TCS - Capitulo 26

LEIAM COM ATENÇÃO:

Oi meninas,  para  o post não ocupar a pagina inteira estaremos usando uma quebra de  linha, para ler o resto basta clicar em "Mais Informações >>>" 
Obrigada (: Ah, deixem um comentário no fim do capitulo *--*

----


|Capítulo 26|


- Hazel pode hipnotizar as pessoas?
- Eu posso?

O pequeno olhou para Edward sorrindo.

- Bem... parece que sim. Mas isso não significa que é para você sair por aí fazendo isso!
- Ok. Posso hipnotizar a Bella?
- Hazel!

Ele era tão lindinho... mas Edward não achava. Nós desembarcamos e voltamos para casa. Quando eu abri a minha porta, achei que estivesse entrando no Pólo Norte. Ou qualquer outro lugar por onde papai Noel passasse. Estava parecendo mesmo era com aquelas decorações de shopping.


- Hey Bella!
- Ah, voltou é?
- Também senti saudades Lauren!
- Então, o que achou?




Jess sorria me mostrando a decoração.


- Oh, está... incrivelmente natalino!
- Jura? Ai que emoção!
- Vocês não esqueceram que nós vamos passar o Natal na casa do Edward, né?

Lauren sentou no sofá colocando os pés para o alto. Folgada?

- Claro que não esqueci! Aquele irmão gostoso dele vai estar lá, certo?
- Quem? Emmet?
- Se mete eu não sei... mas espero que sim.

Trocadilho ridículo...

- Lauren, ele tem namorada. Rosalie, lembra? Vocês se deram super bem.
- Amigos, amigos... negócios à parte.

Esse Natal não seria calmo como eu gostaria que fosse. Eu acabei de voltar da guerra, ok? Não que eu tivsse lutado.
- Eu vou... tomar um banho.
- Tem presentes para comprar Bella?

OMG. Eu esqueci totalmente disso! Será que vampiros gostam de ganhar presentes? Merda! Merda! Merda!

- Tenho! Vou tomar um banho rápido e sair!
- Quer ajuda?

Toda ajuda seria bem-vinda. Eu não tinha a mínima noção do que comprar. Aceitei que Jess fosse comigo. Chegamos na porra do shopping e não tinha uma vaga sequer disponível.

- A população inteira de Forks resolveu vir aqui hoje?
- Época de Natal é sempre assim Bella.
- Eles que aumentem o estacionamento então!
Depois de rodar uns vinte minutos pelo estacionamento, eu consegui uma vaga. Bem, mais ou menos.

- Você tem certeza que o carro cabe aqui?
- Claro!

O desespero era grande... aquela vaga ia ter que servir. Desliguei o carro e saí batendo a porta.

- Bella, metade do carro está para fora!
- A pickup é que é grande demais Jess...
- Não. A vaga é que foi feita para um Fusca!
- Você quer ficar procurando vaga enquanto eu entro?

Ela me olhou séria.

- Ok, vamos!

O shopping estava como eu imaginava que devia ser o inferno. Lotado, com músicas natalinas tocando alto, crianças berrando, pessoas desastradas cheias de sacolas batendo na sua perna e filas para entrar em algumas lojas.

- Então Bella, falta comprar o presente de quem?
- De todos.
- O que?

Ela fez uma cara de desespero.

- Bem, eu estive ocupada...
Puta merda Bella! Nós vamos sair daqui com o shopping fechando! Como assim você não comprou nada? Nem para mim?
Pessoa nada direta né? Ela estava mesmo preocupada com meu atraso ou com o perigo de não ganhar nada?

- O seu vai ser o primeiro Jess... fique tranqüila.
- Ok. Eu sou super fácil para se presentear, sabe? Qualquer coisa que esteja na moda eu gosto.

Super fácil. Pena que eu não entendia nada de moda...

- Melhor ainda! Tenho certeza que vou acertar!

Eu dei dinheiro e pedi para ela comprar presentes para Charlie, Lauren e Angie. Eram os mais fáceis. A parte difícil, teria que ficar comigo. Respirei fundo e entrei numa loja de cosméticos. Era a primeira coisa que vinha na minha mente quando eu pensava em Rosalie. Ela sempre estava super maquiada. Eu passava pelas prateleiras com medo, pois pelos preços que estava vendo, eu corria o risco de ter que pagar uma fortuna por um mísero batom da Lancôme. A loira má realmente não merecia tanto! Eu procurei algo mais barato... oh! Isso! Achei um creme facial italiano que um monte de gente estava comprando. E o preço era acessível. Ok, eu não entendia nada do que estava escrito, mas eu sabia que era fácil. E devia hidratar. Não que a pele dela fosse seca.

- Uma já foi...

Risquei o nome da loira da minha lista. Próxima parada: joalheria. Eu sempre via Alice usando colares, pulseiras, anéis... disso eu tinha certeza que ela gostava. Comprei uma pulseira fininha com um pingente com a letra A pendurado.

- Mais uma...

Olhei a lista. Três nomes faltavam. Ia ser trabalhoso. Porque tipo, alguém aí sabe do que o Jasper gosta? Ele está sempre com a mesma cara! Peguei o celular e liguei para Charlie.
- Bells! Que milagre!
- Pai, o que eu dou de presente para um rapaz com quem eu não falo muito?
- "Oi pai, tudo bem com o senhor?" Claro Bells, tudo ótimo por aqui!
- Oi pai... mas depois a gente conversa, pode ser? Me ajuda, por favor!
- Presente né? Quantos anos ele tem?

