M - Capitulo 10

Creo que estamos hechos en la misma sustancia

Aunque nos separen somos como un iman

Siento que vibramos en la misma frecuencia

Esta conexion rebasa la realidad

♫ Luna – Dulce Maria

~/~/~/~/~/~/~/~/~/~/~

Bella continha suas lágrimas a muito custo, enquanto via Edward atender o celular e colocando o viva-voz. Tudo o que ela queria era sair dali, mas seria impossível tendo Edward segurando-a junto a si, ele não a deixaria escapar, não a deixaria fugir, sabia que isso poderia estar doendo nela, mas iria colocar as coisas em seu devido lugar.

— Oi Tanya.

— Oi Edward.

— O que você quer? – ele foi curto e grosso. Bella estava com o rosto escondido em seu peito, já não tendo forças para reprimir as lagrimas que lutavam para escapar.

— Nossa nem para desejar boa noite. Mas vou direto ao ponto. Queria ver você essa noite, tenho uma coisa para te contar – Bella se apertou mais em Edward, deixando as lágrimas, com tantos sentimentos, escaparem.

— Não posso te ver Tanya. Estou ocupado.

— Ocupado? Com alguma garota com certeza.

— Não é qualquer garota, e sim a minha namorada – Edward acariciou os cabelos de sua preciosa, não sabendo porque a vida estava fazendo tudo aquilo com eles.

— Sua namorada? Uau e quem é a escolhida?

— A única que poderia ocupar esse lugar, Bella.

Tanya esperava que um dia isso fosse acontecer.

Edward transbordava de amor por Isabella Swan, ela nunca entendeu como a garota nunca tinha percebido. Desde a primeira vez que ela os viu, sentados naquela escada da escola, teve a certeza de que aquele rapaz estava completamente apaixonado.

Ele não a olhava como um amigo, e sim como um homem capaz de se jogar na frente de uma bala para salvar a sua vida.

Ela também o olhava assim, e também nunca soube como Edward nunca viu que a garota dos seus olhos, o olhava com devoção, mas uma coisa tão tímida e contida, que ela mesma chegou a pensar estava vendo coisas nos olhos de Isabella.

— Bella… já era de se esperar. Muito me admira que tenham demorado tanto para ficarem juntos – Edward arregalou os olhos para o que acabara de ouvir, e Bella pensou que o choro estava causando alguma coisa em sua cabeça.

— O que? – ele soltou meio chocado.

— Vocês dois são cegos, não sei. Olha eu gostaria muito de ir ai Edward, queria te contar uma coisa, e conversar com a Bella, se ela quiser é claro. Tenho algumas coisas para falar com ela.

Bella levantou o rosto, os olhos molhados e inchados. Edward não sabia o que responder para Tanya, então esperou até que Bella assentiu, dando uma fungada no nariz.

— Venha Tanya, você está por perto?

— Não, na verdade estou saindo do meu trabalho, devo estar ai dentro de uma hora ou mais. Juro que não quero causar problemas, mas antes de fazer o que tenho que fazer, preciso sinceramente conversar com Bella. Vejo que… que eu tenho muitas coisas para acertar com ela.

— Tudo bem, nós te esperamos.

— Daqui a pouco eu chego. Tchau – então ela desligou.

Edward soltou um longo suspiro, e então lembrou do jantar. Subitamente correu para a cozinha, e sentiu um alivio ao ver que não tinha queimado, mas se demorasse mais estaria tudo somente o carvão.

Bella puxou uma das cadeiras da mesa dele, e sentou ali sem entender o que estava acontecendo.

O mundo enlouqueceu, ou Tanya realmente queria falar com ela?

Ela não sabia se era uma coisa boa ou ruim, mas tinha a certeza que tendo Edward por perto, jamais lhe aconteceria algum mal, pelo menos não físico. Seu emocional estava abalado, ela se sentia um nada literalmente. Jogava-se dentro de um poço de inferioridade, não sabia se era digna daquilo tudo. Se era digna dele.

