M - Capitulo 8

Que cada beso tiene amor sincero

Que no importa el mundo entero

Cuando tengo tu mirada frente a mi

Que cada sentimiento es verdadero

Que eres todo lo que quiero

Que no dudes

♫ Llena de Amor – Luis Fonsi

~/~/~/~/~/~

A manhã de natal chegou, e com ela uma nova realidade na vida de Edward e Bella.

A noite passada havia mudado o rumo de suas vidas, quando voltassem para Nova York, teriam uma vida juntos, literalmente.

Edward admirava o rosto de Bella, enquanto ela dormia. Lhe custava acreditar que era agora a sua namorada, que iria ficar com ele. Seus dias nunca foram tão bons, sua vida nunca teve tanto sentido como agora.

Ele já se considerava alguém que jamais iria se casar, não poderia conviver com alguém que não pudesse ter todo o seu coração. Bella o tinha por completo, e ele jamais poderia o oferecer para outra pessoa. Seria errado.

Uma fraca claridade da manhã penetrava pelas cortinas do seu quarto, iluminando a pele de Bella, tornando a visão ainda mais espetacular. Seu quarto estava todo escuro, apenas uma pequena fresca da cortina o dava esse privilégio.

Tocou com delicadeza a bochecha levemente corada dela, beijo delicadamente sua face, e afastou suas mãos do corpo dele, para que pudesse levantar.

Com muito cuidado o fez, e ela continuava a dormir tranquilamente. Saiu do quarto, observando a casa em silêncio, apenas um barulho vindo da cozinha. Desceu as escadas e foi para lá.

— Bom dia filho – Esme disse ao ver Edward entrar na cozinha.

— Bom dia mãe. Acordada tão cedo?

— Estou preparando o café da manhã, daqui a pouco todos vão levantar, e quero que esteja tudo pronto.

— Ah entendi – ele pegou um copo de água.

— Filho, e você e Bella, como estão?

— Bem – ele sorriu colocando o copo de água no balcão. – Não conte a ninguém ainda, mas ontem ela aceitou ir morar comigo.

Os olhos de Esme se iluminaram e se arregalaram-se ao mesmo tempo.

— Sério? – ela perguntou um pouco incrédula.

— Sim mãe, é sério. Eu nunca me vi vivendo, e compartilhando um lar com outra pessoa sem ser a Bella. Eu a amo tanto – Esme sorriu para o filho.

— Eu sempre soube que você a amava, na verdade eu tive a certeza em um dia que ela dormiu aqui em casa, e vocês estavam dançando no meio da sala.

A mente de Edward e Esme foram até esse dia.

~*Flashback*~

Bella tinha 13 anos, e estava um pouco triste, pois naquele dia havia sido, mais uma vez insultada na escola, e não tinha Edward ao seu lado. Ele estava com uma gripe terrível, e não pode sair de casa.

Estava encolhida no canto do sofá da casa dos Cullen, enquanto Esme preparava o jantar. Edward desceu as escadas, com o nariz e olhos vermelhos pela gripe. A viu ali na sala, e qualquer tipo de problema que poderia ter sumiu de sua mente.

— Cariño – ele a chamou, e Bella levantou o rosto para o olhar. Tinha os olhos marejados, e aquilo cortou o coração dele.

Aproximou-se do sofá, e sentou ao seu lado. Passou a mão no rosto dela, enquanto reprimia um espirro. Ela deixou as lagrimas caírem, enquanto olhava para ele. Sua tristeza era enorme, pois nenhum ser humano gostava de ser tratado tão mal.

— Pequeña o que aconteceu? – Edward disse colocando, uma mecha do cabelo dela atrás da orelha.

Foi Jéssica. Ela disse para mim que, eu sou tão inútil, não sei dançar. Tudo bem que eu sou desastrada, mas ela não precisava falar, por que fazem isso comigo?– Bella moveu as mãos tremulas, enquanto mais lágrimas caiam.

— Porque são pessoas sem coração mi preciosa – ele limpou as lágrimas dela. – Venha, vamos dançar.

Bella arregalou seus enormes olhos chocolate.

Dançar? Eu?

— Óbvio. Só estamos nós dois aqui Bella, não se preocupe. Vou escolher uma música.

Edward olhou para alguns cds da coleção do pai, e escolheu uma que continha umas músicas mais antigas. Colocou o cd no som, e a faixa que queria.

Glenn Medeiros - Nothing's Gonna Change My Love For You

Se eu tivesse que viver minha vida sem você por perto

os dias seriam todos vazios

as noites pareceriam tão longas

Com você eu vejo o pra sempre tão claramente

eu já devo ter ficado apaixonado antes

mas isso nunca foi tão forte

— Venha – ele estendeu a mão para ela, que sem reclamar pegou, apertando os dedos na sua palma quente.

