OAV - Capitulo 4


CAPITULO 4

Paramos de nos beijar por um instante e sorrimos, com os lábios colados.
- Me ajuda a mudar Nessie?
*
- Isso eu não posso fazer Jake, é uma coisa que depende apenas de você.
- Eu sei, apenas fique ao meu lado, me ajude nisso… Você é a única que mexeu comigo Nessie…
- Eu cheguei aqui à apenas algumas semanas, como você pode ter tanta certeza assim?
- Eu simplesmente tenho.
- Você é louco mesmo.
- E você ainda não respondeu a minha pergunta.
- Vamos de vagar ok? Apesar de você querer mudar, você ainda é aquele Jacob Black. Não quero me magoar e muito menos quero me precipitar com nada.
- Ok, eu entendo. – ele disse pulando pro chão.
- Hei Jake, onde você vai?
- Que tal uma corrida até o final da praia?
- O que? Você quer me matar né?
- Não consegue Nessie?
- Se eu te pego Jacob Black…
Ele saiu correndo e eu fui atrás, era extremamente difícil correr com aquelas sapatilhas, mas eu já estava de quatro por ele mesmo, não me importava com mais nada.
[...]
Nossa corridinha tinha acabado, e agora, eu estava sem sapatos, só de meia, sentada em uma pedra, olhando o mar, ao lado dele, que deixava tudo mais perfeito ainda.
- E o que você esta pensando em fazer hoje? – ele perguntou.
- Não tenho nada em vista, estou aberta para opções.
- Bom, eu e os caras daqui vamos fazer uma fogueira hoje a noite, lá no quintal da minha casa. Esta afim?
- A noite? Não sei Jake, depois não terá como eu ir embora sozinha.
- Eu estou aqui pra isso também Renesmee Cullen.
- Hein?
- Eu te busco e te levo para casa sã e salva.
- Desse jeito é impossível recusar né?!
- Concordo.
- Será que horas?
- As 20:00
Era difícil pensar perto dele, já que seus lábios estavam colados nos meus, nos fazendo deitar sobre a pedra e rir daquilo, chegaria suja em casa e francamente, não iria reclamar disso.
Já se passava das 17:00 da tarde, tinha que ir embora, meus pais iriam ligar e ainda tinha que tomar um banho e me arrumar. Jake me levou para casa e demos apenas um selinho, eu me sentia nas nuvens. Me joguei no sofá velho do meu avô e deixei meus olhos se fecharam, na verdade eu estava morta de sono, fui dormir tarde, acordei cedo e tive uma tarde exausta ao lado do Jake, só fui relaxando… Esquecendo tudo e adormecendo.
[...]
Levantei maluca ouvindo meu celular tocando em algum lugar da sala. Comecei a tirar as almofadas do sofá e jogá-las no chão. Bati meu pé na mesinha, já que estava tão grogue que não conseguia ver nada à minha frente. Ouvi o barulho vindo do chão, me agachei e peguei meu celular que estava embaixo do sofá.
Pai chamando

- Alo?
Ness?
- Pai! Tudo bom?
- Eu que te pergunto minha filha. Como você esta?
- Estou bem.
- Te acordei.
- Er… Sim, quer dizer, não.
- Você só dorme essa hora da tarde quando vai pra noitadas Renesmee.
- Ah pai, relaxa, foi só uma festinha.
- Vou fingir que não ouvi isso.
- Ta bom…
- E seu avô?
- Foi pescar com Billy.
- Esta gostando da vida ai?
- É, na verdade, eu estou adorando esse lugar pai. – nem te conto o porque pappy lindo.
- Algum motivo especial?
- Claro ué, arrumei uma amiga, estou perto de Charlie, Esme e Carlisle. Sem falar da tia Alice… – e do meu futuro namorado, mais isso eu podia omitir.
- Sua mãe pediu para tomar cuidado por ai e mandou dizer que te ama.
- Eu a amo também pai, mande beijos.
- Lembranças a todos filha, agora vou aproveitar minha esposa.
- Ew. Vocês são nojentos.
- Te amo pequena.
 - Eu também te amo.
Desliguei o celular e olhei para o relógio perto da escada, quase morrendo com o que vi. Como assim já eram 19:47 da noite? Por que eu ainda não estou arrumada? Daqui a pouco o Jake esta aqui.

