M - Capitulo 11

Se derrite el corazón tan sólo con una mirada

Son tus besos, es tu voz que tienen mi alma enagenada

♫ Chocolate – Jesse y Joy

~/~/~/~/~/~/~/~/~

Quando Edward sentou no sofá, Bella sabia que aquele era o momento decisivo da sua vida. Ela tinha que colocar seus medos em xeque. Não poderia mais conviver com aquilo, se realmente queria continuar uma vida com Edward, tudo o que ela temia tinha que ser dito a ele.

Ele não entendia tudo que se passava na pequena cabecinha dela, mas estava disposto a entender.

— Diga tudo o que lhe está ai dentro Bella – ele quebrou o silêncio fazendo-a ficar um pouco nervosa.

Era difícil despir-se dos medos, mesmo com alguém que conhecia desde que tinha memória. Mas ali não iriam mais existir dúvidas, e era disso que Bella precisava.

Antes que eu comece, você tem que me prometer que vai esperar que eu fale, e então diz o que tem para dizer – suas mãos estavam um pouco trêmulas, ela deu o seu melhor para ser firme.

— Prometo meu amor – ele colocou uma mecha do cabelo dela atrás de sua orelha. – Fale o que precisar, estou aqui para te entender.

Nos belos olhos dele, ela conseguiu ver toda a confiança que precisava para se libertar de toda essa angustia que vivia em seu peito. Ela sorriu fracamente, e começou.

Eu tenho medo. Medo de que você encontre alguém melhor do que eu. Uma pessoa completa, que possa lhe dar coisas que eu não sou capaz. Não sou capaz nem de lhe dizer te amo em voz alta, não posso chamar seu nome, não posso pedir algo sem precisar estar na sua frente. Estando comigo sua vida será tão limitada, porque você sabe que eu vou depender de ter você comigo sempre, e isso não é justo. – Bella começava a sentir as lágrimas percorrerem seu rosto, e os dedos dele limpando-as.

Ele estava atento ao que ela dizia, sabendo que todos aqueles medos não eram meras bobagens. Bella para ele era perfeita, mas ela e nem o resto do mundo a via assim.

Como poderei lhe dar um filho sendo que não serei capaz de cuidar dele normalmente? – ela soluçou vendo as mãos tremerem ainda mais. – Não posso lhe dar tudo o que merece Edward, você me dá tanto ao dizer meu nome, ao me chamar, ao cantarolar para mim... Eu sou tão sem graça, não tenho belos seios, nem um belo corpo, sou baixa, meu cabelo e meus olhos tem essa cor chata, minha pele é branca como papel, como posso lhe dar tudo o que recebo?

Bella não conseguia mais, suas mãos estavam fracas, e ela só queria se submergir em um mundo que as dores e problemas não existiam. Ele abraçou-a com força, odiando toda aquela dor que tomava conta da sua preciosa.

— Shhh… meu amor eu posso falar? – ele perguntou, e ela assentiu em seu peito. – Olhe para mim – afastou-se levemente dela, e segurou seu rosto entre suas mãos.

Os olhares se encontraram, prenderam-se, e atraiam-se. Ele vivia por aquele mar de chocolate, ele queria mergulhar e nunca mais sair daqueles lindos olhos. Mesmo com as enormes lágrimas e essa nuvem de tristeza neles, continuavam a ser os mais encantadores.

— Bella, a voz nem sempre é a verdade, não é essencial. Nem sempre o que sai da boca de alguém é a pura verdade, as pessoas mentem, mas você fala com os olhos mi amor. Eu sei dizer quando está nervosa, feliz, triste, magoada, mentindo. Você é perfeita para mim, cariño. Não me importo se você não pode chamar meu nome, não é disso que eu preciso – Ele escovou as bochechas dela com os polegares. – É disso que eu preciso, é de você Bella. Do seu amor, seu carinho, seu sorriso, seu olhar, seu coração – uma das mãos dele pousaram em cima de seu seio direito, sentindo as batidas aceleradas do coração dela. – Isso é o que eu quero, o que está dentro de você o que lhe faz Isabella Marie Swan, a garota que me conquistou quando eu nem sabia o que era me apaixonar. Que me fez ficar rendido a ela a cada segundo que passava, que me ensinou muitas coisas, principalmente a dar valor as coisas pequenas da vida.

Bella mordeu o lábio e sorriu para ele, era como se Edward soubesse de cada palavra que ela precisava ouvir.

