BMO - Capitulo 4

Bella POV


Ainda não acreditava em como de repente minha vida tomava um rumo tão diferente do que imaginei. Eu que já tentava me acostumar com a idéia de dar minha filha para adoção, agora tinha a chance de viver ao lado dela, dando-lhe boas condições de vida. Graças a esse anjo chamado Jasper.


Desviei os olhos da cidade maravilhosa que se abria em luzes para mim e olhei para o Jasper. Ele levava Melaine em seu colo, totalmente vidrado nela. Olhei novamente pela janela do carro que seguia pelas ruas de Paris.Como se não bastasse nos trazer para cá, Jasper ainda comprou algumas roupas. E agradecia a ele por isso. A temperatura estava bem abaixo do que eu estava acostumada.


A cidade era linda. Perfeita para um recomeço. Recomeçar pelo menos em parte. Meu coração estaria pra sempre machucado, faltando um pedaço. Pedaço que pertencia a ele. Às vezes eu me perguntava se eu era mesmo uma adolescente. Nunca ouvi falar de um amor assim em pessoas da minha idade. Geralmente vinham e iam como uma chuva de verão. Mas em mim... estava incrustado e pelo jeito, sem chance alguma de sair. Ainda mais tendo minha filha para me lembrar a todo instante de quem era seu pai.


- Está tudo bem, Bella?
- Sim, Jasper. Estou admirando a cidade. É belíssima.
-Eu também gosto muito daqui. Alice então... adora.
- Jasper... tem certeza que não irei causar nenhum problema com sua esposa?
- Fique tranqüila, Bella. Alice é maravilhosa. Amanhã cedo ela estará aqui.
- Disse que ela foi visitar o irmão?
- Sim. Alice é apaixonada por ele. Mas ele tem vivido uma fase complicada, está bebendo demais e... bom...vamos deixar isso pra lá.


Às vezes eu me esquecia que as outras pessoas também tinham problemas e não apenas eu. Coitada da Alice tendo que lidar com uma situação como o alcoolismo. Já li muito sobre isso e sei que não é uma situação tão fácil de se contornar.


Menos de dez minutos depois o carro estacionava em frente a uma belíssima mansão de dois andares. A casa toda branca era cercada por um imenso jardim florido.


- Nossa, Jasper... que casa linda.
- E tem uma surpresa pra vocês.
- Pra nós?
Ele me entregou Melaine e deu instruções ao motorista pra que levasse nossa bagagem.
-Ainda não temos empregados. Alice mudou-se para cá ha muito pouco tempo. Esse motorista está na família dela ha anos. Alice é muito exigente, sabe? Mas tenho certeza que irá amar você.


Entrei com Jasper e reparei na elegância da decoração, tudo de muito bom gosto. O piso em mármore escuro dava um toque sofisticado à casa.
-Vamos direto para o seu quarto, Bella. Sei que deve estar cansada da viagem.


Ao entrar no quarto que Jasper indicou minha boca se abriu de espanto e admiração. Era um quarto enorme em tons de lilás e branco. Andei pelo quarto reparando no berço ao lado da cama e depois no imenso banheiro em mármore branco.


-Meu Deus, Jasper...é aqui que irei ficar?
- Gostou? Pensei que talvez gostasse que a Mel ficasse aqui com você. Mas iremos providenciar um quarto só pra ela. É que ela é tão novinha ainda.
- Mas Jasper...eu serei uma espécie de empregada para sua esposa. Não posso ficar num quarto como esse.
- E por que será empregada deverá ter péssimas acomodações? Um quarto minúsculo que cabe apenas uma cama? Alice iria me matar se eu fizesse isso, Bella.
- E o berço?
Ele deu um sorriso largo.
- Liguei para o Félix, nosso motorista e pedi que providenciasse. A decoração do quarto já estava assim.
- Você é um anjo em minha vida, Jasper. Nem sei o que dizer.
- Diga que gostou.
- Amei... adorei...Jasper...eu juro que irei retribuir tudo o que está fazendo por nós.
Ele me abraçou e depositou um beijo na testa da Mel.


- Retribua sendo feliz, Bella.Quem sabe um dia você não reencontre o pai da Mel. você ainda gosta dele?
- Eu... o amo demais, Jasper. Mas sinto que jamais irei vê-lo novamente.
- Eu não penso assim. Sabe... eu imagino que nossa vida, o mundo em que vivemos seja como uma espécie de relógio. Nós somos os ponteiros. Sendo assim... inevitavelmente iremos nos encontrar um dia, Bella. A vida é assim.


Sem que eu conseguisse segurar, minhas lágrimas surgiram abundantes, deslizando pelo meu rosto.
-Eu queria... pelo menos saber como ele está. Se conseguiu... consertar a bagunça que fiz em sua vida.
-Eu não conheço totalmente sua história, mas tente pensar pelo lado positivo. Talvez não fosse o momento certo de estarem juntos.


