ALDE - Capitulo 7

A cada dia Bella se questionava mais o porquê de pensar tanto em Edward, deixando sua mente flutuar em emoções novas e estranhas, pensando no modo como ele agia perto dela, no jeito de falar, no riso presunçoso, no olhar perdido. Ao andar pela faculdade procurava em cada rosto ver o homem que a dominava seus pensamentos, se não podia tê-lo apenas imaginava.

Buscava vários tipos de diversão tentando negar o que sentia porem sempre voltava ao mesmo ponto onde havia deixado aqueles olhos verdes lhe atingirem. Tateava em meio ao vazio. O queria mais do que poderia controlar.

E principalmente a cada dia ela ficava mais confusa, mais sozinha, mais instável, mais pensativa não só com relação a Edward, também a mãe que morava em outro continente e as duvidas em sobre a escolha profissional.

Praticamente fugiu da aula de Testes Projetivos e sentou-se num banco especifico onde conversava com Jacob ás vezes.

- Ei Bella!Estou aqui! – Jacob acenou para ela, que permanecia distraída, sentando ao seu lado.

– Fugindo da aula?

Bella esboçou um sorriso e deitou a cabeça no ombro do amigo.

- Sim, pelo jeito pensamos igual.

- Está pensando no ser humano chamado Edward Cullen de novo?E a décima vez na semana que você fica assim, fora de órbita.

Jacob estava certo mais uma vez. Se fosse qualquer outro garoto ela ignoraria e partiria imediatamente para outra conquista,pensando apenas em curtir, aproveitar o momento e nada mais.Porém com Edward era diferente,perto dele media suas reações e era insegura.

Bella ergueu o olhar para o amigo, Jacob a conhecia bem demais, ao longo dos semestres haviam se tornado companheiros em tudo, festas, tristezas, alegrias, grandes realizações. Era uma relação de irmandade a qual ninguém entendia e eles não se davam ao trabalho de explicar.

- Eu não falo com ele a dias, desde que lhe dei carona no sábado passado. – Desabafou suspirando.

- Eu hein?Desse mal não quero morrer. – Jacob brincou a fazendo sorrir um pouco. – Bella, a palavra apaixonada tem cada vez mais sentido.

Bella negava-se a acreditar na presença dessa palavra.

- Nunca te vi assim. Credo. Espero que isso seja passageiro.

- Posso te assegurar que é passageiro. Eu não posso estar apaixonada. O Edward é um mistério para mim ainda. Nem ao menos nos falamos direito.

- Ele tem estilo é um cara legal, não vejo mal em vocês se apaixonarem.

Bella respirou fundo.

- Se fosse recíproco não haveria mal algum. – Retrucou.

- Bella deixa de bobagem se ele tiver que ser seu será, basta ter paciência. Um passo de cada vez.

Bastava esperar e confiar nos conselhos certeiros de Jacob que sempre a tranqüilizavam, mas com relação a Edward não tinham o mesmo efeito tranqüilizador.

Edward tentava digerir o que o professor acabara de explicar enquanto alguns anotavam ferozmente e lutavam para prestar atenção, ele apenas ouvia e comparava com seus próprios conhecimentos. Apesar de saber tudo aquilo de trás para frente e sorri com um comentário inútil do professor não deixava de dar atenção a aula e balançava as pernas de um lado para o outro freneticamente.

Ergueu a mão quando o professor perguntou-lhe sobre a teoria da relatividade.

- Sim senhor Cullen.

- São dois postulados, 1ª – Postulado da Relatividade: as leis da Física são as mesmas em todos os sistemas de referência inercial. 2ª – Postulado da Constância da Velocidade da Luz: a velocidade da luz no vácuo tem o mesmo valor para qualquer referencial inercial, ou seja, c = 300 000 km/s.

Quando terminou teve que enfrentar milhares de olhares direcionados a ele. Bufou incomodado e se remexeu na cadeira apertada, balançando os pés como de costume.

- Está certo mais uma vez. – Senhor Faith disse sorrindo para o aluno. Eles teriam uma prova daqui a dois dias e Edward parecia mais do que pronto para ela.

- Edward – Mike o chamou depois da aula.

- O que é Mike?

- Me ajuda a estudar para a prova?

- Claro. Será um prazer dividir meus conhecimentos com você.

- Eu não quero dividir conhecimentos só quero passar, cara.

Edward olhou de canto de olho para ele e voltou a caminhar.

- Ah, desculpe Edward. Que tal amanhã depois da aula no seu apartamento?

Ele iria responder se não visse Alice correndo em sua direção.

- Maninho, preste atenção eu não poderei te levar para casa hoje então será que dá para você pegar uma carona com a Bella?

- O quê?Eu não entro naquele carro de novo. - Disse Edward irritado. O velho incômodo com relação à Bella persistia.

- É só a Bella. Por favor, eu tenho uma palestra importante e preciso de carga horária.

