ALDE - Capitulo 6

Edward acordou irritado naquela manhã de sábado, o som alto de algum lugar incomodava seu sono.

Abriu a janela aborrecido tentando identificar de onde vinha o som mas logo a musica se fez distante diante do que viu.

Bella de top preto e short lavando seu Cadillac Escalade prata.

Esfregou os olhos admirando a barriga lisa da garota e as formas que se delineavam no top pela posição que estava. Um súbito calor perpassou pelo seu corpo quando ela jogou os cabelos para trás e quanto esfregava o pano no carro.

Acordou de seus devaneios quando Bella acenou para ele.

- Bom dia! – Disse ela sorrindo. Ele apenas acenou confuso e fechou a janela rapidamente. Algo lhe dizia que o dia seria longo.

Bella acabou de lavar o carro e seguiu para casa,tomou um banho frio,vestiu um short e um top novos. Olhou o sol pela janela de seu quarto admirando o belo e mais brilhante dos astros perguntando-se o que Edward estaria fazendo agora. Suspirou sem perceber e depois rosnou contra a maldita paixão platônica que lhe atingira. Era uma vítima nas mãos da paixão. Assim que o viu se encantou inexplicavelmente pelo olhar e pela personalidade incomum dele.

Nunca se apaixonou assim por ninguém, nunca sentiu-se rebaixada a uma atração, seu coração nutria esperanças vãs e sua alma vazia sentia a necessidade de ser preenchida.

Celebrity Skin da Cortney Love tocando no seu celular a acordou de seus devaneios. Viu o nome de Jacob piscando no visor.

- Bella. O passarinho saiu do ninho.

- O quê? – Perguntou sem entender do que o amigo falava, era um código.

- O passarinho, Edward, ele está aqui no ginásio. – Jacob praticamente sussurrou.

- Sério?Ele foi mesmo?Uau!Cada dia me surpreendo mais com esse garoto.

- Venha logo antes que ele fuja.

- Ele sempre foge,Jacob. – Desabafou. – Eu não sei se vou é capaz de ele se assustar com minha presença.

- Querida,você pode não perceber mas ele gosta de você, tenho que volta a treina, venha logo.

- Hum...Está bem, obrigada Jake.

Empolgou-se com a notícia, continuou com o mesmo short,apenas colocou uma camiseta branca e tênis. Hoje daria um passo para uma possível amizade com Edward, pois nem ao menos havia chegado a barreira da amizade.

- Ei! – Jasper que jogava videogame no sofá, chamou-a ao vê-la sair. – Onde vai?

- Ver alguém. – Respondeu sorrindo maliciosamente.

- Se for o Edward desista, você falou com ele anteontem!Qual é Bella?Deixa ele respirar!

- Ah, mais um conselho vindo do garoto que não consegue conquistar a Alice....

- Só estou te protegendo não precisa pegar pesado está bem, e eu já desisti da Alice. - Disse

Jasper se fazendo de ofendido.

- Ah eu vejo você desistir....e pra seu governo vou pegar um livro de psicanálise na biblioteca e depois ver o meu amigo treinar, ok?

- Você está louca. Nunca te vi tão empolgada com um cara. Cuidado, não quero ver minha irmã sofrer. – Disse ele sem tirar os olhos do videogame.

- Sofrer?Eu? Nem pensar!Não combina.

- Bom, se você se acha imune ao sofrimento, ótimo, não está mais aqui quem falou...

- Está bem, vai puxar o saco da alice vai Jazz?!

- E você do Edward, afinal você está completamente apaixonada. – Provocou o irmão.

- Ah, Jazz obrigada por citar a palavra apaixonada, me sinto bem melhor agora. – Ironizou Bella saindo rapidamente de casa para fugir das insinuações do irmão.

Mas não se antes escutá-lo gritar a palavra “apaixonada” em alto e bom som acentuando sua ira e suas dúvidas quanto a Edward.

