ED - Capitulo 4

Capítulo 4


Minha prima sorriu quando eu a fuzilei com os olhos e foi dançando para o bar.

- Ela é super espontânea, né?
- Ah sim. Ela é demais!

Ele sorriu e me beijou perto da orelha, me fazendo suspirar.

- Não. Você é demais.

Eu nem estava conseguindo acreditar que estávamos ali juntos sem que ela quisesse me matar. Bella era estonteante.

- Você não precisa puxar meu saco. Eu já te beijei, não foi?

E delicada como uma rosa. Alisei sua cintura, segurando-a forte para que ela não pudesse esquivar-se de mim e deixei minha boca bem próxima da sua, falando bem devagar.

- Sabe, estava pensando em repetir o beijo...

Dei um selinho no canto da sua boca e ela me retribuiu, virando um pouco o rosto para nossos lábios se encontrarem. Nós dois beijávamos muito bem, com certeza. Sentia seu corpo tremer aos meus toques e suas mãos agora passearem pelo meu peito.

- Você é linda!


Ele não sabe ficar de boca fechada não? Já estava me irritando essa mania dele de me elogiar o tempo todo.

- Edward, se você soltar mais um comentário irritante desse, eu te deixo aqui falando sozinho!
- O que eu disse de mais?
- Você ainda pergunta?

Ele riu e eu senti suas mãos me apertando a cintura. O engraçado é que ele devia estar fazendo um pouquinho de força naquele movimento e para mim pareciam cócegas.

- Não me quebra, ok?

Dei uma de mentirosa. Eu sabia que homem adora se achar o forte. Por enquanto, deixaria ele achar que era. Senti braços envolvendo meu pescoço e não eram os dele. Kiara tinha voltado e agora dava uma de lésbica para cima de mim.

- Minha prima é linda, né? Fala sério!
- Menos Kiara...
- Deixa de ser boba, Bella! Você arrasou a festa quando chegou. Bem vim umas garotas aí falando mal de você, por pura inveja.
- Não acho realmente que minha aparência esteja incomodando alguém, Kiara.

Ela riu e me soltou, encostando na parede do lado de Edward.

- Ah querida. Você é deslumbrante. Mas não é por causa da sua aparência... E sim da sua companhia!

É chato ser gostoso. Bella me olhou contrariada e torceu a cara para Kiara, que me deu um tapinha no braço.

- Vou ao banheiro!
- Eu vou também.

Bella saiu atrás dela e eu não pude deixar de notar sua comissão... er... traseira.

Quando chegamos no banheiro, eu entrei junto com Kiara e fechei a porta.

- Ei! Olha Bella, eu sou sua prima e tal, mas gosto de privacidade para fazer xixi, sabe?
- Cala a boca!

Ela grudou na bancada da pia e me olhou assustada. Ótimo.

- Quantas vezes eu preciso dizer para não se meter na minha vida, ou para me deixar em paz, ou simplesmente para ficar na sua?
- U-uma?
- Não! Porque uma já foi!
- Ok. Du-duas?

Mas ela era cínica demais, né? Kiara sorria me mostrando seus dentes e eu tive vontade de socar sua cabeça no espelho, mas me controlei.

- Estou falando sério, Kiara.
- Tudo bem, já entendi. Credo!

Me afastei dela, dando-lhe espaço para respirar e aproveitei para me olhar no espelho. Minha maquiagem ainda estava intacta. Essa é a vantagem de ser vampira. Não transpirar.

- A propósito, o que exatamente falaram sobre mim?

Esperei pela resposta, mas ela não falou nada. A olhei pelo espelho e vi que ainda estava congelada no mesmo lugar.

- Kiara?
- Ah. É para responder? Achei que você pudesse estar só me testando...

Onde foi que me arranjaram essa prima?

Kiara deu um sorriso amarelo quando percebeu que eu realmente estava esperando por uma resposta.

- Bem, eu ouvi umas garotas falando que você é bicho-do-mato.

Ela mordeu os lábios quando terminou de falar e desviou os olhos de mim. Não tinha nem coragem de ficar me encarando...

