TCS - Capitulo 23


Capítulo 23.




Era manhã de quinta-feira e resolvi ir comprar o peru e as outras coisas para a ceia. Fomos todas no meu carro. Estacionei e olhei para a entrada do supermercado. OMG.

- Ei, estão dando doce?
- Não... estão vendendo peru...
- Putz, vai acabar em cinco minutos!

Lauren me olhou com cara de louca.

- Ok, prestem atenção! Nós vamos entrar e cada uma vai para um lado. Não percam tempo olhando prateleiras, corram direto até os perus! Agarrem o que virem pela frente! Se for preciso, soquem, batam, quebrem, puxem o cabelo! Mas nunca, em hipótese alguma, solte o peru!

Eu tremi. Fiquei com medo de Lauren. Ainda bem que eu estava no time dela. Chegamos na porta do supermecado e esperamos a loja abrir, nos espremendo no meio da multidão. Dez minutos depois, um funcionário veio abrir a porta, quase sendo jogado no chão. Eu não lembro direito, só sei que corri, entrando pelos corredores em direção à parte de carnes e aves. Já tinha um bando de gente aglomerado em volta do lugar onde estavam os perus. OMG, como eu chegaria até eles? Quando eu cheguei, depois de levar uns cinco pisões no pé e umas vinte cotoveladas, o troço estava vazio, com as pessoas gritando umas com as outras. Então eu avistei Jess de longe, com um peru na mão, fazendo cabo de guerra com uma outra mulher. Corri até ela. Lauren e Angie chegaram junto comigo.

- Jess, você conseguiu!
- Consegui se essa baranga soltar nosso peru!

A mulher rodou baixou a pombagira ali.

- Baranga lá na sua casa! Solta esse peru que eu peguei primeiro!
- Mentira, você segurou depois que eu puxei!
- Solta!
- Não solto!

E lá ia embora o meu jantar de Ação de Graças. Ou não... Lauren abriu a bolsa e pegou uma caneta.

- Ô maldita, eu furo teu olho! Solta essa porra de peru agora!

Lauren estava quase espumando, com a caneta apontada para a cara da mulher. Céus, eu podia sair correndo e fingir que não as conhecia?

- Credo, vocês são delinqüentes!

A mulher soltou o peru e saiu correndo. Mas o show da Lauren ainda não tinha acabado. Não satisfeita, ela ainda botou a mão na cintura e gritou para a mulher.

- E não volte nunca mais aqui hein!
- Lauren, vamos...

Eu a puxei pelo braço antes que ela resolvesse bater em alguém. Terminamos o resto das compras e fomos embora. Chegamos em casa e eu fui para a cozinha com a Jess, que era a única ali além de mim, que sabia cozinhar.

- Vai rechear logo o peru Bella?
- Vou... vai acendendo o forno...

Trabalhamos em conjunto e posso até dizer que foi agradável. Era legal quando Jess não começava a dar uma de histérica. As horas passaram rápido, e quando James chegou eu estava terminando de colocar a mesa.

- Oi meninas! Oi Bella!
- Mas já? Você não tem nada para fazer em casa não?
- Na verdade não...

Ele sorriu e me beijou na testa. Depois foi até Angie e a beijou na boca, abraçando-a pela cintura. Eu podia jurar que estava começando a gostar deles como casal. Pelo menos James não estava mais irritante.

- Ok, a mesa está pronta, a comida também, só falta tirar o peru do forno. Vou subir para tomar banho...
- Vai lá Bella, eu faço sala para os Cullens se eles chegarem.
- Tem certeza Angie?
- Claro! Já que eu não cozinho, tenho que fazer alguma coisa né?
- Hum... posso pensar em algo legal para você fazer An...
- James!

Nós duas gritamos com o tarado. Hoje não, por favor... Tomei meu banho e estava trocando de roupa quando Edward entrou no quarto.

- Senti o cheiro bom lá de baixo...
- Do peru?

Ele torceu a cara.

- Do seu sabonete.
- Ah.

Abri um sorrisão e pulei no seu colo, beijando seu pescoço.