Perguntava-se por que se dava ao trabalho de se preocupar com Edward, mas se soubesse a resposta não teria a mínima graça se apaixonar. Com passos forçados entrou no seu amado e mimado carro. Fechando as portas e ligando o som logo em seguida. Tentou se distrair com a música, mas a palavra apaixonada rondava sua cabeça a deixando mais confusa ainda, não combinava com seu perfil, porém nada lhe parecia coerente naquele momento.

Dirigiu até a faculdade e estacionou o carro na sua vaga de sempre, no fim de semana ela esvaziava um pouco mesmo assim alguns alunos aproveitavam o sol para relaxar e conversar enquanto outros estudavam embaixo das arvores, ou então freqüentavam atividades extras curriculares. Bella tentou ser monitora de Genética semestre passado mas não deu muito certo pois encurtava seu tempo de estudo,apesar de adorar a matéria, teve que desistir.

- Bella – Virou e viu William vindo em sua direção, beijá-lo anteontem só complicou mais seu estado de confusão, mexeu nos cabelos e o cumprimentou.

- Ah, oi Will.

- Você fugiu de mim ontem. Tem algo à ver com o cara de astronomia?

- Quê? O Edward? – Se fez de desentendida.

- Emmet me disse alguma coisa sobre beijo depois da festa, mas a Rose deu um tapa nele impedindo que continuasse. – Bella teve certeza de duas coisas: mataria Emmet e agradeceria a Rosalie.

- Nós somos amigos. – Duvidou de suas palavras.

- Amigos?Não precisa mentir para mim, Bella. – Will disse se aproximando até encostar a boca no seu ouvido – Eu não me importo, nós podemos curtir um ao outro de vez em quando enquanto eu estiver livre e você também, o que acha?

Bella fechou os olhos aproveitando a sensação da voz do ex-namorado trazer-lhe lembranças dos beijos intensos nos fundos da Range Rover de Will. Eles namoraram por quatro meses ano passado, terminaram sem motivo aparente, Bella simplesmente se cansou dele.

Beijou-o só pelo prazer momentâneo que aquilo provocava, só para satisfazer-se. De certa forma era bom ter alguém de vez em quando enquanto Edward não cedia, pensou.

- Ah, Bella – William suspirou quando se separaram.

Bella deu um sorriso falsamente amigável e saiu dali sem mais nada dizer. Deixou-o ali , se precisasse dele ligaria mais tarde.

Foi até a biblioteca, pois realmente precisava pegar um livro de psicanálise. E depois seguiu para o ginásio.

Avistou Edward absorto nos próprios cálculos e sorriu instantaneamente e caminhou até ele.

Sentou-se ao seu lado devagar para não assustá-lo inclinando-se de leve para ver que o que ele tanto escrevia, desistiu ao se perder entre tantos garranchos e símbolos que mal compreendia.

Edward nem ao menos levantou os olhos, mas ela estava ali o observando. Desejou ser o papel o qual ele lia atentamente com tanta dedicação.

- Olá Isabella.

- Como você...

- Meu poder de percepção não foi alterado. – Respondeu levantando os olhos para olhá-la por milésimos.

- Gosto de te observar compenetrado. – confessou.

- Não é algo agradável, mas já que você diz...

- A interpretação depende do observador. – Bella refletiu numa linguagem mais adequada a dele.

- Do que mais você gosta? – Perguntou Edward com um pouco de dificuldade, ele não se interessava por outras pessoas, mas sentia a necessidade de perguntar a Bella. Já que ela estaria sempre no seu encalço era bom saber mais sobre a estranha, era como uma batalha na qual conhecer seu invasor era crucial para manter a segurança.

- Isso foi uma pergunta banal ou interessada?

- Veja bem, preciso encontrar a correlação existente entre nós.

- Do que você está falando? – Bella perguntou.

- Em linguagem popular quero dizer que quero mensurar a chance de sermos amigos. – Ele refletiu sobre a última palavra com dificuldade visível.

