OAV- Capitulo 5


Nem queria pensar no que poderia acontecer se Charlie descobrisse de ontem, ou talvez das quase conseqüências de ontem. Avô querido, eu conheço aquela reserva muito mais do que o senhor pode imaginar.

**

Hoje, por incrível que pareça, havia um belo sol em Forks. Como diria minha mãe, um milagre da natureza. Optei por vestir algo mais leve e peguei um vestido estampado e sapatos sem salto.

* Nessie *
 


Tomei um banho, coloquei meu vestido e dei um “than” nele com um cinto rosa. Peguei uma faixa e coloquei em meu cabelo, calcei meus sapatos e fui até a sala, onde meu avô me aguardava.

- Já que ir vô?
- Ainda é um pouco cedo. Você esta bonita...
- Obrigada. Então, irei à casa da minha Tia vê-la.
- Mais não passou o final de semana todo com ela? – Opa.
- Er... Sim, mas ontem à tarde eu vim para casa e fiquei com Claire aqui, nem voltei a dar noticias.
- Tudo bem, não demore muito sim?
- Pode deixar.

Peguei a chaves do carro e fui até a casa de Alice. Apertei a campainha e ela apareceu em minha frente, toda bonita e com aquele sorriso deslumbrante.

- Nessie!
- Hei Tia!

Ela me abraçou forte e me encheu de beijos.

- Veio em ótima hora, Carlisle e Esme estão aqui.
- Que ótimo!
- Alias, excelente escolha... Amei o vestido com o cinto.
- Tive com quem aprender. – dei uma piscadela para ela.
- Vamos, entre.

Entrei e avistei meus avós sentados no grande sofá branco de Alice, conversando animadamente com Jasper. Abracei cada um e sentei entre eles.

- Não consigo me acostumar, minha neta é muito linda.
- Puxou a mim. – disse Carlisle convencido.

Olhei para Alice com olhar de suplica, tentando dizer que precisa falar com ela imediatamente, e ela me entendeu.

- Nessie, por que não vem até a cozinha me ajudar?
- Claro.

Pus-me de pé e fui com ela até a cozinha. Sentei à mesa e peguei uma pêra para comer, enquanto ela me olhava curiosa.

- Conte-me.
- Eu fiquei com Jacob.
- O BLACK? – por que ela tinha que gritar?
- SHH! Fala baixo tia. É ele sim.
- Quando foi isso?
- Ontem a tarde. Na verdade passamos uma tarde maravilhosa juntos na reserva e a noite fui na casa dele.
- Na casa dele? Nessie...
- Tia, fica calma, não aconteceu nada. Fizemos uma fogueira e ficamos bebendo vinho no quintal depois ele me deixou em casa.
- Se Charlie fica sabendo que Jacob esteve na casa dele, de madrugada, com a neta dele e ainda por cima alcoolizada, ele enfarta.
- Credo tia, não fale isso.
- Ok, mas me conte. Vão ter algo mais sério?
- Ele quer mudar e pediu minha ajuda.
- Você sabe que isso pode te fazer sofrer não sabe querida? Afinal ele quer mudar, o que significa que ele não mudou ainda.
- Mais estou disposta a fazer isso tia. É uma maneira de ajudá-lo, conquistá-lo e ficar perto dele. Jake me faz bem.
- Você esta apaixonada por ele.
- Não estou não.
- Esta sim. Como se eu não conhecesse minha única sobrinha...
- Vou almoçar com ele. Hoje.
- Nossa, mais já é oficial assim?
- Não, Charlie vai pra lá e quer que eu vá junto.
- Certo, mas tome cuidado. O coração às vezes nos faz fazer coisas impensadas, que pode fazer com que se arrependa depois.
- Ou não.
- É, ou não. Enfim, boa sorte. E não me esconda nada.
- Pode deixar tia, obrigada mesmo.

Voltei para buscar Charlie, que me olhava desconfiado, tentei não prestar atenção na desconfiança dele e sim me preocupar com o fato de ele não querer entrar no meu carro.

- Eu não vou nesse carro ainda mais com você dirigindo.
- Vô, eu não vou nessa sua caminhonete velha. Venha, eu irei dirigir de vagar, promento.
- Tudo bem, tudo bem... Mais devagar.
- Ok, devagar. – disse revirando os olhos e entrando no carro.


Liguei o som e fui em direção a La Push. Eu estava viajando na musica e ao mesmo tempo estava ansiosa para saber qual seria a reação de Jacob ao me ver. Almoçar junto com ele deveriam ser maravilhoso, ainda mais com meu futuro oficial sogro.

- Nessie.
- Sim?
- Como sabe o caminho de La Push?
- Er... Er... eu não sei. Estou apenas seguindo as placas.
- Sei... te guiarei ok?
- Ok.

Charlie ficou me guiando e eu fingi que não sabia mesmo onde ficava a casa dos Black. Assim que avistei a grande casa vermelha, meu coração parou de bater. Estaria Alice certa? Eu estou apaixonada por Jacob Black? Não, não pode ser. Não agora. Estacionei meu carro e saímos, indo em direção a casa do meu sogro. Jake que veio nos atender e ficou surpreso com a minha presença, mas era uma expressão surpresa diferente, como se estivesse constrangido.