- Imagina se eu fosse vampira... poderia te morder agora... tão fácil...
- Claro! Eu sou tão fácil de se pegar...
- Você é fácil demais Edward! Caiu na minha rapidinho!

Ele riu e me jogou na cama.

- Olha como fala... vou te fazer implorar para eu parar...

Passei a mão pelos seus cabelos e o beijei. Sua boca macia tocava a minha.

- Hoje não... temos que descer.
- Odeio essa porra de jantar!

Ele saiu de cima de mim resmungando. Peguei-o pelo braço e saí do quarto.

- Vieram todos?
- Sim, até Hazel.
- Que ótimo!

Estava descendo as escadas quando tive uma crise de risos. O que era aquilo que eu estava vendo? Emmet e Hazel usavam uma roupa igual. Calça cáqui e blusa pólo preta. Pai e filho?

- Edward...
- Nem pergunte. Acho que Emmet sempre quis ser pai... aí deu nisso.

OMG. Isso era totalmente engraçado. Se Emmet fosse loiro, seria hilário.

- Hey Bella!

O grandão me deu um abraço que me tirou o ar e espremeu minhas costelas. Edward lhe deu um safanão.

- Retardado, ela não é forte que nem você!
- Ops, desculpe.

Ele sorria que nem criança grande.

- Oi Hazel...
- Oi Bella, você está uma gata!

Hein? Edward me olhou fazendo careta.

- Coisas de Emmet... está estragando o garoto.
- Você aprendeu isso com o Emmet, Hazel?
- Não! Eu tenho bom gosto, só isso...

Ele aprendeu com o Emmet.

- Então, essa janta sai ou não sai? Estou faminto!

Todos olharam para James. Inclusive eu. Ele se achava engraçado. Hazel o olhou e foi até ele, que estava sentado no sofá.

- Você é um de nós.
- Ei, você é o baixinho? Legal! Já está famoso...
- Posso provar seu sangue?

James olhou para Edward.

- Que merda é essa? Ele acha que sou posto de gasolina?
- Querido, o James não vai te alimentar, ok? Deixa tio James quietinho aqui...

Alice falou delicadamente com Hazel, enquanto se desmanchava de sorrir para James. Jasper estava... cadê Jasper? Achei. Ele estava encarando Jake. Os dois pareciam estar conversando, ou algo do tipo. Eu definitivamente tinha entrado para uma família bizarra!

- Vou tirar o peru do forno, com licença...
- Por mim ele pode até queimar...

Rosalie, agradável como sempre.

- Não diga isso! Tive que ameaçar furar o olho de uma mulher para podermos trazer esse peru!

Rosalie encarou admirada o que Lauren dizia.

- Furar o olho? E você furou?
- Não... porque ela soltou o peru.
- Incrível! Uma pessoa inteligente nesta casa!

Ok, fui para a cozinha antes que me irritase com essas duas loiras malignas.

- Bella!

Ah não, não podia se ter paz naquela casa? Lá vinha James atrás de mim me irritar...

- O que foi agora?
- O que você acha da Angie?
- Muito legal! Por quê?

Ele sorriu e passou a mão na cabeça. James estava... encabulado?

- Acho que estou... meio que me apaixonando.

OMG. Repete que eu vou filmar...
Segurei o riso e fiz cara de séria.

- Sério? Quem dirira...
- Ela é super foguenta na cama...
- Ok, James... não se conta intimidades de amigas para as outras amigas... eu não quero saber.
- Você é chata demais, sabia? Ainda bem que Edward te mordeu primeiro.
- O que quer dizer com "ainda bem"?

Fiz o sinal das aspas no ar, para frisar bem a minha pergunta.

- Se ele não tivesse te mordido eu ainda estaria te disputando. Olha só do que eu me livrei...
- James, se você não sumir agora da minha frente, eu vou tacar o peru na sua cabeça!
- E vocês vão comer o que?

Eu estava falando sério. Abri a porra do forno com raiva e ele saiu correndo dali. Que orgulho, o peru estava lindo e dourado! E cheiroso!

- Podem sentar-se que já estou levando o peru!

