca com fúria, sentindo suas mãos pequenas alisando meu peito por dentro da camisa.

- Me morde amor...
- Não. Eu sou bonzinho demais para te morder.

Ela me acariciou no rosto e me olhou raivosa.

- Estou mandando, não pedindo.

Ele sorriu malicioso e lambeu os lábios, cravando então os dentes no meu pescoço e me sugando, enquanto apertava minhas coxas. A mordida em si era dolorosa, mas a situação era sempre excitante, principalmente quando ele parava de sugar e vinha com a ponta da língua lamber a ferida bem devagar, às vezes me olhando com luxúria. Eu quase tinha orgasmos quando Edward me olhava desse jeito e fazia meu corpo tremer.

- Delícia.
- Eu te amo. Mesmo você sendo chato.
- Você gosta...

Quem não gostaria? Ele me beijou a boca e me devolveu ao me banco, dois segundos antes de Hazel entrar no carro.

- Beijei Hope.
- Hein?

Edward virou para olhá-lo e ele estava com um sorrisão no rosto. OMG, o garoto tinha atacado a filha da caçadora! Agora que Edward vira a caça de vez!

- Ficou louco, Hazel?
- Não. Ela deixou.

Esse garoto tinha sérios problemas psicológicos. Tudo culpa de Lestat. Conviveu muito tempo com o príncipe louco! Saí rápido dali antes que Angel aparecesse para comer meu fígado. No meio do caminho, virei numa curva e freei ao ver um assaltante no meio da rua com a arma apontada para o carro. Eu não conseguia mesmo ter sossego, né?

- Não se mexa, Bells.
- Edward...

Em milésimos de segundos, pensei em todas as possibilidades. Eu podia sair do carro e chegar até ele, antes que ele conseguisse puxar o gatilho. Ou eu podia acelerar o carro, mas sendo uma máquina, não teria a mesma velocidade que eu. Enquanto pensava nisso, vi Hazel se debruçar entre nossos bancos e olhar para o homem.

- Volte, Hazel.
- Shhh!

Eu vi o cara tremer a mão e puxei Bella para baixo, fazendo-a deitar a cabeça no meu colo. Mas o cara não ia atirar. A sua mão estava virando e aos poucos, apontando a arma para sua própria cabeça. Parecia estar fazendo força, ou tendo dificuldades para aquilo. Olhei para Hazel e ele estreitava os olhos, encarando o assaltante.

- É você que está fazendo isso?

Ele sorriu sem tirar os olhos do homem. OMG.

- Não atire, Hazel. Nós vamos passar por ele.

Acelerei o carro e desviei do homem, seguindo em frente. Quando passei por ele, olhei para Hazel e segurei seu rosto.

- PARE!

Ele piscou e sorriu, encostando-se de novo no banco. Pelo retrovisor, eu pude ver o assaltante vivo, sem saber o que tinha acontecido.

Edward me deixou levantar e eu olhei para trás, mas nós já tínhamos nos afastado bastante do assaltante.

- Ok... O que... foi isso?
- Ele estava com o dedo no gatilho. Eu não sabia se ia ter tempo de chegar nele...

Olhei para meu marido e notei que ele tinha uma expressão preocupada. Alisei sua nuca e me inclinei para beijar seu rosto.

- Está tudo bem, amor.
- Não, não está.

Edward olhou pelo retrovisor, e eu vi Hazel sentado calado no banco de trás.

- Você viu o que Hazel fez? Hazel, como você fez isso?
- Eu?
- Onde aprendeu isso?

O pequeno apoiou a cabeça no encosto do meu banco e suspirou, dando de ombros.

- Sei lá. Eu apenas sei fazer ué.

Troquei alguns olhares com Edward, sem entender direito do que se tratava.

- O que ele fez?
- Depois a gente conversa.

Nós fomos calados até chegar na casa dos Cullens para deixar Hazel.

1 comentários :

muito bom

Anônimo
16 de outubro de 2011 13:56 comment-delete

Postar um comentário