Eu pensei. Tive vontade de dizer "uns 200 anos, sei lá..."

- Acho que em torno dos 20.
- Homens sempre gostam de meias Bells.
- Meias?
- Sim. Ou cuecas, gravatas, essas coisas.

Sério? Como eu iria dar uma cueca para Jasper?

- Ok pai, obrigada.
Fui dar mais umas voltas pelo shopping. Se Jasper poderia ganhar uma cueca, acho que eu podia aproveitar e dar a mesma coisa para Emmet... eu não tinha paciência mesmo para ficar comprando presentes. O mais difícil é claro, seria Edward. Entrei numa loja de roupas íntimas e fui para a seção de cuecas. Uma vendedora simpática veio me atender.

- Boa tarde, posso ajudar?
- Bem... eu queria ver cuecas...
- Ah claro! Por aqui.

Eu a segui até uma prateleira com vários modelos.

- Qual o tamanho?
- Acho que... M.
- Ok, nós temos essas cores aqui nesses modelos.
- E... G.

Ela me olhou estranha. O que? Emmet devia ser G, né?

- Não é M?
- Sim, M para Jazz e G para Em.
- Ah, são dois?
- Sim.
- O da G é gordinho?
- Não.
- Então leve M.
- Mas ele é... grande.

Ela levantou uma sobrancelha. Bem, eu imagino que ele seja grande, né?

- Sortuda você!
- Oh não... não é meu...
Que se dane, deixa ela pensar que ele é.
Depois de pensar num presente para Edward, encontrei Jess na praça de alimentação e fomos para casa.

- E então, o que vai dar para o namorado?
- Surpresa.
- Me conta, vai!
- Não posso... seu eu falar aqui, os calos fofos vão ver...
- Droga! Fala em amarelo!
- Eles vão ver do mesmo jeito Jess...
- Ok.

Aquela noite eu dormi sem o Edward. Ele não foi lá para casa pois tinha algumas coisas para resolver. No dia seguinte, ele me ligou logo de manhã...


- Amor, acho que nós vamos... precisar de ajuda.
- Em que?
- Bem, nós contratamos um cozinheiro para fazer a ceia. Mas... tivemos um imprevisto aqui.
- Ele não foi?
- Não é isso. Ele veio. Mas ele...

Nada legal contar a ela, mas era melhor ela ficar sabendo por mim do que por algum dos meus irmãos.

- Ele se cortou com uma faca... e... Rose não resistiu.
- OMG, ele está ferido?
- Não exatamente. Ele está morto.

Silêncio do outro lado.

- Vocês mataram o cozinheiro?
- Não. Rosalie matou.
- OMG Edward! E você quer que eu vá cozinhar? Eu sempre me corto!
- Não amor, eu não vou deixar nada te acontecer. Eu juro. Mas nós precisamos de alguém que entenda de comida...

- Certo. Eu vou aí daqui a pouco então.
- Eu te busco, pode deixar!


Sem comentários. O cozinheiro foi cozido. Ou comido cru mesmo, sei lá. Acho que o espírito natalino não afetava os Cullens. Cadê o amor no coração? Achei melhor já levar tudo meu para lá, ao invés de ter que voltar em casa para me arrumar.

- Tá indo onde?
- Para a casa do Edward... nós nos vemos mais tarde.
- Mas já?
- É Angie, eles precisam de mim para cozinhar.

Lauren ouviu a conversa e torceu a cara.

- Credo! Tâo ricos e não podem nem contratar uma empregada?
- Bem, eles já tentaram isso... não deu... certo.
- Qual o problema com ela?
- Ela não. Ele. E ele agora está no céu.

Eu acho né? Edward me buscou alguns minutos depois. Ele levantou uma sobrancelha quando eu entrei no carro com sacolas na mão.

- O que é isso?
- Minha roupa para usar mais tarde e os presentes.
- Presentes?
- Sim.

Ow. Nem tinha me tocado nisso. É tradição dar presente no Natal, certo? Bem, eu não lembrava, já que meu último Natal foi há... alguns séculos atrás. Talvez se eu tivesse nascido um pouco antes, tivesse até conhecido o menino Jesus. Bella ia me dar presente e eu não daria nada a ela?

- Você não comprou nada para mim, comprou?
- Bem... eu vou te dar um presente.
- Bells! Eu não... lembrava disso... não comprei nada. Mas posso passar agora no shopping.
- Não! Não precisa, sério.
Não precisa... Se eu pudesse ler sua mente, eu saberia realmente se não precisava. Mas mulher é tudo igual, elas dizem não querendo dizer sim. Achei melhor não colocar meu namoro em risco. Programei algo para presenteá-la.

Edward estava sentado na cozinha me olhando fazer as coisas. Era irritante você toda nervosa e atrapalhada, tendo que cozinhar com alguém te olhando. Principalmente, quando esse alguém era uma pessoa perfeita que tudo que fazia, era bem feito.

- Edward, não tem nada para arrumar? A mesa, talvez?
- Alice se encarregou das arrumações.
- E Hazel? Não é melhor dar uma olhada nele?
- Não. Emmet toma conta dele o dia todo...
- Ok amor, então serei direta. Você pode sair daqui e me deixar fazer as coisas sozinha?
- Tem certeza?
- Absoluta.

Ele revirou os olhos e levantou resmungando. Homens...