Ele ponderou apreensivo e bufou visivelmente aborrecido com a situação.

- Tudo bem Alice, onde ela está?

- No pátio com os amigos, eu iria lá com você, mas já estou atrasada!Tenho que ir. Beijos.

- Obrigada Alice – Disse ao ver a irmã se distanciar não era um agradecimento, era parte do seu humor negro.

Mike ia dizer algo mais Edward o impediu.

- Qualquer piada ou expressão constrangedora será ignorada Mike! – Advertiu.

- Ok.Eu te ligo mais tarde.

Foi andando em direção ao pátio meio apavorado, não se acostumou com a quantidade de pessoas que estavam nos corredores.

Avistou Bella conversando com Jacob num banco no canto do pátio e cogitou a idéia de ir andando, mas a autoritária voz de Alice ecoava na sua cabeça, possivelmente se ela soubesse levaria uma reclamação. Observou à mudança comportamental de Bella, ela não parecia aquela garota que conversava com ele há semanas atrás, forçando uma maior aproximação, ele não notava expressões faciais, mas a de Bella em especial chamou sua atenção, uma força que o obrigava a notar a preocupação em seus olhos castanhos. E ele sentiu por isso, a curiosidade cercou sua mente por segundos, enxergou Bella ali, só ela mais ninguém.

- Isabella – Se pôs em frente a ela, seu rosto estava coberto pelas mãos.

- O que é?- Perguntou Bella impaciente.

Jacob a cutucou de leve a fazendo levantar a cabeça.

Ao ver Edward sorriu levemente.

- Ah,oi Edward.

- Vou até a biblioteca. – Jacob avisou querendo deixá-los a sós.

- Jake você nem ao menos sabe onde é a biblioteca! – Bella disse.

- Bella – Jacob olhou para ela e em seguida para Edward a fazendo entender.

- Aaaah.Tchau. – Voltou-se para Edward se esforçado pra olhar para cima.

- Então o que você quer?

- Eu posso te fazer uma pergunta estritamente pessoal?

- Se for sobre eu e o Will, nós não estamos namorando.

- O quê?- Edward perguntou sem entender. – Eu não ia...

Edward estreitou os olhos pensando no que Bella acabara de dizer. Não que a resposta não fosse interessante, mas ele não queria saber aquilo no momento.

Bella corou envergonhada com o que acabara de dizer.Queria se enterrar no buraco mais próximo e afundar-se lá mas já era tarde,já havia feito a besteira.

- Desculpe, estou meio atordoada hoje.

- Tudo bem. Eu queria saber se você irá para casa agora.

- Carona? – Perguntou timidamente.

- Sim. – Respondeu Edward ainda perdido.

- Vamos. – Bella levantou pegando a bolsa.

Bella entrou no carro e desta vez não precisou chamar Edward que se pôs ao seu lado no banco do passageiro.

Ligou o carro e depois o som, deixando Blueside do Rooney ecoar pelos alto falantes.

Ela não esperava nada dele, justamente pelo fato de saber que Edward não sentia nada por ela além de medo e pavor. Se culpara diversas vezes por beijá-lo.

- Você deve ter se esforçado muito para voltar para casa comigo.

Bella supôs enquanto deixava as notas da musica adentrar nos seus ouvidos e acalmá-la.

[…]Now do you see the red in me
It's a sign for the end

Only the end of the red
Will show you my blue side[…]

Ele por sua vez riu com a cabeça apoiada no vidro do Cadillac Escalade.

- Não se subestime Isabella.

- Não estou é só que...

- O problema sou eu? – Questionou confuso olhando um segundo para ela que prestava atenção ao caminho.

Ela sabia que era parte do problema mas não podia culpá-lo pelo que acontecia nas outras áreas de sua vida.

- Eu já sou um problema para meus pais não me imagino sendo problema para mais alguém.- Ele sorriu ao lembrar dos pais,observou as arvores que passavam como borrões esverdeados a caminho de casa e se perdeu ali.

- Eu queria ser como você. Não liga para nada, não se importa com o alheio, o mundo gira e você permanece no mesmo lugar.

- Queria ser como eu?Seres humanos confusos!Se isso te tranqüiliza não há nada de especial em ser como eu.

Bella se perguntou o porquê dessa baixa estima de Edward, se questionava como um garoto tão lindo e talentoso poderia perder o gosto pela vida, perguntou-se o que a vida teria lhe mostrado para ele ser assim, os obstáculos, os desgostos, as decepções. A cada segundo queria saber mais sobre esse garoto encantadoramente diferente que ganhara seu coração de uma forma desproporcional.

- Eu queria saber mais sobre você – Desabafou se preparando para a repulsa de Edward, e se

surpreendeu quando isso não aconteceu.

Edward percebeu aquele olhar, aquele olhar que tanto o cativara no seu primeiro dia em Ithaca. Em passos lentos o incômodo se transformava em curiosidade, em passos lentos um dia eles poderiam se acertar.

