M - Capitulo 12

Otra vez mi boca insensata

Vuelve a caer en tu piel de miel

Vuelve a mi tu boca duele

Vuelvo a caer de tus pechos a tu par de pies

♫ Labios Compartidos - Maná

~/~/~/~/~/~/~/~/~/~/~

Dia 30 pela manhã, Edward surpreendeu Bella com duas passagens para Madrid. Um vôo que iria sair em 3 horas, e quase enlouqueceu Bella para fazer as malas. Ele a ajudou, pois já tinha feito a dele e conseguiram pegar o vôo na hora certa.

Seria o Reveillon deles na incrível cidade da Espanha.

Edward era descendente de espanhóis, e sua família prezava isso. Ele aprendeu espanhol desde muito pequeno, o que encantava Bella. Ela amava quando ele falava em espanhol, e o ver fazendo durante um longo tempo a derretia.

Não poderia ter melhor escolha do que essa para passar o reveillon. Mas na companhia um do outro, eles era capazes de ir a qualquer lugar. Porque nada na vida importava mais do que o amor que sentiam.

Chegaram em Madrid na noite do dia 30 e simplesmente descansaram, estavam cansados de um vôo de 7 horas, e não iriam sair para algo.

O jantar foi servido no próprio quarto, e eles compartilharam entre sorrisos e carinhos.

Essa viagem era importante para os dois. A primeira deles como um casal, e sentiam que as coisas seriam diferentes, que algo iria mudar. Bella sentia seu estomago vibrar quando pensava no que queria compartilhar com Edward no dia seguinte.

Não era fácil para ela com toda essa timidez que tomava conta da sua mente e das suas ações. Mas não tinha o que ela esperar, era Edward que ela queria, e assim seria.

Compartilharia com ele tudo o que pudesse, pois toda a sua vida se baseava em tudo que ele era, e o que demonstrava a ela. O amor, a amizade, a fidelidade, a dedicação…

Mais uma vez observou a peça que usaria, sorrindo levemente enquanto o rubor preenchia suas bochechas.

— Vem dormir cariño, sei que está cansada, e amanhã teremos um longo dia – Bella rapidamente fechou sua mala, e foi para a cama.

Edward passou o braço pelo corpo dela, juntando ao seu, e deu um leve beijo em seus lábios. Ela suspirou feliz aconchegando-se mais nele.

E ele nem imaginava quais eram os planos dela.

~/~/~

Edward acordou Bella com muita relutância. Ela estava linda em seu sono, com um leve sorriso desenhado em seus lábios, e bochechas rosadas naturalmente. O fraco sol iluminava sua pele, e a tornava tão linda, que ele temia que sumisse em uma cortina de fumaça, como um sonho.

Ela se remexeu na cama, abrindo os olhos contra a sua vontade. Ele riu dando-lhe um beijo de bom dia.

- Nosso café da manhã está quase chegando – ele disse acariciando o rosto dela. – Da tempo de você tomar um banho e colocar algo confortável. Vamos dar um passeio até o Palácio Real mi preciosa. Não ficaremos muito tempo fora, está frio e nevando um pouco.

- Tudo bem ­– sentou-se na cama e passou a mão pelos longos cabelos os puxando para trás.

Pegou Edward olhando para ela de uma maneira que a constrangia, era muito amor emanando dos seus olhos, e as suas bochechas ficaram

- Você é tão linda – sua mão percorreu pelo braço desnudo dela, até seu pescoço. Ela não sabia que o rubor um dia iria sair do seu rosto. – Vai tomar seu banho amor – puxou-a levemente e depositou um beijo em sua testa.

Ele só teria que ser paciente, pensou com si mesmo ao vê-la caminhar até o banheiro ainda sonolenta. Mas isso não o impedia de apreciar as suas formas, pequenina e tão linda. Seu corpo tinha as suas curvas, a pele dela branca e leitosa o deixava com água na boca, simplesmente por vontade de provar ta textura em sua língua e o incrível sabor que ela possuía.

Sua mente foi puxada longe de sua fantasia com o toque na porta. Balançou sua cabeça algumas vezes antes de abri-la e receber o café da manhã.

Uvas verdes, queijo fresco, ovos estrelados, fatias de pão branco, suco de frutas vermelhas e café. Tudo estava da forma que ele havia pedido. Enquanto Bella ainda estava em seu banho, ele decidiu arrumar a pequena mesa que tinha disponível na suíte. Ordenou da melhor forma possível, tendo a certeza de que era o melhor que poderia fazer.

O perfume de sabonete e morangos e fez virar-se e encontrar Bella saindo do banheiro, trajando um roupão branco. Os cabelos estavam em um coque no alto de sua cabeça, o qual Edward tinha vontade de solta-lo apenas para ver a cascata castanha em seus ombros. Ela sorriu levemente enquanto caminhava para sua mala.

