OP - Capitulo 14

Capitulo Quatorze

Ele me ama

Senti as lagrimas escorrendo pelo meu rosto, e até dirigir estava difícil, parei em um acostamento para me acalmar, ele realmente só estava brincando comigo.

E eu a idiota havia caído como um patinho.

Toda a nossa noite passou por minha cabeça, e eu realmente acreditei que Edward me amava.

Idiota, idiota, burra.

Eu sou mesmo uma boba inocente como ele dizia, assim que as lagrimas deram uma pausa eu voltei a dirigir.

Queria o colo da minha mãe, mais ela não podia saber onde eu estive ou o que eu estava fazendo, ela ia me matar e meu pai castrar o Edward. E a idiota aqui, não quer isso.

Afinal ainda amo ele.

Logo a única pessoa em quem eu podia confiar me veio a mente, e dirigi o mais rápido em direção a casa de Alice.

Ela não ia me exigir explicações, e ela havia dito que estaria lá por mim. Estacionei o carro em frente à casa dos Cullen, e peguei meu celular, ele estava desligado, e o liguei.

Tinha uma mensagem dos meus pais, e varias ligações perdidas de Edward. Pensei em ligar, mais não, ele só ia me magoar mais.

Disquei o numero da Alice, e ela atendeu alegre.

-Alooou. – eu ri meio chorosa.

-Bella, o que houve?

-Miga me empresta seu ombro.

-Claro, onde você esta?

-Na frente as sua casa. – dei uma fungada e quando vi Alice estava do meu lado.

-Nossa como você é rápida. – ela riu e me ajudou a sair.

-Oh amiga, o que houve?

-Eu posso só chorar no seu ombro.

-Claro que sim. Vamos colocar uns filmes tristes e comer muito sorvete. – eu assenti e fui com Alice para dentro da casa.

Estávamos assistindo “A historia de um grande amor” quando a campainha tocou, estava na parte em que eles se reencontram e eu não parava de chorar. Alice afagava meus cabelos, pois minha cabeça estava em seu colo. Ela me deu um beijo na testa e desceu as escadas correndo.

Alice demorou tanto que o filme já tava na parte em que o noivo, o outro veio atrás dela e ela decidiu ficar com o grande amor dela.

Caramba, cadê Alice pra me consolar aqui, essa parte do filme é muito linda pra ver sozinha, ainda mais quando seu amor te deu um chute.

Ouvi um barulho estranho na janela, sequei as lagrimas, a janela estava encostada e logo uma mão apareceu, soltei um grito pensando que era um ladrão.

-Da uma ajudinha Bella?

-OMG, como sabe meu nome ladrão?

-Isabella. – Edward?

-Edward? – logo seu cabelo bronze aparecia e ele todo saltando pra dentro do quarto, olhei atônita pra ele.

-Valeu pela ajuda. – ele resmungou e eu voltei a chorar, ele correu até mim e me abraçou apertado.

-Oh, Bella, amor, não chore, estava brincando. – eu o empurrei.

-O que faz aqui? Você não tinha uma viagem...

-Que se dane a viagem. – ele me interrompeu e me puxou pelos ombros me fazendo ficar de frente pra ele.

-Edward... – ele não me deixou terminar e me beijou, sua boca se moldando a minha, sua língua invadiu minha boca com urgência, e me agarrei a ele, infiltrando minhas mãos em seu cabelo, “é eu sou fraca”, suas mãos já passeavam pelo meu corpo, e me senti excitada.

-Não. – me separei dele, e ele me olhou confuso.

-Que foi?

-Você só veio dar uma rapidinha. – eu o acusei, e lógico que corei violentamente devido à palavra rapidinha. Ele rolou os olhos.

-Bella não seja boba.

-Como não Edward. Eu finalmente me entreguei a você e na manhã seguinte você já esta de partida.

-São só alguns dias.

-E com certeza você vai voltar com uma noiva.

-O que?

-Eu não sou boba, você me usou. – e as lagrimas voltaram e ele me puxou de encontro ao seu peito, e apoiei a minha cabeça ali, “já disse que sou fraca”.

-Minha doce e inocente Bella eu te amo. – OMG eu to ouvindo coisas. Afastei-me dele olhando em seus olhos. Ele sorria para mim, senti seus polegares em minha bochecha, secando as lagrimas teimosa.

-Você esta falando serio? – ele sorriu torto, e roçou seus lábios nós meus.

-Contra toda a lógica eu não posso viver sem você Bella, mais eu entendo se você não me quiser... – calei sua boca o beijando com ardor, ele ficou meio chocado, mais se recuperou rápido, e sua língua já sugava a minha com ardor.

-Você me deixa louco. – ele sussurrou contra meus lábios descendo beijos, por meu pescoço e ombro.

