M - Capitulo 7

Todo lo que tengo,
Ahora forma parte de ti
Y en ese momento,
Olvidar el tiempo y vivir.
Y no... quedarme solo en el intento.

♫ Quiero Volar – Christian Chavez

~/~/~/~/~

A noite de véspera de Natal havia chegado. Todos estavam reunidos em torno da grande mesa de jantar dos Cullen. Quem via de fora poderia imaginar que essa era uma família perfeita. Mas não existe uma família perfeita, todas possuem seus problemas e barreiras para enfrentar.

A diferença está em você colocar os problemas na frente da felicidade, e de tudo o que uma família pode trazer. Eles são assim, preferem pensar nas coisas boas, antes de colocar as preocupações em um patamar mais alto da vida.

Esme havia preparado um incrível banquete, todos se deliciavam com o seu talento para a gastronomia, e para ela era um prazer cozinhar para todos. E ter a casa cheia, era a sua maior alegria, mas ela sabia que os filhos deviam seguir seus caminhos.

Eles se encontravam em períodos do ano, mas o Natal era o evento onde eles todos podiam estar juntos.

Edward nunca passou um Natal tão feliz em sua vida. Agora ele tinha Bella como sua namorada, da forma que ele sonhou durante anos. Se sentiu um pateta por demorar tanto para poder se declarar para ela, poderiam estar juntos a muito tempo… mas talvez antes não fosse o momento certo, e agora também não importa. Eles estavam juntos, e assim ele pretendia que ficassem por toda a eternidade.

Quando Edward ficava com outras mulheres, ele tentava inutilmente acabar com esse amor que ele sentia, mas depois de um tempo ele percebeu o quão impossível era disso acontecer.

Chegou a um dia a pensar que Bella poderia sumir de sua vida, ao completar o seu coração com o amor de outro homem. Ele nunca conseguiu ver sua vida de uma forma em que Bella não estivesse nela.

Para Bella, ter Edward como namorado, era tudo o que ela poderia querer nessa vida. Sonhava acordada com seus beijos, sonhava em um dia estar em seus braços, sonhava em um dia o chamar de seu.

Ela sempre pertenceu a ele. Desde que era uma simples garota pintando o retrato da mãe, e viu aquele belo par de olhos verdes na sua frente. Foi sua paixonite infantil. Uma paixonite que se alimentou durante anos, e se tornou um amor grande e profundo.

Bella chegava a pensar em contar para ele, mas minha medo, muito medo, de que estragasse tudo. Quando ele namorou a Tanya, ela ficou apavorada, tinha medo dessa garota ser a mulher da vida dele, e o tirar dela para sempre.

O que seria da vida de Bella sem Edward?

Ela não sabia responder, pois sua vida se resumia a ele, e sem ele não tinha vida.

.

.

.

Depois do jantar, todos ficaram na lareira. Carlisle contava histórias de Natal, e claro o mais entretido de todos era Pietro, que ficava fascinado com as historias do vovô Carlisle. Mesmo sem um parentesco sanguíneo, era assim que Pietro o via, como um terceiro avô.

Bella estava junto com Edward em um canto da sala, que tinha uns puffs. Ficaram um pouco afastados da família, pois queriam se curtir um pouco.

Edward a tinha em seus braços, acariciando seu rosto, enquanto a admirava. Ele nunca se cansaria de fazer isso.

O seu rosto parecia de uma boneca, e para ele, era a mulher mais bonita de todo o mundo. A pele dela era suave como a mais perfeita pétala de rosa. Delicada como tal, macia, perfumada… ele queria poder beijar cada centímetro da sua pele, somente para ter a certeza de que toda a sua extensão era de tal forma.

Bella sentia-se aquecida nos braços dele. Seu perfume, mais do que conhecido, embriagava seu sistema, a fazendo ainda mais viciada nesse homem.

Perguntava-se como tivera a sorte de o ter para si. Ele era tão lindo, tão perfeito...

Seus olhos eram a chave de tudo. Brilhavam, e mostravam toda a sinceridade e bondade de Edward. Ela poderia ficar, horas e horas olhando para ele, que jamais se cansaria.