Ele sabia que ela não iria pedir para que ele se retira-se, mas o fez com a desculpa de ir fazer a barba. Bella respirou fundo e separou a roupa que iria vestir. Mesmo ele dizendo para ela usar algo confortável, optou por um vestido, e por cima usaria um sobretudo, pois não queria sentir todo aquele frio lá fora. Olhou novamente a peça que estava tornando o motivo de seu pesadelo, ou quase isso. Pegou entre seus dedos, alisando a textura do tecido e suspirou guardando novamente.

Vestiu-se tentando manter o ritmo cardíaco e o rubor longe de suas bochechas, Edward perceberia que algo estava errado, e ela realmente queria que fosse uma surpresa para ele, como de alguma maneira seria para si mesma. Não era fácil para ela tomar uma atitude, ainda mais em algo que nunca tivera feito em sua vida.

Fechou sua mala e deu uma leve batida na porta do banheiro para que ele soubesse que ela já estava pronta. Sorriu para si mesma pela delicadeza dele se retirar de forma sutil. Caminhou até a mesa onde estava posto o café da manhã, furtando uma uva e estourando entre os lábios. Duas mãos fortes seguraram sua cintura, fazendo-a girar. Sorriu pegando outra uva e levando até os lábios de Edward.

Agora ela o podia observar melhor.

Trajava uma camisa de manga comprida preta, Jeans levemente desbotados nos joelhos, tênis preto, estava perfeito como sempre. Ele sorriu torto para ela, quando a viu observando-o da mesma maneira que ele queria fazer com ela, mas estava sendo impedido por esse sobretudo.

- Tire isso preciosa, está quente o suficiente aqui dentro – ele disse passando os dedos pelo tecido que a cobria. Ela simplesmente acenou e tirando-o, o que o fez puxar o ar entre os dentes, e se conter para não leva-la para a cama naquele mesmo instante.

Ela estava sexy de uma maneira que ele nunca havia visto.

Um vestido curto abraçava cada detalhe do corpo dela, o tornando tão suculento como as uvas que estavam sobre a mesa. Sim um belo convite para se colocar entre os lábios e saborear. Eles deixavam seu belo par de pernas a mostra, terminavam em um sapato alto e semi-fechado, que mostrava apenas alguns de seus dedos pintados em uma cor pastel.

- Não tenho palavras para descrever sua beleza – Edward disse quando seus olhos voltaram aos dela.

- Você também está lindo, perfeito eu diria. – ela o puxou para mais perto tomando os lábios dele, e o sentindo pressionar-se mais a ela.

Ele não sabia o que se passava com ela, mas algo estava mudando, e estava gostando disso. As palmas de suas mãos percorriam as costas dela, sentindo o calor que vinha dela entre seus dedos.

Seus lábios devoravam os dela, que com a mesma intensidade o fazia com muito prazer, deleitando-se daquele momento de compartilhar.

Compartilhar caricias.

Compartilhar sabores.

Compartilhar amor.

Abraçaram todo o momento e quando foi necessário se separaram ofegantes. Bella agradecia por ainda não ter feito sua maquiagem, pois essa já teria se desfeito nesse momento.

- Vamos… – ele tentou falar mais sua voz saiu um tanto que rouca. Pigarreou e continuou – Vamos tomar nosso café mi amor.

- Claro – respondeu com um sorriso. O rubor comum nela não existiu naquele momento, era como se a vergonha tivesse sumido em um piscar de olhos.

Sentaram-se a pequena mesa e alimentaram-se entre olhares significativos.

Bella pegou uma uva do cacho e levou até os lábios, de uma forma que ela tentou ser sensual, o saboreou com delicadeza e cuidado, observando Edward sob seus cílios.

Ele engoliu seco desejando como nunca em sua vida ser uma uva. Viu nos belos olhos chocolate algo perto de malícia e luxuria, mas não sabia que era realmente isso. Decidiu que era hora de terminar o café da manhã, ou ele iria entrar em combustão espontânea.

~/~/~

O Palácio Real era muito mais encantador pessoalmente. Bella como uma amante das artes e belos monumentos, se viu quase em um paraíso na Terra.

Edward observava sua preciosa com um sorriso no rosto. Os olhos dela brilhavam de emoção enquanto caminhava por cada centímetro daquele lugar, e tirava milhares de fotos.

Parecia uma criança no meio da Disneylândia.

- Vou tirar uma foto sua – ele tomou a câmera da mão dela – Sorria – ela sorriu fazendo uma pose graciosa para ele enquanto tirava as fotos.

A felicidade ali era palpável, qualquer um via nos olhos deles que tudo aquilo os fazia bem e realizados.

Bella puxou Edward para perto dela, sentindo o vento frio e os pequenos flocos de neve baterem em seu rosto.