Guardei as palavras do Jasper, tentando acreditar que um dia, quem sabe, eu veria Edward novamente. Eu o amava tanto que nem me importava se ele nem me olhasse... queria apenas que ele estivesse bem.


Pouco depois Jasper me deixou a sós com Melaine. Dei um banho nela, alimentei e coloquei para dormir. Somente depois tomei um longo banho. Arrumei minhas roupas no imenso closet...sobrou espaço, é claro.
Já era noite quando Jasper bateu à minha porta.


- Oi? Vim chamá-la para jantar.
- Posso te fazer companhia. não estou com muita fome.
- Ah... mas tem que se alimentar. Como vai amamentar? Aliás... a Mel está dormindo?
- Sim.
- Então venha. Eu mesmo fiz o jantar.
- Sério? Não sabia que era prendado.


Desci com Jasper e nos sentamos para almoçar. Preparou uma massa que realmente estava deliciosa.
- Alice me ligou. Chega amanhã bem cedo. Conseguiu convencer o irmão a vir com ela.
- Sério? Que bom pra ela. Talvez uma mudança de ares seja bom. Sabe que já me sinto um pouco mais animada?
- Fico feliz por isso, Bella. Você é tão jovem e já passou por tanta coisa ruim. Está na hora de ser feliz.
- O que terei que fazer realmente aqui, Jasper?
- Pra ser sincero, eu não faço a mínima idéia. Terá que conversar com a Alice mesmo. Mas como já te falei... ela é ótima. Não é só porque é minha esposa. Ela tem um coração enorme. E aposto como vai se apaixonar pela pequena.


- Você gosta muito dela, não é?
- Completamente apaixonado por ela. A família dela é toda apaixonante, pra dizer a verdade. Terá oportunidade de conhecê-los também. Já vi que a Mel será o xodó da família, já que nenhum dos filhos deu um neto aos meus sogros.
- Entendo.


Engoli em seco. Era triste saber que pessoas que gostavam tanto de crianças não tinham o prazer de conviver com uma. Ao passo que meus pais talvez jamais viessem a conhecer a neta porque não quiseram.


Ainda fiquei um bom tempo conversando com o Jasper. Logo em seguida subi. Jasper foi comigo para dar um beijo em Melaine que ainda dormia.
- Ela é muita linda...nossa.
- Obrigada. Mas é a cara do pai...
Fui interrompida pelo toque de mensagem no celular dele.
- Alice...
Leu a mensagem e sorriu.
-Fizeram uma escala agora e ela aproveitou para me mandar a mensagem. Mandou te desejar boas vindas.
- Obrigada.
- Bom... vou deixá-la dormir. Boa noite.
- Boa noite, Jasper. Mais uma vez, obrigada.
- Durma bem, querida.


Jasper fechou a porta silenciosamente. Tirei minha roupa e vesti uma camisola. A noite estava fria, mas o quarto era muito bem aquecido. Dei uma ultima olhada em Melaine e depois me deitei. Estava exausta, essa era a verdade. Melhor dormir cedo, pois no dia seguinte iria conhecer a Alice. E que Deus me ajudasse a ser tão bem aceita quanto fui por Jasper.


Alice POV


Perdi a conta de quantas vezes eu rezei nessa noite. Agradecendo a Deus por ter me ajudado a trazer esse cabeça dura comigo. Meu coração se apertava toda vez que olhava meu irmão e via a tristeza que o dominava. Edward era tão lindo, cheio de vida... e estava praticamente morto.


Não tinha ânimo para mais nada, exceto para beber. Por muito tempo minha família deixou de se envolver com os problemas dele. Ele simplesmente se recusava a nos ouvir. Era até estranho ver um homem como Edward completamente apaixonado por uma garotinha. Creio que ela tinha pouco mais de dezesseis anos. Coitado do Edward. Garotas nessa idade nunca se apaixonam como ele queria. Pelo menos eu nunca ouvi falar num caso assim. Por outro lado, pelo que ele me falou, ela foi expulsa de casa. Como estaria se virando? Estremeci só em pensar nas possibilidades.


O pior de tudo era saber que talvez Edward jamais viesse a reencontrá-la. O que eu poderia fazer para ajudá-lo a se reerguer?
Era tanta coisa em minha mente. Ainda tinha a nova "secretaria" que jasper me arrumou. confiava plenamente no meu marido. Mas uma garota nova e ainda por cima com filho? O problema nem era tanto o bebê, afinal nós tínhamos condições de ajudar. Mas será que uma garota tão jovem teria maturidade para ser quase um braço direito pra mim? Duvidava muito.


Toquei a mão de Edward que estava de olhos fechados. A viagem foi cansativa demais.
- Dormindo?
- Não. Apenas pensando.
- Nela?
- Como sempre.
Suspirei profundamente. Acho que era um caso perdido.
- Já vamos desembarcar, Edward.


