M - Capitulo 9

Superenamorándome

Colgada en tu mirada

Desojando las oras del día

Estampillada en tu alma

♫ Superenamorándome – Anahí

~/~/~/~/~/~/~/~/~/~

Voltar para New York, fez Edward e Bella, começarem a encarar a realidade.

A partir de agora, eles enfrentariam uma onda de desafios. Pessoas que não sabiam controlar o preconceito e seriam capazes de dizer coisas que poderia os magoar.

Só que a cabeça de Edward estava em outra coisa diferente nesse momento. Estava preparando uma noite especial para sua amada. Algo que materializasse a nova fase deles.

Bella tinha ido para o seu apartamento, que ainda era dela, mas essa noite eles conversariam sobre o futuro.

Um futuro juntos.

Edward saiu de seu apartamento, rumo ao mercado. Iria comprar todos os ingredientes necessários para uma Fettuccine à Carbonara de Camarões. Bella tinha sua paixão pela culinária Italiana e Edward tinha um belo livro de receitas.

.

.

Bella terminou seu banho e escolheu algo simples e quente para vestir.

Ela se sentia um pouco ansiosa, era tudo fruto desse relacionamento com Edward. Imaginava como seria daqui pra frente.

Mas também estava preocupada, sobre o que poderia dar a ele, em troca de tudo que ele poderia lhe dar.

Tinha muitas coisas que Bella não podia fazer e isso a perturbava.

Quando estava terminando de secar seu cabelo, a campainha tocou. Ela continuou o trabalho com sua toalha, fazendo caminho até a porta, onde pelo olho mágico viu Edward.

Abriu e antes que pensasse ele já a tinha em seus braços, beijando-a com todo o amor que poderia demonstrar.

— Saudades – ele murmurou olhando para ela, que sorriu balançando a cabeça.

Não estamos ‘separados’ nem à 3 horas Edward.

— Mas para mim é o suficiente para morrer de saudades de você – Edward colocou uma mecha do cabelo dela atrás da sua orelha. – Você está linda.

Ela ruborizou, aumentando ainda mais o vermelho de suas bochechas.

— Nunca vou me cansar de ver suas bochechas tão rosadas.

Pare, vou ficar vermelha como pimentão. – ela fez um biquinho, que ele não resistiu em beijar.

Depois de mais alguns beijos, ali parados na sala dela, Edward abraçou-a, colocando o queixo no topo da sua cabeça.

— Eu amo tanto você, meu Deus eu acho que nunca vou cansar de dizer isso.

Ela riu, em silêncio, mas ele percebeu pelo balanço do seu corpo.

— Vejo que você já está pronta – ele disse afastando-se um pouco. – Guarde a toalha, e vamos lá para casa.

Ela assentiu, e foi até o seu banheiro guardar a toalha. Voltou rapidamente até junto dele, e saiu do seu apartamento.

Quando pisou na sala dele, pode sentir o cheiro de molho que percorria pela casa. Ela o seguiu até a cozinha, sentando em uma das cadeiras do balcão.

— Estou fazendo Fettucine para você – ela sorriu para ele, como dizendo que gostava disso.

Edward queria agradá-la, mostrar para ela que o lugar deles era assim juntos, sob o mesmo teto. Ele não queria mais se imaginar, e nem se ver sozinho, sabia que depois dos dias em Forks, dormindo juntos, com o calor do corpo um do outro, a vida tinha lhe dado outro sentido.

— Enquanto fica pronto – ele disse, segurando a mão dele. – Queria que fossemos dançar um pouco. Minha mãe me fez lembrar de uma dança nossa…

Ela piscou algumas vezes, e sorriu lembrando-se do que ele estava falando. Acenou, aceitando seu convite, e caminhou com ele até a sala.

Edward já tinha uma música para eles, então só apertou o play do seu som.

How Deep Is Your Love - Bee Gees

Conheço seus olhos num sol da manhã

Sinto que me toca numa pesada chuva

E no momento que você vaga pra longe de mim

Eu quero sentir você em meus braços novamente

Ele colocou seus braços em volta de Bella, e a puxou para si, mas queria olhar para o seu rosto. Ela estava serena, com as bochechas rosadas, o rosto limpo, como ele gostava de ver, sem nenhuma maquiagem.

Essa era a diferença de Bella para a maioria das mulheres, ela gostava de estar o mais simples possível. Edward estava acostumado a estar com mulher que se produziam para coisas pequenas, e Bella não, ela se sentia bem em um conjunto de moletom, cabelos secos em toalha e um rosto sem nenhum tipo de correção. Afinal ela não precisava de nada.

Era linda por si só.

E você vem a mim numa brisa de verão

Mantém-me aquecido com o seu amor, depois suavemente parte,

E é pra mim que você precisa mostrar

Quão profundo é seu amor

Bella se sentia hipnotizada por aquelas esmeraldas que olhavam para ela com tanta… admiração. Isso formigava dentro dela, a forma como ele a amava, a tratava, cuidava dela. Ela não sabia se no mundo alguém pudesse ser assim com outra pessoa.

Edward era tão bom, que ela não sabia realmente como descrever. Desde sempre esteve ao seu lado, a ajudou, a defendeu, cuidou dela, abriu mão de muitas coisas para estar ao seu lado.

Na universidade ela não ia as festas, e se ele compareceu a 5 foi muito, e tudo porque ela insistia, mas ele acabava voltando cedo, achava tudo chato demais sem ela.