- Tire uma foto nossa – ela pediu e ele envolveu seu braço em torno dela, para tirar uma foto beijando-a.

- Quer ir almoçar agora? – ele perguntou mexendo em uma mecha de cabelo dela.

- Sim.

- Pode ser no hotel mesmo ou prefere ir para algum restaurante?

- Hotel. Está frio – sorriu dando-lhe outro beijo naquele lugar dos sonhos.

~/~/~

Bella tremia por dentro agora que sabia que não poderia mudar o que havia planejado. Ou fazia tudo aquilo agora ou sua coragem ia rolar água a baixo.

Estava no banheiro tomando um banho quente, passava das 8 da noite, e Edward queria leva-la para a festa dada pelo hotel. Vários hospedes iriam, e não era como se ele quere-se prende-la dentro do quarto pelo resto da noite.

Só que isso não era o que ela via como seu desejo. Mordeu os lábios nervosa quando fechou a água e se viu na sua encruzilhada.

O que ela tanto temia? Fazer algo errado? Não o agradar? Não ser capaz de o se sentir bem? Ou simplesmente temia a si mesma?

Pegou a toalha e enxugou-se com calma, tomando todo o tempo para si mesma, e pegou as peças que estavam delicadamente deixadas ali. Assentiu para algo em seu interior e vestiu-as. Era agora ou sabe-se lá quando.

Envolveu-se no roupão, pois tinha medo da coragem morrer quando olha-se para Edward. Segurou na maçaneta da porta e respirou continuas vezes tentando acalmar seu coração que palpitava enlouquecidamente.

Abriu a porta, encontrando Edward sentado na cama, com seu celular na mão. Não sabia como fazer o que queria então simplesmente foi até ele, que quando a viu deixou o celular de lado e sorriu. Bella parou em frente a ele, e tremeu novamente por antecipação. Passou os dedos pelo rosto dele, apenas para sentir a pele dele em seus dedos.

Ele mexia com a barra do roupão distraidamente enquanto olhava para ela. Parecia querer falar algo, mas não tinha coragem, e isso o consumia por dentro. Ela segurou as mãos dele, e levou-os até o laço do roupão. Contou até três e puxou junto com ele, que nesse momento não estava tão confuso assim, mas deixou de pensar quando viu o tecido cair dela até os chão.

Não era como se ele já não a tivesse visto em trajes menores, mas agora tinha todo um significado diferente.

- Bella – ele estava engasgado, não conseguia pensar no que dizer. Seus dedos estavam nos delicados babadinhos da calcinha dela, enquanto os olhos ainda desciam por suas pernas.

Ela o segurou pelo queixo, o fazendo olhar para cima, e sorriu.

- Eu… eu quero ser sua, completamente – ela disse lentamente com seus lábios mudos. Foi o necessário para ele segurar em sua cintura e ficar em pé.

- É isso mesmo que você quer pequeña?

- Sim. Eu quero. Agora – Edward viu a convicção nos olhos dela e não quis esperar mais, beijou-a de forma calma. Sabia que devia ser delicado com ela, e atencioso, afinal era sua primeira vez.

Pensar nisso o fez tremer de emoção. Ele seria o primeiro dela, e com fé o único.

Bella já não sentia-se tão presa ao medo, ela agora estava mergulhada em sentir o que Edward lhe proporcionava, com suas mais quentes em suas costas quase nuas, delineando toda a extensão com cuidado. Ela mantinha os braços em torno do pescoço dele, entregando-se ao beijo que agora estava mais necessitado do que suave.

Edward a guiou, virando-se para que ela ficasse de costas para a cama. Seus dedos estavam trêmulos quando chegaram ao fecho do sutiã, era como se agora ele fosse o inexperiente, e estivesse nervoso de tocar uma garota.

Mas não era isso, na verdade o nervosismo se devia ao fato de que ele estava tocando Bella. A garota que sempre amou e que estava a ponto de entregar seu mais bem precioso a ele. Abriu o fecho e afastou-se dela para poder retirar o sutiã dela e deixa-lo cair ao lado. Delicadamente a fez deitar-se na cama, voltando a beija-la, enquanto seus dedos agora tinham a tarefa de desfrutar daqueles lindos seios.

As mãos dela agora estavam por dentro de sua camisa, e ela achava injusto ser a única quase nua aqui, então a levantou até que ele retira-se. Passou suas mãos pelo peitoral dele e sem seguida por suas costas. Levou seus lábios até o seu ombro beijando e mordendo levemente, queria provar dele, e o sentir todo dela.

Edward fechou os olhos, aproveitando da caricia inexperiente dela, mas que o fez sentir como nunca nenhuma mulher foi capaz. Seu sangue corria rápido e seu coração batia como asas de um beija-flor, tão rápido que ele pensou que iria enfartar a qualquer momento. As pequenas unhas dela deslizavam em sua pele e isso o fez soltar um grunhido baixo.