Meu motorista Felix já nos aguardava. Eram quase sete da manhã quando finalmente entramos no carro.
-Oi, Felix. Como estão as coisas?
- tudo bem, Alice.
Eu exigi não ser chamada de senhora. Afinal, Felix me conhecia desde criança.
- Edward... que surpresa vê-lo.
Os dois apertaram as mãos.
- Faz tempo realmente, Félix. Como tem passado?
- Muito bem, obrigado.
- Vamos pra casa, Felix. Estou exausta.
- O senhor Jasper chegou ontem a tarde. Ele e a garota. Nossa... ela tem um bebê lindo.
- Sim, o Jasper me falou.


Edward estava no banco de traseiro,a cabeça tombada para trás e os olhos fechados.
- Chegamos, Edward.
Ele abriu os olhos e olhou um bom tempo para a fachada da casa.
- Pra que isso tudo, Alice?
- Eu quero ter muitos filhos, Edward. Precisava de uma casa bem grande.
Ele riu um pouco.
-Vamos entrar?
- Pode ir na frente. Vou dar uma olhada no jardim.


Nesse momento Felix foi até ele e começaram a conversar. Entrei sozinha. Estava louca de saudades do meu marido. Assim que entrei na sala, eu o vi sentado no sofá com um bebê no colo. Ao ouvir meus passos, ergueu os olhos.


- Amor...
O amor que vi em seus olhos me emocionou. Fui até ele e beijei-o apaixonadamente. Finalmente estaríamos juntos, todos os dias. Amava Jasper quase com loucura.
- Que saudades, Jasper. Sinto demais a sua falta.
- Eu também, querida.
- E esse bebê? É a filhinha da...


Antes que eu terminasse de falar, Jasper girou o rostinho do bebê em minha direção. Em choque eu dei um passo para trás. Meu coração parecia que ia saltar do peito ao olhar aquela massa de cabelos cor de cobre, os olhos muito verdes fixos em mim.
Levei minhas mãos ao peito, querendo acreditar que eu ainda sonhava.


- Alice? meu amor o que houve? Essa é a Melaine...o bebê que lhe falei. Filhinha da Bella....
Só então eu comecei a ligar as coisas. Jasper havia me dito esse nome antes? Não me lembrava. Mas...Bella....Bella. E aquele bebê? Por Deus era a cara do Edward quando criança.
- Deixe-me ver esse bebê, Jasper.


Ele me entregou a criança ainda sem entender o motivo da minha reação. Afastei um pouco a manta que cobria seu corpo e arfei. Deus... até as pintas que Edward tinha esporadicamente pelo corpo estavam presentes ali... naquela garotinha.


- Meu Deus do céu, Alice. O que foi? E onde está Edward?
- Olá?


Uma voz suave e doce se fez presente na sala. Girei meu corpo e dei de cara com uma mocinha pálida com longos cabelos cor de mogno. Os olhos cor de chocolate pareciam assustados. Fechei meus olhos com força. Eu jamais me esqueceria da descrição perfeita que Edward fez da garota que vinha tirando seu juízo. A própria...bem ali à minha frente.


Entreguei a garota a ela e fui até jasper distribuindo tapas em seu peito.


- Seu tonto... maluco... o que deu em você? Você é cego ou o que?
- Deus....o que eu fiz?
- Bella, Jasper....Bella Swan. Quantas vezes ouvimos esse nome em nossa casa?
A garota arregalou ainda mais os olhos.
- E por Deus... como não reconheceu? Jasper... esse bebê é a cara do Edward. Está na cara que Edward é o pai dessa criança.
- Ah...Deus...


Bella segurou-se com força no sofá, apertando a criança em seu peito com a outra mão. Eu precisava segurar Edward lá fora mais uns minutos. Mas antes que eu desse um passo, ele entrou na sala. As malas que ele trazia caíram ao chão quando ele viu a figura ao lado do Jasper.
Sua voz não foi mais que um lamento agoniado.


- Bella...
Ela por sua vez levou a mão aos lábios, as lágrimas correndo pelo seu rosto.
- Ed...Edward...


Ele caminhou até ela. Jasper e eu estávamos completamente sem ação. Ao ficar cara a cara com ela. Edward estendeu a mão e pegou o bebê do seu braço.
Um soluço lhe escapou ao mesmo tempo em que se entregou ao choro.
- Minha... meu bebê...


Sentou-se no sofá , os olhos marejados fixos na garotinha que agarrou seu dedo.
- Minha filha...


Aproximei-me de Bella e dei um beijo em seu rosto.
- Seja bem vinda. Não sei se é o momento, mas acho que precisam ficar a sós.
Depois segurei a mão do Jasper.
- Venha Jasper. Eles precisam conversar.


Saímos da sala, deixando-os. Esse era o momento deles. Eu comecei a gostar da Bella nesse momento. Porque eu sabia que ela era a única capaz de devolver a vida ao meu irmão. E como eu nunca me enganava, eu tive a certeza que o que vi em seus olhos foi o mais puro amor.


"A tristeza de uma despedida é necessária para que haja a alegria de um reencontro."(Edmundo Dragon Heart)

0 comentários :

Postar um comentário