É seu amor

Quão profundo é seu amor

Eu realmente preciso aprender

Porque nós vivemos num mundo de insensatos

Bella para Edward era tudo o que iluminava sua vida. Se ele vivesse em um mundo sem a sua preciosa, não saberia se teria a mesma alegria que agora. Não imaginava poder amar alguém como a ama. Tantos tipos de amor diferentes, que juntos o fazia transbordar de sentimentos.

Ele lembrou-se da primeira vez que a viu, em como aqueles olhos lindos captaram sua atenção, mesmo quando criança. Era impressionante como a vida leva cada um ao se devido caminho. Edward imaginava que se não tivesse a conhecido quando criança, de alguma forma a vida os colocaria juntos.

Nos passando para trás

Quando deveriam nos deixar ser

Nós pertencemos a você e eu

Edward para Bella era como o seu porto seguro. Ela o queria mais perto, então encostou sua cabeça em seu peitoral, sentindo ali seu coração.

Sentiu um enorme aperto em seu peito, e uma vontade de chorar, que não pode conter. Suas lágrimas caiam enquanto a Edward acariciava suas costas, ele ainda não tinha percebido que ela chorava.

Eu acredito em você

Você conhece a porta para minha alma

Você é a luz em minhas horas mais escuras e profundas

Você é minha salvação quando eu caio

E não demorou muito para que visse, levou-a até o sofá, vendo que o choro somente aumentava.

— O que foi meu amor? – ele disse limpando as lágrimas de forma inútil, pois elas continuavam a cair.

Eu não sei – ela moveu os lábios, sem realmente entender por que chorava.

— Shhh… - ele murmurou segurando seu rosto delicadamente entre suas mãos. – Não sabemos o que é, mas tudo vai ficar bem. Não chore, por favor.

Mas não adiantava, ela só chorava ainda mais, como se alguém tivesse aberto uma torneira em seus olhos.

E você pode pensar que eu não me importo com você

Quando sabe, lá dentro, que realmente o faço

E é a mim que precisa mostrar quão profundo é seu amor

Edward não sabia o que fazer, então aproximou dela, beijando-a, sentindo o sabor salgado das lágrimas que estavam banhando os lábios dela.

Bella automaticamente colocou as mãos em seus cabelos com força, o apertando contra ela, como se fosse o ar para respirar. Ele estranhou a forma como ela retribuía ao beijo, tão sedenta, tão forte, mas não disse nada, apenas lhe deu o que ela lhe dava.

É seu amor

Quão profundo é seu amor

Eu realmente preciso aprender

Porque nós vivemos num mundo de insensatos

Quando deram conta do que faziam, estavam deitados no sofá, quentes, ofegantes, e sem conseguir largar um do outro.

Bella pulsava de uma forma diferente, e não sabia como controlar tudo isso, então apenas seguiu o beijando. Edward sabia que se continuasse dessa forma, os dois terminariam nus, suados, e ainda mais sedentos, um pelo outro.

Estava lutando contra si mesmo para saber se continuava com aquilo, deixava seu lado que derramava luxuria por essa pequena mulher, ou se afastava e deixava tudo aquilo para um momento mais calmo.

Difícil decisão que ele tinha que tomar.

Nos passando para trás

Quando deveriam nos deixar ser

Nós pertencemos a você e eu

— Bella – ele sussurrou com dificuldade, enquanto ela sugava seu lábio. – Amor, eu… eu preciso ver a comida. – O que não deixava de ser mentira. – Se não ela vai queimar e… amor eu preciso ir. – Ele se levantou rapidamente indo em direção a cozinha.

Bella sentiu um novo rubor tomar conta do seu rosto, quando percebeu onde isso os tava levando. Ela estava definitivamente excitada e sabia que se ele não tivesse parado, teria continuado. E oh meu Deus ela realmente queria isso, mas se deu conta de que não era bem o momento certo.

Levantou e foi até o banheiro do quarto dele, olhou para a sua cama, que tinha uma colcha preta e branca, com dois travesseiros. Pensou em quantas poderiam ter deitado ali, e se deu conta que já não se importava.

Ele era dela e ninguém mudaria isso.

Edward parecia que ia pegar fogo quando chegou na cozinha. Colocou para dentro um grande copo d’água. Meu Deus, ela o tirava do sério, e seu corpo estava em chamas.

Tratou de se acalmar, e terminar o que estava fazendo. Verificou o molho, e o macarrão. Os dois estavam quase prontos.

Um arrepio percorreu seu corpo ao lembrar de como se sentiu a alguns minutos, toda aquela forma pequena de Bella por baixo dele, todos aqueles puxões, beijos, sugadas… Droga preciso parar de pensar nisso por agora, ele disse a si mesmo sacudindo a cabeça.

Bella tinha terminado de lavar seu rosto, e secou-o. Quando estava quase saindo do quarto de Edward, o seu celular começou a tocar. Ela decidiu levar até ele, mas enquanto saia do quarto viu o nome que piscava na tela.

Tanya.

A fúria que ela sentia por essa mulher ferveu o seu sangue, a ponto de fazê-la parar no meio do corredor.

Edward escutando o celular tocar, saiu da cozinha encontrando Bella encarando o telefone em sua mão, com uma carranca no rosto, e os olhos marejados.

Ela olhou para ele, negando com a cabeça, e sentindo novas lágrimas, agora de tristeza profunda cair pelo seu rosto.

Tanya era um fantasma que a assombrava, e parecia que nunca iria embora

0 comentários :

Postar um comentário