TCS - Capitulo 20

 
Capítulo 20.





Pensei em ir ver Hazel enquanto Edward não voltava, mas lembrei que o quarto ficava trancado. E a chave ficava no pescoço de quem? Lestat, claro. Que se dane, eu vou! Se ele não me deixasse entrar, eu voltava...

Subi as escadas e fui até seu quarto. A porta estava fechada. Rodei de leve a maçaneta e o encontrei dormindo. Como que ele podia dormir, se Edward não podia? Merda! Como se faz para acordar um vampiro? Chamei baixinho, sem entrar no quarto.

- Lestat...

Nada. Não emitia nenhum som. Parecia estar morto, isso sim. Ok, lembrei que ele já estava realmente morto. Eu era um pouco idiota. Entrei devagar no quarto e me aproximei da cama. Ele estava usando uma túnica de seda preta, aberta no peito e coberto com os lençóis vermelhos. Me inclinei um pouco e toquei seu braço. Estava mais gelado do que o normal, mas não acordou.

- Lestat...

Cara, que irritante! Além de morto, é surdo também? Aproximei meu rosto do seu e toquei sua bochecha.

- Lestat...

Entao olhos negros me olharam e uma mão dura e fria apertou meu pescoço, me puxando para cima de seu corpo. O rosnado era alto e os dentes estavam quase tocando minha pele. Eu cravei minhas unhas no seu peito, mesmo sabendo que não o machucaria.

- Pare, por favor!

Ele então me olhou atentamente, como se estivesse me estudando e os olhos voltaram para a tonalidade normal de vermelho. Os dentes ainda continuavam e a mão em meu pescoço também.

- O que faz aqui?
- Só q-q-queria fa-falar com vo-você...

Senti o apertado no pescoço se desfazer e me levantei rápido. Tinha me dado conta de que estava suando frio novamente.

- Eu podia ter te matado! E teria problemas com Edward!
- Desculpe...

Ele se levantou, com os caninos ainda expostos, me olhando puto. Gritou comigo.

- Nunca! Nunca mais acorde um vampiro na sua vida! Não que eu ache que você viverá por muito tempo.
- Já p-pedi des-desculpas...
- O que você quer?

Cadê o Lestat sedutor que deu em cima de mim noite passada? Eu hein...

- Algum bicho te mordeu?

Ele me olhou com fúria. Realmente nao era o Lestat legalzinho que dava em cima de mim... agarrou meu pescoço de novo. Merda.

- Você nao sabe como é difícil me concentrar para conseguir dormir...

Ow. Era esse o problema? Será que ele conhecia a tática dos carneirinhos? Ok Bella... chega.

- E....u.....

Estava quase sendo enforcada.


- Bella! Lestat!

Cheguei a tempo de ver o príncipe do inferno tentar enforcar Bella. Corri para cima dele.

- Solte-a!

Ele me olhou com raiva e eu senti queimar por dentro.

- Sua humana me acordou! E ainda tem a audâcia de me ironizar!

Mas claro que ela tinha... ela era Bella, minha namorada estranha e com leve tendência para cemitérios.

- Não desgrudarei mais dela Lestat... para que não volte a acontecer.

Ela que me aguarde. Ia preferir ter virado comida de vampiro. Ele voltou a olhá-la.

- Você vive dessa vez... mas terá a próxima.

Ele a soltou, jogando-a no chão. Com ela longe das garras dele, eu pude investir contra o príncipe. Avançei nele e o empurrei contra a parede.

- Nunca mais a machuque.

Sua mão parou em cima da minha, que estava empurrando seu peito.

- Edward... não vale a pena morrer por uma... humana.
- Por ela vale!

Ele riu, zombando de mim, mas não desfiz meu semblante de ódio.

- Certo. Esqueci que ela fez nascer sentimentos em você... vai entender...
- Eu não estou mais brincando Lestat.

Seus olhos escureceram e dessa vez eu senti falta de espaço interno, como se todos os meus órgaos estivessem se comprimindo. Ele era totalmente bizarro.