Eu pude ouvir um resmungo de Rosalie.

- Não sei para que... não vou comer essa merda mesmo...

Respirei fundo. Não ia estragar meu jantar por causa dela. Fui para a sala, com a bandeja do peru na mão. Não sei por qual motivo, mas Jake-moicano-azul resolveu sentar no meu caminho e tropecei nele. Dali em diante parecia que tudo tinha ficado em câmera lenta.

- Ohhh meeuuu...
- Peeeegggaaaa!!!!
- Nãããooo ddeeiiixxxeee ccaaaaiirrrr!!!!!

Eu vi a bandeja voar pelo ar e Edward saltar da cadeira, correndo na minha direção. Faltando uns cinco centímetros para o meu lindo peru tocar o chão, Edward segurou a bandeja. A câmera lenta passou e todo mundo respirou aliviado. Estavam todos sentados, graças as cadeiras a mais que coloquei na mesa. A família tinha ficado grande!

- Quem fará a oração?

Angie perguntou sorrindo. Os vampiros a olharam incrédulos.

- Mentira que tem isso? Eu não vou rezar!
- Rose...
- O que Edward? Já basta eu ter sido arrastada para cá...
- Vocês não precisam rezar, claro!
- Eu rezo com você An!
- James, não nos envergonhe...
- Me deixa Emmet... vai dar papinha para teu filho.
- Eu não sou filho dele! Sou filho do Lestat!

Jess gritou.

- Lestat? Lestat? Lestat? Lestat?
- Alguém pode bater nas costas dela?
- Cuidado, não bata muito forte ou ela pode piorar!
- Lestat? Lestat? Lestat?

Rosalie se levantou de cara feia.

- Se ninguém quer bater, eu bato.

Ela deu um tapa nas costas de Jess, que os vizinhos provavelmente ouviram. A garota ficou amarela, depois verde e passou para o roxo.

- OMG, Jess... você está bem?
- S...i...m...
- Viram só? Bem melhor sem a vitrola quebrada!
- Mulher, você é a minha ídola!
- Obrigada, você também Lauren!

Eu nem tinha palavras. Sério mesmo.

- Ele existe mesmo?
- Quem Jess?
- Les...
- Não repita esse nome de novo! Vai travar novamente!
- Existe.
- Eu quero...

Jess fez bico pedindo o próximo presente de Natal dela. Eu não tinha condições de presenteá-la.

- Cara, o Lestat escraviza as mentes das mulheres...

James ria da situação, claro. Emmet de repente abaixou a cabeça e ficou quieto.

- Em, o que foi?
- Nada não.
- Fala logo imbecil.
- É que... vocês falaram em escravizar... e isso me lembrou... a Escrava K... fugiu de mim...

OMG. Ri internamente.

- Você que pensa...

Eu juro, que eu falei como um sopro, era só para eu mesma ouvir. Mas eu esqueci da super audição deles. Emmet levantou a cabeça com os olhos parados em mim.

- Como assim?

Ow. Rosalie me olhava com o maxilar travado. Morri.

- Pensei alto. Vamos rezar?
- Bella...

Edward passava a mão na cabeça.

- Como assim?

Emmet não ia desistir, pelo visto. Edward resolveu me salvar.

- Nós encontramos com a Escrava K. Lestat a comprou no eBay, né Rose?

Ihhh, jogou na cara! Eu amava esse homem! Emmet socou a mesa. Lauren segurou o peru.

- Rosalie Hale, o que você tem com isso?

Ela entortou um garfo da mesa. Eu devia ter colocado talheres descartáveis.

- Vendi mesmo. E bem barato.
- Por que você fez isso, sua mulher do inferno?
- Por que eu estava de saco cheio de te ouvir falando nessa escrava!
- E precisava vendê-la para o Lestat?
- Eu não sabia que ele era o comprador, só soube agora! Se eu soubesse, eu teria me vendido, ao invés dela!

Ui.

- Como é que é?

Emmet quebrou uma faca. Ok, hora de recolher os talheres. Eu levantei e os dois me olharam.

- Senta!