Aproximou-se mais dele, e pousou seus lábios nos dele. Oh sim, o paraíso. Era assim como ela se sentia, ao tocar seus lábios.

Edward a segurou mais perto, experimentando do seu sabor. Sua língua acariciou o lábio inferior dela, de forma que essa deu passagem para que ele entrasse em sua boca. Nunca se sentiram tão bem em toda a sua vida, era como flutuar em uma nuvem.

Os dedos de Edward acariciavam os cabelos dela, de cima a baixo, enquanto suas bocas moviam-se juntas, com amor e desejo. Nunca, nunca poderia acabar.

Quando o ar foi necessário, Edward afastou-se um pouco, dando um beijo na ponta do nariz dela.

— Quer ir dormir agora amor? – ele sussurrou. Ela sorriu acenando com a cabeça.

Ajudou-a levantar, e somente deram boa noite aos outros, subindo as escadas em seguida. Charlie não se incomodava em deixar Bella ficar ali, primeiro porque ela já era adulta, e segundo, ele sabia que Edward cuidaria muito bem dela.

O aquecedor da casa estava ligado, mantendo assim o quarto de Edward com uma temperatura agradável. Bella sentou na beirada de sua cama, enquanto ele estava no banheiro.

Seu estomago parecia ser tomado por milhões de borboletas, quando lembrou da noite anterior. Dos toques dele, da forma que ele a tratou, dos beijos, da sensação que trouxe ao seu corpo...

Sobressaltou-se quando sentiu as mãos de Edward em seus braços. Ele tinha subido na cama e ela nem percebeu. Ele beijou sua nuca levemente, acariciando seus braços. Bella fechou os olhos, deixando os sentimentos bons domarem seu corpo.

Edward sentia como o coração dela estava acelerado, pela pulsação em seu pescoço.

— Eu te amo tanto, cariño – ele sussurrou em seu ouvido, levando suas mãos aos seus ombros. Deu outro beijo em sua nuca, e puxou-a junto com si para a cama.

Bella olhava para ele, com os olhos brilhantes. Ele sorriu, e puxou o seu lábio inferior entre os dentes, fazendo-a arrepiar-se ainda mais. Suas mãos procuraram o cabelo dele, emaranhando os dedos ali. Puxou aqueles fios sedosos, enquanto sua boca era coberta com a dele.

Seu coração batia cada vez mais rápido, parecia que a qualquer momento iria pular para fora do seu peito.

Edward a virou rapidamente, ficando com seu corpo por cima do dela, sentindo todo aquele calor da pequena, deixar seu corpo ainda mais aceso. Suas mãos viajaram lentamente pelas curvas dela, que só queria ser tocada por essas mãos mágicas.

— Quer que eu faça aquilo de novo cariño? Quer que eu te toque? – ele perguntou com o rosto enterrado no pescoço dela. Ela assentiu com a cabeça, e ele deu um beijo em sua pele fina.

Suas mãos rapidamente chegaram até o botão da calça dela. Ele abriu com facilidade, mantendo os olhos fixos nos dela. Deslizou a calça dela pelas pernas, jogando-as no chão.

— Você não vai precisar disso preciosa.

Puxou a calcinha dela para o lado e acariciou com o indicador o clitóris dela, que mordeu o lábio inferior na sensação. Ele a tocava como a uma pétala de rosa, que precisava de delicadeza para ser apreciada. Segundos depois ele colocou um dedo dentro dela, sentindo-a tão apertada, que isso lhe consumia imensamente.

Bella pensou que nunca conseguiria se acostumar com aquilo, com aquela sensação de prazer, e imaginava quando fosse realmente sexo. Quando ele estivesse completamente dentro dela, consumindo-a, completando-a... Arqueou as costas quando o ritmo da mão dele aumentava, e um segundo dedo foi colocado.

Ele a fazia se sentir tão bem, ele a amava que era capaz de lhe dar prazer de uma forma tão simples. Ela o queria, o queria tanto, mas não estava pronta para algo mais avançado, apesar da idade, Bella era muito imatura nesse aspecto.