Tem certeza? Você está gripado, não quero lhe machucar. – ela moveu os lábios, enquanto ele passava o braço delicadamente pela cintura dela.

— O máximo que pode acontecer é você pegar a minha gripe, mas ai seremos dois gripados em casa – ele riu e ela balançou a cabeça incrédula. – Na dança, tudo depende de quem conduz – sua voz estava mais suave, o que fez Bella relaxar mais. – Deixe-me te guiar, e você vai dançar como nunca em sua vida.

Nossos sonhos são jovens e ambos sabemos que

Eles nos levarão onde nós desejamos ir.

Segure-me agora, toque-me agora,

Eu não quero viver sem você.

Nada vai mudar meu amor por você,

Você deve saber a essa altura o quanto eu te amo.

De uma coisa você pode ter certeza:

Eu nunca pedirei mais do que o seu amor.

Bella fechou os olhos, encostando a cabeça no peito de Edward. Ele a movia lentamente, de um lado para outro, sussurrando a música em seu ouvido, o que fazia seu pequeno, e jovem coração, pular de emoção.

Não sabia que dançar com alguém seria assim... não errado, ela não sabia que dançar com Edward seria assim. Suas pernas estavam já querendo criar a consistência de gelatina, mas ela se manteve firme, precisava sentir aquilo um pouco mais.

Edward estava a beira de um colapso nervoso. A música descrevia tantas partes dele, e ter aquela pequena garota ali contra seu corpo, o fazia amá-la ainda mais. Como queria poder protegê-la de todo o mal do mundo fora da porta daquela casa. De todas as pessoas que a não respeitava, que fazia questão de machucá-la. Por que maltratavam tanto um anjo tão delicado como sua a preciosa?

Nada vai mudar meu amor por você,

Você deve saber a essa altura o quanto eu te amo.

O mundo pode mudar minha vida toda completamente,

Mas nada vai mudar meu amor por você

Se a estrada adiante não for tão fácil,

Nosso amor mostrará um caminho para nós,

Como uma estrela guia.

Esme estranhou a música e foi ver o que estava acontecendo, parou antes de entrar no campo de visão deles. E suspirou ao ver a cena na sua frente.

Seu querido filho, tão jovem, e ao mesmo tempo tão maduro, estava dançando com Bella. Os olhos dos dois estavam fechados, e ela viu os lábios dele se mexerem com a música.

Errado é aquele que diz que não existe amor puro e verdadeiro. Claro que existe, e ali estava a prova disso. Edward estava apaixonado por Bella, e Esme sentia isso. Ela não podia afirmar o mesmo por parte da garota, mas tinha suas suspeitas.

Saiu dali, antes que fosse vista, e voltou para a cozinha, com a certeza de que o futuro iria encarregar de fazer o seu papel diante dos olhos deles.

Eu estarei lá por você se precisar de mim.

Você não precisa mudar nada,

Eu te amo exatamente do jeito que você é.

Então venha comigo e compartilhe da paisagem,

Eu te ajudarei a ver a eternidade também.

Segure-me agora, toque-me agora,

Eu não quero viver sem você.

Edward respirou profundamente, o perfume de morangos dos cabelos dela. Ele era tão jovem, e não sabia o que fazer com tanto amor que tinha em seu peito.

Bella sentia o cheiro de Edward, conhecia tão bem, que poderia reconhecer a quilômetros de distancia. Seu coração estava cada vez mais rápido, e ela não sabia se sobreviveria a intensidade de algo, tão desconhecido para si mesma.

O amor deles era tão forte, que jamais seria quebrado, eles sabiam disso, mas estavam totalmente leigos com relação a o que tudo poderia significar. Uma amizade? Um amor de namorados? Amor de irmãos? Eles não sabiam, mas teriam muito tempo para descobrir.

Nada vai mudar meu amor por você,

Você deve saber a essa altura o quanto eu te amo.

De uma coisa você pode ter certeza:

Eu nunca pedirei mais do que o seu amor.

Nada vai mudar meu amor por você!

A música acabou, e com ela a bolha da magia entre eles foi estourada. Bella se afastou dele lentamente, com as pernas em modo gelatina, não sabia como estava em pé.

— Eu disse que você poderia dançar – Edward disse, enquanto a observava corar terrivelmente.

Ela apenas assentiu com a cabeça, e voltou para o sofá.

~*Fim do Flashback*~

Edward foi tirado dos seus pensamentos, junto com sua mãe, quando Jasper entrou na cozinha.