Ok.

- Então é isso?
- É! Vai me bater?
- Não! Vou fazer greve de sexo! Com você, sua loira diabólica!

Ela deu de ombros. Ele olhou para todos nós.

- Quem vai me querer aqui?

Jess e Lauren levantaram a mão ao mesmo tempo. OMG. Ele olhou para Jess.

- Vou te pegar mais tarde. Não quero outra loira.
- Ok.

Jess respondeu e tombou para trás, caindo da cadeira. Ela tinha desmaiado? Então um soco e um grito ensurdecedores, ecoaram pela sala.

- CHEGA! CALEM-SE!

Era Jasper socando a mesa. Por essa eu não esperava.

- Vocês querem fazer o favor de ficarem em silêncio por dois míseros segundos? Eu não agüento vocês no meu ouvido! Eu não agüento essas emoções oscilando o tempo todo! Eu não agüento os choros, os risos, as raivas! Eu não agüento! Eu não agüento!

# Momento dedicado ao 1 minuto de silêncio, devido ao espanto de todos com a reação de Jasper #

- Falem alguma coisa porra!

# Término do momento de silêncio #

- Céus Jazz, quanta coisa incubada!
- Jasper, meu anjo, não sabia que se sentia assim...
- Eu sabia que tinha alguma coisa errada com ele...

Eu vi Jasper começando novamente a fechar a cara. Não tinha jeito, o dom dele era definitivamente o pior, quando se tinha uma família dessas.

- Senhor, obrigada por mais um dia de vida e por me fazer ser escolhida pelo gostos... pelo Em... pelo... bem, obrigada.

Sério, isso era a oração que Jess estava fazendo. Rosalie quebrou o prato. Eu sorri.

- Era só dizer que não queria comer...

Ela torceu a cara para mim.

- Legal, vamos começar então?

James se animou e levantou, trazendo consigo uma sacola de papel. Ele tirou três garrafas de vinho de dentro dela. Abriu uma só e encheu sua taça. OMFG. Não era vinho...

- Ei, não acharam que eu ia ficar olhando vocês comerem, né? Alguém servido?

Ele esticou a garrafa e Edward pegou, enchendo sua taça. Eu ia vomitar. Lauren agarrou uma das garrafas fechadas e abriu, bebendo no gargalo mesmo.

- Nem bêbada eu posso ficar! Vida infeliz!

Deu mais outro gole no gargalo. Hazel estava calado ao lado de Emmet. Ele me olhava sorrindo.

- Está tudo bem Hazel?
- Aham. Aqui é engraçado!
- Não é?

Eu sorri forçada, querendo chorar de raiva. Malditos vampiros! Começamos a jantar, tentando ignorar o fato de seis vampiros beberem sangue ao nosso lado. Sério, era nojento. Era um líquido grosso. Eca. Era um falatório só, um atropelando as palavras do outro, mas teve uma palavra que todos pararam para escutar.

- Edward!

Alice cravou as unhas na mesa, rasgando a toalha e tendo o olhar fixo em Edward.




Invadi sua mente na mesma hora e vi o que não esperava ver tão cedo. Ela era baixa que nem Alice, magra, cabelos negros e escorridos até o meio das costas. Olhos penetrantes e rosto de criança. Qualquer um que estivesse com ela uma única vez, jamais a esqueceria.

- O que foi Edward?
- Só um minuto Bella. Alice, onde ela está?

James me olhou sério. Acho que não precisava dizê-lo de quem se tratava, ele descobriu pela minha expressão.

- Onde?
- Não sei. Alice?
- Calma! Está tudo complicado para mim...
- O que Alice viu?
- Calma Emmet.

Todos nós a olhávamos esperando por algo. Senti a mão de Bella na minha perna. A olhei.

- O que foi?
- Lembra da conversa que tive contigo? Sobre uma... amiguinha caçadora?
- Sim...
- Alice a viu.
- Ow.

E então eu vi algo mudar na mente da minha irmã. Me concentrei rápido nos seus pensamentos e vi Jane em frente a uma porta familiar. Uma porta que eu conhecia muito bem. E então eu vi a casa de Bella.