Edward continuou com os movimentos e segurou-a pela cintura, puxando-a para um beijo, ao qual correspondeu de imediato. Ele a queria tão próxima quanto possível, sentir sua intimidade tão sedenta por ele, o fazia querer tomá-la ali para si, mas ele jamais faria algo com a qual ela não se sentisse completamente pronta.

Pouco tempo depois, Bella sentiu aquela mesma sensação da noite anterior, e deixou-se levar pelo alivio que veio, ainda com seus lábios nos de Edward. Mordeu seu lábio inferior, puxando de uma forma que ele percebesse que ela estava se sentindo muito bem.

Edward levantou-se indo em direção ao banheiro, e logo em seguida voltou, deitando novamente, agora a puxou para junto de si.

— Sabe cariño, um dia eu tive o melhor sonho da minha vida e era com você – ele disse acariciando suas costas e olhando para ela.

Como foi o sonho? - ela mexeu os lábios.

— Era uma tarde de por do sol, em uma praia, não me pergunte qual, porque eu não sei. Toda nossa família e amigos estavam ali, e você estava ao meu lado. Estávamos nos casando – sua voz era calma e suave, e os olhos fixos nos dela. – Você estava tão linda, com um vestido simples, branco, com umas pequenas flores amarelas, o cabelo em longos cachos, e também com algumas flores presas em fios. Seu sorriso era tão lindo – ele acariciou a bochecha dela – parecia um anjo, o anjo que você é. Claro que um sonho não faz jus a sua beleza mi amor, eu sentia como se estivesse sendo coroado o homem mais sortudo do mundo, por ter ao meu lado a mais bela mulher de entre todas. Quando você aceitou diante do padre ser minha esposa, a emoção triplicou. Mas quando eu acordei – sua voz se tornava mais baixa – eu estava sozinho, em meu apartamento... – sua voz falhou um pouco, ele não sabia como falar aquilo para ela.

Amor continue – ela disse acariciando o rosto dele.

— Então, eu agora tenho você comigo, aqui em Forks do meu lado, mas quando voltarmos para Nova York, não quero mais viver sozinho. Não quero mais acordar em uma cama fria e vazia.

Bella o olhava com atenção, e sabia que para ele estava sendo difícil falar o que tanto queria.

— Sei que é cedo para um casamento, precisamos montar uma base sólida na nossa relação, mas Bella, você moraria comigo? No meu apartamento, ou no seu, tanto faz, eu só queria morar você. Dormir ao seu lado, acordar com você nos meus braços, ser a primeira e a última pessoa a ver no meu dia. Mora comigo meu amor, só quero isso da vida, por favor.

Os olhos de Bella brilhavam em lágrimas, enquanto algumas caiam por seu rosto. Ele estava chamando-a para compartilhar sua vida com ele.

Os dias. As horas. Cada momento.

Ela assentiu com a cabeça, sorrindo. Enquanto observava que ele também tinha umas lagrimas nos olhos.

— Eu prometo meu amor. Vou fazer de você a mulher mais feliz de todo esse mundo.

E eu não duvido disso – Bella moveu os lábios trêmulos de emoção, enquanto ele os cobria em um beijo que selava a nova fase de suas vidas.

Uma vida juntos, era o que estava escrito em seus destinos, eles só queriam compartilhar isso da forma correta. Da forma como devia ser desde sempre.

— Mas não pense que desistirei de casar com você – ele disse juntando a sua testa com a dela. – Eu quero você como minha esposa, minha mulher, minha companheira, melhor amiga, como a pessoa que vai cuidar de mim, e que vai deixar ser cuidada. Quero ser o homem que move seu coração, o amor que vai preencher cada lacuna dos seus dias.

Você é esse homem. Sempre foi esse homem.

— E você sempre foi essa mulher, mi preciosa. Sempre foi minha, da forma como eu sempre fui seu. Todo seu.

0 comentários :

Postar um comentário