DPOP - Capitulo 3

Após o incrível resultado obtido na nossa primeira experiência com o Kama Sutra, foi incrível para não dizer ao contrario jamais senti tanta intensidade, com ninguém. E nossa, a sensação do meu membro sendo vigorosamente apertado. Foi demais. Eu sabia que naquele dia em meu consultório eu deveria deixar de ser um médico serio e ousar. E graças a deus, eu ousei mesmo! Após todo aquele surto de Bella eu achei que perderia minha licença para exercer minha profissão, achei que Bella me entregaria mais não. Ela queria isso tanto quanto eu talvez ela tenha notado nossa afinidade.

Estávamos juntos nessa empreitada há uma semana, desde que ela entrou em meu consultório naquela tarde de segunda feira. Uma tarde calma para todos os efeitos. Já fazia uma semana que tínhamos tido nossa primeira experiência e que deu super certo. Bella não me ligou nenhuma vez, eu também quase não tive tempo para mim mesmo, muitas pacientes e muitas crianças malditinhas e relemelentas que resolveram nascer para atrapalhar meu desempenho nessa missão. Não que eu não ame meu trabalho, eu amo crianças. Porque elas tinham que nascer justo agora que eu queria me empenhar?

Minha semana foi a mais corrida possível já era sexta feira e ela ainda não havia me ligado, ou sequer marcado uma consulta. Será que ela já tinha ido testar com outros homens? Não que eu tivesse algo contra. De jeito nenhum era só uma mera curiosidade sobre minha paciente.

Era estranho que agora que ela já tinha tido seu primeiro orgasmo não tenha me ligado ainda, as mulheres são tão diferentes elas precisam de uma ligação na manha seguinte...

Droga é isso, ela deve estar achando que eu tinha desistido do “tratamento” precisava dar um jeito nessa situação. Já tinha terminado meu dia de trabalho e estava correndo para terminar todos os relatórios e ligar para ela quando meu telefone tocou, bufei com a possibilidade de perder tempo. Cada segundo perdido era precioso.

- Edward Cullen – atendi de má vontade.

- Oi é a Bella – sorri, ela não tinha desistido, talvez apenas sem tempo.

- Como vai Srta, achei que tivesse desistido do nosso tratamento? – perguntei morrendo por dentro pela resposta.

-Não desistirei não, alias até comprei um livro do Kama Sutra. Eu gostaria de saber se posso escolher a posição. – ela queria escolher, ok nada de egoísmo, afinal o tratamento era para ela. Eu estava apenas me beneficiando disso tudo.

- Claro, é importante para o tratamento que você interaja e qual seria essa posição? – já estava abrindo minha gaveta pegando o livro para ver a posição.

- Proposta Indecente! – disse animada e eu comecei a procurar pelo índice

Assim que achei a posição sabia que meu turno na clinica acabaria agora. Dane-se os relatórios, eu termino depois. Pois eu mal poderia esperar em ter a minha paciente totalmente exposta para mim.

- Bella, creio que por mais indecente que seja essa relação. Médico e paciente, eu realmente fiquei impressionado com a sua escolha. E preciso te confidenciar que estou extremamente excitado agora.

- É mesmo, nossa relação é bem indecente. Mas nos deu um resultado maravilhoso, semana passada. Quanto a sua excitação se você quiser acabar com ela. Eu estou no meu apartamento. – eu bem que gostaria mais o tempo que gastaria seria muito.

- Porque não tentamos algo novo? Já fez sexo por telefone Isabella – preliminares via telefone é sempre uma boa eu mesmo recomendo as minhas pacientes.

- Nunca fiz mais Doutor eu prefiro que me chame de Bella alias tentaremos não levar isso pelo lado médico e paciente, por agora. Tudo bem?

- Sim então, por favor, não me chame de Doutor e sim de Edward, vamos esquecer que isso é apenas uma experiência, um tratamento e que logo ira acabar – era isso mesmo que eu queria. que acabasse?

- Quer saber como estou vestida Edward? – agora sim estamos evoluindo. Foi tão rápido essa pergunta que me surpreendeu.

- Quero – rosnei alto sabendo que estava sozinho e que minha assistente já tinha ido embora.

- Nada! – após ouvir isso apertei o botão do viva-voz para aproveitar mais.

- Nossa, nada. – disse descendo o zíper da minha calça sonoramente, para libertar meu pau que estava extremamente inchado e duro.

- Liberte seu membro Edward, quero que você foda minha boca com ele. Até hoje eu ainda sinto seu gosto em minha boca. – soltei um rosnado

- Então me imagine aí fudendo sua boca.