- Foi isso? Ok.
- E que Edward só está saindo com você por caridade.

Eu podia ficar facilmente com raiva se ela continuasse falando, então fiz um sinal com a mão, pedindo para que ela parasse. Nem estava irritada, queria aproveitar a minha noite. Retoquei meu batom e fui saindo do banheiro, com Kiara atrás de mim.

- Você não vai fazer nada, né? Tipo, de brigar? Porque eu odeio barracos!
- Não farei nada, fique tranquila.
- Ainda bem.

Eu quase caí quando ela me abraçou forte e deu um tapinha na minha bunda, piscando para mim em seguida.

- Arrasa, prima!

Kiara era lésbica? Eu espero que não, ou teria que passar a andar 100% vestida dentro de casa. Procurei por Edward pela casa e o encontrei com um grupo de amigos perto de onde nós estávamos antes.

Ela era super gostosa! Bella voltava, andando devagar com se não tivesse a mínima pressa. Teve um momento bem rápido em que ela passou a língua pelos lábios vermelhos e eu quase caí duro.

- Demorei?
- Para uma mulher, até que não. Foi razoavelmente rápida.

Música (Capital Inicial - Ao Vivo "Mulher de fases):

http://www.youtube.com/watch?v=aCjjt40SXWI

Nós fomos pegos de surpresa quando uma banda começou a tocar na festa e todo mundo quase passou por cima de nós para chegar próximo da banda. Edward estava com uma cara de lesado, talvez abalado pela minha aparência.

- Seria bom você fechar um pouco a boca, sabe? Não quero ser vista ao lado de um babão.
- Eu não...

Ele ia responder, mas parou no meio da frase, quando deve ter percebido que estava quase babando mesmo. Edward desviou os olhos e se virou em direção à banda, me puxando pela mão para o meio da multidão.

- O que está fazendo?
- Tentando te divertir...
- Eu não preciso ficar pulando que nem retardada junto com um bando de gente, para me divertir!
- Bella, eu parei de prestar atenção no meio da sua reclamação.

Olhei com raiva para ele, querendo deixá-lo sem nenhum dente dentro daquela boca, mas me controlei e resolvi prestar atenção nos roqueiros que achavam que sabiam cantar.

Eu notei que ela começou a balançar levemente o corpo para frente e para trás no ritmo da música e não pude deixar de comentar.

- Parece que alguém está gostando...
- Talvez.
- Eles são bons, né?
- Melhor isso do que ouvir sua voz.

E... Ponto para ela. Calei a porra da boca e a deixei curtir o resto da música.

O ponto alto daquela droga de festa tinha realmente sido a banda tocando. Depois que ela parou, tudo voltou a ficar um tédio.

- Eu vou embora.
- Hein?

Acho que peguei ele de surpresa, pois quase cuspiu a cerveja clandestina que estava tomando e se engasgou.

- Vou e-m-b-o-r-a. Foi devagar o suficiente ou prefere que eu faça em slow motion?

Ele franziu a testa e entendeu o que eu disse, passando a mão pelos cabelos.

- Mas já? Não são nem...
- Já são quase 01h.
- Exatamente!

Não importa o fato do meu pai não ligar para o horário que sua filha vampira chegava em casa, o que importa é que eu usaria minha aparência de adolescente frágil e indefesa.

- Tenho hora para voltar para casa.
- Tem hora? Isso não é sério, é?

Deixei ele falando sozinho e comecei a me dirigir à porta de saída, sabendo que ele vinha correndo atrás igual qualquer cachorrinho de rua que você alimenta um dia.

Como assim aquela bunda ia... digo... Bella ia embora? Lá ia eu me humilhar e implorar por uns segundos a mais de sua atenção. Parece até bruxaria isso.

- Bella, espere!

Segurei seu braço assim que colocamos os pés no quintal da casa e a fiz virar para me olhar.

- Calma! Esqueceu que veio comigo? Eu tenho que levá-la de volta.


Ah que maravilha! Eu chegaria tão mais rápido com meus próprios pés...
Entrei no carro mesmo sem vontade e encostei a cabeça no banco, me preparando para os minutos de tortura.