- Nem eu estou brincando! Te dou dez segundos para tirar as mãos de mim.

Por um momento eu tinha me esquecido com quem estava lidando. Ele não apenas poderia acabar comigo, como ainda teria Bella à mercê dele. Me afastei e peguei Bella pela mão.

- Estarei indo embora amanhã. Se Hazel não estiver pronto, ele fica.

Peguei Bella e saí do quarto.

- Eu não sei o que adianta... mas vou perguntar. O que você estava fazendo lá dessa vez? Não me diga que foi atraída, pois ele disse que estava dormindo!
- Ok... não fui atraída mesmo não...
- Porra Bella! Uma hora dessas eu não chegarei a tempo! Será que é tao difícil assim enfiar isso de uma vez por todas na cabeça?
- Desculpe...
- Desculpas não me adiantam mais Bella, sinceramente. Você já teve todos os motivos possíveis para saber que deve ficar longe de Lestat! Mas mesmo assim você corre para ele toda vez que eu não estou perto de você!
- Edward...
- Eu falo agora. Eu sinceramente estou começando a achar que você sente algo mais por esse tom misterioso dele... espero mesmo, que eu esteja errado.
- Você está, claro! Eu posso falar?

Fiquei quieto, esperando ela começar.

- Eu queria ir no quarto do Hazel...
- Que legal! Aquele garoto que tentou te matar ontem? Se todos fossem iguais a você, os assassinos seriais nem precisariam se dar ao trabalho de passar dias estudando a vítima. Era só colocar uma plaquinha: "Mata-se pessoas". Você iria na hora!

Ela fechou a cara e vi seu rosto corar. Mas eu sabia que era de raiva.

- Ok.

Chegamos ao quarto sem ela falar mais uma palavra sequer. Sabia que estava errada, claro. Abri minha mala e começei a arrumar.

- Nós iremos mesmo amanhã?
- Sim. De manhã. Irei trocar as passagens pelo telefone.
- E se não der tempo de ajeitar as coisas com o Hazel?
- Está vendo essa ruga inexistente na minha testa? É de preocupação.

Ela sentou na cama e começou a chorar.

- Você já brigou comigo, ok? Pode parar de me ofender agora?
- Eu estou te ofendendo? Bella, eu só estou tentando te dar alguns anos de vida! Só que você parece não querer muito isso!

Já não era suficiente? Ele iria brigar comigo o dia inteiro então?

- Bella, eu só quero te fazer enxergar o quanto você é absurda! Eu não acredito que você não veja isso! Como você pode achar que eu estou exagerando?
- Eu só acho que você já deixou bem claro sua opinião. Não precisa mais bater dez vezes na mesma tecla...

Ele sentou na beira da cama e apoiou a cabeça nas mãos. Estava visivelmente irritado. Eu nunca tinha visto Edward desse jeito comigo. Cheguei por trás dele e abraçei-o. Fiquei ali calada, apenas abraçada.

- Eu te amo tanto que me dói a hipótese de te perder... por ter te trazido para meu mundo...

Beijei suas costas por cima da camisa e ele se virou e me beijou na boca. Me pegou pela cintura e me deitou na cama, beijando meu pescoço e levantando minha blusa. Já estava de sutiã quando sua boca começo a descer pelo meu busto, e seus dentes arrebentaram as alças do mesmo. Estremeci quando senti o hálito frio de Edward nos meus mamilos, me arrepiando toda. Ele levantou e tirou sua roupa e voltou para cima de mim, pegando em meus quadris e me virando para cima de seu corpo. Eu estava de saia, o que contribuiu bastante para a rapidez.

Senti ele puxar minha calcinha para o lado e entrar em mim devagar, me fazendo jogar a cabeça para trás e gemer como se estivesse no cio. Sempre ouvi dizer que sexo de reconciliação era o melhor... agora é que iria testar. Ele me puxou forte para baixo, entrando todo em mim, me deixando sentir seus pêlos roçarem em meu sexo.