— Bom dia – ele disse, Esme e Edward responderam.

— Onde está Alice? – perguntou Esme, pegando algumas coisas na geladeira.

— Alimentando a pequena comilona, pediu para a senhora ir lá.

— Oh, irei ver do que ela precisa, venho em um instante – ela respondeu, saindo da cozinha em direção as escadas.

— Então, finalmente hein seu lerdo – Jasper disse empurrando o ombro de Edward de brincadeira.

— O que? – ele riu, se fazendo de desentendido.

— Você e Bella. Eu pensei que você realmente nunca ia fazer nada.

— Eu te falei que tinha medo, mas era um medo inútil.

— Não sabia como você não enxergou que ela te amava. Estava escrito na cara dela, só faltava colocar uma placa de néon, pra você ver.

— Eu nunca vi assim, sempre pensei que era algo de amigo – ele encolheu os ombros. – Mas não preciso mais pensar nisso. Sei que ela me ama, e a farei o mais feliz possível.

— Espero mesmo Edward, pois se você machucar Bella de alguma forma, você sabe que não existira vida para você não é? – Jasper arqueou uma sobrancelha.

— Eu jamais machucaria Bella – ele suspirou. – Mas entendi seu recado. Vou acorda-la, daqui a pouco desço.

— Tudo bem – Edward subiu as escadas de dois em dois degraus, e entrou no seu quarto com calma.

Bella ainda dormia, agora agarrada ao travesseiro dele. Um sorriso enorme encheu seu rosto, enquanto caminhava até a cama. Sentou-se onde antes estava deitado, e inclinou-se para dar um beijo meio desajeitado, nos lábios dela.

— Amor – ele sussurrou. – Acorda – passou a mão delicadamente pelo braço dela.

Suas pálpebras tremeram, enquanto ela acordava com a voz mais bela do mundo. Sorriu levemente, enquanto se espreguiçava como uma gatinha. Edward sorria ainda mais. Ele poderia ter essa visão todos os dias, e jamais se cansaria.

— Bom dia – ele disse, ao ver aqueles belos e sonolentos olhos chocolate, abrindo.

Bom dia – moveu os lábios, olhando ainda com a visão embaçada para ele.

— Eu te amo – Edward falou, sem perder tempo, levando seus lábios aos dela. Beijando-a docemente, de uma forma que os fazia derreter por dentro.

Bella suspirou em seus lábios, e colocou sua mãos nos cabelos dele. Enquanto o mesmo agora distribuía beijos pelo rosto dela.

— Eu te amo, eu te amo, eu te amo, nunca vou cansar de dizer.

Os olhos dela encheram de lágrimas, ela não sabia quando ia deixar de ser tão chorona.

— Eu amo você – ele sussurrou limpando as lágrimas dela com um beijo. – Amo, e amo. Lembra daquela vez que dançamos Nothing's Gonna Change My Love For You, na sala?

Ela assentiu, agora olhando para o rosto dele. Edward colocou sua testa na dela, para poder apreciar mais da sua preciosa.

— Como diz a letra da música, I love you just the way you are. Eu amo você do jeitinho que você é, nunca se esqueça disso. Nothing’s gonna change my love for you. You ought to know by now how much I love you. Mi preciosa, eu sempre vou amar você, até o fim dos meus dias.

Bella sorriu, dando um selinho demorado nele.

— Vamos tomar café da manhã? Acho que a essa altura todos já desceram. Mas antes – ele pulou de sua cama, indo em direção a sua mala - Feliz natal meu amor – ele estendeu para ela, uma caixa azul com um laço. Bella entrecerrou os olhos, e pegou a caixa.

Puxou o laço, e abri a tampa da caixa, encontrando ali outras duas. Uma que parecia de colar, e outra de brincos. Lembrou-se do dia do shopping, e não podia acreditar que ele tinha feito isso.

Encontrou dentro da caixa maior, o colar com pingente de estrela azul, e diamantes. Olhou para ele, dizendo ‘obrigada’, com os lábios. Pegou a outra caixa, dentro continha um delicado par de brincos de diamantes. Novamente seus olhos lacrimejaram, enquanto ela inclinava-se em direção a ele e lhe dava um leve beijo nos lábios.

— Vejo que você gostou. Nenhuma jóia do mundo se compara a sua beleza, mas eu percebi que você tinha gostado do colar, e os brincos são um adicional.

Muito obrigada – ela disse, enquanto afagava o rosto dele.

— Por nada mi amor, você merece isso e muito mais. Agora guarde e vamos tomar café.

A felicidade deles não cabia em si mesmos.

Mas felicidade demais, não seria um perigo?

Talvez...

0 comentários :

Postar um comentário