Apertava meu membro enquanto escutava seus gemidos contidos. Talvez ela estivesse ainda com algum receio. Na sala só se ouvia isso e os gemidos de Bella pelo telefone e o som das minhas mãos trabalhando no meu pau, e meus próprios gemidos relembrando como era estar dentro dela.

- Venha Bella, quero que você goze junto comigo!

- Sim Edward... – disse com um suspiro arrastado...

Eu não poderia me conter, então gemendo acabei gozando escutando os gemidos baixos de Bella. Após alguns segundos me recuperando percebi que do outro lado da linha só havia silencio.

- Bella, você está ai?

- Sim , Edward, estou – algo estava errado, e eu sabia bem o que era.

- Você não gozou não é mesmo?

- Não, Edward. Não deu certo isso. – droga! – mais eu tenho um jeito para você resolver isso. Se você vier até meu apartamento agora.

- Claro me passa o endereço.

Sai todo desengonçado arrumando minhas calças no elevador. Rezando para que nesse horário o trânsito cooperasse, afinal eu tinha uma mulher para satisfazer. Infelizmente minha sorte não cooperava o trânsito estava brincando com minha paciência. Fiquei 20 minutos preso graças ao filho de uma boa mãe que resolveu brigar com a esposa e bater o carro. Vão foder com a vida de outros né? Geralmente não me comporto assim, mais um homem excitado, é equivalente a 300 homens das cavernas. O apartamento de Bella não era longe porem com o transito acabei demorando no trajeto. Estava ficando louco com essa liberdade que adquirimos em pensar que não éramos mais como medico e paciente, pensava em tudo.

Seus seios, suas coxas, suas pernas, seu cabelo o qual queria agarrar como se fosse à crina de uma égua e domá-la. Finalmente cheguei ao meu destino. Louco para acabar com a angustia dela e conseqüentemente a minha. Que mesmo após o telefonema aumentou de forma rápida enquanto lembrava seu corpo em minhas mãos há uma semana atrás.

Não precisei de muito para entrar no edifício Bella já tinha avisado sobre minha visita. Nunca pensei que 60 segundos fossem tanto tempo, sim era tempo demais quando se quer muito alguma coisa. Eu estava parecendo aqueles meninos esperando o papai Noel que nunca vinha. O andar onde Bella morava era silencioso e calmo, caminhei até sua porta e bati, esperando ansiosamente por ruídos vindos do apartamento. Distraído enquanto esperava, não percebi quando Bella abriu a porta com um roupão de seda vermelho que ia até seus joelhos, a encarei e desci meu olhar até seus seios. Onde seus mamilos eram marcados pelo tecido. Não resisti àquela visão e a ataquei ali sem me preocupar se algum vizinho nos veria ali. Já não estávamos numa relação paciente e médico, nos demos à liberdade e então não importava tanto, apenas o objetivo que era ensinar a Bella ter um orgasmo.

Passei minha língua em seus lábios, pedindo passagem que foi me dada com prazer. Minhas mãos seguiram em direção aos seus seios e os apertei sentindo seus mamilos rígidos sobre o tecido. Bella gemia e eu ficava feliz por ser o causador desses gemidos. E saber que eles não eram falsos, eu ainda teria que conversar com ela. Para saber como era a relação dela com seus ex-parceiros. Puxando para colar nossos corpos e rocei minha ereção em sua virilha comecei a explorar seu roupão tentando me livrar daquela peça que me separava de sua pele macia.

- Não, você está muito vestido ainda – isso era verdade – e para ganhar meu convite terá que se despir. – a melhor coisa que fizemos foi nos libertar dessa coisa “paciente/médico” ela realmente era boa em um sexo sem compromisso.

Enquanto a seguia com o olhar ia me livrando de todas as peças de roupa, após essa quebra de barreiras entre nós dois, as coisas ficaram bem mais fáceis. Até mais do que imaginávamos. Bella foi arrastando sua mesa de centro, e eu seguia sua bunda por onde quer que ela fosse. Quando estava quase nu somente faltando me livrar de minha cueca

- Então, estou esperando! – estalou os dedos, eu achei graça. Não tinha como não rir afinal ela era engraçada.

- Já estou praticamente nu, não sei o que mais você quer – me fiz de inocente

- Edward, se você ainda não reparou, eu estou completamente nua e posso provar.

Então deslizou o roupão lentamente me revelando o que ela tinha me dito no telefone. Completamente nua e exposta somente para mim. Jogou o roupão para algum lugar que não me importei em identificar. Se colocando na posição que o livro manda em uma superfície lisa e plana. O chão de sua sala fui seguindo cada gesto e movimento seu com extrema devoção sobre cada curva de seu corpo. Então lentamente se colocando na proposta mais indecente possível. Dando-me o convite mais bonito, subiu sua perna em um ângulo reto. Me convidando para estar entre suas pernas.