- Saiam todos, agora!
- Por que?

Meus irmãos se levantaram e entenderam. James pegou Angie pelo braço enquanto Emmet arrancava Jess e Lauren das cadeiras.

- Edward?
- Bella, pegue seu carro e vá para algum lugar com suas amigas. Agora.

Por um milagre divino, ela resolveu me ouvir. Deve ter visto o pavor estampado no meu rosto. Bella abriu a porta e eu vi dois olhos vermelhos parados lá. Tarde demais.

- OMG.
- Bella!

Corri até ela e puxei-a para trás de mim. Jane me olhou sorrindo.

- Já nos vimos antes, certo?
- Não lembro.
- Fique tranqüilo, eu não quero ela... eu quero... ele.

Ela apontou o dedo e nós o seguimos, encontrando Hazel em sua mira. E então eu me surpreendi muito, quando James se colocou ao meu lado, de dentes expostos e olhos negros. Eu o acompanhei e meus irmãos pararam atrás de nós dois.

- Desculpe Jane... acho que vai ter que passar por nós antes de chegar a ele.

Seu sorriso era cínico.

- Sem problemas, adoro desafios.

Arranquei minha camisa e expus meu medalhão a ela, que ficou mais séria do que o normal.

- Que pessoa chique! Quando te conheci você ainda não usava... isso.
- Exatamente. As coisas mudam, não é mesmo?

Ela riu.

- Bem, eu posso não conseguir te afetar, mas acho que sua descendência não vai proteger seus amigos.
- Não vai mesmo não. Mas eu posso te matar antes.

Seus olhos brilharam como rubis e Rosalie caiu no chão. Ela sempre ia primeiro nas mulheres. Foi a deixa para eu e James investirmos contra ela. 



Era ruim. Não. Era a pior coisa que eu via na minha vida. Rosalie se contorcia no chão, gritando, mas nenhum deles ajudava-a. Alice, Emmet e Jasper estavam em posição de ataque, apenas olhando James e Edward se embolarem com a vampira pequena. Eu ouvi rosnados misturados e uma bola voou para dentro da casa. A bola se desfez, eram os três que estavam brigando. Alice correu e puxou Hazel para perto dela, enquanto Emmet abaixava para ver Rosalie, que continuava uivando de dor.

- Bella, o que é isso?
- Calem-se! Fiquem quietas e não se movam...

Eu não queria que minhas amigas se machucassem, mesmo eu detestando Lauren. Pelo tanto que Rosalie sofria ali no chão, eu imaginava que a dor para nós humanos deveria ser muito, mas muito pior. Um soco estridente ecoou e vi Jane voar longe, de encontro a parede. Edward tinha dado-lhe um soco no tórax. Nesse mesmo momento, Alice e Jasper caíram. OMFG. Como ela consegue apanhar e controlar os poderes? Emmet levantou rosnando super alto e avançou contra ela.

- Em, Não!

Ele não deu ouvidos a Edward e caiu tremendo no chão, o pior de todos, sem dúvida. Ela vinha andando calmamente, como se desfilasse pela sala, os olhos parados em Hazel. James se pôs novamente em posição de ataque e caminhou até Hazel.

- Olha... eu sempre fui com a sua cara James... não me force a isso...
- Pode fazer... estou esperando...

Ela sorriu e seus olhos brilharam. Edward correu em sua direção, esmagando-a na parede, junto com seu corpo. Mas James caiu mesmo assim. Ele olhou para Hazel.

- Baixinho... corra.

Hazel arregalou os olhos e do nada Angie passou por ele e pegou-o pelo braço, saindo correndo lá para fora. James gritou.

- NÃO!

Jane estava imprensada na parede, Edward a agarrava pela garganta agora. Então eu senti me cortarem por dentro, traçando um caminho com uma faca pela minha espinha. Soltei o grito mais agudo que já ouvi na vida. Caí de costas no chão, chorando de dor. Edward já estava com os braços em volta de mim.

- Bella, fique comigo. Bella...