Corri para o banheiro, nem ia lavar os cabelos. Tomei um banho rápido e corri para o Closet. A noite estava extremamente fria e ficar ao relento ia ser mais frio ainda. Peguei uma calça jeans, uma bota caramelo de cano curto, um casaco e o cachecol. Me vesti rapidamente e olhei para o relógio que havia em cima da escrivaninha que foi da minha mãe. 20:01.

Ouvi barulho de um carro e logo depois alguém buzinou. Cheguei à janela e vi que era Jake, do lado de fora do carro, todo agasalhado, me aguardando. Desci as escadas correndo e ao mesmo tempo colocando os sapatos, que nem uma maluca desesperada. Parei em frente ao espelho que tinha na sala e me dei por satisfeita.
Sai de casa e Jacob me aguardava, mais lindo do que nunca.
- Boa Noite! Você esta linda. – ele disse me dando um abraço.
- Obrigada. Vamos?
- Vamos.
Seguimos para La Push em completo silencio, eu ficava apenas observando a claridade dos faróis e quanto aquele lugar era escuro. Fiquei me perguntando como seriam esses amigos do Jake. Será que eles iriam gostar de mim? Bom, eu sendo neta de Charlie acho que já era alguma coisa.
- Pensativa. – afirmou Jake.
- Pois é.
- Já estamos chegando Nessie.
- Ok!
De longe avistei um pequeno ponto de luz. Assim que fomos nos aproximando, vi que era a fogueira e tinha vários jovens em volta dela, o lugar era amplo e tinha uma casa de madeira vermelha, bem grande só que simples de fundo. Jake parou o carro e eu desci, me colocando ao lado dele.
- Vamos lá dentro colocar sua bolsa?
- Vamos sim.
Fomos até a casa, sem falar com o pessoal. Jake abriu a porta e pegou minha bolsa, colocando em cima do sofá. Seus olhos encontraram os meus e ele sorriu gentilmente, parando em minha frente, segurando com uma mão a maçaneta da porta e outra alisando meu rosto.
Ele pegou na minha mão e saímos andando até a fogueira. Tinha dois lugares para nós, nos sentamos e eu cumprimentei a todos. Ao contrario do que pensei, todos sorriram simpáticos, se apresentando. Dois ali eram uma gracinha, mas eu tinha meu Jake. Sem falar que, todos pareciam estar com namoradas, menos o tal de Sam.
(N/A: Segue-se abaixo os casais da cena)
- Então você é a neta do Charlie? – um deles perguntaram.
- Sou sim.
- Famosa Renesmee, Charlie fala muito de você. Sou Embry.
- Prazer. – apertei a mão dele.
- Essa é minha namorada, Celina.
- Tudo bom?
- To jóia. – ela sorriu pra mim e continuou conversando com Embry.
- Nessie, eu te apresento o resto do pessoal. – disse Jake – Esse é Sam. Aqueles dois ali do canto, mais afastados, são Quill e Rachel. E esses dois se pegando ai são Paul e Serena.
- Boa Noite!
- Boa Noite! – disseram em coro, sorrindo, somente a tal de Rachel, que fazia carinho em seu namorado, que nem olhou pra mim cara. Faz falta?
[...]
Estamos bebendo um bom vinho e conversando animadamente, estava sendo muito divertido, todos ficaram curiosos sobre NY, e eu me obriguei a falar um pouco daquele lugar maravilhoso para eles.
- Lá é uma coisa de outro mundo. Muita agitação, festas todos os dias, paparazzo para todos os lados, bebidas… E O lugar, lá tem tudo. As pessoas se vestem da forma que quiser, e ninguém acha bizarro.
Percebi que fazia gestos, eu estava começando a ficar alegrinha, é claro, não iria dizer isso.
- Esse lugar deve ser maneiro, imagino o quanto foi difícil para você vir morar aqui. – disse Serena.
- Realmente, queria me matar quando cheguei aqui, mas algumas coisas, ou melhor, algumas pessoas – olhei para Jacob – me fizeram ver que poderia ser bem interessante ficar. – voltei a olhar para Serena.
- Sei, algumas pessoas, cujo o nome seria Jacob Black? – perguntou Sam, já animadinho.