- Eu não sabia que você precisava ir cedo. Devia ter me dito antes...
- Não achei que devesse satisfação para você,

Ele suspirou e ligou o carro, finalmente. Edward parecia estar dirigindo que nem uma lesma. Eu tenho certeza que ele não dirigia tão devagar desse jeito.

Espero que ela não reclame da velocidade nem perceba nada. Só estou querendo enrolar a situação, qual o problema? Estava me aproximando de um sinal verde, mas eu tinha certeza que ele ia ficar vermelho já já. Parei o carro, mas Bella me olhou enfezada.

- Que idiotice você pensa que está fazendo?
- Parando no sinal...
- VERDE?
- Vai fechar.
- Está verde, Edward!

Fecha, cacete! Fecha! Ficou amarelo e eu sorri para ela.

- Viu, está fechando?

Ela revirou os olhos e eu vi que estava tocando a trava da porta, para abrí-la. Precisei me adiantar.


Ele debruçou sobre mim e segurou minha mão. Eu podia arrancá-la e deixá-lo dono de uma mão só, claro, mas não dava para fazer isso.

- Não vai. O sinal já vai abrir.
- Se você continuar dirigindo a 40km/h eu juro que salto do carro com ele em movimento.
- Ok. Está bom a 60km/h?

Conta até dez, Bella.

Música (Miley Cyrus - The Climb):
http://www.youtube.com/watch?v=NG2zyeVRcbs

Fiz as contas. Se ele mantivesse a direção a 60km/h eu chegaria em 15 minutos em casa. OMG. Uma eternidade. Pegaria mal também eu saltar do carro em movimento e nada acontecer, né? Achei melhor aturar o lenga-lenga da pessoa.

- Dirija, Edward.
- Ok.

Quando a droga do sinal ficou verde de novo, ele arrancou com o carro. Bem, arrancar é modo de falar. Lesma não arranca, lesma se move.

- O céu está estrelado hoje!

Era sério que ele estava puxando assunto sobre o céu? Olhei para ele sem acreditar e ele sorriu, murchando o sorriso logo em seguida ao ver minha animação.

- Eu juro que estou tentando...
- Não tente.
- Ok.

Nos minutos seguintes o silêncio imperou dentro do carro. Edward tinha finalmente desistido de tentar, sejá lá o que ele estivesse tentando. Quando paramos em frente minha casa, ele destravou as portas para que eu saísse.

- Boa noite.

A pessoa tinha ficado séria mesmo, até estranhei a voz ríspida e grossa.

- Boa noite.

Eu levei a mão à maçaneta da porta no momento em que fui puxada pela cintura e jogada no espaço entre os dois bancos. Edward já estava me beijando e subindo em cima de mim, furioso. Ele parou de me beijar e me olhou como se tivesse se arrependido do surto psicótico e suspirou.

- Desculpe. Eu... vou deixá-la ir.

Ele era retardado ou o que? Quando faz algo decente resolve pedir desculpas? Puxei-o pla gola da camisa e o encarei.

- Eu te aturo a noite toda e quando você faz algo que preste, resolve ir embora?

Eu fiz? Achei que fosse voltar de olho roxo para casa... Ela puxou meu pescoço e me beijou, alisando minhas costas. Aproveitei então a bandeira branca para sentí-la melhor, protegido pelos vidros pretos. Deixei minha mão escorregar por dentro de sua blusa e senti sua pele perfeitamente lisa arrepiar com meu toque. Era um pouco gelada, mas quem se importa?

- Você é linda...

Ela não respondeu, mas gemeu baixinho com minha outra mão apertando sua coxa. Eu queria cada pedaço de Bella SWan para mim. Era possível, isso? Nosso beijo estava tão intenso que cortei meu lábio e senti o gosto de sangue na boca. Bella me empurrou nessa hora, chegando a me machucar um pouco o peito.

Sangue!

- Eu preciso ir.
- Mas...
- Tchau!

Fiz malabarismo e consegui sair do carro, andando o mais rápido possível para me afastar do cheiro do sangue dele.


0 comentários :

Postar um comentário