- Senti um cheiro bom lá do meu quarto!

Rosalie entrou na cozinha. Edward estava passando pela porta quando ela chegou. Pensei rápido.

- Edward, onde você vai?

Ele me olhou confuso.

- Não pediu para eu te deixar sozinha Bells?
- Ficou malucou? Pedi para você pegar o sal para mim no armário!
- Pediu é? Sei...

Ele foi até o armário e abriu.

- Onde está o sal?
- Não sei, procure melhor.
- Não estou vendo por aqui...

Claro que não. A porra do sal estava comigo. Ah, foi a primeira coisa que me veio à cabeça na hora de inventar uma desculpa, né?

- Deixa então amor... eu me viro sem ele.

Ele sentou de novo e ficou ali até que eu terminasse tudo. Era bom ter um namorado que tinha toda a eternidade. Ele nunca tinha pressa de nada.

Bella foi tomar banho e se arrumar depois que a comida estava praticamente pronta. Ela era gostosa e ainda fazia comida gostosa. Parecia Bombril. Eu estava subindo as escadas quando Hazel passou por mim como um jato. Eu dei um grito com ele.

- Hazel!

Ele voltou e parou em pé, me olhando.

- Isso aqui não é pista de corrida. E posso saber desde quando você faz isso?
- Desde hoje!

Eu me lembrei do sangue do meu "pai" fluindo dentro dele. Ok, melhor deixar para lá...
- Não ande assim dentro de casa. Ouviu?

- Sim. Desculpe.

Ele abaixou a cabeça e saiu andando devagar. Notei uma certa tristeza na sua voz.

- O que houve Hazel?
- Meu pai não veio...
Ok, por mais que eu detestasse Lestat, me peguei torcendo para que ele entrasse pela porta neste momento. A cara de Hazel foi de cortar o coração. Eu me agachei de frente para ele.

- Ele disse que vinha, não disse? Então...
- Mas ele não veio até agora.
- Pode ser que ele tenha se atrasado, só isso. Vamos esperar, ok?
- Ok.

Eu o liberei e fui para meu quarto. Bella tinha acabado de sair do banho e estava enrolada na toalha. O cheiro da pele dela molhada entrava pelas minhas narinas e me queimava por dentro. Eu sorri, vendo-a como um animal prontinho para ser abatido.

- Que cara de tarado é essa?
- A minha.
- Edward, nem pense... quero me arrumar.
- Qual é amor... só umazinha antes da ceia.
- Edward!

Eu cheguei por trás dela, levando as mãos até sua coxa, por debaixo da toalha. Sussurrei devagar em seu ouvido.

- Deixa eu te sentir um pouquinho, deixa...
- Não... amor, sério... agora não...

Eu rezei para que ele me ouvisse. Por mais que eu não quisesse, eu sabia que se Edward insistisse um pouco mais, eu acabaria cedendo. Era impossível resistir a ele. Mas eu tinha que ser forte.

- Esse seu não, significa não mesmo?
- Uhum...

Ele me beijou no pescoço e se afastou. Virou para mim e piscou.

- Também vou fazer greve! Me juntarei ao Emmet.

Hahaha como se ele conseguisse!
- Duvido!
- Quer apostar?
- Não.

Ele sorriu maliciosamente e entrou no banheiro. Como eu queria entrar lá com ele... Controle-se Isabella! Estava terminando de me arrumar quando comecei a ouvir um som vindo lá de baixo. Eram... músicas natalinas? Inacreditável. Eu também ouvi um grito no corredor.

- Porra, tirem essa música infernal!

Pela voz, eu sabia que era Jasper. Ele andava revoltado esses dias... ou sempre, não sei.

- BEEELLAAAA!

Corri pelo quarto e abri rápido a porta. Do jeito que me gritaram, o mundo devia estar acabando. Quando cheguei no início da escada, eu vi lá embaixo o rosto de Emmet me olhando.

- Suas amigas chegaram.
- Ah. Ok. Eu já vou descer.

Voltei rápido para o quarto e encontrei Edward pelado. OMG. Ele queria me torturar.

- Voltou é?
- Não terminei de me arrumar.
- Ah sim.

Terminei de pentear o cabelo tentando ignorar aquele homem pelado ali do meu lado. Como se fosse fácil...
Eu estava encostada de costas numa escrivaninha quando ele se aproximou de mim e me imprensou ali.

- Edward...
- Só quero pegar minha carteira.

Ele me imprensou mais ainda e roçou de leve em mim, que estava de saia. Ok, era um plano perverso dele, que tentava me matar.

- Prontinho.
Ele sorriu e se afastou de novo, entrando no closet para se vestir. Irritante!
Eu era mau! Meu plano dera certo. Eu senti seus batimentos cardíacos acelerarem totalmente quando encostei nela. Senti seus pêlos arrepiarem dos pés a cabeça. Ela estava à minha mercê. Mas eu só queria pegar minha carteira. Para porra nenhuma...

- Edward, estou descendo!
- Ok!

Eu ainda estava no closet quando Bella desceu. Do nada eu me lembrei de uma coisa que eu queria fazer há algum tempo. Tinha esquecido, mas ainda dava para fazer. Me vesti rápido e saí pela janela mesmo. Voltaria antes que alguém notasse. Estava dirigindo e procurando alguma merda de mercado ou mercearia aberta. Achei uma e entrei rápido, pegando o que precisava para meu plano. Entrei no carro e dirigi mais, parando em frente ao local. Estava vazio como eu imaginei. Usei minhas técnicas de arrombador profissional e abri a porta. Lá estava, na minha frente, meu alvo. Eu sorri.
 