- Então você pensou nessa possibilidade? – Perguntou esperançosa enquanto observava Edward o qual não esboçava nenhuma emoção.

- Regularmente tenho pensado nessa possibilidade.

Incomodou-se com o modo racional com qual ele se expressava. Pensou no porque de ele agir assim tão cartesiano.

Lembrou-se da noite em que ele expôs alguns pensamentos para ela sobre o medo , o medo de ser magoado e de magoar alguém, do receio de encarar pessoas,do temor de ser tocado, prováveis conseqüências ou causas.

- Eu gosto de cozinhar, de carros e principalmente do meu, de músicas, de festas e de ler.

- Não sei cozinhar, odeio carros, odeio festas. Gosto de música e gosto de ler.

- Você tem personalidade. – Bella comentou.

- Obrigado. Você também tem, mas não me parece bem formada.

Bella ergueu as sobrancelhas e buscou olhar para Edward. Ninguém nunca a criticou dessa forma tão sincera.

- Qual é o seu problema comigo afinal? – Perguntou aborrecida.

- Estou sendo claro. – Edward respondeu calmamente.

- Até demais!Se você quer que eu suma ou te ignore é só falar. – Disse exaltada, queria voar no pescoço de Edward ou simplesmente agarrá-lo de uma vez por todas, mas quaisquer das ações teriam conseqüências desagradáveis.

- Eu não tenho controle sobre você, sinta-se a vontade para fazer o que quiser. – Respondeu sem entender o porquê de Bella rosnar e bufar tantas vezes.

- Ei Edward! – Jacob gritou da piscina – Deu certo, meu tempo diminuiu.

- Eu não falei, está tudo relacionado à freqüência – Edward disse com um sorriso presunçoso.

Gostava de explorar seu dom, era uma das únicas vezes em que se sentia seguro e capaz. Olhou de relance para a garota ao seu lado e desfez o sorriso perguntando o que ela pensava, era frustrante não perceber mudanças de humor e de expressões, o que nesse momento parecia-lhe mais que necessário.

- O que você fez?

- O quê?

- Eu perguntei o que você fez para o Jacob nadar mais rápido.

- Nada demais, você não entenderia.

- Por quê?Sou burra demais para isso?

Edward revirou os olhos impaciente.

- Você não quer realmente que eu explique quer?

- Não Edward, não quero!

- Que bom.

Bella viu-se confusa, pensava que evoluiria na sua relação com Edward, mas só declinava. Sua porção de culpa era mínima, bem que ela tentou estabelecer algum tipo de conversa, porém ele sempre possuía respostas ácidas na ponta da língua e suas oscilações de humor eram inesperadas. O modo despreocupado com o qual ele dizia ou agia a estressava demasiadamente.

Perguntou-se se havia algum motivo para ele ser assim. Teria ele algum tipo de distúrbio? Descobriria se assim fosse.

- Eu vou para casa. – Disse ele de repente se levantando e recolhendo os papéis jogando-os na mochila.

- Eu posso te levar para casa.

- Alice vem me buscar, vou ligar para ela. – disse se dirigindo imediatamente á saída para ligar pra irmã do telefone publico.

- Ei ! Não é preciso, eu te levo. Sem problemas. – Repetiu impaciente.

Ele não viu maneiras de recusar, mas ainda era receoso quanto a Bella. Era uma incerteza preocupante, ela era imprevisível.

Jacob saiu da piscina e correu até eles. Abraçou Bella mesmo molhado, ela não se incomodava, era um hábito comum ver Jacob nadar e depois abraçar o corpo forte do melhor amigo por vezes tão reconfortante.

- Aonde vocês vão? – Jake perguntou exibindo um sorriso malicioso notado apenas por Bella.

- Eu vou levar o Edward em casa e depois vou pra minha, passa lá depois,gato.

- Gato? – Edward questionou.

- É um dos apelidos do Jake se você quiser te dou um. – Bella respondeu.