— E sobre sua aparência, mi preciosa, você é encantadora, parece uma pequena boneca de porcelana, que foi feita para mim. Bella você chama a atenção por sua beleza simples e não por ser alta loira, ter olhos azuis e seios enormes. Sua pele é lisa e delicada, quando você cora suas bochechas ficam em um tom de vermelho que não consigo encontrar uma igual. Seus lábios são naturalmente rosados, seu nariz é lindo parece uma pequena bolinha e é empinadinho. Seus olhos são esse chocolate lindo e expressivo. Os seus cabelos, tem essas mechas avermelhadas que no sol ficam tão lindos – ele descrevia cada parte dela, e com seus dedos acompanhava. Ela tremia a cada toque dela, descargas elétricas atravessando seu coração. – Seus seios não são grandes, mas são durinhos e lindos, minhas mãos os cobre e é o encaixe perfeito. – Bella sentiu o calor tomar conta do seu rosto, quando ele tocou seus seios com as mãos e os acariciou como se fossem pétalas de rosa das mais finas.

Edward puxou-a para perto de si, e colocou seu rosto no vão do pescoço dela, dando leves beijos ali, enquanto sussurrava que a amava, o quanto ela era perfeita. Aos poucos todas as paredes de Bella se quebraram e ela se via sem todo aquele medo que tinha. Não precisava temer, Edward a queria, a desejava, a amava e não importava com seus defeitos.

— Mi amor – ele levantou o rosto e novamente prendeu seu olhar no dela. – Eu amo você assim do jeito que você é, não precisa ter medo de me perder, eu sou seu desde que meus olhos pousaram em você, mas tenho que te confessar algo – Edward enrolou uma mecha do cabelo dela em seu dedo. – Também tive medo de perder você, todo esse tempo que esteve sozinha pensei que um dia você encontrasse alguém iria se apaixonar, se casar e ficar longe de mim… - Bella abriu os olhos como pratos, pelo espanto. – Eu iria odiar o homem que conquistasse seu coração e lhe tirasse de mim. Eu sei, fui um grande idiota de não lhe dizer que te amava desde que eu descobri que era isso que eu sentia, mas sabia que não amaria outra pessoa. O amor é só um, a paixão são varias, mas por você é amor, paixão, desejo, devoção, carinho, respeito, amizade… são todos os sentimentos que os humanos catalogaram, e mais alguns desconhecidos por aqueles que nunca sentiram o amor em toda a sua magnitude. Não tema, mi pequeña reina, eu sou seu e serei até o findar dos meus dias.

Bella já não sabia se chorava pelo medo ou pelas palavras de Edward. Como não sabia o que dizer, segurou o rosto dela em suas mãos pequenas e tremulas, e o beijou deixando ali claro o quanto o amava e o queria. Que ela também pertencia a ele, as batidas do seu coração, seu ar, seu corpo, seus olhares, seus pensamentos, seus sorrisos, sua vida, tudo era dele.

A partir desse ponto eles poderiam seguir com esse relacionamento, de uma forma que nada e nem ninguém atrapalhasse, e nem os medos tão sombrios que poderiam confundir um coração apaixonado.

.

.

2 dias depois...

O esboço estava pronto, agora apenas faltava à pintura.

Bella estava trabalhando em um quadro, seria o presente de Edward para o novo ano que já batia em suas portas. Em apenas 3 dias já estariam no ano de 2011, o novo ano na vida deles, onde tudo seria da forma que sempre sonharam.

O quadro consistia em uma foto tirada por Alice em Forks, onde eles estavam sentados na neve em frente a casa dos Cullen, sorrindo um para o outro. Bella tocou a foto em suas mãos, e percebeu o quanto ele a amava, o quanto aqueles olhos mostravam para ela que não precisava realmente temer...

Pegou seu pincel e começou a dar cor ao quadro. Bella pintava por hobby, mesmo muito dizendo que ela poderia ter um futuro nisso, mas estava contente com sua pequena galeria. Ali ela tinha todas as suas emoções em quadros.

Edward não sabia, mas muito daquelas obras foram baseadas nele, em seus olhos, seu sorriso, seu carinho e pelo amor que movia o seu coração.

Suspirou continuando seu trabalho, estimava que em menos de 2 dias o teria pronto para seu amado. Naquele quadro ela estava dando seu coração para ele, e tentando mostrar um pouco do amor que sentia.

Seu celular tocou e a foto de Edward brilhou na tela, era uma mensagem dele.

Amor, eu queria saber se quer sair para jantar hoje? Vou chegar em casa as 6 horas.

Ela sorriu olhando as horas, teria ainda mais 3 para trabalhar no quadro. Digitou a mensagem para ele com sua resposta.

Claro amor, estarei pronta.

Esperou a resposta que chegou segundos depois.

Ótimo mi preciosa, estou com saudade. Beijo.

Apertou o aparelho contra seu peito, como se aquelas palavras fossem gravadas no seu coração.

.

O frio ainda tomava conta de New York, Bella tinha escolhido um conjunto quente e confortável, seus cabelos estavam soltos, e a maquiagem ressaltava bem os seus olhos.

Sentia-se bonita, e isso estava se tornando cada vez mais freqüente. E ainda dizem que o amor não muda uma pessoa.

A campainha tocou e ela deu uma ultima olhada no espelho indo atender. Seu coração ficava sempre acelerado, como se fosse a primeira vez que fosse encontrar Edward. Era o seu sonho de adolescente se tornando realidade a cada dia.