Bombava forte nela, apertadinha, uivando para mim e arranhando meu peito. Movia rápido seus quadris para cima e para baixo, sem dar chance a ela de respirar. Ela se agitava em cima de mim, rebolava, me cavalgava com maestria, quando a joguei por baixo de mim e levantei suas pernas num ângulo de 90 graus, segurando seus pés no alto com uma de minhas mãos, o que me garantiu uma entrada "mais facilitada". Nossos corpos agora faziam extremo barulho ao se chocarem, e eu já sentia o calafrio vindo, o gozo chegando.

Puxei seus cabelos e investi o mais rápido possível contra ela, enquanto ela gemia alto e tentava alcançar meus cabelos.

- Edward! Edward!
- Você... é gostosa... demais!

Explodi nela e levantei-a, segurando suas costas , deixando ela se contrair e relaxar em meus braços.

Ele então me soltou e eu amoleci no colchão. Nossa... vamos brigar de novo? Não Bella... você está definitivamente acabada!

- Me dá um beijo amor...

Ele me olhou sério e eu não acreditei no que ouvi.

- Beijo? Quem disse que minha raiva passou?

E se levantou, trancando-se no banheiro. Mas hein? Falei num tom mais alto que o meu normal.

- Sério que você vai dar gelo em mim depois de ter acabado de me comer?
- Sério!

Ow. Ok. Era assim então? Puxei o edredon e virei de lado para dormir.


Quando saí do banho Bella estava deitada de costas para o banheiro. Roncando. Alto. Era um verdadeiro tijolo. Troquei de roupa e saí do quarto. Acabei cruzando com Louis pelos corredores e dei um resumo dos últimos acontecimentos a ele.

- É... complicado esse lance com Lestat. Depois de tantos anos convivendo com ele, simplesmente aprendi a não contrariá-lo... quando é algo com o qual eu não concordo, simplesmente balanço a cabeça e finjo concordar.

Eu tive que rir. Imaginei Lestat achando-se por cima da carne seca e Louis cagando e andando para ele. Muito hilária a cena.

- Bem... espero que saiba que minha casa estará sempre aberta para você Louis...
- Obrigado pelo convite. Eu irei um dia. Tem mulher bonita por lá?

Tinha a Bella... mas essa já tinha dono.

- Tem umas amigas da Bella... tem outras fáceis pela faculdade...
- Ah sim! Você finge que faz faculdade... agora eu vou. Sempre rolam altas orgias nessas festas de campus.

Eu sabia bem disso...

Fiquei jogando cartas durante um tempo com Louis e nem vi a hora passar direito. Quando me dei conta, já tinha passado das 20:00hs. Voltei para o quarto e encontrei Bella fazendo as malas, chorando. Talvez eu tenha sido duro demais com ela...

- Bells...
- Estou arrumando minhas coisas...
- Sim, eu sei. Desculpe por ter sido rude, ok?

Abraçei-a por trás e beijei seu ombro nu. Ela enxugou as lágrimas e balançou a cabeça positivamente.

- Eu só me preocupo demais com você... justamente por você ser tão importante na minha vida!
- Eu não estou mais chateada com isso Edward. Mas sim com o fato de você mal ter falado comigo depois de transarmos.

Certo, talvez eu também tenha exagerado nessa parte. Virei-a de frente para mim para beijar sua boca, mas ela virou o rosto e acabei beijando a bochecha.

- Me desculpe por aquilo... não vai mais acontecer.
- Eu não sou nenhuma mulher que você pega na rua Edward...
- Claro que não... você é minha Bella.
- Me senti usada.
- Meu amor, eu estou arrependido, ok? De ter falado daquele jeito contigo. Agora você pode por favor colocar um sorriso lindo nesse rosto?

Ela me olhou com olhos tristes e eu então a peguei no colo e joguei-a sobre meus ombros, a levando para a cama. Caí com ela no colchão e fiquei por cima.

- Eu sou loucamente e insanamente apaixonado por você!