Lauren e Jess estavam babando em cima do meu cunhado quando cheguei lá na sala. Sorte delas que Rosalie ainda estava no quarto. Elas passavam a mão pelo braço dele, que exibia todo orgulhoso para elas.

- Nunca precisei malhar, senhoritas...
- Nossa, incrível!
- Imagino como deve ser fácil para você, me pegar no colo...
- O que? Está brincando, né? Eu posso pegar uma com cada mão!
- Mentira!

Ele tinha que se mostrar, claro. Emmet riu e levantou as duas pela cintura, uma em cada mão, fazendo-as rirem como quem via o passarinho verde. Nem precisava de álcool para embebedá-las, bastava dar a dose diária de Emmet.

- Coloque-as no chão, Em!

Eu me virei para olhar Alice, que falava com sua voz doce e fina. OMG. Ela estava vestida... de Mamãe Noel?

- Oi Bella!
- Ahn... oi.
- Gostou da minha roupa?

Alice usava uma saia curta vermelha com pêlos brancos na barra, blusa vermelha e... um... gorro. Ela era de longe, a mais empolgada de todos.
- Amei. Mas achei que vocês não gostavam muito do Natal.
- Não gostamos, né? Mas já que vamos fingir... não queria fazer feio.
- Ok.

Jasper juntou-se a nós. Todo de preto.

- Caraca Jazz, que roupa alegre!
- Morra, Emmet!

Meus cunhados transbordavam amor para todos os lados, né? A campainha tocou e Alice abriu sorridente. Era James e Angie.

- Boa noite cambada! Onde estão as presas?
- Presas?

Lauren olhou confusa para James.

- Sim. Estou com fome.
- Você não está se referindo à... pessoas. Está?
- Quem mais?
- OMG. Bella, você nos chamou para sermos a ceia?
- Não!
- Ela tem razão... eu pelo menos já me alimentei. O cozinheiro estava ótimo!

A loira má descia as escadas com um sorrisinho no rosto. Lauren e Jess arregalaram os olhos.

- Não ligue para Rose...

Alice olhava a irmã de cara feia. Isso mesmo Alice, te adoro!

- Já volto, vou ver se Hazel está pronto.

Emmet saiu e a tensão continuou.

- Já podemos matar alguém?
- Jasper!
- O que? Não posso me divertir?
- Jazz! Pare! Comporte-se na frente das visitas.
- Ok.
- E então? Onde está o sangue? Quero beber!
James não conseguia ficar sem me irritar, não é?
- Na adega, vou buscar!

Alice saiu cantarolando "Noite Feliz". Tentei me lembrar por que mesmo eu tinha concordado com essa loucura. Emmet voltou com Hazel, que tinha os olhos negros e a cara fechada.

- O que houve?
- Ele está com fome, mas não quer se alimentar.
Eu o olhei sem entender.
- Por que Hazel?
- Porque sim.
- Mas você vai ficar com fome?
- Vou.

Rosalie sorriu diabolicamente.

- Vai ver o pestinha quer esperar pela ceia... e se alimentar de vocês!

Ele rosnou para ela e levitou, olhando-a nos olhos.

- É mais fácil eu me alimentar de você, do que da Bella!

A loira engoliu seco e fechou a cara.

- Está se achando, né baixinho?

E congelou. Hazel continuou levitando e sorriu.

- Acho que você fica mais bonita aqui. Tchau!

Ele voltou ao chão e pegou minha mão, me puxando para a sala de jantar.
Quando entrei em casa dei de cara com Rosalie parada, com o olhar perdido. Mas que porra...?
Isso só podia ser coisa de Hazel, era óbvio! Passei pela estátua e fui até a sala de jantar, que era de onde vinham as vozes. Estava todo mundo ali, exceto a estátua.

- Alguém lembra de uma loira imóvel lá na porta?
- Edward, onde você estava?

Bella levantou e veio me abraçar.

- Dei uma saidinha... fui preparar meu presente para vocês.
- Vocês quem?
- Ah, você, Jess, Lauren e Angie.
- Você... vai dar presente para minhas amigas?
- Na verdade é um presente para as quatro.

Ela torceu a cara.

- O que é?
- Vou pegar, peraí.

Voltei até o carro e peguei o presente. Entrei com ele na sala de jantar e todos me encararam.

OMG.
- Jake?

Emmet estava gargalhando enquanto eu olhava horrorizada. Não creio que Edward teve coragem de fazer isso de novo...

- Feliz Natal meninas!
- Edward, você odeia o cachorro, não é?
- Não Angie! Não gostou? Fiz para deixá-lo no espírito natalino!

E estava mesmo. Jake agora tinha um moicano verde e vermelho. Mil vezes pior que antes.
- Ele é feio de qualquer jeito... até banhado em ouro...

Lauren soltou seu veneno e Angie olhou feio para ela, rosnando alto.

- Eu achei lindo!

Jess falou sorrindo, mas o sorriso se desfez e ela começou a rir.

- Desculpem, eu tentei... sério, ficou horrível.
- Edward, a próxima vez que você tocar no meu cão, eu farei pessoalmente um moicano em você também!
- Angie, ele não fez por mal...

Era o que eu esperava.