- Também.
Jake sorriu orgulhoso e encheu minha taça de vinho novamente, nem queria ver qual seria o fim dessa noite, todos bêbados. Se meu pai descobre…
- Então, esta gostando daqui? – perguntou Paul.
- Muito, no inicio pensei que seria bem desanimado, mais tem uma festa em cada lugar aqui aos finais de semana.
- Digamos que os jovens de Forks estão mais… Hãm… Acho que evoluídos, seria a palavra certa. – disse Celine, enchendo seu copo.
- Galera, eu e Rachel já estamos indo.
- Ta cedo cara. – disse Jake se levantando.
- Estou cansada. – que voz mais irritante ela tinha.
- Ok então.
Eles se despediram, subiram em uma moto e saíram.
- Desculpe por eles, Rachel é meio anti social e Quill acaba pagando por isso. – disse Embry.
- Ela é o cão chupando manga mesmo, não sei como ele agüenta a Rachel. – disse Paul.
- É, acho que deu pra perceber. – eu disse.
Todos gargalharam. Logo depois Sam se levantou e foi embora, assim fez o mesmo Paul e Serena, restando apenas eu, Jake, Embry e Celina. Já se passava das 2:00 da manha e eu estava extremamente alegre, na realidade, todos ali estavam. Comecei a sentir gotículas de chuva me atingindo.
- É galera, acho que vamos também… Ta começando a chover. – disse Embry se levantando.
- E eu tenho que levar alguém pra casa. – disse Jake.
- Quem é alguém Jake? Me apresenta? – disse rindo.
- Temos alguém bêbada ai? – perguntou Celina.
- Cadê? – levantei procurando, mas eu não o alguém, só via o escuro.
Todos gargalharam e eu juro que tentei procurar o motivo, mas nem achei. Me despedi de Embry e Celina e fui caminhando ao lado de Jake, até a casa dele. Ele abriu a porta e eu entrei, me jogando no sofá, me sentindo em minha própria casa. Sou uma folgada nata.
Jacob me entregou a bolsa e pegou as chaves do carro, vindo em minha direção, para me ajudar a levantar.
- Temos mesmo que ir embora? – perguntei.
- Por que? Você quer ficar? – ele perguntou, levantado uma sobrancelha, desconfiado. Ops, acho que falei demais.
- É melhor ir mesmo.
 Peguei em sua mão e tentei me levantar, mas cambaleei e Jake perdeu o equilíbrio e caiu por cima de mim no sofá. Começamos rir um do outro, até nossos olhos se encontrarem, eu fiquei perdida naquele mundo castanho que eram seus olhos para mim. Passei minhas mãos por volta de seu pescoço e toquei seus lábios com os meus.
- Obrigada por esse noite Jake, me diverti muito. – sussurrei contra os lábios dele.
- Eu que te agradeço, por tudo.
Nos rendemos à um beijo maravilhoso, quente e com sabor de vinho. Fomos nos deitando aos poucos no sofá, e eu já sentia o peso de Jake sobre meu corpo. Ele parou o beijo e respirou contra meu rosto, sorrindo.
- Acho melhor te levar para casa.
- Agora que estava ficando bom. – disse fazendo bico.
- Nessie, você não esta controlando seus atos agora, não vamos fazer nada que possa causar arrependimento, da sua parte, é claro.
- Jake, você é um pervertido, mas eu te adoro do mesmo jeito. – beijei a pontinha do nariz dele e levantamos.
Entramos dentro do carro e Jake começou a dirigir devagar até Forks, a estrada estava extremamente escura, aquilo me dava medo. Como o efeito do álcool ainda não havia passado, abri a porta-luvas do carro e vi ali dentro uma mini garrafada de vodka. Achei o tesouro!
- Jake, olha o que eu achei. – mostrei pra ele.
- Você não achou Nessie. – ele riu da minha cara.
- Achei sim, agora é minha.
- Eu te dou ela. – revirei os olhos, eu que achei, era minha.
Abri a garrafinha e comecei a beber aquela vodka pura, o êxtase era tanto que eu já nem sentia nada.
- Você acordar com uma baita dor de cabeça amanha, sabe disso né?