Eu puxei seu rosto para ele me encarar e sorri roçando meus lábios nos dele, subi a minha boca sobre sua bochecha, onde depositei um beijo, e continuei subindo, dando pequenos beijos em seu pescoço, atrás da sua orelha, mordisquei o lóbulo sussurrando, “Eu te amo”, e voltei a olhá-lo.

Edward sorria com todos os seus dentes a mostra e me beijou, joguei meus braços em seu pescoço me pendurando nele e senti meu corpo ser levantado e cai sobre a cama de Alice.

A boca dele percorria minha pele, e me sentia doida por ele, seus lábios estavam na alça da minha regata, a puxando para o lado onde ele mordia meu ombro, senti suas mãos no botão da minha calça, e o empurrei.

-Edward!

-O que? Nós não estamos bem?

-Sim, mais eu não vou dar pra você na cama da minha melhor amiga. – ele bufou e se levantou de cima de mim.

-Tudo bem, vamos pro hotel.

-Edward.

-Mais o que é agora? Você já deu pra mim lá.

-OMG. – corei furiosamente e ele riu alto, o empurrei da cama e ele caiu no chão, me olhando feio.

-Desculpa. Mais você não tem uma viagem não. – ele fechou os olhos com força.

-Merda, Emmett vai me matar. – ele ficou de pé e me deu um selinho. Mas parece que somos dois coelhos, e sua língua já invadia minha boca, e suas mãos apertavam minha bunda, o empurrei rindo.

-Aonde esta Alice?

-Ah eu me livrei dela. – arquei uma sobrancelha e ele sorriu culpado.

-O que você fez?

-Bem, eu disse que tio Carlisle precisava que ela levasse um livro pra ele.

-Oh, e ela foi?

-Sim, eu disse que cuidava de você até ela voltar.

-E olha que ela é minha amiga em.

-O que quer dizer com isso?

-Que ela não podia me deixar só, eu estava sofrendo. – ele afagou minha

bochecha.

-Eu sinto tanto. – eu neguei e o abracei.

-Não importa mais me responda uma coisa. Por que subiu pela janela? – ele enlaçou minha cintura, e beijou minha testa.

-Bom primeiro por que achei que você não abriria a porta para mim.

-Hummm, verdade eu não ia, e qual o outro? – ele sorriu mais.

-Era pra ser romântico sabe mais ver você chorando e eu me desesperei. – eu sorri como boba e me pendurei em seu pescoço e beijei todo seu rosto.

-Foi perfeito.

Com muita dificuldade nós separamos, e ele teve que voltar pro hotel, ainda tinha que explicar para Emmett, por que perdeu o avião, me senti uma idiota, ele disse que a culpa era dele.

OMG ele tava cada vez mais perfeito. Alice chegou uma meia hora depois que seu Edward saiu, eu estava assistindo, o bob esponja e dando gargalhadas como se tivesse cinco anos.

-Olha só alguém melhorou, já passou da fase da choradeira. – eu sorri sem graça.

-Na verdade eu nem cheguei a terminar a fase da choradeira. – ela me olhou com uma sobrancelha arqueada.

-Vai me contar?

-À noite, venho dormir aqui e fofocamos a noite toda.

-Tudo bem. – terminamos de ver o bob esponja juntas e Alice me contou sobre o baile, que foi tudo perfeito, e Mike perguntou de mim.

-O que você disse?

-Que você se sentiu mal, e voltou para casa.

-Nossa, obrigada Alice.

-Obrigada nada, à noite você não me escapa. – engoli em seco, e tentei mudar de assunto.

-Alice, a hora da minha fossa aonde você tinha ido?

-Arg, nem me lembre se eu ver Edward Masen ele ta morto.

-Por quê?

-Ele inventou que meu pai precisava de um livro urgente. Até te deixei pra levar esse livro, e quando cheguei lá meu pai me olhou com mó cara de “CUMÉ”.

-Que maldade. – falei fazendo cara de amiga preocupada, ela ia me matar mais tarde também, to frita.

-Nem fala. Pelo menos ele te fez companhia né?

-Sim, ele foi um amor. – Alice sorriu animada, e meu celular tocou.

-Alo. – tava com medo de falar os Alooou da vida.

-Bella querida, me conta tudo.

-Oi mãe.

-Me conta tudo. – ela repetiu e eu ri, dando um até mais tarde a Alice, e fui pra casa inventando algumas coisas sobre o baile.

Menos a parte em que eu dancei com um príncipe e me apaixonei, ela pensou que fosse um colega da escola, e não pude negar.

Isso me fez temer como meus pais reagiriam a Edward, será que iam aceitar?

Ou me trancar no meu quarto pra sempre?

E o pior, será que Edward enfrentaria meus pais por mim?

Continua...

0 comentários :

Postar um comentário