- Um moicano no Cu? Uau, va ficar show! Imagina, cu raspado!
A campainha tocou e nossa mamãe Noel correu para atender. Eu escutei Alice rindo e me virei para ver quem chegava. Eu entendi porque ela estava rindo.
- Pai!
Hazel correu. Tinha um Lestat parado na entrada da sala de jantar. Eu sempre me esquecia de como ele era... Chega Isabella!
- Hazel...
Lestat o levantou e sorriu para ele, mas franziu a testa logo depois.
- Ninguém te alimenta aqui? Edward!
- Eu falo! Ele não quer comer...
Emmet estava de braços cruzados de frente para Lestat.
- Não quer? Hazel?
- Eu não ia comer se você não viesse!
- O que? Virou chantagista?
Eu não entendia o que Hazel via em Lestat. Também não entendia o que Alice e Bella viam nele. Olhei melhor para Bella e me aproximei dela, sussurrando em seu ouvido.
- Fecha a boca amor...
Ela virou-se para me olhar sem-graça e sorriu.
- Estava olhando Hazel, ok? Antes que você pense maldade.
- Eu? Não pensei não.
Hazel, sei. Me engana que eu gosto... Se tratando de Lestat, eu não ligava. Sabia que não era só com Bella que isso acontecia. Era com qualquer mulher. Por mais forte que ela fosse. Suspirei e fui me sentar ao lado de James, que parecia irritado.
- Angela!
- O que?
- Pare de babar!
- Não estou babando James!
- Claro que está.
Não era só eu que sofria com Lestat. Emmet riu.
- Ainda bem que minha mulher está congelada.
Lestat colocou Hazel no chão e se aproximou de nós.
- Por falar nisso, o que é aquilo? O que houve com a loira?
- Seu filho.
- Hazel? O que tem ele?
- Ele fez aquilo lá.
Lestat olhou para Hazel com uma sobrancelha arqueada.
- Eu fiz mesmo!
- O que exatamente você fez?
- Hipnotizei a loira chata!
Lestat me olhou surpreso.
- Como?
- Eu só posso imaginar que seja o sangue de Vlad.
- Ah. Claro. Por um momento eu esqueci disso.
Lestat fechou a cara e estendeu o pulso para Hazel.
- Beba um pouco.
O pequeno obedeceu perfeitamente ao pai.
- Ele não vai mais ter o sangue do Vlad?
Bella me perguntou baixinho em meu ouvido.
- Vai, claro. Ele apenas está se alimentando.
- Mas... é outro sangue.
- Não importa. Se fosse assim, eu não teria mais a descendência de Vlad também... visto que eu não bebo apenas o sangue dele.
- Ah.
Aquilo era confuso demais para mim. Talvez um dia eu conseguisse entender tudo. Ou não.
- Podemos ceiar?
Todos olharam para a cara de Jess. Lestat olhou para Edward.
- Agora que percebi a presença de humanos... você me chamou mesmo para uma ceia de Natal, Edward?
- Bem, Hazel queria...
Lestat andou até Jess e parou na frente dela, que amoleceu em seus braços. Não Jess... não...
- Minha ceia será você?
- Pode... ser...
Ele sorriu.
- Então podemos ceiar.
Eu peguei rápido Jess pelo braço e a puxei das garras do príncipe.
- Tem sangue engarrafado para vocês! Não precisa comer minha amiga.
- Eu QUERO ser comida, Bella! Me solta!
- Não quer não idiota... não é comida nesse sentido, ok?
Lestat riu alto e falou lentamente.
- Pode ser nesse sentido também.
- Viu? Me solta!
Ela se soltou, mas Lauren chegou nele antes dela. A patricinha loira tirava o cabelo do pescoço e inclinava para ele.
- Pode me morder, me bater, me jogar na parede e fazer um buraco nela. E em mim também. Pode fazer tudo que quiser!
OMG. Que vergonha...
- Não sabia que esse fim de mundo era tão... receptivo. Devia ter me dito isso antes Edward, eu não teria demorado tanto para vir.
- Não achei que você fosse ficar à vontade com essa... situação.
- Edward, Edward... se tem algo que eu goste mais do que sangue, esse algo, é mulher.
- Hazel, desfaça a hipnose de Rosalie, para podermos ceiar.
- Mas ela...
- Hazel!
Edward falou grosso com ele, que foi até a entrada e provavelmente liberou Rosalie, devidos aos resmungos que ouvimos.
- Olha aqui sua peste, a próxima vez que você...
Ela parou olhando para Lestat. E então brincou com os cabelos de Hazel.
- Lindinho! Depois a gente brinca mais, ok?
Nos sentamos à mesa, enquanto Bella e Jess traziam o restante da comida... delas. A nossa, bebida, Emmet e Jasper estavam trazendo. Enchemos as taças e Bella ergueu a sua.

- Eu sei que todos se odeiam, mas... podemos brindar?
- Eu não odeio a todos. Só a vocês...
- Certo Rose. Obrigada pelo esclarecimento.
- Disponha.
Eu puxei o brinde para não deixar minha amada no vácuo. Depois disso as coisas começaram a fluir, enquanto os humanos comiam sua comida nojenta, nós bebíamos alegremente. Eu posso dizer que o sangue confundia rapidamente com o vinho, devido sua cor. Bem, nós nunca confundiríamos uma coisa com a outra, mas... nem todos ali eram vampiros.