Eu não ouvia direito. Estava tudo ficando embaçado pelas lágrimas e minha cabeça rodava.
 


Jane arquitetou tudo perfeitamente. Ela deixara Bella por último, porque ela sabia que eu viria socorrê-la. Eu não tive tempo cortar sua garganta, ao ver Bella agonizando no chão. Na verdade, eu não quis saber de mais nada. Estavam todos vencidos, por causa de uma criança que Lestat jogou para cima de mim. Ela queria Hazel? Que ficasse com ele! Eu já estava a ponto de deixá-la ir embora com sua vítima, quando ouvi um grito. Larguei Bella por um segundo e corri lá para fora. Oh não. Não tinha visto que a amiga da Bella tinha fugido com Hazel.
Jane segurava Angie no ar, pelo pescoço, e Hazel estava imóvel. Ela parecia não conseguir atingí-lo também, mas ele estava imóvel, feito estátua.

- Jane, deixe-a fora disso. Quer brigar? Venha para mim.
- Desculpe querido, mas eu tenho pressa.

Eu vi o corpo de Angie voar quando Jane terminou sua frase, agarrando Hazel e entrando numa Ferrari branca. E eu ouvi Bella uivar lá dentro. Eu não a alcancei a tempo. Eu fracassei. Angie bateu com o corpo no asfalto, como numa queda de um prédio de 8 andares. Eu me ajoelhei ao seu lado, e vi o carro sumir no horizonte. Foram questões de segundos quando os outros se recuperaram e correram até nós dois.

- Não! Não!

James chegou e pegou-a nos braços. Bella vinha andando devagar, capengando, pois num humano a dor não sumia rápido, apenas amenizava.

- Angie!
- Oh não!
- Ela...

Eu vi as três amigas se ajoelharem chorando e não agüentei. Me levantei e saí de perto. Eu não a salvei a tempo. Bella perdeu uma amiga, porque eu não fui rápido.

- Angie!

Eu não enxergava ela direito, meus olhos estavam um mar.

- Ela não está morta.

James falava, sua voz rouca e baixa. Ele tinha a cabeça deitada no seu peito, ouvindo ela.

- Não?
- Não... o coração está fraco, quase parando... mas ainda não...

Alice falava baixo e triste. Eu via o filete de sangue escorrendo pela boca de Angie. Aquilo era demais. Aquilo era o inferno que se abriu. Então eu vi James puxar seu cabelo para o lado e cravar seus dentes no pescoço imóvel dela. OMG. O que ele estava fazendo?

- James! Pode ser tarde demais...

Ouvi Jasper tentar controlá-lo, mas ele rosnou de volta.

- Me deixe!
- James, ele está certo...

Emmet também tentou. James o socou, fazendo Emmet cambalear.

- Não estou pedindo opinião de ninguém!

Ele voltou a sugá-la e eu vi Edward de longe, olhando. Seus olhos tinham culpa transbordando por eles. Eu queria ir lá, mas eu precisava ficar aqui. O corpo dela tremeu, como se estivesse tendo uma convulsão e parou. Eu gelei. Eu não respirei. E parece que ela também não.

- Você a matou!

Ele me olhou com olhos tristes e mordeu seu pulso. O sangue espirrou em mim.

- Bella, me ajude, levante a cabeça dela.

Eu não pensei em nada, apenas fiz o que ele pediu e coloquei sua cabeça sobre minha perna. James levou seu pulso até a boca de Angie, enquanto falava em seu ouvido.

- Beba... vamos... beba...

Ela não esboçava reação.

- James...
- Calma.
- Seu idiota, o que você fez, nós podíamos ter levado-a para o hospital!

James jogou Lauren longe.

- Vocês podem calar a merda da boca?

E todos calaram, quando a mão de Angie agarrou o braço dele, levando o pulso de volta à sua boca. OMG. Ele riu e me olhou.

- Viu só?