- Não quero saber do amanha Jake, o que importa é o agora e tecnicamente, hoje já é amanha. – será que ele entendeu? Porque começou a rir.
[...]
Jacob parou o carro em frente da minha casa e suspirou. Eu estava mesmo bêbada, nm queria mesmo pensar em como me sentiria quando me acordasse.
- Obrigada Jake, tenha uma boa noite. – dei um beijo estalado na bochecha dele.
Abri a porta do carro e quando tentei me levantar, tudo rodou e eu cai de volta no banco do carro, eu e ele começamos a rir.
- Eu te disse que aquela garrafinha de vodka iria piorar sua situação.
- IIIIH!
Ele saiu do carro, dando a volta e vindo ao meu encontro. Me dá a chave da casa que eu te ajudo. Entreguei minha bolsa pra ele e me joguei de novo do banco.
- Procura aí. – ele riu da minha cara e pegou a chave dentro da bolsa.
Jake me entregou a bolsa e me pegou no colo. Ai que fofo. Pareciamos marido e mulher. Ele com um certo esforço fechou a porta do carro e paramos em frente a porta de casa, com a mão que ele segura minhas pernas, ele girou a chave e abriu a porta, ele era mágico pra fazer isso comigo no colo. Entramos dentro de casa e ele fechou a porta com o pé. Jake começou a subir as escadas comigo.
- Estamos casados? – perguntei.
- Hein?
- Estou te perguntando se estamos casados, já que esta me levando pro quarto, no colo. Nos casamos não foi? Eu sei que sim.
Ele riu mais ainda da minha cara, mas não me respondeu, apenas continuo andando comigo, me deixando em cima da minha cama.
- Agora a senhorita vai ficar quietinha e vai dormir ok?
- Ok.
- Boa noite! – ele deu um beijo na minha testa.
- Boa Noite! – respondi, dando um selinho nele.
Nós rimos um do outro e acho que ele fugiu de mim, já que não quis prolongar o beijo.
- Durma bem. – ele disse saindo do quarto.
Agora eu dormiria que nem um anjinho. Apenas tirei minhas botas e minha calça jeans, ficando apenas de calcinha e blusa de frio. Me enrolei no edredom, feliz, não me sentia assim desde meus 14 anos, quando Josh, um garoto com quem estudei, tirou meu BV em uma festa.
Fechei os olhos e me deixei levar pelas sensações de estar me tornando em uma jovem boba e tola apaixonada por um completo galinha que quer mudar, mas que não tem certeza de nada ainda. Prepare-se para sofrer Renesmee.
[...]
Minha cabeça doía, e muito, meus olhos embaçados começaram a se abrir por causa da claridade que estava invadindo o quarto. Levantei aos poucos e me sentei na cama, olhando para os lados, confusa. Acho que nunca senti tanta sede e dor de cabeça em minha vida. Olhei para o relógio que tinha em cima do criado mudo, eram 9:30. Credo era de madrugada ainda. Ops, meu avô já deveria ter chego da pesca. Levantei e coloquei um short. Desci as escadas e Charlie bebia cerveja enquanto assistia TV.
- Cerveja as 9:30 da manha? Vovô…
- Bom Dia Nessie, como foi o final de semana?
- Ótimo. – respondi me lembrando da noite de ontem.
Fui até a conzinha e bebi quatro copos de água, Charlie me olhou assustado, mas não fez nenhum tipo de pergunta.
- Se troque ok? Vamos sair.
- Sair? Pra onde?
- Vamos almoçar na casa do Billy.
- Billy… Billy Black?
- Esse mesmo. – sogro querido – você vai amar conhecer a reserva, os meninos de lá…
- Er…
Nem queria pensar no que poderia acontecer se Charlie descobrisse de ontem, ou talvez das quase conseqüências de ontem. Avô querido, eu conheço aquela reserva muito mais do que o senhor pode imaginar.


<<< Capítulo Anterior                                                           Próximo Capítulo >>>

2 comentários :

amandooo

19 de junho de 2011 15:06 comment-delete

Amei essa parte da fanfic!

Anônimo
20 de dezembro de 2011 22:22 comment-delete

Postar um comentário