Tinha medo de que suas necessidades masculinas falassem mais alto, e ele desejasse um par de seios maiores, um corpo volumoso, longas pernas torneadas, lindos olhos claros, longos cabelos louros… como de todas aquelas mulheres que ela vira sair de sua casa ao longo desses anos.

Esfregou os olhos com os dedos, e decidiu ir lavar o rosto, sabendo que Edward iria terminar o jantar. De alguma forma ou de outra, essa noite estava indo para ser aquela que colocaria um ponto final em toda essa história.

Para o bem ou para o mal.

Edward arrumou a travessa com sua obra de arte. Ele queria agradar Bella agora mais do que nunca, percebeu o quanto ela estava frágil e insegura, e hoje conversariam sobre isso.

Se fossem ter uma vida juntos, teria que ser transparente, sem desconfianças, sem medos, sem problemas… tudo o que ele queria era fazê-la feliz, ter pelo menos um pouco de dignidade de estar ao lado de tal precioso ser. Poderia talvez entender seus medos, mas não eram necessários. Edward se sentia capaz de ir até o céu e roubar uma estrela se ela pedisse.

Saiu da cozinha com o intuito de ir ver se ela estava bem, encontrou-a colocando um cd para tocar. Ele encostou-se na pilastra da sala, e ficou observando-a.

Já tinha os cabelos presos em um coque, e sustentados por um lápis preto, os pés já estavam descalços e roçavam no carpete cor de carne do chão de sua sala, e não pode reprimir um sorriso com tamanha visão.

Ela como se sentisse um olhar em suas costas, virou-se para encontrá-lo ali, preenchendo seu coração com aquelas batidas fortes e sentimentos loucos.

Como pudera de uma hora pra outra querer fugir dele e no segundo seguinte se jogar em seus braços?

O amor tem lá os seus mistérios.

Bella estendeu uma mão para ele, que foi até ela e segurou-a como se fosse o seu ar, seu fôlego da vida. A música dos Beatles os embalava.

Desculpe – ela moveu seus lábios, e ele os viu tão tentadores nesse momento.

— Desculpar pelo o que meu amor?

Por todo esse choro sem explicações, eu não sei o que aconteceu comigo – colocou seu lábio inferior entre os dentes, e o olhou por baixo de seus cílios.

Ela parecia uma pintura, como se não existisse… mas existia, e era dele, somente dele.

The Beatles - Words Of Love

Segure me próximo e diga como você sente

Diga me que o amor é real

— Shh… não se preocupe – ele sorriu, o sorriso preferido dela. – Quando estiver pronta, vamos conversar sobre isso.

Ela apenas assentiu e ele acariciou seu rosto, e começou a mover seus corpos no ritmo da música. Bella suspirou, sentindo-se ser levada por uma onda de paz, pelo menos por enquanto.

— Vamos jantar, está tudo pronto meu amor – Edward inclinou para lhe dar um pequeno beijo e ela retribuiu.

Lábios de mel.

Palavras de amor você cochicha suaves e verdadeiras

Querida eu amo você

Ele puxou-a para a cozinha, que o ajudou a colocar a mesa. Juntos desfrutavam de uma refeição, e se amavam com os olhos.

Palavras não são somente ditas com os lábios, mas também em gestos, pequenos olhares, toques… e assim ela o dizia. Sabia que muito tinha que evoluir em sua confiança, mas por agora permitiu-se desfrutar do momento, do amor, do homem a sua frente que lhe preparara um jantar, todo cuidadoso, e tudo feito para agrada-la.

Deixe-me ouvi-la dizer as palavras que espero ouvir

Querida quando você está perto

Edward tocou a bochecha dela com a ponta dos seus dedos, enquanto lhe cantava parte da música.

— Words of love you whisper soft and true – ela sorriu, sabendo que ele era impossível, e ele também sorriu sabendo que a agradava - darling I love you. – ele disse em sua melhor voz melosa.

Você é terrível – ela disse negando com a cabeça.

— Sou um homem apaixonado – aquilo quase a levou ao estado líquido. Seu coração bateu mais forte, e ela mordeu os lábios pensando em uma coisa que queria fazer.