Eu soluçei. Minha amiga ia virar vampira, mas ia estar presente. Ela sugava e seu corpo ganhava movimento. Ele jogou sua cabeça para trás e fez cara de dor. Aquilo doía? O corpo de Angie se contorceu no chão, suas costas descolaram do asfalto e o sangue de James escorria pela mão. Ele agüentou aquilo por mais alguns segundo e então segurou o rosto dela e puxou o braço. Eu percebi que ela nem estava de olhos abertos. Era como se fosse um reflexo do corpo. Ela continuava desmaiada. Ele a pegou no colo e voltou para dentro de casa. Eu continuei sentada ali, em estado de choque. Senti mãos me levantarem. Era Emmet.

- Acho que ele precisa de você.

Eu balançeei a cabeça. Sabia disso. Andei devagar até ele, que estava em pé com as mãos nos bolsos da calça, olhando para o outro lado da rua. 



Senti Bella se aproximar. Ela me abraçou por trás, encostando a cabeça nas minhas costas. Eu estava sem camisa, então senti o calafrio das nossas diferentes temperaturas.

- Não se culpe...
- Eu sou o culpado Bella.
- Ela vai ficar bem.
- Ela está morta.
- Não está... você não viu o que James fez?

Qual era a parte que Bella não entendia? Eu me virei de frente para ela.

- Não, ela está morta. Não há mais alma ali. Ela é uma de nós.

Ela me olhou por alguns segundos e depois abaixou a cabeça. Era difícil para ela.

- Achei que gostasse de ser assim...
- Eu gosto. Mas não posso falar por ela. Eu nunca quis você ou suas amigas no meu mundo.
- Eu sei amor... mas já está doendo tanto... se você ficar assim...

Ela desatou a chorar. Eu a abracei e beijei seus cabelos. Estava sendo egoísta em pensar só em mim.

- Estou com medo... Angie... como vai ser? E os pais dela? E a gente? Você pensou na gente? Eu e você? Eu nunca pensei nisso... você pensa em me transformar? Eu devo? E seu eu morrer antes? E se eu virar vampira? E mesu pais?
- Bella, você está surtando.

Peguei-a no colo enquanto ela soluçava no meu peito e a levei para dentro. Estava todo mundo na sala, menos James e Angie. Eu também não ficaria ali. Subi para o quarto dela. Sentei na cama e me encostei na parede, deitando-a no meu colo.

- Pare de chorar, por favor.
- Parei.
- Bella, você mente mal...

Ela levantou a cabeça para me olhar.

- Não se culpe... você tentou, você nos protegeu... você foi o único que ficou em pé.
- Por causa do meu medalhão estúpido. Não por mérito meu.
- O seu sangue é um mérito seu Edward!
- Tudo bem...

Não ia discutir isso com ela. Enxuguei seus olhos e beijei-a na testa.

- Sinto muito por Angela. Sinto mesmo.
- Obrigada. Mas... isso me fez pensar nas coisas...
- Que coisas?
- Nós.
- Certo. Quer falar disso?

Ela balançou a cabeça devagar. Eu sorri. Até chorando e de olhos inchados ela era linda.

- Você já pensou alguma vez... em fazer... o que James fez?
- Já.

Não queria ter demonstrado apreensão, mas ele provavelmente me ouviu engolir seco.

- Mas sempre pesei os prós e os contras. E não faria sem você ter certeza disso.
- Eu... nunca tinha pensado... até hoje.

Ele sorriu e sussurrou no meu ouvido.

- Eu tenho a eternidade. Pode pensar o quanto quiser.

Morri. A idéia maluca passou rapidamente na minha cabeça. Não Bella! Eu a joguei para longe. Aquilo não era hora para pensar nisso. Ainda tinha uma outra questão... Hazel. O que estava acontecendo com ele?

- Edward... Hazel...

Ele fechou a cara.

- Preciso fazer uma ligação.
- Ele está bem? Ela o...
- Não. Ela não vai machucá-lo. Ele só tem valor se estiver perfeito.

Ele se levantou e tirou o celular do bolso, discando alguns números.

- Lestat? 

<<< Capitulo 22                                                                   Capitulo 24 >>>

1 comentários :

Adoreiiii...
beijos

1 de fevereiro de 2011 18:49 comment-delete

Postar um comentário