- Ira continuar aí com essa cara de bobo ou fará o que pelo telefone não conseguiu?

Sai do transe que aquela posição estava me deixando, eu nunca pensei que fosse tão sexy. Eu teria que estudar mais o Kama Sutra entre tantas. Mais de 50 posições eu não havia achado essa no livro, quando escrevi meu artigo não tinha me dado conta que poderiam existir coisas super excitantes, hoje eu estava descobrindo também. Retirei minha cueca e fui em direção a minha proposta que aceitei de bom grado.

- Você já testou essa posição Edward?

- N-não – eu gaguejei que porra era essa? Edward Cullen gaguejando, também não tinha como ela estava ali arreganhada e pude perceber um brilho em sua vagina o brilho de sua excitação. Era um fato, qual mulher nunca se excitou sabendo que um homem a admira e esta ali querendo-a.

- Então iremos descobrir juntos, vem cá.

Me posicionei de joelhos e deslizei minhas mãos pela sua perna esticada sentindo a suavidade de sua pele e o cheiro marcante. Deslizei de seus tornozelos até suas coxas desviando para sua outra perna que apoiava seu corpo ao chão, dando um apertão. Enquanto Bella jogava sua cabeça para trás soltando um gemido agudo e sôfrego. Claro que não iria torturá-la afinal, ela estava esperando demais por isso. Desde o telefonema para ser exato, levei minhas mãos em direção a sua vagina. E passei meus dedos pela extensão de ser sexo e em sua entrada, penetrando-a rapidamente com dois dedos. Levando-os logo depois próximo a minha boca.

- Eu queria te provar desde a sua consulta – aproximei meus dedos sentido o aroma e coloquei os em minha boca, seu gosto era divino o mais puro sabor de sexo. Como jamais tinha provado. – seu gosto é muito bom, é o mais doce dos sabores. Não vou deixá-la esperando fique tranqüila.

Dizendo isso posicionei meu membro em sua entrada olhando em seus olhos, pude ver a ansiedade que a corroia talvez ela tenha sentido falta de meu membro entre suas pernas. Pincelei meu membro entre seus clitóris, e sua entrada forçando a passagem e abriguei minha cabeça em sua vagina. O calor agradável e a sensação úmida tão deliciosa me traziam sensações inexplicáveis, acredito que para ela também. Gemendo alto implorou por ter todo o meu membro dentro dela.

- Edward, por favor. – suplicava.

Seu desejo é uma ordem!

Deslizei meu membro por toda a extensão de seu sexo adentrando perfeitamente. Como se sua vagina tivesse sido moldada para mim, me abrigando perfeitamente. Me retirando lentamente novamente, o que Bella não sabia ao escolher essa posição. É que seria eu que teria todo o controle, não como a primeira a qual mais parecia que estava sendo “violentado”. Voltei ao seu encontro agora estocando forte e rápido vendo Bella quase perdendo o equilíbrio de sua posição que pode ate não ser uma das mais confortáveis. Porem que lidará prazer, contando com a minha ajuda.

Seus seios pulavam enquanto eu estocava forte, uma visão extremamente tentadora me inclinei sobre sua perna para alcançar seus seios. E conseqüentemente fazendo com que a penetração fosse mais funda ainda, estávamos quase nos tornando um corpo só. Apertando fortemente me tornando um homem das cavernas, estocando fortemente e mordendo sua panturrilha e deslizando minhas mãos para suas coxas apertando conforme meu prazer aumentava.

Bella gemia alto trazendo sua mão livre para minha coxa arranhando, trazendo meu quadril de encontro com seu sexo, como estava sobre controle da situação, seria minha vez de “violentá-la” me retirei lentamente com um gemido de protesto e estocando lentamente rebolando em sua direção.

- Edward!

Pude sentir suas paredes prontas para apertar violentamente meu membro. Me inclinei sobre ela ainda mais fazendo com que Bella saísse da posição tamanho meu peso sobre ela e estocando rapidamente chegando ao ápice sentindo Bella chegar ao seu. Caímos ali no chão de sua sala adormecendo exaustos.

Não sei ao certo quanto tempo ficamos adormecidos naquele chão, mais acordei enroscado em Bella no meio da sala, abri os olhos lentamente, ainda era madrugada. Mais logo estaria amanhecendo. Olhei para o relógio da parede e vi que eram 4 da manha e olhei para Bella com seu rosto corado, feliz após a noite e mais uma vez consegui levá-la ao ápice. Procurei me desenroscar dela sem acordá-la. Olhando ao redor procurando minha roupa acabei achando perto minha cueca no chão perto de onde estávamos deitados.