Por enquanto permaneceriam em suas mentes, esses desejos discretos de conhecer um ao outro.

Edward não queria conhecer a Bella de fora e sim a de dentro. Seu pai costumava dizer que só se poderia reconhecer um ser humano através de suas atitudes, deixando claro quem era merecedor de seu destino ou não, Edward não acreditava em destino, mas talvez seu pai tivesse razão, enquanto pensava olhava para Bella discretamente.

- Einstein disse certa vez que :A maioria de nós prefere olhar para fora e não para dentro de si mesmo.

- O que você quer dizer com essa frase?

- Quero dizer que é mais cômodo olhar para o externo,mas antes de conhecermos os outros temos que nos conhecer,temos que nos encontrar.É uma tarefa árdua,talvez nunca nos encontremos por isso nos projetamos nos outros.

Bella sorriu com a reflexão de Edward.Ele estava certo,lembrou de um texto de Sartre que leu no primeiro semestre: conhecendo-nos conheceremos o mundo.Talvez essa seja a solução pata tanta injustiça e preconceito,talvez seja a causa do sofrimento de Edward.

- E se nos perdermos? – Perguntou ela,Edward era um sábio,um gênio,conhecia mais sobre a vida do que ela,sentia-se pequena diante do visível sofrimento do rapaz.

- Se nos perdermos? – Coçou a nuca pensando na pergunta capciosa de Bella. – Quem sabe alguém nos encontre?Como Alice me disse uma vez:ninguém vive sozinho.

Respondeu mais para si mesmo do que para Bella de fato se perdeu procurando por respostas que não podem ser respondidas sozinhas, apenas na lida com o mundo. Se viu surpreso com a pequena, porém grande descoberta. Então Alice tinha razão apesar de odiar admitir.

- Edward – Bella tomou coragem para convidá-lo apesar de não estar pronta para a resposta. – Você gostaria de almoçar comigo no sábado?Posso estar indo rápido, mas responda o que quiser não se sinta obrigado. – As palavras saiam embaralhadas. Olhou atônita para o garoto.

- Não sei se estou pronto para responder agora, será que posso pensar na proposta? – Perguntou refletindo sobre os prós e os contra, estava surpreso com o convite, já recebeu convites para sair antes na época do colégio, mas negava com convicção sem deixar de lado a educação. Contudo no caso de Bella seria um talvez, pensaria no assunto delicadamente, pois não compreendia as reais intenções de Bella.

- Ah,claro,o tempo que precisar.- Respondeu decepcionada,não podia esperar nada além disso afinal era Edward Cullen.

Edward coçou a nuca nervoso com a situação.

- A propósito gostei da seleção musical. – Disse antes de sair do carro.

Bella sorriu para ele e admirou-o entrar no prédio e subir as escadas com sua pressa típica.

Suspirou e riu olhando para o som.

Salva pelo Rooney , pensou.

No dia seguinte Edward e Mike estudaram a tarde toda. Mike confundiu-se, pois ele explicava rápido demais, porém aos poucos foi compreendendo os métodos do amigo.

- Seu raciocínio é complicado, mas é inteligente. Einstein perde pra você.

Edward riu.

- Perderia mesmo. Você é muito talentoso, Edward.Tem potencial criativo,lógico.Seu futuro será promissor.

- Concordo plenamente – Alice intrometeu-se na conversa com um saco de salgadinho nas mãos.- O meu irmão trabalhará pra projetos secretos do governo.Pode escrever.

- Ou então na NASA.Me chame para ser seu assistente ok?

Edward abaixou a cabeça envergonhado por conta dos elogios,não estava acostumado com os elogios de alguém de fora,odiou Mike por isso.

- Vocês não sabem do que falam – Ele murmurou.

- Já está tarde,é melhor eu ir. – disse Mike se levantando e pegando os cadernos.

- Fique para jantar Mike. – Alice sugeriu.

- Você nem ao menos cozinha bem. – Edward resmungou.

Mike riu discretamente enquanto Alice fuzilou as costas de Edward com raiva.

- Edward – Advertiu.

- Alice. – Repetiu ele sem entender o tom de voz da irmã.

- Não precisa Alice eu como por lá pela faculdade. Relaxa. – Mike piscou para ela e deu um tapa no ombro de Edward.

- Obrigado amigo. Você me salvou de um belo zero.

- Não foi nada Mike. Só um pequeno auxílio.

Edward de certa forma se sentiu seguro, não era todos os dias que era útil para alguém.As mudanças o deixava confuso porém cada vez descobria-se mais na astronomia,descobria as pessoas e do que elas eram capazes, menos Bella a garota mais louca que já conheceu,contudo não conseguia se desligar dela.

Lembrou de uma frase de Blaise Pascal: “O coração tem razões que a própria razão desconhece”

0 comentários :

Postar um comentário