- Agora é minha vez de provar de você – ele disse a fazendo deitar-se completamente e abaixou até o nível dos seus seios, tomando um dos mamilos rosados em sua língua, como uma fruta delicada e saborosa.

Sugou com toda a paciência e pressionou os lábios, enquanto a observava manter os olhos fechados e lábios abertos. Ele simplesmente não sentia falta do som, pois apenas de ver o rosto dela que estampava o prazer que sentia, era o suficiente.

Bella sentia o fogo começar a consumir o seu corpo lentamente. Os lábios dele desceram por sua barriga lisa e reta, distribuindo beijos em toda a sua extensão.

Edward segurou na lateral da delicada calcinha e desceu por entre suas pernas. Ficou alguns segundos olhando-a completamente nua e esperando por ele. Viu quando ela passou os braços entre os lábios e apoiou-se nos cotovelos, arqueando uma sobrancelha para ele.

Entendendo a dica dela, se desfez de toda a sua roupa, da forma que ela queria, sorrindo o sorriso favorito dela, voltou a deitar-se por cima dela, beijando-a lentamente.

Ela já não agüentava mais o fogo que queimava em suas veias, e instintivamente pressionou seu quadril nele, sentindo-o completamente excitado entre as suas coxas. Seu estomago se apertou e a vontade de o ter dentro dela já estava quase explodindo.

Segurou o rosto dela, e afastou-o ofegante.

- Por favor, não posso esperar mais – ele apenas assentiu.

- Isso pode doer um pouco, então eu vou com calma – disse dando beijos leves no rosto dela.

Quando sentiu o calor dela em si, engoliu seco com o nervosismo, mas aos poucos explorava aquela fenda estreita que o abraçava a cada centímetro que alcançava. Sentiu a barreira natural dela, e beijou seu rosto ainda mais para que a fizesse não sentir tanto.

A dor apunhalou-a de uma vez, afundando seus dedos nas costas dele, escutando palavras de amor vindas dele, que parou até que percebe-se que ela não sentia mais a dor. Essa que dissipou-se segundos depois, e agora ela queria que ele continuasse, sendo assim movimentou seu quadril em aviso, que ele recebeu rapidamente.

Agora somente o prazer de se sentir tão humana e completa tomava conta de si, e para ele foi simplesmente à certeza de que não haveria outro lugar no mundo que quisesse estar.

Olhou-a nos olhos, enquanto eram consumidos pelo prazer carnal que era vivido ali. Muito alem de um ato sexual ou de fazer amor, nesse momento estavam compartilhando suas almas que se amavam de uma forma insana, e queriam desfrutar do outro em todos os sentidos humanos.

Aquela sensação de aperto por dentro tomou conta dela, mas mil vezes mais do que nos momentos em que ele lhe deu prazer de outra forma. Puxou o ar quando sentia-se cada vez mais perto, e Edward percebeu isso, ficando ainda mais perto ainda.

Quando o ápice chegou até eles, para Bella foi o primeiro se tornando o inesquecível, e para Edward foi o melhor de sua vida, pois nunca vira a si mesmo tão entregue a um ato desses. Nunca tinha sentido algo que o consumisse tanto.

Os corpos descansaram juntos, recuperando a respiração. Edward deitou-se puxando Bella para junto de si, e por cima deles um lençol. Queria agora somente sentir o corpo dela, mas algumas coisas queriam escapar...

- Obrigado por isso – ele disse beijando o topo da cabeça dela. – E obrigado por tudo, por me fazer tão feliz, por me completar, por me permitir te amar, por fazer dos meus dias os melhores desde que te conheci. – Bella levantou o rosto para olhá-lo enquanto falava. – Você, e tudo isso que compartilhamos agora, significa tanto para mim. Não sei se estou lhe retribuindo da forma que merece, e como deve ser, mas eu só estou amando você da forma que eu sei. Não é como se eu já tivesse amado alguém assim na minha vida – soltou um suspiro pesado – Estou falando coisas sem sentido – ela sorriu passando os dedos pela mandíbula dele.

- Eu amo você – ele leu em seus lábios. – E você também me deu muito hoje. Eu entendo.

Edward olhou por cima do ombro, no pequeno relógio de cabeceira.

- Já são quase 10 da noite você quer ir para a festa?

Ela apenas negou com a cabeça, abraçando-o forte.

Ela queria ficar ali, nos braços dele, pelo resto da noite... quem sabe pela eternidade.

2 comentários :

tao fofo!!!
Adorei!!!

ass:mariana

Anônimo
17 de fevereiro de 2011 20:14 comment-delete

Muito lindoo esses dois.

Amei

Anônimo
5 de março de 2011 00:33 comment-delete

Postar um comentário