Palavras de amor você sussurra tão calma e verdadeiramente

Querida eu amo você

Mas quando iria fazer algo, a campainha do apartamento foi tocada. Ela suspirou e eles sabiam bem quem era, enquanto Edward foi atender a porta, Bella retirou tudo da mesa, levando para a cozinha. De lá pode escutar bem a voz de Tanya.

Um arrepio de antecipação de algo percorreu a sua espinha, era como se estivesse no corredor da morte, talvez um grande exagero, talvez não. Quando colocou tudo na pia, tomou um belo gole de água, e foi para a sala.

— Boa noite Isabella – Tanya raramente a chamava de Bella, algumas vezes escapava, mas era um apelido tão intimo que não se via no direito de dizer. As vezes o fazia para implicar, era tão terrível como conseguia ser.

Bella apenas acenou com a cabeça, parando a alguns centímetros dela, e ao lado de Edward. Essa tinha as sobrancelhas franzidas em duvida e confusão.

— Agora Tanya diga logo o que deseja.

— Antes de tudo, quero conversar com Isabella primeiro, pode ser? – Bella assentiu. – Podemos ir para o seu quarto Edward, é algo… particular.

Edward não sabia se concordava, mas se Bella queria ele não colocaria objeção.

— Eu vou arrumar tudo na cozinha, fiquem à vontade – ele deu um beijo na testa de Bella e retirou-se. As duas caminharam até o quarto dele, onde Tanya entrou primeiro e Bella fechou a porta.

Bella sentou-se na cama dele e Tanya puxou a cadeira de sua escrivaninha para se acomodar.

— Isabella, você pode conversar comigo por língua de sinais, conclui o meu curso essa semana, para o meu novo trabalho. Quero lhe dizer por que queria ver Edward hoje. Estou indo morar em Orlando, consegui um bom trabalho na minha área, e eu precisava de um curso de língua de sinais. Eu sei que para você, sempre fui a megera, a que queria lhe tirar Edward – Tanya suspirou – Bem, e eu queria mesmo. Eu não vou lhe negar Isabella, amo muito o Edward, mas ele nunca correspondeu a esse sentimento, mesmo quando namoramos, não foi aquela coisa entende? Ele não tinha olhos para amar mais ninguém, Edward é cego, completamente cego de amor por ti.

Bella abriu os olhos ligeiramente, não entendendo o rumo que Tanya queria tomar naquele momento.

— Eu sei, você deve estar pensando ‘o que ela quer me falando essas coisas, se é apaixonada por ele?’ Sabe o que eu quero Isabella? Que você o ame tanto quanto ele te ama – os olhos de Tanya começaram a cintilar com lágrimas. – Edward merece ser feliz, merece ser amado com toda essa intensidade que eu vejo ele te amar. Desde a primeira vez que o vi, gostei dele, mas também vi ali o obstáculo do seu coração, ele despejava rios de amor pelo seu olhar quando estava ao seu lado, lhe tocando, falando com você, e parecia que seu cérebro não captou isso. Todos em Forks sabiam que ele te amava tanto, mas você nunca deixava todo o amor carnal que poderia ter por ele. Tentei dar a Edward um pouco do meu amor, o fazer sentir amado – ela encolheu os ombros. – Mas não era o amor que ele precisava. Cheguei a cogitar a hipótese de ele sofrer de amor platônico, e você nunca o amar da mesma forma. Só preciso saber Isabella, quanto você ama Edward?

Tanya era a única pessoa capaz de dizer a Bella tudo o que seus olhos não puderam enxergar ao longo dos anos, mesmo que seu coração fosse massacrado, por nunca ter o amor de quem queria, ela não podia ver Edward ser lançado assim a um amor que ela não sabia que ele poderia receber o que merecia.

Bella olhou-a com novos olhos, tratou de jogar todas as mágoas embaixo do tapete e lhe respondeu com sinceridade.

O amo mais do que a minha própria vida. Eu daria o ar que eu preciso para me manter viva, se fosse para ele estar bem.

Tanya levantou da cadeira, sentou-se ao lado dela, e segurou suas mãos. EIsabra o primeiro contato sincero que tinha com ela.