Vesti e sai explorando seu apartamento enquanto ela continuava dormindo, sei que isso não é certo, mais o que mais eu poderia fazer enquanto ela dormia? Ir embora? Não eu não faria isso. Comecei olhando pela sala, havia muitos porta retratos, fotos de infância, eu não pude deixar de rir de uma onde ela enfiava um amiguinho loiro em um bolo. Tive a impressão de conhecer aquela pessoa, mais era apenas uma impressão. Fotos de varias fases da vida de Bella. Desde pré-escola até sua adolescência. Uma foto em particular me fez parar e ficar um bom tempo olhando.

Era uma foto dela, dando um beijo de cinema em um homem, constatei na hora que deveria ser seu ultimo namorado. Continuando a olhar as fotos percebi que o cara em questão era Richard Janssen conhecido do meio social. Eu não tinha intimidade com ele, apenas o cumprimentava em festas e eventos. Engraçado sempre que o via ele estava com uma mulher diferente e nunca com Bella. Bella era corna! Claro que não contaria isso a ela afinal a culpa por ela não ter prazer era dele não dela. Não havia nada de errado com ela. Passe por uma estante de CDs, seu gosto musical era bom se igualava ao meu, do clássico ao contemporâneo. O gosto pelos filmes também era dos clássicos as comédias mais escrachadas.

Continuei agora indo em direção ao desconhecido, passei por uma cozinha impecavelmente arrumada, maníaca por limpeza talvez? Passei por um quarto que deveria ser de hóspedes, um banheiro, e então seu quarto. Entrar ou não entrar, isso já era muita invasão, será que era mais do que já estava invadindo?

Resolvi arriscar afinal já tinha conhecido o apartamento todo mesmo, não era enorme mais era aconchegante e a cara de Bella. Entrei notando paredes claras, um quadro e uma cama gigante. Tinha um banheiro, mais fotos, CDs, DVDs. Enfim era um quarto normal não era bagunçado, era Bella. Notei uma parte aberta de seu guarda roupa, cheguei um pouco mais perto. Para então perceber que se tratava de sua gaveta de calcinhas. Atraído como um imã, fui chegando cada vez mais perto, analisando as cores e cada peça que tinha ali. Era grande a variedade de modelos e tamanhos, até que vi a calcinha que ela usou quando estava na minha casa.

Peguei em minha mão analisando a textura do tecido levando até meu nariz sentido o cheiro de Bella, forte e doce...

- Meu cheiro, também é delicioso como meu gosto? – completamente congelado com a situação. Pego no flagra pela dona da calcinha. Virei para ela sentindo meu rosto pegando fogo com a situação.

- S..sim! – e mais uma vez gaguejei e não foi por tesão e sim por vergonha. Bella estava com seu roupão encostada no batente da porta com um olhar divertido. Ela estava se divertindo com a minha situação. Segurando o resto de minhas roupas.

- Pode ficar com ela, se quiser. – e claro que eu ficaria mais volto depois. Discretamente, como um ladrão de galinhas para buscar.

Completamente envergonhado com o que tinha acontecido, e com o que ela acabou de falar. Dei meu sorriso de escapada o sorriso torto, que minha mãe dizia que eu ficava com cara de sem-vergonha. Ela saiu do batente da porta vindo em minha direção pegando minha mão e imitando meu sorriso torto. Achei graça naquilo e ri junto com ela.

- Quero testar uma coisa, tarado da calcinha – agora ganhei apelidos, acho melhor voltar para a relação profissional. Me empurrou na cama, subindo em cima logo depois – quero saber se só consigo ter orgasmos com o Kama Sutra ou se eu fizer uma posição normal conseguirei também.

- Mais não ira desistir do que estamos fazendo não é? – ainda tínhamos oito posições para aproveitar oras! E eu não queria que acabasse, o que estava me deixando extremamente confuso.

- Não mesmo, Edward! – dizendo isso foi descendo até meu pescoço onde deu uma mordida, ah droga, agora também estou marcado. Como um boi pelo dono era o que faltava.

Descia lambendo e assoprando por onde passava mordeu meus mamilos, minha vergonha de ter sido pego evaporou no mesmo instante que sua língua tocou minha pele. Bella se livrou da minha cueca e então eu não sabia de mais nada, com ela cavalgando em cima de mim, lógico que ela chegou ao orgasmo, não só naquela posição como em muitas outras.


Posição do Capitulo:

Proposta Indecente

Deite-se de lado numa superfície bem lisa. Apóie-se sobre o braço e levante a perna de cima bem esticada, formando um ângulo reto. Pode imaginar convite mais explícito? Basta ele se ajoelhar entre as suas pernas e fazer acontecer.

Imagem: http:// arsenaldaseducao* blog *uol*com*br/ images /proposta*gif (Retirem os *)

0 comentários :

Postar um comentário