- Jake, esta acontecendo alguma coisa?
- Comigo? Er... Não!
- Sei...

Billy nos convidou a entrar e logo fomos nos acomodando.

- Que bom que estão aqui. Hoje temos uma surpresa. – disse Billy.

Reparei que Jacob coçava a cabeça, a garganta e que estava vermelho. Estaria ele escondendo algo de mim? Era melhor não.

- Que surpresa? – perguntou Charlie.
- A namorada do Jacob, que estava morando em Denver, no Colorado.
- NAMORADA? – gritei e só depois percebi que todos olhavam para mim.
- Nessie querida, esta tudo bem? – meu avô perguntou.
- Esta tudo ótimo. – respondi raivosa, encarando Jake, que não tinha coragem de olhar na minha cara.
- Michelle já esta saindo do banho para se juntar a nós para o almoço.

Fiz um sinal para Jacob, dizendo que queria falar com ele naquele exato momento, ou ele era um homem morto. Demos um jeito e escapamos para o quintal. Uma fúria me consumia por dentro, eu queria destroçá-lo, era algo que  eu não consegui dominar.
A única coisa que fiz, foi me jogar em cima dele e socar sei peitoral com toda a minha força, para ver se extravasava minha raiva.

- Como você pode fazer isso comigo? Você é um cafajeste. Eu nunca deveria ter me envolvido com você.
- Nessie...
- Não me chame de Nessie, pra você é Renesmee Cullen agora.
- Olha, eu não sabia que ela estava vindo.
- Ah não? E você pretendia me contar quando? No dia que marcassem o casamento?
- Que casamento?
- Até nisso você é um burro. É uma forma de expressar.
- Me desculpa?
- Desculpar? Nunca. Sabe o que eu vou fazer agora? RESPONDE JACOB.
- O que você vai fazer agora?
- Eu vou entrar, me juntarei ao seu pai, ao meu avô e a SUA NAMORADA, e você passará a não existir mais para mim ok? Tentarei apagar esse final de semana desastroso ao seu lado da minha mente.
- Renesmee...
- Nem vem que não tem, vai ficar com sua namoradinha.
- JAAAAAAAAAAKE! – ouvi uma voz irritante chamando por ele.
- Vamos lá falar com ela Jake? Aposto que Michelle gostará de saber que você ama tomar um vinho ao redor de uma fogueira...

Sai correndo para dentro de casa, enfurecida. Aquele cretino iria me pagar por tudo isso. Admito, eu estava sofrendo, mas minha raiva era maior, que ultrapassava qualquer outro sentimento. Eu faria da vida dele um inferno de hoje em diante. Se ele não me conhecia antes, ele passaria a me conhecer a partir de agora.

Vi uma garota do cabelo castanho longo, casaco bege, um short jeans e uma bota brega olhando para mim com indiferença. A encarei como se encarasse o capeta e fui me sentar a mesa.

- Esta tudo bem? – Charlie e Billy perguntaram
- OTIMO!

* Michelle *


Então a cena que eu menos queria ver, estava ali, diante dos meus olhos, me apavorando. Jake entrando na sala de jantar de mãos dadas com a tal de Michelle. Eles se sentaram e ela começou a falar dos seus trabalhos voluntários em Denver. Grande coisa.

- ... Sem fala no jazz, como é bom dançar jazz. – ela disse, querendo se achar, percebi que era hora de eu colocar um ponto final naquilo.
- É bom mesmo. – eu disse – mas nada melhor do que um balé clássico e claro... Tango. Você sabe dançar tango e balé não é mesmo Michelle? – ela acirrou os olhos e respondeu.
- Er, não.
- Ah que pena! Mais sabe tocar piano né?
- Apenas violão.
- Ah! – fiz descaso.

Ela viu que aquela era uma batalha perdida, já que eu tinha muito mais qualificações do que ela. Então, quando eu pensei que a tampinha ia sair do meu pé, ela começou a falar do “amor” dela e do Jake. Minha língua coçou para não dizer sobre todas as garotas que eu vi ele ficando até agora.

E para fechar com chave de ouro, ela o beijou na minha frente. Aquilo para mim foi a gota d’agua. Não me importei se o almoço estava sendo servido ou não. Peguei a chave do meu carro e me retirei.

- Billy, obrigada por tudo, ma estou indo. Vô, peça ao Jacob que te leve depois. Estou meio indisposta, não sei porque, mas de nada fiquei não enojada – fuzilei os dois.

Jacob sequer tentou se levantar ou mesmo tentou me impedir de ir embora com palavras. Era guerra que ele queria? Ele teria guerra. Agora sim, ele iria conhecer Renesmee Swan Cullen. Aquela que dava trabalho para os pais em Nova York, que teve de ser mandada para Forks em busca de um bom comportamento, que participada de raxas, todos os tipos de balada e era expert quando o assunto era bebidas.

0 comentários :

Postar um comentário