— Então o faça o homem mais feliz do mundo. Não tenha medo de nada, não tenha medo de mim, não tenha medo de nenhuma das biscateiras que passaram em sua vida – Isabella não pode evitar de sorrir com isso. – Ele a ama Isabella, ele não trocaria você nem por um harém de mulheres. Edward pode ter tido as mulheres que teve, mas nenhuma tem o valor que você tem para a vida dele, o ame como eu queria amar, permita-se ser amada como um dia eu quis, porque somente eu sei o que é a dor de um amor não vivido. Eu fui horrível com você todos esses anos, mas era inveja – Tanya já deixava as poucas lágrimas caírem – Inveja por ele te amar tanto, por eu querer lhe dar um amor, e ele ter olhos para outra. Mas depois de tanto tempo ele seguiu te amando, e ninguém vai lhe tirar ele. Por favor, prometa você vai o amar, vai lhe dar tudo o que seu coração pode, me prove que o ama tanto quanto você me disse.

Edward como um bom curioso teve que ir até a porta do seu quarto escutar algo, e pegou um pouco do que Tanya disse, mas com medo de ser pego voltou para a sala, sem saber se Bella prometera ou não o amar… mas seu coração não lhe enganava ‘me prove que o ama tanto quanto você me disse’ Bella o amava, disso ele já não tinha mais duvidas, mas o amor dele era nutrido cada vez mais ao saber disso.

Bella assentiu e Tanya sorriu para ela, suspirando um pouco contente, e soltando suas mãos para limpar seu rosto molhado pelas lágrimas.

— Quem sabe um dia não possamos ser amigas de verdade, mas para isso preciso do perdão da garota que tanto causei mal. Você me perdoa Isabella, por tudo que eu lhe diz durante esses anos?

Sim, lhe perdôo, e somente de saber que você ama Edward, e o quer bem já é um motivo a mais para que um dia possamos ser amigas. Somos adultas, as mágoas podem ser esquecidas, e tudo ser renovado.

— Obrigada por isso. – Tanya a abraçou, pegando-a de surpresa, mas que logo retribuiu o abraço. – Vou limpar meu rosto no banheiro, já volto.

Tanya levantou indo até o banheiro e rapidamente limpando seu rosto. Voltou encontrando Bella olhando para o nada, como se pensasse em algo.

— Vamos antes que Edward pense que nos matamos aqui dentro – essa riu, e Bella levantou com um sorriso no rosto. Fizeram o caminho até a sala, encontrando Edward sentado no sofá com a cabeça entre as mãos. – Hey cara, estamos inteiras – Tanya disse em tom de brincadeira.

Edward levantou o rosto analisando-as, sabendo que tudo realmente estava bem.

— Não posso ficar mais, então vou lhe contar o que eu queria Edward, estou indo para Orlando, e queria lhe contar isso. Consegui um bom emprego, e uma oportunidade de crescer.

— Sério? Fico feliz por você – ele era sincero, Tanya mesmo querendo passar outra imagem, era alguém que lutava por seu trabalho.

— Obrigada. Eu tenho que ir tenho coisas para resolver, mas antes quero desejar que vocês sejam felizes, os dois merecem, e não deixem qualquer pessoa se meter na história de vocês. Mesmo que um dia eu tenha sido essa pessoa, hoje eu vejo que contra o amor, nada pode ser mais forte. Desculpe por todas as minhas loucuras. Fiquem bem – Edward e Bella a acompanharam até a porta. – Até um dia, quem sabe.

— Até Tanya, seja feliz também você merece.

Todos merecem ser felizes, e encontrar o amor – Tanya mais uma vez abraçou Bella, e em seguida Edward.

— Adeus e obrigada novamente. – segundos depois Tanya sumia dentro do elevador, e Edward olhava para Bella, que tinha seus olhos fixos em um ponto vazio.

— Venha amor – ele segurou-a pela cintura, que sorrindo timidamente deixou-se ir para dentro.

Ela caminhou até o sofá, esperando por ele, que também sentia que agora é o momento deles colocarem a vida e os medos em pratos limpos.

0 comentários :

Postar um comentário