- Putz, esse peru está bom demais!
- Isso porque você ainda não provou o meu...
Lestat e sua delicadeza fizeram Lauren engasgar, e como ela estava sentada ao seu lado, nada mais normal o que ela fez. Pegou rápido sua taça e deu um grande gole, fazendo cara feia.
- Nossa! Quem comprou o vinho? Está estragado eu acho...
Lestat o olhou sorrindo maldoso.
- Essa taça é minha.
Bella começou a rir do meu lado.
- OMG!
A patricinha arregalou os olhos e ficou histérica.

- Eu bebi sangue? Eu bebi sangue?
Ela saiu correndo da mesa e sua mente dizia que ela ia ao banheiro vomitar.
Depois que todo mundo encheu a pança (os humanos, porque os vampiros bebiam horrores e continuavam perfeitos), eu aproveitei a deixa.

- Podemos trocar presentes agora?

Todos me olharam. Quer dizer, todos os vampiros.

- Presentes?
- É.

Alice se apavorou.

- Eu nem me toquei! Eu... eu...

Parecia que ela ia chorar.

- Tudo bem, Alice, não tem problema...
- É bom mesmo não ter. Eu não ia comprar presente para vocês!
- Certo, Rose.
- O que exatamente eu estou fazendo aqui?
- Você veio me ver, pai!

Eu os deixei falando sozinhos e subi para pegar meus presentes. Quando voltei, eles estavam sentados nos sofás da sala, com cara de poucos amigos. Animação total!
- Bem, os das minhas amigas eu dou depois... só trouxe os de vocês.

- Não precisava amor...
- Obrigada Bella!

Alice me abraçou e eu lhe entreguei o seu, que ela abriu rapidamente.

- Nossa, que lindo! Amei Bella!

Ela colocou a gargantilha na mesma hora e sentou sorrindo. Eu aproveitei para entregar o de Rosalie, que pegou a caixa com uma super má vontade. Ela abriu, olhou o presente e voltou a me olhar.

- O que é isso? Me chamou de feia?
- Eu? Não!
- Por que está me dando maquiagem então? Para eu esconder algum defeito?
- Não! Eu... eu...
- Que seja.

Ok.
Peguei os de Jasper e Emmet, já com medo da reação deles ser igual a da loira má.

- Jasper... espero... que goste.
- Espero que seja uma passagem para o inferno! Ah, esqueci... eu já estou nele.
- Ah. Ok.

Ele abriu com tédio e me olhou.

- Obrigado pela cueca.
- Cueca? Hahahahaha!

Emmet gargalhou. OMG. Edward me olhou espantado, assim como Alice e todos os outros. Rosalie estava concentrada em lixar a unha.

- Eu não sabia o que te dar...
- Claro que não. Porque eu não sou interessante.
- Não Jasper...
- Ok, Bella, obrigado, ok?

Emmet puxou a caixa da minha mão, super ansioso. Ele saiu rasgando o papel e puxou a cueca de dentro. Eu não olhei para ver se os outros me olhavam.

- Por que a dele é maior?
- Porque ele é... maior.

Eu ouvi Edward estalar os dedos das mãos. E os dos pés. E o pescoço. E senti um hálito gelado no meu pescoço.

- Você não deu uma cueca para o meu homem...
- Calma Rose! Ela só quis ser gentil...
- Não se meta Emmet!

Hazel veio me defender da loira má, parando na frente dela e mostrando os dentes.

- Hazel, não se meta...
- Ela não encosta na Bella, pai!

Edward levantou.

- Eu acho que posso defender minha namorada, Hazel...
- Não precisa!
- Ora seu peste, sai do meu caminho!

Rosalie então tentou empurrá-lo e foi jogada contra a parede. O medalhão de Hazel brilhava e ele rosnava com os dentes expostos e os olhos negros.

- Hazel! Pare!

Ele não ouviu a ordem de Lestat e Edward resolveu sentar de novo. Como assim?

Que se dane. Rosalie precisava sofrer um pouco. Achei melhor deixar Hazel se divertir. Era meu presente de Natal para ele. Ela levantou feroz e voou na sua direção, dessa vez com muita força. E eu simplesmente não acreditei, quando ele evaporou como Vlad costumava fazer, e Rosalie se estabacou na outra parede.

- OMG.
- Hazel?

Lestat levantou, olhando em volta.

- Hazel?

Rosalie levantou mais puta do que antes.

- Você vai morrer pelas minhas mãos, praga!

Lestat voou no seu pescoço, quase enforcando-a.

- Tente.
Hazel voltou, surgindo no meio da sala.

- Deixa ela pai... eu gostei de brincar!
- Hazel!
- Ok, vou só pegar meu presente de Natal...

Ele era rápido demais. Mais rápido do que eu! Em menos de 3 segundos Hazel beijou Lauren e Jess na boca, deixando-as atordoadas. Eu ri daquilo.

- Está aprendendo rápido...

Lestat soltou Rosalie e foi até o menino.

- Hazel, da próxima vez que eu disser para parar, pare.

Hazel revirou os olhos e riu.

- Pai... fala com a minha mão!

Lestat ficou pasmo, olhando Hazel ir em direção às escadas. Antes dele sair da sala, ao se aproximar de Bella, ele levitou extremamente veloz e beijou Bella.

- Esse Natal é muito chato, vou para meu quarto.

Eu levantei para correr atrás dele, mas a peste evaporou.

- Hazel! Uma hora você terá que aparecer!
- Uau!
- Pena que é tão pequeno...