-Não obrigado – disse Edward sério, provocando risos em Bella e Jacob.

- Eu gosto desse cara.

- Ah não, cara de novo não. Já basta o Mike.

Eles riram de novo, mas Edward continuou sério.

Parou alguns minutos para analisar o sorriso de Bella, o modo como sua boca o chamava, as covinhas no canto da boca, os dentes simétricos e brancos, pendeu a cabeça para o lado observando-a até que seus olhares se encontraram, ele desviou rapidamente.

- Te vejo hoje à noite. – Despediu-se Jacob.

Bella viu a oportunidade de contato visual escapar de suas mãos. Edward acenou para ele e os dois seguiram para o estacionamento.

Ele parou no meio do estacionamento analisando o carro de Bella.

- Seu carro é um tanto quanto chamativo e não é nada proporcional ao seu tamanho.

Bella riu, mas a expressão de Edward era séria, impenetrável.

- É uma forma sutil de me chamar de baixinha – Bella brincou entrando no carro. Ligou-o e notou que Edward ainda estava do lado de fora. Abriu o vidro do lado do passageiro.

- Ei!Pode entrar, eu deixo. – Brincou.

- Está bem – Edward entrou no carro olhando para todos os cantos do mesmo.

- Bonita área interna – Observou.

Bella não pôde deixar de rir, a forma como ele formulava as frases a divertia.

- Você deveria usar isso como cantada. Daria supercerto.

- Cantada?

- Cantada, xaveco, paquera. Vai dizer que nunca passou uma cantada?

Edward coçou a nuca refletindo sobre a pergunta de Bella.

- Não – Respondeu por fim.

- Mas deve ter recebido várias. – Disse o olhando de cima a baixo.

- Hum...

- Cantada é um elogio disfarçado, com segundas intenções, entendeu?

- Ah, acho que sim. – Respondeu levantando as sobrancelhas.

Bella se divertiu em explicar a ele. Edward era tão vulnerável que podia sentir seu corpo amolecer de insegurança.

Ela ligou o som e dirigiu até o prédio, tocava I Wanna do The All American Rejects refletindo tudo que sentia naquele momento, mas tinha a plena certeza de que Edward não sentia o mesmo.

- Sua preferência musical é regular. – Observou Edward com os olhos fixos na janela.

- Obrigada, o que eu deveria ouvir para torná-lo satisfatório? – Perguntou em tom irreverente. Não estava acostumada a ser tão criticada, habituou-se a ser bajulada e elogiada de certa forma era uma sensação diferente, Edward lhe parecia mais humano, mais real do que as outras pessoas e ao mesmo tempo distante do mundo.

- Minha escala musical é muito exigente.

- Então você iria odiar me ouvir tocar.

- O quê? – Perguntou curioso.

- Guitarra, violão e bateria.

Edward se impressionou, subestimou demais Bella, estava curioso para ouvi-la tocar, admirava os músicos por sua sensibilidade e criatividade, dependendo do humor ouvia determinada música. Desde criança aprendeu com seu pai a admirar os grandes cantores e maestros, aguçando suas preferências.

- Eu não posso odiar o que não conheço.

Bella sorriu timidamente, sabia que mesmo minimamente despertou o interesse dele.

- Então você me ouviria?

- Sim, por que não? – Respondeu mais para sim mesmo do que para ela.

Seus olhares se cruzaram por um breve momento, Edward assustou-se com o contato e saltou do carro assim que Bella estacionou na garagem.

- Obrigado – Disse antes de sair.

- Disponha Edward... – Tentou dizer, mas já era tarde, ela já havia entrado no prédio.

Encostou a cabeça no volante derrotada. Seria difícil se aproximar dele por mais que quisesse.

- Por que esse calouro me atraiu tanto? – Murmurou para si mesma.

Mal sabia ela que Edward fazia-se a mesma pergunta desde que chegou á cidade.

0 comentários :

Postar um comentário