Ela sorriu e dessa vez eu beijei sua boca. Seus braços finos e quentes passaram ao redor de meu pescoço, me puxando mais para baixo. Já começava a tirar sua blusa quando bateram na porta.




Quem mais podia ser? Eu dou dez dólares para quem acertar. O empata-foda, claro! Sempre ele... imagino se ele não fosse querer vir conosco para Forks...

- O Príncipe gostaria de ver o senhor agora.
- Sobre?

O empata-foda olhou para Edward sem saber a resposta.

- Ele não disse o assunto, senhor...
- Certo. Já estou indo.

Edward fechou a porta na cara-de-pau- do empata-foda e me avisou que iria ver Lestat.

- Pos...

Ok. Ia perguntar se eu podia ir, mas achei melhor ficar quieta.

- Vai demorar?
- Não pretendo, já volto.

Me deu um beijo na testa e saiu. Voltei para arrumar minhas malas e fiquei pensando no quao azarada eu era, a ponto de vir para a França e ficar os dias trancafiada num castelo medieval. Tinha que ser comigo...


Cheguei no quarto dele e Hazel estava sentado na cama. Tinha esperanças de que não desse tempo dele estar pronto até amanha. Grande engano meu...

- Edward, as coisas dele já estão todas arrumadas... tem alguma coisa que você precise saber, ou queria perguntar? Ou me dizer?

Tinha... queria saber se eu podia soltar ele na América e deixar pra lá. Mas eu já sabia a resposta. Lestat não era uma pessoa divertida.

- Ele come aproximadamente de quantas em quantas horas?

Lestat olhou para Hazel, que tinha a cabeça abaixada.

- Geralmente ele tem fome em intervalos de 20 horas, por aí... mas creio que com o tempo o intervalo tenda a aumentar. É o comum mesmo quando vamos nos acostumando.
- Alguma necessidade... especial?

Lestat o tocou no ombro.

- Hazel, quer dizer alguma coisa?
- Não...
- Se ele tiver ele vai dizer, Edward. Bem, toda a despesa dele eu estarei bancando, mas se precisar de alguma coisa à parte, não deixe de me avisar. Gostaria que ele frequentasse a escola, depois de algum tempo.

Fala sério, né? Fica quieto, Edward...

- Certo, conversaremos sobre isso.
- E Edward... eu já fiz um depósito de 5 milhões na sua conta. Espero que ele tenha de tudo nesses primeiros meses de adaptação.

Eu ri daquilo. Quantos meses eram precisos para gastar 5 milhões com uma criança? Só no mundo de Lestat né?

- Eu posso garantir que ele terá de tudo... até porque eu não precisaria do seu dinheiro.
- Certo... esqueço que vocês sao ricos lá...

Dava vontade de meter a porrada nessa pessoa! Controle-se Edward.

- Bem, é só isso então?
- Sim... já troquei a passagem dele... amanhã de manhã ele estará esperando lá na sala.
- Ok.

Virei as costas e ia saindo, quando ouvi a voz do garoto falando com Lestat.

- Nunca mais vou te ver, pai?
- Hazel, eu não sou seu pai. Eu só gosto muito de você, ok? E irei te visitar quando puder.

Aquilo me doeu o coração. Voltei para meu quarto e ouvi o chuveiro ligado. Abri a porta e Bella estava tomando banho. Fiquei observando um pouco, e então ela me viu ali parado em pé na porta.

- O que? Que sorriso é esse? Não fique olhando minhas celulites Edward!

Celu o que? Mulheres...

- Eu estou olhando sua bunda, na verdade. Mas onde está essa tal de celulite para eu poder olhar também?

Ela jogou o vidro de shampoo em mim.

- Não me zoa!
- Não estou zoando amor...

Entrei com ela no chuveiro, puxando seu pescoço e dando-lhe um beijo molhado. Passei as mãos na bundinha com a tal celulite.

Edward Cullen era irritante! Como ele podia ser cara-de-pau de fingir que não estava vendo minhas celulites? Como? Tudo bem que não era um mar de cascas de laranja... mas tinham algumas sim!