Lauren e Jess ainda estavam suspirando por Hazel.

- Acho que... já entreguei os presentes.
- Já mesmo?

Edward me olhou de cara feia.

- Sim. O seu eu entrego depois.
- Quando?

Que pessoa mais impaciente!

- Quando formos dormir, pode ser?
- Aê Edward! Hoje vai ter...

Emmet só abria a boca para falar besteira. Edward puxou minha mão, me arrastando pela sala.

- Boa noite, estamos indo dormir.
- Edward!
- Vamos Bella.

Nós entramos rápido no quarto, que ele fez questão de trancar.

- Cadê meu presente?
- Nossa, mas você disse que não precisava...
- Menti.
- Certo... então... espere.

Eu me virei para ir ao banheiro mas ele segurou minha mão.

- Não. Deixe-me dar o seu antes.

Edward me colocou sentada na cama e puxou uma cadeira. Entrou no closet e saiu de lá segurando um violão. Ele sentou-se na cadeira e dedilhou as cordas do violão.

Música (na fic, ela foi composta por Ed):


Eu estava me desfazendo em lágrimas enquanto ele tocava e cantava sem desviar os olhos dos meus. Legal, meu presente era... nada, comparado com o dele. Por que ele tinha que ser sempre o perfeito do casal?

- Eu te amo.

Ele sussurrou as palavras e então eu me dei conta de que ele já tinha acabado de tocar.

- Eu também.

Ele sorriu e colocou o violão encostado na cama.

- Gostou? Você me pegou desprevenido com esse lance de presente. Eu tive que... pensar nisso agora.
- Você quem compôs a letra?
- Sim. Tive que pensar enquanto tocava.

Ah pára! Ele não falou do nada... não era possível.

- Quer dizer que você simplesmente, compôs enquanto tocava?
- Isso. Foi muito ruim?
- Cala a boca Edward! Irritante!

Ele sorriu e sentou na cama ao meu lado.

- E o meu?
- O seu?
- Meu presente.
- Ah sim. Bem, não chegará nem aos pés do seu... mas vamos lá.

Me levantei e fui ao banheiro.

- Já volto.

Por que Bella era tão dramática? Não podia simplesmente me dar o presente? Eu estava com medo de que fosse uma cueca. Ou meia. Ou qualquer outra coisa de vestir. Ela demorava séculos lá dentro.

- Bells, estou envelhecendo aqui!
- Calma!

Fácil falar... daqui a pouco o presente seria para o Natal do ano que vem.

- Ok, está pronto?

Para que exatamente?

- Sim.

Ela abriu a porta do banheiro e saiu. Nua. OMFG.

- Esse é meu presente? Bells... eu posso arrancar sua roupa a hora que eu quiser!
- Cale-se! Seu presente não sou eu pelada. É ela!

Então eu olhei melhor com ela se aproximando. Eu percebi que ela tinha se depilado muito. Quase totalmente. Mas... tinha algo ali. Tinha... uma letra E. OMG.

- Não creio.

Ela sorriu envergonhada, corando as bochechas. Minha namorada tinha se depilado na forma da letra E. Chupa essa manga!

- Vem cá, vem...

Ela andou devagar até mim e parou na minha frente. Eu acho que estava babando.

Ele segurou minha cintura e sorriu. Ok, pelo sorriso torto que ele dava agora, isso já tinha valido a dor que eu senti.

- Bells, você sabe que esse E pode ser tanto meu quanto de Emmet né?

Eu o olhei sem acreditar nisso. Ele sorriu.

- Acho bom mesmo que seja meu.
- Vai à merda Edward!
- Bem... para lá eu não vou não. Eu vou... aqui.

Meus joelhos vacilaram quando ele me beijou. Quer dizer, quando ele a beijou. Edward levantou os olhos e piscou para mim.

- Delícia.

Ele levantou e puxou meu pescoço, invadindo minha boca em busca da minha língua. Céus como esse homem era bom. Acho que eu gozaria fácil só com ele me olhando. Vocês me entendem, certo? Eu tirava rápido a blusa dele enquanto suas mãos percorriam meu corpo. Ele desceu a boca para meu pescoço e foi me lambendo até a orelha. Edward mordiscou o lóbulo e sussurrou para mim.

- Eu quero cada pedaço seu. Beijado, mordido e lambido.

Morri nos braços dele.
- Amor, não derreta.
- Eu não estou... fica quieto Ed!

Ele era irritante! Mas de uma maneira boa, muito boa. Ele me jogou na cama e veio engatinhando por cima de mim, lambendo minhas coxas, passando pela virilha, subindo pelo umbigo e chegando nos seios. Não tinha mais pêlo para arrepiar. 

Seu corpo quente e os tremores que passavam por ele me deixavam mais louco ainda. Ela agarrou meus cabelos e implorou.

- Edward... vem logo...
- Já estou aqui amor...

Eu não dei papo a ela e desci me esfregando lentamente no seu corpo nu. Agora eu encarava meu presente de Natal. Passei a língua pelo contorno da letra E e abri delicadamente com os dedos, vendo-a piscar para mim. Talvez um dia eu a ensinasse a chamar pelo meu nome.

- Não me tortura!
- Não vou.

Eu não ia mesmo. Ia era matá-la de prazer essa noite. Lambi devagar o fruto proibido que já estava ensopado de tesão. Ela se contorceu no primeiro contato da minha língua fria e apertou meus ombros. Eu fiquei um tempo ali, circulando o clitóris de vez em quando e então penetrei-a com a língua. Bella 
gemeu.