Quando abriu teve que lutar para suas pernas não fraquejarem. Edward estava tão lindo que chegava doer, com aqueles cabelos eternamente bagunçados, olhos de esmeralda, sorriso torto, perfume inconfundível e o charme que exalava de todos os poros.

— Olá mi amor – ele disse já segurando-a pela cintura e puxando para si. Tomou seus lábios nos dele, explorando toda o seu sabor e delicadeza, seu manjar, o que movia cada célula do seu corpo.

O gemido de prazer rompeu da garganta dele, era todo aquele paraíso, toda aquela perfeição…

Duas peças, duas vidas, procurando a felicidade em um mundo caótico. Os dedos dele enrolaram nos cabelos sedosos dela, e o perfume de morangos cobriu o ar. Aquele mesmo perfume que ele sentia desde que a conheceu.

Bella prendeu seus braços em volta do pescoço dele, e o puxou para si, querendo mais, precisando demais. Alguma coisa dentro dela explodiu, e ansiava por querer ser dominada e consumida pelo fogo que movia seu coração.

Ele sugou seu lábio inferior, tomando-o entre os dentes e puxando lentamente. A mente dela vagava por lugares desconhecidos, e procurava alguma coisa para voltar a superfície da realidade, mas a força de vontade não existia.

Cedo demais o ar foi necessário e eles separaram seus lábios, mas ainda mantendo os corpos juntos, como se com a distância fosse romper os ligamentos de toda aquela magia, provada por eles sempre que estavam juntos.

Um dia teria fim toda essa força que emanava de um simples beijo?

Nem eles sabiam, mas aproveitariam cada momento antes que perdessem.

— Você está tão linda – ele disse olhando-a e acariciando seu rosto. – Da vontade de te prender em casa para ninguém ver sua beleza. Sim eu sou egoísta. – ela sorriu negando com a cabeça.

Você é terrível Edward – seus lábios se moveram e ele já os queria novamente.

— É sério, podemos pedir um delivery e ficar aqui – escondeu seu rosto nos cabelos dela. – Levo você para almoçar amanhã, não quero mais sair – respirou o perfume dos lindos cabelos castanhos e depois olhou para ele novamente – por favor? – ele fez um biquinho e ela revirou os olhos assentindo.

Entraram no apartamento dela, e ele a beijou de novo. Abriu o sobretudo deixando cair aos seus pés. Levou-a até o sofá, sentando-se e colocando-a em seu colo.

Beijou seu queixo, sua mandíbula, seu pescoço… a pele tão saborosa. Sentia o pulsar da veia do delicado pescoço em seus lábios, enquanto espalhava seus beijos, mordidas, sugadas...

Bella estava perdida em algum lugar do universo, todo seu corpo tremia e ela sentia-se cada vez mais necessitada dele… mas seus planos não eram esse.

Ela queria que fosse mais especial do que afobado pelo desejo. Mas estava tão bom… A luta foi rompida dentro dela, e era a razão versus coração.

Com muita relutância afastou seu pescoço dele, respirando cada vez mais forte. Os olhos dele estavam escuros, e cobertos pela luxúria. Nunca o tinha visto tão lindo, e queria se jogar nele, mas ainda não era a hora...

Ligue para algum lugar, pede algo para comer – as mãos dele alisavam suas pernas, e a fazia ficar cada vez mais fraca. Mas ela devia ser forte – E eu vou trocar de roupa – ela saltou do colo dele indo direto para o quarto como uma adolescente fugindo do namoradinho de escola.

Fechou a porta encostando-se nela e respirando forte.

Deus esse homem iria acabar com ela.

.

Minutos depois ela voltou com um moletom, não iria ficar com uma roupa daquelas dentro de casa. Queria sentir-se mais confortável.

Edward estava sentado no sofá e olhou para ela quando chegou na sala, sorriu estendendo os braços, que ela aceitou com prazer. Recostou-se no corpo dele, agora um tanto mais calma. Seu coração estava em paz, e de alguma maneira a presença dele fazia isso.

— Eu pedi pizza e não vai demorar para chegar meu amor – ele escovava o braço dela com lentidão e delicadeza. – Você ainda está mais bonita nesse moletom – beijou a bochecha dela. – Eu te amo – sussurrou e Bella olhou para ele.

Escute como eu te amo Edward – ela disse puxando com calma o rosto dele até seu peito, fazendo com que ele colocasse sua orelha ali.

Os batimentos ritmados do coração dela eram de calma, mas também continham paixão.

Edward fechou os olhos, apertando-a mais contra si, e deixando-se guiar por aquele som.

Ela me ama.

Batidas do coração.

Ela me deseja.

Sangue fluindo.

Ela é minha.

Batidas mais aceleradas.

Edward não precisava de tudo isso para ter a plena certeza de todo esse amor, mas era bom saber, pois sua vida tomava cada mais sentido com isso.

0 comentários :

Postar um comentário