- Hum, ok... Edward!

Ele deu um apertão que deixaria marcas!

- Eu tenho culpa de você ser gostosa?
- Deixa de palhaçada, vai...
- Palhaçada? Bella Swan, você me diverte!

Ah, quem iria descutir com alguém que tem toda a eternidade para isso? Apenas deixei ele me beijar e me apertar, me aproveitando da situação. Tomamos banho juntos, nos ensaboando, e fomos deitar.

- Que horas é o vôo?
- Temos que estar no aeroporto 10:00hs.
- Ok... não sentirei saudades daqui...

Ele riu e me mordeu de brincadeira no braço. Até porque eu não aguentaria outra mordida em menos de 48 horas.

- Como vai ser com Hazel? Ele já está aceitando melhor a mudança?
- Não...
- Ele será infeliz lá Edward... ele gosta de Lestat.
- O que eu posso fazer Bella?

Nem eu sabia. Mas ele sempre dava um jeito para tudo, não poderia dar para isso também? Ele ficou me olhando como se soubesse que eu estava pensando isso. Balançou a cabeça negativamente.

- Não vou me estressar mais com Lestat. Faremos um teste... se não der muito certo, eu trago ele de volta.
- Você quem sabe...

Nós ficamos algumas horas abraçados e conversando ali na cama, até que eu peguei no sono e só acordei no dia seguinte.


Nossas malas já estavam lá embaixo e agora eu descia com Bella. Chegamos no salão principal e o peste estava lá sentado num dos sofás.

- Já estão indo?

Louis veio se despedir e aproveitei para combinar de fato, uma ida dele a Forks.

- Estarei esperando mesmo, não fique me enrolando...
- Com certeza, pode deixar! Bella vai me apresentar algumas amigas?
- Eu? Por quê?

Peguei na mão quente de Bella e encostei no meu rosto. A sensação era muito boa.

- Para curtir um pouco a vida amor... Louis quer conhecer umas americanas...
- Mas elas não são legais o suficie...
- Bells, vou começar de novo com o ciúme...
- Desculpa.

Louis sorria para ela, com aquela cara de cachorro carente que matava qualquer mulher.

- Ah porra Louis, até você?

Ele me olhou sério, desmanchando o sorriso.

- O que tem eu?
- Já não basta minha namorada babar por Lestat, agora tenho que ver ela babar por você também?

Ele arregalou os olhos e riu.

- Eu não estou babando por ele Edward! Dá para não me fazer passar vergonha?
- Bem crianças... é melhor eu não me meter...

Ele sorriu e foi embora. Eu senti Lestat descendo as escadas. Minha cara fechou.

Ele chegou no salão e se agachou de frente para Hazel. Beijou sua testa.

- Fique tranquilo que irei visitá-lo assim que puder, ok?

O garoto balançou a cabeça e uma gota de sangue saiu de seus olhos. Wow. Eu não podia chorar... nem Lestat. Como Hazel podia? Percebi que Lestat também ficou surpreso com aquilo, pois ele me olhou me questionando. Eu dei de ombros.

- Há quanto tempo você chora assim Hazel?

Ele perguntou enquanto enxugava a lágrima do rosto da criança.

- Sei lá...

O príncipe veio falar comigo a sós...

- Fique atento para essas... diferenças dele. Qualquer coisa me avise.
- Pode deixar. Isso é tudo?

Ele se virou em direçao a Bella e beijou sua mão.

- Foi... prazeroso conhecê-la.
- Igualmente.

Lestat sorriu e se aproximou mais. Eu fechei os punhos.

- Quando precisar... sabe onde me achar... mesmo sem Edward...

Filho da puta! Um dia eu arrancaria aquela cabeça! Puxei Bella pela cintura e passei meu braço pelas suas costas.

- Vamos amor?
- Sim.

O motorista veio pegar a bagagem e eu chamei Hazel, que continuou sentado. Chamei de novo... e nada.

- Deixa eu falar com ele... espere no carro Edward.
- Não gosto dessa idéia.
- Vá, ok?