OMFFFFG! Puta que pariu! Ele queria me matar! Fato!

- Edw...

Sem condições de falar. sem condições de pensar em nada, com a língua dele entrando e saindo de dentro de mim. O filho da mãe ainda a mexia dentro de mim. Eu acho que estava perdendo os sentidos. Inconscientemente, eu agarrei seus cabelos para que ele não se afastasse dela em hipótese alguma, nem se o mundo estivesse acabando. Eu o senti rir, mas ficou quieto. Edward levou uma mão até a calça e abriu o zíper e o botão. Isso! A eletricidade percorreu meu corpo e eu tremi, gemi, gritei e me debati na cama, com dificuldade até para respirar.

- Foi rápido esse Bells...

Ele levantou a cabeça sorrindo maliciosamente e abaixou de novo, lambendo e chupando cada milímetro dela.

- Edward...

Ele se ajoelhou na cama e abaixou a calça. Dessa vez ele usava boxer branca. Perfeito.

- Vem...
- O que? Você quer mais? Estou cansado!

Eu usei o que restava de força em mim e me inclinei, puxando-o pela cueca.
- Nossa, estou sendo quase estuprado!
- Haha. Pronto, eu ri. Agora faça o que você nasceu para fazer!
- Quer que eu te morda?

Caralho...

- Não Edward! Quero que me coma!

Ele tentou ficar sério, mas não agüentou e riu.

- Certo, vou comer só porque fiquei com medo de você...

Ele piscou e mordeu a boca me torturando com aquela cena. Abaixou a cueca devagar, quase que na velocidade da tartaruga. Mas eu fiquei feliz quando vi aquele... Edward Jr apontado para mim, pronto para ser usado...

- Foi esse o presente que Papai Noel deixou na minha cama?

Ele riu e passou a mão pelos cabelos nojentos. Eu não era a única desesperada ali pelo visto. O Edward Jr parecia querer explodir e estava melado já. OMG. Eu puxei Edward pelo pescoço e o beijei.

Eita que eu nunca vi Bella desse jeito! O que tinha no tempero da comida? Ia comprar e fazer estoque em casa.

- Safada!

Eu falei enquanto passava a língua pela sua orelha e abria suas pernas.

- Você quer ele, quer?
- Aham.
- Muito?
- Muito...
- Ok. Coloque ele lá então...

Ela me olhou com raiva e eu sorri.

- Quer tudo de mão beijada? Faz alguma coisa Bells.
Ela resmungou e se entortou toda para pegá-lo com sua mão delicada, que me levou à loucura. Opa. Ela não estava só pegando não.

- Bells, leve-o para onde ele tem que ir e pare de brincar pelo caminho...

Ela riu e me deu língua. Oh céus. Eu apoiei as mãos no colchão para não cair em cima dela. Ela... estava... ela...

- Gosta?
- Cla-claro...

Ela sorriu e parou com o movimento.

- Agora podemos continuar.
- Perdeu a noção do perigo?
- Não, é só para te torturar como você faz comigo...

Eu quis matá-la, mas ao invés disso eu a ajudei discretamente, fazendo-a achar que o mérito do encaixe foi totalmente dela.

- Satisfeito?
- Agora sim.

Eu deslizei com dificuldade pela passagem apertada, mas fui até o final de uma vez só, fazendo-a repetir meu nome umas cinco vezes. Parecia disco arranhado. Ela contraiu os músculos, me matando de tesão, me esmagando dentro dela. Eu precisei gritar.

- Caralho, eu amo o Natal!

Eu sentia cada centímetro meu sendo preenchido por ele. Edward se movimentava devagar, e agora ele me beijava docemente, contornando meus lábios com a língua.

- Eu te amo, Isabella Swan.
- Bem, se você me fizer gozar de novo, eu direi o mesmo.

Ele riu e aumentou o ritmo, roçando os dentes nos meus lábios e depois indo para o meu pescoço.

- Posso?
- Pode...

E eu lá negaria alguma coisa a ele? Nunca! Eu nem senti mais tanta dor, quando ele cravou os dentes dessa vez. Edward me apertou na cintura e me levantou super rápido que eu fiquei tonta. Quando voltei ao meu estado normal, vi que estávamos sentados um de frente para o outro, entrelaçando nossas pernas. Ele me movimentava segurando na minha cintura e me chupava o pescoço. Eu não vi uma gota de sangue derramado.

- Ok. Eu te amo Cullen.
- Eu sei disso.

Convencido. Eu dei um tapa nele e o abracei, abrindo-me o máximo que eu conseguia, deixando seus pêlos roçarem em meu clitóris. OMG. Lá vinha a falta de ar e o arrepio. E os tremores e os gemidos e os gritos. E eu arranhava suas costas enquanto ele enterrava tudo em mim, arfando desesperadamente. Nós provavelmente chegamos juntos. Me deixei cair nos seus braços rígidos e esqueci da vida ali, enquanto ele lambia a ferida da mordida para fechá-la.



<<< Capitulo 25                                           Capitulo 27 >>>

2 comentários :

ADOREI!!!!!

ASS:MARIANA

Anônimo
14 de fevereiro de 2011 21:46 comment-delete

Ameiiii...
Quero um edward desse pra mim... Me arruma um???
Por favor...
bjks

14 de fevereiro de 2011 23:07 comment-delete

Postar um comentário