Ela soltou minha mão e sentou ao lado dele no sofá. Eu encostei na porta e fiquei olhando. Óbvio que eu não iria me afastar tanto assim.

- Hazel...

Ele não me olhou. Estava com os olhos fixos no chão. Em parte, eu sabia um pouco como ele se sentia... eu também não queria deixar minha mãe e me mudar para Forks. Mas bem... eu estaria com meu pai, e eu não era uma criança vampira. Ok, eu não sabia como ele estava se sentindo.

- Sabe Hazel, vai ser legal lá.
- Como você sabe?

Como eu sei? Como eu sei? Pensa rápido Bella.

- Bem, lá tem muito mais gente do que aqui... ou seja... mais comida!

Que imbecil... mais comida? Se mata Bella... eu vi Edward rindo lá da porta.

- Eu não sei...

Encostei devagar na sua mão, que ele puxou rápido, sem me deixar tocá-la.

- Vamos...

Ele me olhou com olhos tristes.

- Você irá me ver de vez em quando?
- Eu vou te ver sempre Hazel...

Ele virou para olhar Edward e me olhou de volta.

- Ele não gosta de mim...

Legal hein Edward! Muito bom!

- Gosta sim querido... ele só não é muito bom com... palavras... e afeto... e crianças.

Hazel me deu a mão e se levantou. Graças!

- Ok... eu vou.
- Isso! Vamos tomar um sorvete no aeroporto, ok?

Ele me olhou fazendo careta.

- Eu não tomo sorvete Bella!

Ah. Esqueci.

O caminho para o aeroporto foi calado e tenso. Hazel não abria a boca e nem eu e Bella conversávamos. Por um lado tinha que dar o braço a torcer de que Bella tinha jeito com crianças... por outro, preferiria que ela não tivesse conseguido converser o pestinha. Chegamos no aeroporto e passamos tranquilamente pela imigração, já que Lestat tinha providenciado todos os papéis necessários para tirar uma criança do país.

- Eu não quero entrar aí!

Hazel empacou quando viu o avião pelo vidro do terminal.

- Não vai me dizer que você tem medo de avião, né?
- Nunca andei.
- Hazel, se aquilo ali cair, você não vai morrer, ok?

Bella me olhou assustada. Esqueci por um momento do pequeno drama dela na vinda para cá.

- Amor... o avião não vai cair.
- Certo.

Uma mulher que estava na nossa frente na fila para entrar, olhou-o sorrindo. Tão bonitinho ele, né? Quer adotar?

- Lindo filho!
- Quem? Esse aqui? Não é meu filho!

Bella me deu uma cutucada que poderia ter sido dolorida.

- Ele é nosso sobrinho...

A mulher sorriu sem-graça.

- Ah sim. Desculpe.

Entramos e nos sentamos na primeira-classe. Hazel sentou-se na janela e encostou a testa no vidro para olhar lá fora. Já estávamos voando, quando o serviço de bordo passou e a aeromoça simpática parou em frente a ele.

- Oi querido, o que quer beber?
- Sangue!

Puta merda!

- Coisas de criança... ele anda numa fase rebelde, sabe?
- Oh, claro.

A garota sorriu e se retirou. Eu sentei do lado dele e encostei no seu ouvido.

- Vamos esclarecer as coisas aqui... o mundo exterior não é o castelo de Lestat, ok? Ninguém sabe o que nós somos... 


- Ok.

Ele voltou a colar a testa no vidro da janela.

O vôo foi longo, principalmente com Edward tenso, com medo de Hazel sentir fome ali e não se controlar. Era chato ser a única ali que comia normalmente. A tripulação olhava Edward e Hazel com uma cara um pouco amarga, como se eles se achassem bons demais para a comida do avião. Chegamos em Forks e fomos para o estacionamento.

- Que grande!

Ele olhava em volta para a construção gigantesca.

- Aqui é todo mundo exagerado mesmo...

Ele ia atrás no carro super calado. Se todas as crianças fossem assim... seria tão bom! De vez em quando eu até esquecia que ele estava ali. Toda vez que eu olhava, ele estava com a cabeça grudada na janela, com olhos arregalados vendo tudo que passava por nós. Realmente Paris era bem diferente de Forks. Quando chegamos na casa de Edward, Alice estava em pé na porta, de braços cruzados. Saímos do carro.

- Bem legal Edward! Dá próxima vez seria ótimo se você nos contasse antes...
- Contei ao Jasper.
- Que não contou a ninguém. Ou seja, é o mesmo que você não ter contado.

Emmet e Jasper apareceram na porta. Enquanto o loiro ficou pensativo olhando para Hazel, o grandão pegou-o no colo e rodou a criança no ar.

- E aí, rapaz? Pronto para se divertir?

Certo... eu então lembrei que Emmet tinha encontrado sua criança interior.

- Coloque-o no chão Emmet.
- Ih, voltou azedo é? Ô Bella, você não deu para Edward esses dias não?

OMG. Tinha pessoa mais indiscreta? Então ele resolveu me girar no ar também... como se eu tivesse o tamanho de Hazel.

- Senti saudades cunhadinha!
- Ok Emmet... me solte ou vou vomitar em cima de você...

Senti o chão novamente e me equilibrei enquanto a tonteira passava. Rosalie deu o ar da graça. Que de graça, não tinha nada... ela ficou ao lado de Emmet e olhou Hazel.

- O que foi? Estou de verde?

Ele levantou a cabeça para me olhar e fez sinal para que eu me abaixasse. Colocou a mão na minha orelha e falou baixinho.

- Não gostei dela...

Ah... quem era eu para culpá-lo?

- Bella, vou te levar em casa para depois resolver as coisas melhor por aqui, ok? Vamos?
- Pode ser... tchau gente...
- Eu também vou?

Olhamos para Hazel que vinha atrás da gente. Céus. Edward como sempre, com seu jeito delicado.

- Não... você fica aqui com eles!
- Mas eu não conheço eles...
- Edward, deixa ele ir... assim vocês podem aproveitar a volta para se conhecerem melhor.

Ele me olhou com raiva. Provavelmente pensando em arrancar minha cabeça. Fiquei feliz em saber que ele me amava. Bateu a porta do carro com força quando Hazel entrou atrás. Edward precisava praticar ioga.

- Você não mora com Edward, Bella?
- Não... eu moro com minhas amigas.
- Hum. Elas são que nem essa loira?
- Ah não. Elas não são super legais que nem eu (olhada pasma de Edward), mas não são tenebrosas que nem Rosalie não...
- Hum. Eu também não posso morder suas amigas?
- Você não pode morder ninguém Hazel! Só se eu deixar, ouviu?
- Ouvi.

Ele ficou o resto do caminho brincando com o cinto de segurança. Chegamos na minha casa e Edward olhou para trás.

- Fiquei aqui no carro. Já volto.
- Ok.

Nós saímos e eu ouvi o alarme do carro sendo acionado.

- Você vai trancá-lo aí dentro?
- Bella... ele não vai morrer sufocado.

Certo... verdade. Mas era estranho ver uma criança trancada dentro de um carro.

- Não esqueça que temos que marcar a visita ao meu pai.

Ele rosnou baixo, mas eu ouvi.

- Não esquecerei... só me deixe ajeitar as coisas com Hazel primeiro...
- Tudo bem!

Edward colocou minhas malas na sala e me abraçou.

- Mais tarde eu apareço, ok? Não morra...
- Hilário...

Ele sorriu aquele sorriso torto inebriante e me beijou, me fazendo esquecer por um momento, que estávamos sendo apreciados por um público de três. Jess, Angie e... OMG. James. De cabelos curtos.






<<< Capitulo 19                                              Capitulo 21 >>>

2 comentários :

Ameiiii...
Posta mais.
Bjks

10 de janeiro de 2011 22:22 comment-delete

Posta mais *-*

14 de janeiro de 2011 06:24 comment-delete

Postar um comentário